Altamiro Borges: “Soldado de Bolsonaro” tem show cancelado em Sergipe

Tempo de leitura: 2 min

Atingido no bol$o, o oportunista sinaliza que pode abandonar o ”mito”:  deletou postagens em defesa do ex-presidente e dos atos golpistas

Soldado de Bolsonaro tem show cancelado em SE

Por Altamiro Borges, em seu blog

Na semana passada, o Iate Clube Aracaju, de Sergipe, cancelou a participação do cantor baiano Netinho no seu tradicional bloco carnavalesco. A decisão foi tomada após pressão dos próprios associados, que questionaram o apoio dado pelo músico aos atos golpistas em Brasília no dia 8 de janeiro.

Como registrou a Folha, “apoiador do ex-presidente Jair Bolsonaro, o cantor incentivou as manifestações que resultaram na invasão e depredação do Congresso Nacional, do Palácio do Planalto e do Superior Tribunal Federal”.

Pelas suas redes sociais, Netinho convocou seus seguidores: “Infelizmente não há outro jeito. Precisamos parar o Brasil, invadir pacificamente Brasília e retirar os malignos de lá”.

Ele ainda incentivou a ida dos famigerados CACs (Caçadores, Atiradores e Colecionadores) à capital federal e frequentou o acampamento bolsonarista montado em frente ao Quartel da Mouraria, em Salvador.

Toda essa fúria golpista talvez se explique por sua derrota em outubro na disputa pela vaga de deputado federal na Bahia – ele foi o sexto mais votado do PL de Jair Bolsonaro, que elegeu três deputados no estado.

Netinho não se elege na Bahia

Diante do cancelamento do seu contrato para participar do bloco carnavalesco de Aracaju, Netinho tentou pousar de vítima.

Ele jurou que não incentivou os atos de vandalismo em Brasília: “Reitero que sou cidadão brasileiro que torço pela prosperidade do povo brasileiro e da nossa democracia. Jamais incentivaria, muito menos financiaria atos de violência e terrorismo”.

Na maior caradura, o fanático bolsonarista ainda disse que “nunca misturei política com a minha música”.

Vale relembrar que Netinho lançou sua candidatura a convite da deputada-pistoleira Carla Zambelli (PL-SP).

Na ocasião, ele prometeu: “Eleito, serei um soldado de Jair Bolsonaro na Câmara e defenderei o povo baiano seguindo os valores de Deus, Pátria, Família e Liberdade”.

Cantor sinaliza que pode abandonar o “mito”

O “soldado de Bolsonaro” não se elegeu e agora também sofre cancelamento de shows. Com forte senso de oportunidade – para não dizer de oportunismo –, o cantor já sinaliza que poderá abandonar seu “mito”.

Segundo o site Observatório dos Famosos, ele tentará desvincular sua imagem à do fascista fujão.

“Uma das primeiras atitudes de Netinho foi deletar as postagens em defesa ao ex-presidente, dentre elas, em defesa dos atos golpistas, além de ter sido orientado a evitar falar de política publicamente, numa forma de tentar reverter a imagem carismática que possuía antes. ‘A Bahia, em sua grande maioria, é antibolsonarista e o comportamento dele vinha afugentando os contratantes’, revelou uma fonte”.

Leia também:

Luís Felipe Miguel: O jogo de Romeu Zema e por que ele é perigoso

Militar do Exército operava o caixa 2 de Bolsonaro no Planalto, denuncia o site Metrópoles

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Pedro Paulo Salazar Sanches

Netinho pra apoiar algo este algo tem que ser positivo pro povão.

Zé Maria

Curioso é que, depois que o LULA e o Xandão resolveram moralizar o País e acabar com a Gandaia dos Fascistas dos Quartéis, botando todo mundo na cadeia, ninguém mais é Bolsonarista, nem cantores sertanejos, nem partidos políticos, nem empresários, nem economistas neoliberais, nem procuradores do MPF. Ninguém mais reivindica direito à liberdade de expressão para pregar Golpe de Estado.
Todos entraram na linha democrática republicana.

    Zé Maria

    E parece que também não há nenhum Militar Bolsonarista…

    Zé Maria

    Falando em Militares, será que não vai ser
    instalada a CPI do Cartão Corporativo?

Deixe seu comentário

Leia também