VIOMUNDO

Diário da Resistência


Fátima, única governadora eleita, anuncia revisão de todos os contratos do governo do RN
Deputado Ezequiel Ferreira de (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa, a governadora Fátima Bezerra (PT) e o vice Antenor Roberto (PCdoB) no anúncio de medidas para recuperação fiscal do Estado. Foto: Elisa Elsie/Saiba Mais
Política

Fátima, única governadora eleita, anuncia revisão de todos os contratos do governo do RN


02/01/2019 - 17h54

Nesse 1º de janeiro de 2019, ao tomar posse como governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT) interrompeu décadas e décadas de oligarquias no comando do Estado:

–- Sou a única mulher a tomar posse hoje como governadora. A única governadora eleita em todo o país. Eleita pelo estado onde as mulheres primeiro conquistaram o direito ao voto; que primeiro elegeu uma mulher ao cargo de deputada estadual; e que teve a primeira prefeita eleita em toda a América Latina.

— Estamos recebendo legado dramático. Estamos herdando uma dívida da ordem de R$ 2,6 bilhões.

— A população disse que esse Estado não tem mais donos e que mesmo na adversidade nós devemos ter esperança. A esperança que Paulo Freire (principal inspiração de sua trajetória na Educação) nos ensinou, do verbo esperançar. Não a esperança que espera, mas a que se levanta, que vai atrás, que constrói, que não desiste. Esperançar é juntar-se com outros para fazer de outro modo.

Fátima decreta calamidade financeira e anuncia revisão de todos os contratos do Governo

por Rafael Duarte, Agência Saiba Mais

A governadora Fátima Bezerra decretou estado de calamidade financeira no Rio Grande do Norte em razão da grave situação fiscal do poder Executivo.

Essa é a primeira medida anunciada do plano de Recuperação Fiscal do Estado, que inclui mais de 40 ações sugeridas pela equipe de transição.

Os seis primeiros decretos serão publicados nesta quinta-feira (3), no Diário Oficial do Estado.

Na prática, o Governo do Estado poderá parcelar dívidas, estender prazos de pagamentos e não precisa realizar licitações.

No caso do decreto editado pela governadora Fátima Bezerra, porém, o decreto não autoriza a dispensa de licitação.

O Governo Federal também pode ser acionado e, ao reconhecer a calamidade decretada, determina quais medidas podem ser tomadas, como o envio de recursos.

Com isso, o Rio Grande do Norte se une aos estados do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas Gerais, cujos governadores também decretaram estado de calamidade desde 2016.

O anúncio foi feito na manhã desta quarta-feira (2), durante reunião do Governo com representantes dos demais Poderes, servidores públicos e do segmento empresarial do Estado.

Além de um ato administrativo, o decreto de calamidade financeira é um marco político da gestão Fátima.

Segundo auxiliares contatados pelo portal Saiba Mais, a intenção da governadora é mostrar à sociedade que a partir de agora há uma mudança na mentalidade e na condução da gestão financeira do Rio Grande do Norte.

“Essas são as primeiras medidas que tomaremos, acrescentando que elas fazem parte do plano estadual de recuperação fiscal que vai conter outras medidas que oportunamente serão anunciadas”, disse a governadora.

Da primeira etapa do pacote, Fátima também já determinou a revisão, num prazo de 60 dias, de todos os contratos e licitações realizadas pelo Governo, redução das despesas com locação de imóveis, além da revisão dos restos a pagar não processados.

Estão proibidas também novas despesas com locação de imóveis e aumento de novos gastos com contratos, aditivos que aumentem os gastos com locação de imóveis, veículos e terceirizados.

O decreto determina ainda a impossibilidade de concessão de patrocínio e apoio à realização de festividades, eventos culturais, solenidades, recepções, confraternizações, homenagens, enfeites, presentes e outras situações similares; além da participação em cursos, congressos, seminários e eventos afins, ressalvada a utilização de fontes próprias e específicas para o respectivo custeio.

Passagens aéreas deverão ser informadas previamente à secretaria de Estado do Planejamento e das Finanças até a implementação de um sistema de controle de gastos.

A governadora também proibiu a contratação de uma série de outras despesas e determinou o retorno para os órgãos de origem de todos os servidores cedidos, civis e militares.

Caso prefiram ficar onde estão, o ônus dos salários deve ser pago pelos órgãos onde trabalham. Só estão livres do retorno servidores comissionados que ocupam cargos de chefia, direção ou assessoramento superior.

As primeiras medidas de contenção de despesas serão monitoradas por um comitê de gestão e eficiência criado com a participação do Gabinete Civil, Seplan, Administração, Tributação, Controladoria e Procuradoria geral do Estado.

O horário de expediente no serviço público também será reduzido em razão dos cortes e da revisão de todos os contratos de prestação de serviços para atendimento do novo horário.

Para quem trabalha até 40 horas, o expediente será das 8h às 14h. Já os servidores com jornada de 30 horas passam a trabalhar de 8h às 12h30. Não haverá redução de salário.

Apenas os servidores que trabalham em escolas, hospitais, delegacias e presídios cumprem o horário antigo.

Leia também:

Assessor de Bolsonaro apaga vídeo em que falava que Hitler foi de esquerda

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Eduardo

04 de janeiro de 2019 às 10h34

Querida Fátima Bezerra, Parece que vem aí uma barra pesada para voçê, o povo potiguar e os que tem pedigree de brasileiros! Se essa loucura dos vira-latas der certo , seu estado será uma extensão mais evidente da USARM , aí então passará a ser vitrine, telhado de vidro, alvo dos inimigos dos USA.Se serve de consolo, seu estado seria a porta de entrada dos salvadores da pátria brasileira! Eles fariam “um Limpa” nos arredores e não faltaria dinheiro. Assim, Milton Neves do PIG narraria: “ QUE BELEEEEEEEZA!!!!!!!!!!!!!! Sorria Fátima Bezerra !!!! Não se apoquente Mainha!!!!!!!

Responder

Zé Maria

02 de janeiro de 2019 às 22h05

A partir deste ano de 2019, os Prefeitos e Governadores
vão efetivamente sentir os Efeitos da aprovação da PEC
que limitou as Despesas em Serviços Públicos Essenciais.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.