VIOMUNDO

Diário da Resistência


Rejeição de Bolsonaro vai a 61% e ele perderia de Lula e Ciro no segundo turno
Política

Rejeição de Bolsonaro vai a 61% e ele perderia de Lula e Ciro no segundo turno


17/08/2021 - 19h53

Da Redação

A terceira via de empresários que lançaram o nem-nem em artigo no diário direitista paulistano Estadão precisa comer feijão para ter chance em 2022, aponta pesquisa dos ricaços.

Os milionários Horácio Lafer Piva, Pedro Passos e Pedro Wongtschowsk, autores do artigo, querem um candidato diferente para enfrentar Jair Bolsonaro, mas o ex-presidente Lula aparece com 51% a 32% na simulação de segundo turno contra Bolsonaro, em pesquisa patrocinada pela XP.

Lula subiu dois pontos e Bolsonaro caiu três na série histórica.

Lula tem 15 pontos de vantagem sobre Sergio Moro, 18% sobre Ciro Gomes e 44% sobre o tucano Eduardo Leite, em outras simulações de segundo turno.

O quadro piorou para o presidente da República, que hoje perderia para Ciro Gomes por 12 pontos e agora aparece tecnicamente empatado com Moro (30% a 36%), o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (34% a 38%), o governador paulista João Doria (35% a 37%) e o mandatário gaúcho Eduardo Leite (33% a 35%).

A rejeição a Jair Bolsonaro atingiu 61%, mas a de Lula é de 45%, com 38% dizendo que certamente votarão no ex-presidente.

Comparando com o mês de julho, Bolsonaro tem 20% de bom (menos 1), 23% de regular (menos 2) e 54% de ruim e péssimo (mais dois). 63% desaprovam o jeito do presidente da República de governar.

Somando os que certamente votarão em Lula (38%) com os 20% de apoio firme ainda mantido por Bolsonaro, em tese há votos para uma terceira via.

Porém, desde que o STF anulou os processos contra o ex-presidente ele segue ganhando força eleitoral em todos os cenários.

Em simulação de primeiro turno, também em viés de alta, Lula tem 40% contra 24% de Bolsonaro, 10% de Ciro Gomes, 9% de Moro e 8% da soma dos outros candidatos.

A margem de erro é de 3,2 pontos para mais ou para menos.





8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

abelardo

18 de agosto de 2021 às 20h31

Imagino que o núcleo golpista do desgoverno e da incompetência já deve estar tramando qual será o tipo de internação hospitalar que receitarão para para o desmitificado e suposto fraudador de documentos. Avalio que não hesitarão em escolher um tipo de enfermidade que deixará o incompetente interprete supostamente desfigurado, prostrado e combalido, com o intuito único de enganar e fazer com que a sua interpretação comova e faça o público alvo ser cumplice da sua infame teatralização. Porém, ainda assim e com tudo isso sofrerão uma humilhante derrota nas urnas.

Responder

Marco Vitis

18 de agosto de 2021 às 19h29

Faltam 14 meses pra eleição e desmorona a Farsa da Polarização Lula-Bolsonaro. Creio que Bolsonaro NÃO estará no segundo turno. Mas é muito cedo pra qualquer prognóstico

Responder

Darcy Brasil

18 de agosto de 2021 às 16h56

A chamada “terceira via” é apenas uma hipótese, que jamais se converterá em uma realidade caso todos os nomes citados para representá-la concorram no 1° turno de forma independente. Na minha opinião, a única candidatura capaz de derrotar Bolsonaro, no 1° turno, passando ao 2° turno para travar uma disputa acirrada contra Lula, no 2° turno, é a de Ciro Gomes, porque é o único nome que consegue ser aceito por um eleitor de esquerda e outro de direita que não querem ver nem Bolsonaro reeleito nem Lula eleito (esses eleitores existem e não são poucos). Qualquer outro nome não conseguiria derrotar Bolsonaro NO PRIMEIRO TURNO, por não conseguir atrair os votos desses eleitores que se consideram de esquerda e que desejariam poder votar em uma alternativa a Lula com chances de vitória. Dória, Mandeta, por exemplo, não seriam aceitos por esses eleitores de esquerda, não identificados com o PT e com Lula, como alternativa a Lula, ou seja, esses eleitores, sem uma alternativa progressista, votariam em Lula contra ambos; apenas votariam em Doria ou em Mandeta contra Bolsonaro e somente no 2° turno, sem ter outra alternativa). Assim, o único nome dos relacionados como candidatos da “terceira via” capaz de derrotar Bolsonaro NO 1° TURNO, indo disputar o segundo turno com Lula, é Ciro Gomes (desde que fosse candidato único da “terceira via”), porque consegue atrair eleitores que se identificam com a esquerda dispostos a votar nele já no primeiro turno, o que é necessário para derrotar Bolsonaro no 1° turno. Observações: 1) Não é possível, com base nas atuais pesquisas, distantes mais de um ano das eleições, afirmar que as chances de uma candidatura alternativa a Lula e Bolsonaro são muito pequenas. Isso é uma forma de “negacionismo”, nesse caso, da Ciência Política. Se partidos como o PDSB, o Cidadania, o PSB (quem conta com o apoio desse partido a Lula como certo pode quebrar a cara), o Solidariedade, PV, Rede, entre outros, escolherem apoiar Ciro Gomes, convencidos de que somente o ex-governador cearense poderá derrotar Bolsonaro, no 1° turno, e Lula, no 2° turno, as pesquisas realizadas a partir de então tenderão a confirmar as chances dessa “terceira via” específica, que nenhuma outra “terceira via” teria. 2) Não estou declarando voto em Ciro, como alguns incautos podem interpretar, tentei apenas fazer uma análise com base no quadro político que vislumbro, buscando ser racional. Não sou petista, nem lulista, nem cirista. Os fulanos da política não me empolgam. Discordo da tese de que os povos necessitam de grandes líderes. Isso é uma mistificação. Os trabalhadores e o povo precisam muito mais decisivamente de muitos líderes , de milhares de inteletuais orgânicos saídos do próprio povo, do proletariado, que os representem e os conclamem para a luta comum, e de uma organização que os reúna, lutando cotidianamente em defesa de seus direitos econômicos, sociais e políticos, educando-os politicamente cada vez mais através dessas lutas tendo em vista substituir a democracia burguesa por uma democracia socialista. Esse é o “Príncipe” contemporâneo para Gramsci e para mim. Outra coisa: não confundo a luta institucional com a não-institucional. Espero muito pouca coisa da primeira (os reformistas esperam dela extraordinárias mudanças, e disto fazem as ilusões que mercadejam); da segunda, aquela que é protagonizada pelos trabalhadores e o povo guiados pelos seus intelectuais orgânicos, espero uma Revolução. Minhas escolhas relacionadas à primeira forma de luta, à luta institucional, procuram levar em conta suas limitações e seus efeitos nas condições para o desenvolvimento da luta não institucional. Por isso, considerei um erro gravíssimo a tática do PT que preferiu impedir Ciro de vencer a apoiá-lo para derrotar Bolsonaro. A luta não institucional estaria sendo travada desde 2019 em condições bem melhores se Ciro tivesse sido eleito em lugar de Bolsonaro. Milhares de vidas teriam sido salvas. Milhões de empregos, preservados, etc. O PT teria a chance de se reorganizar, retomando o trabalho de base, acumulando forças, se reencontrando com as suas origens, com a luta não institucional que ele passou a negligenciar. 3) Uma eventual disputa entre Lula e Ciro NO 2° TURNO seria provavelmente tão acirrada como a que foi travada por Dilma contra Aécio em 2014. Seria o primeiro debate em alto nível, focado em um programa nacional de desenvolvimento jamais travado em qualquer outra eleição.

Responder

Lacir Mendes

18 de agosto de 2021 às 13h16

Uns poderão mostrar no horário eleitoral que mataram 600 mil e outros mostrarao que desempregaram 4,5 milhões de trabalhadores.
Não ganham de jeito nenhum.
Esses empresários querem que só eles possam comprar uma BMW 0 km.
Só eles viagem de avião, só eles tenham as coisas. Desse jeito o capitalismo não é muito diferente do comunismo. Segrega bastante e deixa a maioria do povo na miséria total.
Começaram baixando o salário do andar de baixo, depois baixaram o salário do andar de cima.

Responder

Alaor Vicent

18 de agosto de 2021 às 13h04

Pelo jeito a moto não deu certo.
Só na cabeça desses generais isso daria certo.
O povo não aguenta nem mais ver a cara desses generais na tv.
Fica claro que a política de saúde atual é coisa de gen. tb.
Os generais não deixam os civis do povo que não são parentes de milicos se tratar de covid nos hospitais das ffaa.

Responder

Zé Maria

17 de agosto de 2021 às 21h52

Importante:
Lula também continua registrando crescimento no levantamento “Espontâneo”,
quando o nome dos candidatos não é apresentado ao entrevistado:
ele passou de 25% para 28%, enquanto Bolsonaro segue estável com 22%.

https://www.redebrasilatual.com.br/politica/2021/08/pesquisa-xp-ipespe-bolsonaro-rejeicao-lula-vantagem/

Responder

Zé Maria

17 de agosto de 2021 às 21h44

íííí … o Ciro Gomes tá chegando.
A Mídia Neoliberal, de Mercado,
terá de procurar a “Quarta Via”.

Responder

    Sidnei

    18 de agosto de 2021 às 20h38

    Exatamente!
    Ciro às vezes tenta se fazer de 3ª via, mas evidentemente ele não é 3ª via para esses caras que dizem querer a 3ª via.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding