VIOMUNDO

Diário da Resistência


Você escreve

Biondi, em 1996: Petrobrás, Vale e o mar de mentiras


15/05/2010 - 17h25

Petrobrás, Vale e o mar de mentiras

ALOYSIO BIONDI, na Folha de S. Paulo, em 28/11/1996 (por sugestão do leitor Carlos Alfredo Gomes*)

Na semana passada, a Petrobrás anunciou a descoberta de um novo poço gigante, furado no fundo do mar de Campos, no Rio, capaz de produzir 10 mil barris por dia. Talvez um em cada 1 milhão de brasileiros seja capaz de entender o significado fantástico desse número. Então, vale a pena dissecá-lo, neste momento em que se debate a privatização da vale do Rio Doce, a quebra do monopólio estatal do petróleo, a venda de estatais a toque de caixa, com a divulgação de mentiras para manipular a opinião pública.

No Brasil – os primeiros poços de petróleo do Brasil, descobertos no Recôncavo Baiano, produziam em média cem barris por dia; eram poços ”fraquinhos” quando comparados com os do México, Venezuela ou Oriente Médio.

No final dos anos 60, em 1968, a Petrobrás descobriu o primeiro poço de petróleo no fundo do mar, mais exatamente na plataforma submarina de Sergipe, com poços capazes de produzir 1.300 barris por dia, isto é, 13 vezes mais do que os poços baianos e próximo da média de México e Venezuela.

O grande salto, que até hoje não foi suficientemente entendido pela opinião pública, veio a ocorrer em meados dos anos 70, com a descoberta de petróleo na plataforma submarina de Campos, onde poços de produção cada vez mais estonteante foram sendo localizados: 3.500 barris/dia, 7.000 barris/dia e, agora, 10 mil barris/dia. Cada poço.

No mundo – esses poços de produção gigantesca fornecem o dobro ou o triplo dos poços recordistas da Venezuela e do México. E, atenção, equivalem aos poços “malucamente” recordistas do Oriente Médio.

EUA e mentiras

Para atacar a Petrobrás, analistas mal-intencionados dizem frequentemente que as empresas petrolíferas abrem milhares de poços nos EUA a cada ano, contra centenas ou dezenas perfurados no Brasil.

A comparação é totalmente enganosa. Nos EUA, por causa da formação dos terrenos e outros fatores, os lençóis de petróleo estão situados a poucos metros de profundidade — e, por isso mesmo, não há brasileiro que não tenha visto, em filmes norte-americanos, um “mocinho” achar petróleo usando ridículas sondas normalmente usadas para abrir cisternas d’água.

Poços de poucos metros de profundidade, facílimos de perfurar  — mas que, em compensação, não produzem mais do que dez barris (dez, mesmo) por dia. Mil vezes menos que o poço gigante brasileiro.

A Petrobrás está no extremo oposto. Com plataformas sofisticadíssimas, realiza façanhas: as sondas atravessam uma lâmina d’água (isto é, da superfície até o ”chão” do mar) de 300, 500 metros  — e depois começam a perfurar o “chão” do mar, chegando a até 2.000 metros de terreno perfurado.

Uma tecnologia tão avançada, tão ano 2000 — para usar o modismo dominante — que a Petrobrás é premiada como líder absoluta, primeiro lugar absoluto em tecnologia de perfuração submarina. No mundo.

Ainda sem rubor

No caso da Vale, as mentiras são as mesmas. Há décadas, a Vale, por meio da sua subsidiária Docegeo, é a grande descobridora de minérios no país.

Por isso mesmo, descobriu e é dona, em Carajás, no Pará, da maior concentração de  — atenção —  todos os tipos de minério de — atenção — todo o mundo.

Quanto à sua eficiência administrativa, foi elogiada em artigo recente nesta Folha pelo empresário Antonio Ermírio de Moraes, que, com sua honestidade intelectual, chegou a pôr em dúvida o acerto da privatização ( isso, apesar de seu grupo ser um ”comprador em potencial” ). Se a Vale tem tecnologia e eficiência administrativa, é preciso inventar outra mentira, repetida por ministros, ex-ministros e de-formadores de opinião. Diz-se que a Vale só paga de dividendos ou rende 1% a 2% ao ano para o Tesouro.

Ora, qualquer empresa privada faz o mesmo: se tem um lucro 100, entrega só uma fatia aos donos, aos acionistas, aos sócios e reinveste o restante em novos negócios, novas empresas. Aumenta, com isso, o patrimônio dos donos e o valor de suas ações.

A capacidade de mentir à opinião pública ultrapassou qualquer limite da capacidade de ter vergonha.

*PS do leitor: O poço gigante referido por Biondi no primeiro parágrafo: Roncador, onde seria instalada a P-36, que iniciou operação em Maio/2000 e explodiu-afundou em 15-20 de março/2001…

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



37 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Sem Nome

17 de maio de 2010 às 09h27

Bom senhores. É nescessário salientar que anos atras viviamos em um Brasil que não tinha gente qualificada o suficiente pra tocar os mais variados investimentos estatais como negócios financeiros ou mesmo empresas como a CVRD(companhia vale do rio doce). Como ainda hoje o Brasil está escasso de mão de obra das mais diversas qualificações. Mas o estado está mais capaz, temos mais pessoas qualificadas, que a serviço do estado e pouco de profissionalismo podem trazer a uma empresa estatal toda capacidade de uma empresa privada. No caso da vale só quem vive o cotidiano sabe o quanto a Vale despreza seus atuais funcionarios que nao possuem nem dia nem hora pra trabalhar ganhando salarios "mediocres". E quanto a eficiencia administrativa, só indo nas suas dependencias pra ver o quanto é gasto em projetos inacabados e o quanto a "burrocracia" da empresa desperdiça milhões de reais, mas claro isso não interessa a mídia, pois seus patrões já embolsam a sua parte, não precisam se preocupar com o resto…

Responder

Carlos

17 de maio de 2010 às 07h54

Em 1998, David Zylbersztajn, diretor-geral da ANP, manobrou – sem êxito – no sentido de tirar da Petrobrás os direitos sobre Roncador.

Responder

Fernando Oliveira

16 de maio de 2010 às 23h33

Tá lá no Nassif, no Paulo Henrique, em tudo que é lugar:
Reuters e Al Jazeera no Irã: Lula obtém a maior vitória da diplomacia brasileira!…
Mete bronca, Azenha. Vamos divulgar e comemorar…. Viva Luuuuuula!!!!… Viva o BrasiiiiiL!!!!….

Responder

mauro silva

16 de maio de 2010 às 19h07

caro azenha_
o modelo getulista de "industria de base" -perfeito como filosofia de estado nacional, diferente do entendimento dos neo-eunucos bizantinos da eterna udn-capachilde (os sàtrapas de bizancio eram eunucos, por motivos obvios), rezava que o subsidio àquelas industrias (siderbras, eletrobras, petrobras, telebras e vale do rio doce)- seria compensado na taxação ao produto final, com maior valor agregado e, ainda assim, mais barato que a concorr^encia.__essa filosofia altiva, nacionalista e decente garantiu ao brasil a maior taxa de crescimento no sec. xx, até os golpistas da udn, apoiados pelos torturadores degenerados, modificarem a politica com aquele discurso safado que todos conhecemos: o do "custo brasil".
são aqueles que falam brasil com "z"
mauro silva

Responder

Jair Orichio Junior

16 de maio de 2010 às 18h50

Sem qualquer necessidade de se buscar em site, enciclopédia Barsa, Wikpedia etc… vejamos o que está mostrado, hoje, aora, nesnte momento nas informações do IBGE.
PIB de São Paulo em 1986= 50% do PIB brasileiro.
PIB de São Paulo em 2010= 30% do PIB brasileiro.
Governantes no estado de São Paulo nos últimos 24 anos: PSDB, PFL, DEM, PPS e PV.
Esta é a resposta que se pode dar a alguém que com uma impáfia doentia, bancado por uma mídia escrota, se lança como capaz de governar um país.
Nã se contentaram em quebrar o país 3 vezes com FHC, O Reprodutor de Jornalistas e Empregadas Doméstica da Dona Ruth Cardoso, agora assombram o país, again de novo, mais uma vez, depois de terem destruido a maior economia do país, que é São Paulo.
Eu, moro em Parati, e não consigo imaginar que o paulista/paulistano, possa ser enganado por tantos anos e ainda concordar com isso.
É muita cara de pau ou omissão doentia.

Responder

paulo chacon

16 de maio de 2010 às 14h53

O PIG só merece uma coisa: o "jeito Hugo Chaves" de lidar com a imprensa golpista.

Responder

emerson57

16 de maio de 2010 às 16h22

tudo que o nostradamus brasileiro escreveu está aqui:
http://www.aloysiobiondi.com.br/

boa leitura.

Responder

    francisco p neto

    16 de maio de 2010 às 15h40

    Desculpe-me emerson57, Biondi não é Nostradamus coisa nenhuma.
    Ele apenas é um brasileiro como qualquer outro, que defende o Brasil.
    Só tem uma diferença: ele é um jornalista compromissado com informações verdadeiras.

    Carlos

    17 de maio de 2010 às 07h44

    Registro: Biondi faleceu em 22 de julho/2000.

Maria Dirce

16 de maio de 2010 às 15h25

Nunca vi tamanha torcida para que a viagem de Lula, principalmente ao Irã de com os burros nágua.A torcida é descarada falam abertamente que o Brasil vai ficar manchado com esse encontro.Quem analisar seriamente a politica tucana e seus afins, verá pq o Brasil demorou pra crescer, tipo de gente que tem que ser expurgada do país, pq provam a cada dia o que querem para seu povo,Ainda bem que agora existe a internet e blogs como esse e os demais, como ps do – Nassif, PHA, Tijolaço,Òpera Mundi,portal vermelho, patria latina, etc que mostram os dois lados da moeda, e faz internautas ter a certeza em quem votar e porque.

Responder

    Jairo_Beraldo

    16 de maio de 2010 às 17h00

    Assistindo ao "Edição das Seis" na globonews sexta,14,fiquei indignado com a Leilane Neubarth,da forma desrespeitosa como se dirigia ao Irã e seu presidente,sendo avalizada pelo dantesco Lampréia.É inconcebível, que em pleno século XXI,se faça jornalismo desta forma.Isso,na minha ótica é preconceito,e preconceito é crime inafiançável.E pior,é ainda pagar para ouvir tamanha sandice!

Marcos C. Carvalho

16 de maio de 2010 às 15h23

Enquanto isso, aqui no Espírito Santo, a Vale, depois de demitir milhares de trabalhadores na crise do final de 2008, voltou a produzir mais do que antes mas não recontratou o mesmo número de trabalhadores que despediu. Isso segundo uma fonte confiável, que trabalha na empresa.

Responder

setepalmos

16 de maio de 2010 às 15h23

Um dia ainda será compreendida a dimensão do crime que foi a privatização da Vale…

Responder

    Jairo_Beraldo

    16 de maio de 2010 às 17h02

    Já deveria ter sido,e seus idealizadores,tinham que estar na Prisão Federal de Catanduvas-PR.FHC,Serra,Dantas, entre outros bandidos.

rafael

16 de maio de 2010 às 14h00

Tudo que a Petrobras obtem hoje de resultado magnificos e lucros gigantescos só foram possíveis graça ao trabalho desenvolvido na época do monopólio. Os campos que produzem hoje todos foram descobertos na época do monopólio. Agora com o pré-sal deveria voltar o monopólio de toda atividade relativa ao petróleo.É injusto shell, bp ou outras empresas virem para o Brasil e usurpar o nosso petróleo decoberto pela Petrobras.Essa lei que o fhc criou não ajudou em nada a Petrobras, o que ela fez foi obrigar a Petrobras a lutar pela sua sobrevivênvia.O volume que hoje é explorado de petróleo só se deve a Petrobras em nada se deve a lei 9478/98.Essa lei foi cria para privatizar a Petrobras.

Responder

Milton Hayek

16 de maio de 2010 às 13h42

A turma do DEM/PSDB é contra a indústria e a produção.São empregados dos bandidos da finança.São parasitas:

"…………………O Pânico Bancário de 1907, durante o qual o próprio J.P. Morgan interveio na ausência de um banco central que estabilizasse o setor financeiro, levou à criação em 1913 do Sistema de Reserva Federal (Federal Reserve System), projetado para dar liquidez aos bancos durante uma crise. Mas isso levou também a acusações, primeiro formuladas em 1911 pelo congressista Charles A. Lindberg (pai do famoso aviador), de um "cartel do dinheiro" no domínio das finanças e da indústria dos EUA. Woodrow Wilson, então governador de New Jersey, declarou: "O maior monopólio deste país é o monopólio do dinheiro".

Em 1912, uma investigação destinada a descobrir a verdade por trás da questão do trust do dinheiro foi lançada pela Comissão da Câmara sobre Bancos e Moeda, presidida por Arsene Pujo, da Louisiana. A Comissão Pujo descobriu que 22% do total dos recursos bancários da nação estavam concentrados em bancos e companhias de custódia baseadas na Cidade de Nova Iorque. Ela publicou informações mostrando os canais do controle e propriedade financeiros, focando especialmente o extenso império financeiro-industrial do J.P.Morgan, enfatizando as cadeias imbricadas de gestão através das quais esse controle era exercido. Ela detalhou o que via como um "grupo interno" associado ao trio formado por Morgan no J.P.Morgan & Co., George F.Baker no First National Bank, e James Stillman no National City Bank, assim como em vários outros bancos e empresas que eles controlavam. Coletivamente, o grupo interno manteve 300 diretorias em mais de cem corporações. A Comissão Pujo denunciou que não era investimento, mas controle sobre as finanças e a indústria dos EUA, o objetivo da extensa rede de propriedade e direção. Ela concluiu que havia uma "identidade e comunhão de interesses estabelecidos e bem definidos entre alguns líderes financeiros, criada e mantida através de propriedade acionária, gestão interligada, sociedade e transações em contas conjuntas, e outras formas de domínio sobre bancos, companhias e custódia, ferrovias e corporações industriais e de serviço público, que resultaram numa concentração grande e rapidamente crescente do controle de dinheiro e crédito nas mãos desses poucos".
http://resistir.info/mreview/financial_power_elit

Responder

Gerson Carneiro

16 de maio de 2010 às 09h15

Observem bem essa imagem da plataforma P-36 afundando. Patrimônio, dinheiro, brasileiro afundando, indo pelo ralo.
(além dos trabalhadores que morreram na explosão ocorrida).

Imaginem se esse desastre tivesse ocorrido no Governo Lula (já quiseram culpá-lo pelos desastres com os aviões da Gol e da Tam). Iamginem esse aí.

Responder

Gerson Carneiro

16 de maio de 2010 às 09h09

"A capacidade de mentir à opinião pública ultrapassou qualquer limite da capacidade de ter vergonha".

E permanece entre os mesmos: "o Brasil não tem dono" – José Serra.

E foi justamente o sr. José Serra "quem mais lutou pela a privatização da Vale", isso segundo confissão do seu padrinho político, sr. Fernando Henrique Cardoso.

Ter um presidente perdulário seria uma catástrofe para o Brasil. Seria, porque não o teremos.

São Paulo sim não tem dono. Quer dizer: São Paulo é da multinacional francesa Alston e demais concessionárias de pedágio.

Responder

vinicius

16 de maio de 2010 às 11h00

Caro Azenha olha que materia tendenciosa e que omiti fatos http://oglobo.globo.com/pais/mat/2010/05/15/lula-

Responder

Marat

16 de maio de 2010 às 02h26

Essa fotografia da plataforma afundando é mais um dos símbolos do PSDB. Outro que os marca muito bem é o Celso Lafer tirando os sapatos num aeroporto estadunidense. Quiçá essa imagem fique bem clara na mente dos brasileiros, para que evitem tragédias futuras. Quiçá também seja a imagem do declínio do candidato do atraso!!!

Responder

    mila

    15 de maio de 2010 às 23h43

    Os demo-tucanos e o PiG odeiam o Brasil e a tudo que se refere a brasilidade. Não admitem que o povo brasileiro tenha auto estima elevada e querem que Brasil permaneça submisso aos interesses dos USA e Europa, sendo mero coadjuvante.A PETROBRAS é um obstaculo ao projeto demo-tucano de destruição do Brasil.

Antonio

16 de maio de 2010 às 02h05

Uma boa comparação pelo roubo descarado cometido contra o Brasil que foi a doação da Companhia Vale do Rio Doce, foi em uma entrevista realizada há alguns anos na TV com o Brigadeiro Sérgio Ferola. Ele disse: imaginem uma montanha de ouro e em cima dessa montanha tem uma casinha, casinha não, um barraco. Pois venderam a montanha de ouro pelo preço de um barraco.
Repetindo: FHC – o Joaquim Silvério dos Reis dos tempos atuais!

Responder

    mila

    15 de maio de 2010 às 23h46

    "O caso da Vale do Rio Doce: A empresa foi constituída em 1942. Cinqüenta e cinco anos depois, em 1997, ela era a maior mineradora mundial de minério de ferro, possuía a maior frota de navios transportadores de grãos do mundo, duas ferrovias com nove mil quilômetros de extensão, com 16% da movimentação de cargas do país, constituía um complexo de 54 empresas e sua receita havia crescido de R$ 198 milhões por ano, no início dos anos 70, para R$ 5,5 bilhões em 1995. Neste mesmo ano, o Instituto Brasileiro de Economia considerou a Vale a primeira entre as empresas nacionais.Tudo isso foi construído com dinheiro público, com recursos do povo brasileiro, portanto.

    mila

    15 de maio de 2010 às 23h47

    cont: "A VALE foi privatizada em 1997 por R$ 3,3 bilhões – que é menos do que ela obtinha por ano em 1995 e é menos do que ela lucra hoje em apenas três meses.Por que um preço tão baixo por uma empresa tão importante?O edital que serviu de base para o leilão da privatização subdimensionava grosseiramente quase tudo o que a Vale tinha na época, mas, pior que isso, o edital omitia boa parte dos minérios que a empresa explorava: titânio, calcário, dolomito, fosfato, estanho/cassiterita, granito, zinco, grafita, nióbio.Nós poderíamos imaginar um empresário capitalista vendendo sua empresa, deixando de considerar, no cálculo do seu valor, a maior parte dos seus ativos?"

    Antonio

    16 de maio de 2010 às 15h00

    Em outro blog escrevi que um dos grandes erros do Lula quando assumiu o governo foi a não reversão imediata das privatarias cometidas, principalmente as ESTRATÉGICAS para o Brasil. Ainda assim, dos míseros tostões que seriam recebidos pela CVRD, 50% foram as chamadas moedas podres e outro tanto emprétimos do BNDES.
    Esse famigerado FHC deveria estar preso em segurança máxima e perpétua. Voto em Dilma, torcendo para que tenha coragem de enfrentar os traidores que permanecem assombrando nosso país.

Marat

16 de maio de 2010 às 01h40

Se vocês não leram, leiam, do mesmo Biondi, "O Brasil privatizado". Leitura obrigatória!

Responder

ejedelmal

15 de maio de 2010 às 20h39

Tem no 4shared.

Responder

    Simone

    17 de maio de 2010 às 20h35

    Valeu!

Màrcia Aranha

15 de maio de 2010 às 19h53

Verdade seja dita… a ficha do PIG só caiu quando a Petrobrás, naquela CPI infame, de forma rápida e eficiente, criou seu blog para rebater, diretamente, as falácias do PSDB/DEM, então já encampadas pelos canalhas da Rede Globo e seus parceiros rasteiros, Veja, Estadão e Folha.

Perceberam tardiamente que a antiga tática de colocar governos nas cordas, via aparência jornalística, havia acabado.

Obrigado, Petrobrás.

Responder

thiago VB

15 de maio de 2010 às 18h57

Azenha,

parabéns, seu blog é ótimo. Acompanha-o já há um bom tempo (creio que uns 2 anos já) e o equilíbrio entre textos seus, colaboradores, indicações de artigos – antigos ou atuais – é muito estimulante.
Reflete bem o jornalista equilibrado e crítico que você próprio é.
Obrigado por proporcionar leitura tão boa na net!

Responder

Rios

15 de maio de 2010 às 18h56

Isso saiu na FSP? difícil de acreditar!!!

Responder

Klaus

15 de maio de 2010 às 18h47

Este PiG, tsc…tsc…

Responder

Jairo_Beraldo

15 de maio de 2010 às 18h06

Quanto mais jazidas encontradas, a elite se revolta.

Responder

Milton Hayek

15 de maio de 2010 às 17h41

http://pbrasil.wordpress.com/2010/05/15/os-maiores-devedores-do-mundo/

Eles iam pagar por essa diatribe um dia.E pagaram!!!!!!!!!!KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

“Se os países subdesenvolvidos não conseguem pagar suas dívidas externas, que vendam suas riquezas, seus territórios e suas fábricas”.
Margareth Tatcher 1983(FREITAS, 2004, p. 129).

Senhora Baronesa, em quanto está avaliado o Palácio de Buckingham?

Devo ressaltar que as dívidas apresentadas na tabela que segue é referente a 1-2009 e que a dívida dos emergentes diminuiu neste ano, ao contrário da Europa e EUA que aumentaram.

Em outras palavras, quem disse que entendia de economia deveria reavaliar seus conceitos e, a partir de agora, se concentrar no inventário pois o leilão só não tem data marcada…

E.M.Pinto

País Valor em bi US$

Estados Unidos 13,640(13 trlhões e 646 bilhões)
Reino Unido 9,170(9 trilhões e 170 bilhões)
………………………
Fonte: CIA World Factbook – Janeiro 1, 2009

PODE RIR,LEIDER LINCOLN!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

Milton Hayek

15 de maio de 2010 às 20h33

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=129428&id_secao=2

15 DE MAIO DE 2010 – 13H07
Audiência pública comprova descalabro das privatizações em SP

Passados 14 anos da privatização do setor energético paulista o e apenas dois dias do apagão produzido pela multinacional norte-americana AES-Eletropaulo – que deixou o centro da capital paulista sem luz por quase oito horas, o plenário Franco Montoro, da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, foi palco quinta-feira (13) da audiência pública “Chega de pagar para ficar no escuro”.

Responder

    Jairo_Beraldo

    16 de maio de 2010 às 02h51

    Que adianta falar, se voce elege os da direita!


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!