VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Vivaldo Barbosa: PDT votar a favor da privatização da água afronta Brizola; líderes atuais não são trabalhistas
Política

Vivaldo Barbosa: PDT votar a favor da privatização da água afronta Brizola; líderes atuais não são trabalhistas


25/06/2020 - 17h34

O PDT AFRONTA BRIZOLA

por Vivaldo Barbosa*

O PDT votar a favor da privatização da água é um escárnio e uma afronta a Brizola e ao trabalhismo.

Assim como o foi quando seus parlamentares votaram a favor da reforma trabalhista e da reforma da Previdência Social.

Como a direção atual do PDT, Carlos Lupi à frente, seus parlamentares e seu líder maior, Ciro Gomes, não são trabalhistas nem defendem ou praticam os ideais de Brizola.

Estão se lixando pelo o que o PDT já foi, uma tentativa de resgatar o trabalhismo e se inserir nas lutas sociais e nacionais do povo brasileiro.

Lupi ascende à direção do PDT com a morte de Brizola, em um processo cabuloso, Brizola já em avançada idade, machucado com o que lhe fizeram Marcelo Alencar e Garotinho e a falta da devida consideração do PT ao alcançar o poder.

Lupi faz um condomínio na direção do partido, enche o partido com figuras sem qualquer compromisso com o interesse público, distribui cargos de direções estaduais e municipais, as verbas do fundo partidário e eleitoral, legendas para candidaturas.

Perpetua-se como dono do PDT, o partido torna-se sua propriedade, emprega familiares e sua turma.

Procurou jogar para fora figuras autênticas e de lutas trabalhistas e brizolistas.

Assume o Ministério do Trabalho e enxovalha o partido com escândalos de licenças sindicais, desvios de verbas de formação de mão de obra e outros.

O PDT está a serviço do deslavado e ignóbil neoliberalismo do Paulo Guedes e dessa turma reacionária e fisiológica do Congresso e da política brasileira, apesar de contar com núcleos de resistência firmados nos ideais de Brizola e trabalhistas.

Todos a serviço dos grupos econômicos, em especial do sistema financeiro. Não é correto e nem justo dizer que seus parlamentares traíram o partido e Brizola. Eles são o que são.

Os Gomes sempre foram da Arena, da turma do Tasso Gereissati, do PSDB e seus vínculos atuais com o DEM. Nada a ver com Brizola ou o trabalhismo.

Certamente o Lupi e a direção vão dizer que não poderão fazer nada com esses parlamentares, pois prejudicarão o fundo partidário.

Gostam muito de dinheiro. Assim como outros partidos igualmente deixaram de ser instrumentos da luta do povo brasileiro.

Mas a história está aí para registrar. Com tristeza, naturalmente.

* Vivaldo Barbosa é advogado e professor. Brizolista e trabalhista histórico, foi deputado federal pelo PDT.

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


22 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

marcio gaúcho

27 de junho de 2020 às 16h27

Sinuca de bico!
Precisamos sanear o território brasileiro, esse é o ponto. O Estado não tem interesse e nem verbas para tanto. Mesmo que implantasse os sistemas de distribuição de água tratada e recolhimento dos esgotos, seríamos cobrados pelo serviço. Assim, é aceitável repassar esses serviços à iniciativa privada, dada a incapacidade estatal de resolver esse problema urgente que aflige e adoece milhões de pessoas no país. Dos males, o menor!

Responder

    Nelson

    28 de junho de 2020 às 22h55

    Meu caro Gaúcho

    Tu alegas que o Estado não tem recursos para investir no saneamento básico em benefício do povo brasileiro. E eu pergunto: o Estado não tem recursos ou não deixam o Estado cumprir sua função constitucional?

    Sugiro que acesse o sítio http://www.quantocustaobrasil.com.br/. Esse sítio foi criado pelo Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional. Ali você encontrará um sonegômetro que mede a quantidade de impostos que são sonegados em nosso país a cada minuto, a cada dia, a cada ano.

    Em 2018 e 2019, o sonegômetro apontou um total de mais de R$ 600 bilhões de reais sonegados em cada um dos anos. Agora, com pandemia e tudo, ele já aponta quase R$ 309 bilhões, faltando ainda dois dias para o encerramento do semestre. Ou seja, serão sonegados, outra vez, mais de R$ 600 bilhões em impostos.

    Então, amigo, eu digo que o Estado tem, sim, totais condições de garantir o saneamento a todo e qualquer brasileira ou brasileiro. Cobrasse 1/3 dessa montanha de impostos sonegados anualmente, sobrariam recursos, não só para o saneamento, mas também para outras demandas do povo brasileiro.

    Nelson

    28 de junho de 2020 às 22h57

    E quanto aos juros da dívida pública? O que é que o povo brasileiro está fazendo que não une forças e passa a exigir do governo, qualquer que seja ele, a auditoria dessa dívida, como manda a Constituição?

    Entre 40% e 50% do orçamento são destinados, todo ano, ao pagamento somente dos juros dessa dívida. Por que é que o povo brasileiro não exige a redução desse dispêndio, garantindo que boa parte dessa montanha de recursos deixe de fazer a farra de um punhado de bancos e rentistas e seja carreada para política sociais, entre elas o saneamento básico para todos?

    Está aí mais uma fonte enorme de recursos que poderiam garantir vida digna a todo o nosso povo.

    Nelson

    28 de junho de 2020 às 22h58

    De outra parte, se o Estado “não tem interesse” em investir no saneamento, como tu afirmas, a culpa, a meu ver, recai sobre dois atores. Um deles é a classe política, vereadores, prefeitos, deputados, senadores e governos federais, que vimos elegendo desde sempre. O outro culpado é o próprio povo, ou seja, nós mesmos.

    Sabe-se, há décadas, que, para cada pila investido em saneamento, outros 4 pilas são poupados em saúde. Diante disso, por qual motivo essas autoridades políticas, que vêm administrando nossas cidades, estados e o país há muito tempo, não cumpriram sua obrigação de garantir o saneamento básico a todos?

    E a culpa é também nossa, porque, se sabemos da tremenda importância do saneamento básico, o que temos feito? Nada ou quase nada. Entra governo sai governo, a coisa não se resolve, não evolui, e nós, temos cobrado o investimento no saneamento? Somente uns poucos grupos, os de sempre, insignificantes numericamente perante o grosso da população o fazem e, via de regra, vêm sendo solenemente ignorados.

    O que deveríamos fazer? Em primeiro lugar, se as autoridades que elegemos não tomam as providências, já deveríamos, de há muito tempo, ter passado a votar naqueles que realmente se mostrassem compromissados com a causa do saneamento. Mas, como a maioria de nós adora, se sente grandão em afirmar que “não gosta de política”, nossos votos a cada dois anos têm se mostrado quase sempre inúteis.

    E, como não gostamos de política, também nos abstemos de nos unir e de passarmos a fazer pressão sobre os parlamentos e governos exigindo os investimentos no saneamento.

    Nelson

    28 de junho de 2020 às 22h58

    Desde a década de 1990, tenho procurado ler, debater e refletir bastante sobre as privatizações. E cheguei à firme conclusão de que a privatização não traz benefício algum à esmagadora maioria da população.

    Nessa década, a propaganda avassaladora contra as empresas públicas e estatais nos dizia que, privatizando, teríamos produtos e serviços de melhor qualidade a preços e tarifas mais baixos.

    E o que vamos constatar se dermos uma rápida olhada em alguns setores que foram privatizados de lá para cá? Os preços do ferro e do aço dispararam. As tarifas telefônicas subiram geometricamente e as da energia elétrica, se não aumentaram tanto quanto, ainda assim subiram bastante. Enquanto isso, a qualidade dos serviços ….

    Ou seja, nada do que prometeram nos entregaram.

    Eu te digo que não haveria como esperarmos algo diferente. Simplesmente, porque não há como uma empresa privada oferecer um serviço qualquer com melhor qualidade e menor preço que uma empresa pública. Se você colocar todas as variáveis que estão em jogo, a empresa privada vai tornar o serviço mais caro para o povo.

    Estou aqui a demonizar a empresa privada? Nem de longe. Mais adiante, tu verás que stou a defender a empresa privada, micro, pequenas e médias empresas. Eu digo que tudo tem a ver com a finalidade de uma empresa pública e a prioridade de uma empresa privada. A finalidade da pública é atender da melhor maneira possível o cidadão, com serviço de qualidade a preço o mais justo possível. A prioridade da privada é obter lucro para seu dono e acionistas, quando estes existirem.

    Para que esse lucro apareça e possa praticar uma tarifa aceitável, digamos assim, a empresa privada vai adotar algumas medidas que, se tu fores analisar, verás que são totalmente prejudiciais à população como um todo, a mesma população que pensa que estará ganhando com a privatização:

    1 – Vai cortar funcionários – ou seja, jogar trabalhadores no desemprego – e reduzir salários e direitos dos que não forem demitidos.
    2 – Vai apostar na terceirização, o que significa reduzir a massa salarial paga.

    Reafirmo, tais medidas serão extremamente prejudiciais para o povo em geral e …. também para os negócios locais, leia-se, empresas privadas [micro, pequenas e médias] que dependem de uma massa salarial mais encorpada para prosperarem.

    Além disso, com um contingente de trabalhadores menor, e ainda parte deles terceirizada, é mais do que óbvio que a empresa privada não vai conseguir dar conta de atender à população com a mesma qualidade que a empresa pública atendia.

    Nelson

    28 de junho de 2020 às 23h00

    Agora, imagine Gaúcho, acontecer com o saneamento o que já se sucedeu com os setores que citei, que, após a privatização, aumentaram desmesuradamente seus preços e tarifas, como a energia elétrica e a telefonia. Os enormes aumentos foram impactar negativamente nos custos das empresas privadas, micro, pequenas e médias empresas, forçando, claro, a redução de seus ganhos. Resultado óbvio da privatização.

    Enquanto isso, do outro lado, as grandes corporações que assumiram tais serviços passaram a “nadar” em lucros. Ou seja, como afirmei anteriormente, a privatização não vai trazer benefício algum para a grande maioria da população. Eu diria que para quase 100%. Só quem vai realmente ganhar com ela serão os donos e acionistas das grandes corporações que assumirem os serviços, um contingente que não chega a 1% da população.

    Não é à toa que, nesses mais de 45 anos em que o neoliberalismo vem sendo imposto aos povos de todo o mundo – e com ele as privatizações – tenhamos chegado a uma situação aberrante, inominável, absurda, por qualquer viés que possamos analisá-la. Falo do dado que aponta que 1% da humanidade já detém uma quantidade de riquezas superior à que os restantes 99% possuem.

    Nelson

    28 de junho de 2020 às 23h00

    Mas, há um outro desdobramento das privatizações, também bastante nocivo, que nunca é citado ou analisado. É a descapitalização do país.

    A telefonia e a energia elétrica brasileiras são hoje controladas, em sua maior parte, pelo grande capital privado estrangeiro. E há também empresas estatais de outros países atuando por aqui.

    Essas empresas arrecadam tarifas caríssimas, cobradas a trabalhadores e o povão, mas cobradas também sobre o micro, pequeno e médio empresariado. A seguir, enviam gorda parte dessa arrecadação para suas matrizes, nos países de origem.

    Ou seja, além de provocar todos os danos que relatei anteriormente, a privatização está a descapitalizar um país que precisa prementemente de capital para se desenvolver e oferecer a seu povo a vida digna a que tem direito.

    Nelson

    28 de junho de 2020 às 23h01

    Para finalizar, por ora, Gaúcho, há que prestarmos a atenção no que está a ocorrer em inúmeros países do chamado primeiro mundo, países capitalistas. Neles, estão ocorrendo reestatizações a rodo de serviços públicos, por quê?

    Porque depois de experimentar a privatização, os povos desses países chegaram a constatações iguais ou muito semelhantes às que citei. Daí, concluíram que o melhor para o conjunto da população e também para seus países era retomar para estrito controle público ou estatal os serviços.

    Por último, se tu ainda não tens conhecimento Gaúcho, sugiro a leitura de excelente reportagem feita pela jornalista Heloísa Vilella nos Estados Unidos, a pátria da empresa privada, que foi publicada neste mesmo Viomundo em agosto de 2017.

    A jornalista entrevistou uma professora estadunidense que se especializou no tema da privatização e mostra que, mesmo no reino do capitalismo, 84% dos serviços municipais são …. públicos.

    Diante disso, creio que nós, antes de apoiarmos as privatizações, deveríamos buscar respostas para uma pergunta bem simples: por que, amando tanto a empresa privada, o povo dos Estados Unidos, ainda mantém 84% dos serviços em suas mãos? Não deveria ser tudo privado por lá?

    O link para acessar a matéria é https://www.viomundo.com.br/denuncias/ideias-modernas-sobre-gestao-de-doria-estao-ultrapassadas-nos-estados-unidos-depois-de-muito-experimentar-80-dos-servicos-sao-publicos.html.

    E, Gaúcho, continuemos o debate, sereno, fraterno, pois só assim conseguiremos construir o país e o mundo que almejamos.

Marcos Videira

27 de junho de 2020 às 13h41

O site “O Cafezinho” postou um vídeo com a manifestação do senador Cid Gomes sobre o PL 4162 na votação no Senado. É um documento com imagem e som.
Proponho que os comentadores Sergio Domingos Vieira, João Custódio Vieira Filho e Nelson assistam ao vídeo e em seguida façam as críticas que julgarem pertinentes com base nos FATOS, na posição realmente defendida por Cid Gomes e não em difamações promovidas com mesquinhos interesses partidários.
Proponho, também, que o jornalista Azenha (a quem respeito por sua integridade) divulgue o vídeo como recomenda as boas práticas jornalísticas: apresentar a versão de quem é, a meu juízo, difamado.

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    27 de junho de 2020 às 14h39

    Não encontramos o vídeo. Você poderia nos apontar o link? Obrigado.

    Marcos Videira

    27 de junho de 2020 às 14h47

    AZENHA
    O endereço é o seguinte:
    https://youtu.be/ACJ4vOUgT9o

    Nelson

    29 de junho de 2020 às 12h03

    Bem, meu caro Videira.

    Assim como eu não fiz questionamentos ao PDT somente na questão do saneamento, o comentarista Luís Antônio Durante [acima, nos comentários feitos via Facebook], acertadamente, fez o mesmo. Escreveu ele:

    “É só ver como se posiconou o PDT de tempos pra cá, ja com Ciro em relação aos trabalhadores. Ciro diz ser contra, mas como é possível liderar um partido que não fecha questão contra o teto de gastos, a reforma da previdência, a trabalhista e agora a água?”

    Portanto, Videira, o problema não é somente a postura frente à abertura à privatização do saneamento. O problema do distanciamento do PDT em relação às legítimas demandas do povo brasileiro vem de longe.

    Volto a afirmar. Não sinto prazer algum em apontar isto aqui, haja vista que sempre fui um admirador do meu quase conterrâneo [*] Leonel de Moura Brizola, ele que, tenho certeza, se posicionaria frontalmente contra o projeto lamentavelmente aprovado na semana passada.

    Brizola que também denunciaria, com toda a veemência, a Lava Jato e a judicialização da política.

    [*] O “Tio Brisa” é meu quase conterrâneo porque nasceu a pouco mais de 40 km de onde eu nasci, aqui no Rio Grande do Sul.

Dilma Coelho

26 de junho de 2020 às 17h47

Partido que agrega ciro gomes e carlos lupi não tem nada de trabalhista. Esse não é o partido que Brizola realmente queria. Desde o tempo do Brizola havia muitos traidores. O Brasil não merecia o Brizola.

Responder

Airoldi Lacroix Bonetti Júnior

26 de junho de 2020 às 01h05

Infelizmente neste PDT não há trabalhismo,pois os fatos estão aí para a história triste do povo com as reformas aprovadas com votos deste novo partido, não o de Brizola,Darcy Ribeiro,entre outros humanistas!!

Responder

Zé Maria

25 de junho de 2020 às 19h17

Propaganda do (des)governo Bolsonaro/Mourão
com anúncio da Merréca Emergencial …

Tá pintando um grande acordo naSSional
com Maia/Alcolumbre, [com Ciro?],
com Globo, “com Supremo, com tudo” …

Responder

    Zé Maria

    25 de junho de 2020 às 21h07

    Detalhe;
    (Des)governo Bolsonaro/Mourão
    Patrocinando a GloboNews

Marcos Videira

25 de junho de 2020 às 18h42

O que pretende o Viomundo ao destacar um texto com uma porção de escancaradas mentiras ? Basta uma única frase pra evidenciar a argumentação mentirosa:
“O PDT está a serviço do deslavado e ignóbil neoliberalismo do Paulo Guedes”.
Ninguém tem dado mais porrada no Guedes e no sistema financeiro do que Ciro.
Qual o interesse do editor deste site ? Provocar debate desqualificado ?
“Subdesenvolvimento não se improvisa; é obra de séculos.”

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    25 de junho de 2020 às 19h09

    Quem escreveu foi o Vivaldo Barbosa. abs

    Sergio Domingos Vieira

    25 de junho de 2020 às 19h17

    Deixa de falar um absurdo disso. Foi vergonhoso o comportamento do PDT que não e não é partido de esquerda. Votou a favor da reforma da previdência e da reforma trabalhista. Vergonhoso. Traiu o povo.

    JOAO CUSTODIO VIEIRA FILHO

    25 de junho de 2020 às 21h34

    Sacode a cabeça meu caro, isso clareia a visão. O coronel Ciro “Games”, ordenança de primeira hora do Tasso Coca Cola Jereissati é um traidor contumaz, vide a quantidade de partido pelos quais passou, oito?, dos mais variados matizes ideológico. Ele é um canalha, costuma bater depois de soar o gongo. Aliás, the brothers Games, costeiam alambrado desde sempre. O mano senador foi de peito aberto montado em um trator para enfrentar capangas dos filhos do bolsonaro. O esperado aconteceu, levou dois petardos nas fuças. Um idiota.

    Nelson

    26 de junho de 2020 às 13h50

    Meu caro Videira.

    Como é que tu ainda tens a coragem de vir contestar o que diz o Vivaldo Barbosa? Os dados estão lá, registrados nas votações no Congresso Nacional. Infelizmente, a maior parte dos vereadores, deputados e senadores do PDT já de há muito tempo se bandeou para o cretinismo parlamentar, para não dizer coisa bem pior.

    Veja, eu não tenho prazer algum em escrever isso. Para mim, ainda que reconheça erros que ele cometeu, o Brizola foi o maior ídolo na política, um exemplo.

    Até hoje eu mantenho a convicção de que tínhamos que ter garantido a eleição dele em 1989. O país teria seguido outro caminho e não etaria sendo destruído, desmantelado agora, com a ajuda do PDT, lamentavelmente.

    Com esse teu comentário, você está parecendo com o Wassef. Mesmo com tudo já às claras, já plenamente desvendado, o advogado do Bozo insistia em afirmar que não conhecia o Queiroz.

    Por outro lado, se “subdesenvolvimento não se improvisa; é obra de séculos”, o que podemos dizer das medidas que vêm sendo tomadas pelos golpistas, desde 2016, muitas com o apoio do PDT? Tais medidas vão colocar o Brasil num buraco tal que nem de subdesenvolvido poderá continuar a ser chamado. “Obra” dos golpistas que terá reflexo em mais outros tantos “séculos”.

    Estamos às portas de vermos nossa grande nação ser transformada em um país completamente desestruturado, ao nível, talvez, de um Haiti ou de um daqueles países africanos que até hoje não conseguiram encontrar, minimamente que seja, seu caminho.

    Falo do mesmo país ao qual Darcy Ribeiro, Paulo Freire, Leonel Brizola, Getúlio Vargas, Mílton Santos e vários outros – gente do mais alto calibre – dedicaram praticamente todas as suas vidas para construí-lo

Zé Maria

25 de junho de 2020 às 18h31

Leonel Brizola chutou o caixão
no voto do Cid no Senado. Deprimente!

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!