VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Tática da vitimização é tão antiga quanto o Pedro Pavão
Opinião do blog

Tática da vitimização é tão antiga quanto o Pedro Pavão


14/09/2014 - 01h08

Captura de Tela 2014-09-13 às 23.38.55

Ilustração extraída da internet, aqui.

Captura de Tela 2014-09-13 às 23.41.44

Ilustração extraída da internet, aqui.

image319

Ilustração extraída da internet, aqui.

cancer

Capa da revista Época, extraída daqui.

rainha

Ilustração extraída da internet, acompanhada do seguinte comentário: “Os brasileiros que a criticam têm o direito de fazê-lo, uma vez que este não é um país de pensamento único (bem que os petralhas gostariam), ainda não tem dono e é uma democracia pluralista”.

Captura de Tela 2014-09-13 às 23.53.56

Ilustração extraída da internet, aqui.

vadias

Do blog do Josias de Souza, na Folha, criticado aqui.

Captura de Tela 2014-09-14 às 00.10.17

do blog de Josias de Souza, na Folha.

fichafalsa_dilma

Capa da Folha de S. Paulo com ficha falsa de Dilma, durante a campanha eleitoral de 2010

por Luiz Carlos Azenha

Quando eu era um jovem repórter, da TV Bauru, no interior de São Paulo, acompanhei uma situação sui generis em período eleitoral. Vivíamos, ainda, sob a ditadura militar. O candidato do PDS, herdeiro da Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de sustentação do regime, corria sério risco de perder em uma cidade vizinha a Bauru. Se não me engano, o nome dele era Pedro Pavão. O adversário, do PMDB recém-criado, herdeiro do MDB, era um jovem político de nome Abelardo Camarinha.

Os ventos não eram favoráveis ao governismo. A panela de pressão estava por explodir e alas internas do regime militar se enfrentavam. Uma pregava, já, a abertura lenta, gradual e restrita. A linha dura resistia. Para muitos, votar no PMDB era uma forma de protesto. Às vezes independia do candidato. Eu mesmo votei em Orestes Quércia para senador!

Pois bem, na véspera da eleição Pedro Pavão apareceu todo engessado. A assessoria dele procurou a TV Bauru para denunciar que o candidato do PDS havia sido espancado por adversários políticos. Fizemos, na época, a imagem. A assessoria do candidato Camarinha nos procurou para dizer que se tratava de uma farsa, que exigia a apresentação de exames de raio xis provando que de fato o adversário tinha sido espancado.

Era, segundo eles, a velha tática da vitimização. A mesma do goleiro Rojas, que simulou ter sido atingido por um rojão no Maracanã. A mesma da “bolinha de papel”, que segundo o candidato José Serra, em 2010, pesava algo como um quilo e mereceu, no Jornal Nacional, a intervenção do perito Molina para dizer que uma imagem indefinida era, na verdade, a de um rolo de fita capaz de causar danos irreparáveis ao tucano, que depois de exames neurológicos no dia seguinte gravava programa eleitoral em São Paulo.

Curiosamente, em sua biografia, Marina Silva diz textualmente que o que mais a incomoda é a indiferença:

Entre aspas:

Tive muito medo que o Lula estivesse sendo indiferente comigo. Porque saí do governo e ele resolveu não falar comigo, quem falou foi o Gilberto Carvalho. Depois saí do PT, e ele não falou comigo, mas sim os outros companheiros do PT. Depois disso, a gente ainda não se encontrou. Fiz de tudo para que a transição fosse respeitosa, sem deixar de dizer as verdades que precisavam ser ditas para o bem da Amazônia e do próprio governo. Mas essa coisa da indiferença é muito ruim. Não só porque ela nos afeta enquanto sujeito ignorado, mas porque alguém que trata o outro com indiferença revela algo muito pequeno de sua personalidade. Mesmo estando fora do governo e do PT, penso que continuo tentando ajudá-lo (Lula).

Ao terminar essa frase, segundo a biógrafa, Marina começou a chorar.

Pois bem, agora que definitivamente NÃO é tratada com indiferença, Marina volta a chorar. Logo ela, que na mesma biografia se define como a biorana negra, a árvore amazônica em cujo tronco o machado não penetra.

É implicância minha ou acabei de apontar duas contradições da candidata?

É importante, aqui, registrar duas verdades factuais: Marina formou-se na igreja católica, morou em um convento e fez seu primeiro tratamento de saúde no hospital São Camilo, em São Paulo, graças à intervenção de dom Moacyr Grecchi, definido por Frei Betto como o “pai espiritual de Marina”. Mais tarde, por motivos pessoais sobre os quais não cabe julgamento de valor, ela encontrou a verdadeira fé no protestantismo da Assembleia de Deus, a partir do qual passou a julgar o mundo.

Da biografia de Marina:

Noutro exemplo de sabedoria ecológica tirada dessas páginas [da Bíblia], ela cita uma passagem em que o rei Davi declara que “Deus colocou sobre o sol uma tenda”. Para Marina Silva, o autor já se referia, sem saber, à camada de ozônio, milhares de anos antes de os cientistas a revelarem.

Segunda verdade factual: Marina foi do Partido Revolucionário Comunista, abrigado sob o PT, partido pelo qual, depois de abandonar o marxismo, foi vereadora, deputada estadual e senadora (por 16 anos), antes de se tornar ministra. Depois, por motivos sobre os quais não cabe julgamento de valor, transferiu-se para o PV, para a Rede e, mais recentemente, para o PSB. Persegue um sonho que, aparentemente, lhe foi negado no PT.

Tem todo o direito de fazê-lo, mas não sem se submeter às críticas da comunidade que pretende presidir.

Foi Marina Silva quem se apresentou ao eleitorado como fiadora de uma certa “nova política”, que separaria os bons dos maus e, em tese, nos levaria ao Reino do Criador a partir de sua posse. Apontar as inconsistências e as contradições de tal projeto é parte da democracia, a não ser que Marina se considere, por obra divina, uma espécie de abelha rainha, pairando sobre nós, os mortais comuns.

Ou isso, ou estamos revivendo o Pedro Pavão, desta vez em busca do Planalto.

Já que nos concentramos apenas na verdade factual, que fique registrado: diante das ofensas, críticas e observações acima demonstradas, Dilma Rousseff jamais processou jornalistas, tuiteiros e nem pediu ao Google ou ao Facebook que removessem conteúdo ofensivo a ela. Jamais chorou. Jamais se vitimizou.

PS do Viomundo: Pedro Pavão, o engessado, perdeu a eleição.

Leia também:

Petroleiros: Campanha contra a Petrobras é para entregar o pré-sal

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - A mídia descontrolada e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


54 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Jose Mario HRP

16 de setembro de 2014 às 07h47

A Fadinha chamou Lula de auxiliar!
E disse que não debate com auxiliar!
Correto sua majestade!
Como pode a Rainha Curupira aceitar que o sapo barbudo nordestino , trabalhador , fedido e feio querer dar pitaco no embate entre reis?
AVE MARINUM!!!!!!

Responder

Amaro

15 de setembro de 2014 às 19h26

A propósito, Azenha, Devemos nos preparar para uma eventual situação complicada, como por exemplo, um atentado forjado. Veja o que se encontra nesta matéria:

http://jornalggn.com.br/blog/fabio-de-oliveira-ribeiro/meditacoes-meditabundas-sobre-o-odio-implicito-no-discurso-de-marina-silva

Responder

Jesus Divino Barbosa de Souza

15 de setembro de 2014 às 16h32

Sabe pq #Lula escolheu #Dilma e não #Marina?

Ele sabia que uma tem coragem de peitar até o Obama, a outra, não aguenta nem tuite do Malafaia.

https://twitter.com/JesusDivino/status/510369297794093056

Tem mais,

Enquanto Dilma, Enfrenta ditadura, câncer, vaias, Obama, ataque do PIG 24h,

Se a coisa aperta para o lado da #Choralina, ela muda de partido e de ideia, e chora

https://twitter.com/JesusDivino/status/511458552578584577

Responder

Jesus Divino Barbosa de Souza

15 de setembro de 2014 às 16h26

Aqui em Goiás, mais precisamente na cidade de Aparecida de Goiânia, a aproximadamente 20 anos, um tal de “Valmir do Tangará” (Tangará era um clube de sua propriedade) mandou lhe dar um tiro de espingarda calibre 12, que acabou por se revelar que era apenas mais uma presepada armada pelo candidato, que acabou perdendo as eleições.

Responder

Rodrigo

15 de setembro de 2014 às 12h58

“Apontar as inconsistências e as contradições de tal projeto é parte da democracia, a não ser que Marina se considere, por obra divina, uma espécie de abelha rainha, pairando sobre nós, os mortais comuns.”

Vai tentar agora mostrar as inconsistências do atual governo petista para ver o que acontece aqui. A mesma vitimização que você acabou de apontar acomete grande parte dos usuários.

Para os petistas, Lula é o próprio Deus, que está acima de tudo e cujas atitudes são sempre acertadas. E seus arcanjos, como Dilma, Dirceu, Genoino, são santos quase tão intocáveis quanto ele. Mais fácil por a culpa no tal PIG do que admitir que falhas de carates acontecem em TODOS os partidos daqui.

Pau que dá em Chico não pode dar em Francisco na visão de muitos petistas. Menos quando se trata de campanha, pois ai vale tudo para ficar mais um tempo no comando. A campanha do medo imposta a Lula em 2002 se repete novamente hoje em cima de Marina Silva, partindo do próprio PT, quem diria. Será que falhará como em 2002?

Responder

    Carlos Henrique

    15 de setembro de 2014 às 19h25

    Cuma?

josé maria de souza

15 de setembro de 2014 às 12h35

Parabéns ao Azenha pelo post.
josé maria

Responder

Yacov

15 de setembro de 2014 às 12h23

Enquanto a Marina chora, o amigo caÊ continua procurando discos voadores no céu …

“O BRASIL PARA TODOS não passa no SISTEMA gloBBBo de SONEGAÇÃO – O que passa SISTEMA gloBBBo de SONEGAÇÃO é um braZil-Zil-Zil para TOLOS”

Responder

Yacov

15 de setembro de 2014 às 12h21

O que a ‘Bláblárina’ precisa para ser uma boa candidata a presidente é se reaproximar do POVO do qual ela se afastou completamente desde que passou a ocupar cargos políticos.

“O BRASIL PARA TODOS não passa no SISTEMA gloBBBo de SONEGAÇÃO – O que passa SISTEMA gloBBBo de SONEGAÇÃO é um braZil-Zil-Zil para TOLOS”

Responder

Brancaleone

15 de setembro de 2014 às 09h22

nooooooossssssa!!!!!!
E o PT vai perder as gordas tetas por conta de artimanhas conspiradescas engendradas pela “imprensa golpista”, pela “direita retrógrada”, pela “caserna”, pelos iluminattis, com o apoio da associação comercial de caxipó do judas e sabe-se lá mais quem ou o que

Parece difícil admitir que a Dilma vai perder pela simples SOMA DE VOTOS resultantes duma eleição democrática. Só isso. Pode ter lavagem mental, influências, grana e os escambau de bico e o diabo a quatro mas TANTO DILMA QUANTO AÉCIO QUANTO MARINA USAM DOS MESMÉRRIMOS MEIOS e aliás, a Dilma até tem e utiliza destes meios com muito mais intensidade que seus oponentes!!!

Como pode o PT depois de 12 anos de poder, grana, obras e bem feitorias ficar na situação vergonhosa de perder pruma aventureira que a um ano atrás não se elegia nem sindica de prédio?

Não caiu a ficha ainda? Qual a parte do ” tamo de saco cheio do PT” muitos ainda não entenderam?

Seja qual for o resultado desta eleição, mesmo o PT vencendo, deve-se perguntar porque afinal de contas 60% da população não quer mais PTs, Lulas ou Dilmas cuidando da nação.

60% (SESSENTA POR CENTO!!!)- Este é o percentual de brasileiros que preferem o Aéscio ou a Marina Aventureira à Dilma já manjada.

O que está tão errado assim com o PT e a Dilma ( e o Lula tambem…) para receberem este chute eleitoral?

60% (sessenta por cento!!) não é pouco. É mais da metade. Mais da metade deste País NÃO QUER MAIS O PT…

Responder

    Gilberto Marotta

    15 de setembro de 2014 às 10h11

    Deve ser por isso que TODAS as pesquisas nacionais (IBOPE, Datafolha e Vox Populi) da última década apontam o PT como partido preferido pelos brasileiros, com larga vantagem sobre os demais. Ibope 3/9/2014: PT com 17%, PSDB e PMDB com 5% e 4%, respectivamente.

    Abolicionista

    15 de setembro de 2014 às 10h12

    Que tal ler a matéria, amigo? Pelo menos vai espernear com mais propriedade.

    Léo

    15 de setembro de 2014 às 11h20

    Digamos que eles estão em uma partida que o primeiro tempo só acaba depois do dia 5 de outubro. Deve ter ciência de que até mesmo em debates “não politicos” existe essa troca de farpas.
    Você creditaria a sua vida a alguém que muda de posição e convicção do dia para noite?
    Exemplos da Marnina Silva:
    – defendo os direitos humanos, um dia depois deixou de defende-los;
    – disse reconhecer o legado de outros governos, depois da queda nas pesquisas, esqueceu;
    – era contra Lula, hoje usa seu nome para agariar votos;
    – um ano atrás disse não querer ser presidente, só queria defender seus ideiais, o que ela fez?

    Jose Mario HRP

    15 de setembro de 2014 às 12h00

    Cai fora paranaense!
    Você sempre foi contra os trabalhadores e partidos de esquerda.
    Tá na fila desde o fim patético do Boca de Suvaco em 2002!
    Só o Alex Teleginski te atura!
    Dilma Já!

FrancoAtirador

15 de setembro de 2014 às 05h08

.
.
“Ser presidente é aguentar críticas
e pressão todos os dias.
Tem que ter coluna vertebral.
Quem leva críticas para o lado pessoal
não vai ser boa presidenta
e quem se acha ‘coitadinh​@’
não pode ser Presidente da República”

DILMA VANA ROUSSEFF
Coletiva de Imprensa
14/9/2014

(http://abre.ai/quem-se-faz-de-coitadinho_nao-pode-ser-presidente)
.
.
“Um Banco Central que não tem como meta o máximo emprego,
tira comida e perspectiva da vida das pessoas”

A presidenta Dilma Rousseff voltou a falar sobre​ ​a​ ​independência do Banco Central (BC) defendida pela campanha de Marina Silva (REDE/PSB) e​ ​alertou para os riscos dessa decisão​:​

“Um Banco Central que não tem como meta o máximo emprego,
tira sim: tira comida e perspectiva da vida das pessoas”, ​
​explicou aos jornalistas durante coletiva de imprensa nesse domingo (14), no Palácio da Alvorada.

“O Banco Central para mim não é um poder.
Independência no Brasil, a Constituição deixa claro:
é Executivo, Legislativo e Judiciário.
Eu sou contra a independência do Banco Centra​l
e eu nunca escondi esse fat​o”.

Dilma ainda arrematou que o B​anco Central não pode e não deve ser o quarto poder de um país e lembrou que esse papel, no passado, pertencia ​à ​I​mprensa.

Mais uma vez, Dilma ressaltou que a campanha tem sido em cima de programa​s​ de governo e não ​de ataques pessoais, como fez Marina Silva ao falar da Petrobras.

“Alto nível é discutir proposta sim,
ninguém pode se​ ​dar por satisfeito
quando não discute proposta.
Eu, até agora, só discuti propostas.
Não tenho atacado, eu divirjo,
eu discordo da proposta.
Isso é democracia. (…)
Eu tive um momento de muita indignação
quando a candidata​ ​[Marina]
se referiu ao que​ ​teria sido feito
pelo PT, 12 anos, dentro da Petrobras”

Por fim,​ Dilma​ ​lembrou​ ​​que Marina Silva atacou o governo
do qual participou ativamente nos oito anos
em que esteve no governo ou na bancada do partido.

(http://mudamais.com/daqui-pra-melhor/dilma-sobre-independencia-do-banco-central-tira-comida-e-perspectiva)
.
.

Responder

José Souza

15 de setembro de 2014 às 04h39

A população votante, que não acompanha política, não passa de 20%. Pra mim, esse é o limite da Margarina.

Responder

Francisco

14 de setembro de 2014 às 21h48

Fico imaginando Marina escutando, diante da TV aberta de todo o planeta terra (algo em torno de seis bilhões de espectadores) o “chamego” que foi dito para Dilma, diante da filha e da neta, por um Maracanã lotado e recém reformado por ela, Dilma, a ferro e a fogo contra tudo e contra todos, justamente para o conforto das pessoas ali presentes…

“Ei, Marina, vai tomar um chá de camomila…”.

Responder

Almir

14 de setembro de 2014 às 21h16

Não quero ver meu emprego ser mastigado pelos banqueiros da Marina
Voto 13 de ponta a ponta.

Responder

Cesar Augusto M

14 de setembro de 2014 às 21h10

DILMA é a minha candidata.
A outra, a choroninha, a vítima, essa daí não tem condição.
Faz muito beicinho pro meu gosto.
Que arrume coragem, arrume força, que defenda seu programa com unhas e dentes, que convença que são seus e que tem uma lógica social.
Não aquela porcaria de programa destinado a encher mais ainda de dinheiro os bolsos banqueiros.
Coitadinha da marina minúscula

Responder

FrancoAtirador

14 de setembro de 2014 às 20h46

.
.
“Para ser Presidente é preciso aguentar a barra”

“O Presidente da República sofre pressão 24 horas por dia.
Se a pessoa não quer ser pressionada,
não quer ser criticada, não quer que falem dela,
não pode ser Presidente da República”

(Dilma Vana sobre choro de ‘MariNéca, a Coitadinha’)

13/09/2014 14:41

“É preciso segurar a barra”, diz Dilma sobre choro de Marina Silva

Candidata do PT à Presidência criticou a postura de Marina
e disse que para ser presidente é preciso segurar a pressão do cargo

Por Marcelo Portela e Suzana Inhesta, do Estadão

Dilma disse em discurso em Nova Lima,
na região metropolitana de Belo Horizonte,
onde participou de evento com movimentos negros.

NOVA LIMA (MG) – A presidente Dilma Rousseff afirmou neste sábado (13)
que não acha “pertinente” comentar o fato de sua adversária na corrida presidencial, Marina Silva (REDE/PSB), ter chorado ao comentar ataques recebidos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva,
mas salientou que “chorar é intrínseco ao ser humano”
e que “para ser presidente é preciso aguentar a barra”.

Sem citar nominalmente a candidata socialista da Rede,
Dilma fez várias críticas à Marina em discurso em Nova Lima,
na região metropolitana de Belo Horizonte,
onde participou de evento com Movimentos Negros.

“O Presidente da República sofre pressão 24 horas por dia.
Se a pessoa não quer ser pressionada,
não quer ser criticada, não quer que falem dela,
não pode ser Presidente da República”,
declarou.

A Presidente Dilma ressaltou ainda
que “o Presidente não pode mudar de posição
de cinco em cinco minutos”
nem pode “vacilar diante do twitter”,
em clara referência às mudanças de posição da adversária,
incluindo em relação ao casamento gay,
adotada após críticas no microblog
feitas por um dos principais apoiadores da socialista,
o pastor Silas Malafaia.

“Nessa eleição tem muito ódio.
Tem gente com muito ódio,
tem gente também que usa
a desinformação, a mentira.
Temos que ser calmos.
Temos que responder ao ódio
com a esperança, que é o melhor remédio
contra o ódio”, disse.
.
.
Pouco depois, em entrevista, a presidente
foi questionada sobre o choro de Marina
ao falar de críticas feitas por Lula,
mas a petista foi direta:
“não vou comentar isso. Não acho pertinente”.

Porém, emendou na sequência que
“tem hora que você olha para um bicho
e acha que ele está sofrendo.
É diferente de nós, que choramos”.

“Choramos porque nos identificamos com as coisas.
Mas acho que é mais característico nosso,
graças a Deus, é rir.
O homem é um bicho que ri.
Ri até de si mesmo”, [em velório], ironizou.

Dilma também voltou a insinuar que Marina,
cuja coordenadora de campanha é Neca Setubal,
uma das sócias do Banco Itaú,
privilegiaria o setor em um eventual governo.

“Se querem tirar os pobres
do orçamento e colocar os bancos,
nós não queremos, e não deixaremos”,
disparou.

(http://estadao.br.msn.com/ultimas-noticias/eleicoes/story.aspx?cp-documentid=265185049)
(https://pt-br.facebook.com/helena.sthephanowitz.1)
.
.

Responder

Léo

14 de setembro de 2014 às 20h42

Ela canta aos ventos que deixou de ser ministra no governo LULA, por discordar da sua política.
Agora Marina Silva virou “irmã” do Lula, quem assistiu o programa eleitoral de sábado 13-09-2014, deve ter ouvido ela dizer isso.

Se alguém faz uma pergunta difícil para Marina, ela chama de perseguição.

Ela não reconhece as benfeitorias feitas pelo governo Dilma.

Responder

Aroeira

14 de setembro de 2014 às 20h40

No Jornal do Brasil online

http://www.jb.com.br/eleicoes-2014/noticias/2014/09/14/dilma-nega-ataques-a-marina-eu-divirjo-isso-e-da-democracia/

A resposta da Dilma aos supostos ataques contra a Marina

Dilma nega ataques a Marina: “Eu divirjo. Isso é da democracia”
Jornal do Brasil

A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, negou neste domingo (14) que esteja atacando a candidata pelo PSB, Marina Silva. Dilma afirmou que diverge da adversária e que isso é normal na democracia.

“Acho que a campanha tem que ser do mais alto nível. Considero alto nível discutir proposta. Ninguém pode se dar por satisfeito por não discutir proposta. Não tenho atacado, eu divirjo. Isso é democracia. Uma eleição é onde se debate”, afirmou.

A presidente concedeu uma entrevista coletiva no Palácio da Alvorada, e afirmou que chegou a ficar indignada quando Marina disse que o PT havia colocado o ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa para “assaltar” a estatal durante 12 anos.

“Tive um momento de indignação quando a candidata se referiu ao que foi feito pelo PT na Petrobras em 12 anos. Primeiro que ela foi do PT [por] 27 anos. Dos 12, ela esteve no ministério ou na bancada do partido em oito. […] Houve um ataque que não acho que foi um ataque político. Não tenho nenhum problema em discutir o que está no programa da candidata. Não cabe a gente se vitimizar. Enquanto o debate for político e não disser respeito à honra e a características pessoais de ninguém, que se dê o debate e falem de projetos, que é da democracia”, afirmou.

A presidente voltou a dizer, como havia feito no sábado (13), que um presidente deve saber suportar críticas e “segurar a barra”.

“Se você não tiver coluna vertebral, não aguenta. Não tem coitadinho na Presidência. Se for coitadinho, não aguenta. A vida é dura”, afirmou.

A presidente também foi questionada sobre o depoimento do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa na CPI, na próxima quarta-feira. Ela disse que não tem “nenhuma expectativa” sobre o depoimento.

“Eu acho que esse é o tipo da decisão [convocar Costa para depor] que o Executivo não tem que se meter. Se foi decido que ele vai, deve ir. Não temos nenhuma expectativa com relação a isso.

Responder

Mário SF Alves

14 de setembro de 2014 às 20h11

“Recentemente, alguém disse ser “bizarro” que a esquerda petista insista em “apoiar o governo” e que sejamos “entusiastas da campanha de Dilma”.

Respondi que “no atual período histórico, quem acha possível derrotar ao mesmo tempo a direita e o PT, acaba geralmente virando linha auxiliar da direita. Sendo assim, prefiro ser acusado de bizarro”.” Valter Pomar.

_______________________________________

Parabéns, sr. Pomar.

Parabéns por ter tido a coragem de sair das narcísicas fraldas do esquerdismo.
Parabéns por solidarizar-se com os povos do Mundo.
Parabéns por enfrentar as táticas da covardia, do rancor e personalismo escomoteadas na retórica daqueles que, desiludidos e/ou ultrapassados em infantilidade política – resultado de seus arcaísmos dogmáticos e, portanto, antidialéticos – hoje se revelam frios mercadores de suas próprias histórias.
_______________________________________________

“Não vêm” tais esquerdistas que o que realmente os impede em relação ao progresso de suas teses no Brasil – que politicamente encontra-se em etapa diferente e anterior à realidade contemporânea da França – é justamente o subcapitalismo corrupto, corruptor e selvagem, que à maioria fragiliza, aliena e condiciona.

______________________________________________
O Brasil é país tão à direita, historica e ideologicamente tão à direita, que a simples exigência dos direitos e deveres constucionais é ainda hoje hipócrita e cruelmente tratada como ação de esquerda.

Responder

Márcio Joffily

14 de setembro de 2014 às 19h42

DILMAISUMAVEZ : é 13 !
13 razões para o voto crítico ou de reprovação ao 4º mandato LULOPETISTA !
1 – Manutenção da política econômica tucana: superávit primário, Lei de Responsabilidade Fiscal, Lei de Falências, autonomia do Banco Central;
2 – Aprofundamento do processo de financeirização da economia brasileira, com a destinação de 40% do orçamento federal para o rentismo;
3 – Estagnação da política de Reforma Agrária, com o baixíssimo número de assentamentos e em benefício do agronegócio;
4 – Troca da política de mobilização popular, em vigor antes da “Carta aos brasileiros” de 2002, pelo mecanismo do MENSALÃO;
5 – Aprofundamento da reforma previdenciária tucana e fator previdenciário;
6 – Capitulação ante a mídia conservadora por via da ausência de regulação das mídias;
7 – Suspensão do kit anti-homofobia, por pressão da bancada evangélica;
8 – Tentativa de criminalização dos movimentos sociais, por ocasião das movimentações de 2013 e da realização do Mundial 2014;
9 – Desinteresse quanto à revisão da Lei de Anistia;
10 – Percepção retardatária, após onze anos, quanto às péssimas condições de saúde e mobilidade social vigentes no país;
11 – Falta de vontade para a realização da Reforma Política e consequente capitulação aos milhões de reais distribuídos por empreiteiras, bancos, agronegócio etc, por ocasião das campanhas eleitorais;
12 – Subserviência aos aliados do conservadorismo retrógrado da política nacional;
13 – Adoção dos mecanismos autoritários provenientes da prática eleitoreira tucana: disseminação do medo e do terrorismo.

Responder

    Mário SF Alves

    14 de setembro de 2014 às 22h06

    Uma razão para reeleger a presidenta Dilma:

    Fazer a velha mídia autoritária quebrar seu próprio recorde e berrar durante doze anos consecutivos contra governos progressistas no Brasil.
    _____________________________________
    Ah, aquela revistinha que faz alienado político relinchar já mudou de lado, abandonou o AhÉsim, e agora está descarada e sordidamente apoiando a Marina.

    Legal, né?

FrancoAtirador

14 de setembro de 2014 às 19h29

.
.
Os Crocodilos também choram…

(http://noticias.terra.com.br/educacao/vocesabia/interna/0,,OI2908775-EI8402,00.html)
.
.

Responder

Rita

14 de setembro de 2014 às 16h55

Que texto sensacional!!!

Responder

Américo

14 de setembro de 2014 às 15h40

“A Dilma há 4 anos vem sendo chamada de poste, anta, feia, burra, bandida, terrorista. Teve sua sexualidade questionada várias vezes (como se isso importasse alguma coisa). Mandaram-na tomar no cu, em coro, durante toda a Copa. E NUNCA a mídia e oposição se manifestaram em seu favor. Nenhuma palavra foi dita por Marina. Agora, que tem seu programa de governo questionado — e não sua honra, sua moral, sua índole, como Collor fez com Lula em 1989 e como Serra também o fez em 2002 e 2010 — agora, se faz de vítima, com apoio da imprensa, óbvio. Não são boatos, nem mentiras. Seu programa diz SIM que vai tirar a prioridade do pré-sal. Diz SIM que vai acabar com a política de conteúdo nacional (que é um dos principais benefícios do pré-sal). Diz, com todas as letras, que vai diminuir a participação dos bancos públicos no financiamento das políticas governamentais, desmontando o Minha Casa Minha Vida e o Pronaf. E defende SIM a INDEPENDÊNCIA, em lei, do Banco Central, o que é bem diferente de autonomia. Portanto, Marina, por favor, não se faça de vítima e não se compare a Gandhi, nem a Lula. Se não aguenta meia dúzia de ataques a seu programa de governo — que não resistem a três tweets do Malafaia — pede pra sair.”

Responder

    renato

    14 de setembro de 2014 às 19h23

    Disse-o muito bem e com todas as letras…meu caro!!

    Mário SF Alves

    14 de setembro de 2014 às 20h26

    Parabéns, Américo!

    E se me permite, gostaria de dizer que se alguma do que você disse acima não for condizente com a realidade, pode me chamar não apenas ignorante, mas sobretudo, de mau caráter.

    Abs.,

    Obrigado.

Cesar

14 de setembro de 2014 às 13h57

Digamos que as lágrimas de Marina e o apelo dramático de “parem de tentar me destruir” destinado ao PT sejam verdadeiros…Mesmo assim, acho muito preocupante que ela seja tão sensível a ponto de não aguentar isso que é apenas um “pentelhésimo” da pressão que Dilma vêm suportando há anos.
Imagine-se Marina ouvindo um coro de idiotas mandando-a TNC para o mundo inteiro ouvir? Marina renunciaria?!!
Lamento, mas a administração de um país não é para os fracos.

Responder

    Mário SF Alves

    14 de setembro de 2014 às 20h48

    “Lamento, mas a administração de um país não é para os fracos.”
    _____________________________
    Apenas um pequeno acréscimo:

    Lamento, mas a administração democrática de um país como o Brasil, ideologicamente tão à direita e politicamente tão atrasado e complexo, ainda não é tarefa para fracos.
    __________________________________________
    O mesmo não se diria para os defensores do radicalismo neoliberal, adeptos do deus mercado, fiéis escudeiros de interesses alienígenas e/ou publicamente inconfessáveis e consequentemente protegidos, blindados e queridinhos da velha mídia autoritária.
    _______________________________________________________

    O Brasil neoliberal é o Brasil da vanguarda! O Brasil neoliberal é a vanguarda do da transnaZionalização do subdesenvolvimentismo capitalista; é a vanguarda do que existe de pior em termos de tendẽncia à exclusão social no Planeta; vanguarda do regime Casa Grande-Mundo-Eterna Senzala e vanguarda do retorno ao Ocidente feudal.

Gerson Carneiro

14 de setembro de 2014 às 13h25

“EI DILMA, VAI TOMAR NO CU!”

Abertura da Copa do Mundo.

Responder

Gerson Carneiro

14 de setembro de 2014 às 13h24

Você entraria num avião cujo piloto toma decisão na roleta bíblica?

Responder

    Mário SF Alves

    14 de setembro de 2014 às 21h11

    Peraí… vou perguntar pro meu gato. Se ele falar eu topo.

francisco pereira neto

14 de setembro de 2014 às 12h50

PS do Viomundo: Pedro Pavão, o engessado, perdeu a eleição.
PS do francisco: Camarinha nunca deixou de ser canalha. Tanto é verdade que em Marília ele é conhecido como Canalhinha. Não sou eu quem estou dizendo. É só perguntar para a população de Marília. Eu nunca morei em Marília, mas chegou até mim de um colega que mora na cidade há mais de 30 anos.

Responder

Urbano

14 de setembro de 2014 às 12h03

Os fascistas são os fascistas… Por acaso, dá para se esperar coisa melhor deles?

Responder

Jose Mario HRP

14 de setembro de 2014 às 11h03

http://grabois.org.br/portal/noticia.php?id_sessao=10&id_noticia=13353

Parece óbvio para mim, mas os ingênuos e os imediatistas contam com que isso não seja conhecido!
Todos marinados, com muito alho, azeite, oréganos e cebolas.
No chororô da fadinha!]
Que continua a explorar o tema da delação premiada e reclamando dos ataques da Dilma!
Ela pode, a presidente não????

Responder

    Mário SF Alves

    14 de setembro de 2014 às 21h08

    A presidenta Dilma, que também é candadata à reeleição, é antes de mais nada uma Estadista. Mais do que uma democrata. Ela é uma super democrata.

    Quem conseguiria manter a fleuma e a têmpera ante representantes de ideologias tão autoritárias?
    _______________________________
    Nessas eleições lembrei-me do Fernão Capelo Gaivota:

    “Falou de coisas muito simples – que as gaivotas têm o direito de voar, que a liberdade é própria de sua natureza, que todo aquele que se oponha a essa liberdade deve ser posto de parte, quer a oposição seja motivada por ritual, superstição ou limitação sob qualquer forma.”

    “’O preço de ser incompreendido’, pensou. ‘Ser classificado de diabo ou de deus.’”

    “Não creia no que os seus olhos lhe dizem. Tudo o que mostram é limitação. Olhe com o entendimento…”

Jose Mario HRP

14 de setembro de 2014 às 10h47

<a href="” rel=”nofollow”>

A fadinha da selva está choraaaaaaaannnnndo?
A fadinha da selva gargalhou????????
Mas a Dilma com o pé na terra vai rir por último!!!!!!!

Responder

    Mário SF Alves

    14 de setembro de 2014 às 21h20

    Se você ri em velório e chora sem motivo: você pode até ser bipolar.

    No entanto…

    Se não ri em velório, mas chora pra iludir os outros: você é mau caráter ou
    é adepto da máxima de que os fins justificam os meios; nenhum dos dois são encontráveis como dignos de Deus na Bíblia.

Jair de Souza

14 de setembro de 2014 às 10h46

Na questão de passar-se por vítima, enquanto pratica o que há de mais perverso, Marina deve estar sendo muito bem assessorada pelos sionistas que coordenam sua campanha (Walter Feldman, à cabeça).

Os sionistas massacram a população indefesa da Palestina, roubam-lhes suas terras, expulsam-nos dos territórios onde seus antepassados vivem de modo continuado há milhares de anos. Mas, diante do menor questionamento sobre os crimes que eles praticam, os sionistas saem em coro uníssono para dizer que são vítimas da perseguição dos antissemitas, que eles são as vítimas eternas, sempre sujeitas a novos holocaustos, e coisas pelo estilo.

Agora também querem fazer valer coisa igual com Marina. Eles querem arrebatar do povo as poucas conquistas que os mais humildes lograram obter nos últimas doze anos e devolver o país ao controle total da oligarquia financeira, do grande capital e do imperialismo. Porém, não aceitam nenhuma crítica a sua política antipopular e, como não têm argumentos racionais para provar a validade de sua política, querem mostrar como uma vítima indefesa a fantoche que encontraram para levar adiante seu plano macabro.

É preciso parabenizar a Marina neste aspecto. Ela está muito bem assessorada para esta campanha de vitimização que querem impor a nossa população. Os sionistas são mestres nisto.

Responder

    Mário SF Alves

    14 de setembro de 2014 às 21h30

    Se você ri em velório e chora sem motivo: você pode até ser bipolar.

    No entanto…

    Se você não ri em velório, mas se faz de vítima para iludir os outros, você é mau caráter ou é adepto da “máxima de que os fins justificam os meios”; nenhum dos dois são encontráveis como dignos das bençãos de Deus na Bíblia.
    ____________________________
    Se bem que, dou a mão à palmatória, entendo lhufas de Bíblia. Menos ainda da tal roleta.

    Mário SF Alves

    14 de setembro de 2014 às 21h57

    Jair,

    Uma dúvida:

    Se um sionista tivesse de montar uma estratégia anti-PT aproveitando os resultados eleitorias da estratégia midiática usada em 2010, e, assim, tivesse de convencer a Marina a abstrair-se de sua história e adotar o radicalismo neoliberal, quais os argumentos usaria?

    1- A nova ordem é inevitável;
    2- Faça-te de vítima;
    3- Se o PT vencer os EUA vão sabotar o governo e impedir mais uma vez o Brasil de se desenvolver;
    4- Se eleita , serás a rainha do Acre.

Fabio Passos

14 de setembro de 2014 às 09h10

O fato é que marina está amancebada com a direita mais entreguista e reacionária do planeta:A pior “elite” do mundo.

Suas propostas são uma mistura destrutiva de obscurantismo religioso com neoliberalismo desvairado.

marina é um instrumento da direita para barrar a ascensão social da maioria pobre e favorecer os ricos e poderosos.

Chorar não vai mudar a realidade.

Responder

J Ferreira

14 de setembro de 2014 às 08h26

Lucidez nas análises.
O lugar para ela chorar era no velório, mas ali faltou lágrimas e sobrou sorrisos e acenos para as fotos.

Responder

FrancoAtirador

14 de setembro de 2014 às 06h28

.
.
@MariNéca:
#VouChorarPorqueLula Tirou Meu Pirulito.
Buááá! Buááá! Buááá! Sniff… Sniff…
.
.
Agüenta o tranco, MariNéca! Falta pouco pra terminar.

É só até o dia 5 de outubro, e acaba logo no 1º Turno.

Depois disso, tu podes fazer teus piqueniques sossegada:

(http://imgur.com/Bz2J6vn)
i.imgur.com/Bz2J6vn.jpg
.
.
3.bp.blogspot.com/_ruhO-ueYkQg/THSKWIcsTXI/AAAAAAAAFNQ/DL_dsgDMWgI/s400/VEJA6.jpg
(http://pinheirochumbogrosso.blogspot.com.br/2010_08_01_archive.html)
<a href="” rel=”nofollow”>
(https://www.viomundo.com.br/denuncias/veja-chuta-dilma-e-sugere-que-ela-e-pe-frio.html)
(http://www.cartamaior.com/capas_veja)
(http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/_vinte_anos_nas_capas_da_veja)
.
.
Mulher Chorona
(Teodoro e Sampaio)

Êta mulher chorona:
Chora feito uma sanfona;
Arruma as malas
E diz que vai embora;
Dali a pouco se arrepende
E chora…

Chora de amor,
Chora de paixão,
Chora de saudade,
Chora de emoção

Chora quando quer,
Chora sem parar.
Mulher Chorona,
Chega de chorar…

Êta mulher chorona:
Chora feito uma sanfona;
Arruma as malas
E diz que vai embora;
Dali a pouco se arrepende
E chora…

Chora de amor,
Chora de paixão,
Chora de saudade,
Chora de emoção;

Chora quando quer,
Chora sem parar.
Mulher Chorona,
Chega de chorar…

(http://letras.mus.br/teodoro-e-sampaio/112506)
.
.

Responder

Romanelli

14 de setembro de 2014 às 06h16

Vitimização, oras, isso não existe ..agora, não temos culpa que a “nossa” polícia não tem imparcialidade pra levar às últimas consequências atentados como o do SERRA BOLINHA (pescou ?!)

Sei de algumas coisas :

Se AÉCIO perder, fico feliz ..Se MARINA submergir, fico aliviado ..e se DILMA vencer, continuo DEPRIMIDO

No mais, pelas epifanias de Marina ..pela autonomia do BC ..pela “sustentabilidade extrativista” ..pelas mentiras desnudadas sobre sua posição quanto a bíblia em bibliotecas e a CPMF ..por ser contra a reeleição ..por se julgar uma Messias que pairaria acima do bem e do mal eu digo: MARINA é um perigo ..isso se posicionando, agora imagine em temas que ela “ainda” estaria em duvida ou não domina.

E olha, conversando com o pessoal, verdade é que entre olhares, assumindo nossas culpas, confessamos que hoje pudemos entender melhor o medo e o pré-conceito que uma parte da população (e não era só a elite não) sentia diante da possibilidade LULA ..confesso, quando olho a bichinha da floreta, eu quase não me contenho.

ninguém é perfeito, mas pelo menos eu assumo

Responder

    Romanelli

    14 de setembro de 2014 às 06h18

    Mário SF Alves

    14 de setembro de 2014 às 21h38

    “Se AÉCIO perder, fico feliz ..Se MARINA submergir, fico aliviado ..e se DILMA vencer, continuo DEPRIMIDO.”

    __________________________________

    Pronto! Tá contratado. Pode passar no DRH e assinar o contrado.

    _____________________________________________
    Cara, francamente, tô de certa forma admirado. E feliz, por que não?

sergio

14 de setembro de 2014 às 02h04

Dilma é uma mulher de fibra e valente.
Se fosse chorar com todas estas sacanagens e manchetes que fizeram contra ela, já teria enchido o reservatório da Cantareira.

Responder

    Julio Silveira

    14 de setembro de 2014 às 20h12

    Mas ela não vai dar essa força aos Alkmins que perambulam por aí propagando a secura de ideias e ideais no Brasil.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.