VIOMUNDO

Diário da Resistência


Ciro foca na agenda econômica e se apresenta como alternativa ao PT e a Bolsonaro; veja o resumo da entrevista
Reprodução You Tube
Opinião do blog

Ciro foca na agenda econômica e se apresenta como alternativa ao PT e a Bolsonaro; veja o resumo da entrevista


29/05/2018 - 11h45

Da Redação

Em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, o pré-candidato do PDT ao Planalto, Ciro Gomes, demonstrou grande domínio na questão econômica e injetou no debate político estatísticas impressionantes:

— 2 de cada 100 beneficiários da Previdência ficam com 25% de todos os benefícios;

— o governo Temer rola R$ 1,2 trilhão de dívida pública “fantasma” com prazo de 4 dias;

— Pedro Parente deixa 1/3 da capacidade de refino da Petrobrás ocioso, beneficiando importadores que desfrutam do monopólio da empresa;

— Só o Brasil e a Estônia não cobram impostos sobre lucros e dividendos empresariais;

— O tributo sobre heranças nos Estados Unidos é de 29%, no Brasil este imposto é em média de 3,9%;

— O Tesouro brasileiro concede hoje ao andar de cima renúncia fiscal de R$ 580 bilhões;

— O Itaú pagou a quatro famílias acionistas R$ 9 bilhões em dividendos, e elas não pagaram impostos sobre o recebido.

Ciro demoliu os argumentos dos entrevistadores que se apresentaram como representantes do “mercado”, Ibsen Costa Manso e André Perfeito.

No ponto alto de sua entrevista, disse: “O mercado é essa entidade fantasmagórica que resolveu atribuir a si próprio o poder de tutelar a democracia. Eu não aceito isso”.

No campo da política, o pedetista disse que não espera fazer um acordo com o PT no primeiro turno.

Disparou críticas à ex-presidenta Dilma Rousseff e ao ex-presidente Lula.

Afirmou que, se eleito, formaria um bloco com o PSB e o PCdoB.

Considerando que o candidato indicado pelo PT tem grandes chances de passar ao segundo turno, com cerca de 20% dos votos, está claro que Ciro busca votos em setores menos radicais do antipetismo, do centro, já que os antipetistas raivosos estão comprometidos majoritariamente com Bolsonaro.

Ciro focou sua agenda econômica na retirada de privilégios dos mais ricos e deixou claro que se apresentará, nos debates, como alternativa preparada para governar, na polarização entre o PT e Jair Bolsonaro.

Veja um resumo da entrevista de Ciro Gomes:



Veja também:

Ao vivo, Globo ouve o que não queria ouvir

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Hildermes José Medeiros

31 de maio de 2018 às 12h19

Que Ciro Gomes é uma alternativa, e muito melhor, ao Bolsonaro, não restam dúvidas. Agora, alternativa ao PT? Até onde se sabe o PT vai de Lula, preso ou não, no momento com cerca de 40% dos votos (60.000.000 de votantes). É um trunfo muito grande, principalmente considerando que o PT conta com outros nomes. Ciro Gomes.além de pontuar pouca nas pesquisas, tem forte rejeição. Cada dia fica mais clara a sofreguidão dos interesses não explícitos que querem Ciro Gomes presidente, a ponto de saírem tentando tudo atropelar. É aliado ou o quê?

Responder

Alex

31 de maio de 2018 às 11h10

Ciro é sem sombra de dúvidas, depois de Lula, a pessoa mais preparada para ocupar o planalto e tem o meu apoio, da minha familia e amigos próximos!

Responder

MAAR

29 de maio de 2018 às 15h40

Reitero o comentário encaminhado há pouco, visto que não houve confirmação habitual do site.

A negociação de uma frente progressista que reúna os setores de esquerda desde o primeiro turno das eleições presidenciais é o melhor caminho para vencer a direita,

E Ciro Gomes pode trazer importante contribuição para tal iniciativa,

Todavia, o momento atual exige um posicionamento coerente e pragmático para solucionar a crise dos caminhos e restaurar o abastecimento da população.

Neste sentido, escrevi o breve ensaio que segue como uma modesta colaboração

Responder

MAAR

29 de maio de 2018 às 15h20

A negociação de uma frente progressista que reúna os setores de esquerda desde o primeiro turno das eleições presidenciais é o melhor caminho para vencer a direita,

E Ciro Gomes pode trazer importante contribuição para tal iniciativa,

Todavia, o momento atual exige um posicionamento coerente e pragmático para solucionar a crise dos caminhos e restaurar o abastecimento da população. Neste sentido, escrevi o breve ensaio que segue como uma modesta colaboração.

FEITIÇOS DESNUDAM FEITICEIROS

A Crise dos Caminhões Expõe Farsas do Golpismo Predatório

Que o “rei” está nu, há muito já se sabe. Todavia a continuidade, as origens e todos os desdobramentos da crise que abala a nação brasileira no momento presente evidenciam a cumplicidade do governo temerário com a construção do caos, e mostram a influência flagrante do imperialismo predatório e a complacência das instituições.

A manutenção dos bloqueios nas rodovias, apesar da expansão dos efeitos danosos do desabastecimento em todo o país, mostra a extrema complexidade da conjuntura atual e ressalta a necessidade de compreender os fenômenos relacionados.

Neste sentido, é indispensável, antes de tudo, caracterizar de modo preciso a natureza do movimento que paralisa o Brasil a mais de uma semana.

E para tanto é indispensável recordar que, quando ocorre uma simbiose entre interesses de empresas e movimentos paredistas, resulta caracterizada a ocorrência de locaute, que consiste exatamente numa paralisação de atividades produtivas dirigida, promovida ou favorecida por grupos de empresários e por corporações.

Ainda que haja também interesses de trabalhadores, assalariados e autônomos, neste movimento tido como grevista, fato é que já foram divulgadas evidencias de que há influência de interesses estranhos à categoria dos motoristas de caminhão, tanto na origem quanto no prolongamento da crise em tela.

Recentes declarações de lideranças de organizações representativas dos caminhoneiros confirmam que a postura das empresas transportadoras, desde o início do movimento, favoreceram a expansão das paralisações, bem como apontam a existência de pressões ligadas a grupos políticos golpistas, que forçam a continuidade da “greve”.

Além disso, a própria pauta de exigências encampada pelos caminhoneiros evidencia o esdrúxulo favorecimento de interesses que são contrários aos da classe trabalhadora, visto que a redução de impostos que financiam investimentos em infra-estrutura e viabilizam a preservação de direitos sociais prejudica toda a população, e em especial trabalhadores precarizados, como os motoristas de caminhão autônomos.

Fica então evidente que os caminhoneiros estão sendo iludidos e induzidos a defender interesses prejudiciais a eles mesmos e à população em geral, visto que insistem em reivindicar extinção de impostos, bem como em manter uma paralisação que gera um desabastecimento generalizado de produtos e serviços essenciais.

Por outro lado, devemos lembrar que a causa direta da paralisação dos caminhoneiros é a intensa escalada dos preços dos combustíveis, decorrente da política absurda adotada pelo governo, que visa viabilizar a privatização predatória da PETROBRAS.

O insano e insustentável atrelamento às cotações do mercado internacional de petróleo provocou a escalada de preços dos combustíveis, e constitui uma prática injustificável, criminosa e altamente lesiva aos interesses nacionais.

Do mesmo modo, a venda de diversos ativos estratégicos da PETROBRAS, assim como a escandalosa estratégia deste governo de não utilizar de forma plena a capacidade das refinarias nacionais, para aumentar a importação de derivados de petróleo, constituem crimes de lesa pátria, que violam o artigo 177 da Constituição Federal e o parágrafo 1º do artigo 1º da Lei nº 9.847, pois contrariam a utilidade pública do setor.

Tais descalabros mostram, de maneira inegável, que a atual crise dos caminhões e seus desdobramentos são conseqüências diretas do golpismo continuado exercido por este governo temerário, que visa favorecer interesses predatórios.

Ademais, a continuação dos bloqueios nas rodovias e o prosseguimento da paralisação dos caminhões tornam evidente a cumplicidade do governo temerário com a construção do caos, visto que não têm sido utilizados os meios legais disponíveis.
A atitude do governo temerário ao pretender utilizar as forças armadas para promover a desobstrução das rodovias é uma farsa, visto que os bloqueios nas estradas e o grave quadro de desabastecimento, que prossegue de forma alarmante, constituem matéria que é da competência do poder judiciário, e a efetivação do cumprimento de decisões da justiça federal e dos tribunais superiores é função da Polícia Federal.
Fato é que mesmo o bloqueio parcial das rodovias cerceia, e portanto viola, a liberdade de movimentação, pois impede o fluxo normal de veículos. Mesmo o bloqueio de apenas uma das faixas de uma rodovia que tenha mais de uma pista num mesmo sentido obriga, de forma arbitrária, a uma redução forçada da velocidade média de deslocamento. E, em situações em que haja necessidade de rapidez, mesmo a regular movimentação dentro dos limites de velocidade de cada trecho implica em riscos para segurança do tráfego, e potencializa a probabilidade de acidentes. O mesmo ocorre com a ocupação de acostamentos, dado que tais estruturas são necessárias para preservar a segurança do fluxo de veículos, em especial nas rodovias perigosas.
Acresce ainda que as já denunciadas ameaças e atos de violência que objetivam impedir o encerramento dos bloqueios e da paralisação dos caminhões, e que pretendem proibir a urgente normalização do abastecimento de combustíveis, são crimes que deveriam ser prontamente coibidos pelas polícias com base em ordem judicial única.
Inclusive porque a falta generalizada e crescente de derivados de petróleo tem causado o desabastecimento de inúmeros produtos e serviços essenciais, o que, além de gerar uma série de transtornos para a população, tende a atentar contra vida de muitos.
Diante disso tudo, é preciso exigir do governo e das instituições a solução adequada para a crise que paralisa o país. E o caminho para isso passa por uma urgente decisão do STF que determine a intervenção da Polícia Federal, com o apoio da Polícia Rodoviária Federal, para restaurar a livre movimentação nas rodovias, bem como para restabelecer o abastecimento da população. Sem prejuízo do prosseguimento das negociações com vistas à reversão das políticas temerárias e à redução dos preços, não apenas do diesel, mas também da gasolina, do gás de cozinha e do querosene de aviação.

REFERÊNCIAS

1. GREVE NÃO É MAIS DE CAMINHONEIRO

https://br.yahoo.com/financas/noticias/greve-n%C3%A3o-%C3%A9-mais-caminhoneiro-212800918.html

2. POSTOS DE SP REJEITAM COMBUSTÍVEL APÓS ATOS DE VIOLÊNCIA

https://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil/postos-de-sp-rejeitam-combust%c3%advel-ap%c3%b3s-atos-de-viol%c3%aancia-pm-usa-choque/ar-AAxXXRh?li=AAggXC1

3. ESPECIALISTA EM PETRÓLEO DESMASCARA PEDRO PARENTE

https://www.viomundo.com.br/voce-escreve/especialista-em-petroleo-desmascara-politica-de-pedro-parente-mesmo-que-petrobras-lucrasse-50-o-litro-do-diesel-poderia-ser-vendido-a-r-230-nos-postos.html

4. DESMONTE DA PETROBRAS LEVOU PAÍS AO CAOS

https://jornalggn.com.br/noticia/greve-desmonte-da-petrobras-levou-pais-ao-caos-por-paulo-kliass

5. DE POTÊNCIA PETROLEIRA A COLÔNIA MISERÁVEL

https://jornalggn.com.br/blog/ion-de-andrade/de-potencia-petroleira-a-colonia-miseravel-por-ion-de-andrade

6. ESTADO E MERCADO NA DISPUTA PELO PREÇO DOS COMBUSTÍVEIS

https://jornalggn.com.br/noticia/estado-e-mercado-na-disputa-pelo-preco-dos-combustiveis-por-william-nozaki

Responder

luiz mauro

29 de maio de 2018 às 14h30

Acorde me quando ele passar dos 5 % …politico inabil, que nao sabe fazer aliancas, muito esquentado, e que demonstra muita desleandade, a mosca azul picou ele, e ele perdeu o bonde…..nao ter condenado o moro e ter se apresentado como pouco caridoso ao lula vai custar caro, todos acham que vao seguir ele contra b olsonaro….mas nao se esquecam do trump e da hilary, se vc nao fazer os eleitores irem votar em vc,…nao tem jeito…

Responder

    Alex

    31 de maio de 2018 às 11h09

    Ciro chega a ter 12% das intenções de votos sem Lula na disputa, contra 3 do Haddad.

Na lata

29 de maio de 2018 às 13h50

Alternativa a LULA e BolsoMICO, então é igual a Alckmin e Meirelles.

Responder

Jose fernandes

29 de maio de 2018 às 11h49

Trocando por miúdos O CIro é um verdadeiro traíra e covarde,… vai empatar com o Alckmin, se chegar a 3% que pena ,ainda bem que as vísceras do Ciro enclodiram agora….

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!