VIOMUNDO

Diário da Resistência


Marcelo Zero: Há apenas duas candidaturas efetivas, a de Lula e a dos “Temers”; Lula já ganhou
Foto Ricardo Stuckert
Política

Marcelo Zero: Há apenas duas candidaturas efetivas, a de Lula e a dos “Temers”; Lula já ganhou


29/08/2018 - 12h21

Foto Ricardo Stuckert

Lula Ganhou

por Marcelo Zero, via e-mail

Independentemente dos resultados das próximas eleições, Lula surge como o grande ganhador do processo político recente.

Mesmo preso, ainda que submetido a uma fétida lawfare, já condenada pela ONU, ele consolidou-se como o grande líder de massas do Brasil.

Ninguém chega perto. Todos os outros, somados, perdem para ele na preferência do eleitor.

Os golpistas, a turma da sangria, imaginaram que bastava apear do poder a presidenta honesta para que tudo ficasse bem, para que a pilhagem do país pelo grande capital internacional e nacional pudesse ser feita com tranquilidade. Quebraram a cara, fracassaram totalmente.

Fracassaram economicamente, socialmente, politicamente e moralmente. Fizeram e fazem o pior governo da história do país. Se especializam em destruir o que Lula e outros governos progressistas haviam construído.

Acabaram cinicamente com a soberania popular mediante o golpe mal-ajambrado, instituíram um Estado de exceção seletivo, atropelaram direitos civis e políticos e reduziram o que era um país com uma jovem e vibrante democracia a uma lamentável republiqueta de bananas.

Jogaram fora décadas de luta democrática.

Ademais, ao estimular o ódio contra Lula, o PT e a esquerda de um modo geral, abriram a caixa de Pandora do fascismo tupiniquim.

A centro-direita, em especial o PSDB, se transformou em força nanica, incapaz de seduzir um eleitorado de classe média que flerta abertamente com Bolsonaro e suas propostas insanas.

O centro político, cuja disputa permitia a alternância democrática do poder, esfumou-se, comprometendo a articulação de soluções conciliatórias e de governabilidade.

A recuperação econômica, prometida de forma praticamente imediata após o golpe, não veio.

Em 2016, primeiro ano do golpe, o PIB caiu espantosos 3,6%.

Em 2017, houve um episódio de espasmo de crescimento de apenas 1%, o que significa, na realidade, estagnação do PIB per capita em ridículos 0,2%.

E o pior é que o crescimento, com a política austericida do governo golpista, não virá.

A taxa de investimentos em relação ao PIB caiu de 20%, em 2014, para 15,6%, em 2017, a menor da série histórica do IBGE. A formação bruta do capital fixo continuou negativa em 2017 (-1,8% do PIB). O crédito total caiu de 53,7% do PIB, em 2015, para 47,1%, em 2017.

No caso do BNDES, o crédito caiu de R$ 187,8 bilhões, em 2014, para 70,8 bilhões, em 2017. O consumo das famílias, após quedas abissais, permaneceu estagnado, em 2017. Sem investimentos, sem crédito e sem consumo não há crescimento sustentado. É uma impossibilidade matemática.

Para este ano (2018), espera-se um crescimento em torno de 1%, o que significa nova estagnação do PIB per capita.

As condições macroeconômicas não melhoram. A dívida pública líquida subiu de 36,7% do PIB, em 2014, para 53, 4%, em 2017.

O déficit primário correspondeu a 1,7% do PIB, em 2017 e as contas continuam negativas. Para este ano, o déficit primário deverá ficar em torno de R$ 150 bilhões.

O desemprego aumenta e a desigualdade e a pobreza também. Os rendimentos da população 5% mais pobre caíram espantosos 38%, em 2017, segundo os dados da PNADC do IBGE.

Entre os 50% mais pobres, o recuo foi de 2,45%. Com isso, o número de pessoas na extrema pobreza aumentou em 1,5 milhão, entre 2016 e 2017, e o número de pessoas na pobreza aumentou em quase 500 mil, no mesmo período.

Portanto, o golpe gerou mais de 2 milhões de pobres e pobres extremos no Brasil. Um milhão de pobres a mais por ano de golpe, em média.

Segundo o IBGE, a subutilização da força de trabalho chegou a 24,7% no 1º trimestre de 2018, atingindo 27,7 milhões de pessoas.

Esta é a taxa mais alta da série histórica, iniciada em 2012. Os dados também mostram que o desalento atingiu os maiores níveis da série, com um contingente de 4,6 milhões de pessoas e uma taxa de 4,1%. Vivemos uma grande tragédia social.

Some-se a isso o entreguismo deslavado do governo golpista, que colocou o Brasil inteiro à venda, e a política externa passiva e submissa que nos lançou de novo na órbita geoestratégica dos EUA, e temos o retrato acabado de um país em profunda decomposição econômica, social, política e geopolítica. Um país sem presente e sem futuro algum.

Ante tal quadro dantesco, não surpreende o avanço de Lula. A população, ou boa parte dela, percebe que ele é a única saída viável para a crise.

Os outros candidatos, com raras exceções de baixa expressão, representam mera continuidade da agenda ultraneoliberal do golpe que desgraça o Brasil. Todos eles são continuações de Temer.

Desse modo, Temer-Alckmin, Temer-Marina, Temer-Meirelles, Temer-Amoedo (o velho-novo de Brecht), Temer-Dias, Temer-Bolsonaro, etc. são figuras intercambiáveis, que, se eleitos, dariam continuidade à “pinguela para o passado” do golpe e sua agenda profundamente regressiva.

Nenhum deles tem nada de novo a apresentar, a não ser a mesmice ortodoxa e o austericídio que fracassou no mundo inteiro.

As únicas coisas que mudam são a cara e o estilo (ou a falta de). O conteúdo medíocre é o mesmo, com pequenas variações secundárias. O capital e seus braços midiáticos e jurídicos vão escolher o que reunir as melhores condições para tentar barrar Lula. Não importa quem.

Portanto, nessas eleições há apenas duas candidaturas efetivas, a de Lula e a dos “Temers”, as dos golpistas.

As últimas apostam no ódio social, na desigualdade e no apequenamento do Brasil. A de Lula aposta na refundação democrática, econômica, política e social do país e na construção de um Brasil igualitário, solidário e soberano. Aposta num Brasil grande, onde caibam todas as brasileiras e todos os brasileiros.

Caso o golpe tenha sucesso em barrar a candidatura Lula ou a do seu indicado, a crise não só continuará, como se aprofundará.

Qualquer novo governo de qualquer um dos “Temers” não terá legitimidade e fracassará de forma monumental.

Não terá apoio popular suficiente e não receberá reconhecimento internacional expressivo. O mundo inteiro já sabe que eleição sem Lula é uma grande fraude democrática.

O golpe está numa “sinuca de bico”, mas continua em sua marcha suicida rumo ao abismo político, econômico e social.

Por isso, Lula, injustamente encarcerado, é o grande ganhador. Resta saber se os responsáveis pelo golpe que desgraçou o país vão querer que o Brasil continue a perder para evitar que Lula efetivamente ganhe e assuma poder que o povo quer lhe conferir.

Leia também:

Bolsonaro mentiu em rede nacional sobre seminário e livro

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Julio Silveira

02 de setembro de 2018 às 17h03

O Brasil é um país unico. Rsrsrs. No futebol inventaram o campeão moral, na democracia seguiremos inventando, Lula vai ser o presidente campeão moral. Mas a esquerda dividida terá que engolir um possivel presidente golpista escorado numa direita canalha que ele, Lula, ajudou a fortalecer com suas preferencias.

Responder

Julio Silveira

02 de setembro de 2018 às 16h58

O Brasil é um país unico. Rsrsrs. No futebol inventaram o campeão moral, na democracia seguiremos inventando Lula vai ser o presidente campeão moral. Mas a esquerda dividida terá que engolir um possivel presidente golpista escorado numa direita canalha que ele, Lula, ajudou a forralecer.

Responder

João Lourenço

29 de agosto de 2018 às 15h43

Zero esta é sua visão ,o teu vencedor,tá lá num canto da cela “provisória” em Curitiba enquanto seu partido rachado e sujo resolveram usar o Palno B pra tentar pegar rabeira .Destruiram a esquerda e lógico que a culpa vai nas costas da louca Gleisi e Lula .Vejo pelo seu elogio que vc deve fazer parte da turma do Mercadante,Cardoso,Genro e Dirceu .Lula morre na cadeia e será esquecido depois das eleições .O seu PT será nanico e existirá um clero baixo dos seus .

Responder

    Julio

    31 de agosto de 2018 às 13h02

    Cara, você está certo num aspecto,o Lula está preso,preso nos corações do povo brasileiro,e isso não adianta vocês tentarem mudar,sei que estão cheios de ódio no coração mas já tiveram sua oportunidade, porque não fizeram igual?
    O cara deu moradia, emprego, escola,levou água pro nordeste,e isso não tem Como apagar, está na mente e no coração do povo,aceita que dói menos.
    Ou vocês achavam que depois de congelar investimentos por 20 anos, rasgar a CLT, tentar acabar com a previdência,vender a Petrobrás a preço de banana, vender nosso setor energético também a preço de banana, vocês ainda acham que alguém em sã consciência vai votar em vocês, cara vá lamber sabão

Messias Franca de Macedo

29 de agosto de 2018 às 14h40

JURISTA CRISTIANO ZANIN MARTINS EXIGE QUE A DECISÃO DE COMITÊ DA ONU SOBRE LULA SEJA CUMPRIDA.
Entrevista concedida ao jornalista Juca Kfouri – programa ‘Entrevistas’
https://www.youtube.com/watch?v=GmFRbJld_2c

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.