Governo ataca pessimismo da mídia: Brasil derrotou os prognósticos “terríveis”

Tempo de leitura: 2 min

balanço-Copa -- dilma

Dilma durante balanço da Copa 2014 no Centro Integrado de Comando e Controle Nacional. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Brasileiros mostraram que são capazes de fazer uma grande Copa do Mundo

do Blog do Planalto 

O governo apresentou balanço sobre a Copa do Mundo no Brasil,  nesta segunda-feira (14), no Centro Integrado de Comando e Controle de Brasília. Durante a cerimônia, a presidenta Dilma Rousseff agradeceu aos envolvidos na organização do evento e considerou que o povo mostrou sua capacidade de bem receber.

“(…) nós vivemos, nesses dias, uma festa fantástica. Mais uma vez, o povo brasileiro revelou toda a sua capacidade de bem receber. (…) os torcedores e todos os amantes do futebol, asseguraram uma festa que eu tenho certeza é, sem dúvida, uma das mais bonitas do mundo.”

Dilma lembrou ainda as mensagens de paz recebidas por líderes religiosos de todo o mundo  no início da Copa, que dialogavam com o sentimento da Copa Sem Racismo, imagem que ficou como um dos legados do Brasil para o mundo. A presidenta agradeceu ainda os governos estaduais e municipais das 12 cidades-sede na realização do Mundial e concluiu agradecendo brasileiros e brasileiras pela hospitalidade, frisando a diversidade do país.

Queria agradecer também a todos os brasileiros que mostraram quem nós somos, qual é a nossa alma, qual é o nosso coração, e como é que temos essa extraordinária capacidade de integração com todas as culturas, todas as origens étnicas. Muito porque nós somos um país multiétnico, multidiverso, com culturas as mais variadas. Não só viram a beleza do nosso país, mas viram, sobretudo, a beleza do nosso povo, a beleza da alma do nosso povo.

 

Leia também:

Vídeo que sugere racismo de Dilma na final da Copa foi editado

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Urbano

Pessimismo, não; banditismo…

Julio Silveira

Nunca duvido da capacidade de nossa cidadania em identificar os reais adversários seus e por conseguinte do Brasil.

Caracol

É preciso bater nessa tecla com insistência daqui pra frente, mesmo depois das eleições.
Não podemos deixar correr barato o que a “mídia” fez com o Brasil.

Deixe seu comentário

Leia também