VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Bob Fernandes: Dominado, quase tudo dominado


20/12/2012 - 12h02

Odair, o relator condecorado (foto Nelson Jr., Agência Brasil)

por Bob Fernandes, via Facebook

Um ano de intenso debate sobre corrupção. Para que se chegasse à dimensão real do problema, tivemos esse patético desfecho da CPI do Cachoeira. Militantes fanáticos, ou desocupados, vão discutir, vão apontar os dedos acusando-se mutuamente. Mas isso, esse bate-boca vazio, é sintoma de um processo, mais amplo, de apequenamento da Política.

O desfecho da CPI mostra camadas superpostas de hipocrisia, cinismo, oportunismo… mas também de verdades. Se fosse pra valer, a CPI não deixaria pedra sobre pedra na política brasileira. Sem exceções nos grandes partidos. O resto é conversa para fundamentalistas.

A empreiteira Delta estendeu seus tentáculos por mais de 20 estados. É razoável supor que a Delta usou os métodos de sempre, mas a CPI teve medo de investigar. A Delta teve como parceiros o bicheiro Cachoeira e o ex-senador Demóstenes. Vocês se lembram do Demóstenes, não é? Ele foi, por anos, promotor e porta-voz da oposição no quesito honestidade.

A Delta, a partir do Rio de Janeiro, teria que ter investigado o governador Sérgio Cabral, do PMDB. Aquele dos guardanapos em Paris, grande amigo do dono da Delta, Fernando Cavendish. Teria que ter vasculhado pra valer não só o governo de Brasilia, de Agnelo Queiroz, do PT. Mas outros governos do partido que tiveram obras e negócios com a empreiteira.

A CPI teria que ter vasculhado não apenas o governo de Marconi Perillo, do PSDB de Goiás. O que disse, a propósito de PSDB, o Paulo Viera de Souza, conhecido como “Paulo Preto”?

Ex-diretor do DNER em São Paulo, no governo do tucano José Serra, Paulo Viera perguntou, com todas as letras: “Por que a CPI proibiu a abertura das contas do eixo Rio-São Paulo e só vai poder ter Brasília e Goiás?” Ele mesmo respondeu: “Porque se abrir essas contas o Brasil cai.”

Por que o silêncio geral, incluídos mídia e ministério público, diante de tão óbvia e grave acusação? Por que se escuta e reverbera o que uns dizem, e se silencia diante do que outse ros, como Paulo Viera de Souza, denunciam?

O acordão que enterrou a CPI do Cachoeira tem respostas para isso nas suas digitais. No acordão, em separado ou tudo junto e misturado, estão o PT, o PSDB e o PMDB.

De quase todos os pontos de vista o sistema político-partidário no Brasil caminha para a falência. Falta eficácia, transparência, seriedade… Nesse espectro, mas não apenas nesse, falta autoridade moral para, com hegemonia, se pontificar sobre corrupção.

Ou se enfrenta esse problema com seriedade, e coragem, ou seguiremos produzindo farsas. Como essa CPI do Cachoeira.

Leia também:

Randolfe: Cabral e Perillo se juntaram para derrotar CPI

Como foram os votos na CPI do Cachoeira

Marcos Coimbra: Vamos precisar de estômago forte em 2013

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



30 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

aparecido leonardo da silva

26 de dezembro de 2012 às 22h07

em nsso municipio formosa do oeste daqui a quatro anos se nao for tomado certas providencias na proxima eleiçao usarao camizetas compra se votos e oferece se vantagens por seu votos e os culpados ministerio publico e a justiça eleitoral q so serve para multar para pagar os salarios deles leis q nada PALHAÇADA ELEITORAL PARA QUE SEVE AS DENUNÇIAS

Responder

aparecido leonardo da silva

26 de dezembro de 2012 às 21h59

como faço para falar com bob fernades q a politica da minha cidade e e foi uma palhaçada de compra de votos e desobediençia das leis eleitorais uma vergonha uma palhaçada e o ministerio publico e o cartorio eleitoral nada pode se fazer entao porque as leis

Responder

abolicionista

21 de dezembro de 2012 às 10h10

Já cansei de comentar que, para agir de modo radical e eficiente contra a corrupção, precisamos de uma reforma política, com uma mudança drástica das regras do financiamento de campanha, de tempo na TV, etc. Gente inteligente, como o próprio Mino Carta, parece ignorar essa necessidade.

Responder

Mardones

21 de dezembro de 2012 às 09h50

Antes dessa pizza tivemos a pizza da CPI do Banestado, que o PT ajudou a assar.

Acreditar que o PT vai passar a limpo o Brasil é o mesmo que acreditar em disco voador.

Aliás, o PT trouxe o MArcos Valério de Minas para Brasília para operar o mensalão petista, pois acreditavam que o PSDB ficaria calado por ter culpa no cartório. No entanto, o PSDB e o PIG conseguiu rotular os petistas de corruptos e o mensalão petista como o maior escândalo da política brasileira.

É isso que dá fazer o jogo do inimigo.

Responder

Adriano

21 de dezembro de 2012 às 08h12

Azenha, não encontrei seu nome na lista do Augusto Nunes. Faça seu protesto!

Responder

paulo roberto

21 de dezembro de 2012 às 01h07

“Ou se enfrenta esse problema com seriedade, e coragem, ou seguiremos produzindo farsas. Como essa CPI do Cachoeira.”

Verdade! E pra piorar, temos agora um Poder Judiciário que desrespeita a própria Constituição Federal para agradar a grande mídia e produz mais uma farsa: o julgamento do “mensalão” petista como o grande divisor de águas a livrar a nação brasileira da corrupção.

Responder

Geysa Guimarães

20 de dezembro de 2012 às 21h56

Esse cara é bom!
Pertence a um time seleto de jornalistas cujos textos ainda têm o carimbo da Verdade e onde figuram os anfitriões deste blog, Azenha e Conceição.

Responder

Eduardo Raio X

20 de dezembro de 2012 às 21h20

São por essa e outra que temos que espalhar pela net essa pouca vergonha desses aloprados que ainda contamina o PT, vão todos pagar caro nas próximas eleições, é hora de por para correr essa turma de vigaristas e Mandrakes.

Responder

JORGE

20 de dezembro de 2012 às 19h51

Bob.

Com todo o respeito, acho que o buraco é mais embaixo. Analise. O PT foi construído com o pacto da educação rumo ao socialismo e, via de consequência, sem rupturas com o poder institucional. O PMDB do Sarney e do Temer, é o camaleão que o PT tem que administrar.

A CPMI foi instalada, no meu singelo entendimento, com erro político-institucional, uma vez que, tudo já era objeto das respectivas AÇÕES PENAIS, tanto que já temos sentença CONDENETÓRIA de todos os principais envolvivos.

A pergunta maior é: porque o Policarpo não foi indicado pelo MPF?

Qual a iniciativa processual contra os Governadores?

A resposta Bob, é até simples, O PODER SE MOVIMENTA, É CAMALEÃO E MUDA DE COR.

No fundo desse poder INVISÍVEL está a DITADURA UDENOMILITAR, aquela que não fazia CONCURSOS PÚBLICOS LIMPOS E FEZ O CURSO DE DIREITO, por mais incrível que possa parecer. É a verdade NUA E CRUA. O Sarney é o melhor exemplo desse bando de CAMALEÕES IMPREGNADOS EM NOSSAS “INSTITUIÇÕES”.

Um abraço e, o melhor, é seguirmos a intuição do Lula. Vamos as ruas.

Responder

    anac

    21 de dezembro de 2012 às 05h20

    Data maxima vênia, é mais em baixo mesmo. É rabo preso.

maria olimpia

20 de dezembro de 2012 às 19h10

Já li textos melhores do autor! Esse, além de não saber que o Paulo Preto era diretor da DERSA/SP, não deu o devido nome aos bois! Não foi o PT que não levou adiante o Relatório do Deputado Odair! A CPMI era referente ao cachoeira, portanto, pode-se criar, após o recesso parlamentar, uma CPI da Delta, que não “passe na frente” da CPI da Privataria Tucana, é claro. A base “aliada”, principalmente o PMDB NÃO acompanhou o PT nesta CPMI.Colocar toda a culpa no Relator, foi covardia!

Responder

FrancoAtirador

20 de dezembro de 2012 às 18h38

.
.
ANOTEM AÍ:

Os votos de deputados e senadores na CPI do Cachoeira

DEPUTADOS

A FAVOR do relatório de Odair Cunha: 9

Cândido Vacarezza (PT-SP)
Odair Cunha (PT-MG)
Paulo Teixeira (PT-SP)
Íris de Araújo (PMDB-GO)
Onyx Lorenzoni (DEM-RS)
Glauber Braga (PSB-RJ)
Miro Teixeira (PDT-RJ)
Rubens Bueno (PPS-PR)
Jô Moraes (PCdoB-MG)

CONTRA o relatório de Odair Cunha: 9

Luiz Pitiman (PMDB-DF)
Carlos Sampaio (PSDB-SP)
Domingos Sávio (PSDB-MG)
Gladson Cameli (PP-AC)
Maurício Quintella Lessa (PR-AL)
Silvio Costa (PTB-PE)
Filipe Pereira (PSC-RJ)
Armando Vergílio (PSD-GO)
César Halum (PSD-TO)

SENADORES

A FAVOR do relatório de Odair Cunha: 7

Jorge Viana (PT-AC)
Lídice da Mata (PSB-BA)
Pedro Taques (PDT-MT)
Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM)
Aníbal Diniz (PT-AC)
João Costa (PPL-TO)
Randolfe Rodrigues (Psol-AP)

CONTRA o relatório de Odair Cunha: 9

Sérgio Petecão (PSD-AC)
Sérgio Souza (PMDB-PR)
Ciro Nogueira (PP-PI)
Ivo Cassol (PP-RO)
Jayme Campos (DEM-MT)
Alvaro Dias (PSDB-PR)
Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)
Antonio Carlos Rodrigues (PR-SP)
Marco Antonio Costa (PSD-TO)

TOTAL (Deputados + Senadores):

A FAVOR: 16
CONTRA: 18

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/os-votos-de-deputados-e-senadores-na-cpi-do-cachoeira
.
.
Chega-se à conclusão que, nas questões fundamentais do Estado Democrático,

os parlamentares que representam os interesses dos oligopólios e cartéis

compõem a maioria dos membros do Congresso Nacional e, portanto, governam.

Assim, o Brasil não passa de um arremedo dos Estados Unidos da América…
.
.

Responder

    Darcy Brasil Rodrigues da Silva

    20 de dezembro de 2012 às 22h26

    É interessante se ter conhecimento do voto e partido de cada deputado. Mas volto a insistir: o que determinou o desfecho na CPI do Cachoeira foi a falta de articulação dos representante da esquerda, principalmente os membros do PT, que detinham a relatoria desta CPI, com os espaços de discussão externos, no âmbito da chamada sociedade civil. Disto decorreu a indignação dos militantes que Bob Fernandes, que parece jamais ter sido um deles, chama de “desocupados” e “fanáticos”. Pela votação, dir-se-ia que a esquerda votou coerentemente. Mas parte dessa esquerda já havia capitulado quando deliberou pressionar o pobre do deputado Odair Cunha a modificar o seu relatório; aceitando as pressões provavelmente exercidas por parte do PMDB, que tem, por sua vez, vendido por um preço extremamente alto o suposto apoio que diz conceder ao governo;por outro lado,o PT parlamentar, como tem sido cada vez mais comum, deixou-nos a acompanhar pela mídia os acontecimentos, como se fôssemos realmente “desocupados”, e como se nossos protestos, agora, face a esse vergonhoso final, fossem protestos de “fanáticos”, incapazes de entenderem a realidade política , a correlação de forças , dentro do Congresso Nacional.
    Se o governo do PT insistir em governar com uma linha de massas que consiste em transformar o povo em “torcedores” de seu sucesso,a militância em cabos eleitorais e o povo em eleitores, o programa que será implementado será aquele que é defendido pelo PMDB, sem concessões ao PT,ou seja, um programa social-liberal que sempre caracterizou o PMDB desde os tempos do velho Ulisses Guimarães. E olhe lá!

sandro

20 de dezembro de 2012 às 17h24

Existem dois problemas para o PT:
1) O PMDB
2) O Gurgel

A oposião é fraca sem projeto etc..todos sabemos que joga sujo e perde,
quando o PT resolver os dois casos acima vai poder resolver a si mesmo.

Responder

    Zezinho

    21 de dezembro de 2012 às 07h09

    Enquanto vcs ficarem culpando os outros pelo PT também ser corrupto, o PT nunca irá melhorar. Se vcs quiserem que o PT melhore há que se cobrar do PT, do Lula, do Dirceu e há que se punir todos aqueles que jogaram o jogo sujo ao invés de ficar reclamando que só punem o PT. Vc viu alguém saindo em defesa do Demóstenes por acaso?

    sergio m pinto

    21 de dezembro de 2012 às 08h02

    Claro que não. Mas você viu como foi difícil chegar até ele? E como é difícil chegar nos canetas da vida?

    abolicionista

    21 de dezembro de 2012 às 10h08

    Quer dizer que ninguém sai em defesa do Aécio? Então, diga com todas as letras: quero ver o Aécio na cadeia. Quero ver o FHC na cadeia. Se você for capaz de dizer isso, acreditarei que está preocupado com a corrupção. Caso contrário, não passa de um povocadorzinho tucano.

Nelson

20 de dezembro de 2012 às 16h57

“Um país capitalista se faz com homens corruptos e livros-caixas rasurados”, escreveu Alfred Neumann, anos atrás, na revista Mad.

Creio que Bob Fernandes disse quase tudo em seu post; faltou apenas citar a frase de Neumann.

Responder

mineiro

20 de dezembro de 2012 às 15h15

ta ferrado o lula ele ta sozinho nessa. porque o pt partdo de trambiqueiro , é tao escroque quanto o resto ja citado. se depender dessa pres. ele tambem ta sozinho. o lula porque fundar ou procurar outro partido porque esse pt ja era. ele tem que se defender sozinho. ele que começou a levantar a voz , porque mais ninguem dessa m…………..de partido nao fez nda , se eu fosse do pt e tivesse um pouco de vergonha na cara , eu enfiava a cabeça em um buraco. partdo covarde tucanao , sem vergonha . se o lula nao se defender e ainda por cima sozinho , eles acabam com ele. e esses desgraçados que dizem companheiro dele nao ta nem ai. vaza desse partio lula pelo amor de deus.

Responder

Darcy Brasil Rodrigues da Silva

20 de dezembro de 2012 às 14h59

A par de ter dito muitas coisas úteis e corretas a propósito do que poderia explicar o desfecho lamentável da CPI do Cachoeira, o artigo conclui com uma afirmação genérica típica a de quem também não tem propostas para resolver a questão. Até porque alguém que se refere a “militantes fanáticos e desocupados”, não poderia realmente compreender a única alternativa política capaz de reverter esse quadro, que consiste justamente no reforço da ação militante, um conceito que um analista político ( seria essa a ocupação de Bob Fernades, que o faz ser um orgulhoso não desocupado e não-fanático?) pequeno-burguês liberal como Bob Fernandes mostra não compreender.
Bob Fernandes parece encarar a ação política como sendo uma divisão de trabalho entre os políticos “profissionais”, sejam eles da situação ou da oposição ( que ,portanto , não podem ser classificados de “desocupados” e “fanáticos”), ou seja, aqueles que ocupam cargos nas instituições do Estado Democrático Burguês; os políticos ligados às direções e ao funcionamento da vida burocrática dos partidos institucionais ( que também não poderiam ser chamados de “desocupados”,pelo menos); os cientistas e analistas políticos ,como ele,desde que ganhem a vida para nos porem a par de seus elevados produtos analíticos. Para o restante da sociedade ( que nesse caso não poderia, a rigor, ser chamada de civil) restaria a tarefa de acompanhar o noticiário sobre o dia-a-dia, assistir a propaganda eleitoral gratuita de 2 em 2 anos e, finalmente, depositar (digitar) o seu voto nas urnas.
É o que decorre quando se é um liberal pequeno-burguês! Associar os adjetivos “fanáticos” e “desocupados” para desqualificar os militantes é obra de uma ideologia conservadora que desconhece que,para além da luta política que se trava no seio do instável Estado Democrático Burguês brasileiro ( omiti qualquer referência ao “de Direito” por ser absolutamente improcedente), há uma outra luta travada fora das instituições liberais burguesas, nos chamados movimentos sociais, justamente pelos militantes “fanáticos”, que se ocupam com essa luta, embora não receba nenhuma remuneração por essa ocupação ( por isso mesmo chamada de militante). Esses militantes (em geral, e muito antes de o PT ter começado a deixar de ser um partido fundado nesses movimentos sociais para ficar cada vez mais parecido com um partido da ordem burguesa, institucional) possuem uma outra concepção política do papel da luta institucional e da luta não-institucional . Para eles, as ruas, os movimentos sociais em que atuam, deveriam ser o principal referencial do governo petista para cacifar suas posições dentro do Parlamento. Ocorre que a concepção política liberal que baliza as análises políticas de Bob Fernandes,passou também a limitar as decisões dos petistas que atuam ( não mais militam) no âmbito do Parlamento e/ou do governo. Esses novos petistas que passaram a se fundar em idéias velhas não conseguem entender ( ou fingem que não conseguem entender ,para não ter que admitir que , em verdade, deixaram de lutar pelo socialismo) que , se não contam com a grande mídia para conversar com a sociedade, poderiam voltar a contar com instrumentos de ação política de relacionamento com essa sociedade que, em última análise, explicam as causas que levaram um pequeno partido fundado em 1981 a eleger um presidente da República , em 2002. Refiro-me precisamente aos movimentos sociais em que os militantes “desocupados” militam. E é por militarem nesses movimentos que são chamados também de “fanáticos” pela propaganda ideológica da grande mídia, posto que defendem idéias que projetam um futuro muito distinto daquele em que se poderá chegar se deixarmos os políticos profissionais, os cretinos parlamentares ( e também , os analistas políticos cretinos) pautando a agenda política nacional.

Responder

Willian

20 de dezembro de 2012 às 14h38

Na minha opinião, a história do Policarpo e do Gurgel foi a cortina de fumaça usada pelo PT para que a CPI desse no que deu. O grande objetivo de todos (ou quase todos) era que a Delta não fosse investigada, pelas razões do texto. Colocaram o Policarpo e o Gurgel no relatório, já sabendo de antemão que a oposição e a maioria da base alidada não aceitariam e o relatório não seria aceito e tudo acabaria em pizza, como queriam todos.

E desconfio que vocês foram usados nesta cortina de fumaça.

Responder

Lafaiete de Souza Spínola

20 de dezembro de 2012 às 14h12

PRECISAMOS DE UM PARTIDO MUITO DIFERENTE!

Faz algumas semanas, no programa RODA VIVA, foi discutida a segurança. O tema principal foi o brusco aumento da criminalidade no Brasil e principalmente em São Paulo. Tudo girou em torno da polícia militar, polícia civil e presídios. Durante uma hora não se encontrou tempo para que se discutisse a origem de toda essa violência: A injustiça social que impera em nosso país. A nossa classe média não consegue desvendar o caminho da maior prioridade que se chama EDUCAÇÃO.

Os partidos que chegam ao poder prometem mudar o Brasil, porém terminam adotando soluções paliativas, como o bolsa família. Faltam convicção, coragem e determinação para um salto de qualidade. Resolvem governar com e para o sistema financeiro e, agora, talvez, estão se dando conta, tardiamente, do grande erro cometido. Sinceramente, não sei se é um erro ou pura opção.

Votei no Lula sabendo que não se tratava, nem havia condições, de qualquer mudança mais radical. Votei pelo segundo mandato, pois era a melhor opção. Votei na Dilma, no segundo turno. Mas estou totalmente insatisfeito com o tratamento dado à educação que, no Brasil, sofre de doença grave, portanto não pode continuar recebendo, apenas curativos. Toda nação está sendo corroída, principalmente, por essa doença.

SÓ VEJO UMA SOLUÇÃO PARA AS MAZELAS DESTE PAÍS: UM PARTIDO NOVO, DIFERENTE EM TUDO, QUE DÊ ALTA PRIORIDADE À EDUCAÇÃO.

DISCUTIR UM PROJETO DESSE PARTIDO É A GRANDE LACUNA DENTRO DO NOSSO PAÍS.
NADA DO PODER SÓ PELO PODER QUE É A NASCENTE DO PARTIDO SÓ PELO PARTIDO.

EXISTE, HOJE, UM PARTIDO QUE QUE LUTE PARA A APLICAÇÃO DE 15% DO PIB NA EDUCAÇÃO? CURATIVOS NÃO RESOLVEM! DIZEM LOGO: É MUITO, É UTÓPICO, O PAÍS VAI QUEBRAR ETC.ETC. DEVEMOS DISCUTIR AS FONTES DESSES RECURSOS!

Pertenço ao conjunto daqueles que desejam ver o ideal, a atuação, de todos que almejam um mundo melhor sendo a popa dessa nau, onde se encontram a hélice que possibilita singrar por esse mar de injustiças e o leme que conduz esse PARTIDO (a nau).

Esse périplo, com destino ao porto dessa viagem, não necessariamente deve ter uma data rígida, mas é urgente. A tripulação dessa nau deve estar atenta à carta de navegação, para evitar um naufrágio ou encalhe. Essa carta é o estatuto com regras de navegação rígidas e claras, com instrumental participativo.

O comandante não poderá, ao seu belprazer, alterar essa rota sem o aval da tripulação. No destino desse porto estarão esperando, de braços abertos: a EDUCAÇÃO, logo na frente, clamando por 15% do PIB para que as crianças tenham escolas descentes, em tempo integral, com café da manhã, com almoço, com esporte, com janta e com transporte.

A SAÚDE vem em seguida dizendo que apoia, integralmente, esse pleito; pois ela está ciente dos benefícios que terá com tantas crianças bem nutridas e com a certeza que os pais, também, menos estressados e melhor alimentados serão beneficiados, dispensando, inclusive o bolsa família que passa a ser um aporte a esse programa de salvação nacional.

O pequeno agricultor, com todo suporte da Embrapa, passando a ser o principal fornecedor dessas escolas, sentirá as grandes melhorias proporcionadas pela chegada dessa nau (PARTIDO). Tanto essa gente do campo como os marginalizados das cidades, acostumados aos efeitos devastadores das naus piratas ou assemelhadas, ficarão, por certo tempo, reticentes, descrentes, crendo ser, apenas, mais uma.

Como nesse longo périplo estão previstas tempestades; causadas por corruptos, por grandes traficantes, pelos lavadores de fortunas recebidas desses piratas e todos aqueles que vivem desse estado de coisas ou são coniventes ou, simplesmente, indiferentes; então, essa grande embarcação (O PARTIDO) deve ter projeto e estrutura para atravessar esse mar revolto.

A passividade facilita a atuação desses psicopatas. Já dizia Luter King: “O que me preocupa não é nem o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética… O que me preocupa é o silêncio dos bons.” Ele, aqui, possivelmente, engloba os omissos!

Nessa nau todos estarão imbuídos pelo ideal do bem comum. A rigidez do projeto e montagem da sua estrutura não devem sofrer avarias de grande porte ao singrar mar com nuvens negras. O estatuto não permitirá desvios da rota traçada. Tudo deve ser elaborado de tal modo que não haja disputa de poder, só pelo poder; por mais ardilosa que seja. Outras naus existirão e possivelmente os tripulantes com ideais parecidos desejarão mudar de nau democraticamente, pacificamente, ou procurarão meios para adotar estrutura, montagem e estatuto dessas tripulações de modo semelhante. Os honestos, com certeza, notarão que não poderão continuar numa nau que, mesmo com disfarce, esteja sendo usada para a pilhagem. Muitos políticos, do baixo clero, descobrirão que se tornaram reféns do sistema.

Os tripulantes devem ter o conhecimento necessário; para não serem pegos de surpresa pelo discurso de eventuais corruptos, mafiosos e os lavadores de dinheiro proveniente dessa classe de psicopatas; pois há estudos que comprovam a existência dessa praga no meio da sociedade, numa percentagem de aproximadamente 3 a 5%. Eles passam a ter menos influência, quando as leis são devidamente aplicadas e começam a ser identificados. Essa percentagem faz parte de pesquisas internacionais, bem fundamentadas.
Num país de 190 milhões, esses 3% são 5.7 milhões atuando em todas as esferas da sociedade. Pense no efeito multiplicador, devido à enorme influência que esses bandidos exercem sobre aqueles menos informados. Eles, em geral, têm um nível de inteligência acima da média, são dissimulados e bastante ativos no meio em que convivem. Não medem esforços para alcançar o que desejam. Só um partido, como descrito, chegando ao poder, poderá colocar limites a essa escória, onde se encontram os corruptos, os traficantes e aqueles que lavam todo esse dinheiro. Essa gente convive melhor num ambiente de injustiça social. São contrários a um investimento maciço na educação. Eles e aqueles que são influenciados sempre irão dizer, procurar convencer, que investir 15% do PIB na EDUCAÇÃO é uma meta ambiciosa, porém inviável, que o país não tem recursos etc. Na verdade, em médio prazo, isso será prejudicial a todos esses mafiosos. Não interessa a eles um povo esclarecido.

Quem pode achar que pessoas com mentes sadias cometeriam: crimes tão horrendos como a corrupção deslavada, atividades mafiosas e a execrável lavagem de dinheiro? É tudo isso que denigre, embrutece, empobrece uma nação. Quando um país se torna rico através da espoliação de outros povos, pode-se identificar o perfil de seus dirigentes que não titubeiam em fomentar guerras, enganando e manipulando seus compatriotas mal informados.

O mesmo comportamento, ou similar, verifica-se, também, dentro do próprio país, quando tudo é feito para manter o status quo que privilegia grupos em detrimento de todo o povo, sonegando-lhe a educação, a saúde e tudo que represente bem estar social. O psicopata, como já disse, é inteligente, é dissimulado, não sente culpa, é um mentiroso, é manipulador, está sempre à procura de estímulos, adora ser líder.

Como exímio chantagista, consegue manter os políticos corruptos no bolso.

Esse partido deve prever, em seu estatuto: mandato único em todos os níveis; fim do alto clero que tudo pode, tudo decide; país unitário; lei única; câmara única; deputados estaduais e vereadores só para fiscalização, recebendo, apenas, ajuda de custo; financiamento público exclusivo, evitando que os eleitos se tornem reféns do poder econômico; revezamento constante em todos os níveis desse partido, desde os menores núcleos à toda direção; não haverá coligações; fim da profissão “político”, o deputado estadual, o vereador continuarão sendo o torneiro, o professor, o médico, o taxista, o comerciante etc.etc.

Deputados estaduais e vereadores, como fiscais, devem ter todos os meios para denunciar os malfeitos; o número poderá triplicar para que haja revezamento.

Esse partido, até que essas mudanças não sejam alcançadas, levará ao povo essas mensagens de mudanças. Pouco a pouco irá conseguir a adesão da maioria de nossa população.

Esse é o caminho para, pacificamente, transformar esse nosso Brasil.
Não será um partido tirado da manga de um ou meia dúzia de figurões.

Será um partido criado e fiscalizado pelo povo para que não seja usurpado! É difícil, mas só assim teremos uma nação forte, em busca de justiça social.

SUGESTÃO para leitura sobre o crime organizado:

1. Gomorra: livro do Roberto Saviano.
2. Combate à lavagem de dinheiro: livro do Juiz Fausto De Sanctis.
3. As entrevistas de ambos, na internet.
4. Outras fontes.

Responder

    mineiro

    21 de dezembro de 2012 às 19h27

    onde encontro esses livros? sendo desses dois ai citado com certeza é uma otima leitura.

Bob Fernandes: Dominado, quase tudo dominado | Mesa do Futepoca | Scoop.it

20 de dezembro de 2012 às 13h52

[…] A produção de farsas  […]

Responder

Messias Franca de Macedo

20 de dezembro de 2012 às 13h50

… O trem das onze já partiu! E na estação, baratas, ratos, moscas, cobras, venenos (sic), alguns bilhetes de passagens amarfanhados pelo chão, editoriais da ‘veja’ nas lixeiras…

SOBRE A ROTA!: … Estamos (quase-)perdidos!…

Felicidades a nós todos no ‘front’!…

Hasta la Victoria Siempre!

Saudações democráticas, progressistas, civilizatórias, nacionalistas, antigolpistas e, portanto, beligerantes!…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Carlos Ribeiro

20 de dezembro de 2012 às 13h21

Enquanto isso, o ministro barbosa é proclamado herói mundo afora, por condenar sem provas, Petistas por corrupção. O PT faz questão de pagar a conta.

Responder

Bonifa

20 de dezembro de 2012 às 13h21

Daqui para a frente, fica combinado: Petista com rabo preso não poderá assumir nenhum cargo de importância, como a presidência ou relatoria de uma CPI. Vivemos em um momento de “plus”. Não basta a graduação, o sujeito tem que ter doutorado. Não basta ser óleo, precisa se ver no rótulo se não é transgênico. Não basta ser café, tem que ter o selo de qualidade atestando pureza. Pois bem assim, não devemos mais votar em ninguém do PT que não traga um crachá que o identifique como leal aos ideais e à linha programática do partido, além de isento de qualquer indício de picaretagem.

Responder

Mineirim

20 de dezembro de 2012 às 13h15

Não teria o Bob Fernandez querido dizer “meliantes”, quando, talvez inadvertidamente, disse, no primeiro parágrafo: “Militantes fanáticos, ou desocupados…”?

Responder

Rodolfo Machado

20 de dezembro de 2012 às 12h30

Talvez por isso o Policarpo Jr não foi convocado, toda vez que surge uma chance de ouro para pegar o pig de calças curtas, começam as investigações e logo se resvala no PT, também.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.