VIOMUNDO

Diário da Resistência


ComunicaSul na Colômbia: Jornalistas brasileiros desembarcam em Bogotá para cobrir as eleições sem o filtro das grandes agências internacionais
Vanessa Martina Silva, Leonardo Wexell Severo, Felipe Bianchi e Caio Teixeira são os jornalistas brasileiros que cobrirão as eleições da Colômbia pela ComunicaSul. As pesquisas de intenção de voto apontam ampla vantagem de Gustavo Petro, que tem chance de vitória em primeiro turno. Fotos: Reprodução de vídeo e do Twitter
Política

ComunicaSul na Colômbia: Jornalistas brasileiros desembarcam em Bogotá para cobrir as eleições sem o filtro das grandes agências internacionais


18/05/2022 - 15h17

ComunicaSul na Colômbia: a partir de 19 de maio, jornalistas brasileiros cobrem eleição direto do país vizinho

Barão de Itararé

Com a proposta de furar a dependência da agenda imposta pelas grandes agências de notícias estrangeiras, reproduzida em modo automático pela mídia hegemônica brasileira, a ComunicaSul desembarca nesta quinta-feira (19) em Bogotá, na Colômbia.

A missão é produzir conteúdos direto da fonte e distribuí-los gratuitamente para as mídias alternativas do Brasil, visando o processo eleitoral que ocorrerá no dia 29 de maio.

São quatro jornalistas que estarão percorrendo as ruas do país irmão para reportar tudo o que acontece por lá em vídeos, fotografias e texto: Caio Teixeira, Felipe Bianchi, Leonardo Wexell Severo e Vanessa Martina Silva.

Tudo isso com apoio de uma equipe no Brasil responsável por edições de vídeo, legendas e versões dos textos traduzidas para o castelhano, formada por Rafael Freitas, Leonardo Vaz e o professor colombiano Maurício Avilez Alvarez.

Segundo Felipe Bianchi, do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, “não se trata apenas de mostrar o que a mídia hegemônica brasileira ignora ou invisibiliza, mas também estabelecer relações entre a realidade da Colômbia e a realidade do Brasil para pensar saídas para os problemas que temos em comum com a esmagadora maioria do povo colombiano”.

“Nossa proposta”, acrescenta, ”é a de, a partir de um jornalismo crítico, rigoroso e sempre em busca de identidade própria, promover a agenda da integração regional – econômica, mas também cultural, social e comunicacional – como caminho incontornável para superarmos a condição colonial e construirmos um continente com soberania, desenvolvimento e fraternidade entre os povos”.

De acordo com Vanessa Martina Silva, editora da Diálogos do Sul, a mídia brasileira no geral carece de informações a respeito da América Latina. “Os conteúdos sobre nossa América que chegam aqui, no geral, passam pelo filtro de agências como Reuters, France-PresseEfe e afins, o que estigmatiza os nossos vizinhos e irmãos a partir de uma visão extremamente enviesada”.

A importância de um grupo de jornalistas da mídia alternativa fazer essa cobertura de forma independente e in loco, segundo ela, é transcendental: “É um esforço financeiro hercúleo, já que não temos recursos. Somos um coletivo, quase uma cooperativa, que se banca através de colaborações e doações de indivíduos e organizações que acreditam neste trabalho. Esse tipo de cobertura é cara, o que leva muitos veículos da mídia comercial a pautarem suas coberturas por conteúdos ‘importados’, sem enviar correspondentes”.

O jornalismo da ComunicaSul é do “pé no chão, do olho no olho, para falar com quem protagoniza as histórias e não necessariamente com as pessoas que dirigem e decidem para onde vai a história”, complementa a jornalista. “Não estamos preocupados com o poder, mas com as vítimas desse poder. Pessoas que, na Colômbia, são oprimidas há séculos, inclusive pela violência na hora de votar e serem votadas.”

Unidade e amplitude por um triunfo inédito

Conforme explica Leonardo Wexell Severo, redator especial do jornal Hora do Povo e especialista em Política Internacional, uma vitória do Pacto Histórico, chapa encabeçada por Gustavo Petro e que tem como candidata à vice-presidente Francia Márquez, representa a determinação de um povo que conseguiu superar todos os obstáculos impostos pela política do imperialismo estadunidense – de suas transnacionais, de suas tropas, dos assassinatos, torturas e desaparecimentos.

“Os abusos sanguinários foram e continuam sendo uma demonstração do desespero dos que tentam se perpetuar no poder como marionetes dos Estados Unidos e se utilizam não só das bases militares do estrangeiro, como de narcotraficantes e milicianos”, denuncia.

Severo destaca a amplitude da construção que pode colocar o campo popular pela primeira vez na presidência da Colômbia: “Ao conseguir construir uma ampla frente progressista, atenta à questão nacional, para derrotar a direita e construir um país – que reflete como exemplo para todo o continente -, nada melhor do que somar as experiências e compromissos do atual senador Gustavo Petro, ex-prefeito de Bogotá e ex-comandante guerrilheiro, com os da advogada Francia Márquez, ativista ambiental e defensora dos direitos humanos”.

Os colombianos vão às urnas no dia 29 de maio e terão a chance de eleger um governo que promete um cambio por la vida (mudança pela vida) e dar ao povo a chance de vivir sabroso, ou seja, “viver saborosamente”, como destaca a campanha do Pacto Histórico. As pesquisas de intenção de voto apontam ampla vantagem, com possibilidade de vitória em primeiro turno, para Gustavo Petro, variando de 36 a 51%, dependendo do instituto. O principal concorrente é o candidato uribista Fico Gutiérrez, ex-prefeito de Medellín, liderando uma coalizão de direita batizada Equipo por Colombia.

A ComunicaSul produzirá conteúdos diários e em tempo real a partir desta quinta-feira (19).

Acompanhe nossas redes sociais, nosso portal e as dezenas de mídias alternativas parceiras que repercutirão essa importante cobertura para o continente: Instagram / Twitter / Facebook

10 anos de ComunicaSul

ComunicaSul  foi criada em 2012 para cobrir as eleições da Venezuela daquele ano. A iniciativa ocorreu a partir da mobilização de vários setores sociais para viabilizar a ida de uma equipe de comunicação ao país caribenho. Com fotógrafos, redatores, jornalistas com variadas áreas de atuação, registramos a histórica reeleição do ex-presidente Hugo Chávez.

Prestes a completar uma década de vida, o grupo acumula passagens por oito países, tendo as seguintes coberturas no currículo: implantação da Lei de Meios na Argentina, em 2012; eleições na Venezuela e no Equador em 2013; eleições na Bolívia em 2014, 2019 e 2020; no Chile, em 2019, produzimos uma série de reportagens sobre o sistema de capitalização da Previdência; também em 2019, voltamos à Argentina para cobrir a eleição no país. Também reportamos processos de lutas populares no Paraguai, na Guatemala  e em Honduras.

“Em outubro de 2022, quando estivermos na batalha final para livrar o Brasil do presidente miliciano, o grupo completará 10 anos. De lá pra cá, nosso trabalho se aprimorou e a ComunicaSul se tornou referência em coberturas eleitorais na América Latina, fazendo o contraponto independente com a mídia neoliberal corporativa”, salienta Caio Teixeira.

“É uma satisfação para nós que participamos desde o início a conquista da confiança dos principais veículos da mídia independente brasileira e de várias partes do continente, com a estreia da versão em espanhol das nossas reportagens a partir desta cobertura das eleições na Colômbia”, acrescenta. “Sempre demos o nosso melhor e esse reconhecimento por parte dos que travam a disputa de ideias em alto nível nos impulsiona a buscar sempre mais, para ecoar cada vez mais alto as vozes dos que lutam”.

Quer receber os conteúdos em primeira mão e reproduzir em seu veículo ou nas redes de sua entidade? Escreva para [email protected] ou entre em contato por nossas redes sociais, informando o seu nome, e-mail, número de Whatsapp e o veículo em questão. Ajude a fortalecer nossa rede!

Esta cobertura será feita pela Agência ComunicaSul graças ao apoio das seguintes entidades: da Associação dos/das Docentes da Universidade Federal de Lavras-MG, Federação Nacional dos Servidores do Poder Judiciário Federal e do MPU (Fenajufe), Confederação Sindical dos Trabalhadores/as das Américas (CSA), jornal Hora do Povo, Diálogos do Sul, Barão de Itararé, Portal Vermelho, Intersindical, Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Sindicato dos Bancários do Piauí; Associação dos Professores do Ensino Oficial do Ceará (APEOC), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-Sul), Sindicato dos Bancários do Amapá, Sindicato dos Metroviários de São Paulo, Sindicato dos Metalúrgicos de Betim-MG, Sindicato dos Correios de São Paulo, Sindicato dos Trabalhadores em Água, Resíduos e Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp Sudeste Centro), Associação dos Professores Universitários da Bahia, Sindicato dos Trabalhadores no Poder Judiciário Federal do RS (Sintrajufe-RS), Sindicato dos Bancários de Santos e Região, Sindicato dos Químicos de Campinas, Osasco e Região, Sindicato dos Servidores de São Carlos, mandato popular do vereador Werner Rempel (Santa Maria-RS), Agência Sindical, Correio da Cidadania, Agência Saiba Mais e centenas de contribuições individuais.





2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

18 de maio de 2022 às 22h58

Procuradora geral colombiana, ex-ministra
da justiça [sic] do Neofascista Iván Duque,
afastou sumariamente do cargo o prefeito
de Medellín, pela divulgação de um vídeo
de seis segundos em favor de Gustavo
Petro, Candidato Presidencial favorito.

O prefeito de Medellín, Daniel Quintero,
respaldou as denúncias de Gustavo Petro
sobre o plano criminoso para assassiná-lo
durante sua visita a Antioquia e repassou
informações ao candidato oposicionista.

A Extrema-Direita da Colômbia ligada ao
ex-presidente corrupto Álvaro Uribe tem
reduto no Departamento de Antioquia.

Saiba mais detalhes em:
https://comunicasul.org/petro-repudia-fascismo-afastar-prefeito-por-apoiar-oposicao-colombiana-e-golpe-de-estado-em-medellin/

Responder

Zé Maria

18 de maio de 2022 às 18h50

.
.
“cobrir as eleições sem o filtro das grandes agências internacionais”

significa “sem a Manipulação da Informação pela Imprensa da OTAN”.
.
.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding