VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Em representação, Collor acusa Gurgel por vazamentos


18/12/2012 - 13h56

18/12/2012 – 13h40 Comissões – Inteligência – Atualizado em 18/12/2012 – 13h40

Collor anuncia representação contra Gurgel

da Agência Senado

O presidente da Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência (CCAI), senador Fernando Collor (PTB-AL), acusou o procurador-geral da República, Roberto Monteiro Gurgel Santos, de “desdenhar” o Senado, ao recusar-se a comparecer à reunião desta terça-feira (18) da comissão, convocada especialmente para ouvi-lo. Disse ainda que o procurador chantageia parlamentares e comete crime de prevaricação, motivo pelo qual anunciou o envio ao presidente do Senado, José Sarney, de representação contra Gurgel.

O procurador alegou “compromissos inadiáveis assumidos anteriormente” para não comparecer à reunião da comissão, quando deveria prestar esclarecimentos sobre a “confluência das atividades de inteligência com o papel do Ministério Público e da Polícia Federal”, conforme requerimento aprovado pela comissão na semana passada.

Segundo Collor, o “descaso” da autoridade máxima do Ministério Público da União para com o Poder Legislativo levou-o a questionar se o “excesso de poderes” atribuído ao Ministério Público não teria provocado “um excesso de prepotência por parte de alguns de seus integrantes”. Ainda segundo o presidente da comissão, “não têm sido raros” os casos que promotores e procuradores “abusam de suas atribuições constitucionais motivados por condutas egocêntricas e arbitrárias”.

— No caso do procurador-geral da República, ele demonstra a sua fragilidade moral e funcional, algo como um covarde, mostra que deve, porque teme enfrentar uma comissão mista de controle de atividades de inteligência. Sua manobra para aqui não comparecer é uma confissão de culpa, culpa de quem chantageia, de quem faz pressão e prevarica – afirmou Collor.

Representação

Na representação anunciada por Collor durante a reunião, o senador afirma que Gurgel prevaricou ao “sobrestar” a Operação Vegas, da Polícia Federal, destinada a apurar o vazamento de informações sigilosas sobre uma operação contra a exploração ilegal de jogos de azar em Goiás. Para o senador, essa atitude já poderia implicar crime de responsabilidade.

Collor observa ainda, na representação, que “fica evidente o vazamento de informações sigilosas por parte do Chefe do Ministério Público da União”, como teria sido constatado nos depoimentos de procuradores e delegados federais perante a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista que investigou as atividades de Carlos Cachoeira, acusado de conduzir rede de jogos ilegais em Goiás.

O senador acusa, em seguida, o procurador-geral de utilizar-se de seu cargo para “atender a interesses pessoais e beneficiar amigos, colaborar com os meios na divulgação de informações sob segredo de justiça e, pior, usar das informações em seu poder para fazer pressão e chantagem até contra autoridades com prerrogativa de foro”.

Ao final da representação, o presidente da comissão acusa o procurador de “crime de responsabilidade e delito de prevaricação, associados à violação de segredo”. Por meio do documento, ele solicita ao presidente do Senado “adotar providências para a aplicação das sanções e reprimendas legais cabíveis no caso concreto”.

Leia também:

Desespero de um lado, comodismo do outro

Marco Maia: Respeitar o Legislativo é defender a democracia

Marco Maia: Câmara pode não cumprir decisão do STF

Lúcio Flávio Pinto: Ocupação da Amazônia ainda segue diretriz da ditadura

Lucro privado, prejuízo público: Um exemplo do capitalismo à brasileira

Cláudio Puty: Celpa, um caso clássico de Privataria Tucana

Exportação em Carajás é crime lesa Pátria

Ildo Sauer: O ato mais entreguista da história

Celio Bermann: Belo Monte serve a Sarney e às mineradoras

Wanderlei Pignati: O que tem na água que você bebe





6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Gurgel diz que vai analisar depoimento de Valério « Viomundo – O que você não vê na mídia

19 de dezembro de 2012 às 18h11

[…] Lula acusa Gurgel por vazamentos […]

Responder

emilia

19 de dezembro de 2012 às 15h51

Parabéns Collor de Mello me surpreendeu foi o único Senador que teve coragem de peitar esse prevaricador e vazador de conversas , é um CHANTAGISTA , e é o que mais tem por aí na escola desse PROCURADOR, ALGUÉM TEM QUE CORTAR OS VOOS DELE! QUE PICARETA , CHANTAGISTA , e o pobre sendo preso por roubar uma margarina, um shampoo ….

Responder

Fátima Oliveira: O valor terapêutico de cuidar do bonsai « Viomundo – O que você não vê na mídia

19 de dezembro de 2012 às 10h47

[…] Em representação, Collor acusa Gurgel por vazamentos […]

Responder

Maria Helena

18 de dezembro de 2012 às 19h30

Dá para ter a ilusão de que Sarney vá dar andamento a essa representação? só pra quem acredita em Papai Noel.

Responder

Ricardo Homrich

18 de dezembro de 2012 às 19h26

Eu acho que sairá na veja.
Culpando o Dirceu, talvez o Lula e, por que não, a Rose.

Responder

Paulo Ribeiro

18 de dezembro de 2012 às 18h56

Cada vez mais o ex-presidente Collor ganha a minha admiração pela sua luta em favor dos direitos de todos os brasileiros. Alguns podem discordar, mas Fernando Collor é um exemplo de como um ser humano pode reconsiderar seus princípios e agir pensando de forma altruísta no Brasil. Em todos estes anos, em que companheiros se desviaram de seus princípios e foram atraídos pelo canto do PIG, Fernando Collor se sobressaiu e hoje é um dos mais sérios políticos brasileiros.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding