VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Incentivados por Trump, manifestantes invadem Congresso e suspendem sessão que confirmaria vitória de Biden; fotos e vídeos
Reprodução
Política

Incentivados por Trump, manifestantes invadem Congresso e suspendem sessão que confirmaria vitória de Biden; fotos e vídeos


06/01/2021 - 17h11

Da Redação

No dia da certificação dos resultados eleitorais do último dia 3 de novembro nos Estados Unidos pelo Congresso, manifestantes convocados por Donald Trump quebraram janelas da sede do parlamento e invadiram o recinto, levando a polícia a atirar gás lacrimogêneo dentro da rotunda do prédio.

A polícia distribuiu máscaras de gás para alguns parlamentares.

Na porta do recinto em que eles estavam reunidos, houve impasse entre homens armados dos dois lados.

Imagens da invasão do Congresso

Em sessão conjunta, Câmara e Senado deveriam certificar os resultados que já foram confirmados pelos estados.

Mais de 60 ações na Justiça movidas pela campanha de Trump não frutificaram por falta de provas.

Porém, em manobra organizada por Trump com um grupo de senadores e deputados republicanos, duplas de parlamentares contestaram o resultado da eleição em vários estados.

A existência da constestação suspende a sessão para debate do mérito.

Com a contestação prevista para vários estados, não há previsão de quando a sessão vai acabar.

Ela estava sendo presidida pelo vice-presidente Mike Pence, presidente do Senado, que foi retirado do Congresso pelo Serviço Secreto.

Foi Donald Trump quem convocou a manifestação de seus partidários hoje nas ruas de Washington. O presidente dos Estados Unidos chegou a sugerir que se juntaria aos manifestantes, em breve discurso que fez no parque adjacente à Casa Branca.

Na fala, ele convocou os manifestantes a marcharem até o Congresso.

Milhares de pessoas fizeram isso, derrubaram barreiras policiais e chegaram ao acesso principal do Capitólio.

Neste momento, elas controlam escadarias do Congresso.

Alguns estão vestidos com fardas militares.

O presidente Donald Trump defende que as eleições não sejam certificadas pelo parlamento, onde os republicanos tem maioria no Senado e minoria na Câmara.

O prefeito de Washington decretou toque de recolher a partir das 18 horas, horário local.

Com os resultados das eleições de duas vagas para o Senado na Geórgia, em votação realizada ontem, o Partido Democrata está prestes a chegar a 50 cadeiras, o que garantiria maioria com o voto da presidente da casa, a vice-presidente Kamala Harris.

Na apuração, os candidatos democratas estão na frente por pequena margem na Geórgia, o que levou republicanos a repetir as acusações de que houve fraude.

A defesa do Parlamento dos Estados Unidos cabe à Polícia do Capitólio.

Homens apontam armas para o lado de fora do plenário da Câmara dos EUA

Manifestantes pró-Trump dentro do Congresso; alguns usam roupas militares




6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Guanabara

07 de janeiro de 2021 às 10h11

Imaginem o que deverá acontecer aqui, daqui a 2 anos… (se deixarem ter eleições!).

Responder

Délcio

07 de janeiro de 2021 às 00h41

Resumindo o dia de hj: se o PT ganhar em 2022 viram a mesa aqui.
Com o PT de Lula principalmente e de Dilma PELO MENOS tínhamos emprego.
Realmente brasileiro é um otário.
Cadê o FDP do Aécio ?
Não foi preso e nunca será preso nesse país.
Aécio e Moro são os responsáveis pelo Brasil tá na lona. Desempregados agradeçam ao Moro e ao Aécio pelo seu desemprego. Os culpados são eles principalmente.

Responder

Henrique Martins

06 de janeiro de 2021 às 23h50

A providência divina é poderosa.
Os EUA apóiam invasões de parlamentos em outras nações e as consideram democráticas quando os resultados eleitorais contrariam seus interesses. Portanto, estão apenas provando do próprio veneno. Bem feito sim…..

Responder

Henrique Martins

06 de janeiro de 2021 às 21h17

O que está acontecendo nos EUA mostra que candidatos que usam de fake news para lavar a mente dos cidadãos não podem assumir mandatos.
As fake news são uma forma moderna de fraude eleitoral.
O mundo tem que fazer alguma coisa para eliminar essa peste, senão o regime democrático vai para o ralo, pois sempre vão prevalecer as ditaduras fake news apoiadas por cidadãos de mente lavada por Olavos de Carvalhos. Neste sistema eleitoral moderno quem consegue ser mais canalha ganha as eleições.

Responder

Henrique Martins

06 de janeiro de 2021 às 20h34

Depois deste escândalo resta saber se os americanos vão continuar tendo a cara de pau de apoiar golpistas na América Latina que contestam e não reconhecem os resultados eleitorais.
O que está acontecendo com eles é a lei do retorno.
Eles vivem fazendo isso por aqui.

Responder

Henrique Martins

06 de janeiro de 2021 às 18h05

O que está acontecendo no EUA é lamentável. Mais uma coisa é certa: Trump está jogando lama em toda a extrema direita mundial. Desculpem-me a sinceridade, mais isso para mim é refresco.
Nao vai acontecer. Mais se, eventualmente, ele conseguisse cavar uma guerra civil por lá o mundo teria paz enquanto eles se engalfinhassem. Pronto. Falei.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding