VIOMUNDO

Diário da Resistência


Merval tenta justificar atuação de Moro como juiz-promotor, mas toma desmentido de Zanin
Reprodução de vídeo
Opinião do blog

Merval tenta justificar atuação de Moro como juiz-promotor, mas toma desmentido de Zanin


23/06/2019 - 10h17

Da Redação

O colunista Merval Pereira, voz dos irmãos Marinho no Grupo Globo, tenta justificar a ação do juiz federal Sérgio Moro na Operação Lava Jato recorrendo a exemplos de outros países.

É surpreendente a sutileza com que Merval faz isso. Para ele,  “aconselhamento” depende da interpretação de cada jurista.

Por exemplo: um juiz sugere testemunha à acusação. Seria isso “aconselhamento”? Outro: um juiz sugere a incompetência de uma promotora, em seguida removida do processo. Seria isso “aconselhamento”?

Os dois exemplos citados acima aconteceram, de fato, no julgamento do ex-presidente Lula.

Sem ter para onde fugir, Merval afirma que estes fatos objetivos dependem de “interpretação”.

Como todos nós somos néscios, acreditamos.

Merval, aproveitando de nossa estultície, dá exemplos de outros países. É uma forma de deixar de lado o que diz a lei brasileira.

Vema como o colunista de O Globo é singelo:

“O aconselhamento do juiz a uma das partes pode ser causa de nulidade, mas a definição do que seja aconselhamento fica por conta da interpretação de cada jurista. O hoje ministro Sérgio Moro, que citou o testemunho público do advogado Luis Carlos Dias Torres, garante que sempre conversou com dezenas de advogados que o procuraram dentro da Operação Lava-Jato.

Esse não foi o caso dos advogados de Lula, que nunca pediram uma audiência. Mesmo assim, como o próprio Zanin admitiu, houve várias conversas entre o Juiz e a defesa do ex-presidente nos intervalos das audiências.

A questão do contato dos juízes com as partes tem a solução encontrada em muitos países, a do juiz de instrução, que trabalha na fase investigatória, mas não julga. Para o jurista José Paulo Cavalcanti, ex-ministro da Justiça e membro da Comissão da Verdade, essa solução faz mais sentido nos países do primeiro mundo, em que as sentenças de primeira instância já levam o cidadão para a cadeia, exemplos dos Estados Unidos, Canadá, França, Alemanha, Inglaterra.

Separando quem aceita a denúncia de quem julga, como se fossem duas instâncias, para proteção do réu. Aqui, ressalta José Paulo Cavalcanti, a sentença de primeira instância é toda revista por tribunais, que reavaliam provas, podem pedir outras. E analisam o mérito”.

Ou seja, o problema não é de Moro ter descumprido o que diz a lei brasileira agora, o problema é de um sistema jurídico que poderia ser “aperfeiçoado”.

Haja…

Porém, neste caso Merval escorregou numa casca de banana, pois mentiu em relação à defesa de Lula.

Vejam o que escreveu o advogado Cristiano Zanin Martins, no tweeter, depois de ler o artigo:

Agradeço a referência feita a mim por Merval Pereira em sua coluna de hoje, mas, diferentemente do que ali constou, não “houve várias conversas entre o juiz [Sergio Moro] e a defesa do ex-presidente nos intervalos das audiências”. Essa afirmação é factualmente incorreta.

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

emerson57

23 de junho de 2019 às 20h49

Tia Carmela conhece o Merval desde piquinin:
https://tiacarmela.wordpress.com/tag/merdoval-pedreira/

Responder

Zé Maria

23 de junho de 2019 às 15h59

O Merdal é um Jênio do Umôr. Imagina o Zanin ou o Batochio
conversando pelo Telegrama/UátzÁpi com o Juiz Sergio Moro …

As Tramas do Beáto Dalanhól com o Ráquer Moro
tão virando Tragicomédia no Grupo Globo.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.