A queda nos juros e o choro livre

Tempo de leitura: 3 min

31/08/2011 – 20h46
Juros caem pela 1ª vez no governo Dilma e vão a 12%

Do UOL Economia, em São Paulo

O Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, decidiu nesta quarta-feira (31) cortar a taxa básica de juros (a Selic) em 0,5 ponto percentual, indo de 12,5% para 12% ao ano. Depois de cinco altas seguidas, esta é a primeira vez no governo Dilma, iniciado em janeiro deste ano, em que a taxa é reduzida. De qualquer forma, ela continua sendo a maior desde janeiro de 2009, quando era de 12,75%.

Analistas esperavam uma parada na alta dos juros, mas uma queda de 0,5 ponto surpreendeu. A Selic é usada pelo BC para tentar controlar o consumo e a inflação. O Copom ficou dividido: foram cinco votos pela redução e dois pela manutenção da taxa em 12,5%.

Em nota distribuída após a reunião, o Copom diz que houve queda nas projeções de crescimento da economia global, o que permitiu reduzir a taxa de juros. “Reavaliando o cenário internacional, o Copom considera que houve substancial deterioração, consubstanciada, por exemplo, em reduções generalizadas e de grande magnitude nas projeções de crescimento para os principais blocos econômicos”, diz a nota.

Na segunda-feira, o governo anunciou economia extra de R$ 10 bilhões para enfrentar a crise e esperava uma redução dos juros. A economia adicional significa aumento da meta do superavit primário do governo federal, de R$ 81,7 bilhões para R$ 91,7 bilhões. Superavit primário é quanto o governo consegue economizar para pagar sua dívida.

Entre outras coisas, o governo pretendia que os juros caíssem. O ministro Guido Mantega (Fazenda) disse que o aumento da economia também permitirá que os juros caiam. “Abre espaço para queda da taxa de juros,  quando o Banco Central entender que é possível.”

Esta foi a sexta reunião do Copom sob o mandato da presidente Dilma Rousseff e com o BC sob o comando de Alexandre Tombini.

Nas cinco reuniões anteriores, o comitê decidiu elevar a taxa. Nas duas primeiras, a alta foi de 0,5 ponto percentual. Em outras três posteriores, o aumento foi de 0,25 ponto percentual.

No início do governo Dilma, a Selic estava em 10,75% e agora registra 12% ao ano. O próximo encontro do Copom será nos dias 18 e 19 de outubro.

Entenda a relação entre juros e inflação

A alta de preços ocorre quando há muita procura por produtos e menos quantidade para atender a essa necessidade.

A elevação dos juros é o principal método utilizado para o BC para perseguir o centro da meta de inflação, medida pelo índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que é de 4,5% para este ano.

A meta pode ter variação de dois pontos percentuais para cima ou para baixo, ou seja, a inflação poderia ir de 2,5% a 6,5%.

Nos últimos 12 meses, até julho, a inflação acumula alta de 6,87%, a maior taxa desde junho de 2005, e ficou, portanto, acima do limite máximo da meta do governo (os 6,5%).

O governo vem adotando medidas para desestimular o consumo: aumentou o valor do pagamento mínimo da fatura do cartão de crédito; elevou o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) sobre gastos no cartão de crédito fora do país e sobre captações de recursos no exterior; tornou obrigatório uma entrada de pelo menos 20% nos financiamentos entre 24 e 36 meses para carros novos ou usados.

Outra forma de frear o consumo é por meio da Selic, a taxa básica de juros. Ela é usada como base, por exemplo, para os juros cobrados quando se parcela uma compra ou se pede dinheiro emprestado no banco.

Se os juros básicos aumentam, as lojas fazem o mesmo com o crediário. Com juros altos, as prestações ficam mais caras e as pessoas compram menos, o que restringe o aumento dos preços.

No caso de redução dos juros, o receio do governo é que haja muitas compras e as indústrias não consigam produzir o suficiente.

Quando isso acontece, há falta de produtos no mercado, e os que existem ficam mais caros -é a chamada lei da oferta e da procura.

Juros altos são bons para algumas aplicações

Um aspecto positivo dos juros altos é que eles remuneram melhor as aplicações financeiras. Isso é bom para os investidores brasileiros e também para os estrangeiros que procuram o país.

Quando alguém investe em fundos ou títulos públicos, por exemplo, recebe um rendimento mensal maior se os juros estiverem mais altos.

Por outro lado, os juros altos prejudicam as empresas, que ficam mais receosas de tomar empréstimos para investir em expansão.

Por isso os empresários reclamam dos juros altos. Nesse cenário, também se torna mais difícil a criação de empregos.

O Copom foi instituído em junho de 1996 para estabelecer as diretrizes da política monetária e definir a taxa de juros.

(Com informações da Reuters)

PS do Viomundo: Obviamente que o Estadão chora copiosamente, hoje, em todas as páginas.

Leia também:

Financial Times: Brasil tira proveito do sucesso em meio à “insanidade” global

Paulo Kliass: A urgência do controle de capitais externos

Paul Krugman: O fracasso da austeridade

Maringoni: Um novo pacto de classes?

O governo Dilma diante de dois choques externos

Os super-ricos e os paraísos fiscais

Uma economia viciada em juros elevados?

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

geraldo prim

Achei muito ruim a queda dos juros da selic para o paiz engessado no esquema politico atual O raciocinio é simples e facilmente entendivel por qualquer brasileiro. Não existe qualquer dúvida que o Estado do jeito que está, arrecada, ou melhor retira da iniciativa privada uma fortuna cada vez maior e gastando mal e ineficientemente. A unica forma de parte desses valores voltarem para a iniciativa privada é aquela que o governo paga de juros na taxa selic por seus emprestimos para continuar com a farra da ma gastança improdutiva do governo, dinheirama essa que será melhor utilizada em investimentos produtivos feitos pela iniciativa privada. Então o Governo pergunta: desse jeito não se precisa de governo. A resposta é clara: do jeito que o estado esta constituido é melhor começar tudo de novo. Do jeito que está não vemos solução.

Gerson Carneiro

Seu… seu… filho de um carteiro!

[youtube EKzdAiBCCGE http://www.youtube.com/watch?v=EKzdAiBCCGE youtube]

Gerson Carneiro

Nem tudo é choro. Desempregado, faz de tudo por uma boquinha.

"São 10h10, ele ainda está dormindo RT @joseserra_ Achei a decisão do Banco Central de diminuir os juros em 0.5 ponto percentual correta" @joseserra_

Também, são 10h10 da manhã. Ele com certeza ainda está dormindo. Sonâmbulo.

Vinicius Bandeira

A Miriam Leitão e o Sardenbergue estão desesperados:

1) Porque erraram feio
2) Porque são porta vozes do mercado
3) Porque criticam tudo que o governo faz
4) Porque são porta vozes da oposição

    rodrigo.aft

    5) Porque são marionetes, bocas de aluguel do mercado e da empresa em que trabalham

    e a resposta correta seria:

    6) T.D.A. (todas as anteriores) (rsrs)

Gerson Carneiro

Somente Mr Botox se empolga com a Veja.

"A reducao da taxa Selic desviou o foco ontem em Brasilia. Mas sera que todos estao tranquilos a espera das revistas do final de semana?" @alvarodias_

É Mr Botox, senta e chora.

FrancoAtirador

.
.
O efeito-manada contra a redução da Selic

Por Luis Nassif

A maioria dos analistas ouvidos que critica do Banco Central após a decisão do Copom move-se exclusivamente pelo efeito manda, relação Selic-inflação.

Não há sofisticação em suas análises, não há diversidade de ângulos, não há visões complexas da economia, há total incapacidade de incluir qualquer variável adicional, especialmente as essenciais.

A única coisa que sabem é pegar a correlação Selic-juros – que alguém montou – e repeti-las indefinidamente com o ar sábio de uma coruja.

E bater na tecla de que a redução da Selic afeta a credibilidade do Banco Central.

Esse é o poder maior e mais nefasto da cobertura financeira, a de induzir economistas sem fôlego a acompanhar o efeito-manada, visando aproximar sua opinião daquilo que considera consenso midiático.

A razão é simples: se repetir o que os jornais dizem, seu CEO (ou seu editor) não irá contestá-lo; se ousar mostrar o rei nu, terá que dispor de conhecimento mais aprofundado para se explicar.

Amanhã, quando todas as previsões derem errado – como ocorreu nas desvalorizações de 1999, 2002, como ocorreu na crise de 2008 – terão o conforto de terem errado com a maioria.

Íntegra em:

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-efeito

SILOÉ-RJ

Porquê estão culpando a DILMA pela queda da taxa selic???
A culpa não foi do Paulinho da Força Sindical ???
Eu vi pela tv, ele, meia dúzia de gatos pingados e mais 50 sardinhas, dizendo que iria influenciar os analistas com o mal cheiro. Acho que todos ficaram enebriados e daí aprovaram!!!
Pelo que se percebe, o PIG e a OPOSIÇÃO estão desesperados com a equipe do governo com mais essa bola dentro.
DÁ – LHE DILMA!!! DÁ – LHE MANTEGA!!! DÁ – LHE TOMBINE!!!!

Márcio Gaspar

"O Copom ficou dividido: foram cinco votos pela redução e dois pela manutenção da taxa em 12,5%." Depois desta eu vou dormir. kkkk. O jogo ficou equilibrado com a vitória para reducao, venceu por 5 x 2, mas foi equilibrado.kkkk

    Sergio

    Eu li isso no O GLOBO. Nunca vi 5 x 2 ser um exemplo de divisão, mais de 70% votaram pela redução e a reportagem diz que o COPOM ficou dividido…kkkk

Porra_Serra_

Vídeo dos líderes do PSDB e DEM criticando o corte de juros. http://www.youtube.com/watch?v=56Ok0rX_BUg

jaime

O maior perigo dessa baixa de juros é a sinalização de que existe a possibilidade de que a dívida seja paga, e isso significa a frustração do grande objetivo que é ter o país inteiro na mão. Imagine o potencial de extorsão numa situação dessas! (vide a realidade atual da Europa). Não é nem tanto o valor dos juros em si, não é a quantidade de dinheiro, que a partir de certo ponto perde o significado, mas o poder de conduzir a política inteira do país, sem o menor risco, por "controle remoto", como eminência parda – quem paga a orquestra escolhe a música – é disso que se trata. O veio dessa mina pode estar secando! O governo pode estar querendo assumir a maior parte do capital nessa sociedade e estar querendo se tornar o efetivo "proprietário" do Brasil.

Rafael

Fico imaginando se pudesse saber quem ganha com juros alto e como influencia a decisão de aumentá-lo, queria também saber como pagam esses comentaristas para perssionar o governo e principalmente quanto pagam.

Gerson Carneiro

PSDB e DEMOCRATAS choram no colo do William Bonner querendo juros mais altos. Vá entender!

EUNAOSABIA

Dilma alegou hoje em sua defesa, de maneira quase desesperada a fim de não passar a impressão de que mandou o BC baixar os juros na marra, uma criação de factóide político, (quer afirmar que quem manda é ela mesmo, como se fosse preciso, quando se chega a esse ponto, está mais do que claro que já perdeu as rédeas do governo), mas pois bem, em um ato desesperado a fim de justificar essa batatada do Banco Central, Dilma declarou que: "O Banco Central do meu governo é o mesmo do governo anterior, que é o mesmo do governo anterior a ele – governo FHC""… até a Dilma diz o que eu venho dizendo sempre, o governo de Lula e o dela mesmo não passam é de uma medíocre e piorada cópia pirata do governo de Fernando Henrique.

Ou eu tô errado?

""eu vou mudar tudo isso que está aí… bla bla bla"""….. mas em quanto tempo rapaz??? quantas vidas vais ter que viver para mudar ..""""tudo isso que está aí????"""

    Marcio H Silva

    Tá errado, porque o Governo FHC é cópia fiel do governo Itamar, e vossa senhoria, em nenhum momento cita o nome deste ex-presidente. Este mesmo ex-presidente que peitou a entrega da cemig e trouxe de volta para o controle do governo de MG.

    SILOÉ-RJ

    Nada vai mudar, se você não tirar a vendas dos olhos.

    Gerson Pompeu

    Não sabia, não sabe e, pelo andar da carruagem, vai continuar sem saber.

    Sergio

    TROLL, VOCENÃOSABIA que o LULA seria um presidente MUITO MELHOR e mais POPULAR que o FHC ??? VOCENAOSABIA que o BRASIL sob o comando de LULA, cresceria como cresceu, em seus 8 anos de governo ?? NAOSABIA que contrariando as previsões TUCANAS, LULA foi muito mais inteligente do que seriam FHC e SERRA diante da CRISE de 2008 ???
    Coitado de você, pois é um reflexo do que é o pensamento TUCANO e DEMOniado. NÂO SABEM de nada e continuam na contramão da historia.

GilTeixeira

Não assisto a 'grobo' desde o debate editado do Lula e collor, a 'óia' desde meados do governo collor. a 'faia' desde 98. A cbn deixei de ouvir em meados de 2005 e posso me lembrar das várias vezes em que o sademberg e a pigão reclamaram dos juros estratosféricos do Brasil, aliás se cada vez que a dupla vaticinou a quebra do Brasil ou o estouro da inflação houvesse acontecido estariamos em disputa com a Somália ou Burundi. pra mim a credibilidade de um 'analista' econômico é a mesma do horóscopo: não leio, não ouço nem acredito!

    FrancoAtirador

    .
    .
    O problema, Gil, é que os membros do COPOM leem, ouvem e acreditam.
    .
    .

Luciano Prado

Miriam Leitão acaba de dar entrada no Copador. Cortou os pulsos. Sardenberg foi visto pulando do 13º andar do seu apartamento. As notícias não são boas. Parece que ambos vão sobreviver.

EUNAOSABIA

O PIG (Partido da Imprensa Governista) adora uma jabuticaba.

A alegria desses incautos vai durar pouco… é muito bla bla bla e muito gogó, competência mesmo é ZERO.

Inventariam uma nova modalidade de baixar juros, na MARRETA…

Alguns bobalhones ainda aplaudem… vamos ver…

Rafael

Fica muito evidente que a globo torce contra o Brasil. Sem falar na questão dos juros, ontém no site de três notícias sobre o orçamento para 2012 a única se é que pode conssiderar negativa eles destacaram que era redução do valor para minha casa minha vida, as outras duas, uma delas sobre aumento de investimento fico bem pequena e sem destaque.Tá ficando cada vez mais na cara, antes tentavam desfarçar, mas agora nem isso mais fazem.

Fernando

essa oposição só sabe chorar!!!!!………pq não experimentam um asilo politico em Miami!!!!

Ronaldo Cananéia

O país inteiro gostou da baixa dos juros. Eu, empresários, sindicatos, indústria, comércio, sem falar do Governo, o mais alegre.

Mas estão todos errados. Os únicos certos são os "analistas" financeiros e seus defensores na mídia, liderados pela Leitoa.

Os bancos, principais interessados e beneficiários das altas taxas de juro estão na muda, caladinhos.

Parabéns Tombini. Parabéns Dilma, pela escolha certa.

    Luciano Prado

    A Leitoa e o Sarna de Berg estão perdendo comissão.

Luciano Prado

iG

Guilherme Barros

"CNI considera um absurdo críticas ao BC e desafia críticos a viverem no mundo real

As críticas que estão sendo feitas ao Banco Central pela redução da taxa de juros em 0,5 ponto percentual são um absurdo. É o que afirma Robson Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Segundo ele, o BC vem subindo a taxa de juros desde o início do ano com o objetivo de reduzir a inflação. “O Banco Central já subiu muito a taxa de juros e, agora, com a crise internacional, viu que já era a hora de começar um processo de redução”, diz Andrade.

Para a CNI, o BC de Alexandre Tombini está preocupado com o crescimento da economia, com a manutenção do emprego, e não só com o aspecto monetário. Andrade não acredita que tenha ocorrido interferência política na decisão pela redução da taxa de juros. “O mundo inteiro está preocupado com o crescimento, e o Brasil também não deveria abrir mão dele”, diz.

Sobre as referências à decisão do BC, o presidente da CNI desafia: “quero ver esses críticos do Banco Central viverem no mundo real da economia”."
http://colunistas.ig.com.br/guilhermebarros/2011/

CARLOS HELY

Pô eu estou no coro dos criticos, pois vou perder o poupudo juros que me sustenta todo mes nas minhas aplicações. A melhor coisa e ganhar dinheiro sem fazer nada. Isso só acontece no Brasil. Quero ver até quando essa boquinha vai durar.

Rios

Para o WSJ foi um erro cortar os juros:

Surpresa do BC nos juros pode virar gol contra do Brasil.
http://online.wsj.com/article/SB10001424053111904

Gustavo Pamplona

Vou mostrar para vocês algo interessante:
http://g1.globo.com/economia/mercados/cotacoes/#i
http://noticias.r7.com/economia/indicadores-econo

Vejam no G1 a parte chamada "Risco País", so mesmo a Globo que ainda acredita naquilo. hahahahhahaa

—-
Gustavo Eduardo Paim Pamplona – Belo Horizonte – MG
Desde Jun/2007 mostrando coisas interessantes no "Vi o Mundo"! ;-)

Rogério

Ainda puxamos a carroça dos maiores juros. Não esqueçam.

Documentário – Vida e Dívida
Mostra as táticas e manobras do FMI e Banco Mundial. http://fwd4.me/08Wv

Luciano Prado

Miriam Leitão amanhã no Bom(?) Dia Brasil: Quem inventou esse negócio de baixar os juros foi FHC.

    Marcos

    Luciano, é típico dela querer enfiar o "perdido" em tudo de bom. Além disso, ele foi o que mais subiu o juros, chegou aos 49% (pico do desgoverno FHC), e só por isto, foi o que mais abaixou (entregou em 22%).

Luciano Prado

O Srdenberg resolveu entrevistar ainda a pouco o deputado Vacarezza pela CBN. O tal jornalista de economia (Delfim Neto costuma dizer que jornalista de economia no Brasil não é uma coisa e nem outra) estava visivelmente irritado com a queda dos juros. O Vacarezza tirou um sarro do radialista. Até chamou Sardenberg de economista brilhante ou coisa que o valha, foi hilário. Sardenberg está desolado com a queda dos juros. Não será surpresa se vier a cortar os pulsos.

leandro

O povinho bobo. Como se 0,5% fosse mudar algo na vida de quem precisa. Vai amanhã nas Casas Bahia comprar o fogão em 10x e veja se o preço caiu. Use o cheque especial (só burro usa) e veja se vai pagar menos. Por isso que o pobre continua pobre e o rico cada vez mais rico, o pobre se ilude com qualquer migalha e acha o máximo, e nesse caso nem migalha é, porque não mudou nada.

    geraldo prim

    Leandro. Voçê não tem razão quando afirma que a redução da selic em 0,5% nada muda na vida de quem precisa. Muda sim, para pior. Pois reduz a quantia paga pelo estado pelos juros de seus emprestimos feitos a iniciativa privada o que representa mais dinheiro na mão do estado, perdulário, ineficiente e corrupto para continuar com essa gastança improdutiva e mantendo um estado que não cabe dentro dos recursos produzidos por nós os brasileiros que trabalhamos. Assim toda atitude do governo em aumentar a sua arrecadação, isto é tirar mais recurssos da iniciativa privada, está da contra mão do caminho melhor a seguir para mudar a vida de quem precisa.

leandro

A autonomia legal é importante porque ela formalmente separa o poder de gastar dinheiro (Executivo e Congresso) do poder de emitir dinheiro (BC)-evitando que o governo caia em tentação, especialmente em vesperas de eleição.
E porque ela isola as decisões sobre politica monetária dos embates eleitorais, afastando a suspeita de mudanças da politica monetária ao sabor do desgaste político, e assim permitindo melhor conciliar a alternância democrática com a estabilidade dos preços.
Para que a autonomia legal contribua para o fortalecimento da democracia, é importante que a "caixa preta" do BC esteja aberta: as decisões têm que ser transparentes e sujeitas a escrutínio público.

José Ruiz

"Ela é usada como base, por exemplo, para os juros cobrados quando se parcela uma compra ou se pede dinheiro emprestado no banco" essa informação não é realista, pelo menos não no Brasil, e causa muita confusão na população. A taxa selic hoje está em 12% ao ano. Com raras exceções, crédito para compra de produtos ou empréstimo de dinheiro são taxados em 12% ao mês (em torno disso), o que é uma diferença brutal. Por exemplo, em 1997 essa taxa (anual) era de 47%. Em 2003, chegou a 25% e hoje bate os 12%. Quanto caiu o juros do cheque especial neste período? E o juros do seu cartão de crédito? É só dar uma acompanhada e perceber que não há uma relação matemática entre uma coisa e outra.. Acredito que ela sirva de referência para os bancos diminuirem os juros que pagam pelo seu dinheiro (que anda extremanente baixo ultimamente), o que só faz aumentar o "spread bancário".. ou seja, a redução de 0,5% agora não significa que o crédito para você vai ficar 0,5% mais barato…

Klaus

Como um economista de esquerda e com sensibilidade social controlaria a inflação?

    ZePovinho

    Acabando com o Banco Central,que é propriedade privada dos bancos privados.Permitindo mais concorrência no setor bancário e controlando o sistema de reservas fracionárias dos bancos privados que causa muita inflação,ou seja:eles emprestam,no mínimo,9 vezes além daquilo que está depositado.Alguns deles,como nos EUA,emprestam mais de 80 vezes mais do que têm depositado.
    Procure aquele documento do Federal Reserve: "Modern Money Mechanics" e você vai entender que uma boa parte da inflação é causada pelos bancos por meio da inflação de ativos.
    Essa é a opinião de Murray Rothbard.Tem outra ala de economistas conservadores que pensa diferente.Como eu não acredito na bondade humana,fico com Rothbard e com a concorrência no setor bancário.E fico,também,com a ótima gestão que a esquerda brasileira faz do sistema econômico capitalista.
    Se vc não pode fazer a revolução,torne o povão capitalista e as próprias contradições do sistema farão a casa cair.

    EUNAOSABIA

    Sabe quando vão lhe responder isso por aqui?? pois é, você sabe.

    Gerson Carneiro

    Klaus, vou te ajudar.

    Você pode começar analisando os vídeos que coloquei no post "Vermelho: Nova classe média brasileira ainda vive em favelas e cortiços". Boa sorte.

Saulo

Jamais perderei meu tempo ouvindo esses militantes tucanos e torcedores fanáticos dos especuladores, esses sabujos da grande imprensa e da direitalha raivosa !!!!

Lucio

"Governo nega interferência no BC sobre decisão de corte dos juros"

A ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e o líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), negaram, nesta quinta-feira (1º), qualquer interferência na decisão do Banco Central de reduzir a taxa de juros em 0,50 ponto percentual. Ambos dizem que a queda aconteceu por causa da crise internacional e das medidas adotadas pelo governo brasileiro.

"O Banco Central tem total autonomia e está acompanhando a crise internacional. Os elementos da crise internacional deram condições, junto com as medidas do governo, para que se pudesse ter essa redução. O BC tomou uma medida adequada às condições da economia internacional", disse a ministra.

BC cedeu a pressões ao reduzir juros, avaliam analistas
BC reduz taxa básica de juros para 12% ao ano
Copom atribui corte nos juros a crise internacional

Para Cândido Vaccarezza, a especulações sobre a não autonomia do BC interessa aos especuladores. "Falar em falta de independência do BC é ridículo", afirmou.

A Folha mostrou hoje que a cúpula do governo atuou nos bastidores para que a taxa de juros fosse reduzida.

Segundo a Folha apurou, a presidente Dilma teve reuniões nas últimas semanas com o ministro Guido Mantega (Fazenda) e o presidente do BC, Alexandre Tombini, para discutir a conjuntura econômica e a necessidade de dar uma resposta ao risco de uma desaceleração acentuada da economia.

Ideli também disse, em visita ao Congresso, que o governo espera poder negociar durante todo o mês de setembro uma proposta alternativa para a questão dos royalties do petróleo. A votação do veto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Emenda Ibsen, que trata da distribuição dos royalties, no entanto, ainda está mantida para o dia 22 de setembro.
http://www.viomundo.com.br/politica/a-queda-nos-j

    ZePovinho

    Valeu,Lucio!!Banco Central independente é escravidão pela dívida(debt peonage).

O_Brasileiro

Os "jornalistas" da mídia golpista lutam pelos banqueiros e nós, o povo, lutamos por nós mesmos…

Cássia

Quando o BC sobe os juros os “analistas” se apressam em comentar em seus artigos e nos telejornais que a decisão está correta, pois é técnica. Quando o BC reduz os juros também se apressam para dizer que é pressão política. Afinal de contas, qual a política que o povo escolheu? E fica como sugestão para o mercado e seus “especialistas” que o choro é livre! Vejam aqui no post do Projeto Nacional: http://blogprojetonacional.com.br/quem-o-povo-esc

Morvan

Boa tarde.
No mesmo diapasão do "choro livre" o amigo (da onça) Gustavo Loyola afirma, desoladamente, que:
"Gustavo Loyola avalia que credibilidade do BC 'está em xeque'"
Elo de ligação: http://economia.ig.com.br/gustavo+loyola+avalia+que+credibilidade+do+bc+esta+em+xeque/n1597188966442.html

Mais do mesmo. Questiona a autonomia do BC (autonomia com relação a quem?) e considera imprudente a queda da TBJ.
Bom, se a credibilidade do BC está em xeque, ainda está bem melhor do que a dos Cabeças de Planilha, os quais sequer a tem.

Morvan, Usuário Linux #433640.

ZePovinho

AH!!EU TÔ MALUCO!!!!!!!!!!!!!!KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Não tem preço ver os economistas do plano real(aquele plano que explodiu a dívida pública e trocou inflação por juros escalafobéticos) como Pedro Malan,Armínio Fraga et caterva(hoje todos gestores de fundos de investimento que lucravam horrores com a alta dos juros porque uma grande parte da dívida é atrelada à SELIC) perderem dinheiro!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!KKKK!!Eles estavam nadando em dinheiro,esses canalhas,aplicando em CDB,CDI,etc.
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Fala aí,PELUDÃO!!!!!!!!!!!!

[youtube 0ZO4uEtj6H4 http://www.youtube.com/watch?v=0ZO4uEtj6H4 youtube]

    EUNAOSABIA

    Posso ajudar? tenho uma leve impressão que seu caso é no mínimo diagnosticável.

    ZePovinho

    Digite o texto aqui![youtube TqAlBZw2pdw http://www.youtube.com/watch?v=TqAlBZw2pdw youtube]

    ZePovinho

    Pode!!Balança aqui mis cojones!!!!!!!!!!!!!!

    Panambi

    O Piu-Piu deve ter gostado da tua idéia…

eunice

Chega de choradeira de banqueiros e industriais. Quando industriais ganham não dividem com a gente. Quando perdem chamam o sindicato e querem subornar, esquecendo-se de que sindicato é para o trabalhador. No tempo antigo do setor bancário a folha de pagamento era 6% do dispendio total. Com a informatização deve ser uns 2%. E continuam chiando. Estatizar tudo e deixar eles que se laskem.

Zé das Couves

Sabe, meus conhecimentos de economia são rudimentares.
No entanto, se eu fosse nomeado ministro da fazenda ou presidente do BC,creio que não teria dificuldades.
Antes de qualquer decisão, ouviria/leria os comentários de Sardemberg,Leitão, Merval, Beting e outros quetais. E então faria tudo ao contrário.
Tenho certeza de que eu seria o melhor ministro da fazenda da história da humanidade.

    Panambi

    Eu votaria em você…

    ZePovinho

    KKKKKKKKKKKK!!!!!!!!!!!!!Você está com toda a razão,meu xará Zé das Couves!!!Esses "economistas" da mídia-empresa tornam a coisa bem mais fácil:é só fazer tudo ao contrário do que eles dizem!!

julio

Os analistas e colonistas do PIG, estão desorientados, especialmente a urubóloga e o sarna-em-berg,
quando os juros sobem criticam, quando baixam como agora, chiam… Vai entender esses piguentos
vendidos e anti-nacionais.

Marcelo de Matos

Mark Weisbrot, no post “Um certo país que é refém dos banqueiros”, afirmou: “O setor financeiro é também o maior vilão por trás da sobrevalorização do real, que está prejudicando a indústria e o setor manufatureiro brasileiros. O Banco Central combate a inflação elevando o valor do real, com isso barateando as importações”. Na verdade, as importações de manufaturados não prejudicam os setores oligopolizados, como o farmacêutico, automobilístico, cimenteiro, de defensivos agrícolas, de combustíveis, de aço, alumínio, etc. Nesses ramos, como há poucos fornecedores, o preço pode ser controlado pela formação de cartéis. O problema não é dos tão decantados juros altos, nem da demonizada carga tributária, mas, do lucro excessivo de que não abrem mão esses setores.

    rodrigo.aft

    Marcelo,

    vou postar de novo um comentário desse post por vc mencionado…

    será q ninguém tem alguma versão sobre estas dúvidas?

    "duas cositas interessantes para meditar…

    1a., qual é o perfil dos "emprestadores" de dinheiro ao estado? quem são as pessoas q controlam a dívida interna? eles tem alguma característica em comum? trabalham (trabalhar não é bem o termo, pois quadrilha não trabalha, pratica apropriação indébita!) como lobby? corrompem agentes públicos? corrompem partidos?

    2a., pq ninguém comenta em diminuir a dívida interna? NINGUÉM!!!
    (não acabamos com a dívida externa? por q cargas d'água ningém cogita pagar essa (descupe a palavra) PORRA de dívida interna?

    lembra da cerimônia de beija mão aos banqueiros e investidores (ESPECULADORES) q o Lula (no 1o. mandato) teve de fazer para garantir q não iria alterar o perfil e os mecanismos da operação da dívida interna?

    e, coincidentemente, durante 2 mandatos NADA, NADINHA mudou em relação aos mecanismos da dívida interna… e pelo q vai se delineando, a Dilma tbém não vai contrariar interesses lesa-pátria…

    eu falo q isso (mercado financeiro – melhor dizendo lobby da ESPECULAÇÃO) é questão de SEGURANÇA NACIONAL e ningém acredita…

    repetindo pela enésima vez,
    POVO BOVINO, POVO FELIZ"!

    Daniel Campos

    Ninguém cogita pagar a dívida porquê ela é impagável, teria-se que desviar todos os recursos do país para isso (graças aos juros).

    Mas a principal razão é que não interessa para os credores que a dívida seja paga, porquê se ela fosse paga eles não teriam mais como ganhar juros. Dívida quitada não rende juros, então eles preferem que o devedor continue devendo e pagando juros até o fim dos tempos.

    (E é interessante notar como a cobiça deles é infinita, dado que mesmo recebendo juros extorsivos o apetite deles pede mais, mais e mais. a SELIC poderia estar em 50% que ainda assim eles e os seus "porta-vozes" como a Miriam leitão ainda iriam querer mais. Essa turma só matando)

    rodrigo.aft

    Daniel,

    e eu vou um pouco mais longe… esses parasitas lesa-pátria trabalham articulados entre si nos diferentes países, o q lhes permite aumentar drasticamente o poder de manobra e reduzir a entrada de novos "players" no jogo.

    faça um levantamento do perfil dos emprestadores (rentistas) nos países ditos "democráticos" (são chamados democráticos os países onde a eleição pode ser manobrada a partir da escolha – ou não – de quais candidatos dentro dos partidos "podem" – ou não – concorrer a algum cargo) .
    ELEIÇÃO NUNCA FOI SINÔNIMO DE DEMOCRACIA!!!

    quanto mais eu pesquiso esse assunto, mais surpresas (DESAGRADÁVEIS) eu tenho!!!
    (e concordo com vc… "Essa turma só matando"!!!)

Gerson Carneiro

"Eu choro quando eu quiser"

<img src=http://4.bp.blogspot.com/-Y2fhIpNc5xU/TaOBoN5KSmI/AAAAAAAAC6Q/ZWfzOsq9usg/s1600/Miriam_Leitao01.jpg>

"Eu também"

<img src=http://1.bp.blogspot.com/_4mcHW7wpAUM/SBtvn3-8dSI/AAAAAAAAD8U/R0YEO1fm4eo/s320/acm_neto%5B1%5D.jpg>

    Marcos

    A primeira dama da republica da roda presa! Mooorra de raiva. Este ano muita gente vai ganhar um bônus menor, já que recebem por "produtividade".

José Eduardo Camargo

Então, tá! O governo economiza numa ponta 10 bilhões mas continua pagando mais de 200 bi por ano em juros para os rentistas-parasitas. 12% ao ano continua sendo um assalto à mão armada e à luz do dia. Quando os juros baixarem, se baixarem algum dia, a patamares civilizados, algo como 3 a 4% ao ano, só aí eu e todo mundo vamos aplaudir. Até lá, o descalabro continua!

    nilda

    Que isso colega? Essa baixa COMUNISTA de 0,5% nos ameaca com a iminente chegada da iv frota ao nosso litoral! Ainda bem que temos a ONU e a OTAN para nos proteger dos desmandos terroristas desse governo!

    Bruno

    Só a Mirian para nos salvar. hehehe

    Antenor L Moreira

    Que falta de sorte, amigo! A IV frota nem está aí para os seus apelos. Muitomenos a OTAN e a ONU!
    Vai ser azarado assim no raio que o parta!

    Souza

    Discurso para rico. Enquanto isso, a classe pobre está comendo bem, viajando de avião e comprando mais para da qualidade de vida para suas famílias

    Fabio_Passos

    Pois então imagina só se acabar com toda a roubalheira dos rentistas-vagabundos?

    Aí sim é que a classe pobre vai receber o que lhe é de direito.

    Chega de tolerar esta ricaiada branca do olho azul roubando a população pobre.

    Fabio_Passos

    Uma pouca vergonha.

    12% ainda é um roubo descarado.
    São ricaços parasitas-vagabundos roubando as riquezas produzidas pelo trabalhador brasileiro.

Marcelo de Matos

Sardemberg lamentou a perda da autonomia do Banco Central. O BC teria “avançado o sinal” e reduzido os juros quando a inflação ainda está alta. Até para nós ignaros, a inflação cairá. O mercado imobiliário, depois de enorme aquecimento, dá sinais de calmaria. As vendas de automóveis tendem a arrefecer. Vou citar minha própria experiência. Comprei um Palio Adventure e fiz um empréstimo de R$ 35.000 no BB. Após pagar nove prestações, estou devendo R$ 45.000 para o banco. Com o carro que comprei para minha filha ocorreu o mesmo. Como os financiamentos foram feitos em cinco anos, estarei durante esse tempo sem condições de novos gastos. Imagino que isso esteja ocorrendo com a maioria das pessoas. Chega a hora em que não dá mais para consumir, só pagar as prestações já feitas. O UOL citou as opiniões de Luiz Carlos Mendonça de Barros e Carlos Langoni. Para esses analistas, também, a autonomia do BC está ameaçada. Todo esse frufru não faz o menor sentido. O BC agiu de forma independente, prevendo a queda da inflação futura.

    Bonifa

    Sardemberg não deixa de ter razão. É óbvio que o BC avançou o sinal. Aliás, desconheceu solenemente o sinal que lhe foi passado pelo setor financeiro. O sinal dizia com clareza: "Não baixe os juros!" E o BC desprezou este "recado".

Julio Silveira

Essas organizações que torcem para juros altos, devem fazê-lo por que do jeito que a coisas tem andado para eles a melhor alternativa que encontram para ganhar dinheiro é no mercado financeiro.
Por que vamos falar sério esse negócio de juro alto é um tiro contra quem trabalha para ganhar dinheiro. Juro, foi a forma encontrada pelos parasitas para explorarem os desiquilíbrios econômicos encontrados na falta de habilidade da gestão de recursos de quem produz. Juro alto enfraquece a mão de obra quando retira o consumidor do mercado, e produz um desiquilíbrio na relação capital-trabalho. Torna o capital o centro do poder e cria a bola de neve da desvalorização profissional e a sua vulnerabilidade.

nilda

Só o Estadão não, a Miriam Leitoa está desolée, o Sarda está em deprê, e todos os analistas DE PROGRAMA do mercado estão em depressão profunda, porque bom mesmo é a manutencão da bolsa banqueiro/rentistas que eles defendem até a morte e o povo que se lasque porque uma coisa é imutável : ELES são ladrões do berco ao túmulo.

    Felipe

    Gostei do "analistas DE PROGRAMA". Diz tudo…

    FrancoAtirador

    .
    .
    "DE PROGRAMA"

    Nos sentidos literal e figurativo.
    .
    .

Luciano Prado

A Miriam Leitão e o Sardenberg estão desolados. Acham a queda da selic uma afronta. Juram de pés juntos que não estão defendendo nenhum grande especulador. E que não são da turma do quanto pior melhor. Eles afirmam amar o Brasil. A Miriam Leitão e o Sardenberg.

Já o Delfim Neto afirma que “o jornalismo de Economia no Brasil não é uma coisa nem outra”.

    Bonifa

    Agora deram prá isso. A começar por FHC. Observaram que evitavam até pronunciar a palavra "Brasil" e que nada faziam que transparecesse apreço algum pelo país. E agora deram de jurar em cada esquina que amam o Brasil.

    Clóvis

    E quando diziam….proferiam BRAZIL !!

    Roberto Locatelli

    Até a FIESP se uniu à CUT para aprovar a queda dos juros, mesmo dizendo que ainda é pouco. Enquanto, isso, Sardenberg e Miriam criticando o BC e dizendo que "não é hora" de reduzir juros!!

    Estou cada vez mais convicto de que o PIG (Globo, Folha, Veja e Estadão) representa apenas e tão-somente os banqueiros e especuladores.

    Luciano Prado

    Sardenberg e Miriam estão defendendo gente que não finca um prego numa barra de sabão. Gente que não trabalha e vive de renda das aplicações financeiras.

    Para que a taxa permaneça alta esses rentistas aterrorizam com o papo da alta da inflação e em contrapartida pagam comissões aos tais jornalistas econômicos para que pressionem pela permanência da alta dos juros.

    Sardenberg e Miriam certamente estão perdendo comissão.

jackson

O melhor é a parte "O Copom ficou dividido: foram cinco votos pela redução e dois pela manutenção da taxa em 12,5%."

Marcelo de Matos

Não é só o Estadão que está chorando copiosamente. O texto afirma: “Um aspecto positivo dos juros altos é que eles remuneram melhor as aplicações financeiras. Isso é bom para os investidores brasileiros e também para os estrangeiros que procuram o país”. Como é praxe por aqui as empresas investirem 50% na indústria e 50% no mercado financeiro (pelo menos é o que fazem nossos grandes bancos, como Bradesco e Itaú), não há razão para tanto choro. Os empresários quando perdem na indústria ganham nas aplicações. Quem não tem como ganhar é o consumidor. Eu mesmo estou injuriado porque só fico nas perdas. Comprei uma TV Sansung 40 polegadas, LCD, que após 13 meses (assim que venceu a garantia) deu problemas. Liguei para as autorizadas e todas pediam que eu levasse a TV para conserto. Acabei mandando para uma oficina não autorizada que se propôs a retirar a TV. Disseram que o problema era do “painel” e, portanto, o conserto seria inviável por ficar muito caro. Só estou no prejuízo: sem TV e sem internet porque o Ajato está pior que teco-teco.

FrancoAtirador

.
.
Apesar de ser um leitor assíduo da Veja, da Época, da Folha, do Estadão e d'O Globo,

eu estou começando a desconfiar de que os analistas, especialistas, consultores

e até mesmo os nobres empresários donos desses conceituados jornais e revistas,

que sempre colaboraram pelo aprimoramento da democracia do nosso querido país,

FAZEM PARTE DO GRUPO DE ESPECULADORES QUE USURPAM O BRASIL.
.
.

    Antenor l Moreira

    Parabéns, amigo! Eu também fui cego. Mas deixei de ler a revista óia e passei a enxergar tudo claramente!
    Faça o mesmo e boa sorte!

zé ninguém

OH, CÉUS!!
Os especuladores e bencos deixarão de lucrar 0,5%?
Deixarei de ser roubado em 0,5%? que maravilha! Um golpe mortal no câncer especulativo que destruia o potencial deste gigante adormecido chamado Brasil!!

Yes we créu !!!

Mas ainda tem alguem que acredita que a nossa inflacao deve ser controlada pela alta dos juros?

Eu achava que so os banqueiros acredita$$em nesse conto de fadas.

    FrancoAtirador

    .
    .
    Ora, meu caro Glauber, que pergunta!

    Como é que não vai ter, se ainda tem gente que acredita

    NA FOLHA-SHIT, NO GLOBO-CRAP E NA VEJA-MERDA.
    .
    .

Ergmon Pratoi

É um primeiro passo. Espero que baixe mais.

Vantagens da queda dos juros:

– Aumenta o consumo

– As empresas podem financiar seus negócios mais facilmente, pagando menos juros ao banco

– Menos capital especulativo é atraído para o Brasil, aliviando um pouco a sobrevalorização artificial da nossa moeda, o que melhora as nossas exportações, e diminui as importações (favorecendo a indústria nacional).

– O governo paga menos juros relativos aos títulos da dívida pública indexados pela SELIC. Assim, sobra mais dinheiro para a Saúde e a Educação.

trombeta

Mídia + mercado financeiro= desgraça.

Marcio

Qual o ganho PARA O PAÍS, quando os rentistas são beneficiados? Ao contrário, juros baixos induzem esses investimentos a procurar a bolsa, gerando capitalização das empresas e maior investimento na produção. Resultado disso é que aumenta a oferta, reduzindo preços, e reduzindo ainda mais as taxas de juros. Quanto aos investidores extrangeiros, devemos separar os investimentos produtivos dos especulativos. E por fim, aumento dos juros significa aumento da dívida do país, que é paga POR TODOS. Importante notar que o lucro dos rentistas advém dos impostos pagos por todos, inclusive das classes menos favorecidas. É o efeito Robin Hood ao contrário.

Rasec

Ver as páginas do Estadão chorando não tem preço!!!!

EUNAOSABIA

Querem que eu diga uma coisa??? o Lula pode ser tudo na vida, menos uma: "burro".

Sabe quando o Lula criaria uma jabuticaba dessas??? Nunca….

Lula chamou Meireles e Palocci e mandou colocar o Brasil no piloto automático de Malan e Armínio, todo mundo sabe disso….

O Banco Central de Lula era o mesmo de Fernando Henrique, todo mundo chiava, mas Lula jamais ousou interferir em sua autonomia.

Querem baixar juros??? criem condições para isso, reduzam os gastos públicos e tornem o estado brasileiro menos dependente da poupança externa, qualquer coisa diferente disso é tiro no pé, e ele já foi dado.

    Bonifa

    Parece que vai no rumo, mas está errada de origem sua análise, Eunaosabia. Não dá para explicar a todo momento.

    ZePovinho

    Digite o texto aqui![youtube eVpxoWg3NJo http://www.youtube.com/watch?v=eVpxoWg3NJo youtube]

    Carlos Eduardo Luz

    Este comentário faz jus ao nome que vc. escolheu … EUNAO?

    Vinicius

    Bom, qual era mesmo a taxa Selic no Governo do Farol de Alexandria? Mais de 20%? Assim fica fácil controlar a inflação, não é mesmo? Isso porque esta, na média dos 8 anos áureos do "príncipe", era de 9%. Quanto é hoje mesmo? 6,8%?

    Ah, antes que eu esqueça: EUNAOSABIA, por obséquio, manifeste-se sobre a liminar que suspendeu os efeitos da Lei da Dupla Porta, gostaria de saber a sua opinião sobre o assunto.

    nilda

    GENTE hoje às 21 horas no jornal da Record News entrevista com Jose Dirceu heim.

    Sergio

    Esses trolls são uns comediantes. E sofrem de aminésia seletiva. Só sabem falar que o LULA copiou o FHC. Mas se o LULA pode ter copiado alguem foi o ITAMAR, que é o PAI DO REAL. Mas o LULA não copiou, ele avançou com sua estrategia de reforçar a economia interna e valorização do NORTE e NORDESTE. Fora as medidas tomadas em 2008 para enfrentar a crise, atitude contestada por FHC, SERRA e cia. E os trolls que ficavam até o ano passado dizendo que a "bolha brasileira" iria explodir no ano seguinte. Agora vem dizer que a DILMA continua errando…. hahahahaaha. Mudem o discurso, pois para voces há mais de 9 anos o GOVERNO está errando, e só quebram a cara.

    Sergio

    Eu acho que seu nome de TROLL define bem as opiniões que voce e seus colegas de "trollagem" emitem aqui nesse blog. Voce desde 2003, NÃOSABIA e NÂOSABERÁ o que fazer para deter esse governo do PT. Desde 2003, as previsões e opiniões dos seus "mentores tucanos e demos" sobre a gestão econômica do governo LULA, foram TODAS furadas. Em 2008, vocês erraram feio, pois torceram fervorosamente para que o BRASIL afundasse, e nos anos seguintes ficaram sempre alertando para a derrocada que estava por vir. E NADA…. A DILMA foi eleita e suas previsões não passam nem perto dos resultados…Se voce NÃO SABIA e pelo visto prefere NÃO SABER, então por que não aprende com quem SABE ??????? VOCÊS NÂO QUEREM SABER ???? kkkkkkkkkkkkkkkkk

Deixe seu comentário

Leia também