VIOMUNDO

Diário da Resistência


Miguel do Rosário: A infantaria mais agressiva de Carlos Lacerda
Política

Miguel do Rosário: A infantaria mais agressiva de Carlos Lacerda


06/02/2013 - 12h09

Lacerda, hoje, se daria bem melhor

Os novos desafios da luta política

04/02/2013

por Miguel do Rosário, no Cafezinho 

Vivesse em nosso tempo, Carlos Lacerda teria hoje muito melhores condições de ser candidato à presidência da república do que em sua época, pois hoje os meios de comunicação chegam em todos os brasileiros, não apenas em setores elitizados da classe média urbana, como nos anos 50 ou 60. Entretanto, mesmo chegando a todos, a classe média urbana continua sendo a infantaria mais agressiva de seu exército. E quando falo exército, não uso metáforas. As ameaças do neolacerdismo a seus adversários são físicas, quase militares, como estas de Noblat em sua coluna de hoje, na qual dá “conselhos” ao novo presidente do Congresso Nacional:

Nada de voar em avião de carreira — a não ser para o exterior. E sob a condição de ser o último passageiro a embarcar na primeira classe, discretamente. Assim evitará o risco de ser ofendido pelos demais passageiros da econômica. Pelo mesmo motivo, nada de frequentar shoppings. Em Maceió, talvez seja possível. CUIDADO REDOBRADO quando estiver em Brasília. Aqui todo mundo conhece todo mundo. Nem mesmo disfarçado dá para bater perna à beira do Lago Paranoá. Matricular-se em academias? Nem pensar.

Ao escrever isso, Noblat não apenas ameaça Renan, ele também incita seus leitores a agredirem o senador.

Mencionei Lacerda porque a volta triunfal de Renan Calheiros ao centro do palco, como presidente do Congresso Nacional, num gesto de inesperado desafio do PMDB à mídia, meio que forçará a oposição, ou as oposições, a adotarem o discurso moral como bandeira número um.

O “corvo” seguramente saberia usar Renan Calheiros para fazer um excelente estrago na base eleitoral governista. De qualquer forma, mesmo sem Lacerda, haverá danos. O discurso da oposição em 2014 já está escrito. Mensalão, José Dirceu, Maluf, Sarney e Renan Calheiros. Eis a cara do governo Dilma. Vote diferente. Vote Marina, Aécio, Campos.

Os votos cativos da Dilma, ainda herdados de Lula, porém, estão mais ou menos garantidos. O que estará em jogo, mais uma vez, é tentativa de jogar a eleição para o segundo turno através da divisão do eleitorado. Marina Silva pode conseguir uma boa perfomance em 2014. Eduardo Campos, que eu antes achava não fosse candidato, por causa de suas reiteradas afirmações de apoio à reeleição de Dilma, hoje é uma incógnita. E uma incógnita em vários sentidos. Para ele, talvez seja útil ser candidato, por dar oportunidade a si mesmo de alcançar projeção nacional, e melhorar o desempenho de seus candidatos proporcionais. Para Dilma, o governador de Pernambuco poderá ser um interessante interlocutor na campanha, alguém com quem fazer dobradinha nos debates para bater no PSDB, além de possivelmente roubar votos mais da oposição (Aécio e Marina) do que do PT.

O maior desafio do petismo, nesse momento, é desenvolver um discurso coerente para justificar as alianças que tem feito, ao longo dos últimos anos. A foto com Maluf lhe valeu, por exemplo, um acordo político com o PP, cujo tempo de TV com certeza ajudou na vitória de Haddad em São Paulo. Mas trouxe um prejuízo de longo prazo à imagem do PT junto à setores mais sensíveis da classe média.

Repito o gráfico que publiquei há algumas semanas, extraído do Estadão, trazendo os números mais recentes do Ibope :

Leia também:

Paulo Moreira Leite: A outra história do mensalão





30 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

paulo franco

04 de março de 2013 às 16h56

Pelo gráfico, poderíamos dizer que a estratégia da direita conservadora está funcionando conforme previsto pelo jornalista Amaury Ribeiro Jr.?

http://pafranco2005.blogspot.com.br/2012/12/a-fragilidade-da-democracia-brasileira.html

Responder

Eduardo Guimarães: Barbosa pressiona STF para publicar logo acórdão do mensalão « Viomundo – O que você não vê na mídia

01 de março de 2013 às 23h28

[…] Miguel do Rosário: A infantaria mais agressiva de Carlos Lacerda […]

Responder

Emiliano José: Com respeito aos fatos e criatividade, o Última afrontou os donos da mídia « Viomundo – O que você não vê na mídia

24 de fevereiro de 2013 às 19h56

[…] Miguel do Rosário: A infantaria mais agressiva de Carlos Lacerda […]

Responder

Marcelo de Matos

08 de fevereiro de 2013 às 10h43

Um amigo meu, socialista histórico, dizia que o PSB teria de ser “refundado”, ou seja,, resgatar suas raízes históricas. Ele era do tempo do Cid Franco, Roger Ferreira e outros tantos socialistas autênticos. Hoje, se o PSB quiser reencontrar suas raízes, terá mesmo que refundar – literalmente, cavar bem mais fundo. Digo isso porque o UOL acaba de noticiar que Eduardo Campos será candidato em 2014. Eis aí um aliado potencial dos tucanos, que poderão até emplacar o vice – Aécio, provavelmente.

Responder

    Mário SF Alves

    08 de fevereiro de 2013 às 12h03

    Fecho os olhos e vejo essa mesma observação projetada para daqui a pouco, “coisa de uns 15 anos”. O cenário, se não anularmos os linchamentos políticos da AP 470 e outras, será praticamente o mesmo. Só que em lugar de PSB teremos PSoL e, em lugar de Eduardo {uai? cadê o saudoso e inesquecível Arrais?} Campos, teremos… quem mesmo?

    Mário SF Alves

    08 de fevereiro de 2013 às 13h33

    E quer saber? É até fácil entender a cabeça do ex-ministro José Dirceu. Difícil mesmo é entender o que pensa a direita estabelecida e entranhada no Brasil, especialmente a elite Casa Grande blá, blá e blá, autora e mantenedora do sui generis capitalismo subdesenvolvimentista “nacional”; senão vejamos:
    1- Socialismo pode? Claro que não pode, iria abolir de vez toda e qualquer propriedade privada;

    2- Bom, então, quem sabe, desenvolvimentismo, com inclusão social, isso pode? Não! Também não pode;

    3- Ah! Que tal consolidarmos a Democracia e instituirmos assim e definitivamente o Estado Democrático de Direito no Brasil [e fecharmos de uma vez por todas a ameaça de outro maldito golpe]? Também não pode!

    4- Peraí. E democratizar o uso da concessão pública de rádio e TV, pode? Não! Tá maluco, isso fere o direito de imprensa, a liberdade de expressão. Imagine! Não, também não pode.
    ______________________________
    Enfim, que m#@¨@ é essa?!! Então não pode nada? Que País é esse?!! De quem é esse País que me faz perguntar que País é esse?

Jose Mario HRP

08 de fevereiro de 2013 às 08h17

Desmoralizar a Petrobras faz parte…….

http://ajusticeiradeesquerda.blogspot.com/2013/02/como-nao-levou-petrobrax-globo-ataca.html

Responder

    Mário SF Alves

    08 de fevereiro de 2013 às 12h34

    E não é de hoje. Assim como, não é de hoje o terrorismo de estado [estado de fato, claro!]. Lembra a explosão daquela bomba no colo de um militar encontrado num automóvel puma, ocorrida nas imediações do Pavilhão Riocentro, no Rio de Janeiro, na noite de 30 de abril de 1981, por volta das 21 horas, quando ali se realizava aquele show antiditadura e em comemoração do 1º de maio? Divulgou-se cerca de 20.000 pessoas presentes no show. Imagine-se o pandemônio, o desespero e o tamanho da tragédia.
    _____________________________________
    Tá lá, tudo gravadinho, e consta inclusive dos arquivos do PiG, quando PiG ainda era só um PiGuinho:

    “Documentos mostram como comandante do DOI-Codi agiu para responsabilizar esquerda”
    __________________________________
    Loucura plena! E tudo isso em nome do quê? Do ideário de sempre. Do regime elite Casa Grande… o resto você já sabe. A propósito será que o Brasil também foi usado como laboratório de experiências neoliberais à época? O Chile, segundo consta, sim. Mas, até o Brasil? Petrobrax… afundamento da P36, plataforma de R$ 1 bilhão que afundou com 9 corpos, a 1.360m de profundidade … é… isso talvez explique.

Fabiano Araujo

07 de fevereiro de 2013 às 12h08

Há, até hoje, uma certa adimiração pela atuação de Lacerda. Porém analisemos com um pouco mais de cuidado os fatos históricos:
1)O “corvo” como o jornal “Última Hora” apelidou Lacerda, apelido persistente na eternidade, provocou uma crise política que acabou levando ao suicídio de Vargas. Entretanto, quando isto ocorreu, com medo da reação popular, exilou-se.
2)Apesar de toda campanha lacerdista, a velha UDN e seus aliados não poderam impedir que Juscelino e Jango, sustentados pelas mesmas forças políticas que apoiaram Vargas, se elegessem em 1955.
3)A UDN lacerdista conseguiu uma vitória parcial ao ajudar na eleição de Janio, em 1960, pois este não pertencia à UDN e era ambivalente em relação às forças conservadoras (lembremo-nos de sua política externa). A vitória de Janio deu no que deu: quase levou o país à guerra civil, quando da renúncia, e este ato levou ao poder Goulart juntamente com seus aliados de esquerda, o que provocou a reação da direita e o golpe de 1964 e, de novo, ameaça de guerra civil.
4)Lacerda, aprendiz de feiticeiro, pois foi cassado pelos militares e, para sobreviver políticamente se aliou com Jango e Juscelino na Frente Ampla. Como se vê, não era um grande estrategista político. Falava muito mas pensava pouco !
5)Na atualidade Marina e Eduardo Campos correm o risco de se transformarem em novos janios. Podem até se elegerem, porém terão fraca sustentação no Congresso, particularmente se tomarem posição anti-PMDB, abraçando o velho moralismo udenista. Ambos pertencem a pequenos partidos. O PSDB pode até apoiá-los, como a UDN fez com Janio, porém as contradições logo aparecerão.
6)Finalmente,as grandes massas polpulares, beneficiárias das políticas distributivas de renda empreendidas pelos governos do PT não leem Estado, Folha, Globo ou Veja (que também perderam leitores entre a classe média). Quanto a Tv Globo está perdendo audiência, ano a ano, e está se isolando. As Tvs Record e Bandeirantes não seguem a linha global. A única Tv que acompanha, fielmente, (infelizmente!) a Globo é a Tv Cultura de São Paulo que é controlado pelo PSDB de São Paulo.

Responder

Mardones

07 de fevereiro de 2013 às 09h11

Imagina se um blogueiro sujo escreve algo assim sobre os personagens da Privataria Tucana. Certamente seria condenado pela justiça por incitação a crime e coisas do gênero. Mas como quem incita é o PIG – por meio de seus capangas – então tudo é permitido.

Ali Kamel processou e ganhou em primeira instância porque o ‘sujinho’ Rodrigo Vianna fez piado pela coincidência do nome do todo-poderoso global com um ator de ‘filmes adultos’.

Viva o Brasil!!!

Responder

R Godinho

07 de fevereiro de 2013 às 08h55

Quem ganha mais de 10 salários mínimo? 5% dos eleitores? Menos? Quanto essa gente arrasta atrás de si, hoje em dia, numa eleição? Em 1989 era fácil fazer domésticas e peões votarem no candidato do patrão: havia menos desilusão com os mais ricos, menos cinismo em relação à política. Hoje o que mais se ouve é que só tem ladrão, tanto faz votar em A, B ou C, todos são ladrões, e o que importa é se o cara está fazendo alguma coisa pelos mais pobres – no caso dos pobres – ou se está só roubando.
Talvez a direita consiga levar a eleição para o 2º turno. Mas só para ter a amarga surpresa de ver nele a Dilma e o Eduardo Campos, no que pode vir a ser uma disputa de compadres – se este, o que é pouquíssimo provável, não se vender e aquela não se exasperar com o risco e desancá-lo no 1º turno.

Responder

Luís Carlos

07 de fevereiro de 2013 às 08h18

Quanto falso moralismo. Alias um moralismo absolutamente seletivo, pois os escândalos em governos do PSDB como SP, MG e PR são explícitos e nem um piu sobre isso. Por exemplo: em MG além de desvios astronômicos de recursos públicos, até assassinatos teriam havido, como também no ex governo tucano no RS. Manchetes?? Nada.
Moralismo seletivo e impunidade para quem paga as contas da grande mídia com dinheiro público.

Responder

FrancoAtirador

07 de fevereiro de 2013 às 03h01

.
.
Além dos motivos expostos, o descenso do PT é também explicável pelo fato de o governo federal haver promovido, nos últimos anos, um arrocho na remuneração dos servidores públicos federais, ferindo, inclusive, o direito de greve da categoria profissional.

Mas o reascenso do PSDB deve ser objeto de estudo mais aprofundado.

Certamente a Mídia Bandida é o fator preponderante, principalmente porque, com o decorrer do tempo, o desgoverno de Fernando Henrique Cardoso e seu séquito de tucanalhas se distancia e se descola cada vez mais da crítica das gerações mais novas.
Hoje em dia, os jovens não comparam o governo do PT com o governo do PSDB, porque não vivenciaram a desgraça que foi para as pessoas no Brasil o período dominado pelos tucanalhas.
Agora, os governos de Lula/Dilma são criticados exclusivamente por seus próprios erros, ainda que sejam infinitamente menores do que os cometidos pelos governos antecedentes. E os acertos são considerados não mais do que obrigação de governante, embora sejam muito superiores aos dos governos anteriores.

Porém, é preciso atentar para a realidade de que a maioria da população do Brasil é apartidária.
E, hoje, mais do que nunca, a classe política brasileira está totalmente desmoralizada, em grande parte em razão da campanha insidiosa e, como sempre, mal-intencionada da Mídia Bandida contra a Política propriamente dita, isto é, contra o único meio de que o Estado Democrático Constitucional dispõe para, através dos poderes da República legalmente instituídos, atuar em benefício de toda a coletividade do País.

É nesse contexto que se insere a candidatura “sem partido” da Margarina Salva os silva.
.
.

Responder

Wanderson

07 de fevereiro de 2013 às 02h11

Sobre o gráfico do PT e PSDB: é impressionante como são volúveis os ricos. Mudam politicamente com o sabor do vento, ou do PIG. Sorte do PT que se acentue a luta de classes, pois numa democracia a maioria vence. Ou pelo menos deveria vencer. Outra coisa boa é que o PT está se livrando daqueles tipinhos pseudointelectuais da burguesia que só queimava o filme do partido. Está rolando uma limpa no PT. Oba!

Responder

Marcio H Silva

06 de fevereiro de 2013 às 23h24

Fico imaginando quais conselhos Noblat dá para sua esposa, Rebeca Scatrut que sofre processo na justiça.
Aliás, porque será que ele nunca comentou sobre este assunto?

Responder

Emiliano José: Às vezes, do interior do Estado, vêm as ações golpistas « Viomundo – O que você não vê na mídia

06 de fevereiro de 2013 às 23h16

[…] Miguel do Rosário: A infantaria mais agressiva de Carlos Lacerda […]

Responder

romano

06 de fevereiro de 2013 às 21h24

Lacerda foi pro golpe. No dia do golpe foi fotografado com arma na mão.
A eleição estava prevista para um ano depois (1965) e ele era pré-candidato.
A direita sabia que não tinha votos e não esperou a eleição.
A farsa se repete como história. Esperar 2014, eleições limpas,
festa da democracia parece santa ingenuidade.

Responder

MariaC

06 de fevereiro de 2013 às 16h11

1) A manchete de hoje é: Petrobrás despenca. Bem bom. Assim Dilma e o povo podem comprar suas ações por baixo. Vou cocmprar algumas.

2) Vinícius Torres Freire diz que o governo Dilma fica pior com Renan.Com que intenção ele falou isso? Acaso não sabe que se tratam de 2 (dois) poderes distintos? Acaso não sabe que isso é um problema de todos os brasileiros e não só de Dilma? O Congresso é um problema antigo, mas esse articulista parece não saber.

Responder

Marcelo de Matos

06 de fevereiro de 2013 às 16h06

Será que o cidadão que deu a bengalada no Dirceu vai querer fazer o mesmo com o Renan? É possível. Instigadores é que não faltam. A mídia se apresenta como moralizadora, mas, na verdade, o que estamos assistindo é apenas o efeito PT. Joaquim Roriz era chamado de “maior freguês da Justiça brasileira”. Teve seus processinhos, que não davam em nada, e a pressão só aumentou quando mudou para o PMDB, partido aliado a Lula. Eduardo Alves está no 11º mandato e sua situação é muito parecida com a do Roriz: agora a pressão sobre ele vai aumentar. Todos os partidos políticos no Brasil são constituídos de acordo com a lei e a Constituição. Seria natural que estivessem, todos, livres de perseguições da mídia. Ocorre que para o PIG ainda estamos nos tempos da Guerra Fria. Tal como o Departamento de Estado dos States, que continua a financiar livros de autores anticomunistas, nossa mídia ainda dá um combate sem tréguas ao PT, tido por ela como um partido bolchevique. A citação de Lacerda é mais que oportuna: para o PIG ainda estamos vivendo nesse tempo.

Responder

    Nelson

    06 de fevereiro de 2013 às 18h13

    Eu já escrevi aqui neste sítio, Matos. Ao que parece, ou o PT não é corrupto ou não é corrupto tanto quanto os órgãos da mídia hegemônica gostariam que esse partido fosse.

    Digo isso, porque todos sabem dos elevados níveis de corrupção em que estão imersos os partidos tradicionais, muitíssimos superiores aos níveis que o PT possa apresentar e, no entanto, até hoje nunca vimos ser aplicada contra os mesmos uma campanha de difamação nem mesmo próxima à magnitude da que vem sofrendo o Partido dos Trabalhadores.

    Fossem antros de corrupção dentro do considerado normal pela mídia, veladamente, é claro, e nos governos do PT veríamos os “negócios” fluirem livres e soltos, bem ao gosto do capital. Lembro de uma frase que o Alfred Neumann publicou em um número da revista Mad de anos atrás: “Um país capitalista se faz com homens corruptos e livros caixas rasurados”. Ele disse tudo. Então, onde há um governo que imponha muita fiscalização, muito controle, o espaço para as manobras bem capitalistas fica restrito e, é natural que eles passem a chiar.

    Assim, bem ao contrário do que a mídia e seus (de)formadores de opinião pregam, há que reconhecermos que os governos do PT têm representado, em sua maioria pelo menos, avanços na direção da verdadeira moralização da administração pública.

    Mário SF Alves

    06 de fevereiro de 2013 às 20h32

    Concordo. Às vezes só a lógica, gráficos e números conseguem convencer determinados indivíduos.

Willian

06 de fevereiro de 2013 às 15h59

O PT está cada vez mais refém do PMDB. Caso o PSB viabilize a candidatura própria à presidência, a importância do apoio dos patriotas do PMDB (pelo bem do país estão sempre dispostos a apoiar qualquer governo) se tornará maior ainda. E o PMDB sabe disto e sabe principalmente como usar deste poder.

Responder

    Marcelo de Matos

    06 de fevereiro de 2013 às 17h51

    Você está enganado. Não vai aumentar dependência nenhuma: sai PSB, entra PSD. Não muda nada. A governabilidade está mais que garantida.

    xacal

    06 de fevereiro de 2013 às 20h26

    William não tem a menor noção do que fala. Repete o que ouviu por aí, em algum editorial do PIG.

    Uma suposta candidatura de Eduardo Campos seria fatal para a direita representada pela demotucanalhada, e lançaria em bases nacionais um nome para 2018, sem qualquer risco para a candidata do governo, que aliás, dada a conjuntura, poderia se dar ao luxo de lançar mais um ou outro candidato mais ao centro ou a direita.

    A base do PMDB tem se comportado de maneira correta, sustentando as teses do governo com organicidade exemplar.

    Em determinados momentos parecem que os deputados do PT é que estão na oposição.

    Mas tudo isto é do jogo em governos de ampla coalizão de forças, mas nem de longe há no governo atual uma figura como ACM, que parecia trazer FHC na coleira, como um au-au de madame.

    Willian

    06 de fevereiro de 2013 às 22h27

    Que bom, então…

Tiago

06 de fevereiro de 2013 às 15h25

“…num gesto de inesperado desafio do PMDB à mídia…”

A eleição da “excelencia” Renan Calheiros foi um desafio, um escárnio, um dedo-do-meio metafórico ao povo brasileiro.

No aguardo dos “comunistas” defenderam suas péssimas companhias em nome do bem maior.

Responder

    xacal

    06 de fevereiro de 2013 às 20h28

    Ué, mas Renan foi Ministro DA JUSTIÇA do super probo FHC! Isto não foi uma afronta, ou Renan só piorou depois que passou a aliado do governo Lula/Dilma?

Mário SF Alves

06 de fevereiro de 2013 às 14h31

O gráfico é importante, mas, por que a oscilação? Não tinha de ser uma reta tendendo à elevação?

Responder

Mário SF Alves

06 de fevereiro de 2013 às 14h27

“Vote diferente. Vote Marina, Aécio, Campos.”
________________________________
Não discordo, vai ser assim mesmo, e, atenção ao detalhe: Vote diferente! É como ouvir a própria voz da mídia nativa (cadeia de reprodução da outra), vote! Imperativa até à intoxicação da alma (e do idioma).

Responder

Mário SF Alves

06 de fevereiro de 2013 às 14h15

“O “corvo” seguramente saberia usar Renan Calheiros para fazer um excelente estrago na base eleitoral governista. De qualquer forma, mesmo sem Lacerda, haverá danos.”
____________________________________
Êpa! Esqueceu-se de que o Brasil vive cheio de agourentos abutres? O azar deles é que praga de urubú magro não mata cachorro gordo.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding