VIOMUNDO

Diário da Resistência


Você escreve

ABGLT repudia aprovação do projeto da “cura gay”


19/06/2013 - 15h04

Nota de Repúdio da ABGLT à Aprovação na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, em 18 de junho de 2013, do Projeto Homofóbico da “Cura Gay” (Projeto de Decreto Legislativo da Câmara dos Deputados nº 234/2011)

A ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais –entidade de abrangência nacional, fundada em 1995, atualmente congrega 285 organizações congêneres e tem como objetivo a defesa e promoção da cidadania desses segmentos da população, vem a público repudiar veementemente o Projeto de Decreto Legislativo nº 234/2011:

Considerando que em 1973 (há 39 anos) a Associação Americana de Psicologia retirou a homossexualidade da classificação de transtornos mentais daquele país;

Considerando que em 1985, o Conselho Federal de Medicina do Brasil retirou a homossexualidade da condição de desvio sexual;

Considerando que em 1990, a Assembleia Mundial da Saúde aprovou a retirada da homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças adotada pela Organização Mundial da Saúde e pelos Estados Membros, inclusive o Brasil;

Considerando que em 2009, relatório de estudo encomendado pela Associação Americana de Psicologia concluiu que “é improvável que tentativas de mudar a orientação sexual das pessoas tenham êxito, podendo  – pelo contrário – haver risco de causar danos;”

Considerando que em 2012 a Organização Pan-Americana da Saúde veio a público se manifestar contra “Curas para uma doença que não existe”, afirmando que “as supostas terapias de mudança de orientação sexual carecem de justificativa médica e são eticamente inaceitáveis”;

Considerando que relatório da Organização Mundial de Saúde, divulgado em 17 de maio de 2012 considera a referida terapia “uma séria ameaça à saúde e bem-estar –até mesmo à vida– das pessoas afetadas”;

Considerando que o doutor Robert L. Spitzer, considerado por alguns como o pai da psiquiatria moderna, que realizou um estudo em 2003 que apoiava o uso da chamada terapia reparativa para “cura” da homossexualidade, veio se retratar publicamente em maio de 2012, dizendo “Eu acredito que devo desculpas à comunidade gay”;

Considerando que o Conselho Federal de Psicologia tem “como finalidade fiscalizar o exercício da profissão de Psicólogo, competindo-lhe, privativamente, orientar, normatizar, disciplinar e zelar pela fiel observância dos princípios éticos-profissionais, e contribuir para o desenvolvimento da psicologia enquanto ciência e profissão”;

Considerando que a Resolução nº 001/1999 do Conselho Federal de Psicologia (CFP), estabelece no Parágrafo Único do seu Artigo 3º e no seu Artigo 4º que:

Art. 3° – Os psicólogos não exercerão qualquer ação que favoreça a patologização de comportamentos ou práticas homoeróticas, nem adotarão ação coercitiva tendente a orientar homossexuais para tratamentos não solicitados.

Parágrafo único – Os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que proponham tratamento e cura das homossexualidades.

Art. 4° – Os psicólogos não se pronunciarão, nem participarão de pronunciamentos públicos, nos meios de comunicação de massa, de modo a reforçar os preconceitos sociais existentes em relação aos homossexuais como portadores de qualquer desordem psíquica.

e considerando que os dispositivos da Resolução acima citados se encontram perfeitamente respaldados nas competências do CFP, na ética profissional e também na deliberação da Assembleia Mundial da Saúde realizada no ano de 1990 – ratificada pelo Brasil enquanto  Estado Membro – de que a homossexualidade não é doença e, logo, não deveria ser passível de tentativas de curas ou de pronunciamentos patologizantes por parte dos(das) profissionais de psicologia;

Considerando que o sofrimento subjetivo vivenciado por homossexuais e bissexuais em geral não decorre da homossexualidade e/ou da bissexualidade, mas do preconceito social que sabem que irão sofrer por serem pessoas possuidoras de tais orientações sexuais, donde psicólogos e psicólogas, quando procurados(as), devem trabalhar com a autoestima de tais pessoas, ajudando-as a superar eventual preconceito internalizado que possuam por conta do incessante proselitismo heterossexista lamentavelmente vigente em nossa sociedade (que prega que a heterossexualidade seria a única forma “válida/aceitável” de sexualidade), ajudando-as a se aceitarem como pessoas homossexuais/bissexuais merecedoras de igual respeito e consideração relativamente àquele devido a heterossexuais;

Considerando que não há “restrição ao livre exercício profissional” pela proibição de “tratamentos” discriminatórios que afrontem a ética profissional pela patologização de condutas que não constituem doença, desvio psicológico nem nada do gênero (basta imaginar se alguém consideraria “ético” ou “válido” que um psicólogo quisesse “curar” um canhoto de seu modo-de-ser canhoto pelo fato deste procurar seus serviços desejando deixar de ser canhoto para se tornar destro – é evidente que não – e a analogia se justifica porque no passado se demonizava/patologizava o modo-de-ser canhoto de forma equivalente à de hoje contra a homossexualidade);

Considerando que o Brasil é um Estado Laico;

a ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – vem a público repudiar veementemente esse Projeto de Decreto Legislativo, que é uma excrescência legislativa. Quem está doente é essa Comissão de Direitos Humanos e Minorias. Ela precisa ser curada, e o remédio é a garantia e a observância da laicidade do Estado.

O Projeto de Decreto Legislativo nº 234/2011 “visa sustar a aplicação do Parágrafo Único do Artigo 3º e Artigo 4º da Resolução do Conselho Federal de Psicologia nº 1, de 23 de março de 1999, que estabelece normas de atuação para os psicólogos em relação a questão da orientação sexual”;

Para a ABGLT, o Projeto de Decreto Legislativo é uma proposta de setores fundamentalistas retrógradas da sociedade brasileira que fazem uso do Poder Legislativo para promover ideais de cunho religioso contrários à homossexualidade e favoráveis à sua patologização, na tentativa de abrir brechas para psicólogos(as) religiosos(as) fundamentalistas usarem de sua profissão para “curar” as pessoas homossexuais de uma suposta doença. Indaga-se, os autores do Projeto de Decreto Legislativo arcarão com os custos da aposentadoria de estimados 20 milhões de brasileiros(as) lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais na hipótese remota de sua Estratégia de patologizar a homossexualidade vir a se concretizar?

O Projeto de Decreto Legislativo é uma incitação à homofobia e uma afronta à ciência, à dignidade humana, aos direitos humanos, à laicidade do Estado e à autonomia do Conselho Federal de Psicologia no que diz respeito às suas deliberações quanto à conduta e à ética profissional, além da composição da maioria dos(das) convidados(as) da Audiência indicar viés pela predominância do discurso da intolerância religiosa em detrimento dos ideais da democracia igualitária.

Para a ABGLT, há uma diferença nítida entre um movimento evangélico fundamentalista orquestrado voltado para fazer com que as pessoas LGBT “deixem o estilo de vida gay” (sic), e uma pessoa voluntariamente querer buscar apoio psicológico para superar eventuais dificuldades de aceitação da própria orientação sexual, momento em que o papel do(da) psicólogo(a) deve ser o de ajudar a pessoa a se aceitar e não impor um determinado desfecho que envolva a tentativa de mudar, ou “curar”, a sua orientação sexual.

A ABGLT conclama as autoridades laicas constituídas legalmente e a sociedade deste país a se posicionarem contra o acinte à cidadania proposto pelo PDC 234/2011.

O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons

Pastor Martin Luther King

19 de junho de 2013

ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais

Endossam este Manifesto as seguintes instituições e indivíduos:

ANTRA – Articulação Nacional de Travestis e Transexuais

Fórum de ONGs/Aids de Mato Grosso do Sul

Fórum LGBT de Mato Grosso do Sul

Movimento de Lésbicas e Mulheres Bissexuais da Bahia

ASSINAM AS 285 ORGANIZAÇÕES AFILIADAS À ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE LÉSBICAS, GAYS, BISSEXUAIS, TRAVESTIS E TRANSEXUAIS:

Categoria: Organizações Associadas

Associação de Homossexuais do Acre – Rio Branco – AC

Sohmos Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros de Arapiraca – AL

Grupo de Gays, Lésbicas da Cidade de Delmiro Gouveia – GLAD – Delmiro Gouveia – AL

Afinidades – GLSTAL – Maceió – AL

Associação de Homossexuais de Complexo Benedito Bentes – AHCBB – Maceió – AL

Associação de Jovens GLBTs de Alagoas – ARTJOVEM – Maceió – AL

Filhos do Axé – Maceió – AL

Grupo Gay de Alagoas – Maceió – AL

Grupo Gay de Maceió – AL

Pró-Vida – LGBT – Maceió – AL

Grupo Enfrentar – Viçosa – AL

Grupo Direito à Vida – Maceió – AL

MGLTM – Movimento de Gays, Lésbicas e Transgêneros de Manacapuru  – AM

Associação Amazonense de GLT – Manaus – AM

Associação das Travestis do Amazonas – ATRAAM – Manaus – AM

Associação Homossexual do Estado do Amazonas – Manaus – AM

Associação Orquídeas GLBT – Manaus – AM

Grupo Ghata –  Grupo das Homossexuais Thildes do Amapá – Macapá – AP

Movimento de Lésbicas e Mulheres Bissexuais  da Bahia

Grupo Humanizar-se de Alagoinhas-BA

Organização Homossexual Geral de Alagoinhas – OHGA – Alagoinhas – BA

Grupo Gay de Camaçari – Camaçari – BA

Grupo Realidade Colorida – Camaçari-BA

Fund e Assoc de Ação Social e DH GLBT de Canavieiras e Região – Canavieiras – BA

Grupo Gay de Dias D’Ávila – BA

Grupo Liberdade, Igualdade e Cidadania Homossexual – GLICH – Feira de Santana – BA

Transfêmea – Feira de Santana – BA

Eros – Grupo de Apoio e Luta pela Livre Orientação Sexual do Sul da Bahia – Ilhéus – BA

Grupo Saphos LGBT – Ilhéus-BA

Grupo Humanus – Itabuna – BA

Grupo Gay de Lauro de Freitas – Lauro de Freitas – BA

Arco-Íris – Grupo LGBTs – Madre de Deus-BA

Associação da Parada do Orgulho LGBT de Mata de São João – GRITTE – Mata de São João – BA

Movimento Anti-Homofobia de Paulo Afonso-BA

Movimento de Articulação Homossexual de Paulo Afonso – Paulo Afonso – BA

Grupo Fênix – Movimento em Defesa da Cidadania LGBT de Pojuca – BA

Associação Beco das Cores – Educação, Cultura e Cidadania LGBT (ABC-LGBT) – Salvador – BA

Associação das Travestis de Salvador – ATRÁS – Salvador – BA

Associação de Defesa e Proteção dos Direitos de Homossexuais – PRO HOMO – Salvador – BA

Grupo Felipa de Sousa – Salvador – BA

Grupo Gay da Bahia – Salvador – BA

Grupo Homossexual da Periferia – Salvador – BA

Grupo Licoria Ilione – Salvador – BA

KIU! – Coletivo Universitário pela Diversidade Sexual – Salvador-BA

Quimbanda Dudu – Salvador – BA

Grupo Contra o Preconceito – Simões Filho-BA

Grupo de Resistência Flor de Mandacaru – Caucaia – CE

Associação de Travestis do Ceará – ATRAC – Fortaleza – CE

Grupo de Resistência Asa Branca – GRAB – Fortaleza – CE

Movimento Arco-Iris da Sociedade Horizontina – MAISH – Horizonte – CE

GALOSC – Grupo de Apoio à Livre Orientação Sexual do Cariri – Juazeiro do Norte – CE

Grupo de Amor e Prevenção pela Vida – GAP – Pela Vida – Maracanaú – CE

Ações Cidadãs em Orientação Sexual – Brasília – DF

Estruturação – Grupo d Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Trans de Brasília – DF

ELOS – Grupo de Lésbicas, Gays, Travestis e Trans. do Dist. Federal e Entorno – Sobradinho – DF

GOLD – Grupo Ogulho Liberdade e Dignidade – Colatina – ES

Associação Gabrielense de Apoio à Homossexualidade – AGAH – São Gabriel da Palha – ES

Associação das Travestis do Espírito Santo – ASTRAES – São Mateus – ES

Associação da Parada do Orgulho GLBT de Goiás

AGTLA – Associação de Gays, Transgêneros e Lésbicas de Anápolis – Anápolis – GO

Associação Goiana da Diversidade LGBT de Anápolis-GO

Sociedade Oasis – Anápolis – GO

AGLST-RAQ – Associação de Gays, Lésbicas e Transgêneros da Região Águas Quentes – Caldas Novas – GO

Associação Desportiva de Gays, Lésbicas, Travestis e Transgêneros de Goiás – Goiânia – GO

Associação Goiana de Gays, Lésbicas e Transgêneros – AGLT – Goiânia – GO

Associação Ipê Rosa –Goiânia – GO

ASTRAL-GO – Goiânia – GO

Fórum de Transexuais do Goiás – Goiânia – GO

Grupo Oxumaré- Direitos Humanos Negritude e Homossexualidade – Goiânia – GO

Associação Jataiense de Direitos Humanos – Nova Mente – Jataí – GO

ACDHRio – Associação por Cidadania e Direitos Humanos LGBT de Rio Verde/GO e Região – GO

Grupo Flor de Bacaba – Bacabal – MA

Associação Gay de Imperatriz e Região – Imperatriz – MA

GAPDST – Grupo de Apoio e Prevenção – Imperatriz – MA

Grupo Passo Livre – Paço do Lumiar – MA

Grupo Solidário Lilás – São José de Ribamar – MA

Grupo Expressão – São Luis – MA

Grupo Gayvota – São Luis – MA

Grupo Lema – São Luis – MA

Organização dos Direito e Cidadania de Homossexuais do Estado do Maranhão – São Luis – MA

Movimento Gay e Alfenas e Região Sul de Minas – Alfenas – MG

Movimento Gay de Barbacena – MGB – Barbacena – MG

ALEM – Associação Lésbica de Minas – Belo Horizonte – MG

Associação de Transexuais e Travestis de Belo Horizonte – ASSTRAV – Belo Horizonte – MG

Centro de Luta pela Livre Orientação Sexual – CELLOS – Belo Horizonte – MG

Instituto Horizontes da Paz – Belo Horizonte – MG

Libertos Comunicação – Belo Horizonte – MG

Movimento Gay de Betim – MG

Centro de Luta pela Livre Orientação Sexual de Contagem- CELLOS – Contagem – MG

MGD – Movimento Gay de Divinópolis – Divinópolis – MG

MGS – Movimento Gay e Simpatizantes do Vale do Aço – Ipatinga – MG

GALDIUM – Grupo de Apoio Luta e Defesa dos Interesses das Minorias – Itaúna – MG

MGM – Movimento Gay de Minas – Juiz de Fora – MG

MGG – Movimento Gay dos Gerais – Montes Claros – MG

Organização LGBT de Muriaé-MG

Movimento Gay de Nanuque – MGN – Nanuque – MG

Shama – Associação Homossexual de Ajuda Mútua – Uberlândia – MG

Movimento Organizado de Combate à Homofobia – Contagem-MG

Associação das Travestis e Transexuais do Mato Grosso do Sul – Campo Grande – MS

Grupo Iguais – Campo Grande – MS

Movimento de Emancipação Sexual, Cidadania, Liberdade e Ativismo do MS – Campo Grande  – MS

SADHLOESTUR – Sociedade Araguaia pelo Ambiente, Cultura, Desporto, Diversidade, Direitos Humanos, Livre Orientação e Expressão Sexual, Saúde, Segurança e Turismo – Barra do Garças-MT

Associação de Gays, Lésbicas e Travestis de Cáceres – Cáceres – MT

GRADELOS – Grupo Afro-descendente de Livre Orientação Sexual – Cuiabá – MT

Grupo Livre-Mente – Cuiabá – MT

LIBLES – Associação de Direitos Humanos e Sexualidade Liberdade Lésbica – Cuiabá – MT

Associação GLS- Vida Ativa – Rondonópolis – MT

Associação das Travestis do Mato Grosso – ASTRAMT – Cuiabá – MT

Alessa – Associação de Livre Orientação Sexual de Ananindeua – PA

APOLO – Grupo Pela Livre Orientação Sexual – Belém – PA

Cidadania, Orgulho e Respeito – COR – Belém – PA

Grupo Homossexual do Pará – Belém – PA

Movimento Homossexual de Belém – Belém – PA

Associação LGBT de Tucuruí – PA

LesbiPará  – PA

Associação dos Homossexuais de Campina Grande, Estado da Paraíba – AHCG/PB – Campina Grande – PB

Gayrreiros do Vale do Paraíba – GVP – Itabaiana – PB

Associação das Travestis da Paraíba – ASTRAPA – João Pessoa – PB

Movimento do Espírito Lilás – MEL – João Pessoa – PB

TABIRAH – Associação de Homossexuais, Lésbicas, Travestis… – Tabira – PE

Grupo Homossexual do Cabo – Cabo Santo Agostinho – PE

Articulação e Movimento Homossexual de Recife – AMHOR – Jaboatão – PE

SHUDO – Associação de Articulação de Defesa e Promoção dos Direitos Humanos – Olinda – PE

Grupo Gay de Pernambuco – Recife – PE

Movimento Gay Leões do Norte – Recife – PE

Satyricon- Grupo de Apoio e Defesa da Orientação Sexual – Recife – PE

Atos de Cidadania – São Lourenço da Mata – PE

Grupo Unificado de Apoio à Diversidade Sexual de Parnaíba – O GUARÁ – Parnaíba – PI

Associação de Travestis do Piauí – ATRAPI – Teresina – PI

Grupo Guaribas de Livre Orientação Sexual – Picos-PI

Grupo Expressões – direitos humanos, cultura e cidadania – Cascavel – PR

Aliança Jovem LGBT – Curitiba-PR

Associação Paranaense da Parada da Diversidade – APPAD – Curitiba – PR

Dom da Terra – Curitiba – PR

Grupo Dignidade – Curitiba – PR

Inpar 28 de Junho- Instituto Paranaense 28 de Junho – Curitiba – PR

Transgrupo Marcela Prado – Curitiba – PR

Grupo Renascer – Ponta Grossa – PR

Grupo União pela Vida – Umuarama – PR

Grupo Arraial Free – Araial do Cabo – RJ

Grupo Triângulo Rosa – Belford Roxo – RJ

Grupo Cabo Free de Conscientização Homossexual – Cabo Frio – RJ

Grupo Iguais – Conscientização Contra o Preconceito – Cabo Frio – RJ

Grupo Esperança – Campos dos Goytacazes – RJ

Grupo Pluralidade e Diversidade – Duque de Caxias – RJ

ONG Movimento da Diversidade Sexual – Macaé – RJ

Associação de Gays e Amigos de Nova Iguaçu e Mesquita – AGANIM – Nova Iguaçu – RJ

Grupo Atividade EN’atividade – GAEN – Natividade – RJ

GDN – Grupo Diversidade Niterói – Niterói – RJ

Grupo Sete Cores – Niterói – RJ

Amores- Organização Não Governamental de Apoio à Diversidade Sexual – Nova Friburgo – RJ

Grupo 28 de Junho- pela Cidadania Homossexual – Nova Iguaçu – RJ

ATOBÁ- Movimento de Afirmação Homossexual – Rio de Janeiro – RJ

Grupo Arco-Íris de Conscientização Homossexual – Rio de Janeiro – RJ

Instituto Arco-Íris de Direitos Humanos e Combate à Homofobia – Rio de Janeiro – RJ

Movimento D´ELLAS – Rio de Janeiro – RJ

Turma OK – Rio de Janeiro – RJ

Cidadania Gay – Sao Gonçalo – RJ

Aldeia Diversidade – São Pedro da Aldeia-RJ

Cores da Vida – Rio das Ostras- RJ

Associação das Travestis do Rio Grande do Norte – ASTRARN – Natal – RN

Associação das Travestis Reencontrando a Vida do Rio Grande do Norte  – Natal-RN

Grupo de Afirmação Homossexual Potiguar – GAHP – Natal – RN

Grupo Habeas Corpus Potiguar – Natal – RN

GAYRO – Grupo Arco-Íris de Rondônia – Cacoal – RO

GGR – Grupo Gay de Rondônia – Porto Velho – RO

Tucuxi- Núcleo de Promoção da Livre Orientação Sexual – Porto Velho – RO

Grupo Beija-flor Organização em Defesa da Livre Orientação e Expressão Sexual – Vilhena – RO

Associação Roraimense Pela Diverrsidade Sexual – Boa Vista – RR

Grupo Igualdade de Guaíba – Guaíba – RS

Igualdade – Associação de Travestis e Transexuais do Rio Grande do Sul – Porto Alegre – RS

Outra Visão – Grupo GLTB – Porto Alegre – RS

Grupo Igualdade de Tramandaí – Tramandaí – RS

Associação Arco-Iris – Joinville – SC

GATA – Associação de Transgêneros da Amurel – Tubarão – SC

Associação de Defesa Homossexual de Sergipe – ADHONS – Aracajú – SE

ASTRA – Direitos Humanos e Cidadania GLTB – Aracajú – SE

Unidas de Travestis – Aracajú – SE

MOLS – Movimento de Lésbicas de Sergipe – Aracaju-SE

ASTRAL – Lagarto-SE

Vanguarda Esperança – Atibaia-SP

Associação Borboleta – Bady Bassitt-SP

Centro Cultural Império do Samba – Bebedouro-SP

Comunidade Ilê Axé Ya Locy – Bebedouro – SP

Identidade – Grupo de Luta pela Diversidade Sexual – Campinas – SP

Grupo Gay de Guarujá – Guarujá – SP

Lésbicas Organizadas da Baixada Santista – LOBAS – Guarujá – SP

SEIVA – Serviço de Esperança e Incentivo à Vida Agora – Ilha Solteira-SP

ONG Reintegrando Vidas – REVIDA – Jacareí – SP

Centro de Apoio à Diversidade – Limeira-SP

ELO LGBT – Expressão Livre do Orgulho LGBT – Mauá-SP

CASVI – Centro de Apoio e  Solidariedade à Vida – Piracicaba – SP

Grupo Rosa Vermelha – Ribeirão Preto – SP

Ação Brotar pela Cidadania e Diversidade Sexual – ABCD’S – Santo André – SP

Lésbicas e Gays do Litoral – LEGAL – Santos – SP

ONG Visibilidade LGBT – São Carlos – SP

Associação de Populações Vulneráveis – APV – São José do Rio Preto – SP

Associação Rio-Pretense de Travestis, Transexuais e Simpatizantes – ARTT’S – São José do Rio Preto – SP

Grupo de Amparo ao Doente de Aids – GADA – São José do Rio Preto – SP

OLGA – Organização de Lésbicas e Garotas Ativistas – São José do Rio Preto – SP

Associação de Pessoas GLSBT – Ser Humano – São Paulo – SP

CFL – Coletivo de Feministas Lésbicas – São Paulo – SP

Instituto Edson Néris – São Paulo – SP

CORSA – Cidadania, Orgulho, Respeito, Solidariedade, Amor – São Paulo – SP

Associação Vida Esperança – São Vicente – SP

ACEPUB – Associação e Centro de Estudos e Pesquisas da Unidade Brasileira – Ubarana-SP

Associação Grupo Ipê Amarelo pela Livre Orientação Sexual – GIAMA – Palmas – TO

Categoria: Organizações Colaboradoras

ONG Metamorfose LGBT – Santa Luzia do Norte-AL

GAAC- Grupo Anti-aids de Camaçari – Camaçari – BA

Centro Anti-aids de Feira de Santana – Feira de Santana – BA

Associação dos Moradores do Pontal – AMOP – Ilhéus – BA

Associação dos Renais Crônicos e Transplantados do Sul da Bahia – Ilhéus-BA

Centro Baiano Anti-Aids – Salvador – BA

Centro de Cidadania Sexual do GAPA-BA – Salvador – BA

Grupo Palavra de Mulher Lésbica – Salvador – BA

Grupo de Lésbicas Safo – Vitória da Conquista-BA

Associação das Prostitutas do Ceará – Fortaleza – CE

Rede Solidariedade Positiva – CE

Campanha Nacional pelo Fim da Exploração, violência e turismo sexual contra crianças – Brasília – DF

Associação Linharense de Apoio à Homossexualidade – ALAH – Linhares-ES

Sociedade Oásis – Anápolis – GO

Grupo Amor e Vida – Ceres – GO

Associação de Negros do Estado de Goiás – Goiânia – GO

Centro de Valorização da Mulher – Goiânia – GO

Comunidade Asha – Goiânia – GO

GOS – Grupo de Orientação ao Soropositivo HIV+ – Goiânia – GO

Grupo Identidade LGBT – Bacabal-MA

Centro de Protagonismo Juvenil – Campo Grande – MS

Grupo Assistencial Experiência e Vida Ivandro Reis de Matos – GAE-Vida – Três Lagoas – MS

GAPA-PA – Grupo de Apoio à prevenção à Aids do Pará – Belém – PA

Associação de Travestis, Transexuais e Transgêneros do Estado do Piauí – ATRAPI

GRUVCAP- Grupo de Voluntário de Cajueiro da Praia – Cajueiro da Praia – PI

Associação de Luta pela Vida – PR

Grupo Semente da Vida – Colombo – PR

CEPAC – Centro Paranaense da Cidadania – Curitiba – PR

Rede Solidariedade – Curitiba – PR

RNP+ Curitiba e Região Metropolitana – Curitiba – PR

Núcleo de Ação Solidária à Aids – NASA – Foz do Iguaçu – PR

Voz pela Vida – Maringá – PR

AVIVER – Paranaguá – PR

ABDS- Associação Afro-Brasileira de Desenvolvimento Social – São José dos Pinhais – PR

Assistência Filantrópica a Aids de Araruana – AFADA – Araruana – RJ

ONG Lilás – Libertárias, Igualitárias, Lésbicas, Ativistas Sociais – Cabo Frio-RJ

Associação Irmãos da Solidariedade – Campos – RJ

Associação Viver – Itaperuna – RJ

Grupo Pela Vidda Niterói – Niterói – RJ

Movimento Acorda Cabuçu – Nova Iguaçu – RJ

AMOLP – Rio de Janeiro – RJ

Blog Ativismocontraaidstb – Rio de Janeiro-RJ

GCC- Grupo de Convivência Cristã – Rio de Janeiro – RJ

Grupo Água Viva de Prevenção à Aids – Rio de Janeiro – RJ

Grupo Pela Vidda/ RJ – Rio de Janeiro – RJ

Instituto Atitude – Rio de Janeiro-RJ

Programa Integrado de Marginalidade – PIM – Rio de Janeiro – RJ

RNP+ Núcleo – Rio de Janeiro – RJ

Grupo Milagre da Vida – Macaé-RJ

ICABO – Instituto Cultural Afro-Brasileiro Olufon Deyi – Cabo Frio-RJ

STVBrasil – Sociedade Terra Viva – Natal – RN

Grupo Esperança – Alegrete – RS

Movimento pela Livre Orientação Sexual – Se Ame – Alvorada-RS

FAPA- Frente de Apoio e Prevenção da Aids – Caxias do Sul – RS

Associação Gaúcha de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis, Transexuais, Pais e Amigos – Novo Hamburgo-RS

GESTO – Pelotas-RS

Diversidade Movimento pela Orientação Sexual de Viamão – Viamão-RS

APROSVI- Associação dos Profissionais do sexo do Vale do Itajaí – Balneário Camboriu – SC

Instituto Arco-Íris – Florianópolis – SC

GAIVP – Grupo de Apoio e Incentivo à Vida Positiva – Campo Limpo Paulista – SP

GASA- Grupo Ap. Sol. Paciente com AIDS – Catanduva – SP

Centro de Convivência Joanna d’Arc – Guarujá – SP

Grupo de Apoio Amor à Vida – São Bernardo do Campo – SP

APRENDA- Associação Paulista de Redutores de Danos – São José do Rio Preto – SP

Associação Rio-pretense de Travestis, Transexuais e Simpatizantes – ARTTS – São José do Rio Preto-SP

GADA – Grupo de Amparo ao Doente de Aids – São José do Rio Preto – SP

Grupo de Amparo ao Doente de Aids – GADA – São José do Rio Preto – SP

GAPA SJC –  Grupo de Apoio à prevenção à Aids- São José dos Campos – SP

APTA – Associação para Prevenção e Tratamento da Aids – São Paulo – SP

Associação Civil Anima – São Paulo – SP

Associação de Incentivo à Educação e à Saúde de São Paulo – AIESSP – São Paulo- SP

Grupo Prisma – São Paulo – SP

Categoria: Organizações Parceiras

Articulação Nacional das Travestis e Transexuais – ANTRA

Articulação Brasileira de Lésbicas – ABL

E-Jovem

ABRAGAY – Associação Brasileira de Gays

GPH – Associação Brasileira de Pais e Mães de Homossexuais

Instituto Brasileiro de Diversidade Sexual

Leia também:

Maria Luiza Tonelli: Marina, queira ou não, defendeu Feliciano





16 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Joao Bosco Soares Junior

01 de julho de 2013 às 12h15

Uma das razoes de pessoas como o Sr. Feliciano estarem em comissões como a dos direitos humanos se reside no fato de pessoas tidas como “defensoras de direitos humanos”, como o deputado Jean Wyllys (que, inclusive, é tido como o maior representante dos direitos e interesses dos GLS), em vez de demonstrarem interesse por esta comissão, essencial para esta minoria da população, preferiram fazer parte de comissões com mais visibilidade política (e seus respectivos privilégios). Na próxima eleição, a meu ver, os eleitores deste deputado (e a comunidade GLS, de maneira geral) deveriam levar isso em conta, antes de voltar a votar nele…

Responder

janio manoel de santana

26 de junho de 2013 às 23h42

cpi no Feliciano para investigar os funcionários fantasmas dele.Nãoi pagam impostos.Interperetam a BÁBLIA de acordo com os interesses.
Por isso que são falsos pastores e hereges que não amam ao próximo.

Responder

renato

20 de junho de 2013 às 12h44

23/04/13 – 08h23
Lula recebe prêmio em Nova York por “transformar o significado de paz e prevenção de conflitos”
Ex-presidente Lula discursa durante entrega da premiação, em Nova York
Eu gosto do,e presidente Lula….mas parece brincadeira;

Responder

renato

20 de junho de 2013 às 12h29

Por favor não façam movimento…
Os lojistas agradecem..
Nós somos contras esta estupidez humana
Daqui a pouco vão querer curar corrupto!
O que? Isto pode acontecer?
Isto não existe já que tem gente enrustida,
dai teriam que criminalizar quem não foi curado.
Ia virar um filme de ficção.

Responder

Glauciane Santos

20 de junho de 2013 às 12h20

Uma dica sobre o Feliciano, vale conferir um dossiê completo sobre ele.
http://www.anonymousbrasil.com/brasil/a-verdade-sobre-marco-feliciano/

Responder

Jose Mario HRP

20 de junho de 2013 às 09h57

É, o pastorzinho racista, preconceituoso/ radical, tem seu lado talentoso:
Inventou a viagem temporal.
Conseguiu que voltássemos a idade média!

Responder

Edgar Rocha

19 de junho de 2013 às 21h58

Pergunta: este absurdo também está na pauta dos protestos recentes?
É por estas e outras que o governo tem perdido apoio de importantes setores, apoiadores históricos de seus candidatos. Uma boa lição para os que protelam um posicionamento em nome da governabilidade. É melhor que se antecipem aos que, com certeza hão de cooptar esta pauta reivindicatória. Já, já vão querer anexar este escândalo da cura gay ao preço do tomate.

Responder

    Fabio Passos

    19 de junho de 2013 às 22h54

    Concordo.
    Se o governo aceita todo tipo de absurdo para manter “base aliada” deixa de ser protagonista da evolucao social… e acaba levando justas bordoadas da vanguarda que sai as ruas.

    Jose Mario HRP

    20 de junho de 2013 às 10h00

    Pior de tudo é que os malacos querem que os psicologos sejam obrigados a aceitar aqueles que se disponham a “tratar” os homossexuais.

Francisco

19 de junho de 2013 às 20h14

Esse mané desse Feliciano só levando no esculacho…

Se tem a cura homo, então (por questão de isonomia…) tem de ter também a cura hetero.

Claro!

Ser hetero passa a ser uma “doença”! Tem que curar!!

É o hetero que quer deixar de ser hetero e, para isso, vai no “dotô”.

Alisar o cabelo, por exemplo, é um sintoma grave!

Deixar as madeixas caindo sobre a lapela sensual do paletó é quase um diagnóstico.

Ai Feliciano… Como você é doente…

Responder

    Annie

    20 de junho de 2013 às 09h29

    Francisco
    doente é vc vá se informar primeiro, vai procurar a cura só quem quer se vc não quer, paciência, tem outros que querem.

Marcela

19 de junho de 2013 às 18h56

Tem cura prá político com falta de vergonha na cara, prá salvar essa alma, meu deus?

Responder

Oswaldo

19 de junho de 2013 às 18h24

Não vejo oportunidade política melhor para o governo petista começar a romper com o lado obscuro da lógica da coalizão: que se comece com o PSC (que além de ser o mais obscuro dos aliados, é o mais irrelevante do ponto de vista da representação no Congresso).

Responder

Pitagoras

19 de junho de 2013 às 16h31

Esse “pastor” dearaque precisa ser urgentemente defenestrado. Por isso e por outras é que o Congresso (e seus assemelhados estaduais e municipais) estão tão desacreditados entre o povo que deviam representar.

Responder

Luís Carlos

19 de junho de 2013 às 16h08

Feliciano e sua horda extrapolam. A “cura gay” é um retrocesso abominável como tudo que significa esse senhor. Preconceito puro. Ódio puro. Disseminação avassaldora da ignorância por atos e palavras. Está em profundo acordo com porjeto aprovado do Deputado Osmar Terra do RS que conseguiu a arbitrariedade da internação compulsória higienista, tanto quanto a “cura gay” de Feliciano. Tudo, supostamente, “em nome de Deus”.

Responder

    Annie

    20 de junho de 2013 às 09h37

    Luis Carlos

    Não é ódio puro,preconceito e nem ignorância é simplesmente amor as pessoas, só procura a cura quem quer não é obrigado, se vc não quer fique do jeito que vc está, porque tem muitas pessoas que querem e procuram ajuda e tenho certeza que vão ser mais felizes.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding