Izaías Almada: Síndrome Safatle/Dutra vs professor Antonio Candido

Tempo de leitura: 4 min

 A SÍNDROME SAFATLE/DUTRA – Parte II

por Izaías Almada

Ao afirmar que os condenados do mensalão não seriam desligados do partido, ao aceitar organizar uma contribuição para manter tais condenados a pagarem as multas aplicadas pelo STF e, agora, ao achar normal que alguém condenado em última instância assuma uma vaga no Congresso, o PT age como um avestruz que coloca a cabeça na terra e erra de maneira imperdoável.

Vladimir Safatle em artigo na Folha de São Paulo

… todos os que o conhecem nunca tiveram um minuto de dúvida quanto à sua integridade de caráter e quanto à limpidez de sua trajetória de vida. Entre eles estou eu, admirador que sempre o considerou um militante exemplo pela sua dignidade, a coragem e a lucidez…

Prof. Antonio Candido, em carta ao deputado José Genoíno

 Com a contextualização em relação ao título desses meus artigos feita no primeiro deles atempadamente pela amiga Conceição Lemes – do Viomundo – volto ao assunto sobre as opiniões do professor Vladimir Safatle e do ex-governador gaúcho Olívio Dutra. Vamos em frente.

Em 1997 tive o privilégio de coordenar, junto com os jornalistas Granville Ponce e Alípio Freire, o livro de memórias de prisioneiros políticos TIRADENTES: UM PRESÍDIO DA DITADURA. Privilégio acrescido com a honra de ter como apresentador da obra o professor Antonio Candido de Mello e Souza, um de nossos mais brilhantes intelectuais.

No seu prefácio, o professor Antonio Candido destaca o seguinte trecho dos organizadores à página 16, referindo-se aos memorialistas: “Ninguém é vítima ao aderir a uma causa (a opção pela luta armada) de livre e espontânea vontade, mesmo considerando a possibilidade de uma ou de outra falha no recrutamento de um militante. É curioso notar, inclusive, que de todos os textos que recebemos, não há nenhum em que o autor faça qualquer alusão a uma eventual condição de vítima daquele processo de luta política. E só não comete erros quem não ousa”.

De certa maneira, a autocrítica daquele processo de ousada luta política foi feita por muitos que após e experiência da luta armada se incorporaram à criação do Partido dos Trabalhadores, que teve o professor Antonio Candido como um de seus fundadores. Autocrítica que pressupunha a crença em valores democráticos ainda por conquistar. Entre eles estavam José Genoíno e José Dirceu.

Vencida a ditadura em alguns dos seus aspectos mais sensíveis e visíveis, como a liberdade de reunião e a volta dos sindicatos, das organizações estudantis, o fim da censura a imprensa, a retorno do ‘habeas corpus’, o direito de ir e vir, o cessar das mortes e desaparecimentos de opositores ao regime, parte representativa da esquerda e não só, organizou e fundou o PT. E partidos políticos, ao que se sabe, se organizam para chegar ao poder político, como é óbvio, e se possível chegar ao mais alto cargo governamental republicano, o que foi conseguido em 2002 com a eleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Refém de uma economia de mercado atrelada aos interesses rentistas e corporativos, nacionais e internacionais, bem como de um quadro político partidário anômalo, fisiológico e bastante conservador, o PT – como qualquer outro partido de esquerda progressista e democrático – apesar das seguidas vitórias eleitorais viu-se jogado às feras numa arena onde a platéia dividia-se entre a esperança e o medo. Diariamente, desde então, jornais, rádios, televisões, revistas semanais vêm tentando colocar o PT, seus militantes e seus eleitores no “seu devido lugar”. A Casa Grande mostrava e continua a mostrar as garras através dos seus porta-vozes.

Visto pelas lentes da dialética pode-se dizer que para os seus eleitores, o PT trouxe a esperança; para os adversários, em particular os mais conservadores, o medo, o receio. Quem não se lembra da campanha contra Lula em 1989? Do ponto de vista interno, entretanto, há o natural medo de não se corresponder à imensa responsabilidade de governar o país consoante as expectativas criadas e, na contramão desse medo, a esperança dos adversários pelo fracasso nesse sentido. E governar não é ir para um baile de debutantes ou praticar boas ações para ganhar o reino dos céus. Essa, quando muito, será a visão edulcorada de um medievalismo tardio, de uma cultura acadêmica afrancesada, de tempos inquisitoriais ou de exacerbado e ingênua recato quase religioso diante do poder econômico dominante.

Passados poucos mais de 40 anos, nos quais muito se fez para o estabelecimento de um pensamento único no mundo, após a queda do socialismo real na Europa, proclamando-se para isso até o fim da História, os vários discursos neoliberais vão tendo vencidas as suas datas de garantia de uso, a última delas em 2008, já com algumas trombetas de alarme soando na Europa, nos EUA e no Japão para dias futuros.

Também após esses 40 anos é possível encontrar a sensibilidade e a solidariedade, entre centenas de milhares de brasileiros, de um professor Antonio Candido, por exemplo, que atento ao que se passa à sua volta, escreve a carta que escreveu ao deputado José Genoíno Neto, de cabeça erguida, ao contrário de outros que abandonaram, senão a luta, os caminhos escolhidos pelo PT.

Também durantes esses 40 anos, novas gerações de brasileiros se formaram e se prepararam para as mais diversas atividades no campo do saber e do fazer. E cada geração, mesmo bebendo nos clássicos a sua formação e especialização, e amparada pelo conhecimento já comprovado e contínuo pelas ciências exatas ou humanas, sabemos que será sempre influenciada pelo confronto das idéias no seu dia a dia, por novas descobertas e avanços da humanidade. Ou por teorias ainda carentes de comprovação, quando não estas são lançadas apenas como estratégia de espalhar a dúvida e a confusão. Nesse confronto, nessa batalha de idéias, será preciso algum discernimento e, se necessário, saber remar contra a maré, quando for o caso.

Para os mais novos haverá sempre a tentação de reinventar a roda ao assumir a realidade do dia a dia como sendo a expressão de toda e qualquer realidade. Pedir a um partido que faça autocrítica das suas ações no atual contexto da política brasileira é direito que assiste a qualquer cidadão. Até porque, as condenações de uma ação penal ainda não concluída, é bom lembrar, não o foram em “última instância”, mas em ÚNICA INSTÃNCIA.

Contudo, é preciso distinguir, no caso do PT, se tal avaliação provém de uma reflexão histórica consistente de quem vive o jogo político por dentro ou é fruto de um desejo subjetivo de escaramuças intelectuais obtidas em salas acadêmicas e redações midiáticas. Ou como diria o grande filósofo Millor Fernandes: “Certas coisas só são amargas, se a gente as engole”.

Voltarei ao tema.

Escritor e dramaturgo. Autor da peça “Uma Questão de Imagem” (Prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos) e do livro “Teatro de Arena: Uma Estética de Resistência”, Editora Boitempo.

Leia também:

Izaías Almada: Sobre a síndrome Safatle/Dutra (parte I)

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

O pré-debate entre Tarso Genro e José Dirceu sobre o congresso do PT em fevereiro « Viomundo – O que você não vê na mídia

[…] Izaías Almada: Síndrome Safatle/Dutra (II) […]

Fabio Passos

Parabéns ao Prof. Antonio Candido pela belíssima carta enviada ao herói do povo brasileiro José Genoíno.

A “elite” branquicela e rica que patrocinou a farsa que foi este “julgamento do mensalão” não tem nada que preste para oferecer ao país.
Já passou da hora de queimar a Casa Grande.

Os ricos são o crime!

LEANDRO

Não entendo porque fazer vaquinha para pagar o que os condenados devem a justiça. È só pedir ao dirceu e ao palloci que eles tem de sobra. O dfirceu tava cobrando 600.000,00 por consultoria em média e o palloci ganhou 20.000.000,00 em dois anos.

    Valcir Barsanulfo

    Leandro,seria melhor e mais oportuno pedir ajuda à Verônica Serra filha do Zé Cerra e ao Álvaro Mansões escondidas Dias.

    LEANDRO

    Isso..ela também..mas porque a defesa dos ricos do Pt?

leprechaun

“Refém de uma economia de mercado atrelada aos interesses rentistas e corporativos, nacionais e internacionais, bem como de um quadro político…”
esse discurso petista não cola, ser refém implica não ter responsabilidade em nada, nem meios de fazer o quer que seja, senão os alardeados avanços desse período tb não de responsabilidades de um partido refém.
O melhor seria admitir que o PT, ou o ‘lulismo’ como quer o Safatle, compactua com isso e não tem nada alternativo pra apresentar, mas procura fazer com algum alcance social, que ficar repetindo ad nauseam que é diferente isso e aquilo mas não pode fazer pq é refém

ricardo silveira

O filósofo parece que não assistiu ao julgamento do “mensalão”. Ou assistiu e comunga com o que lá se viu. O PT merece críticas, como a palhaçada inexplicável da CPMI do Cachoeira, mas não a que faz o filósofo, valendo-se do julgamento político.

    luiz pinheiro

    Que palhaçada na CPMI do Cachoeira? O relator Odair Cunha (PT-MG) e a bancada do PT votaram pelo indiciamento do Cachoeira, do Perillo e do Cavendish. Os tucanos, vários peemedebistas, e outros mais, votaram contra, quer dizer a favor da pizza. O relatório perdeu por 18 a 16. A imprensa ficou malhando o Odair, o recuo dele em indiciar o Gurgel e alguns jornalistas dfe esgoto, quando na verdade o relator buscava obter um consenso minimo para aprovar pelo menos a indiciação do Cachoeira e do Perillo, que estão no centro das denúncias, no foco da CPMI. A pizza tucabna vencveu, e ainda btem gente

    Rodrigo Leme

    A pizza é tucana? E eu aqui achando que a base governista é maioria no senado, e que o relatório estava na mão de petistas. Estou enganado, pelo jeito.

    leprechaun

    a palhaçada consiste em saber de antemão que perderia a batalha dentro da institucionalidade, como sempre, e não buscar outros caminhos, a tal militância, mobilizar o povo, etc, sei lá, essa é a palhaça ter consciência da derrota antecipada e chorar depois

JORGE

Azenha

Gostaria de acrescentar mais um tema para o DEBATE.

A comissão da verdade é APARTIDÁRIA E COMPOSTA POR TODOS OS PODERES DO ESTADO BRASILEIRO, pelo menos é o que foi proposto.

Porque a NBR, a TV Câmara, a TV Senado e a TV Justiça, NÃO DÃO NOTÍCIA “AO VIVO” DAS DISCUSSÕES NA COMISSÃO DA VERDADE? Poderia ser GRAVADA, já seria de alguma utilidade MORAL para O PAÍS.

Um abraço.

JORGE

Azenha

Estou de pleno acordo com o ilustre autor e entendo que, necessariamente, o PT deve PAUTAR os seus aliados: Ou seja, tirar uma AGENDA MÍNIMA DO ARMÁRIO: a democratização dos MEIOS DE COMUNICAÇÃO NO BRASIL e OS RESTOS MORTAIS DA DITADURA UDENOMILITAR DO MINISTÉRIO PÚBLICO E JUDICIÁRIO.

As cartas devem ser postas na mesa.

O PT não pode ter medo da HISTÓRIA real DO BRASIL. Doa a quem doer.

Por onde anda a COMISSÃO DA VERDADE?

Será que não poderia ser um CONTRAPONTO, para essa MÍDIA, MPF E JUDICIÁRIO DA CASA GRANDE, MADE IN USA?

Vamos para o D E B A T E…… Primeira pergunta: Onde estavam esses Senhores de Engenho durante da ditadura UDENOMILITAR, “de 1964 a 1985”, se isso for verdade factual?

Um abraço.

Alvino Lemos

Almada, parabéns pela lucidez do texto. Tenho bons textos do prof. Saflate ,e, se o futuro não autorizar outro juízo, acho que ele errou a mão. Ele erra de maneira imperdoável ” ao não levar em conta o caráter explicitamente político do julgamento e ao querer que o PT assuma uma ” autocrítica” que, a seguir o rumo por ele expresso, seria assumir o discurso odiento e parcial da grande mídia. Além do mais, labora em erro, pois Genoino somente poderá ser considerado “condenado em última instância”qdo. a sentença transitar em julgado, o que ainda não ocorreu. Apesar disso, acho que ainda vamos poder degustar bons textos do prof. Saflate.

mello

Antonio Candido e José Genoino merecem todo o meu respeito.

Roberto Locatelli

Essa defesa do Genoino é a defesa de um intelectual. Leitura cansativa.

Como não sou intelectual, dou minha versão:

1) Os tribunais são o último refúgio da direita. A mídia golpista é o penúltimo.

2) O PT errou fazendo Caixa 2, copiando o que os outros partidos fizeram E FAZEM. Mas Caixa 2 não é crime, e sim ilícito penal. Nada a ver com “mensalão”.

3) O julgamento da AP 470 é parte de um golpe de estado. O próximo passo é condenar Lula e, em seguida, cassar o mandato de Dilma. Se a direita conseguirá ou não efetivar o golpe, aí é uma outra história.

4) É preciso defender o PT e seus líderes da sanha condenatória da trupe midiática do Joaquim, que está a serviço da direita.

José X.

O Genoíno foi torturado pela ditadura militar.
Agora está sendo torturado pela ditadura togada.
Estou contando com a presidenta Dilma para derrubar esses novos ditadores.

    Roberto Locatelli

    O poder judiciário é o único que não passa pelo crivo do voto popular. É preciso mudar isso.

    Willian

    Exato. Aí teríamos juízes tão bons quanto nossos prefeitos e deputados. Isto sem falar em como seria feita a campanha e quem a pagaria.

Jorge Moraes

Com todo o respeito que o filósofo Safatle merece, acho que o Isaías acertou: autocrítica é uma coisa; autoflagelação é outra coisa. É o que a direita, do alto de seu “senso ético” deseja. Genoíno fez muito bem de assumir o que lhe é de direito, um mandato popular. Deve ocupar a tribuna e denunciar, uma vez mais, a farsa do julgamento de encomenda.

anac

Um magistrado recentemente me disse que a prova é alma gêmea do direito.
Não é essa a opinião dos ministros do Supremo quando se trata dos quatros, incluindo os petistas. Com os intocaveis da elite nem com provas cabais e insofismaveis do crime praticado. Isso É tudo menos Justiça.

    Vlad

    “…a prova é alma gêmea do direito”

    Vou anotar essa coisa.
    Impressionante.
    E bem original. Mas MUITO original.

Bruce Guimarães

Retórica, simplesmente retórica de quem está defendendo um amigo,companheiro. Talvez, eu fizesse isso por um amigo também. Mas, não podemos esconder os fatos. O fato é que foi provado em última instância a culpa do Genuíno, e dado que estamos em um Estado Democrático e de Direito, só lhe resta cumprir a pena. E ao PT, restaria respeitar o Estatuto, ou seja, retirar os condenados dos seus quadros.

    francisco pereira neto

    Ah!!! vá penter macaco Bruce.
    Retórica(?!). Obedecer o Estatuto(?!)
    Peça isso pro pessoal do psdb. Pro Serra, FHC, Aécio sumirem.
    Era só o que faltava.

    Bruce Guimarães

    O FHC e o Aécio foram condenados pelo STF? Acho que não.

    SEBASTIAO MARQUES

    Simples assim, Brucelose???

    SEBASTIAO MARQUES

    Desculpe o erro de digitação do nome, feito no ipad!!!

    Bruce Guimarães

    Siples assim!!! Tiãozinho!!!

anac

Condenação em um Tribunal de Exceção é atestado de honestidade e idoneidade.
O que é estranho é Genoino, não obstante condenado pela pratica de um dos maiores crimes corrupções no Brasil, segundo o PiG, residir em um apto dois quartos em bairro classe pobre de São paulo. Nenhum apto em Paris, Higienopolis, casa no Morumbi, apto no Leblon, Ipanema, carros BMW, Mercedes, Land Rovers, etc. O petista Genoino tem algum problema pois é o unico que gosta de ostentar sinais de pobreza não obstante a condenação.

Messias Franca de Macedo

… O conhecimento acadêmico – dissociado da vivência da realidade concreta – pode tornar-se etéreo e, portanto, insuficiente para operar as profundas e legítimas transformações demandadas pelas sociedades, em seus tempos, espaços e protagonismos…
… Entre o açodamento e as vaidades dos neófitos e a lucidez daqueles forjados na temperança das experiências, fico com a sabedoria do mestre Antonio Cândido, indubitavelmente…

BRASIL NAÇÃO – em homenagem aos egrégios, sapientes, honestos e impávidos brasileiros Antonio Cândido e José Genoino
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Saçuober

Que Deus nos ajude nesta batalha, precisamos que novos lideres trabalhistas manifestem.

Lucas

Só faltou atacar o Safatle por ele ser careca. Faltaram argumentos, sobrou enchimento com frases vagas defendendo o PTismo.

Terminou o texto basicamente falando que o PT só aceita críticas de quem participa da política institucional. E ainda se orgulham de dizer que é o partido do povo. Claro, enquanto o povo ficar quietinho, quando o povo faz greve contra o governo são a “esquerda que a direita gosta”.

carlos saraiva e saraiva

Caro Almada, aceite meus respeitos pelo brilhante, lúcido e desmistificador artigo. Existem muitos que fazem politica, sem ideologiza-la e outros, via de regra, acadêmicos e autodenominados “intelectuais de esquerda”, ao contrário, se colocam como “fundamentalistas ideológicos”, sem politizar a ideologia. Fogem da “militância de esquerda”. Desconhecem ou fingem desconhecer, que para fazer o enfrentamento politico, militar na luta de classes, sobretudo em um país,ainda desigual e injusto.Uma elite, racista, preconceituosa, colonizada. É preciso às vezes, “sujar as mãos”, para não sujar “a alma”. E talvez não o fazem porque não têm “alma”. O grande brasileiro,Antonio Cândido, dá a lição de quem permanece com a “alma” de um verdadeiro socialista.

francisco moraes e silva

a historia de vida de genuíno fala por si só e não será um supremo de merda que apagara seu exemplo de vida e dedicação para o povo brasileiro

Willian

José Genoíno só pode ser um exemplo de dignidade a partir da moral esquerdista, aquela que acredita que, em nome de uma causa que se ache justa, é admissível cometer crimes, seja um caixa dois ou um empréstimo fraudulento ou até mesmo a morte de milhões de pessoas. Genoíno é digno, como são dignos também aqueles que mataram milhões em nome da causa justa.

Entrarão para a história pela porta dos fundos.

    maria olimpia

    Willian,
    Espero que algum dia, você nunca seja julgado nas mesmas proporções da “profundidade” dos seus argumentos!

    emerson57

    sr. willian,
    no genoino e no que está aqui escrito sobre ele, eu acredito.
    desculpe, mas no senhor eu não acredito.
    a mim me parece que o sr. é, no mínimo, um papagaio da direita.
    o fato de ser o “primeirão” a comentar dá a idéia que o sr. estava com o dedo no gatilho. sendo o post a favor da esquerda, ou progressista ou pt, o seu comentário seria sempre negativo e depreciativo.
    além disso o sr fala na morte de milhões de pessoas……..
    ora, faça o favor…

    lulipe

    Se eles viveram a vida toda aplaudindo Fidel, Stálin, Che, Mao-Tsé etc, defender Genoíno e companhia não é mais que obrigação.Faz parte da cartilha….

    Paulo Figuiera

    Quem passou a vida inteira aplaudindo Médice, Pinochet,Menachem Begim, Margaret Thatcher e Busch evidentemente vai atacar quem os combateu, é normal faz parte da cartilha.

    francisco pereira neto

    Willian, ou voce é burro ou é mau caráter mesmo. Falar em milhares de mortes é de uma burrice atroz.
    O que os contra revulocionários fizeram, entre eles Genoíno e Zé Dirceu, não é para maricas como voce ( e nem sei a sua idade, para poder saber se viveu aqueles tempos) que faz com que hoje voce se beneficie do resultado da luta deles. Ainda hoje, por conta de gente como voce, eles são perseguidos, não como “guerrilheiros”, mas como corruptos, pela direita, midia vadia, generais de pijamas e toda escória fascista. FHC, Serra, Goldman, Roberto Freire, Jabor, Paulo Francis (que partiu dessa para uma pior), Ferreira Gullar e outros intelectualóides, ah! ia me esquecendo do metido a besta do caetano veloso, um boçal, todos coincidentemente estão empoleirados na Globo. Gozado, essa gente não ficaram aquí para enfrentar a milicada. Só voltaram quando não havia mais “perigo”. E ainda querem que nós o aprovemos?
    Voce faz muito bem em defendê-los, porque mostra o quanto voce é ignorante.

Deixe seu comentário

Leia também