VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Joel Leite: TVs vão faturar R$ 600 milhões com horário “gratuito”


29/09/2012 - 14h39

28/09/2012 – 11:49

Horário eleitoral não é gratuito, mas muito bem pago

por Joel Leite, no Mundo em Movimento, via Facebook

– Governo vai pagar, em renúncia fiscal, R$ 600 milhões pelo horário ocupado pelos candidatos nas emissoras de rádio e TV.

As emissoras de rádio e televisão chamam o horário eleitoral de “gratuito”. Grátis pra quem?

O governo (nós) paga o horário para as emissoras com a renúncia de Imposto de Renda. Paga o horário integral ocupado pelos candidatos, como se estivesse fazendo uma propaganda.

A estimativa da Receita Federal, segundo a Agência Congresso, é que o horário eleitoral proporciona um faturamento estimado, para este ano, de R$ 606 milhões para as emissoras.

O Decreto 7.791 de 17/8/12, em seu artigo 1º. define que as emissoras poderão efetuar a compensação fiscal na apuração do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica, inclusive na base de cálculo  dos recolhimentos mensais previstos pela legislação.

Desde 2002, o governo pagou para as emissoras de TV e rádio R$ 4 bilhões. E eu não li nenhum editorial reclamando do “desperdício de dinheiro público”.

Em alguns casos o horário “gratuito” é, na verdade, um grande negócio para a emissora, pois o governo paga todo o tempo de inserção por dia como se estivesse comprando um espaço publicitário. Ocorre que originalmente aquele espaço não estava totalmente destinado à propaganda, mas também a programação: jornalismo, música, entretenimento, variedades.  Assim, o faturamento da rádio ou da TV aumenta.

O Decreto prevê que o pagamento seja de 80% do preço de tabela da emissora, isso porque este é o percentual que fica com a empresa, uma vez que a Agência que veicula a propaganda recebe a comissão de 20%.

Mas um anunciante comum paga bem abaixo do preço de tabela, pois o negócio é fechado após ampla negociação. É comum descontos de 40%, 50% sobre o preço de tabela. Às vezes mais. Uma emissora de TV em São Paulo negociou com uma grande rede de varejo, no ano passado, um contrato anual com desconto de 95%.

No caso do horário eleitoral “gratuito” não há negociação. É tabela cheia.

Grátis pra quem cara pálida?

Leia também:

Rubens Casara: “Risco da tentação populista é produzir decisões casuísticas”

Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira

Luiz Flávio Gomes: “Um mesmo ministro do Supremo investigar e julgar é do tempo da Inquisição”





11 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Joel Silveira Leite: Margem de lucro das montadoras no Brasil é três vezes maior que nos EUA « Viomundo – O que você não vê na mídia

14 de dezembro de 2012 às 13h18

[…] TVs faturam R$ 600 milhões com “horário gratuito” […]

Responder

Julio Silveira

30 de setembro de 2012 às 20h14

Quando vejo uma informação como essa não tenho como não lembrar, esses proprietários das midias corporativas ainda reclamam do tempo gasto pelo estado no programa hora do Brasil. Programa que tem há tempos no rádio, e que foi uma forma do estado ter algum tempo, dessa gente, para falar para o Brasil, principalmente o do interior.
Essa turma é mesmo muito cara de pau, exploram o estado e usam os cidadãos em nome de seus interesses quando tentam subverter o principio da necessidade das coisas em prol do lucro total, deles. E tem gente que navega nesse papo.

Responder

FrancoAtirador

30 de setembro de 2012 às 14h28

.
.
ÊPA!!!

Por Marco Aurélio Mello, no DoLaDoDeLá

Conheço o Jofe desde os tempos em que a TV Globo de São Paulo funcionava na Praça Marechal Deodoro, no bairro de Santa Cecília, região central de São Paulo.

Um repórter talentoso que trabalhou na grande imprensa, foi para Brasília e, na capital paulista, tentou a carreira como repórter de TV nos noventas do século passado.

Portanto, se ele está dizendo que a Globo começa a se articular para não perder a cidade de São Paulo, pode confiar. Fala Jorge Felix:

“Com interesses empresariais significativos na cidade de São Paulo, a Rede Globo aquiesceu a um encontro com representantes da campanha de Celso Russomanno, favorito nas pesquisas de intenção de voto para prefeito pelo PRB – partido com ligações com a Rede Record. O diretor de Relações Institucionais da emissora, Paulo Tonet Camargo, recebeu, há poucos dias, o vice Luiz D´Urso e o deputado Campos Machado (PTB) para uma conversa amistosa.”

Semana passada disse aqui que tudo não passa de business.

Portanto, nada mais natural do que a emissora curvar-se para manter seus interesses financeiros.

http://maureliomello.blogspot.com.br/2012/09/pode-confiar.html#more

Responder

Roberto Locatelli

30 de setembro de 2012 às 08h04

Sempre achei que mereceria um processo judicial essa afirmação mentirosa que rádios e TVs fazem de que o horário eleitoral é “gratuito”. Mentem na cara dura, desinformando o público, e não sofrem qualquer punição.

Responder

    Lu Witovisk

    30 de setembro de 2012 às 10h26

    Isso ai!

    Willian

    30 de setembro de 2012 às 16h40

    Vai ver que dizem que é gratuito por que os partidos não têm que pagar pelo horário às emissoras.

Urbano

29 de setembro de 2012 às 16h59

A gente pagar pra ser sacaneado…

Responder

J. Alberto

29 de setembro de 2012 às 16h41

Vindo de uma legislação da época da ditadura não me impressiona. Até nisso a Globo se programou perfeitamente pra mamar nas tetas do governo.

Responder

    Willian

    29 de setembro de 2012 às 20h27

    realmente, só a Globo recebe, as outras não.

J Souza

29 de setembro de 2012 às 15h48

A mídia golpista parece ter a maioria dos políticos eleitos “nas mãos”…

Responder

Eunice

29 de setembro de 2012 às 15h32

E o PSDB não se escandaliza.Tira proveito né!

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding