VIOMUNDO

Diário da Resistência


Altamiro Borges: Pazuello da Justiça protege blogueiro bolsonarista foragido nos EUA
Altamiro Borges: "Na semana passada, o bajulador ministro da Justiça, Anderson Torres, participou de atividades com o presidente Jair Bolsonaro, em Orlando, nos EUA, que tiveram a presença do blogueiro Allan dos Santos, que está foragido do Brasil desde outubro de 2021 por seus crimes contra as instituições democráticas". Fotos: Igo Estrela/Metrópoles e reprodução de rede social
Política

Altamiro Borges: Pazuello da Justiça protege blogueiro bolsonarista foragido nos EUA


21/06/2022 - 18h16

Sinistro da Justiça protege foragido nos EUA

Por Altamiro Borges, em seu blog

Anderson Torres, o ministro da Justiça do fascista Jair Bolsonaro, já virou motivo de chacota nos corredores do poder em Brasília. O sujeito é um bajulador pegajoso do presidente e só faz e fala besteiras.

Alguns analistas chegam a dizer que o panaca é mais patético do que o ex-ministro da Saúde, o incompetente general Eduardo Pazuello – aquele do “ele manda e eu obedeço”.

No seu puxa-saquismo, ele chega a cometer crimes explícitos. Na semana passada, por exemplo, o oportunista participou de atividades com o “capetão” em Orlando, nos EUA, que tiveram a presença do blogueiro Allan dos Santos, que está foragido do Brasil desde outubro do ano passado por seus crimes contra as instituições democráticas.

Convocado para esclarecimentos na Câmara

Diante do escancarado ato ilegal, o sinistro da Justiça poderá ser convocado agora para dar explicações à Câmara Federal.

Na semana passada, o deputado Davi Miranda (PDT-RJ) protocolou requerimento em que questiona o motivo do ministro não ter informado à Interpol a localização do difusor de fake news, que é procurado pela Justiça brasileira.

“Sem o mínimo constrangimento, ao mesmo tempo em que tenta criar dificuldades ao processo de extradição, Bolsonaro prestigia o seu assecla e parece valer-se de sua atuação e serviços em território estadunidense. Não é possível ficar indiferente ao ultraje às instituições brasileiras que representou a participação ostensiva do senhor Allan dos Santos numa motociata em Orlando, organizada por simpatizantes do governo, no último dia 11 de junho”, afirma o requerimento.

Todo metido a valentão, Anderson Torres logo se acovardou diante do pedido de esclarecimento e jurou que não esteve com o criminoso nos EUA e ainda se negou a prestar explicações à Câmara Federal. “Eu não estive com esse cidadão [Allan dos Santos], eu não vi esse cidadão nos Estados Unidos. Não tenho o que responder a respeito disso”, resmungou.

O desgaste de Anderson Torres

A desculpa serve para desgastar ainda mais a imagem do grotesco ministro da Justiça, que tem feito de tudo para salvar o foragido blogueiro bolsonarista.

Em novembro passado, por exemplo, ele exonerou do cargo a delegada Silvia Almeida, que pediu a extradição de Allan dos Santos quando chefiava o departamento responsável da Polícia Federal.

Essas e outras atitudes de servilismo têm desgastado a imagem de Anderson Torres.

Como aponta uma notinha recente do site Metrópoles, “a força que Anderson Torres demonstrava ter no final de fevereiro, quando emplacou um nome de sua irrestrita confiança no comando da PF, parece ter arrefecido nos últimos meses. Dentro do governo, tanto para cima quanto para baixo, não faltam sinais de que o prestígio do ministro da Justiça e Segurança Pública está em declínio”.

“A agenda pública de Torres reflete esse quadro. Em maio, o número de compromissos caiu pela metade na comparação com os meses anteriores. A mudança de ritmo se estende às redes sociais. Seu perfil no Instagram, que era usado para publicações quase diárias até meados de abril, ficou sem nada novo por sete semanas… Ele só reapareceu com fotos da viagem aos EUA com Bolsonaro – talvez numa tentativa de mostrar que não está, assim, tão desprestigiado e esvaziado”.

Um vassalo desprezível

Essa opinião é compartilhada pelo jornalista Chico Alves, que detonou a figura do sinistro em postagem no UOL de março passado. “Anderson Torres mostra-se capaz de tudo para agradar o chefe Bolsonaro. Fez seguidas trocas na cúpula da PF, algo que levou entidades representativas de delegados a alertar sobre a quebra de continuidade em investigações importantes”.

O colunista cita ainda a “volta da censura no país, ao determinar que plataformas de streaming retirem do catálogo o filme de Danilo Gentili ‘Como se tornar o pior aluno da escola’, sob pena de cobrança de multa de R$ 50 mil”.

E termina mencionando o que considera ser “ápice do ridículo” do panaca da Justiça.

“Em despacho publicado no Diário Oficial da União, ele concedeu a Medalha do Mérito Indigenista ao presidente Bolsonaro ‘como reconhecimento pelos serviços relevantes em caráter altruísticos, relacionados com o bem-estar, a proteção e a defesa das comunidades indígenas’. Isso mesmo. O presidente que promove a maior destruição de áreas indígenas, permite ataques seguidos a essas comunidades por parte de criminosos, resiste em garantir seu acesso à saúde, é homenageado por Anderson Torres pelos ‘serviços relevantes’. Faria sentido se ele se referisse a serviços prestados aos garimpeiros”.

“Tomado pelo espírito do general que comandou o Ministério da Saúde, Torres não está nem aí para os parâmetros republicanos. Incompetente para administrar a Polícia Federal e obediente às ordens absurdas de Bolsonaro, ele segue em frente. O novo Pazuello da Justiça não se incomoda em ser coadjuvante de um presidente que age como Napoleão de hospício e condecora a si mesmo. Não se sabe o que é mais lamentável: o chefe ou seu vassalo”, conclui Chico Alves.





4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

RiaJ Otim

22 de junho de 2022 às 13h34

as pessoas por ter cargo não pode esquecer de proteger os seus amigos. A amizade é eterne e essas coisas são passageiras

Responder

Zé Maria

22 de junho de 2022 às 10h18

https://pbs.twimg.com/media/FV2wCmCWIAgvvrf?format=png
https://pbs.twimg.com/media/FV2oz-pXoAEOaW0?format=jpg

Excerto

“O novo Pazuello da Justiça [Torres] não se incomoda em ser coadjuvante
de um presidente que age como Napoleão de hospício e condecora a si mesmo.
Não se sabe o que é mais lamentável: o chefe ou seu vassalo”
conclui Chico Alves.

https://pbs.twimg.com/media/FV2uAXPXoAYg8zG?format=jpg
https://twitter.com/i/status/1539580004585148424
https://twitter.com/_Lula13/status/1539585409637908480

https://static.poder360.com.br/2022/06/pd-intencao-presidente-21-jun-2022-1-01-1151×2048.png
Um Energúmeno Genocida vai surtar hoje
https://static.poder360.com.br/2022/06/pd-intencao-presidente-21-jun-2022-1-02-1045×2048.png

Nunca mais vote nesses 25 Canalhas Bolsonaristas de Curitiba:
https://s2.glbimg.com/zNw7GJyIm5vNFGKinIQHfZrafKo=/0x0:1267×755/984×0/smart/filters:strip_icc()/i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2022/C/J/Z8imEhRdy0cTjmZ0G1ng/capturar.jpg

Responder

Zé Maria

22 de junho de 2022 às 03h48

O Torres, o Boneco Bolsonarista, enviou um Ofício – em tom de Ameaça
à Justiça Eleitoral – notificando o TSE de que vai mandar a Polícia Federal fazer Apuração Paralela na Eleição de Outubro.
Uma Proposital Ofensa Intimidatória.

Segundo Matéria Jornalística da Revista Fórum, “o ministro da Justiça, Anderson Torres, colocou a Polícia Federal (PF) a serviço das aspirações eleitoreiras de Jair Bolsonaro (PL) e em comunicado à corte eleitoral
disse que a corporação vai atuar na fiscalização das eleições de outubro
com ‘desenvolvimento de programas próprios de verificação’.

“O Ministério da Justiça e Segurança Pública, por intermédio da
Polícia Federal, com esteio no art. 6º, VII, da Resolução nº 23.673/2021 (TSE),
participará de todas as etapas do processo de fiscalização e auditoria atinentes ao sistema eletrônico de votação coordenado pelo Tribunal Superior Eleitoral”, diz o ofício de Torres enviado ao TSE reforçando
a intenção de Bolsonaro de se fazer uma apuração paralela das eleições
presidenciais.

O documento diz ainda que a PF atuará “em todas as fases” do “processo de fiscalização e auditoria”, incluindo os “sistemas e programas computacionais eleitorais empregados no escrutínio”.

A carta, em tom de ameaça, afirma que a participação da PF tem o objetivo de “resguardar o Estado democrático de Direito”.

https://revistaforum.com.br/politica/2022/6/21/ministro-coloca-pf-servio-de-bolsonaro-ameaa-tse-com-programas-proprios-de-verificao-119027.html

Responder

Zé Maria

22 de junho de 2022 às 02h37

Esse Torres é um Puxa-Saco do Bolsonaro da Última Laia [Banda Podre da PF].

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding