VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Opinião do blog

Onde é que você estava em agosto de 2011?


08/08/2011 - 07h38

por Luiz Carlos Azenha

Autoridades bancárias europeias, autoridades do G7 — o grupo que reúne as economias industrializadas — e líderes políticos europeus deram passos extraordinários no dia de ontem.

Considerando que o Hemisfério Norte vive as férias de verão, em que todo mundo some de vista, deve mesmo ser grave a situação.

Todas as bolsas asiáticas abriram em baixa no pregão de segunda-feira, 8 de agosto de 2011. Só as próximas horas vão dizer se, de fato, teremos uma segunda-feira “negra” para os mercados mundiais.

Talvez os mercados se recuperem e você nem precise guardar o que fazia nesta data, do mesmo jeito que guardou o que fazia no 11 de setembro de 2001.

Seja como for, você está vivendo mais um momento histórico.

Dependendo da idade, você viu a queda do muro de Berlim e, em seguida, o fim da União Soviética.

Viu o surgimento do mundo unipolar e, incrivelmente, a perda de poder relativo da única superpotência, com ascensão equivalente dos BRICs.

A diferença, agora, como notou a economista Maria da Conceição Tavares, é que a grande crise que começou em 2008 é espasmódica.

Estou certo de que você não esperava, jamais, ver a China dizer que espera que os Estados Unidos se livrem do “vício” da dívida. Talvez os chineses não tenham entendido que a base industrial norte-americana sumiu e que o consumo dos norte-americanos gira 2/3 da economia. O desemprego formal está por volta dos 10%, mas se considerarmos os que já desistiram de buscar emprego…

Agora o medo dos investidores é de que Espanha e Itália não consigam honrar seus compromissos. Próximas na lista: Bélgica e França.

As coisas não precisam chegar à Alemanha para colocar em risco os bancos britânicos, que segundo o jornal Independent tem em suas carteiras o equivalente a 520 bilhões de reais em dívidas de paises da União Europeia.

Num mundo globalizado o risco de colapso, portanto, é global.

Barack Obama, a reboque do Tea Party, vai desmantelar a herança do New Deal nos Estados Unidos.

Partidos socialistas, à reboque dos mercados, vão desmantelar o estado de bem estar social europeu.

A própria União Europeia corre o risco de se desfazer, sob o stress da crise: os postos de controle nas fronteiras são apenas os sinais mais evidentes de que isso já começou.

Estados Unidos, União Europeia e Japão são os grandes mercados mundiais. O aprofundamento da crise, neles, com certeza afetará o Brasil.

Por via das dúvidas, faça uma anotação mental de onde você estava em agosto de 2011. Os netinhos, um dia, podem se interessar.

Leia aqui a entrevista que a Carta Maior fez com a economista Maria da Conceição Tavares

E aqui um artigo do jornal britânico Independent sobre a nova fase da crise na Europa

Aqui, a presidente Dilma diz que o Brasil não treme

PS do Viomundo: Se a segunda-feira foi ruim, a terça será pior ainda?

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


63 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Jornais “parecem ferramentas de magnatas”. Estamos falando de Israel | Viomundo - O que você não vê na mídia

12 de agosto de 2011 às 14h50

[…] Onde é que você estava em agosto de 2011?   […]

Responder

Na Europa, mão invisível do mercado toma um tapa | Viomundo - O que você não vê na mídia

12 de agosto de 2011 às 00h08

[…] Onde é que você estava em agosto de 2011? […]

Responder

Onde é que você estava em agosto de 2011? | Viva Marabá Pará Brasil

10 de agosto de 2011 às 09h56

[…] Onde é que você estava em agosto de 2011? var cid= 2542; Tweet (function() { var s = document.createElement('SCRIPT'), s1 = document.getElementsByTagName('SCRIPT')[0]; s.type = 'text/javascript'; s.async = true; s.src = 'http://widgets.digg.com/buttons.js'; s1.parentNode.insertBefore(s, s1); })(); 0 comments Por Luiz Carlos Azenha, no blog Viomundo: […]

Responder

Roberto Locatelli

09 de agosto de 2011 às 16h37

Hoje, 9 de agosto, a Bovespa sobe 4,5%. Ou seja, num dia recuperou metade do que perdeu no dia anterior.

O FMI impôs sua receita à Europa e EUA: corte de direitos sociais para os mais pobres e redução de impostos para os muito ricos. O resultado já sabemos qual é: recessão, miséria e desemprego.

Essa crise não será medida por derrubada de bolsas de valores, mas sim pela falência de empresas. Em 2008, tivemos o desmoronamento de Wall Street. A crise atual é de declínio dos países chamados "desenvolvidos".

No Reino Unido, em Wisconsin, no Chile e no Oriente Médio, a população começa a dar sua resposta.

Responder

Soy Loco Por Ti, América » O que você fazia em 8 de agosto de 2011?

09 de agosto de 2011 às 14h09

[…] Luiz Carlos Azenha, no Viomundo […]

Responder

Heloisa Villela: A sociedade parece anestesiada | Viomundo - O que você não vê na mídia

09 de agosto de 2011 às 10h14

[…] Onde é que você estava em agosto de 2011? […]

Responder

jrcorvo

09 de agosto de 2011 às 08h50

O que as enchentes crônicas na cidade de São Paulo têm a ver com a atual crise econômica mundial? Simples, para enfrentar os problemas, estão aplicando exatamente as soluções que os criaram. Em São Paulo, ampliando o espaço para carros e impermeabilizando ainda mais o solo (em especial nas marginais dos rios); no mundo globalizado, adotando políticas neoliberais recessivas que justamente provocaram a crise de hoje. Como se vê, ao contrário do dito popular, o traseiro tem, sim, muito a ver com as calças. Boa terça negra a todos!

Responder

    Fabio SP

    09 de agosto de 2011 às 09h45

    Pronto! Sabia que não ia deixar São Paulo em paz! ô gente, viu!

    cronopio

    09 de agosto de 2011 às 19h24

    Que injustiça, né, Fábio? O, gente ingrata! Que dó do nosso prefeitinho!

    Bonifa

    09 de agosto de 2011 às 10h37

    Só há uma definição para São Paulo: O reino da absoluta insanidade urbanística, estimulada pelo Estado.

Rodrigo B. Veríssimo

09 de agosto de 2011 às 07h42

Azenha:
Ontem, 8/8/11, li este livro aqui em casa, o http://www.oconsolador.com.br/linkfixo/biblioteca
E veja que IMPRESSIONANTE COINCIDÊNCIA:
Na página 57 desse .PDF diz, categoricamente:
"A quem pertencerão, de fato, os acervos patrimoniais do mundo?
A resposta é clara, porque os senhores mais poderosos desprender-se-ão da
economia planetária, entregando-a a novos operários de Deus para o serviço
da evolução infinita. O argumento, contudo, suscitará certas perguntas dos cérebros menos
avisados (…) Naturalmente, ninguém responderá
pelos outros; todavia, cada espírito, em relacionando o esforço que lhe
compete, será compelido a esclarecer a sua qualidade de ação nos menores
departamentos da realização terrestre, onde foi chamado a viver".
Detalhe, esse livro é de 1.948…
Acho que isso 'explica bem' quem são – realmente – os 'Tea Party'…

Responder

João PR

09 de agosto de 2011 às 04h30

E o pior de tudo isso é que a direitona está no poder nos principais países: Sarkozy, Merkel, Berlusconi, Obama…o que esperar desses "sujeitos" e "sujeitas", um novo New Deal??? Creio que não. Eles socorrerão bancos, farão países ir à míngua, e deixarão o "deus mercado" e o "sumo-sacerdote dinheiro" resolverem a crise.

A crise, para a direita, são números. Para a esquerda, são pessoas sofrendo.

Responder

    cronopio

    09 de agosto de 2011 às 19h33

    Será mesmo, João, pois eu acho que a esquerda européia está ainda mais perdida do que a direita. O primeiro ministro grego, Papandreos, é presidente do Movimento Socialista Panhelênico e da Internacional Socialista (eleito em 2004). E o que o sujeito fez se não dar o país de mão beijada para o capital financista internacional. É ele quem vai executar as recomendadas privatizações e os cortes de gastos públicos sugeridos pelo banco Central Europeu. 88% população não concorda? Pau neles! A direitona subiu ao poder em grande parte porque a esquerda européia não soube apresentar nenhuma opção e, o que é pior, fez, durante muito tempo, o serviço sujo para o mercado financeiro, que tem os líderes políticos no bolso. É claro que a direita, diante desse quadro, deita e rola, manipulando as insatisfações da crise e direcionando o ódio coletivo para o inimigo mais à mão, normalmente os imigrantes.

    Lucas

    09 de agosto de 2011 às 21h26

    Concordo. Mas é bom lembrar que a social-democracia europeia há algum tempo já vem se "endireitando", como o PT. Por exemplo, Strauss-Kahn, ex-chefe do FMI seria candidato do partido socialista para presidente da França antes do escândalo. Como pode um partido verdadeiramente socialista lançar o chefe do FMI como candidato?

    O resultado aí está: a ascenção dos fascistas. Porque a direita só ganha quando a esquerda se rende à "moderação" neoliberal.

    Luis

    09 de agosto de 2011 às 22h49

    Os partidos socialistas da Espanha, Grécia e Portugal são na verdade partidos de direita que apoiam o neoliberalismo. A esquerda na Europa não está nesses partidos mas espalhada em pequenos partidos.
    No momento surge uma nova consciência política européia que contesta o capitalismo frontalmente e que clama por um novo sistema social e econômico. Karl Marx voltou a ser o autor mais lido atualmente, tanto na Europa como no mundo em geral.
    Afinal quem melhor do que ele descreveu o que é o Capital?

operantelivre

09 de agosto de 2011 às 03h04

Siloé, há mito venho vaticinando isto. Postei diversas vezes que aguardava a primavera chegar a Londres, NYC e TeLAviv. Por quê? Porque vejo estes três estados como a perversa trindade, agora com uma legião de seguidores dependurados em suas ogivas que já não sabem de que adianta matar ou até mesmo onde está a legião do "eixo do mal".

Quero ver WDC e NYC ebulindo. Quero ver o dinheiro da expropriação não ter o que comprar.
Me vejo um pouco nihilista, por falta de alternativa melhor. Nem toda cinza, contudo, será digna de uso.

Responder

SILOÉ-RJ

09 de agosto de 2011 às 01h40

A PRIMAVERA chegou a Londres!!!

Responder

Gerson

08 de agosto de 2011 às 21h36

Naquela manhã, eu acordei tarde "de bode", com tudo que sei, abri a janela, acendi uma "vela" e pasmei…
http://youtu.be/4LXCTySbvrQ

Responder

FrancoAtirador

08 de agosto de 2011 às 20h44

.
.
Trinta anos atrás hoje: o dia em que a classe média morreu

Houve um tempo em que o povo trabalhador dos Estados Unidos podia criar uma família
e enviar as crianças à faculdade com a renda de um só dos pais
(e que as faculdades em estados como Califórnia e Nova York eram quase gratuitas).
De um tempo em que quem quisesse ter um trabalho remunerado decente o teria;
em que as pessoas só trabalhavam cinco dias por semana e oito horas por dia,
tinham todo o fim de semana de folga e as férias pagas todo verão.
Esse tempo terminou no dia 5 de agosto de 1981.

O artigo é de Michael Moore, na Carta Maior com tradução de Katarina Peixoto.

http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMos

Responder

F*! | ESTADO ANARQUISTA

08 de agosto de 2011 às 20h44

[…] Category: Biografia,Economia,Internacional — Senhor_do_Servo @ 20:43 Luiz Carlos Azenha, no Viomundo  começou um post muito lúcido e instrutivo em seu portal se perguntando: Onde é que você […]

Responder

robledo duarte

08 de agosto de 2011 às 19h06

Uma coisa é certa, ninguem sabe nada sobre a crise nem a turma do Nobel, talvez Paul Krugman seja o mais brilhante. Tudo que falam sobre a crise é um festival de achismo, façam como eu, não assistam a globo, nem leiam a veja vc já esta se ajudando a ficar muito mais saudável…

Responder

M. S. Romares

08 de agosto de 2011 às 17h04

O descalabro das "grandes potências" não fica, infelizmente, restrito a elas. Irradiam e bombardeiam a economia de todas as nações e o mundo inteiro paga. Às vezes, um preço muito alto que compromete qualquer possibilidade de avanços.

Responder

Elizabeth

08 de agosto de 2011 às 16h52

E Londres em chamas!!! É o comço das dores…. Eu acho!!

Responder

    yacov

    08 de agosto de 2011 às 21h43

    Eu espero que seja o FIM… Sinceramente, espero que esta seja a "deixa" para o mundo sentar, fumar o cachimbo da paz, e DIALOGAR, ou… Não descarto a possibilidade de uma 3ª Grande Guerra Mundial, em nome de um sistema financeirom que ressalta o individualismo extremo, e visa apenas continuar nos parasitando a todos.

    "O BRASIL PARA TODOS não passa na gloBo – O que passa na glOBo é um braZil para TOLOS"

Elizabeth

08 de agosto de 2011 às 16h51

Eu ja disse antes por aqui: 2011 é o novo 1968!! O mundo nunca mais séra o mesmo… e muita gente CEGA diante disto!!

Responder

Luis Fernando Verissimo: Uma saída para o balão na praça | Viomundo - O que você não vê na mídia

08 de agosto de 2011 às 16h34

[…] Guarde, para contar aos netos, o que você fazia em agosto de 2011   […]

Responder

Augusto

08 de agosto de 2011 às 16h29

Parece que a coisa está feia mesmo, heim, Azenha???

Responder

Dilma: “Pela segunda vez o Brasil não treme” | Viomundo - O que você não vê na mídia

08 de agosto de 2011 às 15h23

[…] E aqui: Onde você estava em agosto de 2011?   […]

Responder

edisilva64

08 de agosto de 2011 às 15h20

A queda do império poderia ser comemorada, mas o problema é o que será o novo mundo que vai surgir das cinzas. Depois de 29 tivemos Hitler e agora? Tivemos uma grande guerra e agora?

Responder

    Luis

    09 de agosto de 2011 às 23h00

    Depende de nós.
    É hora de tomar decisões e partir para a luta por transformações sociais e econômicas que tornem o mundo um lugar de paz e justiça social. Aquela dos direitos iguais.
    O capitalismo nasceu, cresceu , virou imperialismo e parece agonizante. Providenciemos o enterro.
    E façamos nascer um novo sistema de produção.
    Depende de nós.

Regina Braga

08 de agosto de 2011 às 15h11

Azenha,vou comemorar..(.Não deixei de fumar por convicção)…Mas as nossas reservas que são maiores que EUA e Canadá juntos.Vou comemorar que os demotucanos não estão a frente do Governo Federal.Que o Nunca Dantes, fez o maior empenho para fortalecer o mercosul e alba.Quando a crise passar quero dizer as crianças…O Tea Party levou trevas ao Mundo,criou uma enorme crise,étnica,economica,social…Mas o Governo do meu País,permitiu que ele continuasse a crescer 4,5% ao ano e que nosso pp mercado com os amigos do sul,fizeram que as trevas desaparecessem da terra…Foi esse o legado deixado,vcs vivem a luz e um mercado equilibrado que começou em Agosto.

Responder

Elizabeth

08 de agosto de 2011 às 15h00

Eu ja disse antes por aqui!!! 2011 é o novo 1968!! O mundo nunca mais séra o mesmo… e muita gente CEGA diante disto!!
So digo mais uma coisa: " O BICHO VAI PECAT!!

Responder

    Elza

    09 de agosto de 2011 às 01h59

    Eu lembro Elizabeth em 20 de maio de 2011.
    E eu respondendo o seu post, comentei, q surgia uma nova ordem planetária e q seria c a América Latina à frente.
    E tudo tá parecendo q se encaminha p isto. O problema é o mundo globalizado, vai respingar em tds.

    Aguardemos…. acontecerá grndes mudanças ñ há dúvidas. É o despertar de uma nova consciência. E como vc diz ….. "e muita gente CEGA".

O_Brasileiro

08 de agosto de 2011 às 14h44

Para os grandes, o fim é sempre um novo começo!
Apenas saberemos quem são os grandes…

P.S.: Duas coisas me chamaram a atenção no post: a primeira é um Estado socialista criticando um Estado capitalista por causa dos gastos públicos. O que não fazem duas guerras… A outra é a vocação da Inglaterra de lucrar sem trabalhar. Fez isso com as colônias, com as dívidas de Espanha e Portugal, e agora com as dívidas destes e de outros países da zona do Euro.

Responder

Rafael

08 de agosto de 2011 às 13h46

É evidente que durane a crise vai ser cada um por si e Deus por todos. Cada um que se salve da crise. Certamente a Dilma já tá ligada nisso. Fico imaginando se tivéssemos psdb no governo com sua eterna dependência dos eua e europa, pura submissão. Falência total do país seria a consequência. Assim como os eua saíram como uma potência da segunda guerra mundial é hora do Brasil pensar em sair da crise também como uma potência, a hora á agora, espero que não percamos essa opurtunidade. Essa crise é deles.

Responder

francisco.latorre

08 de agosto de 2011 às 13h19

caros netinhos..

onde eu estava?..

difícil lembrar.

sei que a comemoração.. foi de arrasar. mais não lembro.

..

comemorando estou. estamos.

afinal o adolfo noruega nos elegeu.. o brasil e os brasileiros.. a luz do mundo.. coveiros do passado. construtores do futuro. e viva darcy ribeiro.

mais alegrias virão.

fim de império. tudibão.

..

Responder

Zé Fake

08 de agosto de 2011 às 13h13

Essa postagem do Azenha tem grandes chances de se tornar histórica (para o Viomundo, pelo menos). Não se esqueça também da Revolução Árabe (que acabou sendo subvertida na Líbia), e de outras coisas que podem ser menores (ou não, o tempo dirá), como o desmascaramento do "jornalismo" do Rupert Murdoch, e até mesmo do LulzSec brasileiro de ontem, que apesar de "vazar" material requentado parece que teve bastante efeito.

Responder

Gabriel

08 de agosto de 2011 às 12h50

Será que no futuro lembraremos de 2011 como um momento marcante da história assim como lembramos agora de 1968? Este está sendo um ano interessante

Responder

Aracy_

08 de agosto de 2011 às 11h55

Vixe, acho que vou ter de trabalhar ainda mais daqui pra frente. Mas estou otimista. Com a derrocada dos mercados e da União Europeia, sonho que ainda é possível construirmos uma sociedade fraterna e solidária na América Latina. Mãos à obra.

Responder

Filipe Rodrigues

08 de agosto de 2011 às 11h48

O mercado interno vai salvar o Brasil…ano que vem tem salário mínimo de R$ 620,00 (talvez o maior aumento real em 50 anos), sem esquecer claro das obras do PAC.

O que o Brasil precisa fazer é baixar os juros e desvalorizar o câmbio (R$ 2,00 seria uma boa cotação), a subida do câmbio não geraria inflação pois os preços das matérias-primas estão em queda (o que significa alimentos mais baratos para o consumidor brasileiros já que os produtores não vão conseguir exportar). A gasolina só vai baixar quando as refinarias que estão sendo construídas ficarem prontas (olha o PAC mais uma vez aí gente).

O depósito compulsório dos bancos é hoje o dobro de 2008, o que significa que BNDES, Banco do Brasil e Caixa terão muito mais dinheiro para emprestar.

Responder

Luiz Carlos Azenha: Onde é que você estava em agosto de 2011? | Paulo Teixeira

08 de agosto de 2011 às 11h16

[…] Por Luiz Carlos Azenha, do Viomundo […]

Responder

FrancoAtirador

08 de agosto de 2011 às 11h16

.
.
O Brasil só se salva
por uma ação compartilhada
entre os países da América do Sul,
através da UNASUL e da ALBA.

Se, por outro lado, ficar esperando
que os "mercados" deem a solução
e resolvam a crise, que eles criaram,
"Adiós, Pampa Mia!".
.
.

Responder

Hans Bintje

08 de agosto de 2011 às 10h43

Azenha:

Será que posso mandar umas fotos para publicar no Viomundo?

Sim, esse mês de agosto de 2011 está sendo histórico, por motivos outros que você não teve tempo de reportar.

Eu me reconheci e me assumi "periferia" porque os "grandes centros", como você bem descreve, estão em colapso.

Foi a chance que faltava para deixar de segui-los, projetar novos rumos, como canta o Gilberto Gil:

Meu caminho pelo mundo
Eu mesmo traço
A Bahia já me deu
Régua e compasso
Quem sabe de mim sou eu
Aquele Abraço!

Responder

    Conceição Lemes

    08 de agosto de 2011 às 10h58

    Claro, Hans Bintje! Já estamos aguardando. Queremos que vcs se sintam em casa. abs e beijo em Carolyn

    Hans Bintje

    08 de agosto de 2011 às 12h02

    Conceição Lemes:

    Vale a pena ler algumas histórias da Carolyn.

    Eis o que o amor e um bocado de trabalho conseguiram fazer numa terra onde nem mato nascia: http://sitiodapk.blogspot.com/

robson

08 de agosto de 2011 às 10h40

Por via das dúvidas, resolvi voltar a fumar

Responder

    Silvio I

    08 de agosto de 2011 às 12h04

    robson:
    Si acreditas que tomaste uma decisão certa, minhas felicitações. Si de aqui a alguns anos descobre um câncer nos pulmões, se vai a dar conta, da inteligente direção.

    Vinícius

    08 de agosto de 2011 às 14h33

    Azenha, pros netinhos: "Em agosto de 2011, eu estava fazendo várias pessoas voltarem a fumar"

    Meus parabéns, viu?

    Philipe

    08 de agosto de 2011 às 12h49

    Se todos resolverem seguir o seu exemplo, talvez a economia volte a funcionar.

    Morvan

    08 de agosto de 2011 às 13h28

    Boa tarde.
    O mesmo não se poderia dizer dos pulmões.

    :-)

    Morvan, Usuário Linux #433640.

    Manoel

    08 de agosto de 2011 às 15h22

    Gostei.
    É disso que este mundo precisa, ações efetivas e não o blá-blá-blá de sempre.
    E eu, como eu não fumo, passarei a abrir 1 latinha de cerveja a mais por dia.

    Gerson

    08 de agosto de 2011 às 15h28

    Fumar o que exatamente ?

    SILOÉ-RJ

    09 de agosto de 2011 às 02h00

    que decepção!!!

    Bonifa

    09 de agosto de 2011 às 10h39

    É melhor fumar do que cometer uma loucura mais séria.

    Luis

    09 de agosto de 2011 às 22h52

    Mal, muito mal. Perdi meu irmão de apenas 43 anos de enfisema pulmonar na semana passada. Uma morte precedida de grande sofrimento que deixou toda família arrasada.
    Sai fora de cigarro.

Polengo

08 de agosto de 2011 às 10h32

Segunda-feira negra, não, Azenha, segunda-feira afro-descendente.
Daqui a pouco aparece um bando qualquer aqui e fica te atazanando.

Responder

Gersier

08 de agosto de 2011 às 10h07

Pois é Azenha,estaríamos também no bico do urubu (não confundir com uma urubulóloga)se estivéssimos sendo "governados" pelos tucanóides.Crticaram o Lula quando ele pagou o que devíamos ao FMI.Criticaram o Lula quando ele disse que a crise 2008/2009 no Brasil seria uma "marolinha". Criticaram o Lula quando ele deu incentivos fiscais as indústrias e reduziu impostos sobre determinados produtos.Isso sigifica que,se estivessem no poder,colocariam em prática o que o PIG divulgou tendo até espasmos de orgasmos,e "nóis ó… távamos"… vc sabem.

Responder

Morvan

08 de agosto de 2011 às 09h51

Bom dia.
Eu não vou precisar de muito exercício mental para me lembrar de onde estava, neste dia, nem no onze de setembro de 2001: entre um atendimento e outro, sorvendo doses maciças de "rubiácia" e lendo – muito.

Como não terei netos nem filhos, escreverei um livro e relatarei estes momentos surreais.

Morvan, Usuário Linux #433640.

Responder

Ana Cruzzeli

08 de agosto de 2011 às 09h50

Azenha

Esperei pacientemente os manifestos na Europa e EUA se transformarem em manifestos pacifistas. Quando os EUA invadiram a Libia declarando essa invasão do nosso país, percebi algo como você mesmo diz, HISTÓRICO. A Libia é a grande chave, se ela cair todos perdemos, a Europa explode com a xenofobia, pois a migração africana será maior.

Achei que os europeus e estadunidense revertessem os manifestos trabalhistas em manifestos pacifistas, isso não aconteceu, aí comecei a ficar preocupada. Quando estamos desempregados começamos a pensar de maneira conservativa, e idéias como, preciso me alimentar, preciso alimentar minha familia, não posso perder meu teto de proteção são recorrentes. Aí nós desligamos do sofrimento alheio e começamos a nos preocupar conosco, só no nosso sofrimento, nos tornamos egoistas.

Tanto a Europa quanto EUA estão passando por esse estágio, aí mora o perigo. Eles não se importarão mais em invadir solo estrangeiro se essa invasão lhes trouxer alivio. O xenófobo da Noruega é um sintoma classico de onde isso pode chegar. O capital pode criar uma situação mais dramática para assim explodir com tudo e terem seus investimentos recompensados.

Os politicos de direita vão usar qualquer tipo de desvio comportamental para tal fim. O problema é ruim quando matamos concidadãos, isso ninguém tolera agora se for matar iraqueano, afegão e nesse exato momento libio, tudo bem.

A medida que a crise financeira se aprofunda esse aspecto social- violento vai sendo mais evidente e os senhores da guerra farão de tudo para associar a crise a problemas etnicos, religiosos e outras coisas que possam desviar a atenção.

Achei que os europeus e estadunidenses fossem perceber isso. Eu realmente sou uma grande TOLA. Aí a divina providencia mandou um mensagem para a América Latina, fazendo com que o senhor da guerra declarasse o inicio dela justamente aqui. Isso é muito simbolico, mas é antes de tudo uma grande mensagem. Foi em Brasilia que a nova geração de guerra foi declarada é daqui que deve sair a oposição. O Brasil definitivamente está na historia, no que há de pior , pode agora dar seu melhor.

Responder

Rodolfo Machado

08 de agosto de 2011 às 09h31

União Soviética
Invasão Afeganistão – 1979
Posse Gorbathev 6 anos apos – 1985
Chernobyl pior acidente ecológico do pais – 1 ano após – 1986
Fim da União Soviética 1991

EUA
Invasão Afeganistão – 2003
Posse Obama 6 anos após – 2009
Vazamento óleo golfo pior acidente ecológico do pais – 1 anos após- 2010
Colapso dos EUA 2011? ou 2015?

Responder

    Elza

    09 de agosto de 2011 às 02h18

    Seguindo a sincronicidade….. Colapso dos EUA em 2015….

    Christian Schulz

    09 de agosto de 2011 às 20h05

    Os EUA invadiram (e tomaram posse) do Afeganistão ainda em 2001, fio…


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!