VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

O Rage Against the Machine e o MST


11/10/2010 - 16h43



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


50 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

marcelo

13 de outubro de 2010 às 15h21

o multishow nao mostrava por nada o baterista, o bumbo tem uma estrela vermelha estampada, assistam à transmissão do canal e reparem.

Responder

    Metheoro

    14 de outubro de 2010 às 09h48

    mas nem adiantava… TINHA UMA ESTRELA ENORME no fundo. HAHHAHAHAHAHAHAHAHA

Marcelo

13 de outubro de 2010 às 12h32

No final o público grita repetidas vezes MST! Oucam com cuidado quando acaba a música.

Responder

Rodrigo_Galhano

13 de outubro de 2010 às 11h29

A hipocrisia do RATM é de doer. Eles nunca fizeram um show aqui na América Latina. Deve ser porque o cachê deles é muito alto para os padrões daqui. Aí, quando vem, eles pegam e "jogam pra torcida".

Responder

    Roberto Locatelli

    13 de outubro de 2010 às 15h34

    Será que o problema é o cachê? Ou será que os empresários brasileiros que trazem shows pra cá não querem trazê-los por eles terem certas opiniões políticas?

    Maxwell B. Medeiros

    14 de outubro de 2010 às 08h14

    Nos E.U.A a grande mídia também não gosta do Rage Against The Machine por conta da posição política e ideológica deles. Algumas verdades doem, e muito.

    Blabla

    14 de outubro de 2010 às 09h11

    Concordo Rodrigo,

    Essa banda de vermelhinhos vive falando mal do capitalismo, no entanto, depois dos shows eles estão em suas casas, desfrutando de uma piscina e tomando um Coca-Cola…hahahahaha

    Jota

    17 de julho de 2013 às 21h53

    Reacinha sempre tem uma justificativa esfarrapada né, reacinha?

    Jota

    17 de julho de 2013 às 21h56

    Demais. Nos comentários sempre tem um reacinha para arrumar sujeira onde não tem. É como dizia o Brizola com relação à Globo: é o olho de quem vê nos outros os defeitos que carrega!

Rodrigo_Galhano

13 de outubro de 2010 às 11h26

A Multishow (que é da Globo) passou. Eu vi. Talvez eles tenham cortado apenas para mostrar as partes com as músicas.

Responder

raul

12 de outubro de 2010 às 23h11

estou cansado , extremamente cansado de ver a medíocridade da imprensa brasileira. SE DIVERGEM a sí mesmos , e não tem capacidade se relacionar com opositores ao se modo pensar liberal,e por isso manipulam opiniões q não sejam de seu interesse e economico. Eaí globo ? cade a liberdade de expressão ? liberdade de express]ao só é valida pra vcs ?

Responder

DG-SP

12 de outubro de 2010 às 19h50

Sem duvida, eles ainda tem na cabeça a luta dos zapatistas no mexico mas não tem noção de como a banda toca por aqui. Eu sou fã dos caras faz muito tempo, respeito o som e as letras e estava a 5 metros do palco o show inteiro. Eu esperava mesmo era ter visto uma bandeira do Brasil de ponta cabeça no palco e ouvir o som como sendo uma revolta contra o sistema que está instalado hoje nesse país. Na minha opinião (se me reservo o direito), quem eles defenderam no palco não representa mais o povo flagelado, esquecido pelo governo que busca a todo custo um pedaço de terra para plantar, e sim uma milicia organizada que atua sob as ordens do atual governo. Inclusive existem rumores que são usados para desmatar florestas para eventuais legalização de pastos, que seria exatamente o oposto do que os organizadores do evento SWU queriam promover sobre a sustentabilidade. Espero que a Fera encontre a Maquina certa para ser contra da proxima vez, quem sabe na Argentina no fim de semana.

Responder

Francisco

12 de outubro de 2010 às 16h43

E os artistas brasileiros implorando para aparecer naquele prostibulo…

Responder

carlos s. bandeira

12 de outubro de 2010 às 15h48

No começo do bis, eles apresentaram a versão em russo de "A Internacional".

[youtube ZIrO14VVGKo&feature=player_embedded http://www.youtube.com/watch?v=ZIrO14VVGKo&feature=player_embedded youtube]

Abaixo, veja vídeo gravado por pessoas da platéia, que mostra Morello com o boné do MST pelo telão.

[youtube 32EPSU5f0wg&feature=player_embedded http://www.youtube.com/watch?v=32EPSU5f0wg&feature=player_embedded youtube]

fonte: http://www.mst.org.br/Rage-against-the-Machine-de

Responder

ValmontRS

12 de outubro de 2010 às 15h31

Rage Against the GLOBAL MIDIATRIX!

Responder

@sergiobio

12 de outubro de 2010 às 14h28

O Rage Against the Machine é petista? Por isso que o símbolo é uma estrela vermelha?

Responder

    Felipe

    13 de outubro de 2010 às 23h07

    rsrsrsr

Wildner Arcanjo

12 de outubro de 2010 às 14h19

Acho que se tornar socialista é algo que enobrece a condição humana. É não conseguir mais fechar os olhos para todos aqueles que passam fome, que não têm casa, emprego, futuro. É não conseguir compactuar mais com este sistema que, no papel, diz que todos são iguais, mas, de fato, "uns são mais iguais do que outros" (só para se usar um termo já esquecido). Neste ponto só se tem dois caminhos a tomar, fecha-se os olhos e faz-se de conta que nada disto existe ou tenta-se mudar, mesmo que um pouco, esta condição. Se bem que, se cada um fizer um pouco, um pouco de muitos é o bastante!

Não consigo fazer de conta que não existem miséria e miseráveis. Isto não deveria ser uma condição humana, que nos distingue.

Todos têm direito de buscar a felicidade (mesmo sabendo que ela não está em uma nota de R$ 100,00) mas, deve-se garantir que a oportunidade seja a mesma para todos e que a vontade de vencer, o desempenho pessoal, seja o fator determinante, desta competição que é a ascensão pessoal, profissional, Vida.

É assim que penso.

Responder

    Franciscão

    12 de outubro de 2010 às 15h34

    Saúde Arcanjo!

Carlos

12 de outubro de 2010 às 14h05

O que Marina falou de Serra após debate na Globo:
– Ele vai perder perdendo, o Serra. Ele tinha toda essa imagem de uma pessoa que prima pela gestão pública, pela eficiência, e descambou para o caminho do vale-tudo eleitoral – disse Marina, na saída dos estúdios da TV Globo em Jacarepaguá, no Rio.
– Ele não tem programa, subestimou a Dilma, se preparou para ficar fazendo só o embate como se ele fosse falar e o mundo fosse estremecer. Quando não deu certo, começou a fazer um festival de promessas – afirmou.
– Criticava o inchaço da máquina pública e sai da campanha prometendo dois ministérios, isenção de impostos para tudo quanto é lado… eu não sei como é que isso se realiza. Então vai perder perdendo – prevê.

Fonte: http://correiodobrasil.com.br/marina-resume-situa

Responder

Carlos

12 de outubro de 2010 às 13h54

Serra é favoravél a aumentar a idade mínima para aposentadorias dos servidores públicos, que atualmente é de 60 anos para os homes. Vai para quanto? 65 anos? 70 anos? Fonte: http://oglobo.globo.com/pais/eleicoes2010/mat/201

Responder

Tiago Tobias

12 de outubro de 2010 às 04h48

Eu estava lá e foi bonito. Tocaram também o hino da Internacional Comunista.

Responder

carlos s. bandeira

12 de outubro de 2010 às 00h24

Gente de direita adora apontar o dedo pros outros e dizer que são hipócritas.
ser socialista não significa ser franciscano.
fidel era de uma família de posses, e a primeira atitude que teve foi desapropriar a família.
a família dele fugiu para Miami.
ser socialista é acreditar que podemos organizar a sociedade em outras base, dentro de um modelo econômica que garanta melhores condições de vida a toda a população.
ser socialista não é dar aquilo que tem.

Responder

julio

12 de outubro de 2010 às 00h07

O MST que destroi arvores plantaçoes destori a natureza por pirraça contra os latifundios que msieria de espitiro movimento mediocre e barato sem ideal de preservaçao o sistema não é dono do pe´de laranja não destrua algo mesmo em terra alheia MST fora do Brasil

Responder

    CARLOS ZÜRCK CRUZ

    12 de outubro de 2010 às 00h55

    … como a "revolta da chibata" (particularmente espero que não), daqui a cem anos nossos tataranetos vão estudar esse movimento como o acontecimento político mais importante do início do século XXI… é pena que o júlio não dure até lá!

    Franciscão

    12 de outubro de 2010 às 15h38

    Que pena que nada… ainda bem!

    carlos s. bandeira

    12 de outubro de 2010 às 15h23

    O MST destrói a produção de empresas que desrespeitam a lei e impedem o seu cumprimento no sentido da realização da reforma agrária. A questão central da destruição dos 500 pés de laranja de Cutrale (0,1% do total ali) era denunciar que a MAIOR empresa do suco de laranja do MUNDO utiliza terras GRILADAS. Quem é bandido nessa história?

ruypenalva

12 de outubro de 2010 às 00h03

Rage Against The Serra

Responder

@alesilveira

11 de outubro de 2010 às 23h31

Foi o melhor show do ano no Brasil, não tenho dúvida. O pior foi a censura ao final da transmissão pelo Multishow.

Responder

zepgalo

11 de outubro de 2010 às 21h45

Rage against the Machine é demais!

Se alguém tivesse contado a história da Dilma pro Zack de la Rocha ou pro Tom Morello, tenho certeza que eles tinham dedicado outra música para ela.

Responder

    Klaus

    12 de outubro de 2010 às 13h49

    Ou para os filhos da Erenice.

    ZePovinho

    12 de outubro de 2010 às 14h19

    Deixa de quizila com Erenice,mulher!!!!!!

Rui

11 de outubro de 2010 às 21h39

Algum fã da banda já informou os integrantes sobre o fato. Eles podiam fazer um protesto contra a Globo. Americano não costuma deixar essas coisas saírem barato, não.

Responder

Klaus

11 de outubro de 2010 às 21h37

Nada como ser americano ( ou estadunidense ) , aproveitar tudo que o capitalismo tem de bom e dar uma de roqueiro esquerdista revoltado. Faz parte do show, o rock é assim. Se tiverem a oportunidade, perguntem ao Tom Morello se quando sua outra banda, o Audioslave, fez show em Cuba ele colocou algum boné protestando qualquer coisa contra o regime cubano. Ou é hipócrita ou faltou "cujones". Já passei da idade de me deslumbrar com rebeldia empacotada. Vendem isto em qualquer shopping aqui ou nos usamerika. Para que não conhece a banda, vai uma amostra:
http://www.youtube.com/watch?v=fkuOAY-S6OY

Responder

    desinformacaonao

    11 de outubro de 2010 às 23h26

    Opa, olha só. Posso até estar enganado, mas até onde eu sei eles são a favor e apoiadores do regime socialista cubano. Da mesma forma que, quando souberam que haveria uma área VIP no SWU, eles exigiram a doação de uma quantidade de ingressos que eles dariam de graça. Não sei quantos foram ao certo.

    Zeca

    12 de outubro de 2010 às 01h00

    A cota de ingressos da banda foi doada ao MST, que pode participar da tal festa da sustentabilidade. O pessoal do todynho teve de aguentar ao seu lado o pessoal do movimento que de fato quer modificar o uso podre que se faz da terra neste país. Graças ao RATM.

    Aliás, para aqueles que falam sem saber, o guitarrista é formado em Política, com louvores, pela Harvard. Tanto a mãe dele como o pai são pessoas engajadas politicamente. Seu pai, por exemplo, lutou no Exército de Guerrilha de Mau Mau, que libertou o Quênia dos britânicos.

    O RATM talvez seja a única banda do mainstream americano que não confunde política com partidarismo. Pode-se não gostar do som da banda. Mas classificá-los como rebeldia empacotada não faz sentido.

    Klaus

    12 de outubro de 2010 às 16h32

    Eu adoro o Rage!

    guto santiago

    16 de outubro de 2010 às 04h14

    ta coberto de razão zeca eh isso mesmo ratm resistencia ao poder

    ZePovinho

    12 de outubro de 2010 às 14h22

    O Patrictic Act censura qualquer um que diga,em público,que o 11 de stembro foi uma farsa.ATé hoje os EUA caçam o dissidente americano Kurt Sonnenfeld que fez dezenas de vídeos(trabalhava na FEMA) destroçando a versão oficial do 11 de setembro.Esse papinho de que os EUa são A democracia o Cuba uma ditadura não cola mais,mulher!!

    Klaus

    12 de outubro de 2010 às 16h35

    O Rage pode mandar o obama praquele lugar. Em Cuba, bem, não existe um Rage por lá.

    raquel

    13 de outubro de 2010 às 09h24

    Com certeza!

    RATM é tão batido e comercial qnt camiseta com a foto do Che Guevara.

King Childerico

11 de outubro de 2010 às 20h27

Aqui no Brasil tiveram de enfrentar a verdadeira Máquina do Mal

A Globo cada vez se desgasta mais

Responder

Noiram

11 de outubro de 2010 às 20h04

Tom Morello, guitarrista da banda de rock estadunidense Rage Against the Machine, colocou um boné do MST o que provocou a censura da transmissão ao vivo do show da banda no Festival SWU, pela TV Globo.
Ou seja, proíbem a liberdade de expressão de um artista e o Hugo Chavez que é o ditador.

Aqui aparece uma foto de Morello com o boné. http://www.youtube.com/watch?v=sjO8KDwxWVk

Rage Against the Machine (também conhecidos como Rage ou RATM) é uma banda de rock norte-americana, uma das mais influentes e polêmicas do cenário musical mundial.

Suas letras enérgicas e politizadas dão vazão à música de protesto, transmitindo a luta pela causa política, contra a censura, a favor da liberdade e em prol dos menos afortunados.

Responder

Noiram

11 de outubro de 2010 às 20h02

Tom Morello, guitarrista da banda de rock estadunidense Rage Against the Machine, colocou um boné do MST o que provocou a censura da transmissão ao vivo do show da banda no Festival SWU, pela TV Globo.
Ou seja, proíbem a liberdade de expressão de um artista e o Hugo Chavez que é o ditador.
http://www.youtube.com/watch?v=sjO8KDwxWVk

Rage Against the Machine (também conhecidos como Rage ou RATM) é uma banda de rock norte-americana, uma das mais influentes e polêmicas do cenário musical mundial.

Suas letras enérgicas e politizadas dão vazão à música de protesto, transmitindo a luta pela causa política, contra a censura, a favor da liberdade e em prol dos menos afortunados.

Responder

Marco

11 de outubro de 2010 às 19h34

A Globo encerrou abruptamente a transmissão quando o Tom Morello colocou o boné da MST. O próprio Morello destacou isso em seu twitter, segundo ele "isso significa que estamos vencendo"…………

Responder

Edu Mendonça

11 de outubro de 2010 às 18h14

Banda única. Em seu site oficial, incitou os fãs a não respeitarem o espaço vip. Na verdade, chiaram muito quando souberam da existência de um. Pena que são poucos que usam o poder que têm na música.

Responder

    Mari

    13 de outubro de 2010 às 18h31

    Também sou contra esse negócio de área VIP! Nada a ver! Mas, vcs sabiam que em uma entrevista (isso eu vi)perguntaram ao Rage porque são contra área VIP e mesmo assim, viajarem de avião na PRIMEIRA classe! Eles riram, enrolaram e disseram que algumas coisas eles não abrem mão!! PARADOXO, não? Tem mais uma coisa: só porque uma banda estrangeira coloca um boné de algum movimento, não quer dizer que esse movimento é legal! Particularmente, acho esse MST um bando de cretinos que, por serem amigos do rei cometem crimes que ficam por isso mesmo. Mas opinião é que nem bunda, cada um tem a sua, não é verdade? É só respeitar um ao outro! Um grande abraço e viva a diversidade de opiniões!!

Claudio

11 de outubro de 2010 às 17h27

Não só não falou como censurou parte do show:
http://entretenimento.r7.com/musica/noticias/rage

Responder

Flavia

11 de outubro de 2010 às 17h16

Segundo um conhecido meu, a Globo (com o perdão da má palavra) cortou essa parte durante a transmissão do show.

Responder

aurica_sp

11 de outubro de 2010 às 17h06

Eu vi ouvi e adorei….

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!