VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Investidores estrangeiros que controlam R$ 21 tri ameaçam Bolsonaro; íntegra da carta
Reprodução de vídeo
Política

Investidores estrangeiros que controlam R$ 21 tri ameaçam Bolsonaro; íntegra da carta


24/06/2020 - 11h15

Carta aberta de instituições financeiras para deter o desmatamento no Brasil

Sua Excelência Sr. George Monteira Prata [Embaixador do Brasil]

É com profunda preocupação que seguimos a tendência do aumento do desmatamento no Brasil.

Como instituições financeiras, que têm o dever fiduciário de atuar no melhor interesse de longo prazo de nossos beneficiários, reconhecemos o papel crucial que as florestas tropicais desempenham no combate às mudanças climáticas, na proteção da biodiversidade e na garantia de serviços ecossistêmicos.

O Brasil tem um bom histórico de combate ao desmatamento, ao mesmo tempo em que oferece condições favoráveis ​​para negócios e investimentos.

No entanto, a escalada do desmatamento nos últimos anos, combinada com relatos de um desmantelamento de políticas ambientais e de direitos humanos e órgãos de fiscalização, estão criando uma incerteza generalizada sobre as condições para investir ou fornecer serviços financeiros ao Brasil.

Estamos profundamente preocupados com a Medida Provisória 910 (agora alterada para PL 2633/2020), que foi submetida a votação no congresso brasileiro e que legalizaria a ocupação privada de terras públicas no passado, principalmente concentrada na Amazônia.

Caso a medida seja aprovada, encorajará a ocupação ilegal de terras públicas e o desmatamento generalizado, que colocariam em risco a sobrevivência da Amazônia e o cumprimento das metas do Acordo de Mudança Climática de Paris e prejudicariam os direitos das comunidades indígenas e tradicionais.

Declarações recentes do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, usando a crise COVID 19 para promover a desregulamentação ambiental e as controversas propostas legislativas para legalizar a ocupação de terras e florestas públicas, abrir os territórios dos povos indígenas para a mineração e reduzir os requisitos de licenciamento ambiental são alguns dos exemplos relatados pela mídia sobre a ameaça de desregulamentação das políticas ambientais e de direitos humanos no Brasil.

Estamos preocupados com o impacto financeiro que o desmatamento e a violação dos direitos dos povos indígenas podem ter sobre nossos clientes e empresas investidas, aumentando potencialmente os riscos de reputação, operacionais e regulatórios.

Considerando o aumento das taxas de desmatamento no Brasil, estamos preocupados com o fato de as empresas expostas a desmatamento potencial em suas operações e cadeias de suprimentos no Brasil enfrentarem uma dificuldade crescente de acessar mercados internacionais.

Também é provável que os títulos soberanos brasileiros sejam considerados de alto risco se o desmatamento continuar.

Queremos continuar investindo no Brasil e ajudar a mostrar que o desenvolvimento econômico e a proteção do meio ambiente não precisam ser mutuamente exclusivos.

Portanto, exortamos o governo do Brasil a demonstrar um compromisso claro com a eliminação do desmatamento e a proteção dos direitos dos povos indígenas.

A maioria dos investidores abaixo assinados é membro da Iniciativa do Investidor para Florestas Sustentáveis, uma iniciativa dos Princípios de Investimento Responsável [PRI, apoiados pelas Nações Unidas] executada em colaboração com a Ceres, que envolve empresas que exposição ao desmatamento originário da produção de soja e gado, além de abordar outras questões ambientais, sociais e de governança.

Como instituições financeiras, vemos o desmatamento e os impactos associados à biodiversidade e às mudanças climáticas como riscos sistêmicos para nossas carteiras.

A maioria dos signatários desta carta também se uniu a uma ação corporativa contra o desmatamento devido aos incêndios devastadores na Amazônia no ano passado, representando 251 instituições financeiras com mais de US$ 17 trilhões em ativos sob gestão.

Embora exortemos as empresas a agir, consideramos igualmente importante que o ambiente regulatório incentive práticas corporativas sustentáveis.

Políticas robustas para a redução do desmatamento e a proteção dos direitos humanos são soluções essenciais para gerenciar esses riscos e contribuir para mercados financeiros eficientes e sustentáveis ​​a longo prazo.

Dada a seriedade desse assunto, gostaríamos de solicitar uma video-chamada com o senhor ou seu representante designado e entraremos em contato com a Embaixada para agendar um horário adequado.

Com garantias de nossa mais alta consideração,

  1. Storebrand Asset Management
  2. KLP
  3. Gjensidige
  4. Sparebank 1 Forsikring
  5. MP Pension
  6. Nordea Asset Management
  7. AP Pension
  8. SEB Investment Management
  9. AP2 Second Swedish National Pension Fund
  10. AP4 Fourth Swedish National Pension Fund
  11. Handelsbanken Asset Management
  12. Robeco
  13. ACTIAM
  14. NN Investment Partners
  15. A.s.r.
  16. Church Commissioners for England
  17. LGPS Central
  18. Legal and General Investment Management
  19. Brunel Pension Partnership
  20. Boarder to Coast Pension Partnership
  21. BlueBay Asset Management
  22. Surrey Pension Fund
  23. Northern LGPS
  24. The Local Authority Pension Fund Forum
  25. Comgest
  26. Indep’AM
  27. Domini Impact Investment
  28. Pax World Funds
  29. Sumitomo Mitsui Trust Asset Management
  30. Fram Capital

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


14 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

26 de junho de 2020 às 11h28

https://twitter.com/i/events/1276433050675503104
“Como entender os 32% que consideram Bolsonaro “bom ou ótimo”,
segundo DataFolha?
É gente que não fala de política, mas de fé.
Não importam fatos ou verdades. É fanatismo.
Eles sempre existiram.
Agora se uniram em torno de um patriarca.”

https://twitter.com/Debora_D_Diniz/status/1276464289377812481

Dicionário:

FANATISMO
Zelo religioso obsessivo que pode levar a extremos de intolerância;
Devoção obstinada, incondicional e intransigente a pessoa ou entidade;
Veneração irracional e desmedida a algo ou alguém;
Dedicação exclusiva, persistente, irrestrita e incontrolável a dogma ou doutrina.

Responder

Nelson

25 de junho de 2020 às 14h01

Meu caro Martins. Acerca da tal Frente Ampla com tucanos, demos, emedebistas [excetuando-se o Requião], pepistas, peesselistas, novos e outros menos votados, eu digo o seguinte:

Eles se dizem horrorizados com a possibilidade de ser implantada uma ditadura bolsonariana em nosso país.

Eles se dizem defensores inveterados da democracia, da liberdade e quetais.

Pois, esses mesmos aí, que juram amor eterno aos valores democráticos, seguem patrolando no Congresso Nacional.

Esses mesmos continuam rapinando o patrimônio e as riquezas do povo brasileiro.

Eles continuam devastando os direitos trabalhistas e sociais.

Tudo em benefício unicamente do grande capital, das megacorporações capitalistas, nacionais e estrangeiras, notadamente as últimas, em proveito apenas dos já mi e bilionários.

Tudo contra os interesses e necessidades de 99% dos brasileiros e brasileiras.

E ainda querem nos convencer de que suas intenções seriam as mais nobres possíveis ao nos convidarem a formar uma frente ampla nacional para uma suposta luta contra o fechamento do regime.

Eles mesmos, que, na surdina, estão aprovando o “Patriot Act Tabajara” que vai institucionalizar o fechamento do regime e arrochar a repressão sobre a militância social e o povo em geral.

Então, meu caro. Eu não quero conversa com esta patota que, além de ser extramadamente elista, ou seja, tem nojo dos trabalhadores e do povo em geral, é entreguista, vendilhona da pátria até a medula.

Responder

Zé Maria

24 de junho de 2020 às 21h22

PNAD-Covid/IBGE 24/5 a 30/5

36,5 Milhões de [email protected] Sem Trabalho.
Mais 29 Milhões na Informalidade.

Quadro Esquemático:
https://pbs.twimg.com/media/Eap6DB2WsAEJ13c?format=png

Responder

Henrique Martins

24 de junho de 2020 às 16h06

Observem toda a letra da música ‘Um Messias Indeciso’, também de Raul Seixas, no site Vagalume.

Parafraseando o final da letra eu deixo uma pergunta aqui:

Quantos segredos terá Jair Messias Bolsonaro?

Responder

Henrique Martins

24 de junho de 2020 às 15h45

Ainda na obra de Raul Seixas, na letra da música ‘
Tá na hora’ ele diz o seguinte:

Durante a vida inteira trabalhei pra me aposentar
Paguei seguro de vida para morrer sem me aporrinhar
Depois de tanto esforço patrão me deu caneta de ouro
Dizendo enfia no bolso e vá se virar.
Tá na hora da velhice
Tá na hora de deitar
Tá na hora da cadeira de balanço, do pijama, do remédio pra tomar
Oh! Divina providência (dência)
Ah! E minha vida
E minha vida
Onde é que está?
Onde é?

Diante disso eu pergunto ao genocida que governa o país:

Onde está a vida dos idosos que se foram? Onde vai estar a vida dos idosos que ainda vão morrer com sua necropolitica?

Onde??

Responder

Henrique Martins

24 de junho de 2020 às 15h12

Li no Brasil 247:

‘Rosângela Bittar: está claro que Bolsonaro cairá. Dúvida é se será impeachment ou TSE’.

Rosângela, dependendo do nível do cerco prá ele é melhor sair por vontade própria do que escorraçado pelo Congresso ou ser provado pelo TSE com todas as letras para a população que sua eleição foi ilegítima.
Daí nós temos que incluir no pacote a renúncia, se bem que o ideal é o impeachment ou a cassação da chapa é claro. É isso que ele merece e é o que espero ardentemente que aconteça.

Responder

Henrique Martins

24 de junho de 2020 às 14h58

A propósito, quero corrigir de vez o meu raciocínio: quem golpeia a democracia impedindo o candidato favorito de concorrer às eleições e apeando do poder com subterfúgios uma presidente eleita pelo voto popular, não é democrata não.
É GOLPISTA COMO BOLSONARO e nao surpreende que não queiram contraria-lo.

De qualquer forma, Haddad, Dino e Boulos demonstraram sua grandeza de alma contando com eles para ajudarem o Brasil apesar do mal que nos fizeram. O bom disso tudo é que eles mais uma vez
mostraram quem são realmente.

Mas é bom que eles saibam que não vamos precisar deles para derrubar Bolsonaro. Vamos conseguir sozinhos.

Responder

Zé Maria

24 de junho de 2020 às 14h29

Então quer dizer que os Fundos de Investimentos Estrangeiros
vão passar a Boiada no (des)governo Bolsonaro/Guedes/Mourão.
E o Ruralista, Madeireiro e Minerador Salles continuará desmatando?

Parece mesmo é que esses irresponsáveis querem torrar não só
as Reservas Florestais do Brasil como também as Reservas Cambiais.

Responder

Henrique Martins

24 de junho de 2020 às 14h05

Nem bem molhei o bico e acabei de ler no DCM que FHC, Temer e Sarney desistiram de participar do ato virtual para nao se contraporem a Bolsonaro em função dos cargos que ocuparam.

Ora, esses velhos não são democratas coissisima nenhuma. Estão pensando na liturgia do cargo invés de pensarem no momento dramático pelo qual passa o país. Até parece que Bolsonaro respeita a liturgia do cargo. Até parece!
Tenho vergonha do meu país ter sido governado por eles.

Enfim, se é assim, antes só do que mal acompanhados.

Pensando bem, não gostei da postura do Lula também não. Mas ele tem crédito de sobra comigo. Por isso, não vou critica-lo.
Portanto, agora endosso o artigo de Breno Altman. Você está certo filho: uma vez golpistas, sempre golpistas!

Responder

Henrique Martins

24 de junho de 2020 às 13h47

Li o artigo crítico de Breno Altman no DCM.
No artigo (O que fazem Haddad, Boulos e Dino num ato pelos velhos golpistas de 2016?) ele critica a presença de FHC e Temer num ato virtual que vai acontecer na sexta feira.

Leva a mal não Breno. Mais a direita no país, golpista ou não, é democrática e o Brasil está prestes a cair numa ditadura militar nazifascista em pleno século XXI e temos um genocida governando o país.

Não dá para pensar assim nesse momento não meu filho.

Os democratas sejam de que vertente for precisam de unir.
É preciso dar uma trégua mesmo e deixar para brigar depois.
Temos mais de 50.000 mil mortos no país. Não dá para pensar primeiro no rancor em detrimento das vidas perdidas e daquelas que ainda vão se perder.

Vai fundo Haddad e Boulos, o importante é salvarmos o país.

Responder

Henrique Martins

24 de junho de 2020 às 13h25

Na letra da música ‘Teddy Boy, Rock e Brilhantina’, eu estou entendendo que Raul Seixas está falando do ex- ministro da educação.

Observem as seguintes passagens da letra:

Eu quero avacalhar com a turma da esquina (esquerda e STF?)
(…)
Eu vivo num clima brabo, cheio de violência
(…)
Mas agora todo imbecil passa por gênio ou poeta (Paulo Freire?)
Em cada esquina há um pseudo-profeta
Com guarda-chuva e um pirulito na mão (Ele?)
Let’s rock, man!
(…)
Eu não quero mudar o mundo com esse papo furado
Só acredito em quem pular o cercado
Quatro buldogs vigiando o portão
Quatro buldogs vigiando o meu portão

Responder

Henrique Martins

24 de junho de 2020 às 13h09

Ainda na obra de Raul Seixas, nas letras das músicas Para Nóia e Paranóia II eu estou entendendo que o Raul está nos contando com sua mente de astrólogo que a doença mental que Bolsonaro carrega é a Paranóia, por isso acha que todo mundo o persegue.

Responder

Henrique Martins

24 de junho de 2020 às 13h01

Achei outra música do Raul Seixas sobre os idosos.

Observe a seguinte passagem da música ‘Conversa Prá Boi Dormir’:
(…)
O tempo passa, eu tô ficando velho
Andam brincando com a vida da gente
Direito eu tenho mas anda escondido
(…)

A propósito, na música ‘Senhor da Guerra’ Raul parece estar fazendo referência Donald Trump.

Observe as seguintes passagens da letra da música:

Muito prazer, eu sou o senhor da guerra
Eu vou lhes dizer o que a guerra encerra
Abra os olhos, vê se presta atenção
Atenção!
Atenção!
A guerra traz um pouco de ação
Evita a super-populacao
É dinheiro pra quem sabe ganhar
E isso faz o mundo girar
Aquele que luta pela paz
Aposto que ainda não sabe a besteira que faz
Pois guerra é guerra
Que sacode a nossa terra
Quem se vira aqui se ferra
O negócio é se dar bem
(…)

Responder

a.ali

24 de junho de 2020 às 11h57

esse DESgoverno acha que tudo mundo é tapado que nem o gado que o sustenta…olha só os nomes, de peso, que assinam…pobre brasil, cada vez no fundo do poço e pagando mico, graças ao miliciano mor e sua corja

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!