CUT contra o golpismo midiático

Tempo de leitura: 4 min

21/09/201

Ato une centrais,movimentos sociais e blogueiros progressistas nesta quinta no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo

Vagner:

Vagner Freitas: Contra a tentativa de manipulação de alguns veículos

por Leonardo Wexell Severo, no site da CUT

Na próxima quinta-feira (23), a partir das 19 horas, centrais sindicais, movimentos sociais e blogueiros progressistas realizam no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo um ato “Em defesa da democracia e contra o golpismo midiático”.

Organizado pelo Centro de Estudos de Mídia Barão de Itararé, o evento já tem confirmada a presença da CUT e das várias centrais sindicais, além da UNE, do MST e representantes de partidos populares.

Em entrevista para o Portal do Mundo do Trabalho, o secretário nacional de Administração e Finanças da CUT, Vagner Freitas, ex-presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Ramo Financeiro (Contraf-CUT), sublinha a relevância  da manifestação, “no momento em que os grandes conglomerados privados de mídia atuam para tentar manipular a disputa eleitoral, se comportando não como meio de comunicação ou imprensa, mas como partido político, em favor do candidato da privatização, do arrocho salarial e da precarização de direitos”.

Nesta reta final da disputa eleitoral, a mídia decidiu ir para o tudo ou nada, pisando no acelerador da manipulação em favor da candidatura demotucana. Qual a sua avaliação sobre tamanho destempero?

Estamos num momento em que os grandes conglomerados privados de mídia atuam para tentar manipular a disputa eleitoral, se comportando não como imprensa, meios de comunicação, mas como partido político a favor do candidato da privatização, do arrocho salarial e da precarização de direitos. Frente ao que chamam de incapacidade da candidatura demotucana de fazer oposição ao governo Lula, a Folha de S. Paulo cobra até em editorial que se explicite a divergência, incentivando a busca da desqualificação do PT, de Lula, de Dilma, requentando questões passadas ou promovendo factóides midiáticos referentes a pessoas do governo.

Empunham então, abertamente, a bandeira da candidatura da reação neoliberal, mas, do alto da sua hipocrisia, com “imparcialidade”…

Assumem o papel de partido político, pois acham que o PSDB não está conseguindo cumprir. Em vez de orientar, propiciando ao eleitor uma análise imparcial dos programas e propostas de cada partido, a chamada grande mídia adota uma postura partidarizada. Isso tem a ver com as visíveis dificuldades do PSDB e do DEM para sustentar sua visão neoliberal privatista, de redução de salários e direitos, de desvalorização dos serviços e dos servidores públicos.

A mídia venal tenta identificar a luta pela democratização da comunicação com cerceamento da imprensa. O que achas disso?

Mais do que absurdo, é ridículo tentar imputar às centrais e movimentos sociais que lutam pela democratização da comunicação o comportamento que sempre foi deles, de negação de espaço ao contraditório. Somos completamente favoráveis à liberdade de expressão, esta é a nossa história, de combate à ditadura. O PT e a CUT cresceram neste momento junto com a luta por liberdades democráticas, pela ampliação de espaços para a sociedade ter voz. Infelizmente, o que temos hoje é uma ditadura da mídia sobre a opinião pública, uma tentativa de modelar gostos e vontades em favor dos interesses do grande capital. Agora, liberdade de imprensa não significa que tudo possa ser divulgado e nada possa ser questionado. A mídia não é um quarto poder e deve estar, como tudo na democracia, sujeito a questionamentos, não é uma bula papal. As pessoas devem arcar com o que dizem, responder pelos seus atos, inclusive juridicamente. Ninguém pode sair por aí acusando sem provas. Do contrário, qualquer um poderia mentir, difamar e caluniar impunemente. Infelizmente, muitas vezes por omissão da Justiça, isso é o que acaba ocorrendo. Este é um outro ponto, o papel do judiciário, que não pode ter candidatura ou preferência.

É público e notório que a mídia venal tem um candidato. Como vês este alinhamento?

Eu não tenho problema nenhum com o fato da grande mídia ter um candidato, mas acho que deveria explicitar ao invés de tentar camuflar. Na Europa e nos EUA é assim: grandes jornais assumem abertamente sua posição e dialogam com o leitor de forma clara, alinhados. Aqui, reafirmo, o problema é que não deixam espaço para o contraditório, pois estão todos afinados com a mesma visão, o que tem empobrecido o debate.

E pelo que se pode projetar das ruas, esses setores golpistas serão derrotados novamente. Como disse o presidente Lula, em 2002, ao vencer, que o povo derrotou a opinião pública. Na verdade, a opinião publicada…

O fato é que a mídia não está conseguindo se contrapor ao projeto democrático popular desenvolvimentista em curso, que recuperou o papel do Estado, que dialoga com os movimentos sociais, com um patamar mais coletivo de organização da sociedade e da economia, que prioriza a nossa soberania. O outro lado é o projeto político dos grandes conglomerados internacionais, do retrocesso, da submissão ao estrangeiro.

E o que dizer de profissionais que se comportam como meros papagaios do dono do jornal ou da emissora, tentando desqualificar a manifestação da próxima quinta-feira como “ato contra a imprensa”?

Esta avaliação divulgada por alguns setores nada mais é do que uma exposição do seu rancor, pois obviamente não somos nós que impedimos a livre expressão, que deixamos de levar informação, que criminalizamos movimentos sociais. Por isso, o nosso mais profundo e rotundo repúdio a esta faceta golpista da grande mídia que, independentemente de quem vença as próximas eleições, precisará ser democratizada. Pelo noticiário, esta mídia tenta vender a ideia de que a população eleger a maioria da coalizão que apoia o presidente Lula é ser contra a democracia, que o fato do governo se preocupar prioritariamente com os mais necessitados e dialogar com trabalhadores e empresários é populismo, e outros absurdos. Felizmente, com a nossa mobilização, organização e consciência, é uma página que será virada, para o bem da informação de todos os brasileiros.

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Nelson Menezes

Caros Internaltas, só comentar não vai impedir o avanço do golpe,vamos todos ao ato de protesto organizado pelo Barão de Itarare no sindicato dos engenheiros,vamos para as ruas tambem para protestar e mostrar toda a nossa indignação.

    Nelson Menezes

    Desculpe-me em lugar de Sindicato dos engenheiros: digo Sindicato dos Jornalistas,Rua Rego Freitas nº530,Proximo ao mêtro República, centro da capital paulista

ValmontRS

Jabobos, mervais, palhaços e fantoches delirantes já tentam mobilizar os jornalistas para a sua guerra:

"…Os soviéticos que sobem já avisaram que revistas e jornais são o inimigo deles. Por isso, 'si vis pacem, para bellum', colegas jornalistas. Se quisermos a paz, preparemo-nos para a guerra…"

Sinceramente, se Jabobo me chamasse de COLEGA, eu o processaria por injúria e difamação.

QUEM É COLEGA DESSE TRUÃO, BOBO DA CORTE QUE SÓ FAZ RIR O SEU PATRÃO?

mineiro

se deus quiser , depois da eleiçao da dilma , ela tem que fazer o que o lula ficou com medo de fazer . enfrentar essa organizaço criminosa, se piedade . nao pode acontecer o que esta acontecendo . essa organizaçao virou partido politico . e eles fazem o que bem entende. eles podem . nao é censura. claro com o aval do judiciario maldito que nao serve para nada, min.publico , oab e tudo mais. todos eles fazendo vista grossa. porque estao do mesmo lado dos golpistas , nao tem outra explicaçao.

    Jairo_Beraldo

    Não creio que Lula teve medo de fazer. Ele NÃO podia fazer naquela hora. Teve que pavimentar o caminho para que Dilma possa fazer.

Baixada Carioca

Pérolas PIGtucanas:

"Temos que ter uma economia forte, temos que ter avanços na segurança, avanços na educação, na defesa das liberdades, que hoje é um assunto que se coloca de forma muito impactante, inclusive da liberdade de imprensa que é a condição para a existência da democracia. Hoje temos uma chantagem sobre a imprensa brasileira. Eu sou um defensor da liberdade da nossa imprensa" (tucano mentiroso, no Bom(?) Dia Brasil)

"objetivo do PT, ao usar movimentos sociais como correia de transmissão de seus interesses, não é outro senão transformar aquele que sofreu agressão em agressor, a vítima, em algoz" (Bob Freire, do PPS ao Estadão)

"A convocação de um ato destinado a esse fim explicita a vocação autoritária desses apoiadores. Querem uma imprensa e uma opinião pública subordinadas." (Sérgio Guerra, em nota. Via Estadão

Eles agora tentam mostrar que estão estamos tentando acabar com a liberdade de expressão e de imprensa. Mas se consideram "liberdade de expressão" e "liberdade de imprensa" essa sórdida campanha mentirosa, tendenciosa e ficciosa, acho que podemos bater no peito e dizer: "Sim, somos contra!" Ou não?

SérgioFerraz

E preciso deixar claro que a liberdade de expressão do cidadão (garantida de CF) é maior que a liberdade de imprensa.
O ato não é contra a imprensa é contra a imprensa GOLPISTA.

    Jairo_Beraldo

    Na verdade, contra o GOLPE, que não é só idealismo da imprensa, mas de uma gama de anti-povo e anti-Brasil.

ruypenalva

Parabéns, estavam demorando a demonstrar a repugnância contra o Partido da Midia Golpista.

Maria Dirce

Como vão assumir que são Demotucanos com um presidente com 80% de aprovação popular? Ja não vendem jornais, se assumirem o Serra de hoje pra amanhã fecham-se as redações.Mas o povo ja sabe quem é quem, quero saber, para mim o mais importante é o after day como será com os golpistas midiáticos.? qual será o limite ?Cada dia vão colocar a Dilma por ex na capa da Veja e achincalha-la?ou as manchetes dos jornais pedindo o Impeachment ???

Deixe seu comentário

Leia também