Fernando Brito: O jogo da direita em marcha. De novo

Tempo de leitura: 2 min

por Fernando Brito, no Tijolaço

Os números que Folha publica neste domingo pode ser considerada o ponto de partida da batalha que vamos enfrentar até as eleições, na qual as pesquisas serão, como de outras vezes, as armas mais terríveis da luta pelo poder.

Como você vê na ilustração, não foi diferente o que tentaram fazer com Lula em março de 2009, mais ou menos o mesmo tempo antes da eleição.

Mas as pesquisas, que são a artilharia, dependem da comunicação para serem abastecidas.

A suposta “queda” da aprovação de Dilma, embora ainda se situe em patamar confortavelmente alto (57%) e bem maior do que o do início do seu governo (47%), seja ela real ou fictícia, tem uma cobertura de legitimidade na preocupação com a inflação.

Preocupação com a inflação não é o mesmo que inflação, mas a percepção que se forma é a de que ela é um perigo não a uma estabilidade econômica teórica, mas ao dia-a-dia das pessoas.

Mas porque o terrorismo inflacionário promovido pela imprensa, que não é novo, pode agora estar sendo aceito como causa para uma mudança na percepção  coletiva de, ao menos, parte da população.

Para especular sobre isso, é conveniente ver quais são os dados novos nesse processo e, sem dúvida, o maior deles é a mudança de atitude do Governo que, pela primeira vez, demonstrou receio de que as previsões do mercado financeiro e da mídia pudessem corresponder – ou se tornarem –  à realidade.

O discurso desenvolvimentista perdeu , dando espaço à cantilena de uma crise que está a léguas de ser real.

Tanto é assim que, em meio a um cenário terrível da economia mundial, o número de pessoas que crê que a situação econômica não vai mudar (39%) ou que vai melhorar (38%) soma quase quatro quintos dos entrevistados.

Não há uma escalada inflacionária, o nível de emprego prossegue alto e, se o governo assumir uma atitude de maior comunicação com a população, sinalizando que não mudou a ideia de fazer do consumo interno a mola do crescimento econômico, essa impressão forjada pela mídia se dissipará.

Resta ver se haverá a coragem que Lula teve de, contra a posição do Banco Central, dizer claramente: confiem, comprem, o país crescerá.

No que diz respeito ao quadro eleitoral, a situação de Dilma permanece sem alterações significativas. Ela aparece com patamar muito semelhante ao que teria  Lula se fosse candidato (51% e 55%, respectivamente). Considerando que há 8% que não respondem ou dizem votar nulo ou branco, os 51% equivalem a 55,4%.

Aécio, mesmo com a superexposição na mídia e o programa de TV do PSDB, ainda fica atrás de Marina (16 a 14%). Mas é curioso como Marina aparece apenas com 1% quando a declaração de voto é espontânea. É sinal de pouca solidez.

Sinal contrário do que apresenta a dupla Dilma/Lula, que tem um terço das menções espontâneas.

Em resumo, a pesquisa só serve para estimular o discurso que a mídia assumirá esta semana, o de que “Dilma está caindo”.

Que precisa de uma resposta forte do Governo para que o desejo da direita não saia dos jornais para as ruas.

Leia também:

Datafolha diz que Dilma perdeu mais popularidade entre os mais ricos

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Pesquisa CNT/MDA diz que Dilma se elegeria no primeiro turno – Viomundo – O que você não vê na mídia

[…] Fernando Brito: O jogo da direita em marcha. De novo […]

Bonifa

A confusão começou a se estabelecer e não pode nem deve prosperar. Esta confusão vem da aparente contradição entre a subida de juros, que se destinaria a frear o crescimento, e o estímulo ao crédito, que estimularia o consumo. Consumo sem crescimento é inflação; contudo, a composição detalhada dos números e a transparência de táticas, podem revelar um cenário favorável, aliás muito favorável ao Governo. Mas o Governo está sem voz e imagem. Se não reagir aparecendo, estimulando o otimismo, o Governo poderá deixar que se cristalizem impressões negativas carimbadas no subconsciente do público milhares de vezes por dia, expostas pela mídia de oposição e seus partidos políticos, com graves prejuízos para o Governo e principalmente para o País e para a população, refém da propaganda brutal dos pessimistas. É preciso encontrar uma maneira de aparecer e isso é coisa para profissionais, não para amadores armados unicamente com boas intenções.

JORGE

Azenha.

O Fernando tem toda razão. Não podemos entrar no jogo do mercado financeiro, globo e Cia Ltda. Essa é a turma do quanto PIOR MELHOR. Ou seja, SÃO FILHOS E AFILHADOS DOS AMERICANOS DO NORTE (USA), detestam pobre e não precisam mudar nada para irem direto para o Céu (O Céu DELES é o INFERNO (MISÉRIA) DO POVÃO.

Jayme Vasconcellos Soares

Esgrimar sobre a situação do índice de pobreza da população brasileira, através de manipulações de índices econômicos, não traduz a realidade de aceitação deste governo. A inflação é percebida pelas dificuldades que o povo está sentindo na carne, para sobreviver, sem qualquer correção dos seus salários. A redução da popularidade do governo Dilma é cristalina, pois a presidenta insiste na política neoliberal de favorecer as castas dos grandes empresários nacionais e multinacionais e da elite de um modo geral.

Vinicius Garcia

Vejo pesquisas como projeções, não tendências, e mesmos essas seguem o rumo de seus criadores, não há inteligência em acreditar nelas, seja qual for o resultado.

Roberto Ribeiro

O Governo Dilma sofre de Síndrome de Estocolmo.
Dificilmente Alckmin deixará os Palácio do Bandeirantes em 2014.
Quanto à Dilma Rousseff, sua reeleição definitivamente subiu no telhado.

Igor_

É qual é a novidade nisso ? É o PIG em ação fazendo seu trabalho firme e forte com sempre o faz a impedir a reelição da Dilma / PT e para minar a imagem do PT junto a polupalção. O PIG agora também conta com um braço religioso para ajuda-los, que organiza passeatas contra o goveno do PT e aos “berros” trata -se de Silas Malafaia, aliada disfarçada da Globo, hipocrita, que esta lá sempre de prontidão, junto com o PIG agora, para minar o PT. Em troca do que né ?

Urbano

E pela estreiteza de pensamento que possuem, colocarão para os robôs abestados o ‘vale a pena ver de novo’…

Kazuhiro Uehara

REinicio do PIG terrorista na campanha eleitoral 2014. A partir de agora não serão mídia sensacionalista e sim, um terrorismo puro!!!!!

Julio Silveira

Francamente meus amigos, eu, já de algum tempo, acho que as diferenças em torno das nossas opções são tão pouco claras que a única coisa que me faz tender pela continuidade deste governo é a nostalgia. Os bons tempos do governo Lula. E, lógico, acreditar no ditado de que craque não desaprende e quem sabe de uma hora para outra o PT resolverá resgatar suas premissas surgidas a época de sua fundação. Aquelas que parecem terem esquecido, no afã de tornarem-se palatáveis as organizações econômicas que formaram a perversa cultura nacional. Essas mesmas, mentirosas, hipócritas, dissimuladas em interessadas pelo resgate histórico das classes menos favorecidas, as mesmas que lhes fazem concorrência na distribuição dos recursos do estado. Quem sabe, de hora para outra, este partido que surgiu com a pretensão de ser popular, resolva mudar e encarar de uma vez por todas, com coragem, essa síndrome da necessidade de reconhecimento e afeto dos seus algozes, buscando nos seus princípios, e nos principais interessados no resgate deles, um remédio cultural para isso, com o consequente resgate da credibilidade de uma esquerda Brasileira.

    Wagner Souza

    Caro Julio, nao percamos jamais a esperanca, Siglas, nomes e qualquer outra coisa nao fazem a diferenca, eu gostei de uma coisa que disse Fidel Castro: nao se pode matar uma ideia. Ele estava se referindo aos EUA que em tempo real tambem atua no Brasil e quer nos matar a qualquer custo. A ideia, de uma sociedade mais justa, mais humana, mais educacao, mais saude, mais oportunidade para todos, isto eles nao podem matar, esta ideia esta lancada no Brasil, nunca vao poder tirar isto de nos, agora e olhar para a frente, para nos mesmos e nao para o norte das americas pois nos somos Brasileirissimos e temos que continuar com a obra custe o que custar! Que venha a direita ou esquerda, a ideia e o que importa!

    Julio Silveira

    Obrigado, Wagner, pelas palavras generosas. Como você, não perdi o sonho. Aliás é o que me move a praticamente, diariamente, vir participar de blogs como esse. Me sinto responsável por manter viva, na mente dos cidadãos, algumas premissas pretendidas, prometidas, não cumpridas e ainda necessárias, que fizeram tornar-me um eleitor do partido deste governo.
    Mostrar que podemos não ser teleguiados, apesar de simpatizantes. Um forte abraço.

marta

E a Veja! Viram a capa desta semana, batendo de nooooovo em Dirceu? Deve ser plano do início da campanha partidária dessa mídia, que esquecendo-se da ética profissional, como informante, se posiciona do lado do PSDB.

    Fabio Passos

    PiG e psdb pertencem ao mesmo dono: A casa-grande. A pior “elite” do mundo.

Ronaldo Silva

Dilma Pilatos tem dado motivos suficientes para que sua aprovação caia, não sei pq tanto espanto com esta pesquisa, creio que ela segue curso natural baseado nas últimas omissões, nomeações, e outras mazelas que este NOVO PT tem promovido. Min. comunicações, Min. justiça, comissão da 1/2 verdade que morre de medo de investigar globo e asseclas mais próximos, etc…

Gersier

Queda no preço da gasolina,supermercados lotados durante e finais da semana,restaurantes cheios,shoppings abarrotados.
E o PIG falando em inflação,em queda da popularidade da Dilma.
PIG e oposição vivem num mundo surrealista.O Salvador Dali deve estar morrendo de inveja.

Luis

PSDB direita???? WTF????????
Eu hein, cada aventureiro para comentar a política que a gente vê pela internet…

Jose Mario HRP

Mesma conversinha das últimas tres eleições!
Dilma no primeiro turno em outubro de 2014!

trombeta

Acreditar em pesquisa feita pela folha tucana?

Rosemary

1. Não há inflação – o que existe é a manipulação dos indicador pela imprensa golpista;
2. O mensalão nunca existiu – o que ouve foi caixa-dois de campanha e Lula não sabia;
3. As pesquisa estão errada – Dilma e Lula continuam forte na preferença popular

claiton

peço licença para um comentário, a parte.

Está La no blog do Noblat: palavras de Mary Zaidan. …….

¨ Lula jurou que foi traído, que nada sabia sobre o mensalão. No mesmo tom, disse ter sido “apunhalado pelas costas” pela sua ex-protegida Rosemary Noronha, que utilizava da intimidade com o presidente para traficar mimos……
Lula também não sabia das peripécias de José Dirceu, que fora o craque, o capitão de seu time, que, por sua vez, desconhecia que seu assessor Waldomiro Diniz tinha negociatas com o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Assim como José Genoíno assinou sem saber os empréstimos do Banco Rural que lastrearam parte do mensalão ¨……
Ou eu estou redondamente enganado ou a dona Mary zaidan está deturpando, ou por ignorância, ou por má fé, a informação. Sendo alguém altamente informada creio que é por má fé……
Pelo que me consta, ¨ apunhalado pelas costas ¨ se refere ao fato envolvendo o Sr Jose Dirceu e não a sra Rosemary. ….. Parecia o Neimar na comemoração do gol feito pelo Oscar, tentava encobrir a face do companheiro para aparecer só a dele no ápice comemorativo, quando a imagem era transmitida para o mundo inteiro; a primeira vista seria ele o autor do fato; pura demagogia de aproveitador oportunista.

Jane

O PT ainda não acordou, não é? É tirar o bundão da cadeira e cair no enfrentamento da luta. Não lhe resta outra alternativa digna.

Alexandro Rodrigues

Dona Dilma vai descer a rampa em breve! Bem feito, quem manda acreditar no controle remoto!

Mario Silva Lima

Tenho a impressão de que o PT se rendeu e desistiu da luta em 2014 para voltar mais forte em 2018. Quem conhece nossa história sabe que quem tentou isso no passado se deu mal e quem pagou o pato foi o povão que teve de aguentar 21 anos de ditadura militar! Por isso seria bom o PT pensar melhor sua estratégia para a próxima eleição e enfrentar a “guerra” que já começou. Só para lembrar, se é verdade que o povo não gosta do confronto, também é verdade que não gosta de covardia.

J Souza

No post, dois pontos críticos do governo Dilma:

– “comunicação com a população”: a SECOM está ai para agradar os barões da mídia, não para comunicar as ações do governo, e muito menos para receber o retorno da população em relação a elas;

– “coragem que o Lula teve”: o governo está totalmente contaminado por covardes, que não tem coragem de enfrentar a mídia golpista, e pior, infestado por tucanos enrustidos, travestidos de petistas (porque, se esse pessoal é petista, destoa muito daquilo em que eu achava que estava votando!) e que adoram aparecer na mídia golpista (vai ver que é pra mostrar pros filhos e pros netos quando chegam em casa, como se isso fosse alguma vantagem…).

Rodrigo Leme

Quando a pesquisa mostra aprovações recordes, ninguém contesta.

    Jorge

    Depende da abrangência do seu “ninguém”. Nos comentários do site da Folha, por exemplo, quando foi publicada a pesquisa anterior, os que contestavam eram maioria.

