VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Paulo Pimenta: A estratégia criminosa de Bolsonaro de chantagear as instituições e o dueto ensaiado com Mourão
Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil
Política

Paulo Pimenta: A estratégia criminosa de Bolsonaro de chantagear as instituições e o dueto ensaiado com Mourão


04/06/2020 - 23h27

A estratégia da chantagem

por Paulo Pimenta*

Ante uma sociedade vulnerável, com baixa capacidade de reação à desfaçatez e ao arbítrio, o governo de liquidação nacional de Jair Bolsonaro estabeleceu uma estratégia criminosa de chantagear as instituições e as entidades civis com alguma audiência, operando movimentos de avanços e recuos medidos de modo a ampliar, ainda que sejam alguns centímetros, o espaço já conquistado.

Essa é uma leitura possível da tática de “um fato político por dia” e um evento de maior impacto no domingo, capaz de sintetizar as operações da semana.

Produzir uma nova provocação para assegurar a iniciativa da pauta discutida pela sociedade e fazer valer uma antiga máxima da linguagem militar aplicada aos ambientes digitais contemporâneos: “mantenha a ofensiva sempre que possível, para obrigar o inimigo a se mover como você deseja”.

Ensaiar bem o dueto

Uma declaração provocativa contra as instituições emitida por Bolsonaro, seguida de uma fala apaziguadora de Mourão, quase sempre deixando escapar a garra sob a luva… para que não se perca o sentido de “autoridade” e, assim, manter a democracia sob uma certa tutela do estamento militar.

A sociedade brasileira está submetida a uma dupla calamidade.

Às severas limitações recomendadas pela OMS para evitar o contágio da covid-19 e à conduta errática e irresponsável do Presidente da República. Um mandatário que foi capaz de demitir dois ministros da saúde em menos de um mês e mantém o ministério acéfalo, conduzido por militar interino.

Bolsonaro contribui decisivamente para converter o Brasil, hoje, no epicentro mundial da pandemia e deverá algum dia de responder por esse crime.

Sua atuação agravou os cortes nos investimentos públicos, o boicote aos governadores e prefeitos, o sucateamento do SUS, tudo isso vai abrindo espaço para a covid-19 tornar-se uma calamidade sanitária com proporções de genocídio.

O Brasil já ultrapassa a casa dos 30 mil mortos.

E a pandemia vai migrando, interiorizando, indo em direção às regiões mais pobres, para as periferias das cidades menos assistidas, as favelas, aldeias indígenas, mocambos onde as pessoas morrem em casa porque não têm chance de serem atendidas nas unidades de saúde superlotadas.

Esse quadro dantesco vai sendo naturalizado diante dos nossos olhos habituados às criminosas desigualdades sociais perpetuadas ao longo da história.

Há um evidente quadro de deterioração do governo que percebe estreitar-se sua base de apoio na sociedade e busca compensá-la com a atração de setores fisiológicos do parlamento para recompor um lastro que lhe dê estabilidade e fôlego para escapar do impeachment.

Esse movimento se conjuga com os arreganhos e ameaças de golpe proferidos por diferentes personalidades do governo e pelas milícias fascistas que vão se incorporando ao cenário do fim-de-semana de algumas cidades brasileiras, sob o olhar complacente, quando não cúmplice das Polícias Militares.

Bolsonaro constrói sua aposta na exasperação da sociedade tolhida pela pandemia e aterrorizada pelas incursões das forças policiais contra a população das favelas, como vimos no caso do assassinato do menino João Pedro, em busca de uma explosão.

Algo que justifique ampliar as medidas de força já aplicadas na guerra contra a população das periferias das cidades brasileiras.

Nesse terreno minado, as oposições se movem buscando definir uma plataforma unificadora que, ao mesmo tempo, defenda a democracia, enfrente o fascismo e recupere os direitos dos trabalhadores abolidos pelo governo neofascista.

Vidas Importam!

Fora Bolsonaro, Mourão, Seu Governo e suas Políticas!

*Paulo Pimenta é deputado federal e presidente do PT/RS

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

06 de junho de 2020 às 03h47

Se o Parlamento Brasileiro se acocorar ao Veto dos 8,6 Bilhões
destinados aos Estados e Municípios para o Combate ao COVID,
podem chamar o Cabo e o Soldado e nem precisa do Jipe.

Responder

Mateus

05 de junho de 2020 às 16h23

Soube que Jonhy Bravo – aquele do ganhei p# caiu na inauguração de um hospital de Goiânia.

Ue Jonhy, a gente ainda nem começou a molhar o bico e você já está com as pernas bambas?
Cuidado para não borrar as calças na frente de todo mundo viu… Vai ficar feio para car####.

Responder

Eduardo

05 de junho de 2020 às 12h48

Até parece que as torcidas de futebol temem os times adversários. O desafio e o amor ao time é o que motiva um torcedor.
Se torcida for pela democracia Bolsonaro está literalmente ferrado.
O tiro sempre sai pela culatra para esse infeliz.
Jonnhy Bravo é um perfeito Idiota e está cercado de gente igualmente idiota. Gente que pensa que a Terra é plana.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!