Jeferson Miola: Blitz na Lava Jato chega com anos de atraso e após estragos devastadores, irrecuperáveis

Tempo de leitura: 3 min

Blitz na Lava Jato chega com anos de atraso e depois de estragos devastadores

Por Jeferson Miola, em seu blog

O sistema de justiça do país tardou e falhou terrivelmente – e, sabe-se, deliberadamente – em relação à Lava Jato.

Os danos profundos causados pela Lava Jato à sociedade, às pessoas injustiçadas, à economia e à democracia brasileira são irreparáveis, e ainda continuarão causando enormes custos econômicos, políticos e sociais por décadas.

O Brasil não teria padecido de toda barbárie, tragédia, ódio, violência e incivilidade se a Lava Jato e seus agentes tivessem sido detidos a tempo de evitar que fizessem o que fizeram e que se sabia de antemão que pretendiam fazer.

Não se trata de chorar o leite derramado, mas de lembrar que toda essa barbaridade só aconteceu porque uma engrenagem empresarial-militar-midiática-judicial omissa, leniente e, também, cúmplice, permitiu que a Operação se desenrolasse mesmo nos moldes de uma organização mafiosa.

Afinal, os fins justificavam os meios, e como o objetivo central era a destruição dos governos petistas, de Lula e do PT, toda sorte de vilania era autorizada, avalizada e incensada.

A blitz/correição do Conselho Nacional de Justiça [CNJ] só acontecerá devido a mais uma ação jurídica atípica, para não dizer uma ação típica de gângsters, em que desembargadores lavajatistas do TRF4 decidiram afastar o juiz Eduardo Appio, atual titular da 13ª Vara Federal em Curitiba e, supostamente, autor de telefonema infame ao advogado João Eduardo Malucelli, que é filho do desembargador Marcelo Malucelli e sócio de escritório e genro de Sérgio e Rosângela Moro.

Appio teria cometido o mesmo pecado – porém, com seta invertida – cometido amplamente por policiais federais, procuradores, juízes e desembargadores da Lava Jato em relação aos seus alvos. Errou, portanto; e errou feio.

A blitz na Lava Jato, como é chamada a correição extraordinária do CNJ na 13ª Vara Federal de Curitiba e nos gabinetes de desembargadores do TRF4 entre os dias 31/5 a 2/6 chegou, portanto, com pelo menos oito anos de atraso e depois de estragos devastadores, irrecuperáveis.

Pelo menos desde o início da Operação, ainda no ano de 2014, juristas, políticos e analistas da mídia contra-hegemônica já denunciávamos a natureza enviesada da Lava Jato, seus desvios, abusos e atropelos que, entretanto, eram validados e autorizados pelos tribunais superiores e pelo próprio CNJ e aplaudidos pela imprensa dominante no contexto da feroz ofensiva antipetista em curso.

Inúmeros outros arbítrios perpetrados pela Lava Jato, muito mais graves que o episódio que envolveu o atrapalhado juiz Eduardo Appio, já reclamavam correições do CNJ que, no entanto, nunca aconteceram.

E não aconteceram por razões mais que óbvias. Hoje, por sinal, até tem ministro do STF que condena com extrema contundência verbal e moral os atos de arbítrio e de violência jurídica que lá atrás ele endossou.

São os eventos, por exemplo, da participação da Lava Jato na desestabilização política do país para viabilizar o impeachment fraudulento da presidente Dilma; na escuta telefônica ilegal de conversas telefônicas de Dilma com Lula, decretada por Moro; no impedimento da posse de Lula na Casa Civil; na divulgação da delação do Palocci na véspera da eleição de 2018 e, sobretudo, com a revelação do escândalo da Vaza Jato, que expôs as vísceras podres da estrutura que se organizava em bases genuinamente mafiosas em Curitiba e com ramificações em outros níveis do judiciário.

Não faltaram, portanto, há muitos anos, motivos suficientes para que tribunais superiores e instâncias fiscalizadoras do judiciário atuassem para interromper tamanha patifaria mafiosa.

A correição do CNJ em Curitiba [13ª Vara Federal da Justiça] e em Porto Alegre [TRF4] é muito bem-vinda, indispensável e urgente.

No entanto, esta medida institucional só terá significado concreto se efetivamente apurar e responsabilizar servidores públicos da PF, da PGR e do judiciário – policiais federais, procuradores, juízes e desembargadores – diretamente vinculados ao que internacionalmente é considerado como o maior escândalo de corrupção judicial da história.

E não se trata, naturalmente, de conceder aposentadoria a criminosos com salários nababescos por toda a eternidade, mas de julgamento, condenação e prisão de agentes públicos que atentaram contra a democracia e o Estado de Direito para concretizar um projeto fascista de poder.

Leia também:

Jeferson Miola: A promiscuidade obscena de integrantes da Lava Jato aos poucos está vindo à tona

Agência Sportlight: Relatório de viagem de Sergio Moro confirma a participação do FBI na Lava Jato

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Zé Maria

“Ele conspirou, tirou Lula do pleito de forma arbitrária,
rasgou a toga pra virar ministro do extremismo,
e tudo com um só objetivo: STF.

Agora, vê @LulaOficial presidente da República e @Cristianozaninm, reconhecido por toda comunidade jurídica, no @STF_oficial .
‘A bola pune’.”

https://twitter.com/RicardoCappelli/status/1664446618668605441
https://twitter.com/Xxbaiana_/status/1664449006099996673

Zé Maria

Mensagem ao Senador Marréco de Maringá, Conje da Deputada Conja:

“Imagina tu fazer de tudo pra obter uma vaga no STF,
vendeu a alma pro diabo, mentiu, dissimulou,
rasgou a Constituição e aí o indicado é aquele
que tu GRAMPEOU o ESCRITÓRIO de ADVOCACIA ?

CREDOOOOO, que delicia !!!”

Suzana GuaraniKaiowá
https://twitter.com/SuDornelles/status/1664328490487783429
https://twitter.com/JoaoNeryRafael/status/1664378424691945475

Zé Maria

Apenas por Curiosidade:

Será que a Lindôra concordaria com Golpe de Estado
tramado pela Cúpula Militar Bolsonarista, inclusive,
com o Fechamento do Supremo Tribunal Federal,
como queria Jair Bolsonaro. E seria ela a PGR?

https://cartacampinas.com.br/2020/08/bolsonaro-tentou-dar-golpe-em-maio-para-destituir-ministros-do-stf-revela-revista/

Zé Maria

Está dando pra entender por que Jair Bolsonaro

Nunca foi Processado por Crimes Comuns,

durante o Mandato de Presidente da República.

https://horadopovo.com.br/mensagens-do-celular-de-cid-confirmam-reuniao-secreta-de-bolsonaro-com-a-vice-da-pgr/

Zé Maria

Não é o CNJ que tem de fazer Correição, o CNMP também …

“Bolsonaro tinha Reuniões Secretas com Lindôra, Vice de Aras na PGR,

revela Celular de Mauro Cid, Ajudante de Ordens do ex-Presidente.”

Zé Maria

.
.
“Não satisfeito com a cacetada do TSE
e o naufrágio à vista no STF, Degolladonol
se esforça para ir pra Haia…

Dallagnol vai à Câmara para votar contra
os indígenas no PL do Marco Temporal”

Revista Fórum: https://t.co/DgxXiwjSNk
https://twitter.com/TulioMuniz/status/1663712534115803142
.
.
“Como assim? Deltan Dallagnol votou hoje à noite?
Ele é o Guaidó brasileiro, se autodeclarou deputado federal
após ser cassado?”

https://twitter.com/CynaraMenezes/status/1663710552470831104
.
.

Zé Maria

Notícias do Conselho Nacional de Justiça (CNJ)

Corregedoria Nacional determina a realização de Correição Extraordinária
na 13ª Vara Federal de Curitiba/PR e na 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4 = PR+RS+SC), com sede em Porto Alegre/RS

Publicada nesta terça-feira (30/5), a Portaria n.32/2023, assinada
pelo Corregedor Nacional de Justiça, Ministro Luis Felipe Salomão, que
determina a realização de Correição Extraordinária na 13ª Vara Federal
da Subseção Judiciária de Curitiba/PR e nos gabinetes integrantes da
8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

Os trabalhos que se iniciam já nesta quarta-feira, 31/5, deverão ser
concluídos na sexta-feira, dia 2/6.

A medida se deu, entre outros motivos, pela existência de diversas
reclamações disciplinares apresentadas ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ),
ao longo dos últimos dias, apontando a necessidade de fiscalização
e apuração de fatos relacionados à conduta de magistrados e de
desembargadores vinculados ao tribunal.

É atribuição funcional da corregedoria nacional realizar esse tipo
de procedimento, seja por motivações externas apresentadas ao CNJ
ou agindo de forma autônoma, como de costume.

Os prazos processuais não serão suspensos durante a realização da correição e os trabalhos na unidade deverão prosseguir de forma regular.

A portaria determina também que, durante a realização dos trabalhos,
a presidência do tribunal disponibilize ambiente adequado para a inspeção,
assim como intime pessoas indicadas pelos juízes auxiliares da
Corregedoria Nacional e, caso necessário, compareçam presencialmente
à vara para prestarem esclarecimentos à equipe do Conselho.

Além das equipes locais, que já foram oficiadas sobre a correição
extraordinária, a Procuradoria Geral da República (PGR), a Defensoria
Pública e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em suas seccionais
paranaense e gaúcha, também foram comunicadas de forma oficial
pelo corregedor.

Uma equipe de três juízes auxiliares e outros três servidores
da Corregedoria Nacional foram designados para a correição,
que será conduzida sob segredo de Justiça.

Acesse a íntegra da Portaria n.32/2023 para mais informações:

https://www.cnj.jus.br/wp-content/uploads/2023/05/portaria-32-2023.pdf

https://www.cnj.jus.br/corregedoria-nacional-determina-correicao-extraordinaria-no-trf4/

O que deve ter de gente correndo pra queimar Papéis e apagar Registros
nos Gabinetes da Gabi Copia & Cola e do Desembargador Mamalulu

https://agenciabrasil.ebc.com.br/justica/noticia/2023-05/cnj-determina-correicao-extraordinaria-em-unidades-da-lava-jato

Deixe seu comentário

Leia também