VIOMUNDO

Diário da Resistência


Opinião do blog

Contra a fanfarronice, o bom senso do Tostão


03/07/2010 - 13h20

por Luiz Carlos Azenha

Viram a goleada da Alemanha sobre a Argentina? Às vezes quem faz muito barulho faz… barulho. Futebol não se ganha em entrevista coletiva, nem batendo no próprio peito. Três coisas que me incomodaram profundamente na Copa do Mundo:

1. Completa ignorância sobre a África, com raríssimas exceções;

2. Fanfarronice de comentaristas e jornalistas brasileiros, que queriam aparecer mais que a jabulani;

3. Oportunismo dos que ora atacavam Dunga (depois dos 2 a 1 na Coreia do Norte), ora defendiam o Dunga (depois dos 3 a 0 no Chile), ora discordavam do treinador (depois da eliminação). Eram os mesmos, dançando diante de ouvintes, leitores e telespectadores!

Nessa hora é precisa saudar o bom senso de Tostão, craque que jogava sem bola dentro do campo e que continua batendo um bolão fora dele.

Tostão, na Folha, sobre a derrota do Brasil:

“O Brasil repetiu a Copa de 2006, quando o Brasil foi eliminado nas quartas-de-final pela França. O interessante é que o Brasil que sempre fez muitos gols em jogadas aéreas levou dois gols em jogadas aéreas. O Brasil, que ficou quatro anos procurando um lateral esquerdo acabou levando gols em jogadas que iniciaram ali na lateral esquerda. O Brasil perdeu, como em 2006, para um time que não é inferior, isso que é importante, é um time do mesmo nível, não foi uma zebra, não foi nenhuma tragédia, nenhum desastre do ponto-de-vista técnico, porque o time da Holanda é tão bom quanto o do Brasil, assim como o time da França era tão bom ou até melhor que o do Brasil em 2006. O Brasil fez um primeiro tempo belíssimo, foi o melhor primeiro tempo da Copa, do Brasil, e o pior segundo tempo, onde deu tudo errado. Também como era previsto, todo mundo tinha medo que o Felipe Melo ia acabar sendo expulso num jogo da Copa e aconteceu no pior momento, na hora em que o Brasil perdia o jogo e precisava reagir. E aí, o desespero, o Brasil com um a menos, quase que leva o terceiro gol, eles tiveram mais chance de fazer o terceiro que o Brasil empatar o jogo. O Brasil precisa perder a soberba de achar que só o Brasil que é bom de bola e que só o Brasil tem craques, do outro lado tinha Sneijder, tinha Robben, tinha grandes jogadores, como em 2006 tinha Zidane, tinha Henry, então do ponto-de-vista técnico foi um resultado normal”.





155 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Jairo_Beraldo

05 de julho de 2010 às 22h23

"Eu não me importo com o que os outros pensam sobre o que eu faço, mas eu me importo muito com o que eu penso sobre o que eu faço. Isso é caráter." (Theodore Roosevelt)

Responder

Alexandre Porto

05 de julho de 2010 às 19h03

Esse artigo do Tostão deveria ter sido lido pelo Dunga há 4 anos quando foi escolhido como treinador da seleção. Esse bom senso do Tostão faltou ao treinador brasileiro que passou quatro anos desmerecendo o trabalho feito por Telê, criticando a geração 82/86, como se fosse menor pq perdeu (para Itália e França) edo trabalho de 2006.

Humilde logo após a derrota para a Holanda, Dunga disse que ninguém arma um time para perder. De fato não arma, mas estranho ele ter percebido isso apenas naquele dia.

Responder

Marcelo de Matos

05 de julho de 2010 às 19h28

Há países que são hegemônicos em determinados esportes. Ninguém bate os EUA no basquete ou a Rússia no xadrez. Dizem que o Brasil é o país do futebol, mas, eu não acredito nisso. Jorge Amado, em seu primeiro livro “O país do carnaval”, dizia: “Diante da grandiosidade do cenário o brasileiro pensou que isto fosse circo e virou palhaço.” Somos sim, o país do carnaval. Do futebol, nem tanto. Em 1950, quase fomos campeões do mundo, mas, acabamos perdendo para o Uruguai. Naquele tempo a Europa tinha sido destruída pela guerra e o futebol sul-americano estava em alta. Em 1958, realmente, tínhamos a melhor seleção do mundo. Em 1970, tínhamos uma geração de craques em fim de carreira e fomos campeões com certa ajudinha da arbitragem, no jogo entre Itália e Alemanha. Pelo andar da carruagem, poderemos ser alcançados por seleções como a da Alemanha e deixarmos de ser os maiores vencedores de copas do mundo.

Responder

francisco.latorre

05 de julho de 2010 às 08h49

a euforia do milongueiro maradona.. explodiu a argentina. como esperado.

a depressão do mau-humorado dunga.. implodiu o brasil. como previsto.

faz sentido.

..

Responder

lindomar

04 de julho de 2010 às 23h41

Mesmo derrotada, Argentina é recebida por multidão
Após ser eliminada da Copa do Mundo no sábado com uma goleada por 4 a 0 para a Alemanha, a Argentina desembarcou por volta das 17h15 (de Brasília) deste domingo no Aeroporto de Ezeiza, na Grande Buenos Aires. Segundo o site Telam, a delegação tentou evitar o contato com os torcedores, mas cerca de 10 mil torcedores compareceram para saudar a seleção.

A Polícia de Seguridade Aeroportuária do país declarou que a delegação passou pelo controle aduaneiro após descer do avião e que, ainda na própria pista, pegou o ônibus.

Para evitar problemas com torcedores, a polícia fez um forte esquema de segurança, mas não evitou o contato. Os milhares de fãs dificultaram a saída do ônibus de Ezeiza. Com cânticos, o povo argentino pediu a permanência de Diego Maradona no comando da seleção.

De dentro do ônibus, que avançou entre a multidão com dificuldade, um emocionado Maradona mandou beijos para os fãs com um sorriso de incredulidade e agradecimento que também se refletiu nos rostos de vários dos jogadores, que até tiraram fotos dos torcedores.

"Vim de Tucuman e fiz 1400 km para ver Diego, adoro ele até a morte. A revanche será na Copa América (organizada pela Argentina em 2011)", afirmou um torcedor.

"É o futebol, perdemos, mas estamos felizes mesmo assim e viemos dizer isso a Diego", declarou um animado torcedor. "Diego, fique! Nós te apoiamos!", estava escrito em um cartaz.

A seleção foi recebida nas proximidades da Associação de Futebol Argentina (AFA) aos gritos de "Argentina" e "Não se vá, Diego" pelos torcedores, em sua maioria vestidos com a camisa da Argentina e cartazes com palavras de apoio a Maradona. Os torcedores escoltaram o ônibus desde o aeroporto com buzinaço e festa.

Apenas os jogadores e comissão técnica voltaram para a Argentina. O resto da comitiva da seleção voltará da África do Sul na segunda-feira. http://esportes.terra.com.br/futebol/copa/2010/no…

Responder

Roberto Decanine

05 de julho de 2010 às 01h08

Não podemos deixar de enaltecer o comentário do Tostão, só queria acrescentar que o papel do treinador não é só tática e técnica e sim supervisão. Digo isso porque se o "professor" durante o desenvolvimento da produção/jôgo percebe irregularidade tem que ter capacidade e discernimento de corrigir eventuais desvio de conduta e isso não ocorreu, o resto vcs. já sabem!

Responder

Glecio_Tavares

04 de julho de 2010 às 20h32

Futebol, é só um jogo!
Nada disso, futebol não é paixão. Tudo se resume a dinheiro. Se o Brasil fosse mais organizado o futebol mundial não seria o que é, pois o Brasil poderia tranquilamente ter ganho as copas de 78, 82, 86, 98 e 2006. Ou seja teriamos uma hegemonia com dez titulos mundiais e o negócio 'futebol' teria dez vezes menos valor para os outros países do mundo. Quando só um time ganha os torcedores dos outros times passam a falar de automobilismo, politica, religião, natação, basebal, voleibol ou o que quer que seja. Nós não somos decacampeões mundiais porque isso não interessa para os donos do negócio futebol. os caras ganham muito, mais muito dinheiro do jeito que está. Quem em sã consciencia não acha que na copa do mundo o jogo deveria recorrer aos replays disponíveis nos estádios? Só quem quer manipular os resultados. E por que querem manipular o resultado?Não é porque um país paga para ser campeão, é porque os torcedores daquele país passarão a dar mais importancia ao futebol, e o numero de países campeões do mundo tem que aumentar para que a renda mundial da fifa, aumente. Como deixamos uma entidade particular cuidar de todo o dinheiro da paixão mundial? Ora essa algo precisa ser feito, estamos sendo manipulados não só pela mídia, mas sim pelos bilionários que usam nossas paixões como futebol, cinema, artes e musica, para que aceitemos continuar com as coisas do jeito que estão. A revolução começa dentro de cada um.
Só um detalhe, NÃO MEXAM COM O MEU CORINTHIANS. hahahahaha

Responder

    lindomar

    04 de julho de 2010 às 23h15

    Nunca li tanta besteira na vida.

    Glecio_Tavares

    05 de julho de 2010 às 15h37

    Ora essa, voce nunca le o que escreve? Não viva pelos outros, vá viver sua vida que o mundo o espera. Mesmo que seja para ser a escumalha humana.

    Almerindo

    05 de julho de 2010 às 11h54

    P-A-R-A-B-É-N-S pela análise, Glecio!!! É o que vivo dizendo! Copa é circo, e que envolve uma verdadeira fortuna. Tudo montado PROFISSIONALMENTE até para nos fazer crer que tudo está normal… Desde a escolha dos técnicos das MELHORES SELEÇÕES (Brasil e Argentina, por exemplo), até os jogadores (Felipe Melo pra dar o serviço na hora H por exemplo). Será que alguém aqui acredita mesmo que o time brasileiro "morreu" em campo no 2º tempo contra a Holanda à toa??? Acreditam que em 98 o time todo ficou "abatidinho" com o Ronaldo e sua tal convulsão? Por favor, né?! Eles ganham fortunas, e simplesmente esperam o substituto, que foi o Edmundo, que ficou reclamando no final que o time não queria jogar, levantou a lebre, "falou demais", e depois de alguns dias acabou desmentindo o que disse… Será que foi alguma pressão da Fifa? Pensem BEM nisso…

    violeiro

    06 de julho de 2010 às 14h17

    ,Parabéns Glecio,nem parece corinthiano! com m êsse discernimento e sabedoria!O Brasil não é organisado em futebol,tá certo,mas o J.Havelange,Teixeira,Traffic são sumamente,extremamente,maquiavelicamente organisados,tanto que já estão cooptando o presidente do seu time,claro eles são exxxpertos e continuam gostando de levar vantagem em tudo,lembra?by the way…..o SEI CORINTHIANS NÃO É MAIS SEU!É DO CARA MIJADA,WADI HELOU E OUTROS BICHOS…..SORRY,MAS NÃO DESANIME!VOCE É MUITO INTELIGENTE,ABRAÇOS…..Violeiro

Urbano

04 de julho de 2010 às 18h40

Ô júlio césar, deu para perceber que não é o Presidente Lula o despreparado e incompetente?

Responder

J. Alexandre Cipolli

04 de julho de 2010 às 21h28

Olá Azenha,
Realmente, o Tostão sempre lúcido e ponderado, está correto mais uma vez em seu comentário. Porém, não posso deixar de ressaltar que o Dunga, na sua busca por jogadores que rezassem em sua cartilha sem reclamar, levou apenas os melhores seguidores e não os melhores jogadores. Para vencer tem que ter os melhores tecnicamente, nas mais variadas posições, e ter capacidade para driblar ou domar os contestadores ou desobedientes. Mas, para isso, tem que ser tecnico e lider, o que realmente Dunga não foi ou não é!
Abs.
Jose Alexandre – Campinas/SP

Responder

Luciana

04 de julho de 2010 às 17h23

Caro Azenha pergunto-lhe: Julio Cesar o goleiro "bonitinho" falhou ou não falhou nos dois gols da Holanda?
Se fosse o Dida (bonitinho, mas não branco) estaria massacrado e teria que justificar-se .
Kaká estava 100% curado de sua pubalgia (inflamação no púbis)?
Abs.

Responder

Jairo_Beraldo

04 de julho de 2010 às 14h20

Tostão, mineiramente, mostrou os fatos que os aloprados do PIG distorcem.

Responder

beattrice

04 de julho de 2010 às 13h17

O Dunga recebeu merecidamente o troféu CIDADANIA na COPA por ter dado o pontapé inicial para colocar a GLOBOPE em seu devido lugar: a lata de lixo.
Em que pese o valor da blogosfera progressista para fazê-lo, uma coisa é a crítica do PiG político que lamentavelmente só atinge as camadas mais politizadas da população, outra coisa é o combate ao PiG esportivo, que atinge a população em geral.

Responder

    Alceste Pinheiro

    04 de julho de 2010 às 21h14

    Seria muito bom mesmo que o Lula aprendesse com o Dunga e colocasse a Globo em seu devido lugar.
    Nesses oito anos, infelizmente, n~çao foi isso que se viu.

Fabio_Passos

04 de julho de 2010 às 12h34

Poderíamos experimentar o Tostão como técnico da seleção.
Temos 4 anos para apresentar uma bela seleção.

Responder

Leandro

04 de julho de 2010 às 12h30

Estou morando em Bergen na Noruega e até por aqui foram destaque os constantes ataques da Globo ao Dunga e consequentemente ao Brasil à selecão nacional:

TV-stasjon til «krig» mot Dunga
Når Globo, som før fikk eksklusive intervjuer, har saker om Dunga eller der trenerens navn normalt blir nevnt sier fjernsynskanalen bare «Brasils landslagssjef». De er opprørt over å ha mistet sine privilegier

No trecho acima a NRK (TV estatal Norueguesa)em materia sob o Titulo: “Rede de TV em guerra contra Dunga” em seu site afirma que Dunga irritou o canal de TV Globo limitando o acesso a seus jogadores. Destaca tambem o corte de privilegios na cobertura…

O Dunga pode até não ter levado o Brasil ao titulo mas pra mim ja é um herói por que além de resgatar o respeito dos jogadores a camisa, lavou a alma de todos os brasileiros que não aguentam mais os abusos da decadente Rede Bobo de Babaquizacão. E o melhor de tudo, expôs a verdadeira face da ex-poderosa ao mundo.

Responder

    beattrice

    04 de julho de 2010 às 13h18

    Até na Noruega, em imprensa local.
    A Corte do Cosme Velho realmente vive um momento ladeira abaixo.
    Igualzinho ao Zé sem noção, candidato dela, só dela.

luizclete

04 de julho de 2010 às 12h05

Maravilhoso o Tostâo, gênio do espaço vazio, uma inteligência espacial magistral. Porém, quem me ensinou a creditar que o Brasil é o melhor do mundo e tem os melhores jogadores do mundo, foi ele e as seleções de 58, 62, 70, 82, e até a seleção de 2002, Como no basquete, quando eles jogam pra ganhar, só dá EUA, no futebol, se o Brasil se organizar como se deve, nâo tem pra ninguem. Não somos soberbos, sabemos o que temos em materia de futebol e o que podemos. O resto é comentário.

Responder

    lindomar

    04 de julho de 2010 às 13h59

    Sim, é soberba

    Esse negócio de que o outro não tem valor me irrita.

    É uma coisa introjetada na mente das pessoas: O Brasil não ganha porque não quer.

    O Brasil não é a maior potência olímpica porque não quer

    O brasil não tem 18 títulos mundiais no futebol porque vendeu a metade e a outra faltou vontade e o técnico era burro.

    O Brasil nunca ganhou um título olímpico no futebol porque não vale nada.

    Affff…

    Coisa de gente boba isso…

    Luiz Clete

    05 de julho de 2010 às 00h48

    Em uma reunião das federações de futebol de todo mundo, promovida pela Fifa, em 2000, o presidente da Federação Argentina de Futebol disse: "senhores, no dia em que o Brasil organizar seu futebol, nós aqui estaremos sempre brigando pelo vice-campeonato." Coisa introjetada no mundo inteiro do futebol, então.Coisa de gente boba.

Fernando

04 de julho de 2010 às 13h55

Sportv humilha o povo paraguayo:
http://www.youtube.com/watch?v=8bbGOwvLbiI[youtub… 8bbGOwvLbiI http://www.youtube.com/watch?v=8bbGOwvLbiI youtube]

Responder

    beattrice

    04 de julho de 2010 às 13h20

    A cobertura do SPORT-TV é a cobertura do canal aberto GLOBOPE piorada, o que prova que AINDA é possível piorar AQUILO.

Antonio Morais

04 de julho de 2010 às 07h18

Tostão é um craque.
Acho que o problema do jogador brasileiro é que ele fica o tempo todo olhando a sua imagem no telão, em vez de se concentrar no jogo. E acho que isso é culpa do PIG.

Responder

    beattrice

    04 de julho de 2010 às 13h20

    É o narcisismo esportivo em seu grau extremo.

De Paula

04 de julho de 2010 às 03h16

É como disse o saudoso Lalau Ponte Preta, em uma de suas crônicas,narrando a pisa que o marinheiro brasileiro levou do marinheiro sueco, num bar da Praça Mauá: "Isso é pro brasileiro aprender que não é só êle que é malandro".

Responder

Cristiana Castro

04 de julho de 2010 às 02h00

Pronto.Acabou a palhaçada.Tudo normal e os que esperavam cacifar-se, politicamente, com isso, que aguardem 2014. Que coisa mais chata essa cafonice de achar que em que culpar alguém pq perdeu. Perdeu pq perdeu e, pronto. As pessoas perderam a noção do ridículo. Essa burguesada, de não saber perder,combina com joginho de playground. Vão se catar. Perdeu, e daí? Não dá pra chamar o papai pra mudar o resultado e nem sair com a bola no meio do jogo pq ela lhe pertence. Essa palhaçada de filhinho de papai, está se espalhando pelo Brasil, inteiro. Se eu não ganhar, vou chamar meus amigos para bater. Que coisa ridícula, papelão. Ah,foi o técnico, ah foi o fulano, ah foi o goleiro… Fala sério. Gente mimada. Cai na real, Brasil.

Responder

    lindomar

    04 de julho de 2010 às 11h23

    Parabéns

    Sim, com disse Ortega Y Gasset, vivemos na era dos filhinhos de papai.

lindomar

04 de julho de 2010 às 00h56

Parabéns Uruguai e Paraguai

Frente ao papelão feito pelas duas potências da América do Sul, Argentina e Brasil, vocês salvaram a honra do nosso futebol.

Ambas as equipes ficaram mais tempo com a bola nos pés (57%), mas o Brasil foi incapaz de parar jogadas aéreas manjadas. Argentina foi incapaz, com um lado direito da defesa que é uma mãe, de parar contra ataques de um time mediano.

Ambas as seleções entraram de salto alto e se ferraram.

Ao contrário. Paraguai com toda a humildade quase despacha a poderosa Espanha. Lutou até o fim.

E do Uruguai nem tem o que dizer. Botaram todo o coração na chuteira e eliminaram Gana.

Brasil e Argentina têm de aprender que não se ganha o jogo no papel e nem no papo.

PARABÉNS À SELEÇÃO DO PARAGUAI

E BOA SORTE URUGUAI, ESTOU TORCENDO POR AO MENOS UM SUL AMERICANO NA FINAL

Responder

Adilson

04 de julho de 2010 às 00h49

Azenha,

Cenas que o PIG faz questão de não mostrar: http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2010…

Responder

Adilson

04 de julho de 2010 às 00h48

Azenha,

Tive o privilégio de ver o Tostão jogar a Copa de 70, eu assim como milhões de brasileiros, não poderia ser diferente, admiro o craque que Tostão foi dentro de campo e agora fora do campo. Todavia, com o devido respeito, quero dissentir do comentarista no que tange dois aspectos: 1º) o ambiente da Seleção de 2006 era de verdadeira baderna, nesse sentido a Seleção de 2010 foi melhor do que a de 2006, ocorre que Dunga exagerou na dose e , por conseguinte, o que era para se tornar um remédio, acabou virando um veneno; 2º) o Dunga ao não conceder privilégios à Rede Globo, marcou um golaço e lavou a alma de milhões de brasileiros. Sob esses dois prismas não se pode afirmar que a Seleção de 2010 repetiu a Seleção de 2006, eis que o próximo treinador – espero que seja o Felipão – deverá buscar o equilíbrio, ou seja, não voltar à baderna que foi em 2006 e nem instalar à clausura de 2010.

Responder

kokimoto

04 de julho de 2010 às 00h07

A Holanda poderia ter feito mais uns 2 ou 3 nos último minutos, Só não fez porque sabia que o jogo estava ganho

Lembro até agora uma jogada na qual o holandês, o mais loiro, não lembro o nome, estava de frete par ao gol e nem precisava chutar com força. Em vez de chutar com vontade, ficou parado com a bola no pé até que um defensor da seleção amarela roubou-lhe a bola.

Estão falando da Argentina. Mas, como o Brasil. ela dominou o jogo. Ficou mais tempo com a bola no pé. Só que tem uma defesa que é uma mãe.

Só que em vez de fazer como a Holanda que fez o segundo e se acomodou, a Alemanha aproveitou todos os contra ataques.

Responder

luis

03 de julho de 2010 às 23h06

Tem razão, o mestre. E ademais isso é futebol, inteligentes. Não é ciência exata. Não é empreendimento com resultado líquido e certo. Não é dogma religioso. Nem elemento de diferença política. Eu, hoje, torci pela Argentina. Todo mundo que eu conheço, ou quase todos, torceram contra. E daí?
O que a crônica esportiva do Brasil, noves fora o Tostão e mais algum, mostrou é que sua fala é municiada – concientemente, ou não – por argumentos dos patrocinadores desse ou daquele jogador ou produto, ou por uma rede de televisão, ou por um jornal posicionado contra o Lula.
A poesia do futebol, parafraseando alguém, só pode ser tirada do futuro. Não do passado.

Responder

Bajulane

03 de julho de 2010 às 22h52

Primeiro temos que ter em mente que somente um campeonato mundial de seleções poderia (poderia,repito) no final da competição indicar um legítimo campeão. Nunca um torneio neste formato o propiciará. Depois da faze eliminatória o torneio torna-se totalmente num jogo de azar. Então, tem acontecido, sistematicamente, de o seleção vencedora ganhar a competição com ajuda de erros de arbitragem , e uma boa dose de sorte e azar do adversário.. Somente uma competição no formato turno e returno pode aferir realmente um verdadeiro campeão. Como este formato nunca será possível numa copa, pois demandaria umas vinte datas para cada seleção, o formato atual está esgotado e caminha para se tornar mero festival quatrienal de futebol, desvinculado do compromisso de aferir um verdadeiro campeão.

Responder

    kokimoto

    04 de julho de 2010 às 00h11

    Eu tenho uma ideia para como a Copa poderia ser:

    Hoje em dia o campeão joga 7 jogos certo??

    Pois bem, poderia ser assim:

    Primeira fase como a atual: 32 seleções divididas em 8 grupos. Passam os dois primeiros.

    Depois fica assim: 4 grupos de 4 seleções. Todos contra todos novamente. Passam apenas os primeiros colocados

    Forma-se um grupo de 4 times. Todos contra todos.

    Em vez de 7, 9 jogos…

    Mas seria bem mais justo…

    Nilson Damole

    04 de julho de 2010 às 06h48

    O Brasil mostrou um espírito de luta que faz tempo não víamos numa seleção. Dor similar só em 1982. E chamar essa dor de fanfarronice é falta de respeito. Com todo respeito à velha guarda, aos comentaristas de ontem e de hoje, o Brasil perdeu o jogo para si mesmo e não para a bom futebol holandês.
    O texto do Tostão e o "assino embaixo" do Azenha apenas reflete a maneira de pensar de uma geração, essa sim, que pensa que a seleção de Tostão e Pelé foram muitíssimo superior aos outros times. Veja só o jogo de 70 contra a Inglaterra. Foi uma vitória magra de 1 a 0. A Inglaterra de 70 é a coisa mais parecida com o futebol super-defensivo de hoje. E "a melhor seleção de todos os tempos" ganhou só de 1 a 0.
    O Brasil mostrou-se um time desconcentrado no segundo tempo. O jogadores brincavam entre si em campo até tomarem um gol fruto de uma falha coletiva. O Kaká por exemplo estava de costas para a bola brincando com o Daniel Alves. Depois do gol de desconcentrado passou a nervoso.

    abilio

    04 de julho de 2010 às 09h11

    Realmente por conta do formato da copa do mundo existe uma probabilidade muito grande de se ter um campeão que não tenha o melhor time, tendo em vista que exiguidade de jogos não dilui o fator sorte e o fator erro de arbitragem, por isso mesmo acho absurda a relutância da FIFA em implementar, pelo menos em copas, uma reforma tecnlogica na metodologia de arbitragem dos jogos. Por outro lado, infelizmente, se nosso futebol continuar sendo organizado da forma atual, e falo no futebol mundial, que é comprovadamente corrupto e visa o enriquecimento de seus dirigente, nunca teremos grandes torneios. Pois desde a escalação, aqui no Brasil, ja se revelam intenções subreptícias.

    lindomar

    04 de julho de 2010 às 11h25

    Nem só erro da arbitragem.

    às vezes o time entra em campo mal naquele dia

    o Messi jogou gripado e com febre. O kaká com dores

    E aí?? Tem de mudar esse formato…

    beattrice

    04 de julho de 2010 às 13h26

    Excelente questão levantada, o formato do campeonato é uma piada de mau gosto.
    Como se definir um campeão com base em decisões por penaltis? Isso não resiste a nenhuma análise lógica e honesta.

Hudson Luz

03 de julho de 2010 às 22h50

Ganhou a melhor equipe

Até hoje em toda a história de Copas do Mundo, o Brasil somente em duas oportunidades havia sofrido um revez após abrir o marcador. A primeira no ‘Maracanazo’, a célebre derrota do Brasil perante o Uruguai na partida final do Mundial de 1950, em pleno estádio do Maracanã.

Leia a íntegra deste e outros textos no:
www.dissolvendo-no-ar.blogspot.com

Responder

Erich Boechat

03 de julho de 2010 às 21h24

Azenha, discordo profundamente do Tostão, o Brasil tem mais jogadores atuando em clubes no exterior do que a Holanda tem em sua liga nacional. O time convocado e escalado pelo Dunga não representa o futebol brasileiro. Jogadores melhores que o Robben e o Sneijder o Brasil tem vários. O problema brasileiro são as panelinhas e a patifaria / corrupção generalizada na CBF, precisamos de uma intervenção governamental nesse ninho de safados.

Responder

    kokimoto

    04 de julho de 2010 às 00h23

    Cite três melhores do que Robben e Sneidjer,,,

    "Ganso e o outro lá do Santos"

    É problema isso. As pessoas aqui não conseguem aceitar que os amarelos não são mais bichos papãos faz tempo. É como se quando se perde é porque jogou mal ou porque não quis, e nunca por mérito do outro.

    Esses dois aí do Santos. Ganso e o outro lá.

    ganharam um paulista, que, convenhamos, é um campeonatinho de quinta categoria

voxetopinio

03 de julho de 2010 às 23h36

Azenha. Tostao neles! Curto, analítico e certeiro. Sem firulas midiáticas. Sem essa palhaçada global+bandalha

Responder

Pedro Luiz Paredes

03 de julho de 2010 às 23h14

Eu até concordo com o Tostão mas em qualidade individual o Brasil é melhor até que a argentina, que só tem marketing, Messi e Tevez. Aquele outro centro avante da argentina é como Dodô, André(santos) ou qualquer outro centro avante. Masquerano é um brincalhão e só.
O Brasil tem o melhor lateral direito do mundo, tem Robinho e dois dos melhores zagueiros do mundo. O Kaka machucado ainda é um bom jogador mas precisavamos do melhor preparado naquele momento. O Dunga também errou, teria que ter entrado com 3 atacantes porque os pontas holandeses teriam que apoiar a marcação dos dois zagueiros nas laterais e o meia também teria que voltar. No mano a mano a zaga do Brasil não iria perder uma só bola e os caras teriam tomado chocolate do Brasil.

Mas não adianta culpar o Felipe Mello ou o Dunga somente, o time inteiro rompeu o pacto com a vitória e só depois da virada alguns jogadores começaram a mostrar que podem vestir a camisa da seleção: Daniel Alves virou um leão, o Robinho não desistiu em nenhum momento, o Michel Bastos finalmente apareceu e tentou muito fazer jogadas sem apoio algum, Gilberto Silva também surpreendeu.
Infelizmente a Holanda teve mais time, conjunto, treinamento e entrosamento, concentração e disciplina.

O Dunga fez um bom trabalho, mas para ganhar copa precisa ser impecável. Não pode levar a culpa sozinho, acreditou em quem tinha que acreditar e fez um trabalho coerente, mas como eu disse, precisa-se de mais para uma copa do mundo.

Três coisas que eu disse antes da Copa:

Se o Brasil passar da primeira fase será campeão(errei feio).
Se o Brasil jogar o que sabe e com vontade não perde de ninguém(acertaria se isso tivesse acontecido).
O Felipe Mello vai ser expulso em um jogo importante(acertei em cheio). Mas jogou bem nos outros jogos e foi importante, precisa trabalhar esse sistema nervoso para não estragar o grande potencial que tem)

Recentemente li um email dizendo que esta tudo arranjado para a Alemanha ganhar esse ano e a Argentina ganhar em 2014, tomará que isso não se cumpra nem agora nem nunca para que o esporte ainda prevaleça dentro do esporte.

Agora torço para o Uruguay!

Responder

    beattrice

    04 de julho de 2010 às 13h29

    Qualquer brasileiro e latino-americano com um mínimo de percepção do que ocorre neste momento na FIFA tem que ser URUGUAY desde criancinha.

ricardo silveira

03 de julho de 2010 às 23h10

Faz muito tempo que não leio a FSP e, sinceramente, passo muito bem sem ela. Mas, pela lembrança que tenho e do texto acima, concordo que o Tostão é um craque, também, fora do campo. Talvez porque não precise agradar o patrão ou o patrocinador e muito menos puxar o saco de ninguém suas crônicas são ricas de idéias e fazem o futebol ficar ainda mais fantástico do que é.

Responder

    Pedro Luiz Paredes

    04 de julho de 2010 às 16h15

    O que faz o futebol ser fantástico é o que rola dentro do campo.
    Também acho que o Tostão foi o craque e é sempre pertinente fora de campo.
    Posso muito bem concordar e só, mas também ví outras coisas que tenho vontade de comentar.
    A folha de limpar a b. de são paulo é o pior jornal de opinião que existe, serve para mostrar os resultados da copa(não leio uma matéria sequer), a cotação do dolár e bovespa, e a próxima armação do ortodoxo brasileiro.
    Fora isso só serve para quem não sabe ler.

klaus

03 de julho de 2010 às 22h45

Depois de um péssimo campeonato italiano, onde foi considerado o pior jogador, e de sua atuação desastrosa na Copa, Felipe Melo deverá ser dispensado da Juventus. Preocupado, o jogador fará um DVD com suas atuações para tentar se recolocar no mercado. Cogita-se que Quentin Tarantino editará o video.

Responder

Melchíades A. Prado

03 de julho de 2010 às 19h23

(continuaçao)Recentemte um repórter da TV Globo Minas, cag… a mesma regra já informou que para um campo (lá da Argentina) de dimensões 108 x 65 essa diferença é de 84 m2 (calculando assim 110 – 98 = 12; 75 – 68 = 7; 12 x 7 = 84. Estas bobagens a gente não vê só na Copa, não. É todo dia! Trocam mil por milhão; milhão por bilhão; kilo por tonelada, metro por kilometro. E ainda se metem a escalar times da Alemanha e até da Coreia do Norte e criticar as escalações e substituições dos técnicos, o sistema de joga. São uns sabichões que não sabem nada!
Estou com o Dunga, que chama estes caras de cag…. , puxa-sacos e bundas moles….

Responder

Melchíades A. Prado

03 de julho de 2010 às 19h23

Desde que nossa crônica esportiva com os zés-trajanos, cleber-leites, galvões e assemelhados aprenderam a fazer média aritmética de gols por partida e traduzir o "tempo agregado" por tantos minutos do segundo tempo, estes caras se acham.
Informações importantes também são aquelas que dizem quantas vezes os times já jogaram um contra outro, a data do primeiro jogo, que aquele jogador Gomez, da Alemanha, provavelmente é descente de espanhois, que aquele jogador mulato da Dinamarca, possivelmente é descente de imigrantes, etc. e etc.
Tempos atrás vi o Roberto Wright dizer que entre o campo de dimensão máxima definido pela FIFA (110 X 75 m = 8.250 metros quadrados; e mínima (90 x 60m = 5.400 m2) os jogadores tinha 150 m2 a menos para praticar o futebol (quando a diferença, é de 2.850 m2). (continua)

Responder

    beattrice

    04 de julho de 2010 às 13h31

    A estupidez da cobertura da ESPN é um primor de PiG esportivo capitaneado pelos Kfouri, pai e filho, como se não bastasse um.

Fabio_Passos

03 de julho de 2010 às 19h20

Uma pena.
Torcia por uma semifinal entre os 4 sulamericanos.

Responder

@joaosergio

03 de julho de 2010 às 19h16

A questão é que o povo brasileiro enxerga o título da copa do Mundo quase como direito.
Outra questão: se metade dos que falam: "tinha era que cobrar os políticos igual se cobra a seleção', realmente cobrasse os políticos, o país seria outro.
Quanto à rivalidade com a Argentina sempre hverá rivalidade entre seleções de nível parecido do mesmo ccontinente, assim como há entre times da mesma cidade. Ou seja, a Argentina é um país amigo, e acredito que as relações entre Brasile Argentina precisam ser estreitadas,para o bem de ambos os povos, porém em partidas de futebol a lógica é torcer contra ela, assim como torço sempre torço contra o Corinthians, por ser palmeirense.

Responder

marcie

03 de julho de 2010 às 19h01

Graças a Deus agora existe internet pra mostrar a voz do público. Nem todos são manipuláveis, e isso está ficando muito claro. A máscara do PIG está com os dias contados.

Responder

Gilmar Bueno

03 de julho de 2010 às 18h36

A lição que fica é a de que Seleções (S) investirem em seus pratas de casa,exemplo a dona Alemanha em detrimento de seleções (s) que se preocupam somente com o tal bussines/futebol (Brasil).Você viram o tal Pedro goroto saído categorias/base do Barcelona.Iniesta/Cháves,também são categoria/base do Barcelona.A questão principal é a identidade,coisa que começamos à perder à partir da infeliz dicotomia Futebo arte x Futebol Força de 1982.Sou Corinthiano nascido em 54 mas eu disse:Não vão levar o meio-campo todo do Santos + aquele outro neguinho,então vão sífu.Outra que discuto muito é a natureza do fazer (o homen em si) em detrimento do Marketing pessoal (moços encantados com os euro-dólar).Naquele time de 70 garotão mimado tipo Felipe Melo,nem convocado seria.Quem viu Pelé jogar,sabe que sua estrela residia em jogar e as estrelas de 70 acompanhavam seu Rei,simples.As vezes ando na praia com um reserva desse time…Um tal Edu…O maior ponta esquerda que vi jogar…mas é de uma simplicidade,impar!!!

Responder

Ricardo B. Rodrigues

03 de julho de 2010 às 18h32

O Barsil perdeu, ponto final! Que tal aprendermos com os erros? Já foi dito que cometemos os mesmos erros de 2006. O que ninguém analisou é que a Fifa, dona do futebol mundial, tem um plantel de especialistas que ganham só para entender da matéria. Como que a dona Fifa conseguiu trazer para a copa árbitros tão medíocres?Quem, no mundo gostaria que o Brasil ganhasse?Por quê O Brasil foi roubado tão discaradamente, pelos árbitros? Será que foi só má atuação? De qual orígem são os dirigentes da Fifa? Quanto será que rola nas casas de apostas européias em tempos de copa?Se alguém puder responder com precisão, me diga!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

    beattrice

    04 de julho de 2010 às 13h34

    Não é no mínimo curioso que uma seleção não possa impugnar pelo menos uma vez um árbitro designado que ela considere tendencioso ou " de risco"?
    Cito como exemplo o caso da quarta de final entre Paraguay e Espanha, para a qual foi designado um juiz guatemalteco que já havia prejudicado o Paraguay em torneios anteriores e continuou a fazê-lo ontem.

mano

03 de julho de 2010 às 18h15

Simplesmente a Holanda foi mais malandra que nós. Perdemos na malandragem, na malemolência…

Responder

    A.L.Mirri

    03 de julho de 2010 às 18h38

    Malemolência? Malandragem? Que é isso? Mais mitos? O que o Tostão escreve é justamente o contrário disso!

    O Brasileiro

    03 de julho de 2010 às 18h40

    Cara, você disse a mesma coisa que meu filho de 4 anos, que a seleção da Holanda são "os malandrinhas"!!!
    A Holanda joga muito mal, e não merece estar entre os 4 finalistas da copa!
    Se jogaram no chão o tempo todo, induzindo o inexperiente juiz japonês ao erro, deixando os jogadores brasileiros nervosos, irritados!!!

    beattrice

    04 de julho de 2010 às 13h35

    E voltamos ao problema da arbitragem, que curiosamente foi escolhida a dedo em todos os jogos das semi-finais, onde juízes no mínimo medíocres foram escalados.

Marcelo Ramos

03 de julho de 2010 às 18h14

Ahn, sobre manipulação de resultados, não sei se chega a tanto… mas a quantidade de grana que muda de mãos é astronômica… e não declarada. Veja essa matéria que saiu no Estadão. http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos….

Responder

    beattrice

    04 de julho de 2010 às 13h37

    Há ganhos diretos e indiretos, desde os patrocinadores, onde já se constatou que um dos patrocinadores da FIFA obrigatoriamente vai estar na FINAL, até as casas de aposta européias que movimentam números astronômicos, como você citou.

Milton Hayek

03 de julho de 2010 às 18h02

Lula viaja e vejam que sequência de eventos mostrando como essas viagens abrem enormes possibilidades ao Brasil:

Lula inicia visita a seis países africanos
http://pbrasil.wordpress.com/2010/07/03/lula-inic…

Barroso’ em Angola

O navio da Marinha de Guerra do Brasil, Corveta Barroso, um dos mais modernos da esquadra brasileira, encontra-se atracado desde a passada sexta-feira, no Porto de Luanda. O comandante Luiz Roberto Cavalcanti Valicente disse, ao Jornal de Angola, que a estadia no país serve para reforçar os laços de cooperação entre a marinha dos dois países. http://www.naval.com.br/blog/2010/07/01/barroso-e…

Venda de armas do Brasil para a Índia…

Durante a visita oficial do Marechal Pradeep Vasant Naik, comandante da Força Aérea da Índia, ao Brasil, além de questões de tecnologia, acadêmicas e comerciais entre organizações militares dos dois países e / ou fornecedores locais, pode ter sido de alguma forma tratada a questão espinhosa das vendas de mísseis da Mectron para o Paquistão, que o governo de Nova Délhi pretende não ver efetivada, desta forma buscando uma maior profundidade de negocios na área de defesa com o Brasil.

A preocupação indiana, é com o fornecimento de diferentes itens, como o missil anti-radar MAR-1, que foram adquiridos em 2008, com o apoio de crédito do governo brasileiro, apesar de forte oposição do Ministério de Assuntos Estratégicos, 100 unidades foram vendidas por 85 milhões de euros, gerando previsíveis protestos diplomáticos da India, além do novo missil ar-ar MAA-1B Piranha2 , que a Força Aérea do Paquistão poderia ser o cliente Lançador internacional. O Paquistão já foi, por exemplo, o primeiro cliente militar para o jato executivo Phenom 100 da Embraer, dos quais comprou 4. http://pbrasil.wordpress.com/2010/07/03/enda-de-a…

E de repente a indústria bélica brasileira começa a crescer:

Opto Eletrônica – Empresa planeja abertura de capital em 2013, aumenta em 80%

Aos 23 anos de existência, a Opto Eletrônica, de São Carlos, interior de São Paulo, prepara-se para abrir seu capital ― em 2013, quando pretende chegar a R$ 300 milhões de faturamento anual;
http://pbrasil.wordpress.com/2010/07/03/opto-elet…

Vocês acham que isso é o tal mercado???????????????????????????????

