VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Ivan Seixas adverte o Exército: Abin paralela de Carlos Bolsonaro também poderia monitorar militares
Em Israel, Carlos usou a camiseta do Mossad e Eduardo, das IDF, as Forças Armadas de Israel
Entrevistas Política YouTube

Ivan Seixas adverte o Exército: Abin paralela de Carlos Bolsonaro também poderia monitorar militares


19/05/2021 - 17h51

Da Redação

Vindo de onde veio, o alerta parece irônico: Ivan Seixas, ex-preso político e combatente contra a ditadura militar que infelicitou o Brasil de 1964 a 1985, adverte o Exército de que a instituição poderá ser “enquadrada” pelo clã Bolsonaro se prosperar a tentativa do vereador Carlos Bolsonaro de emplacar sua Agência Brasileira de Informações (Abin) paralela.

De acordo com o UOL, Carlos foi o articulador de uma iniciativa para comprar um software de espionagem que deixou de fora o GSI (Gabinete de Segurança Institucional) e a própria Abin.

Em vez disso, a licitação está sendo feita pelo Ministério da Justiça, onde Jair Bolsonaro instalou um homem de total confiança, o delegado da Polícia Federal bolsonarista Anderson Torres.

O edital prevê a compra do sistema Pegasus, desenvolvido pela empresa israelense NGO.

“O Pegasus já foi usado para espionar celulares e computadores de jornalistas e críticos de governos ao redor do mundo. Em junho de 2017, por exemplo, o jornal New York Times revelou que o software estava sendo usado pelo governo do México, ainda sob a gestão de Enrique Peña Nieto, para espionar ativistas contrários à sua gestão. Segundo informações do veículo norte-americano, o governo daquele país chegou a gastar cerca de US$ 80 milhões para o uso da ferramenta desde 2011″, informou o UOL.

O Pegasus permite a espionagem de celulares sem deixar qualquer rastro.

Curiosa e estranhamente, o governo Bolsonaro colocou sob sigilo de 15 anos os telegramas diplomáticos envolvidos na viagem do ex-chanceler Ernesto Araújo a Israel em março deste ano.

Na viagem, Araújo foi acompanhado pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro e pelo secretário da presidência da República, Max Machado de Moura.

Eduardo é conhecido por tocar a diplomacia paralela do governo do pai.

As versões apresentadas para justificar a viagem são conflitantes: em seu depoimento à CPI da Pandemia, Ernesto afirmou que foi resultado do entusiasmo do presidente Jair Bolsonaro com um spray nasal para combater a covid, que teria sido propagandeado em telefonema pelo primeiro ministro Bibi Netanyahu.

O Itamaraty, por sua vez, disse que a viagem já havia sido programada anteriormente e tinha como objetivo estreitar relações com o general Gabi Ashkenazi, que assumiu o cargo de ministro dos Negócios Estrangeiros do governo de Israel.

Depois da derrota de Donald Trump nos Estados Unidos, o governo Bolsonaro ficou praticamente órfão no cenário internacional, a não ser pelo apoio de Israel.

A CPI da Pandemia pretende convocar Carlos Bolsonaro para depor, alegando que ele se envolveu indevidamente na tentativa de compra de vacinas da Pfizer.

Antes, porém, os senadores pretendem obter a quebra de sigilo do vereador não apenas telefônica e telemática, mas em todas as redes sociais, para mapear os passos clandestinos do vereador, que não tem cargo no governo federal.

Inquérito do Supremo Tribunal Federal aponta Carlos como o principal suspeito de articular o Gabinete do Ódio que promoveu ataques contra o Congresso e o STF. 

Nos últimos dias, senadores da CPI da Pandemia tem dito que o vereador também pode ter tido papel importante numa espécie de ministério da saúde paralelo.

Para Ivan Seixas, Jair Bolsonaro está usando os filhos para tentar “enquadrar” a instituição do Exército, em seu plano para permanecer no poder a qualquer custo em 2022.

Um sistema como o Pegasus permitiria ao clã monitorar tanto adversários políticos quanto aliados, tirando proveito de mensagens confidenciais para fazer chantagem.

Seria um instrumento importante para manter o equilíbrio entre o clã Bolsonaro, os milicianos que apoiam o governo e as instituições armadas.

Para Ivan, o que Bolsonaro almeja é fazer como o ex-ditador do Haiti, Papa Doc, que montou sua milícia Tonton Macoute com o objetivo principal de intimidar o Exército.





4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

abelardo

20 de maio de 2021 às 09h14

Penso que se conseguirem criar a tal ABIN paralela, a milícia vai expandir seus tentáculos por todos os núcleos do alto escalão dos três poderes, e isso é óbvio..Ex-autoridades máximas irão fazer fila para dançar e também fazer palhaçadas para agradar ao novo Rei do terror. Estarão nas filas generais, almirantes, brigadeiros, juízes, desembargadores, promotores, policiais militares, federais e municipais, empresários e o escambau. Daí, o Brasil fatalmente irá regredir ao período colonial, pois estará submetido até o pescoço ao EEUU ou a Israel e/ou a ambos, que garantirão a perpetuação da ditadura miliciana nem que seja só de boca, o que será bastante para não perderem essa boca livre. Também, como cascudos que são em inteligência, oportunismo e traições, não perderão a oportunidade de, mais uma vez, enganar aos seus ignorantes, deslumbrados e dependentes escravos Milicianos e com os seus tradicionais métodos imperialistas irão tomar posse de todas as nossas riquezas até restar o bagaço do que foi um país e uma nação. Em seguida, como sempre fazem, irão abandonar a ex-colônia arrasada e destruída, junto com a população e seus ex-escravos milicianos, a própria sorte e morte.

Responder

    Senira Silva Silva

    20 de maio de 2021 às 10h16

    É isso tem um culpado, eleitor bolsonarista!🙈🙉🙊

Abel Lins

19 de maio de 2021 às 20h10

Não gosto de falar isto, mas o povo pediu isso.
Olha aí o resultado. Todo mundo desempregado. O país não tem emprego e um monte de gente ta na fila do sopao do pe Julio Lancelotti. Como explica para uma criança de 5 ou 6 anos de idade que só tem água em casa e que a vizinha não quis emprestar 2 xícaras de arroz ou um remédio ou sei lá o que.
Sem escola (e não deve ter mesmo escola com essa pandemia) onde as crianças vão almoçar. Muitas comem na escola qdo os ladrões não roubam a merenda.
Será que ninguém pensou nisso lá atrás.
A caridade é linda, mas a maioria das pessoas não quer saber de ninguém não. Nem de criança. Se for Cueca homem grande se lasca mais ainda.
Éhhh sr Brasil, use mais o cérebro. Pense mais nas pessoas e menos nos políticos. Não adianta deixar gente sem comer.
Será que tem sopao pra todo mundo que tá com fome e até sem um pão de 3 dias atrás para comer ?
Oh o tamanho do pepino.
Isso é coisa de um povo descerebrado. Scusa dizer ! Nem sei se é assim que escreve essa parolla.

Responder

Heleno Pires Mota Jr Pereira da Silva Matias Fialho Santos Gen

19 de maio de 2021 às 18h33

Já pensou se o cara é pedófilo. Tá fudido. Vai pegar uma cana brava.
Vcs aí que fazem coisas erradas fiquem ligeiros. GUARDA NA CABEÇA QUE E O MELHOR LUGAR. Salva só a mensagem alheia e olha lá. Se não for crime.
O supe4 gênio se lascou por causa disso.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding