VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Boulos: “Elite do atraso e da morte” foi bater palmas para Bolsonaro em jantar
Divulgação
Política

Boulos: “Elite do atraso e da morte” foi bater palmas para Bolsonaro em jantar


08/04/2021 - 14h16

Da Redação

O objetivo era “reaproximar” Jair Bolsonaro da elite empresarial.

O presidente da República teve, presencialmente, um encontro que jamais cogitou ter com os principais infectologistas e virologistas do Brasil para debater a pandemia.

Compareceram, segundo a Folha de S. Paulo:

Alberto Saraiva, Habib’s
Alberto Leite, da FS Holding
André Esteves, BTG Pactual
Carlos Sanchez, EMS
Candido Pinheiro, Hapvida
Claudio Lottenberg, da Conib
David Safra, banco Safra
Felipe Nascimento, da Mapfre Seguros
Flávio Rocha, da Riachuelo
João Apolinário, Polishop
João Camargo, grupo Alpha
José Isaac Peres, da Multiplan
José Roberto Maciel, do SBT
Luiz Carlos Trabuco Cappi, do Bradesco
Rubens Menin, CNN
Rubens Ometto, Cosan
Tutinha, Jovem Pan
​Washington Cinel, Gocil

Recentemente, o jornalista Douglas Tavolaro deixou a presidência da CNN Brasil e a especulação é de que isso ocorreu porque Menin quer colocar a emissora a serviço de Bolsonaro na campanha de 2022.

Em janeiro, empresários publicaram dois manifestos cobrando do governo federal vacinação em massa.

Luciano Hang, da Havan, foi excluído da lista por ser considerado “radical” pelo entorno renovado do presidente da República, que inclui o Centrão.

Hang, no entanto, é um dos apoiadores do projeto aprovado na Câmara que permite a empresas comprar vacinas, através do governo federal, para imunizar seus funcionários, o que terá consequências para a Anvisa como órgão regulador federal e permitirá que a fila seja furada.

De acordo com o projeto da Câmara, as vacinas importadas não teriam de ter a aprovação da Anvisa.





2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

08 de abril de 2021 às 22h31

https://apublica.org/wp-content/uploads/2020/03/novo-ceo-da-cnn-saiu-da-record-com-autorizacao-de-macedo-mas-em-atrito-com-bispos.jpg

Jair Bolsonaro recebeu Rubens Menin e Douglas Tavolaro
– sócios-fundadores da CNN Brasil – no Palácio do Planalto.

Tavolaro vendeu a Menin os 35% das ações
que detinha da CNN Br.
Rubens Menin, que é dono da Construtora MRV*
e um dos fundadores do Banco Inter, ficou
com a integralidade (100%) das Ações da CNN Br.

*Segundo Reportagem da Agência Pública,
a MRV foi inserida na lista suja do trabalho escravo no Brasil, criada pelo Ministério do Trabalho, após flagrantes na construção do edifício Cosmopolitan, em Curitiba, em 2011.
Onze trabalhadores foram resgatados no local.
No ano seguinte, novas irregularidades foram apontadas nas obras dos condomínios Parque Borghesi, em Bauru, e no residencial Beach Park, em Americana, ambas cidades do interior paulista.
A empresa foi autuada cinco vezes pela acusação de explorar trabalho escravo.
Menin, por meio da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) – de cujo conselho é presidente –, passou a ser citado como o líder do lobby no Brasil contra a divulgação dos nomes de empresas envolvidas no uso de mão de obra análoga à de escravo.
(https://apublica.org/2020/03/novo-ceo-da-cnn-saiu-da-record-com-autorizacao-de-macedo-mas-em-atrito-com-bispos)

Responder

Paulo Nogueira

08 de abril de 2021 às 17h45

O louro josé do mau foi barrado até no baile da morte.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Blogs & Colunas
Mais conteúdo especial para leitura