Responder

    mac

    03 de julho de 2010 às 18h31

    o FHC "ganhou " duas copas e pediu emprétimo ao FMI 3 vezes . Quando a seleção vai mal ,o Brasil vai bem !

    mac

    03 de julho de 2010 às 18h33

    na verdade foi só uma copa ,a de 2002 ,foi o que salvou ele de se matar !

    Cezar

    03 de julho de 2010 às 23h13

    É importante esclarecer que em 1994 quem era presidente era Itamar Franco, não FHC!!

Dil

03 de julho de 2010 às 17h55

Azenha, concordo com o Tostão e acrescento os pontos decisivos, na minha opinião. Está no blog no texto : "Onde erramos"
http://eagora-dil.blogspot.com/

Responder

jbmartins

03 de julho de 2010 às 17h52

Penso da mesma maneira, que os narradores e comentaristas, obrigados por seus patrões, mobilizam o Pais com mentiras, afim da audiência, são ireais em seus comentarios, sabemos que o PIG por um Lucro é capas de tudo, manipulou um Povo em plena Ditadura para beneficio, digo mais que o Futebol esta nivelado e igual, a diferença e o coletivo, coisa que o Brasil esta perdendo por que da visualização da midia e nacionalismo.

Responder

maconheiro

03 de julho de 2010 às 17h39

Roubaram o Paraguay !!!!

Responder

    klaus

    03 de julho de 2010 às 18h23

    E o México, a Inglaterra e os EUA…

    mac

    03 de julho de 2010 às 18h29

    A FIFA tá na idade da pedra

    jbmartins

    04 de julho de 2010 às 09h25

    Time marcado para ser Campeão

    beattrice

    04 de julho de 2010 às 13h39

    Esse jogo foi uma vergonha, para a FIFA!

Chico Nunes

03 de julho de 2010 às 17h05

Como sempre Tostão mantém uma postura equilibrada e sensata, nos assuntos que opina. É importante destacar a posição da comissão técnica, no que tange ao trato com a imprensa, não dando privilégio a nenhum órgão em especial, principalmente a Rede Globo de Manipulação. Acredito que Dunga teve mais virtudes do que defeitos, apesar do excesso de cautela na convocação.

Responder

    Bruno

    03 de julho de 2010 às 17h18

    Independente do modo como trataram a imprensa, fracassaram. Mais um trabalho mal-feito.

    @marisps

    03 de julho de 2010 às 18h22

    Nem sempre Chico, nem sempre. Essa "regra" também teve sua "exceção".

    Gerson Carneiro

    03 de julho de 2010 às 19h04

    Eitha, essa mulé entende, hein!
    Tu não quer vir ser a presidenta do Amebinha?

    @marisps

    03 de julho de 2010 às 21h16

    Que é isso Gerson? Amebinha? Alguma relação ao meu QI? :-(

    Gerson Carneiro

    04 de julho de 2010 às 00h43

    Não mari, que é isso?
    veja lá embaixo a escalação (em uma resposta minha ao dukrai).
    Amebinha é meu time do coração, inclusive sou titular.
    é o Barriga Verde Futebol Crube, veja lá embaixo.

    @marisps

    04 de julho de 2010 às 00h30

    Ops!!! "..inda bem"…. mas era só brincadeirinha! Eu sei que vc é um cavalheiro! ;-) Seria uma honra, mas eu não entendo nada de futebol, sou somente torcedora! Abração!

Luciana

03 de julho de 2010 às 17h03

A visão única, impede cobertura imparcial.
Azenha não ganhamos a Copa do Mundo. Mas temos um jornalista como voce que supera a tristeza do deslize de nossa seleção lá na África do Sul. Seus textos valem o campeonato de futebol por alimenta a alma, informa, conscientiza, e ressalta valores que são universais e dignificam o ser humano.
Seus textos são importantes para transformação de mentalidades, para que o país se modernize e seja mais justo.
Quando voce afirma a ignorância sobre a África (c/ raríssimas excessões), é a má vontade que prevaleceu, mas demonstra que nem todos tem acesso ao saber. A África como berço da civilização merecia uma cobertura jornalística mais profunda.
Parabéns a ti.
Tostão analisou muito bem, o Brasil desesperou-se. Tomara na próxima Copa preparem-se para a possibilidade de sair da adversidade para a vitória. Que não coroem nenhum frango e não pisem em canela de adversário.
Belo texto.

Responder

Leonardo Câmara

03 de julho de 2010 às 17h00

Tenho a maior admiração pelos Tostão, pra mim um dos maiores de todos os tempos, inclusive nos comentários. Mas em um ponto eu discordo. Esse resultado não foi normal coisa nenhuma. No segundo tempo um time jogou e o outro ficou olhando. Isso é inadmissível. Perderam um jogo ganho levando dois gols bisonhos.

Em qual outro jogo desta copa houve uma derrota assim? Por exemplo, a Argentina perdeu lutando até o fim e com alguma organização. A derrota do Brasil foi bisonha. Concordo com o Burburinho, o Brasil perdeu pra ele mesmo.

A Holanda levou o melhor que tinha pra copa, como sempre. O Brasil não, todo mundo sabe disso. Futebol é momento e os melhores jogadores do Brasil, no momento, não foram pra copa.

Cada jogo é uma história à parte, mas acredito piamente que a holanda, com aquela zaga baba, vá tomar um piau da Alemanha. Aliás, se chegar até lá.

Esse discurso aí caberia perfeitamente para o Brasil x Holanda tanto em 94 como em 98. Aquele time da Holanda era um timaço. Esse é apenas regular.

Agora, quanto à soberba, ela existe e em geral advinda de quem não entende nada de bola.

Para o bem do futebol, tomara que ganhe a Alemanha, disparado o time mais consistente da copa, com baita meio de campo — sem nenhum cabeça de bagre — e uma zaga regular. Dentro das suas limitações, todo mundo joga bola.

Espero que seja o réquiem do tal futebol de resultados.

Responder

Antonio Abreu

03 de julho de 2010 às 16h55

Lendo uma coluna do Tostão, vemos como são mediocres, comentaristas como José Trajano, Juca Kfoury, Renato Maurício Prado, Milton Neves e os oportunistas Ricardo Noblat, Reinaldo Azevedo e acima de tudo, a Organização Globo, que não perdoa Dunga por ter eliminado seus privilégios, de ter evitado que ela fizesse um Big Brothers em nossa concentração, além de ter barrado D.Fátima Bernardes e tê-la deixado ao relento, quando perdeu a sua voz e a sua arrogância. O Brasil perdeu para um grande adversário, por dois lances pelo alto, em falhas individuais no primeiro goal e por êrro de marcação no segundo goal. Vexame deu a Argentina, tão babacamente elogiada pelos nossos "especialistas", aquela que jogava o tal futebol ofensivo, futebol espetáculo e foi surrada por humilhante 4×0.
Messi, o craque "tico-tico-no fubá, cisca, cisca e nem um gol fêz na Copa. DUNGA 10 x 0 Mídia brasileira.

Responder

Milton Hayek

03 de julho de 2010 às 16h48

INDEXA AQUI,AZENHA!!!!!!!!!!!!!! CRIARAM O PEDAGIÔMETRO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

sábado, 3 de julho de 2010

Pedagiômetro

O site pedagiômetro criou uma ferramenta que estima em tempo real o quanto se arrecada nos pedágios paulistas, utilizando os relatórios de arrecadação das concessionarias. Pegue o código e coloque no seu blog: http://www.pedagiometro.com.br/
http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2010…

TEM A QUANTIDADE DE PEDÁGIOS EM TEMPO REAL!!!!!kkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

dvorak

03 de julho de 2010 às 16h46

O melhor da copa foi ver a reação do "aspirador" aos gols da Alemanha e com um bom tango de trilha sonora….Isso não tem preço….Ah, e quanto ao tostão não custa lembrar que ele recusou o prêmio que o governo do "divino", talvez numa jogada de "marketing", ofereceu aos campeões mundiais.Vejamos o que disse o grande tostão;

""Na semana passada, ao chegar de férias, soube, sem ainda saber detalhes, que o governo federal vai premiar, com um pouco mais de R$ 400 mil. Não há razão para isso. Podem tirar meu nome da lista, mesmo sabendo que preciso trabalhar durante anos para ganhar essa quantia. O governo não pode distribuir dinheiro público. Se fosse assim, os campeões de outros esportes teriam o mesmo direito. E os atletas que não foram campeões do mundo, mas que lutaram da mesma forma? Além disso, todos os campeõesforam premiados pelos títulos. Após a Copa de 1970, recebemos um bom dinheiro, de acordo com os valores de referência da época. O que precisa ser feito pelo governo, CBF e clubes por onde atuaram esses atletas é ajudar os que passam por grandes dificuldades, além de criar e aprimorar leis de proteção aos jogadores e suas famílias, como pensões e aposentadorias. É necessário ainda preparar os atletas em atividade para o futuro, para terem condições técnicas e emocionais de exercer outras atividades. A vida é curta, e a dos atletas, mais ainda. Alguns vão lembrar e criticar que recebi, junto com os campeões de 1970, um carro Fusca da prefeitura de São Paulo. Na época, o prefeito era Paulo Maluf. Se tivesse a consciência que tenho hoje, não aceitaria. Tinha 23 anos, estava eufórico e achava que era uma grande homenagem. Ainda bem que a justiça obrigou o prefeito a devolver aos cofres públicos, com o próprio dinheiro, o valor para a compra dos carros. Não foi o único erro que cometi na vida. Sou apenas um cidadão que tenta ser justo e correto. É minha obrigação.

