VIOMUNDO

Diário da Resistência


Petroleiros fazem “esquenta” em Minas rumo à greve nacional prevista para junho, em defesa da Petrobrás
Foto Sindipetro/MG
Política

Petroleiros fazem “esquenta” em Minas rumo à greve nacional prevista para junho, em defesa da Petrobrás


24/05/2018 - 10h36

Foto Sindipetro/MG

PETROLEIROS DE MINAS FAZEM “ESQUENTA” RUMO À GREVE GERAL COM CONTROLE DE PRODUÇÃO

do Sindipetro/MG

Petroleiros da Refinaria Gabriel Passos (Regap) fizeram um corte de rendição na manhã desta quarta-feira (23).

Trabalhadores de turno e do administrativo cruzaram os braços em ato contra a privatização da Petrobrás — que impacta diretamente no preço dos combustíveis e gás de cozinha no Brasil.

A mobilização da categoria petroleira faz parte de um “esquenta” que está sendo realizado ao longo desta semana em todas as bases da Federação Única dos Petroleiros (FUP) no País rumo a uma greve nacional.

Segundo o diretor da FUP e do Sindipetro/MG, Alexandre Finamori, a alta dos preços dos combustíveis e do gás de cozinha é reflexo direto da política de privatização da Petrobrás.

“Essa política de preços está vinculada a uma estratégia de privatização da Petrobrás. Nenhuma empresa estrangeira quer vir para o Brasil construir ou comprar uma refinaria com o preço da gasolina fixado pelo Estado e tendo como objetivo cumprir uma função social de segurar a inflação. Então, a Petrobrás tem subido o preço de tal forma que hoje é interessante importar gasolina. Hoje, 40% do consumo interno de derivados no Brasil é importado, enquanto temos refinarias com capacidade ociosa. O preço dos combustíveis está tão alto que compensa trazer de fora — em uma jogada estratégica da atual gestão da empresa”.

A manifestação coincidiu com o movimento nacional realizado pelos caminhoneiros.

A categoria reivindica a redução do preço do diesel –0 que desde fevereiro deste ano foi reajustado em 34% pela Petrobrás nas refinarias — e fecha desde a manhã desta quarta-feira os acessos de caminhões e carretas à Regap.

Alta dos preços

Somente de fevereiro até agora (período em que a Petrobrás passou a divulgar o preço da gasolina e do diesel nas refinarias), o valor dos combustíveis repassado aos distribuidores subiu em média 34%.

Isso comprova que a alta dos combustíveis está associada, principalmente, à política da Petrobrás de atrelar os preços praticados no Brasil ao valor do barril de petróleo no mercado internacional.

Segundo dados da própria Petrobrás, a gasolina A subiu 34,89%, passando de R$ 1,5148 em 20 de fevereiro de 2018 para R$ 2,0433 em 23 de maio.

Já o diesel A teve uma alta de 34,44% nos últimos três meses (custava R$ 1,7369 em 20 de fevereiro e passou a R$ 2,3351 em 23 de maio).

A mesma lógica é adotada para o gás de cozinha (botijão 13kg) — cujo preço médio no Brasil saltou de R$ 53,121 em junho de 2017 (quando foi implantada a paridade dos preços do gás com o mercado internacional) para R$ 66,966 em abril de 2018.

No entanto, a própria Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), já é possível encontrar botijão de gás sendo vendido a R$ 120 no Brasil.

Categoria petroleira avança rumo a greve nacional (Sindipetro AL/SE)

A categoria está em alerta desde que a ameaça de demissão ficou iminente, por conta do anúncio da privatização de quatro refinarias (duas no nordeste e duas no sul do país), além de 12 terminais Transpetro e o fechamento das Fafens.

Tudo isso apenas confirma o que Sindipetro AL/SE e demais sindicatos da FNP (Federação Nacional do Petróleo) já denunciam há tempos: a entrega total da cadeia nacional de petróleo e gás, indutora da economia nacional, empregadora de centenas de milhares de trabalhadores.

O governo Temer e a gestão de Pedro Parente agora avançam para consolidar por completo o processo de privatização e desmonte da Petrobras, que vem sendo pavimentado há anos através da quebra do monopólio estatal, leilões, venda de ativos, endividamento, terceirizações, desinvestimento, demissões, corrupção e etc.

A hora da greve é agora!

Não podemos permitir essa entrega.

Da mesma forma não podemos depositar nenhuma esperança na eleição de outubro.

Os trabalhadores têm apenas duas alternativas: se render ou resistir.

Assembleias aprovam greve

Em Sergipe e Alagoas a categoria tem aprovado quase que por unanimidade a indicação do Sindipetro AL/SE de greve nacional contra a privatização da Petrobras, em defesa dos direitos e dos empregos, contra as reformas da previdência e trabalhista, para derrubar Temer e Pedro Parente.

A parcial das assembleias até o momento é de 225 a favor da greve, um voto contra e duas abstenções.

PLR 2017

Os trabalhadores também têm decidido em assembleia pela não assinatura do termo de quitação da PLR da Petrobras.

A empresa desconsidera parcelas que compõem a remuneração e propõe pagamento abaixo do acordado, especialmente ao pessoal operacional, mas também desconsiderando hora-extra, auxílio-almoço e adicional regional, por exemplo, de boa parcela do administrativo.

Entretanto, para os gerentes, inclui no cálculo a gratificação da função, extrapolando qualquer relação piso-teto considerável!

O Jurídico da FNP elaborou um parecer sobre a “Metodologia para definição e pagamento de PLR no Sistema Petrobrás”, considerando que deve ser rejeitada, por não cumprir o acordo anteriormente assinado, no quesito remuneração.

Contribuição Extra

Também está sendo aprovada a cobrança de 1% do salário base como contribuição extra para a campanha em defesa da Petrobras, por dois meses.

É com essa taxa que o sindicato consegue pagar as despesas extras em decorrência da campanha, como faixas, panfletos, carro de som e etc.

Unidade Nacional

A reunião nacional que ocorreu no dia 09 deste mês no Rio de Janeiro integrou os sindicatos da FNP (Federação Nacional dos Petroleiros) com AEPET (Associação dos Engenheiros da Petrobrás), AMBEP (Associação de Mantenedores-Beneficiários da Petros) e ativistas das refinarias atacadas e de outras bases, bem como movimentos sociais como a FIST (Federação Internacionalista dos Sem-Teto) e o SOS EMPREGO do Rio de Janeiro.

Durante reunião, ficou definido que a FNP e seus Sindicatos farão um grande calendário de mobilizações, com atividades até o próximo dia 25.

Infelizmente, a FUP se recusou mais uma vez a estar presente nesta articulação, mas insistiremos em construir uma pauta e um calendário unificado para a realização da greve.

A proposta para as assembleias é deliberar o Estado de Greve contra a privatização, o equacionamento e a perda de direitos (Benefício Farmácia, AMS, Plano de Carreira etc.).

A deflagração do movimento deverá ser articulada nacionalmente, com indicativo para o início de junho. Estaremos a postos!

Leia também:

Engenheiros da Petrobrás denunciam Temer e Parente: Política de preços beneficia Estados Unidos

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

maria do carmo

24 de maio de 2018 às 13h54

Demoraram a fazer greve deixaram os golpistas e oportunistas a vomtade o que esperavam que os especiliistas em falcatruas fariam ao derrubar Dilma, E EVIDENTE roubar muito mais, vejam que os politicos que se tornaram ministros porta vozes e apoiadores do maior chefe de organizacao criminosa do Brasil TEMER, sao todos corruptos envolvidos em atos ilicitos pois politicos honestos nao se juntaram com o governo golpista e criminoso do Temer, so que demoraram a reclamar dos aumentos criminosos e abusivos da gasolina ( aquela classe media burra batedora de panelas para a Dilma, logo terao de andar de onibus e metro ) o Brasil esta virado de cabeca pra baixo, e mais esse locaute comandado por patroes, responsaveis:Temer, Psdb, Moro destruidor das empresas brasileiras e juiiz, juiz? que RASGOU A CONSTITUICAO COM APOIIO DO SUPEMO desmontaram a nacao! Reacao imediata a todos os arbitrios!

Responder

maria do carmo

24 de maio de 2018 às 13h52

Demoraram a fazer greve deixaram os golpistas e oportunistyas a vomtade o que esperavam que os especiliistas em falcatruas fariam ao derrubar Dilma, E EVIDENTE roubar muito mais, vejam que os politicos que se tornaram ministros porta vozes e apoiadores do maior chefe de organizacao criminosa do Brasil TEMER, sao todos corruptos envolvidos em atos ilicitos pois politicos honestos nao se juntaram com o governo golpista e criminoso do Temer, so que demoraram a reclamar dos aumentos criminosos e abusivos da gasolina ( aquela classe media burra batedora de panelas para a Dilma, logo terao de andar de onibus e metro ) o Brasil esta virado de cabeca pra baixo, e mais esse locaute comandado por patroes, responsaveis:Temer, Psdb, Moro destruidor das empresas brasileiras e juiiz, juiz? que RASGOU A CONSTITUICAO COM APOIIO DO SUPEMO desmontaram a nacao! Reacao imediata a todos os arbitrios!

Responder

Izaías Almada

24 de maio de 2018 às 11h29

Todo apoio à greve dos petroleiros e à possibilidade de uma greve geral ampla contra o golpe dos canalhas.

Responder

assim falou Golbery

24 de maio de 2018 às 11h25

o mais ´ inacreditável é que o Brasil sendo o que sempre foi, os idiotas caem na mesma besteira. A quem interessa diesel barato? Somente a elite que tem carro de luxo que usa diesel, já que classe média para pobre é proibida de ter esse tipo de carro. O governo Temer corre o risco de cair na mesma besteira que caiu o de Dilma, pois desde lá essa deveria ter baixado 20% no preço para carro de transporte coletivo e de bens de primeira necessidade e aumentado em 300% para carro de luxo

Responder

    Julio Silveira

    24 de maio de 2018 às 12h58

    Se assim falou Golbery, ele mostrou sua mais completa ignorancia sobre como foi construida a economia nacional. Mostrou que apoia um governo que sequestrou um país através de um golpe e vai exigindo resgate que põe todo o país de joelhos para os States.
    Se ele disse que o diesel só atende aos ricos, deixou de lado por esperteza que tudo no Brasil anda sobre caminhões, e que esse insumo traz consequencias sobre toda a cadeia produtiva construida sobre as rodas dos caminhoneiros. Infelizmente o Golbery no seu tempo estimulou esse tipo de investimento, ignorou as ferrovias, hidrovias e outros meios de transporte que levaram desenvolvimento aos grandes paises industrializados, preferindo uma matriz economica centrada em estradas, o que enfraqueceu o país e deu grande a quem controla, inclusive mundialmente, a cadeia dessa commodity.

    Julio Silveira

    24 de maio de 2018 às 13h00

    Se assim falou Golbery, ele mostrou sua mais completa ignorancia sobre como foi construida a economia nacional. Mostrou que apoia um governo que sequestrou um país através de um golpe e vai exigindo resgate que põe todo o país de joelhos para os States.
    Se ele disse que o diesel só atende aos ricos, deixou de lado por esperteza que tudo no Brasil anda sobre caminhões, e que esse insumo traz consequencias sobre toda a cadeia produtiva construida sobre as rodas dos caminhoneiros. Infelizmente o Golbery no seu tempo estimulou esse tipo de investimento, ignorou as ferrovias, hidrovias e outros meios de transporte que levaram desenvolvimento aos grandes paises industrializados, preferindo uma matriz economica centrada em estradas, o que enfraqueceu o país e deu grande poder a quem controla, inclusive mundialmente, a cadeia dessa commodity.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!