Rodrigo Vianna: Mídia quer transformar Haddad num Pitta

Tempo de leitura: 5 min

[Arte, acima, do Ivan Freitas, no Facebook, com a manchete que saiu e, abaixo, a que deveria ter saído]

“Ele não ouve ninguém”

Haddad: um desastre na Comunicação

“O escândalo dos auditores é um escândalo do Serra e do Kassab. Ok. Mas outro escândalo é Haddad – o “homem novo” – achar que pode governar São Paulo sem mexer na comunicação. Mais que isso: monitoramento nas redes sociais aponta que o governo Haddad tem, a essa altura, 73% de avaliação negativa, 17% de positiva e só 10% de avaliação neutra. Desastre.

por Rodrigo Vianna, no Escrevinhador

Para entender o que se passa com a gestão de Fernando Haddad em São Paulo, peço sua atenção. E alguma paciência. Haddad, em sete atos…

1) Junho de 2012. Festa de aniversário de um bom amigo, advogado formado pela Faculdade de Direito do Largo São Francisco (USP) – a mesma onde estudou o prefeito. À época da festa, Haddad era um candidato que patinava, nos 5% de intenção de voto. Lá pelas duas da manhã, um dos advogados senta no sofá perto de mim, e a conversa é sobre o petista. Quero saber como era o Haddad na época da faculdade. “O Haddad tem duas características fortes: ele não houve ninguém, quando você fala parece que ele não está ouvindo de verdade; mas, por outro lado, ele é um sortudo sem tamanho, sempre teve muita sorte”, diz meu interlocutor, relembrando as peripécias de Haddad e outros estudantes, nas disputas pelo Centro Acadêmico no começo dos anos 80.

2) Algumas semanas depois (2012 ainda), a campanha de Haddad procura um grupo de blogueiros: o petista queria “conversar” sobre Comunicação, sobre a cidade. Haddad seguia em baixa nas pesquisas (um dos levantamentos chegara a apontá-lo com 3% de intenções de voto). A assessoria do candidato fez o favor de divulgar a conversa, reservada, como se fosse um “ato de apoio dos blogueiros à campanha petista”. Bela assessoria… Além disso, naquela noite, tive a comprovação de que Haddad não é mesmo muito treinado para ouvir – como dissera meu interlocutor na festa. Educado, escutava perguntas e observações, sem preocupação de travar um diálogo. Estava ali pra ser escutado.

3) Em setembro, reta final da campanha, o petista comprovou que também era sortudo. Ficaria de fora do segundo turno, se não fosse uma declaração desastrada de Russomano sobre Transporte. Haddad aproveitou o delize do adversário para ir ao segundo turno contra Serra. Virou prefeito – graças também a mobilizações que reuniram milhares de pessoas em atos na praça Roosevelt (centro de São Paulo), convocados pelas redes sociais.

4) Na semana seguinte à eleição, alguns daqueles blogueiros (que Haddad buscara quando estava com 3%) procuraram o prefeito eleito: queríamos conversar, sugerir políticas de comunicação inovadoras para o homem que ganhara o pleito com o discurso de “homem novo”. Haddad não recebeu ninguém, mandou dizer que a política e os nomes para a área de comunicação já estavam decididos. E avisou que essa área de inovação digital, e de incentivo à diversidade informativa, ficaria sob os cuidados de uma subsecretaria na área de Cultura.

Logo entendemos o jogo. Haddad nomeou para a secretaria de Comunicação Nunzio Briguglio Filho… Quem? A função dele, basicamente, seria manter boas relações com a mídia convencional. Ou seja, o “homem novo” achava que política de comunicação para São Paulo seria dar uns telefonemas para a “Folha”, a “Globo” e a “Abril”. Ah, eu já ia esquecendo: cabe à secretaria do Nunzio, também, a distribuição das verbas públicas de publicidade. Hum…

5) Os meses passam. Haddad mostra-se um desastre de comunicação durante as manifestações de junho. Perde a chance de reduzir as tarifas diante do Conselho municipal, mostra ali certa arrogância professoral (“não sabe ouvir”). Depois, vai a reboque de Alckmin e anuncia a redução da tarifa de forma tão atrapalhada que, ao final da coletiva no Palácio dos Bandeirantes, um repórter até pergunta: “mas então voltou pra 3 reais ou não?”.

6) Os meses avançam. Haddad toma então duas medidas que me parecem corretas: muda a tabela do IPTU, com aumentos substanciais nos bairros mais ricos (ok, nem todo mundo que mora nessas regiões é “rico”, e alguns nem remediados são) e redução nas áreas mais pobres da cidade; cria dezenas de quilômetros de corredores exclusivos para ônibus.

A imprensa (rádios, jornais, TVs) parte para um jogo de desinformação. Haddad não consegue explicar que o IPTU vai subir para alguns, mas baixar para outros. Sofre um massacre. Contava com as “boas relações” com a velha imprensa. Hum…

No caso dos corredores, o mesmo: motoristas de carros, irritados, vêem o espaço para os automóveis cair nas avenidas. E as faixas de ônibus, por princípio corretas, parecem ficar vazias a maior parte do tempo. A Prefeitura não fala, não se explica. Conta com a “Folha” e a “Globo”. Hum…

7) Agora, vem o escândalo dos auditores. Está claro que Haddad foi no caminho correto. Enfrentou a máfia, que parece ter-se instalado em gestões anteriores. Na sexta passada (8/11), a “Folha” saiu-se com manchete histórica: “Prefeito sabia, diz auditor investigado…” Quem passava pelas bancas e lia só a manchete logo entendia que Haddad sabia de tudo, participava do esquema. Só que, na gravação, estava claro que o auditor investigado e grampeado se referia ao prefeito anterior – Kassab.

Nas redes sociais e nos blogs deu-se gritaria contra a “Folha”, o jornal de colunistas (e manchetes) rotweiller. O que fez Haddad? Finalmente gritou também contra a manipulação midiática. Ah, percebeu ali que poderia se reaproximar das redes, dos ativistas digitais… Uma virada na comunicação, certo?

Nada disso. A virada não durou 48 horas. Domingo (10/11), Haddad já estava na “Folha” a bater em Kassab… Erro duplo: chamou Kassab diretamente para a briga e, de quebra, legitimou a “Folha” como foro onde se dá o debate político em São Paulo.

Quem conhece a imprensa, sabe o que deve ter acontecido depois da manchete absurda de sexta. O tal Nunzio passa a mão no telefone e liga pra redação da Folha: “poxa, assim vocês me arrebentam, que manchete foi aquela”. Do outro lado, o editor matreiro: “que é isso, estamos à disposição pro prefeito falar; abrimos espaço pra uma exclusiva, ele explica tudo”.

E lá se foi o Haddad. Mordeu a isca da “Folha”, o que significa morder a isca do Serra.

Agora, Haddad demitiu o secretário de governo, Antônio Donato. Pautado pela Globo! Um investigado, membro da máfia, disse que pagou propina a Donato quando ele era vereador (ou seja, ainda na gestão Kassab). Só que Donato está (ou estava) no centro do governo petista.

A mídia paulista transformou um escândalo investigado por Haddad num escândalo que ameaça se voltar contra o governo petista. Onde está Mauro Ricardo, o secretário da gestão Serra? Sumiu das manchetes. Mas o petista Donato foi para o olho do furacão.

Ok, o petista Donato tem que se explicar. Ok, o escândalo dos auditores é um escândalo do Serra e do Kassab. Mas outro escândalo é Haddad – o “homem novo” – achar que pode governar São Paulo sem mexer na comunicação. Os sinais que surgem da Prefeitura são péssimos. Há quem diga que as denúncias contra Donato teriam chegado às redações pelas mãos de gente ligada à Comunicação da Prefeitura. Fogo amigo?

Lula está preocupado. Fez chegar a Haddad a seguinte avaliação: “mexa na sua comunicação, troque. Você está perdendo o jogo.”

Mais que isso: monitoramento nas redes sociais aponta que o governo Haddad tem, a essa altura, 73% de avaliação negativa, 17% de positiva e só 10% de avaliação neutra. Desastre.

Haddad agora vai ter que mostrar se é um “sortudo”, como dizia o ex-colega da faculdade de Direito. E ter sorte, a essa altura, significa enfrentar aquela outra característica forte: não ouvir ninguém.

O prefeito é um homem inteligente, e parece bem intencionado. Mas resolveu jogar no campo dos adversários: seguiu a tradição petista de não confrontar com a mídia. E ainda enveredou pelo discurso moralista dos escândalos. Esqueceu que escândalo e moralismo seletivo são a especialidade do outro lado.

Na mão de Nunzios e outros gênios, Haddad seguirá dando verbas e entrevistas exclusivas para a velha mídia. Sem perceber que o objetivo é transformá-lo num Pitta. Dá tempo de mudar. Tomara que Haddad seja mesmo um homem de sorte, porque do outro lado está a turma que conhecemos tão bem…

Leia também:

De dentro do Ministério Público, Jornal Nacional narra “mesada”


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Julio Silveira

No caminhar das coisas a agente vai entendendo. O Haddad tem bastante credito, para mim, pelo que fez a frente do Ministério da Educação. Trouxe uma série de inovações inclusivas e isso lhe deveria ser considerado ao se analisar suas intenções.
Com boa segurança sabemos como tem funcionado a politica em seu município. Com os arranjos determinados pelas cúpulas politicas, todas elas, para a permanência das estruturas publicas que propiciem seus financiamentos ou retro financiamentos. Mudar isso, querer quebrar esse contrato, acabar com essa estrutura de forma unilateral trás consequências, inclusive dentro das próprias hostes, nesse caso recomenda-se grande transparência aliada a antecipação na informações a comunidade, acercando-se de pessoas de real igual identidade. Antecipar-se na oferta de informações aos cidadãos, tirando essa margem de manobra das mãos dos oportunistas, que sempre conviveram bem ou até se valeram dessa estrutura viciada, pode ser uma excelente medida cautelar.

Murdok

Já no caso alstom siemens, o pig também tentou logo o incício jogar a batata quenta nas mãos do governo federal por conta de recursos vindo de la para o metrô e tudo o mais. Tudo pra blindar os tucanos.
Agora nesse caso da máfia do ISS o caso se concretizou de forma mais clara e mais rápida, com o pig jogando em cima do erro do adversário, nesse caso o PT, e encurralando o prefeito. Isso é visível. Por enquanto o jogo ta no primeiro tempo e com o placar de 2 X 1 pro pig. O prefeito saiu na frente, mas o pig conseguiu virar. Mas tem muito jogo pela frente.

Tiago Tobias

Excelente análise.

O PT parece mulher de malandro. Apanha, apanha (do pig) e parece que gosta.

Mariza

O Haddade tem que trabalhar via internet, com um blog atrativo e colocando todas as sujeiras destes nojentos, inclusive da mídia podre. Eles não vão dar sossego, pois então use o mesmo mecanismo. Jogue duro. Agora se os paulistas adoram os tucanos, ficam cegos diante dessa mídia, eles que paguem o pato. É fazer sua administração sem dar a mínima para que os ratos de esgotos façam ou digam. O desespero deles é grande, nós aqui no Nordeste estamos indo a mil, varrendo essa cambada da nossa vida política. São Paulo e os demais estados governados por tucanos vão ficar para trás. Eles merecem. Quando acordarem já era, estaremos a mil quilômetros de distância.
DILMA 2014 COM FÉ E ORGULHO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Fabio Passos

Haddad cometeu um “erro” capital.

Tascou imposto na “elite” branca… e reduziu o imposto dos pobres.
Isto para a casa-grande é imperdoável. Será vítima de perseguição implacável do PiG. Prova cabal de que Haddad vem acertando.

    leandro

    E você acredita nisso? Você acha que todo aumento não vai ser repassado para o custo de vida? Isso se tratou tão somente de aumento de arrecadação e duvido muito que o transporte vai ter alguma melhoria, vai ser como o CPMF que ficou anos sendo cobrado e a saúde nada.

    Valdeci Elias

    Ele aumentou o imposto do rico, e baixou o do pobre. Ponto positivo pra ele.

Francisco

Estou chegando à conclusão de que todo petista é burro.

Eu tava até pensando em me filiar…

El Bartho

O que deve ser considerado é que as redes sociais são dominadas pelos coxinhas, portando esses números devem ser vistos com restrição. O que não significa não deva mexer na comunicação e tomar muito cuidado com o fogo amigo.

Mariano

“ele não houve ninguém, quando você fala parece que ele não está ouvindo de verdade; mas, por outro lado, ele é um sortudo sem tamanho, sempre teve muita sorte”

Ainda bem que ele não “houviu” o redator dessa coluna…

Luís Carlos

Não tenho dúvidas sobre as dificuldades do PT em romper com a grande mídia. Não tenho dúvidas também sobre os interesses dessa mesma grande mídia contra interesses populares e a favor da impunidade de seus comparsas. Tão pouco tenho dúvidas de quem tomou a iniciativa de combater a corrupção na prefeitura de SP foi foi Haddad e quem está sendo blindado nas apurações pela grande mídia é o PSDB.

Zanchetta

“…transformar o Hadda em um Pitta…”. Afinal, o Maluf apoiou os 2…

    Rodrigo Leme

    Cadê o botão “curtir” desse site?

Altamiro Borges: Os heróis da Veja são uma piada – Viomundo – O que você não vê na mídia

[…] Rodrigo Vianna: Mídia quer transformar Haddad num Pitta […]

Pedro Cavalcante

Pô!
esqueçam o PT se errou ou não

corram atrás da veracidade
ajudaram não o PT mas a
população!

Carla

Incrível! Um dos picaretas acusa Donato e de repente todo mundo acredita. Inclusive o Haddad. Essa mania de querer agradar (e conquistar, sic!) a imprensa marrom chega a ser patética…
Quer saber? Ninguém merece este PT.

mario lucio de o oliveira

Quem corrompe e é corrupto em escala MEGA são os que escorados em uma concessão pública fazem tudo para continuar cometendo crimes e jogando lama e seus proprios crimes nas costas dos politicos do PT, quando se sabe e o STF não julgou, (separou), o nascedouro de todo o chamado crime de “desvio de dinheiro público” alimentador das concessionárias que receberam a parte do leão deste mesmo dinheiro e, não foram arrolados nem julgados. Aí reside a denuncia falsa de dinheiro público porque esses midiaticos criminosos são os beneficiarios diretos do dinheiro que condena uns e absolve outros (ELES)por omissão covarde e politica do STF, menos é claro os que não se submeteram a esquema totalmente marginalizado, à margem da lei, Isso mesmo marginal, fora da lei.
mario oliveira

Gerson Carneiro

E não se enganem. Se o Padilha, na sombra do Lula, for eleito Governador de São Paulo, fará igualzinho (no sentido de abraçar a mídia e dar uma banana para a militância e blogueiros progressistas).

    Luís Carlos

    Você tem razão. A assessoria de imprensa dele parece adorar a Globo. Às vezes parece mesmo que alguns assessores de imprensa sonham, no dia que saírem dessas assessorais, trabalharem na Globo, Veja, Folha, etc.

Narr

Haddad não entendeu que “é a eleição para presidente, idiota!”.
A pauta do noticiário sobre a capital paulista é “como eleger petista no Brasil significa manter a corrupção”.

Silas

Concordo em partes, quanto a aproveitar um erro do Russomano e explorar, é competência. Os corredores de ônibus também esta correto, corredor tem que estar vazio. A tarifa no inicio das manifestações todos da imprensa concordavam que o prefeito não deveria reduzir a tarifa, até porque não existe tarifa zero.

Rodrigo Leme

Pro Haddad desagradar esquerda e direita algoe stá fazendo certo. Se bater mais pesado nas empresas de ônibus e encarar de frente os corruptos de dentro é de fora do seu ninho (além dos Tatto da vida) já da pra matar saudades da administração Erundina. Se fizer isso, voto nele daqui a 3 anos.

    Júlio De Bem

    E se ele não fizer, votas em quem?

    Rodrigo Leme

    A repetir o cenário da ultima eleição, no Giannazi. Apesar que meu favorito mesmo nos alternativos é o Ivan Valente.

    Marcilio Serrano

    Julio,

    O Rodrigo não assume que é eleitor de Serra e ex-Kassab, já velho conhecido com o seus comentários previsíveis e risíveis. Tem vergonha de dizer que é de direita.

    Altemar

    “Tem vergonha de dizer que é de direita”

    mas continua lindão do papai. Zoiudo.

    Rodrigo Leme

    Hahahahahaha, você pensa o que vc quiser, amigas. Concordo que com tuas limitações, se não for preto ou branco fica difícil pra vc raciocinar e debater. Então vou deixar vc pensar o que quiser.

Vanilton Alves

Sorrateira, mesquinha e tenebrosa. Assim tem sido a mídia conservadora do Brasil, tendo à frente a Folha, a rede Globo e a Veja. Tentam a todo custo tirar do foco Serra e Kassab para envolver em suas ‘sutilezas’ o prefeito Hadaad, sendo que este está apurando o caso que vem lá do Serra, Kassab e companhia. Perplexo, mas ciente a cada dia que essa mídia pervertida é extremamente nociva ao desenvolvimento do País. Viva a liberdade de expressão! Viva a internet, que põe tudo às claras, independentemente da vontade de uns poucos que querem esculhambar o nosso Brasil.

Gerson Carneiro

O PT e a sina de ser o sapo na fábula do escorpião.

Tenho dito isso desde quando a Presidenta Dilma, em um gesto de gratidão à militância e à blogosfera progressista, foi tomar champagne com o Otavinho Frias, um mês após ser eleita.

Quem dorme com porcos come farelo.

    renato

    Não adianta nós ficarmos detonando o PIG, e toda a turma da pocilga, se os nossos porcos vão lá conversar.
    Não tem conversa, estamos numa democracia e atendemos a que nós agrada.
    No resto são ações sociais, se eles precisarem de um SUS ou Bolsa família.
    Me indignei.
    MAS…continuo votando na DILMA e no PT, ou em quem o LULA pedir para votar.E não mudo..

foo

Eu perguntei outro dia, e volto a questionar:

Por acaso algum blogueiro — Nassif, Paulo Henrique Amorim, Rodrigo Vianna — procurou o prefeito para ouvir e divulgar sua versão dos fatos?

Nós sabemos que a Folha fez isso, e obteve resposta. E os blogueiros? Você, Rodrigo?

Não estou desmerecendo o seu trabalho, mas apontando um problema.

Meta-jornalismo é bom, opinião é legal, mas às vezes é preciso fazer jornalismo de verdade. Se os blogs não fizerem, ficaremos sempre na dependência da Folha e do Estadão.

Afinal, esperar que o prefeito venha até os blogs é um pouco de arrogância.

    Gerson Carneiro

    Se o Haddad quiser poder ler esse post e repensar as atitudes.
    Por que ele (e demais) sempre procuram o berço dos seus detratores?
    Outro dia foi o José Dirceu dando exclusiva para a Folha.
    Haddad é grandinho, não precisa ninguém trocar suas fraldas.

    Zanchetta

    O Lula é quem troca as fraldas dele…

    maria meneses

    E ficarmos contra ele é tudo o que o pig receberia de bandeja como um presente

    Sérgio

    Concordo plenamente. Infelizmente a nossa ‘grande’ mídia é necessária, mesmo empurrando esse escândalo do Kassab no Haddad… E desculpe, achei muito estranha essa matéria dizendo que Haddad é assim ou assado por conta de um julgamento de terceiro… “Olha, segundo o fulano que conviveu com Beltrano, ele era dessa forma…” Podíamos por exemplo entrevistar coleguinhas da faculdade do Sarney pra saber como ele é (o problema seria achar colegas de faculdade do Serra…). Ora, a mídia sequestra, chantageia e julga com marreta qualquer um que tenha um cunho trabalhista no currículo. O próprio já havia sofrido com o ENEM (que é todo ‘errado’ desde os primórdios. Agora, quer dizer que o Kassab não sabia e nem conhecia, enquanto o recém prefeito deveria saber? E se ele responde, a mídia vai deturpar. Se fica calado, a mídia joga holofote. Um prefeito trabalhista em São Paulo não tem a menor chance contra os barões neocoloniais… Ele está no ninho dos corvos.

    francisco.latorre

    pois.

    ..

    Geysa Guimarães

    Suas considerações merecem aplausos, foo.

Mardones

k k k k k k k k.

Não fosse do PT, eu até estranharia a atitude do Haddad frente à mídia. MAs ele não fez nada diferente do que fez Lula e Dilma segue fazendo no plano federal.

O PT – dominado pelos paulistas – no campo das comunicações, é igual a qualquer outro partido.

Deixe seu comentário

Leia também

Política

Berenice Bento: Carta aos que não sepultei

Não sairemos iguais após o horror em Gaza

Política

Paulo Nogueira Batista Jr: Os desafios da esquerda

Emprego, renda, injustiça social, imigração

Política

Jeferson Miola: Impunidades diplomáticas

Simas Magalhães, Eduardo Saboia, Ernesto Araújo…