Artigo publicado no Jornal do Brasil, de 11 de outubro de 2009 , e em vários outros jornais do país.

Precisa dizer mais???

ehehehehehehee

Responder

    @marisps

    03 de julho de 2010 às 18h20

    É exatamente sobre esse texto o meu comentário abaixo; o "sensato" Tostão nesse caso pisou na bola, misturou alhos com bugalhos, e ainda posou de vestal. Se arrependeu do prêmio dado pelo Maluf? Ora, nada o impede que ele devolva com juros e correção monetária ao cofres públicos, mas é mais fácil fazer demagogia barata do que agir. O Dvorak aproveitando o "maior gol do Tostão" nesse espaço, prova o que coloquei antes dele por aqui.

    Dimitri

    03 de julho de 2010 às 18h32

    Isso eh corrente na internet para os delirantes… Tostao nao disse isso, e jah desmentiu no Estado de Minas… alias, gostam muito de colocar palavra na boca dos outros, como fizeram varias vezes com pessoas como Luis Fernando Verissimo..

    @marisps

    03 de julho de 2010 às 23h54

    Não desmentiu porque disse sim, na realidade escreveu; o link está aqui: http://jbonline.terra.com.br/leiajb/2009/10/11/es… , mas para ser justa a versão que circula por aí foi deturpada. De qualquer maneira, ele colocou as coisas como disse abaixo, valores errados e informações distorcidas. O "prêmio" que gerou a polêmica declaração do Tostão foi esse: http://g1.globo.com/Noticias/Politica/0,,MUL61544…
    O resultado final é esse: http://blog.planalto.gov.br/jogadores-brasileiros… .

klaus

03 de julho de 2010 às 16h37

Não sei onde vocês assistiram os jogos, mas na ESPN e na Sportv as críticas ao Brasil e Dunga antes mesmo da Copa eram:
1. uma convocação que não dava opções de mudança de jogo caso fosse necessário. Titulares e reservas tinham as mesmas caracteriscticas. Pediam pelo menos o Ganso pois ele seria um reserva melhor para Kaka (que todos sabiam estar machucado) que o Júlio Batista, pois mudaria a caracteristica do jogo do Brasil. Estavam errados?
2. Felipe Melo: foi considerado o pior jogador do campeonato italiano, tomou uns 20 ca
tões amarelos e demonstrou seu descontre até em entrevista quando desligou o telefone na cara do PVC da ESPN. Teve sua ocnvocação contestada. Estavam errados?
3. Dunga fechou o time quase um ano antes da Copa e nem cogitou em mudar seus convocados em nome da coerência e da lealdade, por isto morreria abraçado a medíocres. Estavam errados ao dizer isto?
4. Doni, Kleberson e Grafite? O que eles foram fazer na Copa? Passear? Não seria melhor levar Vitor, Ganso e Neymar?

Tudo isto foi falado antes da Copa, pois eu vi.

Responder

    Bruno

    03 de julho de 2010 às 17h20

    Assino embaixo. E posso dizer que concordo com tudo que os comentaristas sábios da ESPN (PVC, Amigão, até o Juca de vez em quando) anteviram.

    Marcelo Figueiredo

    03 de julho de 2010 às 17h49

    Kaká machucado ou não foi um fiasco nas duas Copas. Mas o pessoal da ESPN adora o Kaká. Além do que, o Brasil poderia perfeitamente ter vencido a Holanda, foi totalmente superior no primeiro tempo e tomou um gol que juntamente com a expulsão do Felipe Melo desmantelou o time.
    Ganso, Neymar ninguém sabe se fariam melhor. É conversa de mal perdedor essa de querer ficar procurando culpados ao invés de reconhecer que perdemos porque jogamos com um adversário do mesmo nível.
    Eu até parei de ver essa ESPN (a única que via), por que não souberam ser profissionais. Cansei desses malas.

    Marcos Doniseti

    03 de julho de 2010 às 21h27

    Assino embaixo, Klaus. Cansei de ver os comentaristas da ESPN, os melhores da imprensa esportiva brasileira (disparados…) falarem tudo isso que você escreveu acima.

    E tudo o que eles diziam acabou se confirmando na Copa.

    Dunga errou feio na convocação e pagou caro por isso.

Gerson Carneiro

03 de julho de 2010 às 16h28

Nessa foto aí reconheço Jairzinho, Gerson, Rivelino e Tostão.
O galeguinho dos zói azul eu não sei quem é. E, infelizmente, meu painho já não está mais aqui pra me dizer quem é.

Responder

@marisps

03 de julho de 2010 às 16h16

Em relação ao texto exposto aqui não há como discordar do bom senso, mas (tô parecendo os "asnalistas" da "grande" imprensa com esse mas) o Tostão também já cometeu suas fanfarronices e que foi devidamente aproveitada e circula por e-mails "políticos" por aí, com o "singelo" título (demagogo que só levando em conta o conteúdo) Tostão, ex-jogador de futebol, marca seu maior gol. Não receberam? Ele foi no mínimo leviano na maneira de colocar meias verdades como se fossem verdades absolutas e posando de vestal da moral e dos bons costumes. Inflou os valores citados no texto, colocou as coisas como se fosse iniciativa única e exclusiva do presidente da república quando era uma reivindicação de jogadores que não tiveram a mesma "sorte" dele de se tornarem comentarista e continuarem em evidência, e jogou com o (falso) moralismo da platéia. Bom senso aqui, fanfarronice lá. Também teve seus dias de diarréia verbal.

Responder

francisco p neto

03 de julho de 2010 às 16h09

Concordo com o Tostão, mas o Brasil podia mais.
Com aquele time a Holanda era igual ao Brasil e se tornou melhor porque venceu.
Mas ficaram no Brasil grandes jogadores que não foram convocados.
Grandes conquistas requerem grandes riscos e Dunga optou por não correr riscos. Deu no que deu.
Dorival Jr. no Santos está tentando resgatar a beleza do futebol jogado e não do futebol truncado.
Depois de 1970 só vi grande futebol da Holanda de 74 e Brasil de 82.
Que será o primeiro a ousar?

Responder

Marcos José

03 de julho de 2010 às 15h31

É isso ai Tostão, vc com homem do futebol em toda sua essência, gostaria de saber, como é os bastidores nas vesperas de convocações, se realmente procede presões na comissão técnica, de cartolas, de empresários, de patrocinadores, de dirigentes da prorpia CBF, pois podemos dizer que essa Seleção Brasileira apenas uma meia dúzia se salva, os demais são uns lixos.

Responder

Evaristo

03 de julho de 2010 às 15h21

Concordo com o Tostão, outros povos estão aprendendo a jogar futebol tão bem quanto nós. Essa seleção da Alemanha parece a do Brasil dos bons tempos, habilidosa e competitiva. É a melhor seleção alemã de todos os tempos. A Holanda é uma seleção que há muito tempo merece um título mundial. Foi vice-campeã em 1974, em que era o melhor time da copa e em 1978. Encontrou o Brasil em 1994 e foi aquele sufoco, assim como em 1998, que perdeu nos penalties. A imprensa brasileira no geral tem uma baixa formação intelectual e moral, a esportiva então nem se fala. O que se ouve de absurdo. O fato positivo dessa copa foi o Dunga ter peitado a Globo, não dando as exclusivas para que essa rede golpista deitar e rolar. O mesmo aconteceu com o Galvão Bueno, frasista de lugar comum. O Brasil também ocupou o espaço que era de outros países em outros esportes, como volei, melhorou em natação e até ginástica tivemo melhora. Fica a lição, há outros países tão bons quanto a gente em futebol!

Responder

Marcos Doniseti

03 de julho de 2010 às 15h11

Já há muitos anos existe um grande equilíbrio no futebol mundial e antes de qualquer Copa do Mundo se iniciar é perfeitamente possível apontar umas 6 ou 7 seleções que tem condições de conquistar o título do torneio.

Brasil, Argentina, Itália e Alemanha são as seleções mais fortes e tradicionais, tanto que venceram 9 das 10 últimas Copas do Mundo disputadas; o Brasil venceu 3 (1970; 1994 e 2002); Argentina (1978 e 1986), Itália (1982 e 2006) e Alemanha (1974 e 1990) ganharam 2 cada uma e a França venceu a outra (1998).

Assim, o Brasil é apenas uma destas seleções em condições de conquistar o título. Jamais a única.

Além disso, em várias Copas temos algumas seleções que sempre podem surpreender e, mesmo não conquistando o título, possuem equipes fortes e competitivas, como é o caso da Inglaterra, Holanda, Espanha e França. Elas constituem uma espécie de segundo escalão do futebol mundial, mas contra quem sempre é complicado jogar, pois tem bons jogadores e, às vezes, conseguem, pelo menos, chegar às semifinais da Copa ou até à decisão (caso da Holanda em 1974 e em 1978, e da França em 1998 e em 2006).

Portanto, quando o Brasil perde da Alemanha, Itália, Argentina, Espanha, França, Holanda e Inglaterra isso não é uma zebra, mas um resultado perfeitamente normal em jogos disputados por seleções de nivel equivalente.

Responder

Carlos J.Ribeiro

03 de julho de 2010 às 15h10

Alguns não se cansam de falar que "só brasileiro sabe jogar futebol". Dão uma colher de chá p/ argentinos. Pura asneira. Nesta Copa vi grandes jogos e grandes jogadores de outros países.

Responder

Marcelo

03 de julho de 2010 às 15h08

Tostão tem razão em termos, mas a análise precisa ser maior, principalmente por que a Copa de 2014 é aqui e a preparação começa agora. A CBF estã fazendo o melhor? Temos visto o Brasil perder Copas não por falta de potencial de futebol, mas por falta de equilíbrio (vimos esse filme algumas vezes). Técnica não é tudo, precisa ter preparo emocional, frieza na hora da decisão, por que a cobrança sobre o técnico e os jogadores é imensa. Como é que a CBF pretende preparar a Seleção para 2014? Como é que o trabalho vai ser feito? Em que medida os interesses da torcida serão mais importantes do que os interesses financeiros? Os jogadores serão realmente os melhores? E a Fifa, vai melhorar a arbitragem? Quando?

Responder

cle

03 de julho de 2010 às 15h00

Realmente, quando ganhou do chile, nao ví nenhum "comentarista", falar que o Dunga estava "aprendendo a ser técnico" na copa. Bastou perder ….
Mas verdade seja dita:
Dunga foi coerente.
Felipe Melo também foi coerente a seu "estilo" de jogo.
Logo…

Responder

Sonia Montenegro

03 de julho de 2010 às 14h58

Fico chocada ao ver brasileiros torcendo desesperadamente contra a Argentina. Sempre foi do interesse do grupo de países do 1º mundo incentivar a animosidade entre os sulamericanos. É que juntos somos mais fortes para enfrentar nossos eternos colonizadores, as grandes potências. Tá na hora de lutar contra essa burrice. Ainda que o Maradona faça as suas fanfarronices, é melhor simplesmente rir para mudar uma animosidade colonizada, que não é, nunca foi e nunca será do nosso interesse.

Responder

    Elisa Ramos

    04 de julho de 2010 às 04h48

    Muito boa a sua análise, Sonia.

    Geloca

    04 de julho de 2010 às 09h36

    é isto, aí, Sônia. Eu já troquei o sinal…toda vez que vejo as fanfarronices do Maradona eu rio, em vez de me sentir ultrajada…o que ele faz é cena, é um grande artista…

    beattrice

    05 de julho de 2010 às 00h44

    è o que os próprios aargentinos chamam de un gran personaje.
    Aliás foi recebido com carinho e gratidão em Buenos Aires.

Renato Lira

03 de julho de 2010 às 14h55

URUGUAI!!!

Responder

Renato Lira

03 de julho de 2010 às 14h55

Deve ser por isso que Tostão deixou a ESPN.

Os autodenominados "independentes" da ESPN são tão arrogantes, rancorosos e corporativistas quanto os mauricinhos da Globo. E fazem reprotagens de tão baixo nível quanto a concorrente platinada. São iguais. Farinha do mesmo saco.

Procurem o que fez um repórter da ESPN com a família do Felipe Melo, que não tem nada a ver com o desequilíbrio do jogador. A forma invasiva, irônica e arrogante do repórter da ESPN, na porta da casa dos pais do jogador, com um sorriso cínico, abordando os parentes de Felipe.

Uma clara prova de covardia, desrespeito e cinismo. Fiquei indignado ao assistir tamanha falta de respeito a pessoas que passavam um momento difícil.

Tirando o PVC, o Calçade, o Antero, o Amigão e alguns outros, a seriedade da ESPN é só pose. Me neganaram por algum tempo. E detesto ser enganado. Como detesto pose, covardia, arrogância e hipocrisia.

Responder

    Antonio Abreu

    03 de julho de 2010 às 17h13

    Renato Lyra: concordo totalmente com você, seu comentário [é pertinente.

    Bruno

    03 de julho de 2010 às 17h26

    E a pose e a arrogância do Dunga, tão enaltecido neste espaço desde o começo da Copa? Deste você gosta, afinal ele se considera um injustiçado pela Rede Globo, e aí fica bonito fazer uma firula, dizer "estamos todos unidos contra o Imperialismo da Rede Bobo! Uhul!"…

    Renato Lira

    04 de julho de 2010 às 22h53

    Arrogância por arrogância, fico com Dunga.

    Não fico em cima do muro.

    Nunca disse que Dunga foi bom técnico, muito pelo contrário.

    Mas em sua atitude em relação à Globo e ao resto da imprensa, este amontoado de hipócritas e soberbos, fico ao lado de Dunga. Isso não tem nada a ver com futebol.

    Se você gosta da Globo, fique a vontade.

    Eu declino desta proposta. Não sou teleguiado.

Bernardino

03 de julho de 2010 às 14h53

conordo inteiramente com o LEONIDAS DE SOUZA.Não temos time para ser campeao.,com esse futebol retranqueiro e o sr DUNGA debutando como Tecnico,nao dava mesmo!Dessa vez nem craques tinhamos.Fomos penta em2002 porque tinhamos o Ronaldo no auge,Ronaldinho gaucho,Roberto Carlos na lateral e a personalidade forte e experiente de Felipão.A propria Alemanha que agora é favorita,dançou em nossas MAOS,mesmo tendo o goleiro que era um terror!!
Nao adianta,sem conjunto e crriatividade,não se vai a lugar nenhum!!

Responder

Gerson Carneiro

03 de julho de 2010 às 14h38

Esse povo que fica querendo se amostrar, fica querendo ser mais sabido que o Azêa.
Ôôôômi, aonde?
Vai pra lá, peste!

Responder

hc.coelho

03 de julho de 2010 às 14h28

O comentarista Tostão é ótimo, embora como jogador fosse melhor ainda. Aprendi a gostar de futebol vendo ele jogar. Quero acrescentar que com a suspensão do Ramires e a contusão do Elano, não havia opções para o Dunga. Faltou um pouquinho de sorte, que tanto joga no futebol, à seleção. O rancor contra o Dunga é coisa de uma conhecida imprensa: aquela que destesta o Lula. Temos que considerar também, a favor da imprensa (que saudade eles têm do FHC!), que ela apanha diariamente do Lula e está só reagindo.E jogou a raiva no Dunga.Vamos para a próxima.

Responder

priscila presotto

03 de julho de 2010 às 14h27

Tenho o maior respeito pelo Tostão.
Sempre sereno e isto é ótimo!

Responder

Tomudjin

03 de julho de 2010 às 14h23

Desde 1982 não tinha visto o Brasil jogar tão qualmente àquela seleção.
Fatalidades existem, e os bodes espiatórios vão surgindo cada vez que não conseguimos explicar o tamanho do tombo.
Somos o que há do melhor no futebol, mas seria ridiculo não darmos espaço aos nossos adversários. Não se queixem do que foi apresentado dentro de campo, comecemos a questionar o que há além das quatro linhas.

Responder

José Siqueira

03 de julho de 2010 às 14h23

Profetas do passado, é a maioria dos comentaristas esportivos. Eles até cunharam uma nova terminologia "craque diferenciado", alguns jogadores "diferenciados não jogam nada há muito tempo. No mínimo a imprensa esportiva foi cúmplice de todas as decisões equivocadas, por ficarem idolatrando "PÉS DE BARRO"

Responder

Gerson Carneiro

03 de julho de 2010 às 14h18

Tem gente que fica querendo se amostrar.
Fica falando istrangêro aqui.
Ôôômi, tome jeito.
Seus abestados.

Responder

Nilson Moura Messias

03 de julho de 2010 às 14h14

Tostão, Afonsinho e Socrates, são os jogadores mais politizados, que já apareceram no Brasil. Jogaram e jogam com bola e com a caneta. Os melhores, nesta ordem.

Responder

robledo

03 de julho de 2010 às 17h12

Eduardo Gonçalves de Andrade há muito tempo é nosso melhor comentarista esportivo, não lhe dão o devido respeito porque não faz papel de palhaço como o milton neves e o bueno. Aliás quer ver comentarista esportivo idiota: basta ele falar que faltou levar fulano,sicrano etc…como se copa fosse decidida hoje por jogador não pela equipe.

Responder

João de Deus Netto

03 de julho de 2010 às 14h09

Foi encontrado um quadro desconhecido do pintor holandês Van Gogh na pinacoteca de um dos irmãos Marinhos da Globo, juntamente com um poster do Maradona fazendo o que ele mais gosta quando não está se vaporizando. Vi indagorinha antes de vir pra cá. http://jenipaponews.blogspot.com/

Responder

pedro - bahia

03 de julho de 2010 às 17h06

E como tem idiotas a mandar mensagens atribuindo a Lula (pé frio) o desastre da derrota. Condenam a seleção pelo fato de haver visitado o Presidente da República, antes da embarque para a África do Sul.

Responder

Leonidas de Souza

03 de julho de 2010 às 17h06

Será que agora acaba a discussão sobre futebol-força e futebol-bonito.
A Alemanha mostrou força e beleza ao mesmo tempo.
Não recuou em nenhum momento, futebol rápido e para a frente, nada de ficar tocando bolinha de lado.
Uma seleção como a brasileira, montada para jogar no contra-ataque, não poderia ir muito longe mesmo.
Temos que reconhecer que a nossa seleção era muito fraca para almejar ser campeã do mudo, deu a lógica, a Holanda foi melhor e pronto.
No fim de todas as últimas Copas, nossos técnicos sempre dizem que não viram nada de novo, será que agora vão começar a repensar o nosso futebol, ou vamos ficar na mesmisse do futebol doméstico, quiase sem nenhum brilho.
O que fazer com a nossa tradicional falta de preparo psicológico e não é só no futebol, poucos atletas brasileiros não tremem num momento decisivo. Quase sempre se apresentam abaixo de suas reais capacidades técnicas.
Esse é um filme que já cansamos de ver, basta ver americanos e argentinos em decisões, podem perder na qualidade técnica, mas nunca na cabeça.
Um abraço!!!

Responder

Luiz

03 de julho de 2010 às 17h04

Gostaria de saber de onde surgiu a expressão "principe dos sociólogos". Não foi uma "comenda" encomendada? Com tantos sociólogos reconhecidamente competentes e atuantes, foram escolher logo FHC?

Responder

    Ed.

    03 de julho de 2010 às 14h22

    Luiz, que eu saib,a este é apenas um apelido jocoso do "sóciologo" que se "achava"…
    (acho que agora está apenas tentando se achar, hehe)

    beattrice

    05 de julho de 2010 às 00h40

    A citação não é um elogio, é umd eboche generalizado.

Marcelo Ramos

03 de julho de 2010 às 17h01

Prezado Azenha, concordando com você em relação aos comentaristas, e concordando apenas em parte com o Tostão, eu diria que o Felipe Melo era tragédia anunciada. Ao time do Brasil como um todo, e ao Felipe Melo especialmente, faltou algo básico para um time que quer ser campeão: equilíbrio emocional mínimo. Ainda no primeiro tempo, quando o momento do jogo era do Brasil, e o time poderia ter ampliado o marcador, começaram a aparecer os sinais de desequilíbrio. O Roben, lançando mão de uma catimba tipicamente argentina, conseguiu desequilibrar os jogadores brasileiros. Ora, é inadmissível que o Brasil, já escolado contra a catimba argentina entrasse na onda do Roben, com ajuda de um juiz claudicante, que eventualmente invertia faltas. E como disse o Tostão, a Holanda é um time no mínimo tão bom quanto o Brasil. Eles perceberam a fragilidade do Brasil e foram pacientes. No segundo tempo, depois do primeiro gol, aí, incrivelmente, na hora que era necessário mais calma, o Brasil simplesmente freak out, perdeu totalmente a cabeça, do qual o episódio da expulsão do Felipe Melo simbolizou o estado emocional do Brasil. Alemanha contra Argentina foi, mudando pouca coisa, o mesmo resumo.

Responder

Luiz Jornaleiro

03 de julho de 2010 às 16h58

Pelo enorme respeito que tenho pelo Doutor Tostão, concordo com o que ele escreve mas insisto em que faltou tocar no ponto fundamental: a manipulação de resultados, tanto por parte das arbitragens (tolerantes com uns, rigorosas com outros), como também pelo comportamento altamente suspeito de jogadores (arrumando meias, descontrolando-se emocionalmente). E para mim o grande nome da copa é a jabulani, muito mais decisiva que qualquer dos anunciados craques.

Responder

pelasmadrugadas

03 de julho de 2010 às 16h56

Soubera intrigado que havia um livro “Poliana”. Lido, se trata da pratica otimista do “jogo do contente”. Porque não? Não concordo que possa ser um simplório emocionalismo conformista como alguns o consideram pela internet. É preciso tender para a cultura do otimismo sempre em baixa devido o credo do complexo de vira latas tão usado para justificar a dominação.
Tostão com sua analise do Brasil na copa nos mostra que o resultado foi normal. O jogo do contente favorece o senso comum. Até que foi bom para justificar empenho para 2014, desde já contamos com a torcida. Só falta combinar com trabalho técnico.

Responder

Wilson

03 de julho de 2010 às 16h54

Sou atleticano daquele tempo em que o Tostão me deixava em lágrimas, juntamente com Dirceu Lopes e outros. Não guardo mágoas. Porque guardar, se o sujeito é bom de bola, bom de texto e bom de cabeça?

Responder

dukrai

03 de julho de 2010 às 16h49

"O Brasil fez um primeiro tempo belíssimo, foi o melhor primeiro tempo da Copa, do Brasil".
Do Brasil, não, de todos os jogos que eu vi, e eu vi um monte.
Faltou o que? Aquilo que o Zangado disse, faltou banco, que ele não convocou porque não quis, por pirraça com os 190 milhões de técnicos daqui, da Itália, da Fifa, … Ronaldinho Gaúcho, Neimar, Ganso, Tardelli, um monte de gente que ficou de fora pra chamar Grafite, KKKKK, Kleberson (é isso mesmo?) Felipe neto de canguçu.
O time desmontou depois do frangaço do Bocarra, o melhor goleiro da gLOBO e cadê o técnico pra fazer as alterações e levantar o time? Ah, não tinha banco!
Adios muchacho, vc não deixa lembranças, mas a questão não é esta e nem o Zangado é o responsável em última instância por essa seleção do readers digest, o problema é o feudo do Teixerão, a CBF e a sua caixa preta. Essa conversa de que a CBF é uma instância privada e que tem a FIFA como guarda chuva das suas presepadas, impedindo intervenções governamentais, não impede que se exija transparência da sua movimentação financeira, afinal, nós torcedores somos os financiadores da CBF, das federações estaduais e dos clubes, essa grana é pública e merece satisfação.
Pela democratização da CBF, principalmente que nós vamos sediar a Copa de 2014, o dinheiro é nosso e queremos saber do seu destino.

Responder

    Gerson Carneiro

    03 de julho de 2010 às 14h56

    Faltou convocar craques do quilate dos jogadores do meu time de coração que é o Barriga Verde Futebol Crube, também conhecido como Amebinha (arquirrival do Fubuía Futebol Crube).
    São eles (os craques):

    1 – Mão de Quiabo (golerão)
    2 – Canela (grande zagueiro)
    3 – Cueca
    4- Cistozoma
    5- Cirrose
    6 – Barriga de vento
    7 – Banguela (também conhecido como Sem Dente)
    8 – Furúnculo
    9 – Pé Inchado
    10 – Eu (não vou revelá o apelido)
    11 – Unha Encravada

    Tècnico: Palmatória (também conhecido como Sarrafo).

    dukrai

    03 de julho de 2010 às 17h54

    ô Gerson, vai zoar de troll rs

    Gerson Carneiro

    03 de julho de 2010 às 18h34

    poxa, a gente quer ser sincero e o cabra acha que a gente tá zoando.
    tenha mais respeitho com o Amebinha.

    Gerson Carneiro

    03 de julho de 2010 às 19h01

    Fica fazendo pouco caso do Amebinha… Último campeão invicto da Copa do Agreste.
    Ganhamos lá dentro da cidade de Mangue Seco, no estádio conhecido como Tietão.

    Leider_Lincoln

    03 de julho de 2010 às 17h14

    Disse tudo.

    Luciana

    04 de julho de 2010 às 17h41

    "O dinheiro é nosso e queremos saber seu destino" Muito bem Dukrai. Dinheiro público investido na seleção brasileira, contratos com patrocinadores, com emissora de TV, é preciso transparência nestas relações. O povo tem que ser informado afinal é dinheiro público, dinehiro nosso.Convocações: o povo democraticamente tem que ser ouvido. .Se não for renovada a estrutura do futebol, nós nunca mais ganharemos Campeonato Mundial. A globalização uniformizou o estilo do futebol. O que predomina é a diversidade na preparação do atleta, se o Brasil ficar no que está, vai ficar no que está:DERROTADO.É preciso deixar de infantilizar o atleta, prepará-los melhor para competições internacionais e sobre questões de cidadania. O mundo mudou, até a bola modernizou-se.

André Frej

03 de julho de 2010 às 16h46

Com a Argentina fora, o ibope da Globo está enterrado de vez nesta Copa.

Na minha modesta opinião, Tostão é o melhor comentarista esportivo do Brasil.

Responder

ANTONIO

03 de julho de 2010 às 16h44

O CARA ENTENDE DE BOLA, MÉRITO PARA HOLANDA …. PARABÉNS!

Responder

Bruno

03 de julho de 2010 às 16h41

O lado que entende um mínimo de futebol sempre esteve contra esse técnico ridículo… já vai tarde, e estes 9 dias a mais podem nos fazer diferença em 2014. Um novo projeto, com um bom técnico (Autuori? Gusmão? Rijkaard talvez?) e a coragem de atacar, coragem sempre vista em holandeses e espanhóis, mas há mais de 20 anos longe das linhas brasileiras. Em 2014 o Brasil vai voltar a ser o Brasil, e não este misto de Itália – pelo pragmatismo – e Costa do Marfim – pelo destempero – que vimos neste certame.

A propósito de managers de talento discutível, Maradona confiou demais em seu ataque para compensar sua discutível defesa e seus buracos táticos. Lôw, o comedor de caquinha, e seus meninos da cada dia mais heterogênea Alemanha deram-lhe um nó incrível. Volta pra casa para chorar com a presidente que o inventou no cargo mais importante da nação.

Responder

Luciana

03 de julho de 2010 às 16h40

Azenha jornalista do Brasil fica comentando sobre beleza de torcedora focalizada no estádio, é machismo e grosseria.
Azenha jogador abrasileiro tem aprimorar o preparo físico não só com bola.
Serena Wilians sagrou-se tetracapeã do torneio de tênis em Winbledom, venceu a russa Vera Zvonareva.As irmãs Willians além do tênis, fizeram aulas de boxe, natação, ballet , atletismo. Duas atletas afro americanas que foram treinadas e prepradas para serem as melhores do mundo por muito tempo.
O futebol hoje exige que atletas complementem sua treinação de futebol com outros esportes para adquirir velocidade. força, competitividade e maturidade.

Responder

Dilson

03 de julho de 2010 às 16h40

Die deutsche Schokolade ist bitterer als die Niederlande.

Responder

    auagustinho

    03 de julho de 2010 às 16h52

    " …ist besser", wolten Sie micht sagen?

    Gerson Carneiro

    03 de julho de 2010 às 16h15

    Quanta bestaje nesse mundo de meu Deus!

    Bruno

    03 de julho de 2010 às 16h45

    mais amargo.

    Gerson Carneiro

    03 de julho de 2010 às 14h15

    Oxé! Quediabéisso?
    Tão querendo se amostrar?

    Paulo C

    03 de julho de 2010 às 16h21

    Aber die deutsche Schokolade schmeckt besser als der Orangesaft Niederlandes.

Gerson Carneiro

03 de julho de 2010 às 16h31

Bom mesmo foi ver a Argentina tomando de quatro.
Fôôôôôôôôôônnn!

Responder

    Sebastião Vannucci

    03 de julho de 2010 às 22h56

    Concordo com você. Eles tomaram o primeiro gool e foram ao ataque pra empatar e tomaram mais 3. Mas tudo isto aconteceu devido ao salto alto dos Argentinos. Agora estamos fora da Copa, tudo bem, vamos preparar para 2014
    com seriedade. Temos 4 anos pela frente e a maioria destes atuais jogadores já terão aposentados . Como o Brasil é um celeiro de craques, nós teremos revelações e talvez aproveite alguns craques que estão em evidência hoje, dou como exemplo: Ganso e Neymar!

    Gerson Carneiro

    03 de julho de 2010 às 23h48

    tem que parar com essa mania de trazer jogadores a beira da aposentadoria só porque jogam nas zoropa.
    Tobinho é um que por mim tá fora de 2014

    Gerson Carneiro

    03 de julho de 2010 às 20h57

    Robinho.
    saiu errado rsrsrsrs

Araujo

03 de julho de 2010 às 16h30

Quem sabe, sabe, quem não sabe, bate palmas. Parabens ao Tostão.

Responder

Acqualinda Moraes.

03 de julho de 2010 às 13h24

Assino em baixo.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding