VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Antonio Donato: “Enquanto estiver na margem de erro, eles não vão anunciar”


19/09/2012 - 21h18

por Conceição Lemes

Na segunda-feira 17, a jornalista Mônica Bergamo, em sua coluna na Folha de S. Paulo, manchetou: “Eu não vou fugir do Brasil”, diz Dirceu.

Ontem, 18, reportagem de Cátia Seabra, também na Folha, afirmou: Abatido, Genoino, se prepara para enfrentar prisão.

Nesta quarta 19, matéria de Daniela Lima, de novo na Folha, assegurou: Haddad diz que é degradante ser ligado a Dirceu, Delúbio e Maluf.

Que a Folha de S. Paulo é visceralmente pró-PSDB e antipetista, até as águas de esgoto do rio Tietê sabem. Só que nos últimos dias forçou mais a mão.

Por que será?

A entrevista que fiz no final desta tarde com o vereador Antonio Donato (PT-SP), coordenador-geral da campanha de Fernando Haddad à prefeitura de São Paulo, ajuda a explicar.

Viomundo — Como o senhor interpreta as matérias que saíram na Folha nos últimos dias?

Antonio Donato — Na verdade, a grande mídia se alinha com a única bala que ela tem para tentar salvar o Serra nessa eleição: é dar uma super-dimensão à questão do chamado mensalão.  Mas eles perderam duas vezes a eleição falando de mensalão [Lula,em 2006, Dilma, em 2010] e vão perder a terceira.

Viomundo – Em relação à matéria que cita o Haddad, o que achou?

Antonio Donato — A Folha distorceu totalmente a informação. Primeiro que não é o Haddad que fala. É uma peça na Justiça que fala. E o que a peça na Justiça diz é que a maneira como a questão foi abordada é que é degradante.

Na verdade, degradante é ter um jornal que se presta a distorcer, mentir…

Viomundo – Seria desespero da grande mídia com a candidatura Serra?

Antonio Donato — A ligação Serra-mídia é antiga e umbilical. O desespero da campanha do Serra contamina a mídia. O Serra, por sua vez, é realimentado pelo desespero da mídia que tenta salvá-lo. Mas o Serra não estará no segundo turno.

A grande mídia está tentando mostrar uma realidade sobre o PT e a candidatura Haddad que a população não enxerga dessa maneira.

Eles [a grande mídia] tentam manter um núcleo duro de antipetismo, que é forte na cidade de SP. Nós sabemos disso. Mas esse núcleo duro está se desagregando graças ao governo Kassab, ao Serra, ao cansaço, ao enjôo — ou seja lá o nome que se dê – a um político que a cidade quer virar a página.

São Paulo decidiu virar a página em relação ao Serra e isso os deixa [grande mídia] muito atordoados.

Viomundo – E as pesquisas?

Antonio Donato – No trackking de hoje, 19 de setembro, nós estamos 2 pontos na frente do Serra. Mais precisamente nós estamos com 18 e o Serra com 16.

Viomundo – E o Russomanno?

Antonio Donato – 35.

Viomundo – Será que os grandes institutos vão acusar a passagem do Haddad sobre o Serra já na próxima pesquisa?

Antonio Donato – Se acusarem a ultrapassagem, a campanha do Serra termina. Você pode ter um voto útil contra o PT que pode ir para o Russomanno. E, aí, desfazer ainda mais a campanha do Serra nesse núcleo duro aqui em São Paulo.

Acredito que vão empurrar ao máximo com a barriga a divulgação dessa ultrapassagem, a menos que a gente consiga abrir uma vantagem muito grande. Enquanto estiver na margem de erro, eles não vão noticiar. Nós não podemos ter essa ilusão. O DataFolha, como o próprio nome diz, é da Folha. É o patrão.

Viomundo – Isso não desanima a militância petista?

Antonio Donato — Eles [os grandes institutos] sabem que a pesquisa tem impacto na militância, também por isso “seguram” os resultados. Mas a nossa militância está muito animada.

Quem está indo para rua fazer campanha, está se animando. É a realidade que nos anima. Independentemente da pesquisa, a gente está muito confiante.

Os números da pesquisa são o velho chavão: o retrato do momento. Mas há outros indicadores mais profundos  que nos dão garantia de que a gente vai crescer na reta final.

Viomundo – Que indicadores?

Antonio Donato – Por exemplo, tem todo um eleitorado de periferia que ainda está muito mal informado sobre eleição.

E na periferia, o Serra tem hoje 10% , 12%.  Uma parte grande desses votos que vai se definir nas próximas semanas, vai se definir por nós. Ou até pelo Russomanno, mas não pelo Serra.

O Serra sumiu hoje na cidade.

Você tem duas eleições na cidade de São Paulo hoje. Uma envolve a gente e o Serra. Mas a eleição real, no povo, na periferia que corresponde a 63% do eleitorado, é entre nós e o Russomanno. É outra eleição. É isso que nos mostram as pesquisas.

Viomundo — O Serra estaria emparedado?

Antonio Donato — O Serra está emparedado. A menos que aconteça uma catástrofe, que o voto conservador que  hoje está com o Russomanno passe para ele…

O Russomanno é um fenômeno que tem três vertentes.  Tem o voto dele próprio.  Ele já foi candidato a governador, foi deputado, tem a história profissional. Então, o Russomanno tem 10% que são dele mesmo. Tem outros 10%, 12%, que votavam no Serra e não querem mais saber do Serra. E tem uns 8% a 10%, que são voto de gente que se diz petista.

Viomundo – Petista que diz que vai votar no Russomanno?!

Antonio Donato – Uma parte, influenciada pelas pesquisas, acha que para derrotar o Serra é melhor votar no Russomanno.

Viomundo – Mas é petista mesmo?!

Antonio Donato — É. Conversando com o povo de bairro, você vê isso. Na hora da pesquisa, 27% do eleitorado paulista se declara petista, quando perguntado qual o partido da sua preferência.

Pedindo voto na rua, eu já encontrei isso. A pessoa diz vai votar no Russomanno porque ele vai ganhar do Serra.  Aí, geralmente, converso:

— Como você sabe que o Russomanno vai ganhar do Serra?

— Quer apostar? – ela me devolve.

— Mas pra eleição ainda tem tempo. E, no primeiro turno, a gente tem que votar no melhor, você não acha?

— O melhor é o candidato do PT.

— Então por que você não vota nele?

— Porque eu odeio o Serra, o do PT ainda está fraco nas pesquisas e eu vou votar no Russomanno para derrotar o Serra.

A pessoa é petista. Não é o petista de carteirinha, que já assistiu uma reunião. É um petismo difuso, que é muito forte, que gira em torno dos 30%.

Então tem um setor que quer derrotar o Serra e por isso, agora, está dizendo que vai votar no Russomanno. Mas na hora em que a gente passar o Serra, o debate não será mais sobre quem vai derrotar o Serra, mas sobre qual o melhor projeto para a cidade, qual é o nome em quem eu confio. Aí, será outra discussão.

Viomundo – Em que momento acha que isso vai acontecer?

Antonio Donato – Na reta final, faltando uns 10 dias para a eleição. A eleição está morna. O eleitor não está se ligando nela ainda.

PS do Viomundo: Em pesquisa Datafolha anunciada horas depois desta entrevista, Russomano tem 35%, Serra 21% (+1), Haddad 15% (-2).

Leia também:

Dalmo Dallari: A Constituição ignorada

Rui Martins: Governo Dilma financia a direita

Requião: Não me arrependo de ter extinto a publicidade oficial

Maria Rita Kehl: Retórica de Alckmin é a da ditadura

Safatle: O conservadorismo filho bastardo do lulismo

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - A mídia descontrolada e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


77 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Haddad não se surpreendeu. O Datafalha, sim | Conversa Afiada

08 de outubro de 2012 às 09h25

[…] do coordenador-geral da campanha petista, Antonio Donato, à repórter Conceição Lemes, em Enquanto estiver na margem de erro eles não vão anunciar.Na entrevista, Haddad focou no que, presumivelmente, será a linha da campanha de segundo turno: […]

Responder

Haddad: “Para nós não foi exatamente uma surpresa” « Viomundo – O que você não vê na mídia

07 de outubro de 2012 às 23h01

[…] No entanto, as pesquisas chegaram a ser motivo de denúncia do coordenador-geral da campanha petista, Antonio Donato, à repórter Conceição Lemes, em Enquanto estiver na margem de erro eles não vão anunciar. […]

Responder

Humor: DataFolha apura que Serra é lindo | Maria Frô

21 de setembro de 2012 às 17h37

[…] Antonio Donato: “Enquanto estiver na margem de erro, eles vão segurar o Haddad.” […]

Responder

Antonio Emilson

20 de setembro de 2012 às 22h15

“Dia Nacional de Luta contra a Imprensa Golpista”
O PT tem que sair da retranca. Por que não coloca no Horário Eleitoral “o escândalo dos panetones” de Arruda que financiou os candidatos do Dem / PSDB? O partido está se deixando acuar com o julgamento da AP 470 na boca das urnas das eleições. Está mais que evidente que esse julgamento foi planejado e arquitetado pela direitona golpista, o STF, e a mídia, numa tentativa de derrotar o PT nas eleições de 2012 e pavimentarem o retorno da direitona em 2014. O fato do processo do julgamento do mensalão ter “coincidido” com o período que antecede a eleição não foi por acaso, é óbivio que visa influenciar o voto no dia 07 de outubro. Não é por esquecimento que o mensalão do PSDB está a 14 anos na gaveta. Foi o PSDB que inaugurou a lavanderia de Marcos Valério e deu inicio ao mensalão peessedebista. Vamos botar o bloco na rua e fazer o “Dia Nacional de Luta contra a Imprensa Golpista”

Responder

FrancoAtirador

20 de setembro de 2012 às 15h25

.
.
A INFORMAÇÃO QUE DESAPARECEU MISTERIOSAMENTE NOS CORREDORES DA REDE GLOBO

Haddad passa Serra em tracking do PSDB – Época

http://colunas.revistaepoca.globo.com/felipepatury/2012/09/19/haddad-passa-serra-em-tracking-do-psdb/

Haddad passa Serra em tracking do PSDB

YAHOO

O tracking telefônico diário feito pelo PSDB mostrou ontem à noite que o candidato do PT, Fernando Haddad, ultrapassou o tucano José Serra.

De acordo com o levantamento, Haddad está um ponto na frente de Serra, o que, na verdade, configura empate técnico.

Ainda assim, representa uma grande alteração no quadro. É a primeira vez os trackings do PSDB mostram o petista na dianteira de seu próprio candidato.

Segundo a sondagem, o candidato do PRB, Celso Russomanno, segue estável em primeiro lugar.

Haddad passa Serra em amostra do PSDB

O candidato do PT a prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, passou pela primeira vez o concorrente tucano ao posto, José Serra, em tracking telefônico diário feito pelo próprio PSDB na noite desta terça-feira (18).

Haddad superou Serra em apenas um ponto percentual, o que configura um empate técnico.

De acordo com as informações obtidas pela coluna do jornalista Felipe Patury, no site da revista Época, Celso Russomano (PRB) mantém uma liderança tranquila sobre os seus rivais diretos.

http://br.noticias.yahoo.com/haddad-passa-serra-em-amostra-do-psdb.html

Responder

FrancoAtirador

20 de setembro de 2012 às 15h13

.
.
DATAFRIAS

ESPONTÂNEA

Na pesquisa espontânea, quando os nomes dos candidatos não são apresentados, Russomanno lidera com 25%, ante 22% do levantamento anterior.
Em seguida aparecem Serra (14%), Haddad (11%), Chalita (5%), Soninha (2%) e Gianazzi (1%), entre outros candidatos mencionados que não atingiram 1%.

Há ainda 31% que não souberam citar espontaneamente nenhum nome (na semana passada, 35%), e 9% que afirmam votar em branco, anular o voto ou em nenhum candidato.

30% AINDA PODEM MUDAR VOTO

O índice de eleitores totalmente decididos sobre o voto para prefeito de São Paulo se manteve no mesmo patamar, em 66% (no levantamento anterior, 65%).
Uma fatia de 30%, porém, ainda pode mudar o voto, e 3% não souberam responder.

Entre os eleitores de Haddad, o índice de decididos fica acima da média, em 74%. O mesmo acontece na fatia de eleitores que opta por Russomanno (70%). O inverso acontece com Chalita, no qual 47% dos eleitores ainda podem mudar o voto, e com Soninha (54%).

No grupo de eleitores que admitem mudar o voto, a indicação de Russomanno como segunda opção fica em 20%, ao lado de Haddad (18%).
Também aparecem como opção de voto os nomes de Serra (15%), Chalita (13%), Soninha (6%), e Paulinho da Força (4%), entre outros.

Caso não votassem em Russomanno, 28% de seus eleitores optariam por Haddad, 27%, por Serra, e 13%, por Chalita.
Os eleitores de Serra, se não escolhessem seu nome, diviriam-se entre Russomanno (36%), Chalita (20%) e Haddad (15% !!!) .
No caso de Haddad, 44% têm Russomanno como segunda opção, e os demais ficam entre Chalita (14%), Serra (6%) e Soninha (6%), entre outros. Os votos de Chalita se disseminariam, principalmente, entre Russomanno (25%), Serra (20%) e Haddad (19%).

RELATÓRIO COMPLETO:

http://datafolha.folha.uol.com.br/folha/datafolha/tabs/int_voto_pref_sp_18092012.pdf

Responder

Marisa Lancaster

20 de setembro de 2012 às 14h33

Mas “eles” não vão anunciar o que cara? que Haddad está fora do segundo turno e que Lula não apita mais nada?

Responder

FrancoAtirador

20 de setembro de 2012 às 14h08

.
.
Quem disse que o resultado do Datafolha não pode ser bom?

Por Renato Rovai, na Revista Fórum

A pesquisa Datafolha divulgada hoje pelo jornal dos Frias parece estar forçando a mão na margem de erro.
O resultado (Russomano, 35; Serra, 21; Haddad, 15; Chalita, 8; Soninha, 4) é bem diferente dos trackings dos candidatos e das pesquisas que empresas utilizam para definir onde aplicam seus tostões.
Em nenhum desses levantamentos Serra tem vantagem de seis pontos.
Em alguns casos, chegava a dois, mas isso há duas semanas.

No entanto, essa não é a primeira nem a última vez que o Datafolha solta uma pesquisa que depois vai sendo corrigida com a proximidade das eleições.

Alguns costumam perguntar, mas por que o instituto faz isso se o resultado da eleição não vai mudar?
Mais do que o efeito psicológico que um resultado adverso neste momento acarreta a uma candidatura, pior efeito é na arrecadação.
Este pode ser devastador.

E no caso de Serra, seria a pá de cal que falta para enterrar de vez sua candidatura.
Afinal seu índice de rejeição já afastou muitos doadores.

Esse é o nó da questão.
Pesquisa neste momento é mais importante para arrecadar do que para ajudar na definição do resultado final.
E ao mesmo tempo se um instituto forçar na margem de erro, ele tem espaço suficiente para corrigir o resultado até o dia da eleição.

Dito isto, é importante refletir sobre o estancamento dos índices de Haddad.
E isso é um dado real.
Haddad cresceu bastante no começo do horário eleitoral, mas depois seus números se mantiveram próximos a 18 pontos nos trackings.
Não oscilaram nada.

Já escrevi neste espaço que o programa eleitoral costuma influenciar os eleitores nos primeiros e últimos dias.
Isso foi fundamental para Haddad na primeira fase.
Se tiver o mesmo efeito nos últimos dias, certamente ele irá bem para a disputa final.
Pois, tem condições de crescer de sete a dez pontos, atingindo assim uma votação suficiente para levá-lo ao segundo turno.

Mas para que isso aconteça, é preciso, por um lado, que o programa surpreenda.
E por outro, que segmentos importantes da cidade (intelectuais, lideranças sindicais e comunitárias, artistas etc.) criem uma mobilização que debata os riscos de um segundo turno entre o Nhô Ruim e o Nhô Pior.

Depois de 8 anos de Serra/Kassab, se São Paulo se permitir um segundo turno entre Serra e Russomanno, é que as coisas não vão apenas mal na cidade. Vão péssimas.

Mas não será batendo nos adversários que Haddad vai crescer.
É colocando a cidade viva para pulsar nas telas de TV e de computadores e ao mesmo tempo levando esse debate a todos os cantos.

O debate precisa ser feito da periferia para o Centro. E não ao contrário.
Mano Brown e Emicida, por exemplo, são a São Paulo que brilha e resiste.
Ela precisa falar e precisa olhar no olho de Haddad.
Ela precisa conhecer melhor o candidato e suas propostas.
Essa São Paulo não é militante de partido político, mas luta. E pulsa.
É viva.
É essa cidade viva que também se pode perceber nas palavras de Marilena Chauí e que permite comparar projetos.

O momento é esse, o da comparação.
Até o momento da campanha, Haddad apresentou suas propostas.
Agora precisa compará-las à dos outros candidatos.
Por exemplo, Haddad defende moradia no centro e emprego na periferia.
O que isso significa?
É preciso deixar claro que, entre outras coisas, é o de não tratar como bandidos os moradores pobres da região central.
É não buscar expulsá-los dos prédios ocupados e nem permitir que suas favelas sejam vítimas de incêndios constantes.

Também é importante dizer que no projeto de cidade de Haddad, o Estado vai ser forte e central na definição de políticas públicas que terão por objetivo melhorar a vida dos paulistanos das zonas mais pobres.
O que isso significa: bilhete único mensal, creches, CÉUs etc.
Mas mais do que isso é preciso apontar que no plano de governo das outras duas candidaturas isso não está contemplado.
Que no governo Serra/Kassab as políticas públicas são gerenciadas por coronéis que tornaram as subprefeituras quartéis generais de um sistema de castração de direitos.

Enfim, o momento da eleição é de comparação.
Não só de propostas, mas como de história política, de apoios, de currículo etc.
Se isso for bem feito, Russomanno vai cair, Haddad vai subir e Serra vai ficar neste patamar atual, que parece ser seu teto. E o segundo turno será outra eleição.

Se isso vier a acontecer, o Datafolha terá dado um tiro no pé.
Terá mobilizado setores fundamentais da cidade para disputar seu destino.
Quando os projetos são comparados de forma clara, a campanha ganha ritmo.
E pulsa.

Quando pulsa, candidaturas com projeto popular têm mais chances de vitória.

http://revistaforum.com.br/blogdorovai/2012/09/20/quem-disse-que-o-resultado-do-datafolha-nao-pode-ser-bom/

Responder

José Ricardo Romero

20 de setembro de 2012 às 14h00

Todos afirmam que o datafolha mente: correto. É muito provável que o ibope vai confirmar: previsível. O que as pessoas aí em cima parece que não estão entendendo é que se prepara um golpe, uma fraude das eleições para eleger o Serra, e estas previsões tornam palatável os futuros resultados das urnas. Eles vão poder dizer que o que deu nas urnas estava previsto pelas pesquisas. Oh chente! Mais malícia por favor!

Responder

    Fabio SP

    20 de setembro de 2012 às 16h29

    Será que a eleição da Dilma foi um golpe? Huummmm, estou pensando seriamente nisso.

Rodrigo Carvalho

20 de setembro de 2012 às 12h59

Aqui em BH o Novo Jornal (on line) apresenta tema sobre manipulação de pesquisas a favor do Márcio Lacerda/PS(D)B, cria do Aécio Neves, que manda censurar o Novo Jornal. Patrus está crescendo.

Responder

sandro

20 de setembro de 2012 às 12h45

Vai ser lindo de ver o “serra” sorrindo com aquele olhar doce, dizendo:
“Obrigado São Paulo…obrigado meu povo que me entende e me apoia”.
Sou parte de voces e vcs de mim estamos juntos novamente”.

Obs. Isso é sub-liminar.

Responder

sandro

20 de setembro de 2012 às 12h16

Ah!
Tem paulistano que acha que pensa o Brasil rs
Se o “Cerra” ganhar (duvido) eles que fiquem com os louros.
Até que o Russomano é ..legal?! Não acham?

Responder

FrancoAtirador

20 de setembro de 2012 às 12h11

.
.
Remédios para São Paulo

O PURGANTE SERRA & O XAROPE RUSSOMANO

De tanto arrocho já não sinto

O que é o purgante ou o xarope.

Quanto mais apertam o cinto,

Mais aumenta esse tal de Ibope.

http://www.recantodasletras.com.br/trovas/1420564

Responder

Remindo Sauim

20 de setembro de 2012 às 12h01

A pergunta é, se o Serrote não se eleger, quantas assinaturas da Folha não serão renovadas. A imprensa fez das eleições um negócio rentoso,

Responder

FrancoAtirador

20 de setembro de 2012 às 11h26

.
.
A propósito.

Quando, afinal, será divulgada esta pesquisa:

Em liminar, juiz proíbe divulgação de pesquisa até julgamento da causa

O juiz da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, Henrique Harris Júnior, concedeu hoje liminar para impedir a divulgação do resultado de pesquisa para eleição de prefeito, realizada pelo Instituto de Pesquisas Realidade, enquanto não houver julgamento do mérito da ação.
O pedido foi da coligação Avança São Paulo (PR/DEM/PV/PSDB/PSD).

A Avança São Paulo queria suspender a aplicação do questionário e a divulgação dos resultados.

No entanto, a liminar foi concedida em parte, pois o juiz permitiu que o instituto continue a realizar a pesquisa, registrada no último dia 9.

A acusação alega que, apesar de a lei garantir o sigilo dos participantes de pesquisas eleitorais, os dados devem possibilitar eventual controle sobre a regularidade da realização da pesquisa.

Veja aqui (http://pesqele.tse.jus.br/pesqele/publico/pesquisa/Pesquisa/visualizacaoPublica.action?id=8426)
os dados de registro da pesquisa, inclusive o questionário aplicado.

Assessoria de Comunicação Social – TRE-SP

http://www.tre-sp.gov.br/noticias/textos2012/not120913.htm

Responder

José Ricardo Romero

20 de setembro de 2012 às 11h16

O golpe do consórcio PSDB/PIG/STF/PGR segue em frente muito bem urdido e com sucesso:
– agendamento no STF para julgar o mensalão na época das eleições
– julgamento do Zé Dirceu e Genoino com severas condenações às véperas da eleição
– agenda dos juizes do STF e do procurador geral da república ditadas pelo PIG
– reportagens em série ligando Lula ao mensalão
– programa eleitoral ligando Haddad ao Zé dirceu
– ameaças ao Lula para fazer ele parar de fazer política
– pesquisas de intensão de voto manipuladas para tornar palatável qualquer resultado fraudado
E “otras cositas más” que a gente nem sabe que estão acontecendo. Tudo dentro do script combinado e levado religiosamente a efeito pelos protagonistas acima, com o maior zelo e precisão. Com o objetivo de derrubar o governo e o PT. E a Dilma, o bernardo, o Lula continuam dormindo, pasmacentos, uma geléia geral. E o PT onde está? Eu sei: escondido de mêdo debaixo da cama. Golpe violento? Destituição da presidenta? Prisão do Lula? Golpe paraguaio ou hondurenho? Prá que? Vão vencer “no voto”, ninguém vai poder reclamar. Segundo FHC, o Serra virá para restaurar a democracia e será levado ao palácio do planalto nos braços do povo. São sem dúvida muitíssimo mais inteligentes e ardilosos que os políticos do PT (e que ninguém se sinta excessão

Responder

    sandro

    20 de setembro de 2012 às 12h11

    Que choradeira.
    Alguns delírios. kkkk
    Todos sabiam que a “folha” iria fazer isso.
    Alguns mais imbecilizados ainda “elegendo o Lula” para ataques
    abobados.Não se esqueçam que o Haddad é uma aposta, um desconhecido
    ainda para a maioria, e já esta causando furor no pig.Cabe a cada um
    esclarecer os indecisos ( que são muitos) ao invés de ficar chorando.

Fontes

20 de setembro de 2012 às 11h03

Cheguei a conclusão que quem decide eleição no Brasil é o … VICE. A direita paulista do Serra vai votar no Russomano por causa do… D’Urso. Como eles não aguentam mais o Serra vão de …. D’Urso.

O povo votou em Lula por causa de José Alencar e elegeu Dilma por causa do Michel Temer.

Faltou um vice de confiança da direita para Haddad.
Quem é vice de Haddad? Ninguém sabe, ninguém viu.
É uma comunista numa Cidade em que a maioria é de direita.

Já chamaram os artistas pra ajudar HADDAD?

Responder

FrancoAtirador

20 de setembro de 2012 às 10h46

.
.
DE ACORDO COM O DATAFRIAS,

JOSÉ SERRA É REJEITADO POR 44% DOS PAULISTANOS.

COM A MARGEM DE ERRO, PODERÁ SER REJEITADO POR 101%.
.
.

Responder

FrancoAtirador

20 de setembro de 2012 às 10h08

.
.
Tavinho, o mentiroso da década

No Ponto e Contraponto, via Com Texto Livre

Fechando os dez primeiros anos desse século e do milênio, podemos avaliar e escolher o maior mentiroso desse período.

Pensei no Serra, que disse que iria cumprir o mandato de prefeito até o fim, e dois anos depois se candidatou a governador, que afirma possuir formação em carreiras que não cursou e por afirmar ser o autor do programa contra AIDS, o seguro-desemprego e o FAT e não é nada disso.

Pensei no Victor Civitá por todas as mentiras publicadas na sua revista como os dólares das FARC, os de Cuba, o grampo sem áudio e todas aquelas acusações levianas baseadas em depoimentos em “off” que não valem um tostão furado.

Pensei no Ali Kamel, pensei nos Mesquitas, pensei no Barack Obama, mas nenhum deles conseguiu superar o grau de cinismo, desfaçatez e nenhum apreço a verdade com que Otávio Frias Filho, o Tavinho, comandou a Folha de São Paulo nos últimos dez anos.

O Jornal do Tavinho chamou um regime que perseguiu, torturou, matou e fez desaparecer opositores, inclusive colegas jornalistas, de “ditabranda”, além de restar a acusação ainda não explicada de que o jornal cedia veículos de distribuição de sua publicação para a repressão transportar presos políticos para serem torturados nos porões da ditadura.

O Jornal do Tavinho publicou um documento apócrifo, veiculado na internet como spam pelo pessoal barra pesada ligado ao Serra, que atribuía a Dilma Rousseff vários crimes em que não teve participação e que poderiam ser facilmente verificados por quem publica o jornal.

O Jornal do Tavinho deu o espaço de uma página para um recalcado infeliz caluniar o presidente da forma mais baixa e torpe.
Mais uma vez o jornal agiu como um panfleto e ignorou o desmentido de todas as pessoas que poderiam ter testemunhado e que negaram ter acontecido o que o leviano afirmou sob a permissividade do jornal.

O Jornal do Tavinho acusou José Dirceu de fazer lobby em favor da Eletronet, quando era o próprio jornal que fazia lobby para a empresa, tentando cavar uma indenização quando a justiça já tinha dado causa ganha ao governo.
A fonte da FSP era o próprio empresário Nelson dos Santos, o maior interessado pelo lobby que o jornal fazia.

O Jornal do Tavinho autorizou que uma de suas jornalistas, Eliane Cantanhede, fizesse lobby ativo e insistente em favor dos Caças suecos SAAB/Gripen no processo de compra de caças para as forças armadas.

O Jornal do Tavinho deixou que seus jornalistas alarmassem a população com notícias e previsões falsas sobre epidemias de febre amarela e gripe H1N1.

Em relação à Febre Amarela, o pânico causado pela irresponsabilidade de quem utiliza um veículo de informação para desinformar, gerou correria aos postos de vacinação, e nesse caso o preço pelo terrorismo do jornal custou a vida de pessoas, que sem informações corretas se vacinaram duas vezes e tiveram reações adversas que os levaram ao óbito.

O Jornal do Tavinho atribuiu comentários a Dilma sem que ela os tivesse pronunciado, como no episódio em que a FSP afirmou que Dilma teria dito que quem se exilou tinha fugido da luta.

O Jornal do Tavinho recebeu planilha de dados dos gastos referentes ao governo FHC do senador Álvaro Dias e afirmou que tinha sido entregue por alguém do PT.

O Jornal do Tavinho conseguiu a declaração de imposto de renda de Eduardo Jorge através de meios ilícitos, com que geralmente corrompe servidores e atribuiu a alguém do PT, se escondendo na desculpa oficial dos mal intencionados, de proteger a fonte para poder inventar o que quiser.

O Jornal do Tavinho, depois de servir por oito anos como chapa branca fiel ao governo FHC e por mais de 20 anos aos governos tucanos de São Paulo, além de agir como oposição ao governo e ao PT, como confessa a sua própria diretora-superintendente de jornalismo e presidente da ANJ, Judith Brito, teve o cinismo de publicar um editorial reafirmando sua linha editorial “independente”, “apartidária” (sic) e “pluralista”.

Pelo conjunto da obra o Tavinho levou o mentiroso da década até com certa facilidade. É impressionante o tanto que o jornal Folha de São Paulo teve sua linha editorial degradada nesses últimos dez anos.

O Tavinho conseguiu transformar um jornal que tinha tudo para se destacar justamente por não estar cooptado por grupos políticos e por isso tinha o respeito de todos os lados, em um panfleto com uma postura que retira toda a credibilidade que conquistou quando tentou ser um jornal de verdade.

http://contextolivre.blogspot.com.br/2010/07/tavinho-o-mentiroso-da-decada.html

Responder

Jair Almansur

20 de setembro de 2012 às 10h04

Não há margem de erro.
O Hadad é candidato fragil (um curso de neurolinguistica lhe faria muito bem para seber como falar;
Sua candidatura foi mal planejada (ficou preso muito tempo no ministério);
Faltou apoio da direção municipal do PT (a Marta centrada sempre no próprio umibigo lhe faltou no momento certo);
O PIG em São Paulo é soberano (soube se aproveitar de tudo isso)
Um confronto Serra/Russomano para o segundo turno é inevitável. Pobre São Paulo.

Responder

    Christian Schulz

    20 de setembro de 2012 às 11h53

    Curso de neurolinguística para “aprender” a falar?

    Esse tipo de coisa só serve para esvaziar os bolsos dos tontos que acreditam nisso.

    Tipo o Collor.

RicardãoCarioca

20 de setembro de 2012 às 09h49

As maracutaias do PT saem na mídia e no programa eleitoral do PSDB.

As maracutaias do PSDB não saem na mídia e nem no programa eleitoral do PT.

Assim fica fácil.

Uma chapa Marta/Erundina estaria em primeiro nas pesquisas.

Mas o importante é Serra perder, para Globo, Folha, Veja, Estadão, Valor, Band, SBT, IG, UOL, etc., perderem.

Responder

alexandre silva

20 de setembro de 2012 às 09h42

pode se duvidar de tudo e todos, mas acreditar no Vox populi realmente é para perder a eleição

Responder

Marisa Lancaster

20 de setembro de 2012 às 09h33

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!

Responder

Romanelli

20 de setembro de 2012 às 08h29

INFELIZMENTE essa já foi ..e mais um pedaço das minhas esperanças tb

..eu particularmente sempre defendi o lançamento de novas lideranças por aqui, gostei da ideia inicial por Haddad ..mas da forma como foi feito, com MALUF validando ? ..francamente

BEM FEITO !!!!

BEM FEITO, bem feito pro líder do partido que pensa que é senhor do mundo e do tempo ..um “deus” pela opinião de uma recente de suas senadoras que ABDICOU da MISSÃO para que foi eleita também

BEM FEITO, bem feito pra parte da militância que desprezou seus amigos e eleitores, uma que pensava ser 30-40% de saída, e que com muito boa vontade, não bate nem em metade disso

BEM FEITO, bem feito pra alguns seguidores que IGNORANTES, passaram por todos estes anos dizendo que NÓS PAULISTAS-paulistanos, formados por IMENSA maioria de prestatários ordinários, por um povo que sofrido e que rala, que tem problemas como qq outro, seríamos a elite tirana ..que nós cosmopolitas, que sempre recebemos a TODOS de braços abertos, inclusive de parte de seus líderes (assim como fomos recebidos um dia tb), que nós representamos o atraso do país ..que somos homofóbicos, anti-nordestinos, higienistas, piromaníacos e racistas tb

ENFIM, bem feito a esta CORJA que além de não saber reconhecer que FOMOS nós que garantimos a sua gestação, que embalamos o seu berço, que os fizemos chegar aonde chegaram..

..que somos nós que ainda ESPERAMOS pela entrega de inúmeras promessas e compromissos, que aguardamos por um MÍSERO pedido de desculpas e ARREPENDIMENTO pela má conduta que muitos de vocês praticaram em MAL FEITO, cuja FRAÇÃO pega esta sendo julgada agora, não por um, mas por ONZE ministros do Supremo

http://www.youtube.com/watch?v=VlYV5peAuF0

ps – nessas eleições, pela absoluta falta de opção, pelo empate técnico e nivelamento abjeto, VOTO BRANCO ! (ahh,sim, e que isso não seja interpretado por IGNORANTES MÍOPES como um voto racista, hein ?!!)

Responder

    Julio Silveira

    20 de setembro de 2012 às 09h43

    A voce, Romanelli, toda minha solidariedade.

    Antes

    25 de setembro de 2012 às 21h40

    é bem feito! rs

    IBOPE confirma Vox e deixa Datafolha sozinho com Serra
    Enviado por luisnassif, ter, 25/09/2012 – 19:16

    Russomanno tem 34%, Haddad, 18%, e Serra, 17%, diz Ibope
    Levantamento foi realizado entre sábado (22) e segunda-feira (24).
    Instituto ouviu 1.204 pessoas; margem de erro é de 3 pontos.

    O Ibope divulgou, nesta terça-feira (25), a quinta pesquisa de intenção de voto sobre a disputa pela Prefeitura de São Paulo após a definição dos candidatos.

    A pesquisa foi encomendada pela TV Globo.

    Em relação à pesquisa anterior, Russomanno passou de 35% para 34%, Serra foi de 19% para 17%, e Haddad, de 15% para 18%.

    Veja os números do Ibope para a pesquisa estimulada:
    Celso Russomanno (PRB) – 34% das intenções de voto
    Fernando Haddad (PT) – 18%
    José Serra (PSDB) – 17%
    Gabriel Chalita (PMDB) – 7%
    Soninha (PPS) – 4%
    Paulinho da Força (PDT) – 1%
    Carlos Giannazi (PSOL) – 1%
    Ana Luiza (PSTU) – não pontuou
    Anaí Caproni (PCO) – não pontuou
    Levy Fidelix (PRTB) – não pontuou
    Eymael (PSDC) – não pontuou
    Miguel (PPL) – não foi citado
    Em branco ou nulo – 10%
    Não sabe – 8%

    A pesquisa foi realizada entre os dias 22 e 24 de setembro. Foram entrevistadas 1.204 pessoas na cidade de São Paulo. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.
    A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP), sob o número SP-01138/2012.

    Pesquisas anteriores
    A primeira pesquisa do Ibope foi divulgada em 3 de agosto e registrou os seguintes resultados: José Serra (26%); Celso Russomanno (25%); Soninha (7%); Fernando Haddad (6%); Gabriel Chalita (5%); Paulinho da Força (5%); Ana Luiza (1%); Carlos Giannazi (1%); Eymael (1%); Levy Fidelix, Miguel e Anaí Caproni não pontuaram.

    A segunda pesquisa foi divulgada em 16 de agosto e registrou os seguintes resultados: Celso Russomanno e José Serra (26% cada um); Fernando Haddad (9%), Gabriel Chalita, Paulinho da Força e Soninha (5% cada um), Ana Luiza e Carlos Giannazi (1% cada um), Eymael e Levy Fidelix não pontuaram, Miguel e Anaí Caproni não foram citados.

    A terceira pesquisa foi divulgada em 31 de agosto e registrou os seguintes resultados: Celso Russomanno (31%), José Serra (20%), Fernando Haddad (16%), Gabriel Chalita (5%), Soninha (4%), Paulinho da Força (1%). Ana Luiza, Carlos Giannazi, Eymael, Miguel e Anaí Caproni não pontuaram. Levy Fidelix não foi citado.

    A quarta pesquisa foi divulgada em 13 de setembro e registrou os seguintes resultados: Celso Russomanno (35%), José Serra (19%), Fernando Haddad (15%), Gabriel Chalita (6%), Soninha (4%), Paulinho da Força (1%). Ana Luiza, Carlos Giannazi, Eymael, Miguel e Anaí Caproni não pontuaram. Levy Fidelix e Eymael não foram citados.

    Segundo turno
    O Ibope também simulou o segundo turno com os nomes dos três primeiros colocados na pesquisa. Russomanno venceria se disputasse contra Haddad ou Serra, e Haddad venceria Serra. Os resultados dos três cenários foram:
    – Russomanno 48% x 24% Haddad
    – Russomanno 51% x 23% Serra
    – Haddad 39% x 29% Serra

    Rejeição
    O Ibope perguntou ainda em quem os entrevistados não votariam de jeito nenhum. Serra foi o mais citado, com índice de rejeição de 40%. Na sequência, aparecem Soninha (17%), Haddad (16%), Russomanno e Fidelix (14%), Paulinho da Força (13%), Eymael (12%), Ana Luiza (9%), Miguel e Anaí Caproni (8%), Chalita e Carlos Giannazi (7%).

Taques

20 de setembro de 2012 às 08h02

Percebo agora a velha e surrada ladainha para tentar desqualificar a pesquisa Datafolha.

Pra mim é bastante simples: amanhã havendo uma postura diferente no programa do Haddad se confirmarão os novos números desta pesquisa, afinal de contas, se o petista está na frente do Serra como defendem alguns por aqui, não haveria motivos para uma mudança no rumo da campanha, não?

A verdade nua e crua é somente uma: o julgamento do Mensalão está destruindo o PT em todo o Brasil e o pior está por vir com as prováveis condenações de Delúbio, Genoíno e, principalmente, Dirceu. Se confirmadas, será o golpe de misericórdia.

Se Dilma quiser se reeleger em 2.014, e suas chances são enormes, ela terá de começar a se distanciar deste partido e essas figuras históricas.
Se tentar defendê-los, afundará junto.

PS: Em algum momento menos apaixonado, há de aparecer alguém que explique a farsa desta enorme popularidade do ex-presidente Lula. Não tenho a menor dúvida de que ele é muito popular e bem quisto pelo povo mas os números a ele atribuídos (por volta 90% de aprovação) são absolutamente irreais e com isso lhe permitem cometer erros absurdos como a retirada da candidatura de Marta, que tinha uma vitória praticamente certa.

Responder

    Benedito

    20 de setembro de 2012 às 09h14

    Taques, você acredita no Datafolha quando se trata desta pesquisa eleitoral para a prefeitura. Ao mesmo tempo, diz que a popularidade do Lula (medida também pelo Datafolha, sabia?) é uma farsa. Tenha a santa paciência…

    Taques

    20 de setembro de 2012 às 09h59

    Prezado Benedito, aí que está a questão.

    A “altíssima” popularidade de Dilma e Lula está escorada em elevados indíces de “regular” e “bom” e não em um elevado indíce de “ótimo”.

    “Regular” e “bom” não são garantias de transferência de votos (se fossem, como você explicaria desempenhos tão fracos dos candidatos petistas, não só Haddad, nas intenções verificadas???.

    Não tenho dúvida que a taxa de transferência de votos efetuada por Lula é altíssima entre os consideram um “ótimo” político mas essa taxa de “ótimo” ao meu ver não é tão alta assim.

    Essa é a minha opinião. Ao considerar Lula um “deus” o PT não deixa espaço para o contraditório e só tem a perder.

    SERGIO SANTANA

    20 de setembro de 2012 às 10h42

    QUEM DIZ QUE A POPULARIDADE DO LULA É UMA FARSA,MOSTRA MUITA IGNORÂNCIA E QUE NÃO SABE VOTAR (SÓ ELEGE PREFEITOS RIDÍCULOS)!INFELIZMENTE O STF TÁ FAZENDO UM JULGAMENTO POLÍTICO E NÃO TÉCNICO!E NAS RUAS AS PESSOAS NÃO ESTÃO NEM AÍ PRO MENSALÃO! VAMOS AGUARDAR O 7 DE OUTUBRO! ESSES INSTITUTOS IBOPE (REDE GLOBO) E DATAFOLHA (PSDB) DISSERAM QUE A DILMA NÃO TERIA A MÍNIMA CHANCE EM 2010!

    elian

    20 de setembro de 2012 às 12h10

    desejos, desejos, desejos…trolls, trolls, trolls…vc realmente deve voltar em branco, espero que os leitores aqui não. O Haddad vai à disputa com Russomano e Serra vai exigir uma secretaria de Alkmin. Este último vai pedir um tempo…

Mailson

20 de setembro de 2012 às 07h24

ÚNICA SAÍDA PARA A CAMPANHA DO HADDAD, DIANTE DA “PESQUISA” datafoia

Confrontar a pesquisa Vox Populi com a da Foia no horário eleitoral.

Responder

    Willian

    20 de setembro de 2012 às 08h45

    Vox Populi é do Marcos Coimbra, né? Este sim, é isento e confiável.

    RicardãoCarioca

    20 de setembro de 2012 às 09h46

    Tão ou mais confiável quanto Globope e DataFalha.

    Christian Schulz

    20 de setembro de 2012 às 11h58

    Colega, a “justiça” atendeu ao Çerra e impediu que o Haddad divulgasse pesquisa do Datafôia em seu programa eleitoral.

    Com base num argumento patético de que o programa deveria mostrar todos os dados da pesquisa, quando se tratava apenas de um recurso visual para destacar a ultrapassagem.

    Acreditar em “justiça”, no Brasil, é tolice e/ou safadeza. Basta ver nossa “justiça” social.

Taques

20 de setembro de 2012 às 07h16

O processo do mensalão está destruindo o PT.

Nesta altura do campeonato o candidato petista ter somente 15% é um vexame.

Se bobear vai ficar atrás do Chalita.

O deus garanhuense, pelo jeito, falhou feio.

Responder

    Romanelli

    20 de setembro de 2012 às 08h47

    os líderes do PT estão matando o PT ..era um projeto pessoal ..agora eles foram TESTADOS na pratica, só isso ..e a teoria não se confirmou ..triste

    NADA do que esta no mensalão se justifica ..apenas a roubalheira pura e simples

    ME diga, que valor de financiamento de campanha era tão inexequível que uma militância não poderia suprir ?

    Que PROJETOS e PROCESSOS legislativos justificaram aquela dinheirama desviada e dadas a BANDIDOS CHANTAGISTAS ?

    corrupção ativa, passiva, peculato, formação de quadrilha ..falsidade ideológica, sonegação fiscal e enriquecimento ilícito, CRIME ELEITORAL, FRAUDE processual são alguns dos pecados que vi

    Claro que se a justiça define-se o processo como se sendo o “desvio de recursos públicos e privados, executado por um grupo que visava o financiamento ilícito e espúrio de partidos, valendo-se inclusive da cooptação de lideranças políticas, caracterizando-o como o MAIOR julgamento coletivo já enfrentado pelo STF” teria sido muito melhor do que o circo e os SUPERLATIVOS lançados e fabricados pelo PIG (o maior de todos, pra perpetuação no poder, regular, dado a imensa base parlamentar etc)

Esly

20 de setembro de 2012 às 07h12

A Folha,Ibope,Globo e Ed. Abrl manipular, inventar e distorcer não é novidade nenhuma, o que irrita é o “financiamento” Federal pra tudo isso. A campanha de “Madre Tereza” do Haddad não ajuda em nada também…

Responder

LEANDRO

20 de setembro de 2012 às 07h10

Sei,,,,o desespero tá batendo na campanha petista;;Serra se descola de Haddad…e com essa associação ao maluf, dirceu e genoíno a tendência é só cair mais.

Responder

Mailson

20 de setembro de 2012 às 06h51

A SACANAGEM DA FOIA (datafoia) ONLINE, MAS SÓ PARA O BABACA DO ASSINANTE

Vejam a manchete: Serra se desloca de Haddad na briga por segundo lugar em São Paulo.

Eu achei que eles passaram muito tempo para ver como manipulavam o resultado da pesquisa (ou será que não houve pesquisa?). Pensando bem, se é para manipular, para que pesquisa?

E depois, em letrinhas miúdas: “propaganda do PT em São Paulo será mais agressiva”.

Com esta segunda “manchetinha”, bem pequenininha, eles estão mais uma vez alertando os leitores/eleitores para não acreditarem no livro do Amaury, A privataria tucana, caso o PT faça uso desse livro denúncia no programa do Haddad.

Olha minha gente, eu nunca fui enganado por um vigarista até hoje. Vocês acham que é o dono da foia que vai me enganar?

Responder

Bonifa

20 de setembro de 2012 às 04h40

Para a Folha manipular uma manchete de maneira tão “degradante”, subindo vários pontos além do limite das manipulações sutis e deglutíveis, não pode restar qualquer dúvida: Não apenas Serra emborcou de modo irrecuperável, como Haddad está se afastando com rapidez à sua frente. A Folha já fez isso antes, sempre como expediente de último recurso para tentar inflar o mesmo Serra em franca perda de densidade. Não adiantou e não adianta. É fato que a Folha superestima sua capacidade de influência na população, mas talvez a intensão do jornal se prenda apenas a redobrar o ânimo da militancia serrista, procurando tornála mais aguerrida. Porém, o sopro extra da Folha não será suficiente para compensar a perda acelerada de gás do balão do Serra.

Responder

FrancoAtirador

20 de setembro de 2012 às 01h45

.
.
PARCERIA VEJA/CACHOEIRA/PERILLO

Marconi Perillo @marconiperillo7h, pelo Twitter

Em parceria com a Editora
Abril, Marconi lança o Guia
Quatro Rodas especial Fim de
Semana Goiás.

bit.ly/PF2lZZ #Eqp

http://www.flickr.com/photos/marconiperillo/sets/72157631569778824/

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/abril-cobra-a-fatura-de-marconi

Responder

    Romanelli

    20 de setembro de 2012 às 08h51

    agora o momento é outro ..não adianta embaralhar ..assim ninguém presta atenção em vc

    http://www.youtube.com/watch?v=-BVOwp3yueU

    FrancoAtirador

    20 de setembro de 2012 às 10h36

    .
    .
    Meu caro Romanelli.

    Você é o único que presta atenção aos meus comentários.

    Não sei o que seria de mim sem a sua assídua leitura.

    Assim é que agradeço e aceito de bom grado sua sugestão.

    Desembaralhemos os fatos e voltemos ao tema proposto:
    .
    .
    A estranha gramática do professor Serra

    No Com Texto Livre

    Após mostrar ao Brasil sua impressionante habilidade com os números, o grande mestre Zé Chirico agora nos presenteia com seu exímio domínio da língua portuguesa.

    Neste vídeo, numa entrevista à TV Bandeirantes, o emérito professor da quarta série do ensino fundamental revela seu autodidatismo também na gramática, que aprendeu lendo Machado de Assis.

    Confira como o genial tucano, com sua ilimitada cultura, promete causar uma revolução também nos manuais de gramática.

    Reza a gramática que as orações coordenadas podem ser sindéticas e assindéticas. As assindéticas não passam desta denominação enquanto, no caso das sindéticas, estas se ramificam em:
    – aditivas;
    – adversativas;
    – alternativas;
    – conclusivas;
    – explicativas.

    A expressão “subjuntiva” dita pelo mestre Serra diz respeito aos modos verbais (indicativo, subjuntivo e imperativo) e nada tem a ver com a classificação das orações.

    http://www.youtube.com/watch?v=GWf90bEcfXI

Wagner

20 de setembro de 2012 às 01h14

Azenha

Meus palpites são de amador, mas, faltando 15 dias para as eleições:

Serra estancou a queda, mas não deve crescer mais.

Haddad vai subindo a passos muito lentos.

Se não houver nenhuma surpresa é muitíssimo provável que dê Russomano e Haddad no segundo turno (e o Serra é obrigado a largar de vez a política).

Mas…

Quem votou no Serra (anti-PT) vai votar no Haddaa no segundo turno?

Ou, ainda que uma parte de eleitores serristas migre para o Haddad, será suficiente para fazer frente aos altos números do Russomano?
_________________________

Para não dizer que não falei das flores:

A gente vibra quando o Haddad sobe um ou dois pontinhos em um semana.

Porra (desculpe), a Marta já não estaria com mais de 30% a esta altura???

Aliás, ela não largaria com cerca de 30 pontos?

Acho o Hadda um excelente candidato, mas essa demora em arrancar me preocupa.

Temo que os paulistanos deverão começar a pagar dízimo em breve.

PS: Alguém fala pro PT bater mais no Russomano para ver se tirar essa vantagem, caramba. A Dilma correu para a vitória em 2010 quando sua campanha passou a pegar o Serra de “jeito”.

O Russomano tem um calcanhar de aquiles terrível e por respeito ao Azenha não vou citar aqui, mas todos sabem qual é. Aliás, tem muito tucano que prefere votar no PT do que nos atuais mentores do Russomano.

Vamos subir o tom pessoal!!!

Responder

    Cibele

    20 de setembro de 2012 às 23h57

    Meu comentário não passou, mas tudo bem. Respondi a você, Wagner, que nem todos sabem ainda… E que vai ter pouca gente para subir o tom. E que é muito importante ligar os fatos, terceiro orçamento do país… Tem gente que ainda se espanta quando fica sabendo das ligações perigosas. E bota perigosas nisso!

    Luiz Carlos Azenha

    21 de setembro de 2012 às 10h17

    Aqui vc pode me criticar à vontade, mas não fazer ilações sobre outros blogueiros que não terão como se defender. Sou repórter da TV Record e não tenho contato com a Igreja Universal, nem sei se ela vai assumir controle do orçamento de São Paulo, como vc sugere, no caso da eleição do Russomano. Posso testemunhar que a TV Record nunca tentou interferir no conteúdo editorial deste blog. Ao mesmo tempo, não vou entrar na campanha do Serra, que é de demonizar os evangélicos para conquistar votos dos católicos. Isso a Globo, a Folha, o Estadão e outros fazem. abs

    Cibele

    21 de setembro de 2012 às 18h29

    Entendido. Peguei meio pesado, foi mal. Sei que você não veta comentários à toa. Respeito muito sua conduta no blog. Azenha, não estou comprando a briga do Serra para ficar com os votos católicos do Russo, pelo amor de Deus! Tá bom, já que o efeito pode ser esse, então fico quieta por enquanto. Humildemente, reconheço que você tem razão. E não acho que você tenha ligações diretas com a universal. Apenas sei que você tem que tomar mais cuidado que outros blogueiros que não estão na TV. Só isso. Acredito em sua palavra, por isso estou aqui. Abs.

dukrai

20 de setembro de 2012 às 00h18

esta percepção do vampirin caboclo como coisa ultrapassada, reacionária e fascista é uma vitória do PT. Resta derrotar a direitona liberal, isto é uma vitória paulistana e da gente que torce pra superar o atraso neo-colonialista.

Responder

Jairo Beraldo

19 de setembro de 2012 às 23h58

A pergunta fatal Sra Lemes: POR QUE DILMA (leia-se governo federal) ABASTECE ESTA IMPRENSA VAGABUNDA?

Responder

Marcos Luz

19 de setembro de 2012 às 23h00

Twitter no Noblat diz outra coisa:

Serra, 21% (+1%) e Haddad, 15% (- 2%). Repito: esse resultado é celebrado no comitê de Serra c/o resultado do Datafolha. A conferir

Responder

    Marat

    19 de setembro de 2012 às 23h40

    Dai o porque ele ser o Noblat blat blat e ter pouquíssima credibilidade. Abraços.

    Mel

    20 de setembro de 2012 às 00h31

    O Datafolha o IBOPE pode falar o que quiser, O Serra não vai para o 2º turno. É so conversar com as pessoas nas ruas, no trabalho, com os vizinhos. Ninguem quer mais o , Serra.

    FrancoAtirador

    20 de setembro de 2012 às 01h22

    .
    .
    Dito e feito.

    Estadão e Globo, supostos concorrentes,
    publicam o DataFrias para dar a impressão
    de isenção e imparcialidade da pesquisa.
    .
    .
    É A MÁFIA MIDIÁTICA DE VOLTA, A TODO O VAPOR.
    .
    .

    FrancoAtirador

    20 de setembro de 2012 às 01h26

    .
    .
    Enquanto isso:

    Vox Populi mostra Haddad com 18% e Serra com 17%

    Pesquisa encomendada pelo PT ao Vox Populi revela um cenário de estabilidade na disputa pela prefeitura de São Paulo.

    Celso Russomanno (35%) permanece na liderança.

    Fernando Haddad (18%) e José Serra (17%)
    continuam tecnicamente empatados na segunda colocação.

    http://advivo.com.br/blog/luisnassif/vox-populi-encomendada-pelo-pt-mostra-haddad-com-18

    FrancoAtirador

    20 de setembro de 2012 às 02h06

    .
    .
    E assim passam-se os dias, os meses, os anos, as décadas…

    Datafolha: Dilma cai dois pontos, Serra sobe um

    A candidata do PT, Dilma Rousseff, caiu de 51% para 49% em nova pesquisa presidencial Datafolha divulgada nesta quarta-feira.
    José Serra (PSDB) está em segundo, subindo de 27% para 28%, e Marina Silva (PV) passou de 11% para 13%.

    A pesquisa mostra que Dilma caiu dois pontos percentuais, Serra subiu um ponto e Marina Silva subiu dois pontos. Votos brancos e nulos somam 3%, enquanto 5% dos eleitores entrevistados se declararam indecisos.

    É o primeiro levantamento do instituto após as revelações de tráfico de influência e a consequente crise que culminou com a demissão da sucessora de Dilma na Casa Civil, Erenice Guerra.

    Os 52% dos entrevistados disseram que tiveram conhecimento do caso.

    http://www.sidneyrezende.com/noticia/101621

    http://m.folha.uol.com.br/poder/803202-dilma-segue-na-frente-mas-vantagem-sobre-adversarios-cai-5-pontos-diz-datafolha.html

    FrancoAtirador

    20 de setembro de 2012 às 02h13

Marat

19 de setembro de 2012 às 22h40

O que deveria ocorrer é a criação de um jornal popular. Nem precisa ser de esquerda, basta ser de centro, mas ser bem-intencionado e praticar jornalismo sério e honesto. Um jornalismo sério e honesto pode produzir boas matérias que defendam ideias de direita e de esquerda, mas que busquem o bem comum da nação. A Folha, bem como o Estado, a Editora Abril, a Rede Globo e os bagrinhos do PIG são extremamente panfletários pró-direita e extrema direita, com dinheiro da burguesia local e com os dólares sujos de sangue dos Estados Unidos.
Um bom jornal, criado e mantido por gente séria e honesta, com patrocínio público (por que só os da direita podem?) e dinheiro de empresários politizados…

Responder

Fábio

19 de setembro de 2012 às 22h35

Ta desperada, tá desesperada, tá desesperada. Mas não pode ser subestimada. Não gosto desse discurso de “a direita está desesperada”, pois me parece imobilizador e pretensioso. Mirem-se no exemplo do STF com condenação sem provas. Não dá para baixar a guarda.

Responder

Elizene Lima

19 de setembro de 2012 às 22h18

Essa campanha, principalmente a de São Paulo, será um
marco entre antes e depois dos meios de comunicação não
tradicionais. Os blefes, as mentiras e calúnias não têm
mais pernas curtas, estão absolutamente sem pernas. O descrédito
está visível e audível. O PIG está cometendo a autofagia e
a tendência é, cada vez mais, que os cidadãos saibam exatamente
quais serão suas opções políticas, sem que tenham sido manipulados.
A tendência é chegar à consciência do voto. Daí para o caminho da
não obrigatoriedade, será um pulo.

Responder

Rose SP

19 de setembro de 2012 às 22h12

O PIG está mesmo em desespero, realmente vai tetar de tudo para não perder as somas em dinheiro que o PSDB entrega em assinaturas,´como é que vão se sustentar sem essas grandes somas de dinheiro? O desespero é realmente desesperador!

Responder

FrancoAtirador

19 de setembro de 2012 às 22h07

.
.
Está ficando interessante esta questão do voto anti-Serra em São Paulo.
.
.

Responder

carlos

19 de setembro de 2012 às 22h00

O pior resultado do partido em São Paulo desde 1988, quando a eleição era em um turno único e Erundina venceu com 29,84%, aconteceu em 1996, quando a mesma Erundina teve 22,83%. Esse foi o ponto fora da curva do histórico. Afora isso, o PT sempre teve 30% ou mais nas disputas paulistanas.

Em 1992, numa eleição muito difícil, pois a campanha da mídia contra o governo Erundina era massacrante, Suplicy fez 30,68% dos votos no primeiro turno.

Nas últimas três eleições com Marta Suplicy, o voto do PT foi sempre acima de 30% no primeiro turno. Em 2000, quando venceu, cravou 38,13%. Em 2004, 35,82%. E na última eleição, em 2008, contra Alckmin e Kassab, fez 32,79%

Ou seja, Serra dificilmente vai fazer Haddad ter menos do que 25% dos votos, o que parece suficiente para levar um candidato ao segundo turno. Mas este blogueiro arrisca dizer que Haddad vai ter os 30% históricos do PT.

A estratégia dos tucanos está desprezando a história do voto na cidade. Ou seja, o ódio de Serra ao PT parece ser maior do que a lógica.
http://revistaforum.com.br/blogdorovai/

Responder

    Cláudio

    19 de setembro de 2012 às 22h40

    Sou Haddad, mas estou pessimista: em todos os casos citados, as pesquisas correspondiam ao resultado verificado nas urnas, em 2008 inclusive as pesquisas davam mais votos pro PT do que ele realmente teve no primeiro turno. Desta vez as pesquisas mostram um candidato com pouco voto. Se “histórico” de votação fosse sempre repetido, Lula nunca teria sido eleito. O que determina uma eleição é um conjunto de fatores, mas a conjuntura política é determinante. A conjuntura, hoje, parece pouco favorável ao PT em São Paulo.

Mr. Chance

19 de setembro de 2012 às 21h54

Apenas confirma o que venho dizendo há pelo menos dois meses… Datafolha e IBOPE agem como os fundistas quenianos em provas de longa distância, ou seja, fazem um jogo de equipe para estressar o principal adversário, que neste caso é o eleitorado petista. E cá entre nós, se o dono da Folha é isso que aí está, por que o Datafolha seria diferente na obsessiva luta deste insano cidadão em levar o Serra para o 2o Turno? É Folha atacando e Datafolha segurando… o limite para esse joguinho é a última semana e até lá continuarão com as baixarias jornalísticas de sempre que são arquitetadas no Comitê de Campanha de Serra. Uma vergonha…

Responder

Fabio Passos

19 de setembro de 2012 às 21h45

O PiG vai continuar tentando salvar serra da derrota.
E manipulando datafraude e globope descaradamente.

civita, marinho, frias e mesquita não podem perder a propininha que o psdb de São Paulo entrega ao PiG.

Responder

    FrancoAtirador

    19 de setembro de 2012 às 21h53

    .
    .
    SERÁ QUE AÍ AS “FAMIGLIAS” VÃO FUGIR DO BRASIL ?
    .
    .

FrancoAtirador

19 de setembro de 2012 às 21h31

.
.
‘FOLHA’: O TANQUINHO DE AREIA DO TUCANATO

O jornal da familia Frias que já teve Claudio Abramo e Perseu Abramo na direção, e que abriu espaço a intelectuais progressistas em plena ditadura, tornando a página 3 do diário uma tribuna de dignidade e arrojo histórico, hoje está entregue a adeptos do jornalismo de ‘pegadinha’, uma derivação intelectual dos programas de auditório em que clowns ‘animam’ claques adestradas na semi-informação e na semi-cultura.

A manchete garrafal desta 4ª-feira distorce uma representação legítima do PT contra o programa eleitoral de José Serra, que manipula o deliberadamente desfrutável julgamento do STF para criminalizar o partido e seu candidato em São Paulo, tentando degradá-lo diante da opinião pública.
Pinçando palavras da representação levada à Justiça Eleitoral, criou-se a manchete da conveniência tucana: ‘Haddad diz que é degradante associá-lo a Dirceu’.

O malabarismo, quase uma extensão da propaganda de Serra, ocupa duas linhas de quatro colunas no alto da 1ª página do jornal.
O esforço, sôfrego, para resgatar o candidato de sua preferência da esférica rejeição que o soterra mereceria um pouco mais de respeito ao eleitor de uma democracia arduamente conquistada, que teve na Folha um engajamento de desassombro contra a manipulação do discernimento social pela censura.

A infantilização do jornalismo praticado hoje renega esse passado e desidrata um patrimônio que não pertence apenas aos donos da empresa, mas à abrangência ecumênica de seu universo de leitores, assim desrespeitado.

A exemplo de ‘Veja’, a ‘Folha’ tornou-se um ‘case acadêmico’ de perda de densidade republicana da chamada grande imprensa em nosso tempo.
Deixou de ser referência para ser referido: um caso de ruína deliberada da credibilidade.

(Carta Maior; 4ª-feira/19/09/2012)

Responder

    flavio

    20 de setembro de 2012 às 09h05

    logo cedo vi isso no UOL, e fiquei revoltado.
    como é molenga e frouxo este nosso governo federal, junto com o PT.
    esta imprensa podre manipuladora tudo pode neste Brasil sem justiça.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.