Observatório das Eleições: O que foi destaque nas redes durante o debate na Globo

Tempo de leitura: 2 min
Bolsonaro e Lula no debate da Globo, em 28-10. Crédito: Stephanie Rodrigues/G1

DEBATE NA GLOBO – O QUE FOI DESTAQUE

Equipe de Redes e Desinformação do Observatório das Eleições

A equipe realizou um monitoramento do debate entre os candidatos Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro durante o evento realizado ontem (28/10) na Rede Globo de Televisão.

A partir da ferramenta R, foram monitoradas todas as postagens que continham os termos “Bolsonaro” ou “Lula” no Twitter durante o momento do debate.

A partir dos dados, selecionamos alguns aspectos principais para observar quem, no debate, chamou mais a atenção: Lula ou Bolsonaro:

— Apesar da ênfase na pauta econômica, especialmente por parte do candidato Lula, o monitoramento mostra que os temas de maior engajamento entre os internautas foram corrupção e pandemia, em terceiro lugar, poder judiciário.

Isso parece mostrar que as pautas bolsonaristas mantêm certo domínio em relação à pauta geral, com exceção do tema da pandemia. Bolsonaro continua repetindo a mentira de que foi o responsável pelos 600 reais do Auxílio Brasil, mas, em geral, se sai mal nesse tema.

— O engajamento por candidato parece ser bem equilibrado. O que, considerando-se a tradicional hegemonia do campo bolsonarista nas mídias sociais, não deixa de ser boa notícia.

Mas não nos pareceu que houve uma clara vitória lulista em termos de engajamento. Em número de citações, a menção a Bolsonaro parece estar à frente, mas isso não quer dizer algo muito expressivo porque as citações podem ser negativas também. Por isso importância do gráfico de sentimento.

— Às 22h: Pico do engajamento em torno do debate, com número maior de referências a Lula do que a Bolsonaro nos tweets.

— O engajamento em relação aos candidatos foi bem semelhante, sendo que ao se falar em Lula, houve um leve registro de mais interações.

— Quanto aos temas, pandemia foi o que mais teve destaque, seguido de corrupção. No caso da pandemia, as menções foram sobretudo antes de o debate começar. Durante o confronto, o tema da corrupção foi o principal. Outros temas mencionados foram: educação, poder judiciário, drogas, democracia e economia.

— A vinculação ao nome de Lula impulsionou o debate sobre pandemia nas redes, ao passo que os bolsonaristas tematizaram a questão da corrupção.

— O sentimento em relação aos candidatos também foi diferente. Lula teve uma variação menor, tanto para cima (positivo, otimismo) quanto para baixo (negativo). Bolsonaro teve picos mais expressivos em relação a esses sentimentos.

— Os dois candidatos jogam de modo diferente em termos das emoções (temas positivos e negativos), o que se percebe pelo monitoramento – Bolsonaro vai aos extremos, gera tanto posts muito positivos quanto muito negativos.

Em relação a Lula, ao contrário, a situação é mais constante, não tendo nenhuma postagem extrema no campo das emoções.

*Esse monitoramento foi elaborado pela Equipe de Redes e Desinformação do projeto Observatório das Eleições 2022, uma iniciativa do Instituto da Democracia e Democratização da Comunicação. Sediado na UFMG, conta com a participação de grupos de pesquisa de várias universidades brasileiras. Para mais informações, ver: www.observatoriodaseleicoes.com.br.

Leia também:

Observatório das Eleições: O realinhamento dos campos lulista e bolsonarista no 2º turno

Atlas, Ipec, Datafolha e Quaest mostram Lula à frente de Bolsonaro e venceria neste domingo

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Zé Maria

https://divulgacandcontas.tse.jus.br/candidaturas/oficial/2022/BR/BR/544/candidatos/893498/5_1659820284477.pdf

COLIGAÇÃO BRASIL DA ESPERANÇA 13

“PROGRAMA DE RECONSTRUÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DO BRASIL”

Como ponto de partida para um amplo debate nacional, apresentamos as diretrizes para a construção coletiva
do nosso Programa de Reconstrução e Transformação do Brasil.

Este documento foi organizado a partir de subsídios e contribuições
das forças democráticas e progressistas que compõem a
Coligação Brasil da Esperança, formada por PT, PSB, PCdoB, PV, PSOL,
REDE, SOLIDARIEDADE, AVANTE e AGIR.

O sentido dessa união não é de apenas trabalhar pela vitória eleitoral,
mas, sobretudo, por um projeto que reconstrua o país no presente
e o transforme para o futuro.
Nosso horizonte é a criação de um projeto justo, solidário, sustentável,
soberano e criativo para um Brasil que seja de todos os brasileiros e
brasileiras.

Neste momento histórico decisivo, conclamamos todas as forças sociais, políticas e econômicas comprometidas com a democracia,
com a soberania e com o desenvolvimento a somarmos esforços
para reconstruir e transformar o Brasil, resgatando as forças,
o otimismo, a criatividade e a esperança do povo brasileiro.

DIRETRIZES DO GOVERNO LULA/ALCKMIN (2023-2026)

Íntegra:

https://divulgacandcontas.tse.jus.br/candidaturas/oficial/2022/BR/BR/544/candidatos/280001607829/pje-3b1196fd-Proposta%20de%20governo.pdf

Documento Registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

.

Deixe seu comentário

Leia também