VIOMUNDO

Diário da Resistência


Opinião do blog

Palanque da quarta de treino (17/03/2010)


17/03/2010 - 07h08

Finalmente recuperado da pauleira que foi cobrir para a TV Record o terremoto no Chile, agora é a reta final de treinamentos para a abertura do circuito Corpore, domingo que vem. Serão 11 quilômetros dentro da Cidade Universitária. Essa história vai viciando a gente de tal maneira que, nos dias em que não há treino, sinto falta… do cansaço de ficar parado. Mas o Viomundo recomenda como forma de espairecer, de esquecer momentaneamente dos afazeres e de cuidar do coração.

Hoje subi no blog o vídeo de uma reportagem que achei interessante, sobre a cirurgia para controlar os tremores do mal de Parkinson, que foi ao ar no Jornal da Record.

E deixo a dica do episódio desta sexta da revista Nova África: nossa equipe conseguiu entrar em uma das catedrais de Lalibela, na Etiópia, uma construção escavada na pedra. Sons, imagens e entrevistas imperdíveis para quem pretende entender como o cristianismo sobreviveu em uma região de muçulmanos. Vejam aqui, em alta definição, um clip. O programa vai ao ar na sexta-feira, às 10 da noite, na TV Brasil.

Bom dia a todos.





18 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Raphael Viana

18 de março de 2010 às 08h51

Gostaria da sua opinião, pois pelas características que o autor descreve, você, Rodrigo Vianna, Paulo Henrique Amorim entre outros, se enquadram no "perfil" por ele citado, considerado como "fenômeno".
Obrigado

Direita midiática confunde base lulista

Por Hamilton Octavio de Souza

No início de março o professor Emir Sader postou na internet o artigo “A miséria moral de ex-esquerdistas”, no qual apresenta uma identificação irretocável de ex-militantes da esquerda que bandearam para o lado da direita, aderiram aos valores do capital e do neoliberalismo e agora são sabujos do empresariado nas críticas às lutas e bandeiras das esquerdas. O artigo é perfeito e tem a ver com o espetáculo que tais figuras proporcionam atualmente nos principais veículos da imprensa corporativa.

No entanto, tenho observado também outro "fenômeno" de confusão política e ideológica cada dia mais presente no tiroteio midiático, em especial na internet: ex-profissionais com muitos anos de serviços prestados à imprensa burguesa (corporativa, liberal, conservadora e de direita), recentemente constituiram uma frente de defesa do governo Lula, algo parecido com o oficialismo de outros tempos, só que eles defendem especialmente as propostas, medidas e ações mais afinadas com o desenvolvimentismo capitalista e os valores clássicos da democracia representativa burguesa.

Esse tipo de comportamento, que se apresenta como sendo de oposição aos bate-paus da mídia mais orgânica do sistema, arrasta lulistas e petistas e tem sido tratado com simpatia no campo da esquerda. Envolta numa cortina de fumaça, essa frente midiática camufla a sua verdadeira natureza, origem, trajetória e destino. Demarca apenas que estamos todos do mesmo lado. Assim, sem maior questionamento, a base do lulismo na classe média e parte da base petista se agarram nesses referenciais não-petistas por falta de uma formação política mais sólida, e também no afã de defender o seu governo dos ataques quase sempre raivosos e preconceituosos da direita.

Tem muita gente da base lulista-petista sendo alimentada por sites, blogs e twitters abastecidos por esses neogovernistas (lulistas, mas não petistas) com argumentos típicos do liberalismo e da defesa da sociedade de mercado. Como a mídia de esquerda identificada com o petismo não consegue ter o mesmo alcance dessa mídia “quinta-coluna”, a base lulista-petista fica cada vez mais carente de informações e opiniões sintonizadas com a visão da esquerda. Como não consegue fazer (construir) o necessário contraponto à mídia de direita, essa base social se torna cativa das referências não petistas e não de esquerda.

Esse fenômeno pode ser facilmente percebido. Basta verificar quais são as fontes midiáticas preferenciais da base lulista-petista hoje, e se perceberá que essa base está sendo devidamente arrastada para o campo da direita, mesmo com um discurso disfarçado de oposição ao sistema midiático dominante. Certamente essa ação política prospera em uma realidade incontestável: a de que o lulismo é muito maior do que o petismo, e que o lulismo se constitui numa base social enorme e igualmente carente de referencial ideológico, que pode ser qualquer um na medida em que a atual aliança governista é tão ampla até a extrema-direita malufista. Como o lulismo parece ser mais maleável ao pensamento conservador, e mais refratário às correntes de esquerda (socialistas), o terreno é fértil para essa estratégia midiática de fortalecimento do sistema dominante via comunicadores de direita à serviço do governo Lula.

Existem vários indícios de que essa estratégia da direita travestida de oposição de esquerda está surtindo efeito. O novo referencial está sendo construído em cima das bases despolitizadas do lulismo. A base petista está sendo arrastada nessa onda, na medida em que o pensamento e a formação de esquerda foram relegados ao abandono. Mesmo setores da esquerda não lulista e não petista embarcam nessa confusão ideológico-midiática. Até que as coisas possam ser esclarecidas.

Hamilton Octavio de Souza é jornalista e professor da PUC-SP

http://carosamigos.terra.com.br/index_site.php?pa

Responder

    viomundo

    18 de março de 2010 às 11h22

    É a opinião dele, que acho mecanicista. Não acho que os leitores, de esquerda ou não, sejam assim manipuláveis. Eu não faço campanha para atrair leitores, sejam eles de esquerda ou de direita.

Raphael Viana

18 de março de 2010 às 06h54

Azenha um vídeo mostrando a Queda da VEJA, gravado no seu QG http://www.youtube.com/watch?v=i3yUqFvlsT4

Responder

Mateuz

17 de março de 2010 às 17h39

Para quem não tem acesso a TV Brasil, consegui achar no terra tv, da pra assistir ao vivo:
http://terratv.terra.com.br/Diversao/TVs-ao-vivo/

Responder

@Mundimveloso

17 de março de 2010 às 16h36

Caro Azenha, como afro descendente direto que sou, adoraria ver essa série, é uma pena que não pego a TV Brasil aqui em casa.

Responder

viomundo

17 de março de 2010 às 16h25

Infelizmente, não tenho autorização para fazê-lo. abs

Responder

Mateuz

17 de março de 2010 às 16h22

Azenha, você coloca esse programa Nova Africa na internet depois que passar ou você não tem autorização pra fazer isso ?
É porque onde eu estou não tem TV Brasil, apenas Rede Minas.

Responder

francisco.latorre

17 de março de 2010 às 15h32

vinte milhões pra corridinha da rede bandida.

oito de obras e doze de patrocínio. escandalacho.

imprensalão bombando.

e a eficiência pra fazer agrado na mídia…

pra tirar o povo do jardim pantanal da merda… nada.

um nojo esses gatunos antipovo.

Responder

Rafael Frederico

17 de março de 2010 às 14h28

Azenha, uma pergunta. Para utilizar as funções de classificação de comentários e reputação de usuário é preciso estar logado em um desses três serviços certo? Intensedebate, WordPress ou Twitter. O caso é que eu não uso nenhum dos três, mas tenho um blog no Blogger. Sendo assim, adorei o novo esquema de postar como visitante, que garante o link, mas sinto falta de poder estar mais imerso no Viomundo, que frequento diariamente. Não dá pra querer dialogar com o login de todas as redes sociais do mundo, mas não seria o caso de criar um sistema de cadastro do próprio Viomundo? É trabalhoso, e talvez exija um tipo de infraestrutura que o site ainda não possui, mas acho que seria um passo interessante. Ou talvez ele até já exista, e eu que ainda não me achei nesse novo modelo.

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    17 de março de 2010 às 15h34

    Rafael,
    Vou sugerir ao Leandro Guedes para ver o que é possível fazer. Mas a ideia me interessou muito. Abs e obrigado pela dica.

Marco Antônio Leite

17 de março de 2010 às 14h07

Caro Azenha, já ouviu dizer que em time que esta ganhando, não se mexe. Esse palanque ficou muito igual aos palanques dos políticos, todos tem que rezar na palavra do dono.

Responder

    Rafael Frederico

    17 de março de 2010 às 15h42

    Eu diria que ficou mais pra diário de bordo que pra palanque político. O antigo era meio confuso, e tinha o defeito de não se arquivar. Aqui as discussões iniciadas num dia podem continuar eternamente, se os interessados quiserem, sem atrapalhar pautas que venham a ser levantadas no dia seguinte. Pode-se, também, recuperar coisas de palanques anteriores com uma certa facilidade.

    O fato do comentário inicial ser do Azenha, e com destaque, não deve ser visto como algo de cima pra baixo, mesmo porque ele não impõe nada. Tente ver dessa forma: o palanque é o lugar pra se colocar aquilo que cada um acredita estar em pauta, aquilo que cada um escreveu naquele dia, ou simplesmente comentar algo que viu por aí. Ora, o comentário inicial do Azenha faz justamente isso, colocando em destaque o que está acontecendo no Viomundo. Assim a gente já pode descobrir logo de cara qual é a pauta geral do site em determinado dia, que obviamente tende a influenciar as discussões que seguem. Afinal, é daqui que muitos de nós partimos para outros cantos da internet, para depois voltarmos ao palanque e contarmos aquilo que nós, por nossa vez, vimos no mundo, não?

Luiz Carlos Azenha

17 de março de 2010 às 13h30

Prudente, está aí do lado direito da tela, no "leia também". Mas vou fazer o post, sim, explicando o que ficou por explicar. abs

Responder

Luís C. P. Prudente

17 de março de 2010 às 12h37

Azenha, procurei localizar um campo onde a gente pudesse ver posts antigos, queria ler o palanque da segunda-feira e não consegui encontrar.

É possível você fazer uma nota de esclarecimento dizendo quais são as novas funcionalidades desta etapa do Viomundo, a caminho de se tornar um portal (como alguém já disse antes)?

Responder

Andre

17 de março de 2010 às 12h35

engraçado mesmo foi ver o vencedor da prova ignorar solenemente o Serra quanto este lhe entregou o troféu

Responder

Carlos.

17 de março de 2010 às 11h22

Veio mais improviso: adiaram o treino para domingo de manhã e deixaram o público que havia comprado ingresso para ver o treino oficial com cara de bobo.

Na corrida em si, uma amostra grátis da chuva que caiu em SP paralisou a prova. Aí é que está a sorte da turma toda: se a chuva tivesse "chovido" como fez no resto da cidade, a corrida de carros poderia ser cancelada para que se disputasse uma regata no lugar.

Será que turma que improvisou o autoramão do Anhembi tem noção do quanto tiveram de sorte? Convém não abusar. Quando alagar tudo de novo é bom que não culpem São Pedro, porque estão em dívida com ele, agora.

Responder

Carlos.

17 de março de 2010 às 11h22

Alguém consegue perceber a sorte que a Band/Kassab/Serra tiveram no domingo com sua brincadeira de autorama?

No sábado, a pista do sambódromo mostrou-se verdadeiro sabão para os carros de corrida. Será que não houve quem alertasse os organizadores de que o piso do Sambódromo era demasiado liso pra carros daqueles? Resultado é que fizeram "raspadinha" no piso. Pergunta-se: quanto custou? o dinheiro para recuperar o chão do sambodrómo para o próximo carnaval vai sair do meu iptu?

Responder

    Piá

    17 de março de 2010 às 17h46

    E o contrato é por 5 anos, Carlos, ou seja: vão corrigir pro carnaval, raspar pra Indy, corrigir pro carnaval, raspar pra Indy,…


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding