VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

José Dirceu: Só povo na rua segura ofensiva da direita


06/02/2013 - 23h38

Ilustração bem humorada do Esquerdopata

POLÍTICA

Dirceu defende mobilização social contra ofensiva da direita

Para ex-ministro, partidos de esquerda e movimentos sociais precisam definir agenda e ‘organizar luta’

Por Joana Tavares, do Brasil de Fato, via Rede Brasil Atual

Publicado em 06/02/2013, 12:30
Última atualização às 12:30

Belo Horizonte – Em um auditório lotado por militantes sindicais, de movimentos populares e ligados ao Partido dos Trabalhadores (PT), José Dirceu, ex-presidente do PT e réu da Ação Penal 470, apelidada pela mídia de “mensalão”, foi recebido com palmas e palavras de ordem. No dia 31 de janeiro, o PT estadual de Minas Gerais realizou um ato “em defesa do PT e dos direitos democráticos”, e também em desagravo ao ex-ministro e outros petistas condenados no Supremo Tribunal Federal (STF).

Estavam presentes representantes de diversas esferas do partido (prefeitos, deputados estaduais e federais, presidente do diretório municipal, de comissões legislativas e secretarias) que expuseram, em suas falas, a visão de que o julgamento da Ação Penal 470 foi um julgamento político, que teve a intenção de condenar, na figura de seus dirigentes, o PT, sua história e projeto de governo, como um ataque de uma oposição entrincheirada em setores do Judiciário e da mídia.

Último a falar, José Dirceu denunciou os elementos inconstitucionais do processo, reforçou que a ação não terminou, defendeu sua inocência e expôs sobre as reformas necessárias para o Brasil e o povo brasileiro. Em entrevista exclusiva ao Brasil de Fato, Dirceu fala sobre a direita no país, a regulação da mídia, a AP 470 e a reação do PT, além dos desafios e prioridades para a política nacional.

Brasil de Fato – Você colocou elementos na sua fala sobre o Judiciário e a mídia. Quem é a direita no Brasil hoje e como ela está se organizando?

José Dirceu – Historicamente, a direita representa classes sociais, os partidos também são representações. A coalizão de direita no Brasil hoje é a coalizão do PSDB, DEM, PPS, que se expressa numa coalizão parlamentar e em um conjunto de governos. Os setores mais organizados hoje, que acabam hegemonizando a direita, respondem mais a interesses do capital financeiro, do capital rentista e de setores do capital agrário. Quem procura dar coesão, palavras de ordem, são setores da mídia.

A questão do Ministério Público e outros setores do Judiciário é que eles estão construindo uma teoria, e estão construindo instrumentos e decisões judiciais que expressam a visão dos interesses dessa direita. Isso é legítimo se é feito no Parlamento. É possível mudar o Código Penal para a direita ou para a esquerda; não é verdade que o Código Penal não tem lado. É possível fazer uma lei de reforma agrária para de fato fazê-la ou uma lei que termine concentrando terra. Mas não é isso. Eles estão de certa maneira usurpando, procurando transferir esse poder para parcelas do Judiciário. Não diria que isso é uma corrente majoritária, porque ainda está em disputa.

Sobre o papel da mídia, você falou da importância de comunicar com o povo, da necessidade de um marco regulatório. Mas nesses 10 anos de governo não teria sido possível avançar no sentido de fortalecer uma imprensa alternativa, ou ter um projeto de comunicação mais robusto do próprio Partido dos Trabalhadores?

Se nós conseguirmos aprovar uma legislação que permita isso sim, mas nós não temos maioria no Congresso; todos sabemos disso. E o poder Executivo tem instrumentos limitados, por isso se fala em regulação. A regulação, como acontece nos outros países, é aprovada no Parlamento, ou por referendos. Por exemplo, foi aprovada a regulação de obras audiovisuais, há uma agência reguladora, que é a Ancine, que tem um fundo de R$ 1,2 bilhão, que defende a produção regional, a produção independente e estabelece regras e limites, inclusive impede o controle do capital estrangeiro em alguns setores.

Isso é regulação, como é também estabelecer limite de horário, idade, classificação. Há inclusive regulação de conteúdo, como a regulação de propaganda de bebida, como tem a possibilidade de regular a propaganda de certos alimentos. Isso nós queremos.

Outra questão é desenvolver uma imprensa. Para rádio e televisão, precisa de concessão, mas para a imprensa escrita, não. Você abre uma empresa e edita um jornal, uma revista. Isso depende da capacidade de organização das forças políticas de esquerda e populares, ou setores da sociedade comprometidos com determinados programas. A direita organizou seus meios de comunicação através de capitalistas e de empresas capitalistas.

O que nós não mudamos foi a forma de dar concessão, o direito de antena, uma concessão mais pluralista. Nós podíamos ter feito mais. Nós do PT, já que eu sou do PT, como também nossos governos. Mas isso não é a questão fundamental. Eu concordo e aceito a crítica que nós podíamos avançar mais, mas sempre é preciso lembrar que para mudar a lei é preciso ter expressão no Congresso Nacional.

Mas e a questão da publicidade oficial?

A publicidade do governo está regulada por leis. A minha interpretação é que nós poderíamos nos apoiar em dois artigos da Constituição – o artigo do pluralismo e o artigo do apoio à pequena empresa – para fazer uma distribuição diferenciada e não apoiada apenas na vendagem, na audiência. Nessa perspectiva nós poderíamos ter avançado mais.

Você mencionou que a Ação Penal 470 não está concluída. Quais são as perspectivas do processo?

É estarrecedor que um ex-ministro do Supremo faça um prefácio de um livro sobre o tema, sendo que a ação não terminou ainda. Isso demonstra o caráter político dela, de disputa política, de julgamento político do governo do Lula, do PT, e de certa maneira da esquerda. Eles quiseram transformar nisso essa ação e não apenas no julgamento de determinados crimes ou atos ilícitos praticados por dirigentes do PT. E não tem nada a ver com compra de voto nem com uso de dinheiro público.

Está mais do que provado que eram empréstimos bancários que foram entregues ao PT, sem contabilizar, de uma forma que infringe a legislação eleitoral, e tem questões bancárias, fiscais para analisar. Mas eles transformaram no famoso ‘mensalão’ e na questão de que havia dinheiro público que foi desviado, como se nós tivéssemos tirado dinheiro do Banco do Brasil. E nem é do Banco do Brasil, é da Visanet, que não é dinheiro público, vem de 0,1% de cada movimentação de cartão de crédito, é um dinheiro para propaganda. E a propaganda foi feita, há prova de que ela foi feita, como há prova que esses recursos saíram de dois bancos para duas empresas de publicidade, e depois para o PT.

Mas transformaram isso numa ação política de enfrentamento conosco, de julgamento histórico, como eles mesmos disseram: ‘o maior atentado à República e à democracia’, ‘o maior caso de corrupção da história do Brasil’, ‘o maior julgamento do século’. E isso é escandaloso, porque nós não tínhamos foro privilegiado, tinha que ser julgado por juiz natural, como aliás está acontecendo com o chamando ‘mensalão mineiro’, tucano, do PSDB.

Nesse julgamento do STF, eles inovaram, violaram abertamente o devido processo legal, a presunção de inocência, o domínio do fato. Condenaram por condenar, porque tinham que condenar.

Tudo isso durante quatro meses e meio. Onde já se viu a Suprema Corte parar para julgar 35 réus, sendo que só três tinham foro na Suprema Corte, e sendo transmitido pela televisão, canal aberto, o dia todo, dez minutos no noticiário todo dia no jornal de maior audiência do país, abertamente defendendo os pontos de vista da acusação, não dando o mesmo espaço à defesa.

Você acha que a esquerda e o PT responderam à altura esse ataque?

Estão respondendo, porque agora se trata também de um processo político, não se pode resolver essa questão a curto prazo, é uma questão de médio e longo prazo. Temos que ir acumulando força, e crescendo o movimento de opinião pública, na base da sociedade, apresentar nossas provas.

Além de fazer os recursos, que a Constituição nos permite, os embargos declaratórios, revisão penal, apelar às cortes internacionais, que garantem a jurisdição. O juiz não pode fazer o papel de acusação no Ministério Público, assim como não se pode condenar sem provas. Vamos usar todos os recursos que temos direito.

Na sua opinião, qual seria a agenda prioritária em que os movimentos sociais e a esquerda deveriam se engajar nesse momento?

Os movimentos sociais têm que se concentrar naquilo que é prioritário para cada movimento, cada um tem suas reivindicações conforme sua posição na sociedade. O movimento sindical e o movimento pela terra – os sem-terra e outros, como a Contag — já atingiram um grau que entendem que seus programas vão além da defesa de reivindicações porque entendem que são necessárias políticas públicas, estatais, para o conjunto da sociedade, por isso defendem também mudanças na estrutura política do país.

Mas a prioridade para o Brasil nesse momento é o enfrentamento dessa ofensiva da direita. A prioridade política. Sua outra faceta é uma reforma política, democrática, que pode passar por um referendo ou uma constituinte, já que o Congresso se recusa a fazer. O Senado já fez, mas fez a do voto proporcional. Aliás, aprovou o financiamento público, cláusula de barreira, voto em lista. Uma reforma que apoiamos.

Tem também a necessidade de aprofundar as reformas sociais e econômicas que o país precisa, para crescer de uma maneira sustentável, com distribuição de renda, que garanta a soberania nacional e a integração sul-americana. A agenda política é essa. Lógico que a regulação da mídia é importante, a denúncia da Ação Penal 470 é importante, mas é preciso fazer uma hierarquia de prioridades. Por isso é importante uma mesa que reúna todos os movimentos e os partidos políticos de esquerda, para organizar essa agenda e organizar a luta. É preciso mais mobilização no país, minha opinião sempre foi essa.

Leia também:

Emiliano José: Às vezes, do interior do Estado, vêm as ações golpistas





68 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Eduardo Guimarães: Barbosa pressiona STF para publicar logo acórdão do mensalão « Viomundo – O que você não vê na mídia

01 de março de 2013 às 23h26

[…] José Dirceu: Só povo na rua segura ofensiva da direita […]

Responder

Emiliano José: Com respeito aos fatos e criatividade, o Última afrontou os donos da mídia « Viomundo – O que você não vê na mídia

24 de fevereiro de 2013 às 19h57

[…] José Dirceu: Só povo na rua segura ofensiva da direita […]

Responder

Leonardo

13 de fevereiro de 2013 às 15h23

Pra mim o PT não emplaca mais com este discurso, o alvo está errado, o inimigo é outro! Os sucessivos escândalos envolvendo corrupção no governo nos últimos três mandatos foi na verdade acobertado pelo tão demonizado mídia e elite financeira brasileira! Na verdade são todos “farinha do mesmo saco” tentando achar o que não resta mais de honestidade e reputação nos seus atos perante a sociedade afim de brigar pelos votos! Puro marketing ideológico! Enfim a direita ou esquerda, que na verdade são somente bandeiras que quando entram no poder se ajoelham perante o sistema financeiro nacional e internacional que hoje sangra a metade de suas riquezas para pagamento de uma dívida pública sistêmica, que hoje há indícios que foi contratada e recontratada de forma imoral e ilegal! Este sim deveria ser o problema atacado pelo senhor José Dirceu! Porque não Sr. Dirceu propor aos movimentos sociais uma AUDITORIA INTEGRAL DA DÍVIDA PÚBLICA Oficial, Parlamentar e Cidadã? A começar pelas medidas provisórias 435 e 450 transformadas em lei no governo do Sr. Lula, que somente em 2008 permitiu a transferência de 40 Bilhões de reais para pagamento da “Dívida” através de sobras de recursos! Que tal, este recurso daria para ser aplicado na reforma agrária ou no PRONAF, luta antiga dos movimentos sociais! Chega de engôdos! Sem isto as reformas socias urgentes nunca sairão da retórica e servirão somente para manobrar politicamente as massas! Precisamos de um movimento político novo que assuma este compromisso nas próximas eleições, e que obviamente não são nem a esquerda e direita atuais!

Responder

Mário SF Alves

08 de fevereiro de 2013 às 13h36

E quer saber? É até fácil entender a cabeça do ex-ministro José Dirceu. Difícil mesmo é entender o que pensa a direita estabelecida e entranhada no Brasil, especialmente a elite Casa Grande blá, blá e blá, autora e mantenedora do sui generis capitalismo subdesenvolvimentista “nacional”; senão vejamos:
1- Socialismo pode? Claro que não pode, iria abolir de vez toda e qualquer propriedade privada;

2- Bom, então, quem sabe, desenvolvimentismo, com inclusão social, isso pode? Não! Também não pode;

3- Ah! Que tal consolidarmos a Democracia e instituirmos assim e definitivamente o Estado Democrático de Direito no Brasil [e fecharmos de uma vez por todas a ameaça de outro maldito golpe]? Também não pode!

4- Peraí. E democratizar o uso da concessão pública de rádio e TV, pode? Não! Tá maluco, isso fere o direito de imprensa, a liberdade de expressão. Imagine! Não, também não pode.
______________________________
Enfim, que m#@¨@ é essa?!! Então não pode nada? Que País é esse?!! De quem é esse País que me faz perguntar que País é esse?

Responder

Fabio Passos

08 de fevereiro de 2013 às 00h33

Responder

Fabio Passos

08 de fevereiro de 2013 às 00h26

O PiG está todo dia guinchando contra toda e qualquer ação que favoreça os trabalhadores.

O PiG está todo dia guinchando a favor de todo e qualquer privilégio indecente da “elite” branca e rica.

Dirceu está corretíssimo.
É preciso mobilização política para enfrentar estas oligarquias decrépitas do PiG.

Responder

alex

08 de fevereiro de 2013 às 00h16

Aí, Zé! Demorô viu?
Só com muita mobilização para enfrentar o poder desta mídia nefasta, despudorada e vendida.
O PT na gestão Lula marcou bobeira. Opinião minha. Tinha que, em determinado momento, ter dado “umas porradinhas no baço” para enfraquecer algumas famílias. Não fez. Os Marinho que estavam numa pinduba desgraçada aumentaram o patrimônio: hoje os três manos tem uma fortuna avaliada em US$ 20,6 bi. Só os Marinho. Aí, junta-se a eles outras famílias nefastas como Mesquistas, Frias, Civitas e outros mais. Não é mole não. Os caras têm muita grana para “torrar” no PDG (Projeto Derruba Governo). E o PT tá fraco de parlamentares “guerreiros”. Não vejo deputado federal, senador subirem na Tribuna e com afinco defender o governo Dilma. Causa-me estranheza o silêncio de alguns. A postura de ministros da Dilma diante de uma câmera da Globo ou um reporter da veja.

Responder

    Mário SF Alves

    08 de fevereiro de 2013 às 07h26

    Pois é… pode acontecer de, como retratado lá pelo fim dos anos 80, “de muito gorda a porca já não anda”. Grande Chico Buarque; grande Milton Nascimento. Pois é… quem sabe a estratégia não teria sido exatamente essa, engordar o PiG até imobilizá-lo?

    Mário SF Alves

    08 de fevereiro de 2013 às 07h48

    Pois é, amigo, lições da História. O melhor mesmo {creio eu} seria ter envidado todos os esforços possíveis na consolidação da Democracia. Mas aí, por conta desse “larga que esse osso é meu”, e quiçá, por conta de muito “lenga-lenga resultante desse duelo extemporâneo entre socialistas e outros istas”, estamos nessa, num bólido a duzentos km por hora a assistir o verdadeiro Estado Democrático de Direito ficar cada vez mais distante. Foi preciso um linchamento político em pleno Século XXI para que acordássemos com a certeza de que politicamente, ou melhor, democraticamente, nós e o Brasil progredimos quase nada. Ainda prevalece o regime Casa Grande-BraZil-Eterna-Senzala, que é hoje a tábua de salvação do infame neoliberalismo, filho ingênito do por capitalismo do mundo, o capitalismo subdesenvolvimentista nacional.

Rodrigo Falcon

07 de fevereiro de 2013 às 23h47

Essa entrevista do Dirceu mais parece um vômito de refluxo! Só pode estar zoando com a nossa cara!
Gestou durante 2 décadas, junto de FHC, Lula, Serra, Aécio, Mercadante, Marta entre outros, um monstro Frankenstein chamado “homo consumus”. Agora que a monstruosidade nasceu devorando tudo, exclama que apareça a falecida ideologia, o morto caráter, a desmembrada coletividade?
Tá de brincadeira , né meu velho?
Esqueceu que seu próprio par-tido jogou na latrina o homo sapiens? Tudo em prol da tal “governabilidade”?
Meu caro, antes de pedir ajuda, tome um pouquinho da dose pura de humildade, reconheça as GIGANTESCAS cagadas, com o perdão da palavra, de um governo de superfície econômica e não social, e engula o Frankenstein brasilis que você ajudou a criar.
Depois, se tivermos tempo, tentamos construir o Brasil que o PT defenestrou pela janela na derrota de 1989.
“Tudo pelo poder” dá nisso, meu caro!
Recomendo pra ti um filme de reflexão, muita reflexão mesmo. “O Príncipe”, de Ugo Giorgetti.

Responder

Messias Franca de Macedo

07 de fevereiro de 2013 às 23h20

… Observemos o que estes canalhas [do PIG] são capazes de fazer, a maldade estampada no peito, o veneno destilado pelas coronárias!…

################################

Fez cirurgia cardíaca

Assessor da presidência [Marco Aurélio Garcia] usou SUS
Médico diz que operação de Marco Aurélio Garcia foi paga pelo SUS

(Quem lê o título capcioso e infame da matéria imagina que o eminente, catedrático e ilibado Marco Aurélio Garcia cometeu um crime contra o erário, perpetrou um ato de corrupção, conduta hedionda…)

[Agora o corpo da matéria]
O assessor especial da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, 71, fez duas pontes de safena e dois enxertos no coração em procedimento pago pelo SUS (Sistema Único de Saúde), informou nesta quinta-feira (7) o médico João Gabbardo dos Reis.
“O atendimento está sendo feito pelo Sistema Único de Saúde, como se fosse qualquer outro cidadão do Distrito Federal”, disse o médico.

[Atentem para o que significa a correção de um homem público, atitude que deveria ser reverenciada pela imprensa supostamente formadora da opinião pública!…]

Gabbardo dos Reis disse ainda que existe um acordo com o governo do DF para que todos os pacientes enfartados sejam atendidos inicialmente no Instituto Cardíaco do DF.
Como foram detectadas múltiplas lesões no coração do paciente, optou-se pela cirurgia. A médica Núbia Vieira garantiu que Garcia não teve infarto.

FONTE: http://www1.folha.uol.com.br/poder/1227471-medico-diz-que-operacao-de-marco-aurelio-garcia-foi-paga-pelo-sus.shtml

#######################

Ou seja, não há limites para esta corja terrorista/golpista! Sem comentários!…

Ah! Nunca é desnecessário lembrar: estamos em guerra! Pintemo-nos!…

Hasta la Victoria Siempre!

… República da [eterna] OPOSIÇÃO AO BRASIL … Infame, DESUMANA, abjeta, traidora, despudorada, canalha, fascista, aloprada, alienada, histriônica, impunemente terrorista, MENTEcapta, néscia, golpista de meia-tigela, antinacionalista, corrupta… ‘O cheiro dos cavalos ao do povo!’ (“elite estúpida que despreza as próprias ignorâncias”, lembrando o enunciado lapidar do eminente escritor uruguaio Eduardo Galeano)

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Tácio

07 de fevereiro de 2013 às 23h08

Quando ele vem a Salvador, avise que eu e minha família vamos em peso.

Responder

Willian

07 de fevereiro de 2013 às 22h38

“espaços mais neutros eram justamente os “blogs sujos”.

Sério: o pessoal aqui do blog acha realmente que eram neutros?

Responder

    Mário SF Alves

    07 de fevereiro de 2013 às 23h45

    E isso era tudo o que lhe interessava saber, prezado Willian?

    Willian

    08 de fevereiro de 2013 às 09h45

    Sim.

Ronaldo Silva

07 de fevereiro de 2013 às 21h58

Se for para combater a linha de pensamento de indivíduos como willian, lulipe e o tal retratinho rodrigo leme, podem contar comigo. `A guerra!!!

Responder

    Willian

    08 de fevereiro de 2013 às 09h46

    Já peguei meu bodoque… rs

    Paulo Ribeiro

    08 de fevereiro de 2013 às 10h49

    Mexeu com o Zé, mexeu comigo.

    Nem que tenha que manchar as mãos de sangue!

    lulipe

    08 de fevereiro de 2013 às 11h33

    Aquele feito de ketchup????

Isidoro Guedes

07 de fevereiro de 2013 às 21h17

Goste-se ou não de José Dirceu uma coisa é certa: ele é (e sempre será) um guerreiro. Foi um guerreiro ao enfrentar de peito aberto o regime militar que perseguia, torturava e assassinava milhares (quando muitos optavam pelo caminho fácil do adesismo ao regime de arbítrio, ou quando outros, por medo ou conveniência, optavam por silenciar diante das arbitrariedades cometidas). E é um guerreiro hoje por não se curvar a essa nova investida de seus algozes de ontem que, através da mesma mídia reacionária e direitista que apoiou a ditadura militar, está promovendo essa campanha jamais vista de ódio, vingança e linchamento político contra um porta-voz influente das esquerdas brasileiras.
Dia desses um amigo meu que professa o ideário direitista, mas se diz de centro (já que no Brasil quem é de direita tem vergonha de assumir isso, rs…), disse solenemente: “um dos grandes erros da ditadura (militar) foi não ter eliminado (traduzindo: assassinado) o Zé Dirceu” (como aliás fez com tantos jovens idealistas ou adversários incômodos). Ou seja, a lógica é mais ou menos a seguinte: como a ditadura errou (ao não tê-lo assassinado nas masmorras da tortura), como o cara é chato e arrogante (apesar da aura de lutador em favor de causas sociais e populares),… que se trate de montar um esquema para condená-lo e execrá-lo publicamente, ainda que sem provas.
Foi essa a maneira que a direita arranjou para se vingar de Dirceu, não pelos seus supostos erros (que não ficaram provados nos autos da AP 470), mas sim por conta de suas virtudes e de seu passado de lutas.
Burrice. Como é recorrente na história (e ocorreu com tantos outros que reacionários de ontem que tentaram desmoralizar ou calar a voz daqueles que os incomodavam), eles estão apenas reforçando a aura de herói e de vítima que Dirceu sabiamente já está sabendo explorar.
Se pensam que ele sairá por baixo se iludem. Nas próximas décadas o nome de Dirceu continuará lembrado e estará nos livros de história junto a outros nomes dos que ousaram enfrentar (e vencer) uma ditadura cruel e assassina. Já o nome de (Joaquim) Barbosa, que fez o papel de bobo-da-corte (como “inocente útil” para as manipulações e propósitos da mídia direitista), esse sequer constará numa nota de rodapé. Pois felizmente a dinâmica da história mostra que os vencidos de uma época (como Zumbi dos Palmares, João Cândido, Olga Benário, Gregório Bezerra, etc.) acabam sendo os vitoriosos na luta pela justiça e pela liberdade, que é uma luta que transcende épocas e paixões.

Responder

Roberto Locatelli

07 de fevereiro de 2013 às 21h14

O chamamento tardio de Dirceu mostra uma importante mudança de posição do PT. Antes tarde do que nunca.

A meta dos golpistas é essa mesma que está na imagem: cassar o mandato de Dilma, colocar o PT na ilegalidade e suspender indefinidamente a realização de eleições. Tudo isso, claro, para “preservar a democracia”.

Responder

    Roberto Locatelli

    07 de fevereiro de 2013 às 21h16

    Complementando, lembro que a meta do golpe é aplicar aqui a mesma política econômica que o FMI impôs à Europa. O resultado, já sabemos: desemprego, miséria e opressão para o povo, enquanto os banqueiros ficam mais ricos.

    Willian

    07 de fevereiro de 2013 às 22h36

    É sempre uma alegria seus comentários. Sempre rio.

    Histericamente.

Mário SF Alves

07 de fevereiro de 2013 às 21h13

Esse é o respeito que o regime podre da elite Casa Grande-BraZil-Eterna-Senzala tem para com o povo e seus representantes. Esse é o respeito que o Olavo [azucrinado] Carvalho tem para com a querida Presidenta Dilma. Esse é o respeito que a megalomania de direita devota às regras democráticas instituídas pela ditadura civil-militar. Enfim, esse é o respeito que todos eles dedicam à democracia quando o insucesso político lhes bate à porta e é quando se vêem na contigência de rasgar e cuspir nas próprias regras. Quem tiver estômago assista e entenda de vez até onde vai a toca do coelho branco e um pouquinho mais as razões do estupro 470 cometido contra a Cidadã, a Constituição da República Federativa do Brasil.
________________________________________
http://www.youtube.com/watch?v=nb_ARWeH4ZQ&NR=1&feature=endscreen

Responder

José X.

07 de fevereiro de 2013 às 21h11

1. O título do artigo não condiz com o texto a entrevista. Em nenhum momento ele fala em “povo na rua”.

2. Acho muito difícil o “povo” ir às ruas hoje, e em parte isso é culpa do PT, que melhorou a situação do país…o que o “povo” quer hoje é consumir, não está interessado em embates ideológicos que não afetem diretamente suas vidas. Os “protestos” se fazem hoje no Facebook e no Twitter (e parecidos) e não nas ruas. Um exemplo claro disso foi o “protesto dos 20” contra o Lula, recentemente. Pela ferocidade com que esse pessoal se manifesta na internet se imaginaria que fosse fácil reunir umas, sei lá, 1.000 pessoas para “protestar contra o Lula” (uma coisa imbecil, mas enfim, cada um faz o que quer).

3. A luta tem que ser na internet. O PT estacionou no tempo, não passou ao século 21. A rede está tomada pela gente da direita, insuflada e manipulada pelo PIG. Na campanha de 2010, por exemplo, o PT tomou uma lavada, a Dilma era massacrada sem dó nem piedade. Os únicos espaços mais neutros eram justamente os “blogs sujos”, que possuem o mesmo defeito dos blogs dos rola-bostas: falam sempre para o mesmo público. Com tantos militantes e simpatizantes que possui o PT nunca executou algum plano de ação para a internet (ou se executou, foi extremamente incompetente). Apenas para exemplificar a inércia do PT na internet, a campanha de arrecadação de fundos na internet para a campanha da Dilma foi muito tímida, poderia ter arrecadado muito mais se tivesse sido bem trabalhada.

4. É preciso limitar os poderes dos dois maiores protagonistas da direita retrógrada e anti-brasileira: a mídia, especialmente a Rede Globo, e o judiciário, especialmente o STF. É um absurdo o que estas duas entidades estão fazendo no Brasil. O STF é uma aberração inacreditável, transformou-se num botequim de politicagem, passa por cima das leis com a maior desfaçatez, não possuem um mínimo de recato, é tudo na maior cara dura. A condenação do Zé Dirceu SEM ABSOLUTAMENTE NENHUMA PROVA CONTRA ELE é uma “justiça” orwelliana. A falta de decoro de alguns ministros do STF é algo vergonhoso. Enfim, se não for posto um limite nesses abusos da mídia e do judiciário realmente o Brasil corre sério risco de virar um novo Paraguai ou uma nova Honduras.

Responder

FrancoAtirador

07 de fevereiro de 2013 às 19h59





Responder

lulipe

07 de fevereiro de 2013 às 15h59

A Kombi já está aguardando, quem se habilita????

Responder

Mário SF Alves

07 de fevereiro de 2013 às 15h04

Tem gente por aí acreditando piamente que o apelo feito pelo Dirceu é pura manipulação em defesa da própria pele. Sinto discordar. A meu ver o apelo se confunde com um chamado à resistência ao golpe antidemocrático perpetrado pelo regime Casa Grande-BraZil-Eterna-Senzala em conluio com o sistema PiG de desinformações.
____________________________
Ou não?
_______________________________________
Mais uma vez… e infelizmente, temo que o apelo possa estar atrasado e o apelante pouco à vontade politicamente para fazê-lo.

Responder

    LEANDRO

    07 de fevereiro de 2013 às 17h20

    Engraçado, antes de sair a sentença ele nunca pediu que o povo fosse as ruas protestar contra “golpe” algum. Afinal ele tava faturando com assessorias (venda de influência) e a democracia não corria risco, né?

    Mário SF Alves

    07 de fevereiro de 2013 às 20h02

    Leandro você não imagina o quanto eu torço para que tudo seja tão simples assim: inconsciência cívica, sede de fortuna pessoal, um Dirceu andando de Ferrari por aí, com uma ilha qualquer no Pacífico e tomando um Johnninho com o Fidel … quem dera a coisa toda fosse tão simples assim. Seria, de fato, um fukuyamíco fim da História e a exasperação de A Ideologia Imperialista da “Nova Ordem Mundial”.
    ___________________________________
    Quem dera fosse simples assim. Esses caras, homems e líderes de tão alta estirpe, rifando a própria consciência pelo [falido] American Way Life. Fosse assim, Leandro, tenha certeza, ensarrilharíamos as armas e morreríamos em paz. Quero dizer, em paz de cemitério, porque a vida se resumiria nisso: comer, dormir, farrear até quando e onde o dinheiro desse e ver abobrinhas na TV.
    __________________________________________
    “Engraçado, antes de sair a sentença ele nunca pediu que o povo fosse as ruas protestar contra “golpe” algum. Afinal ele tava faturando com assessorias (venda de influência) e a democracia não corria risco, né?”
    ______________________________________________
    Peraí, venda de influência? Pensas pequeno, hein, Leandro.
    Você poderia até alegar que a tara desses caras é pelo poder supremo, absoluto. Infelizmente sua alegação cairia num vazio de sentido tão profundo que nem um guindaste HOLFFSMEYR 2.4 a traria à tona.

Luis Menegew

07 de fevereiro de 2013 às 14h17

José Dirceu, em entrevista à Revista Playboy Pockt, 2006:
“O Lula não dá cheque em branco prá ninguém. Ele delega, mas controla, cobra. Sabe de tudo que acontece. Quem acha o contrário nos subestima.”
Se o Procurador Geral de Justiça mandar investigar o presidente Lula, vai estar mexendo com o povo. Mexeu com Lula, mexeu comigo.

Responder

Bertold

07 de fevereiro de 2013 às 14h10

Já me expressei aqui em outra ocasião. O PT deixou o primeiro “bonde” passar achando que pegaria um mais vazio que viria em seguida. Não veio e tudo mofou. Chamar os movimentos à mobilização é o mínimo que se espera mas Zé Dirceu deve saber que o PT que está no governo não quer e não vai tomar parte nisso. O Estado tem muito poder para usar se quiser dar uma forcinha para isso, bastam os petistas que estão lá deixarem de infantilidades, idealismos ou de picaretagem e usarem do poder que foi outorgado pelo povo nas urnas. Primeiramente, é preciso enquadrar profundamente o “aliado” mor que joga dos dois lados da moeda que é, na expressão cunha por um brilhante colunista da Folha, a Confederação Nacional da Chantagem e da Corrupção, o PMDB.

Responder

Rodrigo Leme

07 de fevereiro de 2013 às 13h20

Manipulando o gado em nome de um “objetivo maior” para disfarçar que é simplesmente para sua conveniência particular. Usando o grupo para resolver os problemas que são só dele. É Ze Dirceu no seu estado mais puro.

E ADORO o nome “em defesa do PT e dos direitos democráticos”. Mostra exatamente o nível de prioridades: primeiro o partido, depois a gente se preocupa com democracia. Faz sentido.

Responder

    Sergio Silva

    07 de fevereiro de 2013 às 14h16

    Apesar de sempre ler seus comentários e discordar com quase tudo de você, sou obrigado a concordar com seu comentário. Isso nada mais é do que sai em busca de uma defesa para ele próprio, manipulando gado que acredita piamente em sua idoneidade.

    Mário SF Alves

    07 de fevereiro de 2013 às 14h42

    “Manipulando gado”?!! Olha a lei das proporcionalidades aí, geeeeente! E quem é gado? E quem manipula quem?
    ______________________________________
    Sinto informar, Rodrigo, mas você errou de canal e de público. Proporção, Rodrigo, proporção. De quando em vez vale uma análise quali-quantitaiva, não? Umazinha que seja, não?
    _______________________________________________
    Bom, a não ser que tenham instituído a Lei da Tabula Rasa. Aí, sim, a regra será essa: comparar realidades e grandezas incomparáveis.
    ____________________________________________________
    Tabula rasa… onde foi mesmo que vi isso? Hã, sim, foi no Victor Hugo, nos Miseráveis. Ih! Faz tempo, e bem antes do PT.

    Valdecir

    07 de fevereiro de 2013 às 17h06

    O Dirceu está fazendo o que sempre fez: articulação política. No momento, pouco importa se em defesa de um interesse pessoal. Os ataques e condenações que ele vem sofrendo são na realidade uma ação para desmobilizar as forças de esquerda no Brasil. Não creio que a mídia gastaria tanta tinta batendo em alguém anos a fio, mesmo que esse alguém realmente fosse culpado, sem o propósito de fazei a colheita depois. A mídia tem interesse em acabar com o Dirceu, assim como quer acabar com o Lula.

    Saçuober

    07 de fevereiro de 2013 às 20h57

    O objeto e o objetivo se confundem, o Dirceu foi vítima de uma armação, um tal de mentirão, tem todo o direito de reagir contra seus algozes. Utilizar o que for possível para desmascará-los! Se V. Sa. é babão dos articuladores do golpe ou integrante, qualquer movimento de defesa é oportunismo.

    Saçuober

    07 de fevereiro de 2013 às 21h04

    Outra coisa, somente V. Sa., os golpistas e babões, acham que o problema é só dele, não lhe dei procuração para falar por mim.

Julio Silveira

07 de fevereiro de 2013 às 13h10

Eu tenho que rir. Esses caras fazem de tudo pelo poder, com o discurso de mudança engambelam os cidadãos mais esquivos. Com a persuasão do orgumento lógico e evidente passam ao poder e quando no poder trabalham esclusivamente para mantê-lo esquecendo completamente seu papel de modelador da sociedade. Esta turma rizivel gosta do sangue do povo nas mãos dos algozes. Encontram no idiotas a fraqueza para atendê-los.
Depois que perdem ficam insuflando, quando ganham vão fazer lobby sem nenhuma vergonha, como a coisa mais natural do mundo. Faça-me o favor.

Responder

João Vargas

07 de fevereiro de 2013 às 12h57

O parlamento cabou de eleger dois corruptos para presidi-lo. Isto sim é uma festa para a direita, mobiliza a população para afundar ainda mais o legislativo. Enquanto isto o judiciário se agiganta e se arvora na defesa da moralidade e da éica. Se continuar assim o Joaquinzão será presidente do Brasil.

Responder

    RicardãoCarioca

    07 de fevereiro de 2013 às 13h03

    Ele já passou no teste de confiabilidade (“pau-mandatismo”) da Rede Goebbels, então… é possível.

    Mário SF Alves

    07 de fevereiro de 2013 às 14h49

    Conveniência (e conivência) mais descarada inexiste. Sim, ainda houver dúvida, de uma olhadinha nisso:

    http://g1.globo.com/politica/noticia/2010/08/joaquim-barbosa-diz-que-lazer-e-aconselhado-por-medicos.html
    ____________________________________
    E nisso:

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,de-licenca-medica-joaquim-barbosa-vai-a-festa-de-amigos-e-a-bar-em-brasilia,591930,0.htm
    _________________________________________
    Entendeu? Ou a gente vai ter de desenhar?

    ____________________________________________________
    Ah! Esse jejum de orçamento do Governo Federal… meu deus, que falta faz.

Magui

07 de fevereiro de 2013 às 12h43

O X da questão é que Zé Dirceu nunca foi confiável. Não quero dizer com isso que ele não tenha razão em alguns pontos, mas não conseguiu provar na Justiça. O resto é verborragia

Responder

Jair de Souza

07 de fevereiro de 2013 às 11h30

A gente pode ver pelas opiniões dos neobabacas (que se passam por esquerdistas, mas na verdade são eternos aliados do que há de mais antipovo na sociedade) e dos direitistas declarados que a figura de José Dirceu lhes mete medo.

Todos os neobabacas que se expressam por aqui, assim como os direitistas declarados, sempre condenam o fato de José Sarney fazer parte da base de sustentação parlamentar do governo do PT. E é plenamente compreensível que assim seja. O que os neobabacas e os direitistas declarados (todos eles são, no fundo, direitistas) não toleram de jeito algum é ter um de seus representantes mais entranháveis (José Sarney) atuando de alguma forma de modo a impedir que se execute imediatamento o plano que eles desejariam que fosse posto em prática: a destituição do governo do PT e sua substituição por outro mais a gosto dos neobabacas e dos direitistas declarados (ou seja, de todos os direitistas): um governo totalmente pró-oligárquico e ajustado às agendas do imperialismo estadunidense.

José Dirceu é alvo prioritário do ódio dos neobabacas e dos direitistas declarados (ou seja, de todos os direitistas) por ser um dos poucos dirigentes que, ciente de que as forças populares não detêm maioria parlamentária para dar sustentação ao governo do PT, tem sabido explorar as contradições existentes no seio dos setores dominantes para conseguir apoios eventuais que sirvam para impedir que a direita (ou seja, os grupos amados pelos neobabacas e pelos direitistas declarados) retomem o controle do aparelho de Estado e voltem a priorizar as políticas que excluem as maiorias populares.

É claro que, ao expressar isto, não quero dizer que José Dirceu e boa parte do PT não tenham cometido erros de condução ou avaliação política e que tenham menosprezado as ações de mobilização das massas populares. Mas a condenação e o ódio dirigido a José Dirceu pelos neobabacas e os direitistas declarados (ou seja, por todos os direitistas) não se deriva de seus erros como articulador de políticas populares. Pelo contrário, todo este ódio se deve fundamentalmente aos acertos de condução de José Dirceu.

É por isto que tanto os neobabacas como os direitistas declarados (no fundo, representantes da mesma causa) não podem dormir tranquilos até que possam receber de presente a cabeça de José Dirceu numa bandeja.

Responder

EVALDO

07 de fevereiro de 2013 às 10h55

Leonardo Meireles,

Espero que seu “novo” não seja PSDB,DEM ou PSD. Pois, são velhos e Ruins.

Enquanto tivermos esta estrutura de política. Toda e qualquer discussão será inútil. Nossa estrutura política fomenta a corrupção. E qualquer um, que lá estiver vai ter que criar ou dar continuidade em mecanismos já existentes para poder governar como fez o PT. A única língua que nosso parlamento conhece é vantagem.

Povo na rua sim. Mas para exigir mudanças no modelo político brasileiro.
Vamos acabar com a “sopa” de letrinhas que é Brasília e acabar de vez com os mensalões que existe desde os anos 90. Pelo menos é o que nós o PSDB e PT sabemos.

Continuo escolhendo o menos pior. E neste caso continuo em quem pelo menos deu o pontapé inicial a prática socialista, que tanto incomoda as diversas “maçonarias” Brasileiras.

Não podemos voltar ao tempo em que a única maneira de ganhar dinheiro neste país, era a especulação financeira. Necessitávamos de geração de empregos e veio, apostaram no consumo interno e passamos a suportar com razoável conforto as crises internacionais, todos os índices econômicos dos últimos 10 anos superam como goleada. Mas isso, incomoda aos poderosos.

Povo na rua para mudança no modelo político e para respeito a nossa constituição.

Responder

Rodrigo Falcon

07 de fevereiro de 2013 às 10h43

Ninguém sairá às ruas, a não ser sua própria, ninguém levantará bandeiras, a não ser a da própria casa, ninguém erguerá barricadas, a não ser pelos próprios bens, ninguém se surpreenderá com mais um golpe de gabinete nas entranhas carcomidas dum país, pois destas entranhas ninguém se importa, são deveras complexas para que se importem; importa sim se tocarem na tua Tv Led, teu Uno, teu Play3, teu Nike, teu Home Theatre, tua internet 5 ponto sei lá quantos zeros, teu Tablet, teu Notebook, teu homem, tua mulher, teus filhos, porque para o homo consumus brasilis, ser cristalizado e vazio cultivado com afinco na superfície gelatinosa da última década, coletivo, grupo, instituição, sociedade, ideologia e caráter são termos complicados, empoeirados e antigos demais para interessar. “Basta proverem minha Tv Led com meu UFC, BBB e o brasileirão que ficarei quieto no meu canto…”, disse feliz meu lipídico amigo consumus.

Dirceu, só na hora que a maré de refluxo ultrapassa o queixo é que o “espírito libertário” aparece?

Dirceu, engula antes o Frankenstein brasilis que você ajudou a criar!

E o Brasil com S continua camuflado…

Responder

    Rodrigo Falcon

    07 de fevereiro de 2013 às 10h47

    *Corrigindo, lê-se “últimas décadas”, e não, “última”.

assalariado.

07 de fevereiro de 2013 às 10h42

Quando a direção nacional da social democracia petista foi para assinar a “carta aos brasileiros”, em 2002, o PT e seus aliados de última hora de (direita), em detrimento de suas bases sociais, eleitorais e filiados partidários, nem precisaram consultar as massas.

Peço licença para o (RicardãoCarioca) para eu usar sua palavras certeiras e objetivas:

“O povo iria às ruas após os políticos do PT se mexerem para dar o exemplo.

Porque ficar em Brasília quietinhos, escondendo os seus rabões, não defendendo o governo e nem a si mesmos enquanto o povo vai às ruas defender as conquistas dos últimos 10 anos sem a contrapartida política, esqueçam.”

Isso mesmo internautas e Ricardão, só falta as “esquerdas” com mandatos “populares” pegarem, seus trocentos assessores politico escondidos em seus gabinetes parlamentares, e sairem puxando o cordão do “mensalão” que a imprensa burguesa e seus lacaios de plantão, tanto manipulam. Chega de manipular as massas seja pela direita, seja pela “esquerda”.

Abraços.

Responder

Thomaz

07 de fevereiro de 2013 às 10h38

Zé Dirceu e seu brancaleônico exército de esquerdos desbussolados, seguidores de Guevara, fazendo espuma, tentando mobilizar a esquerda festiva e dizendo ser a direita que se mobiliza… Que direita, Zé Dirceu?????

Responder

    Bonifa

    07 de fevereiro de 2013 às 17h49

    Conheço este discurso niilista esquizofrênico espumantemente existencial.Vem diretamente da seção cultural da Folha de São Paulo.

Luis Menegew

07 de fevereiro de 2013 às 10h01

É paradoxal e violento, mas os fins justificam os meios. Quando o PT se alia ao que há de mais retrógrado na burguesia brasileira, simbolizado pela figura do senador José Sarney, o partido dos trabalhadores luta para acabar com a influência desses mesmos políticos no cenário da democracia brasileira.
Não resta dúvida que se o PT tivesse reunido as condições necessárias já teria cassado o mandato de José Sarney, confiscado seus bens e o enviado para a prisão. Com a instalação de um companheiro petista confiável na direção das suas empresas do ex-senador, elas poderiam gerar mais lucros que pudessem sustentar ações de maior envergadura, em médio prazo, contra a burguesia.

Responder

Leo Vinicius

07 de fevereiro de 2013 às 09h20

Ah, legal, agora que ele praticamente não tem mais saída institucional, chama o povo às ruas.

Ora, a tática política dele sempre foi institucional, e quietar o povo. Parece bem oportunista essa virada.

Só o “povo na rua” promove mudanças, ams o que infelizmente os partidos que buscam ganhar eleições promovem é o povo em casa vendo televisão.

Responder

    Bonifa

    07 de fevereiro de 2013 às 17h47

    Povo nas ruas, no caso, é apenas maneira de dizer. O que Dirceu quer é a união de todos os movimentos institucionais de esquerda ou progressistas, e todos os movimentos sociais apartidários mas que se conscientizem do perigo do avanço de forças golpistas de direita e extrema direita, ou que se sintam ameaçados com a perspectiva de extinção do projeto econômico/social que vem transformando o Brasil, bem como todos os partidos de esquerda e centro que reconhecem e desejam manter este projeto vitorioso, todos eles se unam e discutam sobre o momento atual, quando a direita golpista, com tonalidades fascistas e neocolonialistas conquistou uma posição vantajosa na vida nacional graças ao trabalho exaustivo de sua imprensa e alguns poucos mas importantíssimos aliados institucionais, sobretudo na área jurídica. Esta posição é muito, muito perigosa para os verdadeiros interesses do país. Neste momento, sugerimos aos petistas que não querem participar desta luta que deixem imediatamente o partido, se abrigando no conforto de alguma legenda de direita ou centro que lhes garanta um futuro mais confortável, de acordo com suas ambições pessoais. Deixem o partido e não atrapalhem quem está disposto a lutar pelo Brasil!

Mardones

07 de fevereiro de 2013 às 09h20

Hm. É meio deprimente perceber que o PT se encontra nesse estágio de letargia. Falam como se fossem oposição e não situação, governo.

Por traz disso, desse discurso, há a impressão do racha do PT e do salve-se quem puder, pois não vamos enfrentar os poderes estabelecidos e garantidos pela Carta ao Povo Brasileiro.

O PT está numa sinuca de bico, pois sabe que a coalizão é uma quimera.

Realmente, quando a corda aperta, só resta a massa de manobra.

Responder

Vlad

07 de fevereiro de 2013 às 09h14

Acho que a Dilma e/ou o Lula, ou quem se achar suficientemente legitimado para tal, deveria convocar o povo para, vestindo verde e amarelo, em data a ser escolhida, saírem às ruas em apoio ao José Dirceu.
Só chamar a pelegda paga para fazer claque fica meio feio; chama o povo.

Responder

    ricardo

    07 de fevereiro de 2013 às 09h44

    Sábio conselho. Dilma tem tudo a ganhar “chamando” o povo para defender Dirceu.

RicardãoCarioca

07 de fevereiro de 2013 às 08h59

O povo iria às ruas após os políticos do PT se mexerem para dar o exemplo.

Porque ficar em Brasília quietinhos, escondendo os seus rabões, não defendendo o governo e nem a si mesmos enquanto o povo vai às ruas defender as conquistas dos últimos 10 anos sem a contrapartida política, esqueçam.

Responder

Willian

07 de fevereiro de 2013 às 08h32

Será que este caso do mensalão vai acabar sem que seja realizada pelo menos uma passeatazinha que seja? Ninguém vai às ruas com cartazes defendendo Delúbio, Genoíno e José Dirceu? Sinceramente, não entendo por quê. Daqui a pouco eles estão cumprindo pena e nada foi feito. O que temem, já que o apoio ao governo é gigantesco e apenas uma minoria golpista, insuflada pela mídia também golpista, concorda com a condenação?

Às ruas!

Responder

    Bonifa

    07 de fevereiro de 2013 às 17h56

    Ninguém será preso, meu caro, isso posso garantir. Ninguém do PT vai ser preso, para desespero seu.

LEANDRO

07 de fevereiro de 2013 às 08h29

Se depender do povo, povo mesmo, e não meia dúzia de manifestantes a soldo ele tá ferrado. O povo apoia a condenação de corruptos.

Responder

    Mário SF Alves

    07 de fevereiro de 2013 às 10h24

    De corruptos, sim. De corruptos, sim, mas não daqueles ditos corruptos que o fez acreditar em si mesmo e o tornou orgulhoso do País que por natureza herdaram. De corruptos, sim, mas não de corruptos fabricados pela opinião de donos de jornais e TVs eternos representantes de um BraZil que querem como eterna senzala. De corruptos, sim… sem dúvida.

    LEANDRO

    07 de fevereiro de 2013 às 12h49

    Tá bom. Bote a culpa nos donos de jornais, esqueça filmagens, cheques, etc, ok.. Mas, para ver o apoio que esse sujeito tem, veja entre seus pares de partido, quantos teriam coragem de sair as ruas para defende-lo.

Mário SF Alves

07 de fevereiro de 2013 às 08h00

“De Vargas a Goulart, da ditadura a Collor, de FHC a Lula e Dilma, todos esses personagens serão analisados à luz da intervenção da mídia, que o autor qualifica como um partido político, à Gramsci.”
______________________
Gramsci é fundamental. Tão fundamental (e a realidade política brasileira tão complexa) que até ideólogos do regime “casa grande-Brazil-eterna senzala” têm de recorrer a ele.
____________________________
Mas… feliz mesmo é o povo que não precisa mais dele. Nem dele, nem de Maquiavel, e nem de extremismo nenhum, seja de direita, seja de esquerda. Feliz é o povo que embora secularmente tão oprimido, tão desprezado e tão espoliado, tem a sorte de se descobrir dono de seu próprio País, um dos países mais ricos do mundo [e sabê-lo, paradoxalmente, a maior razão de seu triste desígnio]; feliz é o povo cuja presidenta o honra e o respeita em sua dor, direitos e esperanças; feliz é o povo cujo ex-presidente é nascido de sua própria dor. Feliz é o povo cuja virtude é o trabalho e a celebração da vida; feliz é o povo cuja força e liberdade pode residir só e tão somente no estrito respeito ao que dispõe sua própria Constituição Federal, a Constituição Cidadã. Feliz é o povo cujo destino pode residir tão somente na Democracia. A mesma Democracia conquistada nas ruas contra os desmandos e violências de uma ditadura civil-militar.
___________________________________________
Feliz é o povo que não precisa de subterfúgios para fazer valer seus direitos. Feliz é o povo que tem o poder de selar o seu próprio destino apenas indo às ruas na defesa de um governo que o honra e o faz feliz. Feliz é o povo que tem o poder de isolar (temporariamente) seus inimigos apenas com a força de seu voto. Feliz é o povo que não precisa de armas para defender sua Constituição e consolidar de vez a sua Democracia. Feliz é o povo que ainda pode selar o seu destino pela resistência pacífica. ____________________________________________________
Feliz é o povo cujo inimigo tem de usar a força das ideias daqueles cuja vida, tornada um suplício, foi dedicada aos povos do mundo. Feliz é o povo cujo inimigo, o pior dos inimigos, o neoliberalismo, não tem outra saída senão matreiramente esconder-se atrás de Gramsci (e até de Marx), porém nunca o poderá fazê-lo atrás de um Tiradentes.
____________________________________________________________
Feliz é o povo que não tem medo de ser feliz.

Responder

xxx

07 de fevereiro de 2013 às 06h42

Esse senhor devia aprender a jogar xadrez (sem trocadilho, sff) antes de começar a falar tanta besteira e PROVOCAR a situação ao invés de combatê-la.

Responder

Leonardo Meireles Câmara

07 de fevereiro de 2013 às 04h46

Esse Zé Mané emprestou dinheiro pra Globo quando poderia ter deixado falir ou mesmo estimulado Lula a negar a continuidade da concessão. Agora vem posar de paladino da imprensa independente? Quando teve o poder na mão, usou para aprofundar reformas neoliberais no congresso, retirando direitos duramente conquistados pelos trabalhadores. Agora tá aí, apanhando igual cachorro sem dono das famiglias midiáticas e esmolando pressão popular. Vai procurar uma bengala Zé Mané, teu tempo já passou. Esse é o PT: discurso de esquerda, prática governistas de direita. Pra mim já deu, quero algo novo.

Responder

    Ronaldo Silva

    08 de fevereiro de 2013 às 17h20

    Mude-se para Espanha, eles lhe receberão muito bem, outra boa opção é retirar a calça pela cabeça e pisoteá-la com bastante raiva até que a desfaça. Já lambeu sabão hj ô rodrigo leme, william e lulipe? A situação de vcs é tão medíocre que dá até pra decorar os nomes, de tão poucos.

Emiliano José: Às vezes, do interior do Estado, vêm as ações golpistas « Viomundo – O que você não vê na mídia

06 de fevereiro de 2013 às 23h53

[…] José Dirceu: Só povo na rua segura ofensiva da direita […]

Responder

Dilma receberá sindicalistas depois da marcha de 6 de março « Viomundo – O que você não vê na mídia

06 de fevereiro de 2013 às 23h47

[…] José Dirceu: Só povo na rua segura ofensiva da direita […]

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding