VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Em véspera de campanha, PT esboça reação. Será eficaz?
Opinião do blog

Em véspera de campanha, PT esboça reação. Será eficaz?


02/05/2014 - 14h56

O Globo: Em campanha feroz, vai muito além dos assinantes; é um outdoor nas bancas

por Luiz Carlos Azenha

Há alguns anos os blogueiros de esquerda abriram espaço na internet para três movimentos sociais que consideram politicamente importantes e que militavam por:

1. Universalização da banda larga, com acesso gratuito em espaços públicos;

2. Democratização da mídia, que inclui regulamentação das concessões eletrônicas, apoio às rádios comunitárias, financiamento para os sem voz e combate à propriedade cruzada, dado que nossa mídia corporativa é controlada majoritariamente por homens brancos ricos e conservadores;

3. Neutralidade na rede, para evitar que o conteúdo do site de O Globo ande mais rápido que o do Escrevinhador.

Dos três pontos acima os governos do PT só avançaram no terceiro, não completa mas significativamente. Ainda assim, com riscos. Isso porque as empresas de telefonia, que controlam a infraestrutura da internet, devem repetir no Brasil o que fizeram nos Estados Unidos: uma tentativa de “flexibilizar” o conceito de neutralidade na rede. Como dispõem de milhões de reais para aplicar em lobbies no Congresso, eventualmente comprarão o que pretendem comprar.

Nos dois primeiros pontos não houve avanços significativos, por causa dos compromissos políticos dos governos petistas:

1. Com as empresas de telefonia;

2. Com a mesma coalizão conservadora que controla concessões de rádio e TV nos estados e municípios (José Sarney, retransmissor da Globo no Maranhão, é um dos exemplos).

Agora, chegou a hora de a onça beber água. Estamos, outra vez, em período eleitoral.

O PT lança sua agência de notícias digital.

Numa entrevista a ela, o presidente do partido disse:

A pergunta é: foi tarde demais?

Do ponto-de-vista da realpolitik, só saberemos quando e se Dilma Rousseff se reeleger presidente da República.

Já sabemos o que virá durante a atual campanha eleitoral.

O resumo está na capa de O Globo reproduzida no topo:

1. Mensaleiro na prisão: Genoino volta para a Papuda

2. Caso Labogen: Padilha assinou compromisso

3. Pacote de Dilma custará R$ 9 bi até o fim de 2015

4. Manutenção da política do salário mínimo terá impacto de R$ 50 bi em 4 anos

5. Miriam Leitão: Dilma confunde crítica ao governo com desamor ao país

6. Um Primeiro de Maio de oposição

7. [Abaixo da dobra] Público vaia petistas e atira latas durante festa da CUT

É mais ou menos o que se viu já nas campanhas eleitorais de 2006 e 2010, porém com maior cuidado, já que as redes sociais estão aí para desmentir as manipulações mais evidentes.

A manipulação agora se dará, acima de tudo, na escolha da pauta, nos espaços dedicados a este ou aquele assunto, na mobilização de recursos para esta ou aquela cobertura.

Quantos furos O Globo deu, por exemplo, no caso do escândalo dos trens envolvendo as maiores lideranças tucanas? Quantos repórteres do jornal estão mobilizados para apurar o esquema?

Quantos minutos o Jornal Nacional dedicou ao escândalo da Petrobras? E ao trensalão tucano?

Para além disso, cabe também refletir sobre a dinâmica das redes sociais: uma vez O Globo tendo noticiado que Público vaia petistas e atira latas durante festa da CUT, por conta dos compartilhamentos a notícia ganha ares de verdade e, a não ser que seja refutada imediatamente por quem de direito, fica difícil contrapor depois a informação de que foram três latas ou de que as vaias vieram de apenas parte do público ou de que o público protestou foi contra a interrupção dos shows.

Nosso ponto: há uma nova dinâmica da informação de massa, por conta da junção do trabalho de repórteres + editores com o dos internautas, seja nas críticas, seja nos compartilhamentos.

Conhecemos razoavelmente as ideias que dominam a liderança do PT no campo da comunicação.

É mais ou menos o seguinte:

1. Os jornais tem impacto eleitoral limitado, por conta de sua pequena base de assinantes;

2. Mesmo o Jornal Nacional, por conta de sua decadência, importa menos do que parece e está perdendo espaço para as redes sociais;

3. A melhor solução ainda é o controle remoto;

4. O ex-presidente Lula é a bomba atômica que garante vitórias eleitorais.

O problema é que as circunstâncias de 2014 não são as mesmas que as de 2010:

1. A crise internacional limitou o crescimento da economia brasileira;

2. Houve a explosão de descontentamento popular em 2013 que juntou a classe média tradicional das metrópoles com a “nova classe média” das periferias, que quer mais e aderiu ao discurso antipetista;

3. Dilma Rousseff não tem a mesma perícia do ex-presidente Lula para lidar com uma coalizão tão abrangente e heterogênea de interesses.

Além disso, os petistas deixaram de levar em conta dois aspectos importantes da comunicação no mundo das redes sociais:

1. Os mesmos donos de jornais e emissoras de rádio e televisão que promovem abertamente o antipetismo, desde muito antes do julgamento do mensalão, também investiram muito na internet e em redes sociais; hoje produzem material massivo, seja através de colunistas, seja através de repórteres, para disseminação instantânea;

2. O efeito cumulativo do discurso antipetista foi acelerado pelo fato de que as notícias e opiniões agora perseguem os eleitores 24 horas por dia, do You Tube às manchetes que se lê no celular; em resumo, a sociedade está de tal forma midiatizada que, apesar da queda relativa de audiência do Jornal da Nacional e da tiragem dos jornalões, o poder de formulação da pauta da mídia tradicional lhe dá hoje maior influência política que em 2010.

Grifamos o formulação da pauta: é por isso que o Viomundo, desde o primeiro encontro de blogueiros, ainda em 2010, já insistia que a produção de conteúdo próprio, independente das redações da grande mídia — algo que requer financiamento, que o PT concentra na Globo — é o caminho.

Trocado em miúdos, com sua agência de notícias o PT dá uma resposta depois que a imagem do partido já está profundamente desgastada pelo trabalho demolidor da grande mídia nos últimos meses.

Além disso, do ponto-de-vista de conteúdo, o partido parece focar em comparações estatísticas com outros tempos, por acreditar que são de fácil assimilação, quando a resposta deveria ser política.

Espertamente, os tucanos — com a ajuda da mídia — focaram na Petrobras, justamente um tema que poderia ser o diferenciador entre propostas de governo, embora as diferenças tenham sido diluídas pela própria decisão de um governo petista de promover o leilão de Libra.

Por isso, a pergunta do título: a reação esboçada pelo PT será eficaz?

Na hora agá, nos parece que a eleição de 2014 será definida pela grande massa de eleitores que ascendeu socialmente nos últimos 11 anos, sem no entanto ter aderido ideologicamente ao PT ou à esquerda.

O projeto petista focou em melhorias sociais descoladas de um projeto de politização, que passaria necessariamente por inclusão digital universal e por democratização das comunicações como forma de escapar do discurso único.

Agora, a “grande massa” está em jogo. De um lado o poder da Globo + Abril + Folha + Estadão. De outro, a Agência de Notícias do PT.

Leia também:

Paulinho da Força diz que Dilma deveria estar na Papuda



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


86 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Paulo Henrique

09 de maio de 2014 às 15h48

Sem nanicos, Dilma tem 41% e Aécio e 14%, diz Datafolha
Estadão ConteúdoPor Ana Fernandes | Estadão Conteúdo – 4 horas atrás

Responder

Messias Franca de Macedo

05 de maio de 2014 às 16h35

Advogado de Pizzolato se manifesta pela primeira vez

Enviado por Miguel do Rosário on 05/05/2014 – 2:22 pm

– See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/05/05/advogado-de-pizzolato-se-manifesta-pela-primeira-vez/#sthash.Ez2xt57P.dpuf

#################

LÁ VEM O MATUTO AGONIADO!

NOTA I: logo após o término do julgamento do MENTIRÃO, os advogados dos condenados – literalmente – na Ação Penal 470 encaminharam documentos às empresas de mídia, incluindo a Globo, solicitando a confirmação ou não de recebimentos de pagamentos por serviços de publicidades prestados à VisaNet/Banco do Brasil. Quais foram as respostas?
O Banco do Brasil deveria, ao menos, respeitar o funcionário público de carreira Henrique Pizzolato… O Banco do Brasil – que é capaz de detectar a subtração de míseros R$0,1 dos seus cofres – não dispõe de ferramentas contábeis que possam reconhecer a natureza destas vultosas quantias? Enfim, os recursos movimentados da empresa privada internacional VisaNet são privados ou públicos (sic)?

NOTA II: por que a imprensa não entrevista os senhores Léo Batista dos Santos e Cláudio de Castro Vasconcelos, este último ex-gerente de Propaganda do Banco do Brasil, e *investigado em um inquérito que corre na 12ª Vara Criminal Federal de Brasília.

*inquérito que corre na 12ª Vara Criminal Federal de Brasília investiga a responsabilidade de Cláudio de Castro Vasconcelos no suposto desvio de dinheiro da Visanet para a DNA Propaganda, do empresário Marcos Valério, caminha devagar, sem grandes chances de se tornar efetivamente uma denúncia e, posteriormente, resultar num julgamento do ex-gerente de Propaganda do Banco do Brasil.
(…)
FONTE: http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Processo-contra-Claudio-de-Castro-Vasconcelos-anda-devagar/4/28040

Sobre o tal Léo Batista dos Santos,

a) A liberação dos recursos do Fundo Visanet para a DNA só poderia ser feita mediante solicitação, por escrito, do gestor do fundo, na época, representado pelo senhor Léo Batista dos Santos, nomeado no dia 19/8/2002, portanto, no governo Fernando Henrique Cardoso, tendo permanecido no exercício dessa função até 19/4/2005.

b) Ou seja, quando o Pizzolato ingressou na Diretoria de Marketing do BB, o Léo Batista já era gestor do fundo e assim se manteve até abril de 2005, como único responsável para cuidar dos assuntos relacionados às iniciativas do fundo de Incentivo Visanet.

c) No voto do ministro relator fica cristalizado que os documentos comprobatórios dos ditos “desvios dos recursos” do BB, que levaram à condenação do réu Henrique Pizzolato, teriam se dado a partir de quatro notas técnicas internas;

d) Esses documentos são assinados por dois gerentes de Marketing e Varejo e por dois diretores de Marketing e Varejo, sendo as assinaturas da área de Varejo (responsável pelos cartões de crédito e gestor do fundo) emitidas sempre pelas pessoas de Léo Batista ou Douglas Macedo;

e) Frise-se que essas notas técnicas internas não são documentos hábeis para liberação de recursos. Não há como deixar de mencionar que um outro gerente executivo de Marketing, o senhor Cláudio Vasconcelos, é a terceira pessoa que assina as referidas notas.

FONTE: http://limpinhoecheiroso.com/tag/leo-batista-dos-santos/

Messias Franca de Macedo
Feira de Santana, Bahia
República de ‘Nois’ Bananas

Responder

abolicionista

05 de maio de 2014 às 14h41

Acho que Aécio não vai levar essas eleições. Primeiro porque é o candidato dos ricos, não tem identificação popular. Segundo porque já disse que quer aumentar o desemprego (e essa notícia vai se espalhar, é uma questão de tempo, Aécio vai aumentar o desemprego). Terceiro porque Aécio é contra o bolsa-família, e o povo vai saber disso quando começarem os debates. Quarto, o PSDB é o partido mais corrupto do Brasil, é o partido que tem mais parlamentares ficha-suja. Finalmente, Aécio é defensor das privatizações.

O que o PT tem de fazer é evitar a baixaria e enfocar a exposição dos programas de governo.

Responder

ricardo silveira

05 de maio de 2014 às 13h52

Faz dois dias que um comentário que fiz espera moderação.

Responder

Mardones

05 de maio de 2014 às 12h00

A questão é devolver o PT às suas bases. Com esses dirigentes de controle remoto é que não dá.

Responder

Bernardino

04 de maio de 2014 às 14h47

Meus caros. Não é o PT ou a Dilma ou o governo. Somos nós, é o povo sofrido desse país, é a América do Sul mais progressista, é o dinheiro do Pré Sal pra educação e saúde. Tudo isso vai pro brejo se eles ganharem. Gostem ou não da Dilma ou do PT, mas se não formos pras cabeças, dançou. Não adianta agora chorar pelo leite derramado pelo PT e governo, ou vamos nós a luta ou já era. Se eles voltarem a paulada vai ser pesada sobre o trabalhador e aí eles não saem mais. Se precisar eles usam a força, pois eles não tem caráter e escrúpulo. Portanto chega de mimimi.

PERFEITO,MARIA as tuas belas PALAVRAS eu ja disse aqui que o Governo foi covarde ao bajular a grande MIDIA na esperança de uma boa convivencia e agora chegou a CONTA e a D DILMA parece entre aspas que acordou!!

Sou daqueles que nao perdoa o INIMIGO Canalha!!Porem o inimigo leal esse sim merece respeito.NO CASO em questao a diereitona e MIDIA BANDIDA so merecem CHUMBO NA CARA como fez o grande KICHNER E Crristina na ARGENTINA.

PORTANTO é HORA DE JUNTARMOS FORÇAS e esquecer os ERROS COMETIDOS e enfrentar essa GUERRA que sera de VIDA OU MORTE, ASO contrario a DIREITONA.CANALHA <CORRUPTA E APATRIDA tomara o PODER e adeus projeto de BRASIL!!!!!

Responder

Rodrigues

04 de maio de 2014 às 13h33

Esse governo de coalização PMDB/PT tem que ser mais esperto! Anunciar aumento (pequeno e necessário!) do BOsla Família no Dia do Trabalahdor é dar munição pra direitalha e pra velha-grande mídia!

Responder

Jose C. Filho

04 de maio de 2014 às 12h54

Com relação à reação do PT aos ataques violentos da mídia golpista e oposição reacionária, eu diria, antes tarde do que nunca. Agora, complementando o comentário do amigo internauta “Anac”, eu acrescento: Caso o PT perca as eleições presidenciais, gradativamente (talvez imediatamente)sofreremos perda aquisitiva considerável, a partir das “medidas amargas” anunciadas pelo pomposo candidato neoliberal. Além do que o Anac comentou, é bom lembrar à toda sociedade brasileira, principalmente à classe mpedia, que a carne bovina de 1ª e até 2ª passará a ser coisa rara na mesa, como era nos tempos do salário mínimo miserável do FHC. Depois não reclamem pelos ovos de galinha de granja e salcichas de 5ª categoria.

Responder

Nilva Sader

04 de maio de 2014 às 07h48

Ouvi de eleitores do PT pelo menos nas 3 últimas eleições, aqueles contentes porque o Lula/Dilma levaram luz para os rincões, entre outras melhorias na cidade onde moram seus familiares, que o PT fez muito mas parou, que está na hora de mudar o governo. Argumentei que se a Dilma for reeleita a situação poderá melhorar ainda mais. A resposta que recebi “se não tivesse tanto corrupto e roubado tanto, teria feito muito mais. A pessoa que falou isto em 2010 foi pra Bahia antes das eleições pra convencer a mãe dele a votar na Dilma porque o pastor a estava induzindo a votar no Serra. Agora pretende fazer um teste e mudar de governante.Claro que além de tudo tem o machismo embutido.

Responder

Bruno

03 de maio de 2014 às 21h13

Volta, Lula!

Responder

    Mauro Assis

    05 de maio de 2014 às 10h47

    Vai, Dilma!

Mauro Assis

03 de maio de 2014 às 20h11

Azenha, alguma dessas manchetes do Globo é mentirosa? Faça vc a lista das suas então, que contem a maravilha que é o governo Dilma…

Responder

    Mário SF Alves

    03 de maio de 2014 às 22h01

    Que tal essa?

    “As organizações globo são produto de interesses oligárquicos estrangeiros que em oposição ao bem comum e ao interesse nacional conspiraram contra a Democracia Brasileira e instituiram o regime militar em 64.”

    Portanto, tudo o que esse cavalo de troia disser contra o atual governo, tentando negar suas conquistas e desqualificá-lo na intenção de reduzí-lo a mero gerente e reprodutor desses mesmos interesses oligárquicos, pode e deve ser recebido com plena desconfiança.

    Cavalo de Troia/presente de grego/TV Globo: a única tecnologia graciosa e expontaneamente ofertada pelos EUA ao Brasil em gratidão e em nome do sucesso do golpe que derrubou o governo trabalhista do presidente Goulart.

    Mauro Assis

    05 de maio de 2014 às 07h33

    Pelo visto não há boa notícia mesmo, né Mário? Vcs atualmente preferem atacar o mensageiro porque a mensagem…

    O fato é que o governo Dilma só não é mais incompetente do que o governo Sarney. Até o Collor foi melhorzinho, pelo menos abriu a nossa economia.

    Volta Lula! Aliás, Vai Roussef!

    abolicionista

    06 de maio de 2014 às 08h32

    Sério, o próximo imbecil que repetir que o Collor abriu a economia merece ganhar a banana do Luciano Huck. Custa estudar um pouquinho economia política? Estudar o que significa a mundialização do capital?

    José Ricardo Romero

    04 de maio de 2014 às 10h42

    Com a licença do Azenha, aqui vai a resposta que você quer:
    O BRASIL DE 2014

    ➢ É a 7ª economia mundial

    ➢ É o 2º maior país exportador de alimentos

    ➢ É o 1º produtor e exportador de soja

    ➢ É o 1º produtor e exportador de café

    ➢ É o 1º produtor e exportador de açúcar

    ➢ É o 1º produtor e exportador de suco de laranja

    ➢ É o 1º produtor e exportador de carne bovina

    ➢ É o 1º produtor e exportador de frango

    ➢ É o 3º maior produtor de frutas

    ➢ É o 1º fabricante de jatos regionais

    ➢ É o 3º fabricante de aviões comerciais

    ➢ É o 4º mercado de veículos

    ➢ É o 7º produtor mundial de veículos

    ➢ Tem a 4ª maior indústria naval

    ➢ É o 2º maior produtor de minério de ferro

    ➢ É o 9º maior produtor de aço

    ➢ É o 4º maior produtor de cimento

    ➢ É o 4º maior produtor de celulose

    ➢ É o 1º em celulose de eucalipto

    ➢ É o 9º maior produtor de papel

    ➢ É o 7º maior fabricante de produtos químicos

    ➢ É o 8º maior produtor de alumínio primário

    ➢ É o 4º maior produtor de bauxita

    ➢ É o 3º maior produtor de alumina

    ➢ É o 5º maior produtor de têxteis

    ➢ É o 4º maior produtor de confecções

    ➢ É o 3º maior produtor de calçados

    ➢ É o 2º maior gerador de energia hidrelétrica

    ➢ É o 1º produtor de etanol e o 3º de biodiesel

    ➢ É o 7º maior gerador de energia elétrica e 9º maior consumidor

    ➢ É o 3º maior mercado de computadores pessoais

    ➢ É o 5º em telefones celulares e o 5º em telefones fixos.

    ➢ É o 4º país em usuários de internet e o 3º em número de servidores

    ➢ É o 4º país em extensão de rodovias

    ➢ É a 4ª maior força de trabalho (104 milhões)

    ➢ É o 7º maior mercado de consumo do mundo

    ➢ É o 5º em reservas internacionais (US$ 377 bilhões)

    ENTRE OS PAÍSES DO G20 O BRASIL DE 2014

    ➢ Teve o 9º maior crescimento do PIB em 2013 (2,3%0)

    ➢ É o 1º na proporção entre reservas e dívida de curto prazo (10 vezes)

    ➢ É o 2º na proporção entre reservas e importações (18 meses)

    ➢ Teve o melhor resultado primário médio entre 2008 e 2013 (2,54%)

    ➢ É a 6ª menor dívida pública bruta em relação ao PIB (57,2%)

    ➢ Tem o 4º maior investimento Educação (5,8% do PIB)

    ➢ Tem o 9º maior investimento em Saúde (8,9% do PIB)

    Mauro Assis

    05 de maio de 2014 às 10h45

    Amigo, eu não como ranking, nenhum ranking me transporta prá casa no fim do dia, muito menos garante a minha segurança. O ranking que me importa é o do preço do tomate, do arroz e do feijão.

    E se o Brasil é o primeiro na produção nisso, segundo naquilo etc é APESAR do governo, porque quem nos coloca na (relativamente) bem nessas listas é o empreendedor brasileiro, que é asfixiado por uma carga tributária nórdica que entrega serviços africanos. Todos os seus números são associados à iniciativa privada.

    Coloque aí algum número bom de desempenho educacional de nosso estudantes, por exemplo…

    O número de analfabetos aumentou no ano passado…

    eduardo c a silva

    07 de maio de 2014 às 09h06

    eh soh expor o quadro comparativo diariamente em jornais e out-dor e pronto.

ricardo silveira

03 de maio de 2014 às 17h51

O PT foi eleito, em grande parte, pela classe média de hoje que até ontem era pobre. Essa nova classe média passou a ter acesso à internet e por conta de não encontrar discursos que contrapusessem aos da oposição não votará mais em quem lhes garantiu o acesso à internet. O massacre que se vê da oposição e a fragilidade do Governo em defender-se levou a uma situação que não se imaginava pudesse ocorrer. Tudo bem que novas condições de vida, sem politização, tendem a levar a nova visão ideológica do mundo, mas a ponto de bandear para uma oposição que fala em reduzir salário, aumentar o desemprego, e, portanto, anular os ganhos já obtidos? Sei não, mas se o discurso da situação vier com a força que se insinuou esta semana, com a disposição do Governo em não deixar crítica sem resposta, não só fará o novo governo como avançará para mudanças mais significativas e sem volta. Por mais despolitizado, e por isso mesmo, o sujeito pensa no que ele ganhará com o seu voto. E a oposição não está lhe oferecendo nada.

Responder

    Bruno Passos

    03 de maio de 2014 às 21h22

    A culpa dessa situação é da elite branca, golpista e reacionária.

    Fabio Passos

    06 de maio de 2014 às 00h07

    Sim, mas preste atenção.
    É “elite” branca e rica.

    Não confundir ricaços poderosos com qualquer pé-rapado que lê revista veja e comenta em blogs.
    A “elite” branca e rica é muito diferente do lixo branco que milita no PiG. rsrs

JOão

03 de maio de 2014 às 16h16

Sou petista de carteirinha. Fundador. Mas me envergonho da direção pelega, autoritária e preguiçosa que elegemos. Um bando de acomodados, atrás apenas de cargos, desunida em torno de “seus mandatos”…
Se perderem as eleições não será surpresa. Dilma nunca foi do PT é uma pedetista até hoje, protege o PDT e deixou os tucanos continuarem mandando no governo, acobertados pelo PMDB, em várias áreas. A teimosia em negar-se a ter meios próprios de divulgação é um ato de traição ao partido e algum dia isso vai ser cobrado ( espero ) desses preguiçosos, medrosos e oportunistas que assumiram o controle do partido e pensam em apenas beneficiar-se dele, em conluio com as elites, que frequentam como os Marinho, o gabinete presidencial para conversar em segredo com “nossa” presidenta.
Helena Chagas no controle da verba de comunicação. Globo sendo paga por publicidade mesmo sem ter negativa da Receita federal…O que precisamos mais saber para comprender que Dilma, Falcão e companhia, traíram o PT?

Responder

    Julio Silveira

    03 de maio de 2014 às 17h05

    Prezado João, respeito sua indignação, sua bronca contra a Dilma procede, mas ela pode ser injusta quando atribui a ela o fato de ser PDTista. Ela é petista, e foi indicada ao cargo pelo maior cabo eleitoral petista, e pode-se dizer brasileiro, deste momento, o presidente Lula. E quando você faz ilação negativa ao PDT você reforça de forma míope um isolamento que é cada vez maior e mais festejado pelo opositores ideológicos do PT. Ainda não viu que muitos PDTistas estão fazendo fileiras cerradas na defesa deste governo, que é evidentemente petista até no cargos de maior representatividade do governo. A grande verdade, meu caro, e nisso você tem toda a razão, é que a Dilma usa, como boa petista, os piores quadros deste novo PT, este que luta de braçada para perder a identidade com os trabalhadores e trabalhistas. Os que se sentem bastante confortáveis participando dos convescotes da elite nacional, de aparecem na mídia como autoridades. Acreditando que já ascenderam a ela por merecimento. Esquecem que no Brasil se você for considerado sem berço pelas elites, nunca será aceito pelos que se intitulam sociedade quatrocentona, os rotuladores e intituladores juramentados. E que para ter acesso a uma sociedade a altura da vaidade e orgulho pretendidos, terão que criar seu próprio gueto. Como podemos constatar nos festivais exibicionistas de mediocridade, diferenças no apartheid que se vê entre os novo Rico e essa sociedade caduca quatrocentona. No Brasil de nova cultura poucos parecem se satisfazer com a simples dignidade.

Vlad

03 de maio de 2014 às 16h14

Eu acho que sim, agora que o companheiro André Vargas Ilário não é mais o Secretário de Comunicação do PT, pode ser que seja eficaz.

Se bem que me custa entender por que alguém defende um governo elogiado pelo Paulo Maluf e criticado pelo Olívio Dutra.

Mas deve haver resposta.
Ah se deve.

Responder

Urbano

03 de maio de 2014 às 13h10

Dá tempo, dá tempo… Só que não se pode mais alisar os bandidos fascistas; tem que se botar pra torar. Afinal de contas não se amansa leão que, embora de barriga cheia, assassina todo ser vivente que encontra em seu caminho, com simples psiuí, psiuí.

Responder

Mauricio Bernardi

03 de maio de 2014 às 12h39

É preciso dizer a verdade, sem enrolação. Os caminhos do trabalhismo, no estado burguês, são muito estreitos. Getúlio Vargas e João Goulart, que acreditaram que poderiam satisfazer aos dois lados, patronato e trabalhadores, foram defenestrados do poder. Fala-se em estado democrático de direito e imprensa livre, mas, o que há é o estado patronal e a mídia estatal, seu maior sustentáculo. São ingênuas as tentativas de “democratizar” a mídia. Criar uma mídia alternativa é até possível, mas, não sei se sustentável a longo prazo (ou em longo prazo, como querem os gramáticos mais exigentes). Parte da sociedade brasileira tem saudade dos anos de chumbo. Sempre haverá forte pressão desses grupos para por fim ao domínio trabalhista. Nossa história é entrecortada por períodos de ascensão do trabalhismo e de poder ditatorial. A mídia alternativa poderá até ser tolerada, não sei por quanto tempo. É preciso tentar. No caso dos blogs de esquerda há poucos interessados em colaborar financeiramente. É pena.

Responder

    Mauricio Bernardi

    03 de maio de 2014 às 12h44

    A principal arma do trabalhismo deve ser a resiliência. Deixem a mídia atacar à vontade: suas mensagens não vão muito além da classe média.

Fabio Passos

03 de maio de 2014 às 12h30

Não faz nenhum sentido contemporizar com estas oligarquias decrépitas do PiG.
As agressões violentas e cotidianas contra os trabalhadores e as forças progressistas são prova de que a casa-grande não aceita o resgate social da população pobre.

Para derrubar o Apartheid Social é preciso destruir o seu sustentáculo: O PiG.
É necessário fazer cumprir a constituição e acabar com o monopólio da informação que está nas mãos(patas!) da “elite” branca e rica.

Responder

    Bruno Passos

    03 de maio de 2014 às 21h27

    Exta, companheiro. Muito bem dito. O problema do Brasil é a “elite” branca. Concordo contigo.

Bonifa

03 de maio de 2014 às 12h01

Não temos a menor dúvida. O PT se levanta com uma unidade impressionante e um discurso de seus destacados líderes todo ele convergente para os maiores e também os mais imediatos interesses do povo brasileiro. Ver o PT assim, unido com a mesma mirada sobre o país e suas obrigações nacionais, é simplesmente magnífico. Nenhum partido grande como o PT, no mundo ocidental, consegue hoje fazer isso. O PT chega hoje a uma situação de quase completa encarnação e identificação com o povo brasileiro e os mais altos interesses do Brasil. Toda essa fracassolândia de seus adversários é estúpida e inconsequente. Esta reunião do PT, que demonstrou a grandeza que nem aqui nem alhures nenhum partido conseguirá demonstrar nos dias de hoje, nos dá a certeza da vitória de sua e de nossa causa, a causa mais alta que o país possa ter.

Responder

    José Ricardo Romero

    04 de maio de 2014 às 18h03

    UAU, Bonifa! Como você se ufana deste partido! Baseado em fatos, depois que a incômoda militância foi defenestrada, é que não deve ser. Esta elite petista acomodada nos seus gabinetes está a anos luz daquele antigo partido e da militância que levou estes políticos ao poder. Eu quero ver o PIG fazer “psiu, fica quieto moleque” para ver se essa direção corajosa lá dentro dos muros da sede da agremiação vai continuar com este aplomb todo. Só ficarei convencido desta jactância toda se este partido começar enfrentado aquilo que precisa ser enfrentado: o PIG. Vamos ver…

Rodrigo Leme

03 de maio de 2014 às 10h39

Já que o PT cassou democraticamente (só que não) aquele site poderia assumir o nome, condizente com o conteúdo das notícias que vai produzir: Gente que Mente.

Responder

Julio Silveira

03 de maio de 2014 às 10h10

O PT é como o bom escravo. Trabalha bastante, dá lucro para o sinhozinho, mas no menor dos deslizes recebe uma serie de açoitadas. Deslizes que os sinhozinhos praticam desde sempre. Mas eles podem, e eles decidem quem pode, a eles é permitido.
Mas também, como puderia ser diferente? se o bom escravo em todas as oportunidades de mostrar descontentamento com sua desdita desde sempre, esteve lá, dentro da casa grande, serviçal, para beijar as mãos dos sinhozinhos.

Responder

    Bonifa

    03 de maio de 2014 às 12h30

    O PT vai sair maior e mais depurado desta corrida eleitoral. Sócios de superficial ideologia pularam para a direita. O PT segue seu caminho para ser o partido líder de uma renovação mundial de visões dos destinos da Humanidade.

    Julio Silveira

    03 de maio de 2014 às 16h42

    Prezado Bonifa, eu iria sentir uma imensa satisfação se visse isso acontecer.
    Mas o PT, enquanto direção partidária, tem demorado bastante tempo para entender que seus principais apoiadores, mesmo simpatizantes, como eu, os elegeram para implantar aquela proposta antiga vendida, de mudança postural e cultural na politica brasileira. Não entenderam que representar trabalhador brasileiro, exige muito mais que “astucia”, que “pragmatismo”, exige muita responsabilidade e profundo conhecimento, sobre a avalanche de informações distorcidas, vindas a longa data dos principais adversários da cidadania, esses que fabricam sua formação cultural.
    O PT demora, e demonstrou em muitos momentos terem sido seduzido pela corte, foram permitindo que lhes tirassem o brilho aos olhos de grande parte de seus admiradores, e era fácil perceber que isso iria acontecer.
    Aprendi desde cedo que água e óleo não se misturam. E quando se briga contra a natureza, na tentativa dessa união, o que se produzirá será sempre dois produtos imprestáveis para o uso. Ou água poluída ou óleo imprestável para as necessidades. O PT tem que entender, quem quer ser água não poderá jamais querer juntar óleo a sua composição, sob pena de intoxicar muitos de seus ávidos apreciadores.

    Mário SF Alves

    03 de maio de 2014 às 21h19

    Prezado Bonifa,

    Se o que você acabou de dizer; essa profissão de fé pública; essa confiança na vitória da humanidade sobre o fascismo é passível de ser entendido como extremismo, somo forças com você, e posso dizer que por isso eu também me consideraria um extremista.

Rosana Evangelista

03 de maio de 2014 às 07h08

O PT é o único partido sério e ético deste país. O resto, que falam na mídia da “elite branca”, reacionária e golpista, é mentira. Lula nunca soube, e o mensalão nunca existiu.

Responder

    Fabio Passos

    03 de maio de 2014 às 13h05

    A militância do PiG, racista e preconceituosa, tem vergonha de mostrar a cara e defender aécio never. rsrs

    Tem desprezo pelos pobres, não gostam de pretos, querem entregar tudo aos ianques… mas não tem coragem de escrever o que pensam.
    Por que será que o lixo branco que lê veja é tão covarde? rsrs

Sr. Indignado

03 de maio de 2014 às 02h20

Como assim tarde? Ainda não vimos o cedo, só ameaça.

É preciso abrir esse jogo da mídia corporativa, mostrar onde e por quem são tomadas as decisões editoriais, a agenda. Onde é a mesa editorial? Quem paga? Quem decide? Como é esse mecanismo?

Tem que reverter essa retórica golpista!

Responder

José X.

03 de maio de 2014 às 01h12

Eu acho que o pior ainda está por vir, alguma jogada combinada do barbosa com a globo (é a única que realmente conta no PIG)…Vai ser um ano difícil. Em 2015, se estiver no Planalto (algo que desejo ardentemente) Dilma vai ter que se mexer contra a globo e contra o stf, não tem jeito, senão eles vão fazer o Brasil retroceder 50 anos em 4…

Responder

anac

03 de maio de 2014 às 01h12

O programa da oPÓsição = Medidas impopulares = CONGELAMENTO DO SALARIO MINIMO
ARROCHO FISCAL = MENOS HOSPITAIS, MENOS SAÚDE, MENOS EDUCAÇÃO, MENOS TRANSPORTE PÚBLICO, EXONERAÇÃO DE SERVIDORES, AUMENTO DA TAXA DE JUROS.
É escolher QUEBRAR O BRASIL PELA QUARTA VEZ.
Quanto aos institutos de pesquisas, o dono do IBOPE MONTENEGRO vaticinou em 2010 que Lula não faria seu sucessor. Fez Dilma.
Até próximo das eleições as pesquisas serão manipuladas na tentativa de alavancar as candidaturas dos políticos aliados do PiG, Aecio e Dudu.

Responder

    anac

    03 de maio de 2014 às 08h34

    Rezem os classe media ABC e os pobres que seja eficaz, senão podem dar adeus ao pouco conquistado. Salario minimo congelado vai voltar a valer 20 dólares da época de FHC. Classe media C retorna a pobreza e a media media terá seus filhos retornando a condição de desempregados. Todos podem dizer adeus as escolas técnicas e faculdade.

    Mário SF Alves

    03 de maio de 2014 às 22h20

    Ou seja:

    Ou somamos nossas forças na defesa do governo atual, na consolidação da Democracia e no respectivo projeto de interesse nacional, ou novamente vamos ver os abutres representantes do neoliberalismo oligárquico detonar tudo e, junto a isso, junto a essa tragédia social, nossas ainda frágeis conquistas indo todas por água abaixo.

    Sangue, suor e lágrimas: de novo, tudo por nada.

    Será?

renato

02 de maio de 2014 às 23h34

Quem não vai receber ajuda da Saúde por falta de preenchimento de documentos….
Quem vai pagar por isto a sociedade?
http://www.brasil.gov.br/saude/2014/05/ministerio-da-saude-suspende-recursos-de-1-027-cidades

Responder

Guanabara

02 de maio de 2014 às 22h20

O PT vai perder a eleição para o próprio PT. Impressionantes a morosidade, a passividade, a total falta de ação. Dilma foi espancada pela mídia desde o início de seu governo, na verdade, até antes de ser eleita, E NÃO MEXEU UMA PALHA PARA SE DEFENDER!

Já dizia Sun Tzu, vencedores primeiro ganham a guerra e depois vão para o combate. Perdedores vão para a guerra e depois tentam vencê-la. O PIG saiu anos luz à frente, sem a menor discrição e o PT fez NADA.

Responder

    Rosana Evangelista

    03 de maio de 2014 às 07h15

    Que é isso, companheiro!? Nós vamos ganhar as eleições presidenciais, nós temos o Bolsa-Família!

    Luiz Pereira

    03 de maio de 2014 às 10h52

    Por traz do PIG existe todo o poder econômico da elite, uma capacidade logística muito acima da do PT. O mundo tem se curvado a este Poder obscuro, não é tão simples confrontar uma estrutura conservadora com laços firmes com o corporativismo internacional. Ou se concede as vantagens pretendidas ou massacram até mesmo o país inteiro (vide Venezuela). Compete aos progressistas combater com as armas que possuem, sabendo de antemão que estarão sempre em desvantagem, mas que com a verdade se pode mudar o jogo. Que Deus ilumine o nosso Brasil antes que o neoliberalismo nos elimine.

    Mário SF Alves

    03 de maio de 2014 às 22h35

    Gostei disso. Parabéns, Luiz. Quem morre de véspera é peru de natal. Você disse bem, a luta no que tange à experiência histórica e poder de manipulação das consciências das oligarquias é brutalmente desigual.

    No entanto, ainda que mundo servido ou comandado por robos é do povo que o poder se origina ou emana, portanto… a força sempre estará com o povo; entorpecida ou não.

FrancoAtirador

02 de maio de 2014 às 22h15

.
.
A PAUTA DA MÍDIA EMPRESARIAL TUCANA [G.A.F.E.]*:

O COPO ‘MEIO CHEIO’ DO PSDB E O ‘MEIO VAZIO’ DO PT

02/05/2014 13:36, última modificação 02/05/2014 17:25
Rede Brasil Atual (RBA)

Pensamento Único

Falta de Democracia nas Comunicações
atinge também a Economia do País

Crises artificialmente forjadas pela mídia,
com fins políticos, têm outros impactos.
Falta à imprensa a serviço da oposição [PSDB] mostrar a parte ‘meio cheia’ do copo [do PT]

Por Helena Sthephanowitz

Já há amplos estudos sobre a falta de democratização dos meios de comunicação de massa, sobretudo a televisão, na influência política.

A mídia influiu na sustentação da ditadura e nos resultados das eleições após a redemocratização.

Mesmo que desde 2002 não consiga decidir quem sai vitorioso nas eleições presidenciais, a mídia conservadora e neoliberal tem sido decisiva para levar as eleições ao segundo turno.

Tem sido fundamental também para eleger um parlamento de maioria conservadora, que impede reformas populares e conserva os privilégios de quem detém o poder econômico, incluindo aí os donos da própria mídia.

Influi ainda na formação do espírito antipolítico do cidadão, sempre associando organização partidária e social não a instrumentos de conquistas populares, mas sempre e quase unicamente a escândalos de corrupção.

Isso se dá pela predominância de um pensamento único conservador e neoliberal nas linhas editoriais, contrário a qualquer pensamento transformador do sistema econômico vigente, onde demandas populares diferentes desta linha não têm voz.

Com a influência política insuficiente para decidir eleições presidenciais nos três últimos pleitos, passou a haver uma tentativa de influir na própria economia.

Sucessos, como o cumprimento de metas de inflação, são noticiados como se fossem fracassos.

Aliás, até que ponto o próprio alarmismo do noticiário sobre esse tema, como se a inflação fosse a toda hora sair de controle, não tem afetado a própria realimentação da inflação em algum grau?

Até que ponto a “overdose” de sensacionalismo tem influído nos ânimos de comerciantes para aumentar os preços?

O pior é que aqueles que caem na tentação de subir preços sem que seus custos tenham aumentado, apenas por influência do noticiário, acabam diminuindo as vendas, ou perdendo mercado para o concorrente que não subiu, desaquecendo seu próprio negócio.

Se esse noticiário deixar de contaminar marginalmente e contaminar a maioria, afeta o próprio crescimento do PIB.

E até que ponto o mesmo noticiário tem influído no desânimo do consumidor, artificialmente fabricado, tanto para resistir a aumentos, como para reduzir o consumo?

Note que não se trata de controle dos meios de comunicação e nem de censura.

Pelo contrário, democratização significa ampliação de vozes, aumento da concorrência no mercado de informações.

Ninguém está querendo calar as atuais TVs conservadoras e neoliberais, mas é preciso que o telespectador tenha também acesso a outras fontes de informações com visões diferentes e que informem dados sonegados pelos atuais donos da mídia.

Recentemente a empresária Luíza Trajano, dona do Magazine Luiza, surpreendeu ao dar uma visão diferente da linha editorial dos noticiários das Organizações Globo.

Luíza, em um debate sobre a economia em canal de TV por assinatura, usou uma figura de linguagem bastante popular e disse que os críticos só enxergavam o copo meio vazio [do Governo Federal, PT à frente], nunca enxergavam a parte meio cheia do copo.

Claro que um noticiário para ser completo deve mostrar tanto a parte meio cheia, como a parte meio vazia do copo.

No entanto há um oligopólio na mídia que prega um pensamento único e que só noticia a parte meio vazia.
Falta ao cidadão o direito de ser informado em sua plenitude, da parte meio cheia do copo.

Se o tema democratização dos meios de comunicação de massa até hoje despertou paixões políticas, agora já é fator de ordem econômica também.

Um noticiário prolongado que falseia sistematicamente as reais expectativas econômicas, pode demover empreendedores de empreender, consumidores de comprar o que precisam, prejudicando a economia como um todo e a prosperidade dos cidadãos e da Nação.

(http://www.redebrasilatual.com.br/blogs/helena/2014/05/falta-de-democracia-nas-comunicacoes-atinge-tambem-a-economia-5169.html)
.
.
Consórcio da Mídia Empresarial Tucana – COMET [G.A.F.E.]*

dita a pauta para o PSDB de Aébrio Nébulus & Corporation

e continua prenunciando e anunciando um Apagão Imaginário,

principalmente por meio dos lacaios das Organizações Globo,

enquanto um silêncio sepulcral paira sobre a incompetência

do Governo Paulista no planejamento do fornecimento de água

e sobre a corrupção no Metrô nas gestões tucanas em São Paulo.

Por exemplo, ninguém viu ser destacada e repercutida manchete

nos veículos de comunicação da COMET com a seguinte notícia:

APÓS LEILÃO, ENERGIA ELÉTRICA ESTÁ GARANTIDA ATÉ 31/12/2019

RESULTADO FOI OBTIDO GRAÇAS À PARTICIPAÇÃO DAS ESTATAIS FEDERAIS

Dois terços (68%) do volume contratado foram ofertados no pregão
pelas estatais do Grupo ELETROBRÁS e PETROBRÁS [!!!].

Do total comercializado, a Eletronorte respondeu por 40,5%
seguida pela Petrobras com 18,3% e por Furnas com 9,44%.

O montante financeiro envolvido nos contratos fechados pelo leilão,
com duração de cinco anos e oito meses, é de R$ 27,28 bilhões.

Foram comercializadas cinco usinas na modalidade por disponibilidade (biomassa e gás) e 15 em contratos por quantidade (hidrelétricas).

Para distribuidoras, foi suprida a quase totalidade (85%) de energia,
uma vez que tiveram 2.046 MW da sua exposição involuntária coberta
e apenas cerca de 350 MW médios teriam ficado descontratados.
.
.
(http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2014-04/para-distribuidoras-leilao-supriu-grande-parte-da-energia-necessaria)
(http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2014-04/leilao-para-compra-de-energia-existente-contrata-2046-megawatts-medios)
(http://migre.me/j2iPO)
.
.
Leia também:

Entenda o boicote tucano ao leilão de energia elétrica.

E por que não haverá o tal apagão do Sarda e da Leitão.

Por Fernando Brito, no Tijolaço, via Contexto Livre

(http://www.contextolivre.com.br/2014/04/entenda-o-boicote-tucano-ao-leilao-de.html)

Responder

Rodrigo

02 de maio de 2014 às 21h59

Acreditar na imprensa que quer derrubar o governo ou acreditar naquilo que o governo fala e na imprensa que sonha em ser financiada por ele?

Acho que no final das contas é melhor agir como grande parte da população brasileira e não acreditar em ninguém.

Responder

    Mário SF Alves

    03 de maio de 2014 às 22h46

    É… de fato… haja empenho, haja determinação, haja conhecimento de causa, haja conhecimento histórico.

    Haja ciência. Haja economia política.

    Ainda bem que sobram motivos para exorcizar o ecomicismo neoliberal.

    Não fosse isso, não fosse a experiência pessoal e coletiva, não fosse também a importância dos líderes que elegemos, decerto ficaríamos todos arriados à beira do caminho.

Carlos Cruz

02 de maio de 2014 às 21h51

O PT tem tudo pra ganhar. E ganhar em Minas e SP. Mas falta coragem que antes existia, de partir pra cima. Falta. Deitado em berço esplêndido. Quando acordará?

Responder

Fabio Passos

02 de maio de 2014 às 21h49

A miliância política anti-PiG nestas eleições de 2014 é um dever para todo cidadão e organização comprometidos com a luta por justiça social e democracia.

O psdb-PiG quer o retrocesso social e político do Brasil.
O jogo imundo dos golpistas pretende interromper a ascensão social da maioria trabalhadora e destruir a soberania brasileira permitindo a pilhagem de nossas riquezas pelos interesses imperialistas.

É dever das forças progressistas enfrentar a máquina de propaganda política da “elite” branca e rica.
Nenhuma fraqueza ou dubiedade na ação política do governo ou do PT justifica arrefecer na luta contra a pior “elite” do mundo.

Responder

    Rosana Evangelista

    03 de maio de 2014 às 06h59

    Companheiro, hoje, a elite somos nós!

    Fabio Passos

    03 de maio de 2014 às 12h36

    Não sou companheiro de militante do PiG. rsrs
    Não topo racista, facista, leitor de veja, direitista ou qualquer outro tipo de lixo branco mal instruído…

    assalariado.

    03 de maio de 2014 às 13h35

    Rosana Evangelista, meu sonho é viver num país sem elites, no amplo sentido da palavra. Sim, de qualquer tipo.

João de Azevedp

02 de maio de 2014 às 21h05

Sugado do blog terragoyazes.zip.net:

“…O que está acontecendo? me pergunta aflito um amigo, velho militante do PT e apoiador do governo Dilma. O que esse povo quer, se a situação macroeconômica do país, agora, está muito melhor do que esteve no governo dos tucanos? Concordo com ele. A situação geral do país, hoje, é bem melhor do que no período ruinoso dos governos de Fernando Henrique. Mas há algo mais, respondo ao amigo petista. Há uma insatisfação difusa no ar. Mas o povo não está feliz com o governo, conforme atestam as pesquisas? Estava. Nos 08 anos de governo Lula, o povo, de uma forma geral, se encontrou com sua auto-estima perdida. Lula, como o grande estadista intuitivo que é, sabia sinalizar para as multidões aonde o país estava indo. Balizava um caminho, o trabalhava com a ajuda de ícones simples, porém fortes, sinais inequívocos de uma brasilidade há quase esquecida, e arrastava a multidão atrás de si. Esse é o comandante inato, que aponta um caminho no meio da tormenta e toda a tripulação o segue, resoluta. Feita a troca de governo, o povo descobre em Dilma Roussef uma comandante tíbia, hesitante e, pior, disposta a compor com inimigos que, até há pouco, fustigavam sua embarcação. Os atos de Dilma, fritando ovo na Rede Globo e almoçando com os Frias na Folha de São Paulo, passaram uma mensagem subliminar de rendição a um inimigo que até ali lhe dava um combate feroz.

E isso foi só o começo. Ao sentir o gosto de sangue, a matilha da mídia partidarizada e golpista avançou sobre o governo Dilma de uma forma audaciosa e destemida. Acusações, sem provas, derrubaram vários ministros que, sem nenhuma defesa por parte de Dilma, foram sendo demitidos um a um. Pronto. A mídia golpista e a oposição sem votos haviam conseguido estabelecer uma cunha no governo Dilma, mantendo-a encurralada e nas cordas. Dilma, presidente de um governo petista e de esquerda havia beijado a cruz. Dilma, há pouco eleita com 55% dos votos do país, de forma inexorável havia incorporado a pauta nefasta da direita e da mídia golpistas. Se dúvidas haviam, o abandono do Marco Regulatório da Mídia, proposto por Franklin Martins, as dissipou completamente.

Um exemplo cristalino dessa guinada à direita foi o tratamento dado pelo governo às pautas reivindicatórias do movimento sindical e, de forma emblemática, dos servidores públicos. Acostumado a um diálogo respeitoso durante os governos Lula, os sindicatos se surpreenderam com a arrogância e a dureza de Dilma no processo de negociação. Quando a negociação era com as interlocutoras do governo, os sindicalistas descobriram que as ministras Miriam Belchior, Ideli Salvati e Gleisi Hofmann eram mais duras e inflexíveis que a própria presidente. Ouvi, à época, de mais de um militante do movimento sindical: mas esse é o nosso governo? Esse é o mesmo governo que nós elegemos e que daria continuidade ao governo Lula? Além de bater, de forma dura e desrespeitosa, em todo o movimento sindical durante o processo de negociação, Dilma fez, no serviço público, uma inflexão pendular inversa ao que Lula fizera: ao invés de continuar reconstruindo o serviço público e reforçar o poder decisório do Estado na eterna briga com as elites predatórias, Dilma se rendeu à chantagem midiática e empresarial. Estupefação e desencanto foram as reações dos sindicalistas e servidores públicos: ontem, tratados por Lula como parceiros no processo de reconstrução do Estado, dilapidado pelo tucanato; hoje, tratados por Dilma como adversários e inimigos.

O que aconteceu? perguntava-se à época. Dilma havia sucumbido à síndrome de Estocolmo, aquela em que a vítima se apaixona pelo algoz e introjeta em si todos os valores que até então combatia? Ou Dilma havia se rendido à realpolitik e se convencido que governar com as elites e a mídia era menos custoso e menos desgastante? O fato é que Dilma, refugiada num discurso técnico e gerencial, beijara a cruz do Deus-mercado, passando a repudiar a ação política, como se isso fosse possível no cargo de presidente da República. Para não deixar dúvidas quanto aos novos aliados do governo, Dilma completara a inflexão iniciada lá atrás, quando resolveu afrontar sindicalistas e servidores públicos: passou a conceder gordas e generosas desonerações a setores empresariais variados, os mesmos que até há pouco, mordiam-lhe os calcanhares; os mesmos que sempre bradaram pelo Estado mínimo.

Agora, com a voz rouca da ruas chegando até os salões do Planalto, Dilma deve estar se perguntando: o que deu errado? Esse movimento do Passe Livre, já vitorioso em seu embate principal de redução das tarifas, pode dar-se por satisfeito e se desmobilizar. Ou pode também, financiado e orquestrado pelos novos aliados de Dilma (elite empresarial e mídia parcial e golpista, com uma mãozinha da CIA, é claro) partir pra cima do governo Dilma e exigir-lhe, com acusações difusas, o impeachment. Tardiamente, Dilma descobrirá que errou. E descobrirá também que não é Lula, já que seus interlocutores escolhidos são outros.

Uma voz sensata no governo pode lançar o pedido de socorro aos únicos segmentos que podem salvá-la, se a sanha e a escalada golpistas continuarem: os movimentos sociais, os sindicatos, as centrais sindicais e os servidores públicos. Trágica ironia. Nessa hora, seguramente, ouviremos de sindicalistas e servidores públicos o desabafo: é, dona Dilma, nada como um dia após o outro, com uma noite no meio…e correrão a salvá-la, ainda que a contragosto. Pois, sindicalistas e servidores públicos, sabem bem pra que lado a banda toca. E quem são, de fato, aliados e inimigos.

Salvarão Dilma mas apresentarão a fatura ao PT e à Base Aliada: Em 2014, com Dilma, não dá!”

Responder

luiz

02 de maio de 2014 às 18h19

Se Dilma perder, bem feito. O PT de hoje só pensa nele mesmo! Só interessa o poder e mais nada… O Serra num certo debate politico jogou na cara da Marta Suplicy, que tudo o que ela dizia contra o Serra virava paradoxo… pois o PT na Assembleia votava a favor desse Sr. qdo governador. Esse é o PT de hoje, só pensa neles. Cade o PNBL prometido?
Se isso tivesse saído do papel derrotaríamos o PIG! Claro temos um Ministro que favorece as teles e a grande mídia… lamentável!

Responder

    Francisco

    02 de maio de 2014 às 22h06

    A militância não está nada, nada contente. Votamos no PT, mas é muito irritante. Muito!!!

    Até um débil mental sabe que essas coisas têm de ser feitas com antecedência. O trabalhador menos estudado do mundo sabe que não adianta fazer tudo certo no local de trabalho, se o chefe do turno não ficar sabendo. Quem está sabendo o que o PT tem feito?

    Depois que a pessoa cristaliza uma opinião é duro de mudar, mesmo quando a opinião não tem o menor fundamento factual ou lógico.

    Esta ficando “na moda” ser contra o PT, porque? Porque “é moda”!

    Não tem um “porque” racional.

    O PT deixou isso acontecer e depois vem pedir apoio da militância.

    Vá se danar, PT! A paciência da militância esta no limite, no limite!!!

    Essa eleição é a última que vou me importar com o PT se a Lei de Mídia não for feita (e tem de ser BEM FEITA!!!!) no próximo mandato.

    É isso ou tchau.

    anac

    03 de maio de 2014 às 01h20

    Tucano rolabosta inflitrado se passando por petista militante.kkkkkkkkk

    anac

    03 de maio de 2014 às 01h38

    Tucano infiltrado. Rola bosta detect!

ANDRE

02 de maio de 2014 às 18h13

leiam esta:
http://www.conversaafiada.com.br/politica/2014/05/02/tijolaco-analisa-o-sensus-do-aecio/
Tijolaço analisa
o Sensus do Aécio

Espontânea ? De R$ 110 mil ?

Do Tijolaço:

Vem mais pesquisa “espontânea” aí…A ordem é manter o fogo incessante.

Sábado sai nova pesquisa eleitoral para Presidente, desta vez da Sensus.

Não foi encomendada por ninguém, oficialmente.

É apenas uma “curiosidade” da empresa, no valor de R$ 110 mil reais.

Antes, a Sensus trabalhava para a Confederação Nacional dos Transportes, que a trocou pela MDA, cuja pesquisa saiu estes dias.

Na qual, aliás, pela primeira vez na história do Universo, desde o Big Bang, Aécio Neves cresceu, parecendo com de quatro a cinco pontos mais do que em qualquer outro levantamento.

Agora, sem contratante, tira do bolso.

Tudo em nome da ciência estatística.

Nada a ver, claro, com o interesse do tucanato e da mídia em manter o fogo permanente sobre Dilma Rousseff.

É que, como se sabe, o Brasil é um país onde a política é “limpinha” e as pesquisas são apenas, como se costuma dizer, “o retrato do momento”.

Algumas vezes com uma boa sessão de Photoshop.

Responder

Fabio Passos

02 de maio de 2014 às 18h13

O PiG é o sustentáculo do Apartheid Social.
Máquina de propaganda da “elite” branca e rica.

As oligarquias decrépitas do PiG são inimigas do povo… e assim devem ser tratadas pela esquerda.
Sempre. Em toda e qualquer circunstância.

Dstruir o PiG é implodir a casa-grande.
Vamos colocar este lixo abaixo!!!

Responder

Walter

02 de maio de 2014 às 18h02

O que esperar de gente como ideli salvatti, vaccarezza, palocci ,Paulo Bernardo e Zé cardoso, só para citar alguns….
No meu Piauí por exemplo, gente como Assis Carvalho, wellington dias ….
É muito nego burro, oportunista, mal preparado e mau intencionado junto.
É a lama em vários matizes.
A construção ideológica do PT veio de uma raiz que ou o partido cooptou, como os sindicatos e a pelegada ou obrou na cabeça , como os servidores públicos.
Taí o resultado. A classe C é conservadora e ignorante., consumista, religiosa e apolitizada.

O PT não é mais a esperança que vence o medo.
Tempos sombrios se avizinham….

Responder

    TONY-SC

    02 de maio de 2014 às 18h40

    Quaquaqua! E quem poderá salvarnos? o Super-Aébrio que descerá dos céus em seu heliPÓptero dourado! Vai dormir, robô tucano!

    anac

    03 de maio de 2014 às 01h18

    PÓPará.
    O programa da oPÓsição #somostodospingunços.

    Maria

    02 de maio de 2014 às 20h00

    Meus caros. Não é o PT ou a Dilma ou o governo. Somos nós, é o povo sofrido desse país, é a América do Sul mais progressista, é o dinheiro do Pré Sal pra educação e saúde. Tudo isso vai pro brejo se eles ganharem. Gostem ou não da Dilma ou do PT, mas se não formos pras cabeças, dançou. Não adianta agora chorar pelo leite derramado pelo PT e governo, ou vamos nós a luta ou já era. Se eles voltarem a paulada vai ser pesada sobre o trabalhador e aí eles não saem mais. Se precisar eles usam a força, pois eles não tem caráter e escrúpulo. Portanto chega de mimimi.

    Antonio Lima

    03 de maio de 2014 às 11h26

    Considero esse como sendo o melhor comentário, penso assim também.

Bacellar

02 de maio de 2014 às 17h46

Bela forma da mídia tradicional contornar a falta de credibilidade advinda de anos à fio distorcendo fatos e criando factóides…Ao se criar conteúdo para a rede muita gente divulga sem checar a fonte, aí fica aquela coisa de “recebi de fulano” e “meu amigo” postou quando não passa de mais um factóide dos jornalões…Podem ser uns fdp mas burros esses caras não são…

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    02 de maio de 2014 às 17h51

    É isso Bacellar. É o produto às vezes podre da mídia, só que agora chancelado individualmente por gente em quem amigos e parentes confiam…

    Bacellar

    03 de maio de 2014 às 12h24

    Pois é mestre. Fico a imaginar o peso das redes sociais, considerando a progressão de vendas de smartphones e pacotes de internet, em 2018 e 22…

Carla Lopes

02 de maio de 2014 às 17h18

“”O ex-presidente Lula é a bomba atômica que garante vitórias eleitorais.””

Perdeu duas vezes para Fernando Henrique em primeiro turno.

Responder

    Fabio Passos

    02 de maio de 2014 às 18h19

    E depois fhc foi diretamente responsável pelas três vitórias consecutivas do PT.
    E agora em 2014 fhc vai patrocinar o extermínio político do PiG-psdb. rsrs

    É o fim definitivo do lixo branco que lê veja.
    Contemple.

    TONY-SC

    02 de maio de 2014 às 18h50

    Conta a lenda que FHC ganhou duas eleições do Lula…

    Em 94, sufando no plano Real de Itamar Franco! Em 98 segurando o dólar até o limite da irresponsabilidade e a inflação estourando a divida pública (é só verificar quanto cresceu em termos percentuais. Nas duas vezes com apoio global e irrestrito da midia e da Bolsa, enquanto se demonizava o “comedor de criancinhas”.

    Desde que a esperança venceu o medo, o povo conheceu Lula e Dilma, e o governo petista mostrou como se governa, o FHC não ganha nem em Higiênópolis, nunca mais. O índice de popularidade no fim do seu Governo de corar o Busch…
    Enterra que é negócio.

    TONY-SC

    02 de maio de 2014 às 19h11

    Conta a lenda que FHC ganhou duas eleições do Lula…

    Em 94, sufando no plano Real de Itamar Franco! Em 98 segurando o dólar e a inflação até o limite da irresponsabilidade, estourando a divida pública (é só verificar quanto cresceu em termos percentuais no seu 2ª mandato). Nas duas vezes com apoio global e irrestrito da midia e da Bolsa, enquanto se demonizava ao “comedor de criancinhas”.

    Desde que a esperança venceu o medo, o povo conheceu Lula e Dilma, e o governo petista mostrou como se governa, o FHC não ganha nem em Higiênópolis, nunca mais. O índice de popularidade no final do seu Governo é de corar o Busch…
    Enterra que é o melhor negócio.

TONY-SC

02 de maio de 2014 às 17h07

Meia dúzia de blogueiros contra todo o poder econômico do PIG, turbinados por verba publicitária ública graúda, que alimenta não só a midia tradicional mas todas a rede digital… E o PT acha que é suficiente, vá entender. Estou achando a estratégia meia burra se querem saber…

Responder

    Carlos Cruz

    02 de maio de 2014 às 20h11

    No primeiro governo petista a Globo estava quebrada. Endividada em dólar até o pescoço, fazendo agua igual ao Titanic. O PT a salvou. E a entupiu de dinheiro de propagandas do governo federal, piorando no governo Dilma. A Veja recebeu empréstimo do gov. federal. Em qual estado do pais a Petrobras investiu mais do que em Pernambuco? Bilhões! O PT acossou o funcionalismo público em todo seus governos, com greves extensas, desgastantes, judicializadas e polícia. Perseguiu aliados, tratando-os como inimigos. E inimigos como aliados, dando-lhes TUDO que queriam (e agora querem sua alma). Vão tentar desossar D.Dilma, PT & Cia. A oposição invejava e temia a capacidade do PT de mobilizar através dos sindicatos pessoas, formando e influenciando opiniões. Temia sua credibilidade. Hoje temem? Há credibilidade? Quem levantará a bandeira? O Pt esqueceu que pessoas e não conchavos ganham eleições. Hoje chega a cobrança dos erros que põem em risco Petrobras e outras empresas nacionalistas. 2014 promete…

    anab

    03 de maio de 2014 às 01h37

    Com os tucanos vais ver o inferno. Tu sabes disso. Vai nessa que tu vai se arrepender amargamente. Se está achando ruim agora é porque não sentiu o arrocho dos tucanos. Deixa de burrice.

    Marcos F. L.

    03 de maio de 2014 às 14h38

    Vejam o título da capa “O NÓ DAS CONTAS PÚBLICAS” quer dizer que segundo as organizações globo governo responsável e austero era o do PSDB que recebeu o país de Itamar Franco com divida controlada (DLSP 30% DO PIB) e mesmo com SELIC a 40% a inflação chegou a 12% ao ano.Com os cortes em várias aéreas não impediu o avanço da DLSP que cegou a mais de 60%, mesmo vendendo as empresas estratégicas do país.

    carlos cruz

    03 de maio de 2014 às 18h57

    Olha o palavreado, anab. O site é de idéias e não de ofensas. Estou temeroso, como parece vc tambem estar (por isso o descontrole…) da vitória dos “gloriosos”, puros e virgens da tal “oposição”. Sei o que é ficar sob o julgo demo-tucano. Mais que vc. Mas ou o PT muda ou será retirado do poder. Ou o PT volta a suas origens, e volta com credibilidade, ou TUDO que foi feito vai ser destruido. AS CARTAS ESTÃO NA MESA. O acordo entre Eduardo-Aecio, de não agressão, tentando um deles conseguir o segundo turno, quando se unirão e ratearão o governo federal, está posto. O que me incomoda é a miopia petista. Ou então eles tem uma carta escondida (o que duvido, é miopia e arrogancia). Acorda PT. Não é uma eleição, mas uma guerra. Já basta o imobilismo no mensalão, nas denuncias contra a Petrobras, ou não. Voltem-se, com clareza e compromisso, aos trabalhadores e empresários NACIONALISTAS, mas sem xenofobia. O Brasil dos brasileiros, plural. Mas olha o palavreado, anab…

    Bruno Leite

    08 de maio de 2014 às 14h34

    Concordo com Carlos Cruz. Todas as vezes que teve a chance de promover maiores avanços, os governos do PT se escudavam no discurso de que “não podemos ser voluntaristas” – um álibi para governar para os inimigos.
    No governo Dilma chegamos ao auge: greve histórica no ensino federal, promessa de doação de bens reversíveis às piores operadoras de telefonia do mundo dito civilizado, privatizações concentradas da parca estrutura aeroportuária que o país construiu (sem tirar da gaveta nenhum dos projetos de novos aeroportos que dormem na Infraero; por que não privatizaram os que ainda precisam sair do papel?), PDVs arrasadores nas estatais de energia e petróleo, boicote ao projeto de democratização e normatização da mídia desenvolvido no final do governo Lula, financiamento maciço (via SECOM) dos porta-vozes dos interesses contrários…
    Se por um lado esse governo soterrou com empenho todas as oportunidades de fritar a oposição (e continua soterrando, vide as declarações da ministra do Meio Ambiente sobre o sistema Cantareira), por outro lado não perdeu uma única chance de tentar demolir os “inimigos internos”, vide a declaração de “precisa investigar mesmo!” da presidente da Petrobrás no dia em que a oposição colhia votos para a CPI.
    Esse é um governo que demoliu as suas próprias bases, talvez acreditando que conquistaria apoio do outro lado com as “medidas duras” que citei acima (isto é, que traíram o projeto político que o elegeu) e/ou com o verdadeiro “mensalão da mídia” promovido pela SECOM nesses anos.
    E viva a ocupação militar da Maré!
    Entendo que para a população (eu no meio) o governo Dilma é próximo do que seria um imaginário governo Dona Ruth: pro mercado quase tudo, mas com uma enorme rede de apoio social.
    E agora teremos que escolher entre isso (a Dona Ruth vermelha) ou o “inferno” que o ANAB anotou sobre os legítimos tucanos.
    Pode ter o meu voto – vou acabar seguindo a lógica do ANAB – mas, pelo que vivemos de 2011 até aqui, Dilma não conta comigo este ano pra comprar as brigas que comprei em 2010, me indispor com amigos, colegas, familiares nas reuniões, nas mesas, nas redes digitais, na tentativa de mostrar-lhes outra informação.

Euler

02 de maio de 2014 às 16h39

Muito boa análise, Azenha. O PT de fato pecou nestes anos todos pela omissão em relação ao tema democratização dos meios de comunicação – além de ter financiado esta mídia criminosa. E pecou também na ausência de um combate político diário aos ataques da direita golpista (tucanos e mídia). Com isso perdeu boa parte da base social que fora beneficiada pelas políticas sociais do governo federal, mas que foi atirada nos braços da mídia golpista.

O PT julga que basta estar no governo e desenvolver políticas sociais que os resultados eleitorais aparecem automaticamente. Não é bem assim. Primeiro, porque as expectativas consumistas aumentam cada vez mais, e a economia do país está subordinada a lógicas interna e externa que escapam ao controle do governo.

Segundo, porque se não houver um trabalho ideológico, de disputa política em relação aos projetos de sociedade, a tendência natural das novas “camadas médias” urbanas é assumirem uma visão egoísta, de disputa de mercado, que se aproxima mais da direita neoliberal. Somente o combate político com os golpista é que pode fazer a diferença.

Tomara que o PT não tenha que perder o governo federal para aprender estas lições, pois toda a sociedade será prejudicada.

Responder

j.albergaria de macedo.

02 de maio de 2014 às 15h49

NÃO VAMOS INTIMIDAR, pois o trabalhador tem ter dignidade, vamos trabalhar incansavelmente para desmentir os golpistas de sempre.

Responder

Manuela

02 de maio de 2014 às 15h48

Se quiser derrotar o Aécio é só provocá-lo. Eles é igual JB, descontrolado, mimado, não aceita críticas e não admite ser contrariado. É o netinho do vovô que sempre teve tudo que quis de mão beijada.

Basta jogar uma casca de banana que ele cai. Ele é desequilibrado emocionalmente, agressivo e autoritário. Provoca ele que ele mostra a verdadeira face do lobo.

Responder

    TONY-SC

    02 de maio de 2014 às 17h13

    Em termos de conteúdo é zero… Sem o PIG e a ajuda dos EUA estaria na sarjeta, bêbado. Se a Dilma quiser ganhar no debate tem que partir pra cima, agressivamente e comparar dados dos governos de FHC, Minas de Aécio e SP-Tucano com os governos petista.

    Renato

    15 de maio de 2014 às 00h42

    E sabe o que vai acabar acontecendo? A Dilma não irá em nenhum debate nas eleições. Como o Lula fez em 2006 e custou a vitória no primeiro turno.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!