VIOMUNDO

Diário da Resistência


Com a mão do gato, Bolsonaro promoveu a ideia de atropelar o Congresso e fechar o STF
Fotos: Eduardo Matysiak
Opinião do blog

Com a mão do gato, Bolsonaro promoveu a ideia de atropelar o Congresso e fechar o STF


27/05/2019 - 11h48

Da Redação

Em Curitiba, berço da Lava Jato, os bolsonaristas atacaram a faixa que falava em “Defesa da Educação”, um slogan genérico, mas que vai de encontro ao pensamento do presidente Jair Bolsonaro e seu ministro Abraham Weintraub.

Universidades que, em vez de procurar melhorar o desempenho acadêmico, estiverem fazendo balbúrdia, terão verbas reduzidas, disse o ministro recentemente ao diário conservador paulistano Estadão.

No Texas, o capo afirmou durante sua estadia que só três universidades no Brasil produziam Ciência de qualidade: O ITA, o Instituto Militar de Engenharia e o Mackenzie — berço histórico do Comando de Caça aos Comunistas.

Mariluce Moura, criadora da revista Pesquisa Fapesp, afirma no entanto que as universidades públicas respondem por 95% da pesquisa no país.

O que se viu no domingo, além de demonstrações de falta explícita de educação, foi a pauta que Jair Bolsonaro impôs com a mão do gato.

O presidente não foi e desaconselhou seus ministro a comparecer às ruas. Disse que fechar o Congresso e o STF não eram pautas dignas do domingo.

Tudo jogo de cena para “pairar” sobre o enfrentamento dos manifestantes com o Congresso.

Bolsonaro sabia perfeitamente que a pauta olavista dominaria as palavras de ordem.

Depois de ontem, pode alegar que há apoio algum apoio à reforma da Previdência e ao pacote anticrime do juiz Sérgio Moro nas ruas.

Porém, o que mais interessa ao bolsonaristas, agora, é uma CPI do Supremo Tribunal Federal, a Lava Toga, se possível com a cassação de alguns membros da Corte — notadamente Gilmar Mendes e Dias Toffoli –, ou o aumento do número de vagas no tribunal.

O STF, o que aprovou a criminalização da homofobia e de onde partiram críticas à Lava Jato, tem poder significativo para tolher as pautas de Bolsonaro no futuro.

Já os ataques a Rodrigo Maia e ao centrão visam a tratorar uma maioria inexistente no Congresso, que a incompetência política de Bolsonaro não conseguiu aglutinar.

Domingo, portanto, foi uma vitória de um presidente dissimulado — no mesmo estilo do que fugiu dos debates na campanha eleitoral –, posando de chefe de Estado que está longe dos “radicais”.

Mas, por baixo do pano, foi o próprio Bolsonaro quem insuflou seus seguidores a propor o enquadramento do Congresso e o STF, ao disseminar a carta com tom de Jânio Quadros, denunciando “forças ocultas” em Brasília.

Traduzindo ao essencial, Bolsonaro se disse de mãos amarradas, refém, que só pode ser libertado pelas multidões.

Com a ajuda da TV Globo, as manifestações ficaram circunscritas ao temas que dizem respeito à própria emissora: apoio à reforma da Previdência e ao pacote anticrime de Moro.

Mas, para quem viu de perto, ficou claro que o bolsonarismo quer mais, muito mais — e já projeta além de 2022.

Bolsonaro pagou para ver o 30M e a greve geral prevista para o 14 de junho.

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

27 de maio de 2019 às 19h59

Perícia Psiquiátrica apontou que Adélio Bispo
sofre de Transtorno Delirante Persistente
e, se for condenado na ação penal, ficará
sob Tratamento em Manicômio Judiciário.

Transtorno Delirante Persistente …
Taí o diagnóstico pros [email protected]
fanáticos por Moro e Jair Bolsonaro
que saíram às ruas no dia 26 de maio …

Responder

Zé Maria

27 de maio de 2019 às 19h30

Os Fascistas Raivosos mais babaram de ódio nas ruas contra o Congresso e o STF
do que apoiaram qualquer proposta em tramitação no Poder Legislativo.

Houve mais idolatria de um Bando de Fanáticos ao Jair Bolsonaro, ‘o eleito’,
e ao Sergio Moro, ‘o Superman’, do que propriamente manifestações de apoio.

A Defesa da Destruição da Previdência Social e do Pacote Fascista do Moro
ficou por conta da Rede Globo e [email protected] [email protected] Repórteres [email protected]

Responder

Gersier

27 de maio de 2019 às 18h34

Pra esses babacas imbecís, o tal stf golpista e o marreco de Curitiba se tornam “heróis” e NÃO são “ativistas”, tão somente quando perseguem o PT e condenam o LULA sem provas.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.