VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Vivaldo Barbosa: Há método na loucura de Ciro, que passa por afastar Lula de 2022
Wikipedia e reprodução
Política

Vivaldo Barbosa: Há método na loucura de Ciro, que passa por afastar Lula de 2022


27/02/2021 - 20h00

CIRO E O PDT NÃO SÃO TRABALHISTAS, BRIZOLISTAS

Por Vivaldo Barbosa*

Ciro Gomes voltou a destilar seu ódio contra o PT e as demais forças populares em entrevista à Folha e revelou seu jogo político e ideológico.

Ciro revelou o seu papel, o que disse ser sua tarefa: tirar Lula e o PT do segundo turno e todas demais forças populares para ficar somente ele, o DEM e o PSD-Kassab contra Bolsonaro no segundo turno.

É lógico: todos da ARENA antiga, apoiadores do regime militar.

ACM, Kassab, Ciro e Bolsonaro eram da ARENA, que depois passou a se chamar PDS, depois PFL e PP, depois DEM, PP, PSD, tudo chocado no mesmo ninho.

Ciro surge no ambiente politico das oligarquias e de gente endinheirada no Ceará, comandadas por Tasso Jereissati.

Agora, por traição à história e a Brizola, jogam o PDT no colo da direita, do conservadorismo.

Além disso, como Ministro da Fazenda de Itamar, implantou políticas neoliberais: Ciro baixou as tarifas de importação de diversos produtos, acelerando a desindustrialização do país, que deixou industrialistas estarrecidos.

Lembro do que dizia Arthur João Donato, presidente da FIRJAN.

Em debate na época, disse que era preciso conter a Petrobras, no que recebeu severa reprimenda da Maria da Conceição Tavares.

Brizola apoiou Ciro em 2002, é fato.

Mas se desencantou no final, saiu da campanha, abandonou, inclusive, a campanha própria de Senador.

Nunca mais se viram, nem se falaram.

A não ser no dia em que Lula anunciou seu Ministério: os dois se cumprimentaram.

Lula havia chamado Brizola para troca final de ideias sobre o Ministério.

Não soa uma frase, um pensamento que lembre o trabalhismo e o pensamento fértil de Brizola.

No PDT, idem: não há mais nada de Brizola.

Nenhuma ideia do trabalhismo e de Brizola é lembrada.

Seus dirigentes se sustentam através de manipulação de fundo partidário para amigos e aliados e comissões provisórias nomeadas para estados e municípios, sem convenções, sem participação de militância.

O presidente se preocupa com nomeações dos filhos, genros, esposa, irmã no Partido e nos cargos das bancadas na Câmara, Senado e Assembleias.

Contrata empresas de amigos.

Virou um partido fisiológico, no caminho que seguiu o PTB.

Ciro falar que trabalha união de centro-esquerda com ACM Neto/DEM e Kassab soa tão estranho quanto suas falas em economia.

Como é possível qualificar de centro-esquerda essa gente neoliberal e fisiológica?

Sobre papel do Estado, mercado e desenvolvimento continua a mesma falta de definição e frases evasivas.

Nenhuma palavra sobre os direitos do povo brasileiro.

Nem sobre o domínio das nossas riquezas ou sobre nossa soberania.

Tudo o que marcou a trajetória do trabalhismo.

Ciro parece fugir do trabalhismo como o outro foge da cruz.

Ciro repete sempre lulo-petismo como xingamento.

Refere-se a Lula como “loucura e caudilhismo”.

Repete os ataques da direita, do conservadorismo, como se fazia antigamente com os comunistas.

E o faz às vésperas da possibilidade de devolver os direitos políticos de Lula, fazendo-se justiça com sua absolvição.

Uma luta que está envolvendo até gente no exterior.

Isto não é à toa, não é inocente.

Há método nessa loucura, como dizia o Shakespeare.

*Ex-Deputado Federal Constituinte; Secretário de Justiça do Brizola; Professor de Direito da UniRio; militante; e radialista do programaNação Brasil 1440AM.





19 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

01 de março de 2021 às 00h32

.
“O Ciro deixou de ser o Ciro, pra mim,
no dia em que embarcou para Paris
e nos jogou aos leões.
Talvez não evitasse a derrota de Haddad,
mas estaria ali presente, naquele momento crucial,
junto, solidário não com o PT, mas com o Brasil.
Foi uma imensa decepção. Só pensou em si.”

Jornalista Hildegard Angel
https://twitter.com/Hilde_Angel/status/1366059046831329286

Responder

Carlos Jose

28 de fevereiro de 2021 às 23h20

Ciro esta fora do segundo turno em 2022, não tem mais que 10% dos votos.

Responder

Carlos Jose

28 de fevereiro de 2021 às 23h17

Sou da esquerda, jamais voto em Ciro.

Responder

Lucas

28 de fevereiro de 2021 às 15h18

Ciro Gomes não possui a envergadura que imagina ter – mas também não é o Fernando Collor que não deu certo ou um rematado patife, como acusam os seus opositores. A verdade é que o bolsonarismo ressignificou o conceito de canalha. É dentro dessa requalificação que hoje enxergo Ciro Gomes. Até levando em conta a demanda do eleitorado, vislumbro o sobralense de Pindamonhangaba sob outro prisma. Explico. A justificativa mais ouvida por mim em 2018, para o inexplicável voto em Jair  Bolsonaro, era a desculpa de que “o Brasil precisaria de um doido”. Maluco por maluco, Ciro é um lunático mais qualificado. Ou, se não chega tanto, com certeza é menos desqualificado que o estrupício que inventamos de colocar na presidência da República. É uma pena que seja impossível ele se aliar ao PT. Juntos derrotariam o mal maior. Jair Bolsonaro. Apontadas todas as restrições, pretendo votar em Ciro. Sabedor de que dificilmente ele ultrapassará 10% dos votos e, portanto, estará fora do 2o turno. Na decisão, o PT não leva. Ano que vem haverá novas parcelas de auxílio emergencial. Se brincar, no valor de 600 dinheiros. Resultado: talvez nem ocorra 2o turno. O risco é real. É o que há para hoje.

Responder

28 de fevereiro de 2021 às 11h05

Acho que foi o DCM foi quem começou a “apertar o torniquete” ao dizer que Ciro fugiu para Paris no segundo turno.
De lá pra cá eu deixei de cogitar votar no PT, inclusive num segundo turno contra Bolsonaro. Eu votei Haddad no segundo turno. Se o segundo turno de 2022 se repetir com os mesmos candidatos votarei nulo.

Responder

Lucas

28 de fevereiro de 2021 às 08h14

Não há jeito. Receberá 8 a 10 porcento dos votos – e ficará fora do 2o turno. O PT estará na decisão. Ele não.

Responder

    Hairy Heart

    28 de fevereiro de 2021 às 14h21

    Estará na decisão e será mais uma vez DERROTADO pela teimosia e cegueira do GADO “de esquerda”, seita do mesmo estilo bolsonarista de sinal invertido que não consegue enxergar os próprios erros.

    Lucas

    28 de fevereiro de 2021 às 15h22

    Verdade. Mas é verdade também que sem PT, sem 2o turno para Ciro. É simplesmente impossível. Outrossim, eu começo a vislumbrar um cenário em que o 2o turno seja dispensado pelo eleitor. Não me surpreenderia a concessão de 6 parcelas de 600, a título de auxílio emergencial no ano da eleição. Congresso, TCU e Judiciário topam tudo para manter o PT fora do Planalto.

    Lucas

    28 de fevereiro de 2021 às 15h37

    Derrotado? A conferir. O lance do PT em 2018 era eleger deputados. Palavras de Ciro – com as quais concordo. Tendo em vista a composição da Câmara, será mesmo que o PT foi derrotado com a ênfase que você tenta conferir com o uso de maiúsculas? Pergunto: a receita do PT não será novamente plantar Fernando Haddad (um candidato perfeito para Canadá ou Holanda, mas inviável no Brasil) para mais uma vez colher congressistas? Foi o Ciro quem me deu essa dica… Derrota? Em política é algo muito relativo…

Bíblia do Bolsonarismo

28 de fevereiro de 2021 às 06h21

Ciro sabe que foi a sua ida para Paris levou todos os seus eleitores a ter votado no B, o que definiu a eleição. Agora ele cobra a conta , querendo mais ser vice de B em 22. Ocorre que boi de chifre longo deve saber onde fica o mourão ou leva farelo

Responder

    28 de fevereiro de 2021 às 15h59

    “Ciro sabe que foi a sua ida para Paris levou todos os seus eleitores a ter votado no B”
    hunf…
    tirou isso de onde?
    Cara, sério: sai dessa realidade paralela. Bolsonaristas começaram assim, passaram pela Terra plana e chegaram a antivax.

    Darcy Brasil Rodrigues da Silva

    28 de fevereiro de 2021 às 18h39

    Duvido que você acredite nisso. A reação de Ciro, viajando ao exterior, foi inaceitável, representou um aprofundamento da quebra da unidade iniciada com a articulação comandada por Lula que obrigou o PSB a derivar da intenção de apoiar Ciro Gomes, para evitar uma derrota de seu candidato em Pernambuco, deixando o candidato do PDT sem estrutura de campanha para projetar seu nome na sociedade (vale lembrar que havia uma grande chance de o PCdoB e outros dois partidos apoiarem Ciro, juntamente com o PSB, tendência que também foi dissolvida por conta do trator do PT). Ciro deveria, como recomenda a habilidade política, engolir os ressentimentos e preservar a ideia da necessidade da unidade e de uma Frente Ampla. Seria o chamado “tapa de luva” na direção do PT, que faria com que ele, Ciro, desfrutasse de uma vitória moral mais tarde, que hoje estaria representando muitos apoios ao seu nome pir parte de democratas que defendem uma candidatura de fora do PT a ser lançada por uma Frente Ampla. Porém, com ou sem a participação de Ciro na campanha no 2° turno, Haddad jamais venceria aquela eleição. A insistência da propaganda petista em tentar passar a ideia de que Haddad não derrotou Bolsonaro por causa da ida de Ciro para Paris revela, no mínimo, falta de capacidade para fazer análise politica, quando não desonestidade intelectual repulsiva. O lançamento da candidatura do PT foi a causa da quebra da unidade no 1° turno, explicando, em última instância, a vitória de Bolsonaro. Isso porque qualquer candidatura do PT comportava uma contradição fatal para o campo popular: por um lado, uma vez lançada, dificilmente deixaria de ir para o 2° turno; por causa dos votos quase cativos dados ao Partido de Lula; por outro lado, por conta do acirrado antipetismo, com muito mais probabilidade, dificilmente venceria o 2° turno.

Darcy Brasil Rodrigues da Silva

28 de fevereiro de 2021 às 04h09

Será enganado quem tomar Lula e o PT pelo que deles afirma Ciro. São grotescas distorções de um oportunista de direita, simulando ser um herdeiro de Brizola, que imagina poder se beneficiar eleitoralmente adotando um discurso em sintonia com amplas camadas da classe média falso moralista, afetada pela onda de calúnias e perseguições vertidas pelo golpe parlamentar midiatico jurídico que levou ao impeachment de Dilma e criou o caldo de cultura que levou à eleição de um miliciano. Digo “oportunista de direita” como a direita de um campo político que conforma a centro-esquerda. A maneira de colocar as coisas desse jeito não é, sei disso, muito científica, mas pode servir para conseguir me fazer comprender. Por outro lado, será também iludido quem tentar compreender Ciro e o PDT a partir do que deles afirmam a maioria dos dirigentes do PT. São gestos derivados do exclusivismo petista, incapaz de admitir qualquer situação que represente uma ameaça de perder a hegemonia (eleitoral) que supõe possuir sobre o espectro da esquerda. Para nós que não somos petistas nem pedetistas, lulistas ou ciristas, focados na ameaça que um golpe fascista ou a reeleição do fascista que prepara um golpe representam, todo esse fogo cruzado entre petistas e pedetistas, lulistas e ciristas, nos parece tão absurdo como o negacionismo dos bolsonaristas. Não será nossa, entretanto, a responsabilidade histórica pela vitória do fascismo, seja através do sucesso do golpe de estado que as milícias preparam nas sombras, seja através da vitória eleitoral de Bolsonaro contra a arrogância de Ciro e do PDT e contra o exclusivismo e sectarismo eleitoreiro de Lula e do PT. Continuaremos trabalhando para forjar uma Frente Ampla Antifascista historicamente necessária, imprescindível, se quisermos derrotar, de fato, e não nos sonhos sonhados pelos que confundem a realidade com os seus desejos, o fascismo, as milícias bolsonaristas.

Responder

René Edwin Souza

28 de fevereiro de 2021 às 00h31

Ciro retornou às origens, A ARENA.
Um político que esteve em 7 partidos…..
Leonel Brizola, que esteve em 2, porque lhe tiraram O PTB, jamais concordaria com esse desagregador…..

Responder

Zé Maria

27 de fevereiro de 2021 às 21h38

Excerto e Adendo

[Ciro] Refere-se a Lula como “loucura e caudilhismo”.

‘Caudilho’ era como o Roberto Marinho se referia a Brizola nos Editoriais d’O Globo.
E até hoje a Globo mancha a Biografia de Brizola, tal qual faz com a de Lula.

Responder

João Antunes

27 de fevereiro de 2021 às 21h01

Me desculpe mas você poderia lembrar de quem lula e o PT apoiou e fez alianças. Quer que eu cite aqui?? Só bora lembra lo a turminha que ele apoiou a maioria estão presos. Lula deu cargos pra essa turma. Enganou o eleitor. Ciro ao contrário está deixando claro que necessita fazer isso pra buscar um alternativa e tirar esse Facista do poder. O PT não tem a menor possibilidade e o que Lula está fazendo é de uma irresponsabilidade enorme. Ciro esteve com o PT em pelo menos o 4 eleições. Chega né. O PT não é confiável

Responder

    Ricardo Oliveira

    28 de fevereiro de 2021 às 07h58

    O PT não ser confiável chega a ser cômico, pra início de conversa não sou petista, o erro da esquerda foi achar que vivemos em uma república e que as instituições funcionam, nunca funcionaram e a elite é que se apoderou dos cargos mais relevantes, então chamaram o inimigo para o governo e não poderia dar outra coisa senão o boicote e o golpe, mas é inegável o desenvolvimento conquistado, os projetos em andamento e as questões estratégicas implantadas o que culminou em incomodar os donos do poder e os EU e a gota d’água foi a descoberta do petróleo, Ciro representa a continuidade do processo de entrega, a perda da soberania, ele trabalha para o sistema e sempre esteve ao lado dos interesses da elite, ele é que não é confiável pelo que mostrou até hoje diferente do PT que mostrou capacidade e foi traído.

    Hairy Heart

    28 de fevereiro de 2021 às 14h19

    Perfeitas suas observações, João Antunes.
    Um partido que chama para o palanque deputados e senadores golpistas meses após terem votado a favor do impeachment de Dilma e dá uma facada nas costas do único candidato que poderia derrotar o Bozo no 2o turno (conforme TODAS – tirando a do 247 que é brincadeira pra criança – as pesquisas eleitorais de 2018 para o 2o turno), realmente não é para confiar mesmo. Depois dessa eu nem fui votar no 2o turno. PT nunca mais.
    .
    E quem fala que Ciro é de direita e é entreguistas e é neoliberal e blá, blá, blá… recomendo que leiam o livro “Projeto Nacional – O dever da esperança” do Ciro antes de falar besteiras.

    Marcio

    01 de março de 2021 às 14h17

    Lembre também Hairy Heart da famosa frase do impoluto FHC (vulgo farol de Alexandria): “Esqueçam tudo que escrevi!”


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Blogs & Colunas
Mais conteúdo especial para leitura