VIOMUNDO

Diário da Resistência


Jeferson Miola: Datafolha mostra Bolsonaro como a principal aposta anti-Lula das elites
Capas de Veja, julho de 2002, e IstoÉ, agosto de 2017, mostram a eterna busca das elites por um anti-Lula
Política

Jeferson Miola: Datafolha mostra Bolsonaro como a principal aposta anti-Lula das elites


24/06/2022 - 12h59

Datafolha mostra Bolsonaro como a principal aposta anti-Lula das elites

Por Jeferson Miola, em seu blog                           

Causaram enorme frisson as prisões do ex-ministro bolsonarista da Educação e dos charlatães bolsonaristas que traficavam influência e verbas do MEC em nome de deus e, claro, em troca de generosas propinas e de reluzentes barras de ouro.

Surgiram diversas hipóteses nos grupos de aplicativos, portais e outros ambientes de debate político.

A mais recorrente dessas hipóteses cogitava o “derretimento” eleitoral de Bolsonaro; a erosão vertiginosa da sua base social e, em decorrência disso, a viabilização de uma alternativa da mal apelidada terceira via – ou seja, uma outra candidatura anti-Lula que não a do Aberração do Planalto. A eterna busca das elites por um anti-Lula.

Antes das prisões do ex-ministro e dos pastores, Bolsonaro e o governo militar já colecionavam desgastes sérios devido à corrupção, inflação, carestia, preço dos combustíveis, descalabro econômico e ambiental, miséria e, ainda, aos assassinatos de Bruno Pereira e Dom Philips.

Ciro Gomes e Simone Tebet chegaram a acreditar que “tomariam a vaga de Bolsonaro” na cruzada anti-Lula, e que um deles passaria ao segundo turno para enfrentar o ex-presidente com o apoio coeso das classes dominantes.

Até o juiz-suspeito e um general dissimulado foram ressuscitados como possibilidades de vice em algumas fórmulas eleitorais especuladas.

A última pesquisa Datafolha [23/6], que coletou intenções de votos nos dias 22 e 23 de junho, auge da repercussão do escândalo no noticiário mostra, no entanto, que não é aplicável a hipótese de derretimento de Bolsonaro e de viabilização de outra opção anti-Lula que não o próprio Bolsonaro.

O Datafolha confirma a tendência eleitoral detectada sustentavelmente há mais de 18 meses.

Uma tendência que evidencia um cenário cristalizado e, portanto, provavelmente irreversível, de disputa polarizada entre Lula e Bolsonaro. E sempre com vitória folgada do Lula.

Um fator-chave que explica a perspectiva de vitória do Lula é a crise de legitimidade do governo militar e do regime de Exceção inaugurado em 2013 e aprofundado depois da derrubada fraudulenta da presidente Dilma, em 2016.

O inventário desta brutal violação da democracia é aterrador. Em poucos anos, o Brasil foi arrastado para a barbárie e o precipício fascista.

Apesar disso, contudo, e a despeito do desastre humanitário, nas pesquisas Bolsonaro continua com índices eleitorais ao redor de 30%, mesmo sendo quem ele monstruosamente é. Isso, aliás, diz muito sobre a tragédia da sociedade brasileira.

Juntos, todos demais inventos anti-Lula alcançam cerca de 13% das intenções de votos, que significam menos da metade do desempenho de Bolsonaro.

O último levantamento do Datafolha retrata exatamente este cenário: Bolsonaro preserva seu rebanho fiel e as demais candidaturas continuam estacionadas, ao passo que Lula avança de modo sustentável o patamar acima dos 50%, em claro sinal de vitória já no primeiro turno.

As classes dominantes prefeririam mil vezes não terem de assistir passivamente o desfile de Lula rumo à vitória em 2 de outubro sem poderem fazer alguma patifaria ou vilania para impedir o triunfo eleitoral dele. 

Por isso, já se preparam para combater, inviabilizar e derrubar o futuro governo Lula.

A desmoralização do governo militar e o avanço da crise de legitimidade do golpe reduzem muito a eficácia do arsenal golpista do establishment contra Lula e a democracia. E deslegitimam sobremaneira os planos golpistas que as cúpulas partidarizadas das Forças Armadas preparam.

A cada dia que passa vão se estreitando as margens de manobra das elites para alterarem os rumos da eleição e impedirem a vitória do Lula – salvo, claro, na hipótese do seu assassinato.

PS do Viomundo: Segundo a pesquisa do Datafolha, divulgada nessa quinta-feira, 23/06, a intenção de voto no 1º turno está assim: Lula 47% contra 28% de Bolsonaro. Ciro vem seguida com 8%.

Num eventual 2º turno, Lula registra 57% e Bolsonaro 34%. A diferença entre os dois é de 23 pontos percentuais.

 





8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

28 de junho de 2022 às 13h32

Protocolado na Mesa-Diretora do Senado Federal
Requerimento de Abertura de Comissão Parlamentar
de Inquérito (CPI) para investigar o #BolsolãoDoMEC.

31 Senadores assinaram o Requerimento da CPI do MEC:

1. Randolfe Rodrigues (Rede-AP)
2. Paulo Paim (PT-RS)*
3. Humberto Costa (PT-PE)*
4. Fabiano Contarato (PT-ES)*
5. Jorge Kajuru (Podemos-GO)
6. Zenaide Maia (Pros-RN)
7. Paulo Rocha (PT-PA)*
8. Omar Aziz (PSD-AM)
9. Rogério Carvalho (PT-SE)*
10. Reguffe (União Brasil-DF)
11. Leila Barros (PDT-DF)
12. Jean Paul Prates (PR-RN)
13. Jaques Wagner (PT-BA)*
14. Eliziane Gama (Cidadania-MA)
15. Mara Gabrilli (PSDB-SP)
16. Nilda Gondim (MDB-PB)
17. Veneziano Vital do Rego (MDB-PB)
18. José Serra (PSDB-SP)
19. Eduardo Braga (MDB-AM)
20. Tasso Jereissati (PSDB-CE)
21. Cid Gomes (PDT-CE)
22. Alessandro Vieira (PSDB-SE)
23. Dario Berger (PSB-SC)
24. Simone Tebet (MDB-MS)
25. Soraya Thronicke (União Brasil-MS)
26. Rafael Tenório (MDB-AL)
27. Izalci Lucas (PSDB-DF)
28. Alexandre Giordano (MDB-SP)
29. Confúcio Moura (MDB-RO)
30. Marcelo Castro (MDB-PI) e
31. Jarbas Vasconcelos (MDB-PE)
.
.

Responder

Zé Maria

28 de junho de 2022 às 13h20

Por falar em Milícia Armada Bolsonarista …
.
.
Arsenal de Armamentos Legalizados em Posse do PCC desmonta a Falácia Armamentista de Jair Bolsonaro

[ Reportagem: Matheus Pichonelli | Yahoo! Notícias ]

De ontem para hoje, 449 pessoas conseguiram registro
de colecionador, atirador esportivo ou caçador no Brasil.

Tem sido assim desde junho de 2019, quando o número
de licenças para armamentos do tipo saltou de 167.390
para 605.313.

Os números foram levantados no início do mês pelo Instituto Sou da Paz e pela Globo News por meio da Lei
de Acesso à Informação.

O aumento coincide com uma mudança na lei, prometida
– e entregue – pelo governo de Jair Bolsonaro, que permitiu
aos atiradores comprar até 60 armas, inclusive as de uso
restrito, como fuzis.

Cada proprietário pode adquirir até 180 mil balas por ano
–ou seja, tem bala, literalmente, para realizar cerca de
493 disparos diários “para desestressar”.

Quem observa os dados de longe imagina que o ofício
de caçador, autorizado a ostentar até 30 armas, é uma
profissão em alta no Brasil e se tornou o motor de uma
economia cambaleante.

Os alvos nem sempre são animais silvestres.

Armas de caça alvejaram, no começo de junho, o jornalista
Dom Phillips e o indigenista Bruno Pereira durante a
apuração de uma reportagem [sobre pesca e garimpo ilegais, em terras indígenas, e tráfico de entorpecentes]
no Vale do Javari, no Amazonas, [na fronteira do Brasil com
a Colômbia e o Peru].

A possibilidade de ostentar seu próprio arsenal faz de
qualquer caçador ou colecionador um exército particular
[leia-se: Milícia Paramilitar] para enfrentar quem bater à
sua porta –inclusive o próprio Exército brasileiro.

Na segunda-feira (27), a Polícia Civil apreendeu uma
coleção de fuzis, pistolas e até metralhadoras compradas
legalmente no mercado e que estavam nas mãos de
pessoas ligadas ao PCC, o Primeiro Comando da Capital.

A apreensão, mostrada pelo Brasil Urgente, da TV
Bandeirantes, ocorreu durante o cumprimento de
mandados de busca e apreensão em endereços de
pessoas ligadas a um traficante chamado João Cabeludo.
Ele é suspeito de comandar o tráfico de drogas na região
de São José dos Campos (SP) e está foragido.

As armas serviriam para esquentar o dinheiro da facção.
Na ação foram apreendidos R$ 60 milhões em joias e automóveis de luxo.

A apreensão é só uma amostra de como grupos
criminosos podem se beneficiar do “liberou-geral
armamentista” promovido pelo atual governo.

E prova que não tem pé na realidade o mundo imaginário
de Bolsonaro e seus apoiadores segundo o qual o acesso
facilitado a armas serviria apenas para proteger os ‘cidadãos
de bem’.

A realidade mostra o exato oposto: essas armas estão
apontadas contra os próprios cidadãos e as forças de
segurança que deveriam protegê-los.

Aos poucos, essa relação de causa e efeito, cantada e
alertada por especialistas, começa a ficar evidente –mais
ou menos como a ponta de um iceberg movido a pólvora.

Só no Espírito Santo, 30% das armas utilizadas por
criminosos eram legalizadas, segundo um outro
levantamento recente da ‘ONG Sou da Paz’ em parceria
com o ‘Instituto Jones dos Santos Neves’ e a Secretaria
da Segurança Pública do estado.

Isso significa que a cada 100 armas periciadas no estado,
30 foram adquiridas por pessoas com documentações
em dia e que puderam escolher pagar no crédito,
no débito ou em dinheiro vivo o arsenal que logo seria
transferido para o crime.

No último fim de semana, dois shoppings de grandes
cidades, no Rio de Janeiro e em Campinas (SP), registraram
tiroteios entre seguranças e criminosos que não se
incomodaram com o fluxo de clientes em um momento
de alta movimentação.
Eles visavam as joalheiras dos centros comerciais.

Em ambas as ocasiões os criminosos estavam fortemente armados.

No shopping do interior paulista, dois seguranças ficaram
feridos.
No Rio, um vigilante de 49 anos que fazia bico na noite
de sábado em troca de R$ 180 foi alvejado e morreu.

A experiência norte-americana, onde qualquer jovem
perturbado pode comprar sua arma e promover
massacres nas escolas onde criou inimizades, deveria
servir como alerta.
Na verdade, serve como inspiração.

Por aqui, não vai demorar para vermos novos assaltos
em shoppings, como os do último fim de semana,
promovidos com armas adquiridas legalmente
na loja vizinha.

https://br.noticias.yahoo.com/arsenal-legalizado-pcc-desmonta-falacia-armamentista-de-bolsonaro-125537099.html
.
Leia também:

“Governo Bolsonaro está há 0 dia
sem suspeita de corrupção”
https://br.noticias.yahoo.com/milton-ribeiro-prisao-pf-corrupcao-ministerio-educacao-141103593.html
.
“Bolsonaro foi dormir sonhando com uma CPI
e acordou assombrado por outra”
https://br.noticias.yahoo.com/jair-bolsonaro-cpi-mec-assombra-135535633.html
.
.

Responder

Zé Maria

25 de junho de 2022 às 11h45

Datafolha
22-23/6/2022
Eleição Presidencial
1º Turno

“A 100 dias do Pleito de Outubro,
LULA vence no Primeiro Turno
com 53% dos Votos Válidos.”
.
Extratificação
.
REGIÃO SUDESTE
(42,6% do Eleitorado Brasileiro)

LULA = 43%
Bolsolão = 29%
.
REGIÃO NORDESTE
(27% do Eleitorado Brasileiro)

LULA = 58%
Bolsolão = 19%
.
BRASIL

LULA = 47%
Bolsolão = 28%
Ciro = 8%
Janones = 2%
Marçal = 1%
Vera Lúcia = 1%
Tebet = 1%
Soma dos Adversários de Lula = 41%
.
.
REJEIÇÃO A BOLSONARO = 55%
(não vota nele de jeito nenhum)
.
Grupos que MAIS REJEITAM BOLSONARO:

LGBTQIA+ = 80%
Desempregados = 66%
Pretos = 63%
Nordestinos = 62%
Estudantes = 62%
Mulheres = 61%
Católicos = 61%
Jovens = 60%
Mais Pobres = 60%
.
.
Margem de Erro = (+/-) 2%
.
Íntegra da Enquete Datafolha (22-23/6/2022):

http://media.folha.uol.com.br/datafolha/2022/06/24/intencaoxe390nf8enow85ndvoo-junsrwv222.pdf

Responder

    Zé Maria

    25 de junho de 2022 às 12h51

    Detalhes

    Datafolha
    22-23/6/2022
    Eleição Presidencial
    Estimulada
    PRIMEIRO TURNO

    Perfil dos Municípios
    .
    INTERIOR
    (59% do Eleitorado Brasileiro)

    LULA = 49% (Válidos = 55%)
    Bolsolão = 28%
    Ciro = 7%
    Janones = 2%
    Marçal = 1%
    Tebet = 1%
    Vera Lucia = 1%

    REGIÃO METROPOLITANA = RM
    [41% do Eleitorado Brasileiro: Capital = 23% + Outros RM = 18%)

    LULA = 44% (Válidos = 50%)
    Bolsolão = 29%
    Ciro = 10%
    Tebet = 2%
    Janones = 1%
    Marçal = 1%
    Vera Lucia = 1%
    .
    .
    Vide Páginas 15, 27 e 28 do pdf):

    http://media.folha.uol.com.br/datafolha/2022/06/24/intencaoxe390nf8enow85ndvoo-junsrwv222.pdf

    Zé Maria

    25 de junho de 2022 às 14h33

    Datafolha
    22-23/6/2022
    Eleição Presidencial

    Perfil Amostral da Enquete
    (% do Eleitorado do País)
    .
    REGIÕES DO BRASIL
    Sudeste = 42%
    Nordeste = 27%
    Sul = 15%
    Norte = 8%
    Centro-Oeste = 7%
    .
    COR DA PELE
    Parda = 43%
    Branca = 31%
    Preta = 15%
    Amarela = 3%
    Indígena [Vermelha] = 2%
    .
    RELIGIÃO
    Católica = 51%
    Evangélica = 26%
    Adventista = 2%
    Espírita/Kardecista = 2%
    Umbanda/Candomblé = 1%
    Outras Religiões = 5%
    Sem Religião/Não tem = 12%
    .
    ENSINO
    Fundamental = 33%
    Médio = 47%
    Superior = 20%
    .
    RENDA FAMILIAR MENSAL
    Até 2 SM = 52%
    De 2 a 3 SM = 17%
    De 3 a 5 SM = 16%
    De 5 a 10 SM = 9%
    De 10 a 20 SM = 2%
    De 20 a 50 SM = 0, (- de 1%)
    Mais de 50 SM = 0, (- de 1%)
    Não sabe = 3%
    Recusou declarar = 1%
    .
    IDADE (Anos)
    16 a 24 = 15%
    25 a 34 =20%
    35 a 44 = 20%
    45 a 59 = 255
    60 ou + = 20%
    .
    ‘SEXO’ [‘Biológico’]
    Feminino = 53%
    Masculino = 47%
    .
    ORIENTAÇÃO SEXUAL
    ‘Heterossexual’ = 87%
    ‘Homossexual’ = 3%
    ‘Bissexual’ = 3%
    ‘Outros’ = 1%
    ‘Não Sabe’ = 2%
    ‘Recusou declarar’ / ‘Não respondeu’ = 4%
    .
    Vide Páginas 12 a 17 do pdf:
    http://media.folha.uol.com.br/datafolha/2022/06/24/intencaoxe390nf8enow85ndvoo-junsrwv222.pdf
    .
    .

    Zé Maria

    26 de junho de 2022 às 14h43

    .
    .
    “Perfil predominante dos apoiadores do Bozo:
    Homem, de renda alta, branco, heterosexual,
    conservador e acima de 50 anos, o típico
    falso moralista.”
    https://twitter.com/MarcosMedrado12/status/1540324978821824512

    “Os grupos que mais rejeitam Bolsonaro
    são os desempregados (66%), pretos (63%),
    nordestinos (62%), estudantes (62%),
    mulheres (61%), jovens (60%) e
    os mais pobres (60%).”
    A maior rejeição a Lula ocorre entre
    os mais ricos (57%) e homens (41%).
    Isso diz tudo”
    https://twitter.com/ElikaTakimoto/status/1540311070493102081

    Zé Maria

    28 de junho de 2022 às 10h49

    Em tempo:

    Datafolha
    22-23/6/2022
    Estratificação

    Perfil Amostral da Enquete
    (% do Eleitorado do País)

    IDADE (Anos)
    16 a 24 = 15%
    25 a 34 =20%
    35 a 44 = 20%
    45 a 59 = 25%
    60 ou + = 20%

    Vide Páginas 12 a 17 do pdf:
    http://media.folha.uol.com.br/datafolha/2022/06/24/intencaoxe390nf8enow85ndvoo-junsrwv222.pdf

    Redação

    28 de junho de 2022 às 15h30

    Olá, Zé Maria. Boa tarde. Como vc obteve a íntegra da pesquisa da Folha em PDF? Gratíssima. Abração


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Blogs & Colunas
Mais conteúdo especial para leitura