    Eu até acho que pode mesmo ter ocorrido uma queda. Com o bombardeio diário da mídia, seria estranho se não acontecesse.

    Narr

    Não estão contestando a pesquisa, mas a interpretação dela.

Messias Franca de Macedo

… A PRESIDENTE DILMA ROUSSEFF, A MAGNÍFICA, CONTATA A OPOSIÇÃO! ENTENDA

########################

DILMA VÊ OPOSIÇÃO E VAI ÀS COMPRAS EM PORTUGAL

Presidente desembarca em Lisboa; primeiro encontro se dá com secretário-geral do partido socialista, Antonio José Seguro; participação do Brasil no capital de empresas portuguesas foi discutida; na segunda-feira 10, Dilma encontra empresários do país para aprofundar negócios; aérea TAP, estaleiro Viana do Castelo e estatais de águas e correios interessam a brasileiros; BNDES promete financiamento.
Lisboa – A presidenta Dilma Rousseff começou seus contatos políticos, hoje (9), em Portugal, conversando com a oposição. Dilma recebeu nesta tarde a visita do secretário-geral do Partido Socialista (PS), António José Seguro. A reunião tratou das relações entre Brasil e Portugal e de investimentos. De acordo com Seguro, os investimentos portugueses no Brasil não devem ser considerados estrangeiros, mas “investimentos de um país amigo”.
Portugal vive uma recessão nos últimos dois anos, enquanto a situação econômica do Brasil é “bem melhor”, segundo o secretário-geral. “Aprecio muito as declarações que a presidenta Dilma tem feito contra a austeridade e sobre a necessidade de haver políticas públicas a favor do crescimento”, disse Antonio José Seguro.
(…)

Gilberto Costa
Correspondente da Agência Brasil/EBC
9 DE JUNHO DE 2013 ÀS 18:44

##########################

… Aí, “é pra matar de vez” a oposição já ‘toMATADA’!…

… Chora, PIG: ‘o poste’ “inté” parece o Sol!…

BRASIL (QUASE-)NAÇÃO [depende nós enquanto ações e reações!]
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Fabio Passos

    Fabio Passos

    puxando a fila… um leitor de veja. rsrs

    Fernandes

    O segundo assiste grobo news.

Fabio Passos

Nao da pra esperar elogios do inimigo.
O PiG e inimigo da populacao brasileira e da esquerda. Inimigo declarado.
O PiG acabou de lancar aetico never para 2014. Um candidato novo e ja moribundo.
E evidente que a campanha do PiG sera de ataques a esquerda. Sera uma campanha virulenta.

Podemos esperar inclusive uma baixaria sem paralelo. Pior que a de 2010.

Em 2014 PiG-psdb vai desaparecer.
Extincao.

A “elite” branca e rica sabe disso… e esta desesperada.

    LEANDRO

    rsrsrs….

    H. Back™

    “(…)Um candidato novo e ja moribundo.(…)”. Moribundo e nauseabundo.

FrancoAtirador

.
.
“Pesquisas, que são a artilharia,
dependem da COMUNICAÇÃO
para serem abastecidas”

DATAFRIAS HÁ 2 ANOS ATRÁS

DataFolha
9 e 10 jun/2011

*Cresce pessimismo dos brasileiros em relação à economia

Pioram as expectativas sobre inflação, desemprego e poder de compra*

A taxa de brasileiros que acredita em aumento da inflação daqui para frente subiu dez pontos percentuais nos últimos três meses. Em março, correspondia a 41% dos entrevistados e agora chega a 51%. O patamar é equivalente aos dados registrados no final de 2008 e início de 2009, em meio ao noticiário da crise econômica mundial (48% de pessimismo). O índice dos que apostam na estabilidade da inflação é de 31% – era 42% em março. Outros 12% acham que a inflação vai diminuir – eram 13% na pesquisa anterior.

Quanto ao desemprego, as opiniões se dividem – 32% acham que vai aumentar, 31% que vai diminuir e 33% apostam na manutenção das taxas atuais. No levantamento feito há três meses, esses percentuais correspondiam a 27% 39% e 31%, respectivamente. Em relação ao poder de compra dos salários, também nota-se maior equilíbrio na percepção da população. Em março, a maior parte (43%) apostava no aumento do poder de compra contra 18% que achavam que ele diminuiria. Hoje, essas taxas são de 33% e 25%, respectivamente.

A análise conjunta desses resultados explica o crescimento do pessimismo sobre a economia do país. Apesar da maior parte dos brasileiros achar que a economia vai melhorar (42%) ou ficar como está (37%) nos próximos meses, o índice dos que apostam em dias piores subiu de 9% para 17% nos últimos três meses. A taxa de otimistas caiu oito pontos percentuais (de 50% para 42%).

Um indício do porquê esse pessimismo ainda não atingiu a popularidade do governo pode estar no fato de que ele não se mostra tão intenso na rotina do entrevistado [SIC].

Apesar da avaliação do poder aquisitivo da família não ser dos melhores (45% dizem que às vezes falta dinheiro), o índice dos que admitem muita dificuldade financeira oscilou dentro da margem de erro em um patamar bem abaixo de seu teto histórico (21% atualmente contra 46% em setembro de 1999, após a desvalorização do Real).
Prova disso é que a taxa dos que se mostram pessimistas em relação à situação econômica pessoal passou de 7% para 10%, enquanto a taxa dos que acham que ela deve se manter subiu de 28% para 34%.
.
.
Qual será a “resposta forte do Governo para que o discurso da direita não saia dos jornais para as ruas”,
se elas já estão na boca [e nos ouvidos] de metade da população braZileira e crescendo ?
.
.

    Juarez Pereira

    Pois é. A mídia é sempre contra, mas quando fala bem ela não existe.

    FrancoAtirador

    .
    .
    “As pesquisas serão, como de outras vezes, as armas mais terríveis da luta pelo poder.”

    “O terrorismo inflacionário [bem como a PREGAÇÃO MORALISTA] promovido pela imprensa, que não é novo, pode agora estar sendo aceito como causa para uma mudança na PERCEPÇÃO COLETIVA de, ao menos, parte da população.”

    “A PERCEPÇÃO que se forma é a de que ela é um perigo não a uma estabilidade econômica teórica, mas ao dia-a-dia das pessoas [que incluem preocupações morais na ação política].”

    “Se o governo assumir uma atitude de maior COMUNICAÇÃO com a população,…, essa impressão forjada pela mídia se dissipará.”

    Parece que a forma escolhida pelo Governo Dilma para se ‘comunicar’ com essa parcela moralista, ignorante e hipócrita braZileira que é estimulada pela Mídia Bandida – que infelizmente continua tendo predominância ideológica sobre grande parte da população – foi a de, com raras e honrosas exceções, retroceder nas ações ministeriais do Poder Executivo que poderiam significar afirmativamente um avanço civilizatório em diversos setores da Sociedade, atingindo sobretudo as demandas dos mais variados Movimentos Sociais e Sindicais que há tempos, inclusive, estão na mira perversa dessa elite egoísta e preconceituosa ainda dominante no Brasil, sendo, uma a uma das reivindicações, fulminadas pelos representantes do atraso com o aval governamental.

    Foi assim que o Ministério da Defesa se posicionou contra a revisão da Lei da Anistia proposta pela Comissão Nacional da Verdade, para arrefecer os ânimos militares golpistas exaltados nas Forças Armadas;

    Foi assim que o Ministério da Saúde veio e vem adotando posturas anticientíficas no manejo de questões políticas que envolvem a Medicina Preventiva e Curativa, isto é, nas abordagens das campanhas de prevenção, controle, erradicação e tratamento de doenças;

    E foi também assim que a Polícia Federal, sob o comando do Ministério da Justiça, titubeou em algumas investigações e em outras intervenções agiu com extrema irresponsabilidade, para não utilizar palavras mais ásperas.

    Esses são apenas três exemplos de atuação de ministros ligados diretamente ao Partido dos Trabalhadores (PT), que, aliás, não têm participação na gestão da Economia.

    Os ministérios ligados à área das Comunicações propriamente dita, também nas mãos do PT, já não se menciona mais, tal a omissão [proposital] no setor, sabe-se bem com que objetivo ilusório.
    Nos outros, gerenciados pelos partidos da ‘Base Aliada’, nem se fala, já que estão lá para fazer Lobby Corporativo.

    Na verdade, o problema que Dilma Rousseff enfrenta, em termos comunicacionais, é que o Governo da coligação PT/PMDB – além de cair constantemente em contradições e de não ter um Lula para administrar conflitos políticos internos e fundamentalmente afastar causas externas falando com @s brasileir@s de forma direta – é o paradoxo explícito entre esquerda vanguardista e direita conservadora – emanado do seu próprio interior e reforçado, exaltado e repercutido pela Mídia Bandida – que força a Presidente a equilibrar-se numa tênue linha de centro, como na corda bamba, para manter um mínimo de governabilidade, mas que retira a credibilidade política necessária a romper resistências e fazer o País avançar para um estágio de civilidade e bem-estar social almejado pela maioria absoluta da população.

    Decorrerão daí, dessa falta de interlocução do Governo Federal, fatos bastante previsíveis para a campanha eleitoral de 2014, até porque já vêm ocorrendo há tempo, desde o pleito presidencial de 2010, essa verdadeira batalha campal e já não tão subterrânea – ainda que substancialmente nos meios virtuais, mas com efeitos cada vez mais fortes e, geralmente, distorcidos na realidade prática dos eleitores politicamente menos esclarecidos e mais supersticiosos – do Conservadorismo de Direita e de Extrema-Direita contra a Vanguarda de Esquerda e de Extrema-Esquerda.

    A Mídia Bandida, livre, leve e solta, continuará manipulando e exacerbando o debate sobre temas que sempre causam comoção no Inconsciente Coletivo – e por isso é denominada Sensacionalista – fomentando os conflitos morais e acirrando os ânimos por todos os lados em que possa denegrir a imagem do Governo Federal, como um todo, especialmente do PT e particularmente de Dilma Rousseff, ao tempo em que busca capitalizar votos para os candidatos da oposição, mormente nas camadas populares e nos meios empresariais urbanos, já que entre os especuladores financeiros, os latifundiários do campo, os profissionais liberais, as madames desocupadas e os servidores públicos federais basta consolidá-los.

    Em breve, haverá a visita do Papa ao Brasil para chefiar um evento de proporção internacional, promovido por jovens católicos de todo o mundo e este ano sediado no Rio de Janeiro.
    Ao Monopólio Midiático Tradicional caberá a interpretação e a repercussão dos fatos.
    Não será de se admirar se, de repente, lá do meio da multidão em êxtase celestial, apareça o moçoilo ‘franciscano’ Aébrio Nébulus dando as bênçãos à turba encantada na cidade maravilhosa.

    O DataFrias está só dando a largada para o que, vislumbra-se, será a mais deprimente campanha eleitoral de todos os tempos.

    Quem sobreviver verá.
    .
    .

    FrancoAtirador

    .
    .
    DataFrias em detalhes:

    (http://media.folha.uol.com.br/poder/2013/06/09/tabela-datafolha.pdf)
    .
    .

    Mário SF Alves

    “A Mídia Bandida, livre, leve e solta, continuará manipulando e exacerbando o debate sobre temas que sempre causam comoção no Inconsciente Coletivo – e por isso é denominada Sensacionalista – …”
    ———————————————
    Sensacionalista, prezado Franco? Sensacionalista é adjetivo por demais suave. É hora de se revisar este conceito, pois há muito que a coisa anda mais golpista e com rasgos de viés terrorista. Vide a questão do tomate; é como se desconhecessem as condicionantes da estúpida, histórica e trágica questão agrária brasileira. Condicionantes essas que estão na gênese desse mesmo poder – livre, leve e solto – que caracteriza o dia-a-dia de tal mídia.
    ………………………………..
    E, lembrando o Lula, eis uma das saídas: globalização da política já!

    FrancoAtirador

    .
    .
    Meu caro Mario SF Alves.

    O ‘Sensacionalismo’, acima referido, usado pela Mídia Bandida BraZileira, é fruto da utilização da técnica de “Psicologia de Massas”, já secularmente e mundialmente conhecida, que consiste em, com fundamento em premissas subjetivas falsas, criar sensações agradáveis ou desagradáveis na coletividade com o objetivo de formar um “Senso Comum” (popularmente reconhecido pela expressão “Opinião Pública”) diverso da realidade factual e existencial dos indivíduos, enquanto atores sociais, de forma a se manter em uma situação de domínio e controle da Sociedade, para finalmente conquistar o poder político, econômico e social do Estado, diretamente, no caso de golpes com suposto ou efetivo apoio da população, ou indiretamente, através de seus representantes eleitos pelo voto popular, nas democracias representativas.

    Por conseguinte, essa atuação política do Banditismo Midiático BraZileiro aplicada pelo uso de artifícios psicológicos bem definidos e projetados para gerar ininterruptamente insegurança institucional, com a fabricação constante de crises políticas e econômicas, não pode ser isolada do espectro ideológico que predomina no funcionamento do Capitalismo Internacional, com reflexos geopolíticos, econômicos e sociais em todo o mundo contemporâneo, especialmente após o sucesso da Revolução Russa de 1917, a primeira a tentar por em prática o Socialismo como forma diametralmente oposta de administração do Estado, com fulcro no modelo teórico idealizado, no século XIX, por Karl Marx, dando início à bipolaridade planetária que culminou, após o término da Segunda Guerra Mundial, na chamada “Guerra Fria” entre os United States of America (USA), representando o Capitalismo Liberal, e a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), identificada com o Comunismo Marxista, que, por sinal, nunca chegou a ser, de fato, implementado.

    Então, a partir de meados do século XX, os United States tornaram-se o paradigma econômico e sócio-político da maioria das nações do Planeta, sobretudo no Ocidente, graças principalmente à disseminação em caráter mundial do “American Way of Life”, precisamente pelo uso de técnicas da Propaganda e do Marketing que haviam sido aprimoradas pelos “especialistas” fascistas europeus, tanto por intermédio da Mídia Escrita Convencional como principalmente pelos Meios Áudio-Visuais de Comunicação, inicialmente por Rádio e Cinema e, depois, via Televisão.

    É de se assinalar que, em seus primórdios, esse “Estilo de Vida Norte-Americano”, apregoado e amplamente divulgado midiaticamente até hoje pelos United States of America, teve origem na “Doutrina do Destino Manifesto” que, por sua vez, baseou-se no “Puritanismo” oriundo de diversas denominações religiosas protestantes européias, principalmente ligadas ao Calvinismo trazido para a América do Norte pelos colonos ingleses e que tinha raízes ideológicas fundamentadas nas Escrituras Judaicas, para, por fim, autodeclarar e determinar que os Estados Unidos da América são a “Nova Jerusalém” e que seu povo foi “Escolhido por Deus” para levar a “Democracia e a Liberdade” e os “Valores Judaico-Cristãos” ao “Restante do Mundo Pecador”.
    Inclusive, vem daí, dessa clonagem dogmática secular, a afinidade geminal indissociável dos United States com o Estado Judeu, mormente quando se refere a valores morais superiores como justificativa essencial ao expansionismo territorial imperialista que se traduz em efeitos políticos e econômicos devastadores para a Humanidade.

    Foi assim, por decorrência histórica e por opção político-ideológica, que a Mídia Bandida Capitalista BraZileira – que, diga-se de passagem, é atualmente um braço da Imprensa Financista Internacional alinhada com os interesses das Corporações Econômicas Apátridas, antigamente denominadas ‘Multinacionais’, que hoje dominam internamente (porque elegem; e elegem, porque custeiam financeiramente as campanhas eleitorais) os Governos das matrizes do neoliberalismo globalizado – sempre se utilizou desses mesmos expedientes moralistas, fascistas, reafirma-se, para desestabilizar institucionalmente os governos trabalhistas nacionalistas braSileiros, ‘status vigens’, os quais, mesmo que sob a vigência do regime capitalista, via da regra, sinalizaram oposição à gestão da Economia e da Política Externa praticadas pela maioria dos países do Hemisfério Norte, notadamente sob a logística implementada pelos United States of America, com articulação na Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) que foi criada exatamente para fazer frente oposta ao bloco soviético que, poucos anos depois, se agrupou em torno do Pacto de Varsóvia.

    Portanto, é para abalar as estruturas governamentais indesejadas pelo “Aparato Ideológico do Sistema Internacional”, inclusive com agentes infiltrados dentro do próprio aparelho estatal, a busca midiática metódica e premeditada por temas sensacionais e espetaculares, que atingem exclusivamente as sensações ou as percepções sensoriais, subjetivas e inconscientes, relacionadas aos instintos humanos mais primitivos, que possam gerar instabilidade emocional nos indivíduos, cuja repercussão coletiva tende a fomentar “Escândalos” que tendem a “Chocar a Sociedade”, sejam elas referentes ao Medo como “Criminalidade Generalizada” e “Apagão Elétrico”, ou à Insegurança Financeira e Patrimonial como “Inflação Galopante”, “Desemprego Recorde”, “Invasões de Terras” e “Ameaça Comunista”, ou, ainda, de cunho moralista como “Corrupção”, sem contar a exploração da vaidade e das paixões humanas direcionada ao consumismo hedonista pela propaganda comercial enganosa que se insere no contexto ampliado da Mídia NeoCapitalista.

    O tomate, como o José Dirceu, foi somente um ícone, apenas mais um símbolo meticulosamente escolhido para dar significado a uma série ininterrupta de falsidades ideológicas praticadas pela Mídia Bandida BraZileira a serviço da “Causa Simbólica” dos United States of America.

    Um abraço camarada e libertário.
    .
    .
    Manipulação ideológica e afetiva

    Através da mídia engana-se em proveito de alguns e prejuízo de muitos.
    Essa manipulação aparece na legitimação, na dissimulação, na unificação e na reificação.
    A manipulação ideológica é basicamente racional e emprega modos e estratégias em geral baseados em raciocínios, argumentações, etc., mas fundamentalmente falsos.
    A manipulação afetiva é sutil e complexa, pois faz uso de processos inconscientes ou semi-conscientes onde o afeto e o sentimento predominam.
    Entre as principais técnicas psicológicas empregadas na manipulação afetiva, estão: a imitação, a sugestão, a persuasão, a pressão moral, a percepção subliminar, a reflexão, e os reflexos condicionados.
    “A propaganda dispensa as pessoas de terem que escolher,
    o que é perfeitamente humano e perfeitamente horrível.” (Guareschi, Nunes & Tiellet, 1998).

    (http://www.ufrgs.br/e-psico/etica/temas_atuais/psicologia-e-midia-manipul-ideologica.html)
    .
    .
    (http://www.caixadepandora.xpg.com.br/conheca-as-tecnicas-e-teorias-usadas-pela-midia-para-controlar-a-mente-das-massas)
    (http://www.diarioliberdade.org/mundo/batalha-de-ideias/29058-psicologia-de-massas-e-capitalismo.html)
    (http://www.ip.usp.br/portal/images/stories/Dissertao_Pdf.pdf)
    (http://pt.wikipedia.org/wiki/Puritanismo)
    (http://pt.wikipedia.org/wiki/Calvinismo#Denomina.C3.A7.C3.B5es_Calvinistas)
    (http://pt.wikipedia.org/wiki/Institui%C3%A7%C3%A3o_da_Religi%C3%A3o_Crist%C3%A3)
    (http://pt.wikipedia.org/wiki/A_%C3%A9tica_protestante_e_o_esp%C3%ADrito_do_capitalismo)
    (http://www.conversaafiada.com.br/politica/2011/07/29/santayana-assim-nasceu-a-manipulacao-das-massas)
    .
    .
    PS: A “Bola da Vez” é o Lobby norte-americano pelo comércio bilateral BRASIL-USA:

    Industriais pedem para que Brasil aprofunde comércio bilateral
    Segundo gerente da CNI, comércio com outros países está estagnado.
    Percepção da indústria veio depois da criação da Aliança do Pacífico.

    Por Camila Bomfim, de Brasília, DF, no Jornal da Globo via G1

    A Confederação Nacional da Indústria foi ao governo defender que o Brasil feche mais acordos de comércio internacional para sair do que chamou de “fundo do poço”.

    Os empresários dizem que é hora de virar o jogo no cenário internacional, e que a agenda de acordos comerciais com outros países está em xeque.

    Segundo a Confederação Nacional da Indústria, o Brasil está ficando para trás.

    O México negocia com países que representam 63,5% do comércio global; a China tem acordos com economias envolvidas em 30% das negociações internacionais; os Estados Unidos, com 23%; e o Brasil, com apenas 10%.

    O mesmo estudo traduz essa percepção em valores.

    Segundo a CNI, caso o Brasil tivesse o mesmo desempenho no comércio internacional de economias como a dos Estados Unidos, da China e da União Europeia, o país teria exportado US$ 5,5 bilhões a mais no primeiro bimestre.

    Segundo o gerente de comércio exterior da CNI, o comércio com outros países está estagnado.

    “A indústria chegou literalmente no fundo do poço. O Brasil tem que, desde já, abrir várias frentes de acordos comerciais. Todos os outros países estão fazendo isso, o Brasil não pode ficar isolado, parado”, diz Diego Bonomo, gerente de Comércio Exterior da CNI.

    A percepção de que a indústria precisa se abrir veio depois da Aliança do Pacífico.

    Há cerca de um ano, Chile, Colômbia, México e Peru se uniram para negociar com novos países. O bloco representa 35% do PIB da América Latina. Cada país tem mais que o dobro de acordos comerciais que o Brasil.

    O governo está negociando com a União Europeia, e conta com a abertura da indústria para fechar mais acordos.
    “O Brasil exporta seus produtos para os países vizinhos praticamente sem imposto de importação. Agora nós precisamos, enfim, buscar novas frentes negociadoras e acesso privilegiado a outros mercados”, afirma Tatiana Prazeres, secretária de Comércio Exterior.

    Para Carlos Eduardo Vidigal, especialista em Relações Internacionais, para garantir competitividade, é preciso reduzir o custo Brasil.

    “Se nós tivéssemos condições de melhorar estradas, portos e mesmo revermos a nossa política tributária, os nossos produtos poderiam chegar a um preço mais competitivo lá fora”, diz.

    (http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2013/06/industriais-pedem-para-que-brasil-aprofunde-comercio-bilateral.html)

Deixe seu comentário

Leia também