VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Coronel Erimá denunciou o general que recebeu em dólares para trair Goulart e consolidar o golpe de 64
Reprodução
Você escreve

Coronel Erimá denunciou o general que recebeu em dólares para trair Goulart e consolidar o golpe de 64


31/03/2021 - 09h44

Da Redação

O general Amaury Kruel era comandante do II Exército em São Paulo, figura chave para o equilíbrio de forças entre os militares depois que o golpe de 64 foi desencadeado.

Forças do Sul poderiam seguir em direção à capital federal, então o Rio de Janeiro, para tentar esmagar o golpe, que tinha começado com o deslocamento de tropas de Minas Gerais em direção ao Rio.

Mas, no caminho de tropas gaúchas, poderiam se postar as leais ao general Kruel, que sempre havia se apresentado como aliado de Goulart.

Porém, Kruel mudou de posição de última hora e apoiou a quartelada.

O coronel reformado Erimá Pinheiro Moreira contou que foi testemunha de uma cena de corrupção: o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e outros três homens levaram seis malas de dinheiro para Kruel, antes dele mudar de ideia.

Ele fez a acusação na Comissão da Verdade da Câmara Municipal de São Paulo.

Abaixo, duas outras reportagens sobre a quartelada que prendeu, cassou, censurou, fechou o Congresso, torturou, desapareceu e matou oponentes.





3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Lucas Marques

01 de abril de 2021 às 13h54

Nunca entendi um exército que vai atrás de ” guerrilheiro”, suponho que seja alguém que luta por democracia.
E tb não entendo um exército que não quer ir para a guerra e prefere ir atrás de guerrilheiro pq teoricamente o guerrilheiro não tem as armas do exercito inimigo. É mais fácil, menos arriscado.
E tb não entendo uma pessoa ficar do lado de um Estado que oprime o povo e depois para reinvindicar um simples aumento proporcional de salario, igual, tem que mandar a esposa fazer a greve no lugar dele.
Todas essas questões são contraditórias.
O Estado exige uma obediência ímpar deles, mas muitas vezes o Estado não garante nem o sustento da família do militar seja PM ou das FFAA. Fora os que moram em áreas perigosas.
Por isso as vezes e foda seguir a cartilhinha de A a Z. E tem gente que exagera. Não vale a pena ser tão caxias para um Estado que não tá nem aí pra vc e nem pra sua família.
As vezes tem cara que cisma pra prender alguém que só tá trabalhando. Aí vemos verdadeiras insanidades na televisão.
Corrupção aqui tem em todo lugar. Negar. É ingenuidade.
Nosso país precisava de uma reforma moral.

Responder

Vieira

31 de março de 2021 às 23h04

O título da matéria confunde quem ñ lê os dois pontos olhando de relance.São muuuuitos leitores.

Responder

Zé Maria

31 de março de 2021 às 16h39

https://pbs.twimg.com/media/Ex0d_D-WQAwH0ab?format=jpg

“Se a ditadura deveria ser exaltada,
por que nem mesmo os militares da época
mostravam com honra seus rostos?

Julgamento de Dilma, aos 22 anos,
com a cabeça erguida,
enquanto aqueles que querem exaltar hoje,
escondem seus rostos!”
#DitaduraNuncaMais

https://twitter.com/edmundosteffen1/status/1377290036459278339

DILMA VANA ROUSSEFF

Esta MULHER nunca traiu seus Camaradas,
Companheiros de Luta contra a Ditadura,
muito menos feriu os Princípios da Honra
e do Estado Democrático de Direito.

https://youtu.be/Tiyezo1fLRs
https://www.facebook.com/apyus/videos/548466992605539/

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Blogs & Colunas
Mais conteúdo especial para leitura