Vagner Freitas: Presidenta Dilma, não ceda à pressão da especulação financeira

Tempo de leitura: 3 min

por Vagner Freitas

Promover o desenvolvimento do Brasil deve ser um objetivo permanente. Para isso, não há mágica e, sim, muita competência técnica e alta capacidade política para superar os obstáculos e desafios. É tarefa de todos reunir forças sociais que apostam no desenvolvimento produtivo, na inovação e incremento da produtividade, na distribuição de renda, na qualidade do emprego e na superação das desigualdades.

Nos últimos dias, colunistas e economistas, que repercutem os anseios de rentistas ávidos por manter e recuperar ganhos financeiros, reacenderam o debate sobre as soluções para resolver o problema da inflação.

O fato é que a queda dos juros reais de 8% para 2% com a redução da taxa Selic para 7,25% e a elevação da taxa de inflação, que atingiu um patamar próximo ao teto da meta (6,5%), tem provocado forte reação daqueles que vivem do ganho financeiro. O Brasil que queremos e estamos construindo tem a dura tarefa de deslocar a riqueza financeira para o investimento produtivo e atenção social, o que requer muita determinação dos gestores da política econômica.

É forte a pressão para que o Conselho de Política Monetária eleve a taxa básica de juros (Selic), recompondo as expectativas do mercado — leia-se, repondo os ganhos especulativos desejados, supostamente trazendo a inflação para o centro da meta.

O resultado dessa medida para a sociedade é a queda na atividade econômica, a redução da produção, do emprego, dos salários e da receita pública, entre outras mazelas. Um custo social e econômico elevadíssimo. A sociedade precisa dizer que não quer isso!

A inflação em março foi de 0,47%, acumulando em 12 meses 6,59%. Apesar de no mês de março a inflação estar ligeiramente acima do teto, o Banco Central indica que a inflação irá arrefecer – a taxa anual de 2013 deve fechar em cerca de 5,68% (Boletim Focus, 12/04/13). O que explica os atuais índices da inflação são a subida dos preços agrícolas e dos serviços. No caso do mercado internacional, há as commodities agrícolas indexadas ao dólar que cresceram muito, mas os preços têm caído nos últimos meses. Quanto aos hortifrutigranjeiros, alguns na entressafra e outros impactados por fatores climáticos, terão queda nos preços com a entrada da nova safra. Há ainda os preços das escolas, dos planos de saúde, das tarifas de transporte público, entre outros, que sazonalmente impactam as taxas de inflação no início de cada ano.

Mesmo com este comportamento dos preços a inflação atingiu o teto da meta, porém com indicações claras de que deverá começar a cair nos próximos meses. Nada, aliás, muito diferente do que se observou nos últimos anos no país. Nenhum desses componentes são sensíveis aos juros, duro remédio para reduzir a atividade econômica contra uma inflação de demanda que, claramente, não é o nosso caso. O enfrentamento é outro!

Nos últimos anos, o país tem feito grande esforço para recuperar a capacidade de promover crescimento com base na ampliação da capacidade produtiva de bens e serviços, na infraestrutura, na inovação e na produtividade, entre outros. Os recentes indicadores de elevação da taxa de crescimento econômico revelam leves sinais dessa perspectiva.

Promover e sustentar essa nova dinâmica de crescimento econômico deve ser a tarefa prioritária da política econômica brasileira. Lembremo-nos que a experiência de aumento da taxa de juros para combater um “possível descontrole inflacionário”, no início de 2011, desestimulou o crescimento econômico que apresentou baixas taxas deste então.

Para enfrentar a inflação propomos que sejam aprofundadas medidas como:

1) a desoneração dos itens da cesta básica, incluindo impostos estaduais e municipais;

2) a ampliação da capacidade de atuação da Companhia de Nacional de Abastecimento (Conab) por meio de estoques reguladores para estabilização dos preços ao consumidor;

3) atenção aos crescentes movimentos de concentração de mercado ocorridos no país — fusões e aquisições –, principalmente no que diz respeito ao poder de mercado e capacidade desses grandes grupos de influenciar os preços de mercado;

4) avançar na desindexação de contratos e tarifas públicas. Além, evidente, da ampliação da infraestrutura produtiva e social que, entre outros efeitos, reduz custos e preços.

Todas estas medidas, associadas às que já vêm sendo adotadas pelo Banco Central e pelo governo federal, são importantes para conter a inflação sem interromper o processo de crescimento que se desenha para 2013, porque atuaria em fontes estruturais do processo inflacionário.

Entendemos que o tema da inflação deva receber atenção prioritária da política econômica, porque, nós, os trabalhadores, sabemos muito bem o que ela significa em termos de transferência de renda.

Entretanto, há outros objetivos prioritários que precisam ser considerados na escolha da política econômica de forma a produzir o crescimento, o emprego e a distribuição de renda, elementos essenciais para dinamizar as transformações no sentido do desenvolvimento social.

Por tudo isso, os trabalhadores esperam que a presidenta Dilma Rousseff e as autoridades monetárias atuem com determinação e em sintonia com as expectativas dos diversos segmentos da sociedade, não cedendo à pressão da especulação financeira.

 Vagner Freitas é presidente Nacional da CUT

Leia também:

Pensamento único: a volta do dragão da inflação

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Igor Felippe: Aos vencedores, juros; aos perdedores, tomates – Viomundo – O que você não vê na mídia

[…] Vagner Freitas: Presidenta Dilma, não ceda à pressão da especulação financeira […]

Copom eleva taxa Selic para 7,50% ao ano – Viomundo – O que você não vê na mídia

[…] Vagner Freitas: Presidenta Dilma, não ceda à pressão da especulação financeira […]

Tácio Nunes

Dilma não dê o nosso Brasil a esses verdadeiros RENT-SEEKING, pois eles tem q aprender, já, q o tempo deles ja passou, FHC, esses individuos e grupos que busca renda que não tem origem no trabalho, ficam sugando as riquezas do estado, so dividem o ônus com o estado, ou seja se apropriam do patrimonio publico sem contribuir na mesma medida, um verdadeiro parasitismo politico.

Messias Macedo

“NUMDISSE?!”

###############

Ciro Gomes, de novo, sabota Eduardo Campos

Ex-ministro critica linha de campanha do possível candidato do PSB à presidência em 2014: “Está bom mas podemos fazer melhor? Isso é conversa de marqueteiro. O Brasil precisa de debate profundo de ideias”; ao lado do irmão Cid, governador do Ceará, ele defende o apoio do partido à reeleição de Dilma Rousseff.

em http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/99120/Ciro-Gomes-de-novo-sabota-Eduardo-Campos.htm

… Vade retro Satanás!…

América Latina – sempre imersa em golpes!
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

    FrancoAtirador

    .
    .
    Grande Matuto Nada ‘Bananiense’!

    Sempre nos brindando com notícias alvissareiras

    da República dos Tomates, digo, Bananas…
    .
    .
    Observação:

    Creio que a manchete do Br247 poderia ser reajustada:

    “Ciro Gomes, de novo, alerta Eduardo Campos”

    “Quem avisa, amigo, é …”
    .
    .

    Messias Franca de Macedo

    Valeu, combatente, lúcido e valoroso brasileiro FrancoAtirador!

    … Aqui no sertão, ‘nois está’ reforçando o estoque de rapadura, farinha e chuchu(!) para enfrentarmos a próxima entressafra!…

    … Ah! E algumas rapaduras serão reservadas “para ‘nois’ açoitar nos(as) forasteiros(as) que vierem para essas bandas falar mal da Dilma e do Lula!…”

    Felicidades!

    Hasta la Victoria Siempre!

    República de ‘Nois’ Tomates – perdão, ato falho -, de ‘Nois’ Bananas
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

Messias Macedo

EDUARDO [CAMPOS]: ARGENTINA
E VENEZUELA SÃO MODELO
DE DILMA
A ditadura de hoje é a mesma dos militares, segundo o tucanuardo. The Big House concorda

(Dilma é uma cruza de Cristina K com Chávez. The Big House está gostando…)

Em http://www.conversaafiada.com.br/politica/2013/04/17/eduardo-argentina-e-venezuela-sao-modelo-de-dilma/#comment-1103549

*Eduardo eleva tom das críticas a Dilma e ao PT – 7/04/2013 04:23

FONTE: um blog do PIG!
*Miguel Arraes não merecia essa aleivosia!… [a(de)n(do) sujo do matuto!]

#####################

LÁ VEM O MATUTO E O SEU ‘MATUTÊS’!…

… “Cabra”, o cascateiro do – perdão, ato falho -, o marqueteiro do Eduardo [em] Campos [Minados] deve ter feito a última especialização na década de 70 ao lado do Paulo Francis e do Henry Kissinger, entre outras conspícuas (sic) e “imortais” (idem sic) figuras!…

… Vade retro Satanazes!…

América Latina – sempre imersa em golpes!
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Messias Macedo

[MAIS UMA VEZ] AS MÃOS PESADAS DO JOAQUIM! ENTENDA

###########################

Presidente do Congresso decide vetar criação de novos TRFs

Renan Calheiros (PMDB-AL) decidiu ontem comprar briga com os magistrados federais e não vai promulgar a PEC 544 de 2002, aprovada na Câmara, que cria mais quatro Tribunais Regionais Federais – 6ª, 7ª, 8ª e 9ª Regiões.
Ele atendeu ao pedido do presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa. Renan respalda-se juridicamente para engavetar a PEC: não existe nenhuma obrigação constitucional ou regimental que dê prazo para a promulgação por parte dele.
‘Se quatro tribunais ampliam custos em R$ 8 bilhões por ano, imagine mais nove que estão na fila’, disse Renan a um aliado.
Por Leandro Mazzini
17/04/201308:54

Em http://colunaesplanada.blogosfera.uol.com.br/2013/04/17/presidente-do-congresso-decide-vetar-criacao-de-novos-trfs/

####################

CÂMBIO: de alguma central telefônica de um hospício/manicômio qualquer!…

Viva o ‘brazil’!

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Jose Mario HRP

Presidente Dilma não dê vexame como esse cara aí!
E ainda dando risada .
Esse tempo passou depois do Lula!

jose-arimathea-cunha

Nao entendo nada de economia mas, acho que se a Dilma ao inves de aumentar juros diminuir mais ainda e pedir pro povao consumir apenas o estritamente necessário ai queria ver se a inflaçao nao cairia.E deixa a midia e os rentistas se estrebucharem,

FERRETTI

Então,quanto era a taxa de inflação no desgoverno do psdb? e quanto era a taxa de juros? não devemos dar nenhuma importancia para o que a midia mentirosa tenta nos fazer acreditar todos os dias.

Mardones

Dilma, dê aos rentista uma ‘tomatada’. Esse governo já enfrentou os bancos, baixando as taxas dos bancos ‘públicos’. Agora é a vez de responder aos parasitas com a manutenção da Selic.

Já aturamos sua inação contra o PIG, mas não teremos paciência se seu governo favorecer, mais uma vez aos rentistas.

Francisco

Não adianta gente, os Marinho cismaram de comprar um iate maior.

Quando eles decidem sobre isso, fica dificil…

    FrancoAtirador

    .
    .
    Monarquia Paralela

    BRAzIL: UM PARAÍSO PARA POUCOS

    IstoÉ | N° Edição: 1530 | 27.Jan.99 – 10:00 |

    Um Paraíso para poucos

    Condomínios fechados e praias particulares entre Angra dos Reis e Paraty protegem o glamouroso verão dos milionários do olhar curioso do público (SIC)

    Por Celina Côrtes

    Nos condomínios que povoam a costa brasileira entre Angra dos Reis e Paraty, no Rio de Janeiro, a população já se habituou à revoada de helicópteros e aviões no final das tardes de domingo. Sob o céu das enseadas da Mombaça, Portogalo, Frade e Laranjeiras, onde a crise raramente ultrapassa a portaria, descansam brasileiros de costumes muito particulares: eles evitam frequentar a praia nos fins de semana e feriados, quando indesejáveis saveiros, lotados de curiosos, se aproximam inquisidoramente de seus domínios. As casas e lanchas cinematográficas que sediam o mais glamouroso verão do Brasil são atrações irresistíveis. Mas seus proprietários odeiam platéia.

    Em Mombaça, a mais bela e exclusiva propriedade é a de Roberto Marinho, dono das Organizações Globo. Fica em uma praia privada, compartilhada apenas com seu filho, João Roberto. É um exemplo de elegância e conforto sem ostentação, griffe do decorador carioca Hélio Fraga Júnior. A não ser pelos tapetes orientais, as telas de Manabu Mabe, de Heitor dos Prazeres, de Aguilar, de Meziat e de Aldo Bonadei, e por um elevador entre os dois pavimentos. Das 13 suítes de hóspedes, sete dão para o mar e para o jardim de inverno. A sala de tevê, a ampla copa e a cozinha têm ar-refrigerado central.

    Ao lado da residência amarela, os flamingos (presente de Fidel Castro) dividem um pequeno lago com patos coloridos, à sombra de uma mangueira repleta de bromélias. Uma escultura de bronze, assinada pelo próprio Roberto Marinho, compõe o ambiente. Isso sem falar no viveiro de peixes, menina dos olhos do dono da casa. O casal contempla toda essa maravilha de quartos separados, no segundo piso, onde ficam outras cinco suítes. Só a de Roberto Marinho possui computador. “Ele precisa se ligar todo o tempo”, observa o simpático administrador Eugênio Marques, há 20 anos na casa. Os armários mantêm poucas peças de roupas apropriadas a uma casa de praia, além de roupões de seda.

    Helicóptero para dez
    A casa costuma viver cheia de convidados, mas o próprio Roberto Marinho a frequenta pouco. Só vai lá com tempo firme, que garanta deslocamento seguro ao helicóptero Dofan, com capacidade para dez passageiros. O prato mais pedido à cozinheira Dalva, filha de Eugênio, são camarões e peixes grelhados. Domingo é dia de feijoada light, com carnes de porco magras. De sobremesa, sorvete de macadâmia Häagen Dasz ou pudim de café. Não pode faltar vinho branco Chateau Pouilly, ou o tinto Haut Brion, 88. Quando eles recebem convidados vips, convocam o chef Laurent Suaudeau, de São Paulo.

    A idade avançada dos proprietários não impede os passeios de barco. O que eles mais gostam é sair no Tamarind I, um iate de 105 pés, verdadeiro palacete flutuante. Costumam navegar até a Ilha Grande, onde passam o dia inteiro. O iate foi construído na Inglaterra e há dois anos passou por uma reforma. Todo o madeiramento foi trocado por peroba do campo maciça. A sala e as três suítes têm ar-refrigerado central. O iate reúne cinco Di Cavalcanti, um Burle Marx e dois Portinari – um painel e uma pequena tela de 1942, avaliada em R$ 80 mil. Quem se entediar com a paisagem, pode distrair-se com uma televisão de 29 polegadas ou com música na melhor tecnologia de som. “Esse sistema de navegação é o mais moderno do mercado”, comemora o marinheiro Henrique Pinto, um dos cinco da casa, servida ainda por quatro jardineiros, copeira, cozinheira, garçom e duas arrumadeiras.

    Angra tem um aeroporto movimentado. Nos fins de semana, são 50 pousos de jatos fretados por dia. O número de aparelhos privados, no entanto, é bem menor do que em Paraty. O comandante José Afonso, dono da Líder, por exemplo, tira bom proveito dos dois jatos Citation e Lear jet, de sua empresa. “Não é questão de inveja, mas a gente se sente pequeno”, admite o caseiro José Francisco, 37 anos, que trabalha no Condomínio Mombaça.

    O padrão no condomínio Laranjeiras, maior aglomerado de milionários da costa brasileira, não é diferente. O empresário Carlos Alberto Filgueiras, dono de uma rede de motéis, por exemplo, se desloca para o aeroporto de Paraty a bordo de sua Toyota preta, uma Line 2.8 D. Entra em seu avião particular, um King 90, de US$ 2,5 milhões, e embarca para São Paulo depois de um relaxante fim de semana. Quando o empresário Antônio Ermírio de Moraes, do Grupo Votorantim, sai da capital paulista para visitar seu irmão José Ermírio no mesmo condomínio, também opta pelo vôo sobre paisagens paradisíacas a bordo do helicóptero da família.

    Segurança implacável
    A turma do Laranjeiras isola-se do mundo protegida por um pequeno exército de seguranças e por duas rigorosas guaritas que jamais deixam passar um curioso. Lá dentro, a mentalidade mudou. Luxo hoje, para essas pessoas, é muito mais conforto do que exibição de baixelas. As 140 casas do condomínio têm ar-condicionado central e o clube oferece restaurante, quadras de tênis e campo de golfe. Mas vale lembrar que até nesse ambiente, onde todos parecem ser igualmente milionários, convivem diferentes castas – a dos emergentes, como os Filgueiras, e a dos tradicionais, como os Ermírio de Moraes, os Setúbal e os Bueno Vidigal. Os empregados, ex-pescadores e seus descendentes, que foram gentilmente removidos da beira da praia em troca de lotes no interior e de empregos domésticos, moram na vila vizinha. Um deles desabafa: “As casas são um exagero, dá para se revoltar.” Mas na hora de receber o salário em torno de R$ 500, conforma-se. Na vila de empregados, em modestas residências também proliferam carros, nacionais, é claro, além de aparelhos de tevê e microondas.

    Já as casas do Laranjeiras nada têm de modestas. A de José Ermírio, por exemplo, é coberta por telhas de porcelana branca. A piscina é interna, de forma que o telhado de vidro protege os usuários dos raios ultravioleta do sol. No inverno, a água é aquecida e à noite deixa ver as estrelas. A magnífica decoração é de Sig Bergamin. Até o material usado na construção é especial. As paredes da casa de Marcos Ometo, dono do Açúcar da Barra, por exemplo, são revestidas com pó de isopor, de aplicação trabalhosa, mas excelente isolante térmico e sonoro. Melhor, impossível. O preço de imóveis no local vai de R$ 200 mil a R$ 5 milhões. O condomínio mensal é de R$ 1,7 mil. Garante, entre outras maravilhas, uma moderníssima estação de tratamento que transforma o esgoto em água potável. Os aluguéis são cotados em dólares e as diárias nessa época oscilam de US$ 1 mil a US$ 2,5 mil.

    Sangue azul
    Em Paraty, o encanto se ancora mais nos livros de história do que nos livros-caixa. No caso de d. João de Orleans e Bragança, 82 anos, morador antigo do centro histórico da cidade, a fortuna anda meio esgarçada, mas, o sangue é azul. O bisneto de d. Pedro II e neto da princesa Isabel dá mais valor à elegância do que à ostentação. Acorda às 7 horas e pinta por toda a manhã. Depois do almoço, faz uma sesta. À noite a cozinheira é dispensada e ele visita, a pé, os restaurantes da cidade. Sua mulher, Teresa, ex-Souza Campos, fez do casarão de mais de 300 anos um local de exemplar bom gosto e aconchego. O ar de nobreza fica por conta dos retratos de ancestrais e dos objetos de uso pessoal dos imperadores. Há charme maior?

    A casa fica animada nos finais de semana. O casal adora receber na maior simplicidade. Acomodados numa bancada, os vips são contemplados com uma caldeirada. “É um salve-se quem puder”, brinca o príncipe, com seu sotaque francês. Embora criado em um castelo na França, não viveu ostentando. Quando vê o estilo dos vizinhos milionários, confessa que não sente inveja. “Eles vivem ameaçados em fortalezas”, descreve.

    Por conta desse medo, o proprietário de uma das mais belas residências de Paraty, um tabelião carioca, concorda em expor o que os muros de todo um quarteirão escondem, desde que seu nome seja omitido. O interior é um verdadeiro museu de quadros, tapetes, móveis antigos, prataria e porcelanas. Na sala de jantar, com mesa de 12 lugares, um magnífico tapete francês Aubusson toma toda uma parede. Esculturas de cerâmica de Santo Antonio do Porto, na piscina, acentuam a atmosfera colonial lusa da arquitetura do local. “Somos apaixonados por Paraty”, exulta a proprietária.

    No glamouroso verão dos endinheirados, o charme não está na praia e as melhores atrações dispensam a obrigação de pisar na areia e entrar no mar.

    (http://www.istoe.com.br/reportagens/28510_UM+PARAISO+PARA+POUCOS)
    .
    .
    MONARQUIA PARALELA

    FALECIDO REI ROBERTO & PRÍNCIPES HERDEIROS
    ?w=450

    REGÊNCIA TRIPARTITE

H. Back™

Em vez de aumentar os juros para baixar o preço do tomate (hehehe), a Dilma deve investir esse dinheiro a mais, que terá que pagar aos bancos, na criação de novos empregos.Em vez de aumentar os juros para baixar o preço do tomate (hehehe), a Dilma deve investir esse dinheiro a mais, que terá que pagar aos bancos, na criação de novos empregos.

    H. Back™

    E.T. Esse aumento dos juros fará justamente o oposto do que o esperado. Fará a inflação aumentar ainda mais, pois o custo do dinheiro será somado na inflação futura.

    FrancoAtirador

    .
    .
    Daí que aumentará a remuneração dos Títulos da Dívida Pública Federal (DPF)

    que estão atrelados aos índices de preços IPCA (IMA-C) e IGP-M (IMA-B),

    que no mês de fevereiro atingiram, respectivamente, 30,1% e 21,6% ao ano,

    e que hoje representam 35,5% do total de Títulos Públicos Federais da DPF.

    E os os agentes financeiros apátridas, que são os detentores ou administradores desses Títulos Públicos,

    ainda levarão de lambuja um aumento do rendimento nas aplicações vinculadas à taxa flutuante (IMA-S/SELIC),

    cuja remuneração caiu para 8% ao ano, em fevereiro de 2013,
    quando representavam 23% da DPF.

    (https://www.tesouro.fazenda.gov.br/images/Texto_RMD_Fev_13.pdf)
    .
    .
    E é aqui que está o furo da bala: *ANBIMA*

    A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais- ANBIMA é quem realmente manda na Economia do Brasil:

    5.2 Rentabilidade dos Títulos Públicos Federais
    O Índice de Mercado Anbima (4) – IMA, criado pela Anbima (5) em parceria com o Tesouro Nacional, afere a rentabilidade da carteira teórica formada por títulos públicos em circulação no mercado.
    É considerado um parâmetro eficiente para avaliar a evolução da rentabilidade dos títulos públicos, imprimindo maior dinamismo aos mercados primário e secundário da dívida mobiliária federal.
    Os dados apurados em fevereiro apontam um decréscimo de 0,2 ponto percentual do índice IMA-S, referente aos títulos vinculados à Selic,
    e um decréscimo de 1,8 ponto percentual para o índice Geral.
    Também se apurou uma redução de 1,1 ponto percentual na rentabilidade dos títulos prefixados, representados pelo IRF-M.
    Os títulos atrelados ao IGP-M, representados pelo IMAC, apontam uma redução de 4,5%.
    Houve um decréscimo de 3,7 pontos percentuais dos títulos vinculados ao IPCA, representados pelo IMA-B.
    (4) IMA – Índices de renda fixa calculados com base na evolução do valor de mercado de carteiras compostas por títulos públicos.
    O IMA geral é o resultado da ponderação das variações de cada índice;
    o IRF-M é composto por títulos prefixados (LTN e NTN-F);
    o IMA-C, por títulos atrelados ao IGP-M (NTN-C);
    o IMA-B, por títulos atrelados ao IPCA (NTN-B);
    e o IMA-S, por títulos atrelados à Taxa Selic (LFT).

    Para mais informações sobre os índices IMA acesse:
    (http://portal.anbima.com.br/informacoes-tecnicas/indices/ima/Documents/ima_cartilha.pdf)

    (5) Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais [*ANBIMA*].
    .
    .
    OS DONOS DO BRAZIL

    (http://portal.anbima.com.br/a-anbima/quem-somos/diretoria/Pages/default.aspx)

    (http://portal.anbima.com.br/a-anbima/associados/lista-de-associados/Pages/default.aspx)

Messias Franca de Macedo

… E FALANDO EM PRESSÃO!… II

#######################

MINISTROS ENFRENTAM BARBOSA:
MAIS PRAZO PARA A DEFESA
Intransigência do Presidente não tem apoio do Supremo

Publicado em 16/04/2013

(…)
Para o ministro Marco Aurélio Mello, a atitude de Barbosa atrapalha o direito de defesa e trava o processo. “Isso nunca ocorreu no Supremo. Se o atacado é um ato dele, ele vai fazer justiça pelas próprias mãos, deixando de levar ao colegiado? Acima de todos nós está o colegiado.”
Para o ministro, há regras na legislação que subsidiam a liberação antecipada dos votos e até mesmo a ampliação do prazo para recurso. “Para que se levar a coisa à ponta de faca? Só se cria incidente, se dificulta mais ainda a tramitação deste processo.”
(…)
[Por outro lado(!) – a(de)n(do) sujo nosso!] O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, criticou o pedido dos advogados para ter mais prazo. Para ele, é “inconcebível” [o pedido do alargamento do prazo encaminhado pelos advogados de defesa dos acusados no julgamento do ‘MENTIRÃO’! De novo, – a(de)n(do) sujo nosso!].
(…)

em http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2013/04/16/ministros-enfrentam-barbosa-mais-prazo-para-a-defesa/

LÁ VEM O MATUTO COM O DIÁRIO DO ‘MENTIRÃO’ NAS MÃOS!

… E agora? Será que o Merval, o Gurgel, o Robert(o) Civita, os filhos do Robert(o) Marinho et caterva irão ‘peitar’ o ministro Marco Aurélio Mello?!… “Açodado come cru! Ou não come nada (sic)…!”

… “Inconcebível” é um prevaricador exercer a função de procurador-geral da República!… “Inconcebíveis” são, também, também, os pitacos ‘concebivelmente’ previsíveis do Gilmar Mendes!…

RESCALDO: …O PIG inflou o monstro que existe em Joaquim; forjada uma ‘monocracia de ocasião’, o ‘supremo’ mais do que nunca pífio!…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

marcosomag

Uma das grandes falhas dos governos petistas foi não reformular os órgãos reguladoras da economia, dentre os quais o CADE. Todos sabemos que as agências reguladoras foram criadas na era FHC com o objetivo de criar uma cortina de fumaça para a população não enxergar o enorme prejuízo que teria com a criação de monopólios privados nas privatizações. Estava prevista também a concentração de capital nos setores onde ainda havia competição, e o CADE foi criado com a mesma função tergiversadora das agências. Criadas para não funcionar. O PT não enfrentou tal questão e assistiu passivamente a formação de monopólios até nos produtos alimentícios básicos. Além da concentração na produção, permitiu a concentração na comercialização. Friboi, Sadia/Perdigão, Carrefour e Pão de Açúcar/Casino dominam a produção e comércio de víveres no País. Para completar o cenário dantesco, Unilever e P&G dominam quase totalmente o setor de higiene e limpeza. Então, desonerar setores oligopolizados só vai aumentar o lucro desse pessoal, e nada de diminuição de preços. A omissão do PT em relação a concentração na economia faz a política monetária ser quase a única opção de combate a inflação. Rígido controle na base monetária é o que resta a Dilma. O PT não implementou um programa de defesa da concorrência na economia e limou as próprias alternativas de política econômica.

Messias Franca de Macedo

… Presidente Dilma Rouseff, A Magnífica, respeitosamente: dê um tomate – perdão, ato falho -, ‘dê uma banana’ para o PIG extensiva aos rentistas, “que não pregam uma barra de sabão”, parasitas da nação!…

E mais: confie no autêntico povo brasileiro!

BRASIL (QUASE-)NAÇÃO
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

    Messias Franca de Macedo

    ajuste desprezível; … “[rentistas] que não pregam um prego em uma barra de sabão – e ainda critica os que trabalham! Parasitas da nação!…”

Gilson Raslan

Uma análise simplista sobre a questão levantada pelo presidente da CUT.
O desemprego está baixíssimo. O crescimento do PIB foi baixíssimo.
Dessas duas assertivas pode-se concluir que a alta da inflação não é por excesso de demanda, mas por escassez de oferta.
CONCLUSÃO LÓGICA: estando a inflação um pouco descontrolada pela escassez de oferta, o que o governo tem que fazer é baixar ainda mais os juros, via SELIC, para incrementar a produção, não aumentá-los, como desejam os rentistas, via comentaristas econômicos e economistas, todos eles comprometidos com a banca.
Ainda que a inflação estivesse fora de controle por excesso de demanda, a solução do problema seria aumentar o depósito compulsório dos bancos para deminuir a liquidez do mercado, não o aumento da SELIC, que causa desemprego em massa. Mas essa solução (aumento do depósito compulsório dos bancos) os economistas vendidos nem tocam no assunto, porque não traz vantagens aos rentistas e à banca.

Messias Franca de Macedo

… E FALANDO EM PRESSÃO!…

###########################################

O ministro Marco Aurélio Mello peita Barbosa por amplo acesso a votos

Na contramão do que vem decidindo o presidente do Supremo no julgamento da Ação Penal 470, ministro Marco Aurélio Mello defende a ampliação do prazo para a elaboração dos recursos contra as condenações e diz que os advogados devem ter acesso antecipado aos votos por escrito dos ministros, para viabilizar “à exaustão o direito de defesa”; “Se o atacado é um ato dele [Joaquim Barbosa], ele vai fazer Justiça pelas próprias mãos, deixando de levar ao colegiado? Acima de todos está o colegiado”, defendeu

(…)

FONTE: http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/99092/Mello-peita-Barbosa-por-amplo-acesso-a-votos-Mello-peita-Barbosa-amplo-acesso-votos.htm

LÁ VEM O MATUTO COM O DIÁRIO DO ‘MENTIRÃO NAS MÃOS!

… E agora? Será que o Merval, o Gurgel, o Robert(o) Civita, os filhos do Robert(o) Marinho et caterva irão peitar o ministro Marco Aurélio Mello?!… “Açodado come cru! Ou não come nada (sic)!”

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Nádia

Não ceda aos rentistas Dilma. NÃO A ALTA DA SELIC. TEM QUE BAIXAR MAIS.

assalariado.

Pois é, Vagner Freitas e navegantes. Lá no meio do post, você sugere 4 itens para combater a inflação. De repente, nos três primeiros itens, em 10 anos de governos ‘progressistas’, se tivessem feito o necessário e, avançado na questão, reforma agraria, esta situação inflacionária dos tomates e mandiocas da vida, o susto, poderia ter sido apenas uma marolinha. Agora, só desenvolveu -se a questão agraria para os interesses do agronegocio e, num segundo momento, deveria ter reagido politicamente, fazendo uma reforma agrária, mesmo que modesta. Opa!! Esqueci, para isso não tem dinheiro, desculpas. Eu sou um radical mesmo.

No entanto, repetito, nos três primeiros itens, de repente, uma reforma agraria no entorno dos cinturões verdes, das grandes cidades, poderia ser a salvação da lavoura politica economica da oferta de produtos internos da cesta basica, de primeira necessidade da mesa do povão. Dessa forma, pode -se dizer que, nada melhor, tivesse feito algo mais concreto para apassiguar, a sanha de lucros inflacionário dos rentistas da banca e, de quebra, a ‘reposição’ das margens de lucros, da qual a burguesia atacadista da cadeia alimentícia, esta jogando sujo. Em muitos casos, na real, nada mais é que, a reposição e a especulação do grande comercio jogando, com a fome alheia. É internautas, vocês já ouviram falar da tendência da taxa de lucro média cair? Marx explica!

Saudações Socialistas.

renato

Estava ouvindo e lendo vários comentários sobre o
Sumiço do PT nas grandes discussões do País.
Estava até começando a malhar, entrando na pilha.
(Muito volúvel)
Me dei conta que o PT, esta sumido sim.
Agora ele esta no lugar onde sempre quis estar…
No GOVERNO….VIVA LULA, VIVA DILMA.
E a direita esta pedindo recontagem nos dados do
data folha da Aprovação do Governo Dilma.

Master

Porque nenhum grande economista de blog fala em REDUZIR O GASTO PUBLICO para equilibrar estas contas? Parar a Robalheira das EMENDAS por votos de aprovação no Congresso. Chantagens sobre os Min. do Supremo , a coisa já passou do empreguismo , nepotismo, e agora só restou o peleguismo inchando e roendo a máquina pública. Tudo o que o PT criticava agora enche o peito e diz FIZ MESMO e DAI! Sou o poder mandamos. Economistas confusos , tocam o barco conforme o tamanho da onda, e sempre falam que tudo é uma marolinha. e NÓS PAGAMOS com impostos de 50% essa farra no BNDES , EIKE, CONSTRUTORAS na AFRICA, em CUBA. MORREMOS DE SEDE no NORDESTE do SAO FRANCISCO, ou de DENGUE, ou ainda POR FALTA DE ATENDIMENTO no SUS. SEM FALAR do extermínio diário causado ´pelo CRACK e a VIOLENCIA.
EXELENTE GESTÃO Vai deixar um novo legado, e acerteza de nunca mais confiar em populistas que viram delinquentes com mandatos.

Julio Silveira

A Dilma já cedeu desde o primeiro momento que começou a governar.
A visita a Folha não foi por acaso.

Fabio Passos

A disputa e esta mesma:

50 mil familias de miliardarios vagabundos x todos os trabalhadores brasileiros

Adivinhem do lado de quem esta o PiG?

E marinho, civita, frias e mesquita ainda pensam que ninguem percebe…

Aloísio da Costa Val

Se a taxa selic for elevada, será uma capitulação frente ao deus mercado que tanto mal fez a este país. Já basta a rendição relativa à lei da mídia que até agora está engavetada. Aí teremos vitória dupla: do mercado financeiro e das comunicações. Abre o olho Presidenta, os inimigos do Brasil querem é isso mesmo: rendição. Não devemos permitir isso. Para frente Presidenta, junto com Lula, líder de todos nós.

Larissa Cordeiro 2 ano

Convenhamos que temos que reconhecer que o país nos ultimos anos tem se esforçado para recuperar a capacidade de crescimento , na infraestrutura e na produtividade, portanto temos que tentar uma forma de recuperar na inflação assim não alterara em tarifas de transportes publicos, planos de saude,etc.Isso deve e creio que sera uma tarefa a ser cumprida pela politica economica brasileira.

francisco pereira neto

Bem, as coisas estão bem delimitadas. Os adéptos do quanto pior melhor – PIG, oposição sem discurso, rentistas, empresários safados que vão ao FT falar mal do país – todos torcendo para disseminar a falsa impressão de descontrole do governo. Um comentarista no CAF postou um compilado das taxas de inflação desde 1998 até 2013 e em nada se verifica que há descontrole neste momento.
A corrente do lado de cá – Nassif por exemplo, demonstra de forma insofismável que o aumento da Selic em nada contribuirá para “derrubar” a inflação.
Em Minas, tanto Lula quanto Dilma, foram enfáticos nos seus discursos atacando todos aqueles que apostam numa catástrofe.
Pois bem. Vamos agora aguardar quem é que vai ganhar essa queda de braço.
Como disse Nassif: Se o governo ceder neste momento, vai ser o fim.

Candeia

Se Dilma não ceder amanhã (o que não acredito), cederá em maio.

Tanto faz se vai ser amanhã ou no mês que vem.
ELA VAI CEDER, já deu indícios disso.

    Abel

    Vai ceder. Um pouco. Só para calar a boca dos rentistas e seus economistas de aluguel (os quais não estão minimamente preocupados com a alta da inflação ou o preço do tomate, mas sim com seus rendimentos aplicados :)…

Deixe seu comentário

Leia também