Altamiro Borges: Foragido da Justiça, homem bomba de Damares pega 6 anos de prisão;

Tempo de leitura: 3 min
Wellington Macedo ao lado de Damares Alves, ex-ministra e hoje senadora eleita, durante o período em que foi assessor no Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos

Homem bomba de Damares pega 6 anos de prisão

Por Altamiro Borges, em seu blog

A Justiça do Distrito Federal condenou na semana passada o blogueiro Wellington Macedo de Souza a seis anos de prisão por tentar explodir uma bomba em um caminhão de combustíveis perto do Aeroporto Internacional de Brasília na véspera do Natal de 2022.

Mas o terrorista, que prestou serviço no Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos na gestão de Damares Alves, está foragido no Paraguai e segue aprontando das suas.

Na terça-feira passada (15), ele tentou se credenciar para a posse do presidente Santiago Peña, em Assunção, na solenidade oficial que teve a presença de Lula.

Segundo reportagem da Folha, “o bolsonarista fez o pedido pela internet seis dias antes da cerimônia, como jornalista independente, pelo El Pueblo Podcast. O governo paraguaio, porém, não entregou a credencial após realizar os procedimentos de segurança e revisar os antecedentes criminais dos solicitantes junto ao governo brasileiro”.

O TERRORISTA PRESTOU SERVIÇOS NO MINISTÉRIO

Wellington Macedo está foragido desde a tentativa de explosão da bomba em 24 de dezembro. Após romper a sua tornozeleira eletrônica, ele agora ressurgiu no Paraguai.

“Até o fim de abril deste ano, o freelancer estava escondido na fazenda de um produtor rural que conheceu no acampamento golpista montado em frente ao quartel-general do Exército na capital federal, após a vitória de Lula nas urnas. ‘Estou bem isolado, estou longe’, disse na ocasião, por telefone, em entrevista à Folha”.

O jornal ainda lembra que o blogueiro de extrema-direita “ocupou um cargo no governo Jair Bolsonaro (PL), atuando como assessor da então ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e hoje senadora Damares Alves (Republicanos-DF), de fevereiro a dezembro de 2019, com um salário bruto de R$ 10.373. Dois anos depois, em 2021, ele foi preso por determinação do ministro Alexandre de Moraes (STF), sob a acusação de incentivar atos antidemocráticos naquele 7 de Setembro”.

“Ele deixou a prisão 42 dias depois e passou a ser monitorado por tornozeleira eletrônica, inclusive quando se candidatou a deputado federal pelo PTB de São Paulo em 2022, adotando o slogan de ‘preso político’ – ele teve apenas 1.118 votos. Na véspera do Natal, ele dirigiu o carro que transportou a bomba do acampamento bolsonarista até o aeroporto de Brasília, segundo investigações da Polícia Civil do Distrito Federal… O artefato foi preparado pelo empresário George Washington de Oliveira e colocado em um caminhão pelo também bolsonarista Alan Diego dos Santos e Sousa. Os três se tornaram réus em janeiro, após o Tribunal de Justiça do DF aceitar a denúncia do Ministério Público, e apenas Wellington Macedo segue foragido”.

O objetivo dos terroristas, segundo confissão do empresário George Washington, era “dar início ao caos” que levaria à “decretação do estado de sítio no país” e à “intervenção das Forças Armadas”.

O plano não deu certo e os três criminosos respondem na Justiça pelo crime de explosão, caracterizado por “expor a perigo a vida, a integridade física ou o patrimônio de outrem, mediante explosão, arremesso ou simples colocação de engenho de dinamite ou de substância de efeitos análogos”.

A pena prevista é de três a seis anos de prisão e multa.

SENADORA NEGA LIGAÇÕES COM O TERRORISTA

Quando o terrorista foi identificado pela polícia, a senadora Damares Alves negou qualquer ligação com o sujeito com que mantinha tantas afinidades ideológicas.

“Esclareço que o senhor Wellington Macedo, investigado no caso de tentativa de ato violento em Brasília-DF, prestou serviços no Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos entre janeiro e outubro de 2019, quando foi exonerado do cargo… O referido jornalista não era meu assessor direto. Trabalhou na área de comunicação da Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente que, inclusive, funcionava em prédio diferente do Gabinete Ministerial”, postou a ex-ministra em janeiro passado.

Irritada, ela ainda prosseguiu: “Repudio todas as tentativas levianas de associar a minha imagem às ações dele e/ou do grupo ao qual faz parte. Que todas as denúncias sejam devidamente apuradas e que os culpados por atos ilegais sejam processados e julgados, nos termos da lei. Sempre fui uma defensora da democracia. Condeno atos de vandalismo, depredação do patrimônio público e de violência que coloque em risco a vida humana ou a sua integridade física”.

Ninguém botou muita fé na incisiva declaração da religiosa senadora!

Leia também:

Altamiro Borges: Cadê o avião com 290 kg de maconha do tio de Damares que sumiu da mídia?

CPMI dos Atos Golpistas quebra sigilos de Carla Zambelli e reconvoca Mauro Cid


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Zé Maria

“Gente, Bolsonaro foi hospitalizado e o CID é Z76.5”

https://twitter.com/DrBrunoGino/status/1694331394988626132

https://telemedicinamorsch.com.br/blog/cid-z765

Zé Maria

.

A Chinelagem Bolsonarista Presa e os Mentores do Golpe

ocupando cargos no Exército e no Congresso NaZional.

.

Deixe seu comentário

Leia também