VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Acuado entre Lula Livre e as denúncias de Queiroz, Bolsonaro terá teste em megaleilão do pré-sal
Reprodução de vídeo
Opinião do blog

Acuado entre Lula Livre e as denúncias de Queiroz, Bolsonaro terá teste em megaleilão do pré-sal


28/10/2019 - 11h03

Da Redação

Acuado entre o Lula Livre e as denúncias de seu envolvimento com o ex-assessor Fabrício Queiroz, o presidente da República Jair Bolsonaro se agarra a um terço do eleitorado e ao apoio do PIB que está de olho nas privatizações.

O megaleilão do pré-sal, previsto para acontecer no próximo 6 de novembro, será um teste para a credibilidade do governo.

O leilão recebeu apoio generalizado no Congresso, pois vai beneficiar governadores e prefeitos de praticamente todas as legendas.

Um estudo de 50 páginas da Associação dos Engenheiros da Petrobrás concluiu que se o governo encarregasse a estatal de explorar as reservas que serão leiloadas o Tesouro nacional poderia arrecadar até R$ 1,1 trilhão, com R$ 270 bilhões destinados a estados e municípios.

Porém, Bolsonaro vai leiloar o chamado “excedente da cessão onerosa” para as multinacionais.

Em alguns casos, até 82% do petróleo encontrado em um poço ficarão com o sócio estrangeiro, denunciou o deputado federal Henrique Fontana (PT-RS).

Resumo: o Brasil, que torrou uma fortuna na pesquisa para encontrar o petróleo, vai ficar com meros 18% dos barris de petróleo retirados daquele poço, onde já existe certeza ABSOLUTA da existência de óleo.

O megaleilão garante apoio externo a Jair Bolsonaro e a Sergio Moro, seu ministro da Justiça que promoveu a operação Lava Jato.

Em 18 de março de 2019, ambos foram à sede da Central de Inteligência Americana, num encontro fora da agenda durante visita aos Estados Unidos.

A CIA ajuda a formular e aplicar as linhas mestras da política externa dos EUA, pairando acima de partidos e do próprio governo de turno e dispõe de um orçamento secreto supostamente monitorado pelo Congresso.

Além do apoio externo, Bolsonaro conta com apoio de parte do PIB brasileiro, de olho em outras privatizações.

Bolsonaro corre para formar sua própria burguesia, com empresários como Luciano Hang, da Havan.

Porém, corre o risco de ser apeado do poder pelas revelações de seu ex-assessor Fabrício Queiroz.

O presidente da Câmara Rodrigo Maia e a TV Globo têm o poder de abreviar o mandato de Bolsonaro.

Se ele for afastado antes de completar a metade do mandato, novas eleições serão convocadas e o apresentador Luciano Huck parece ser uma alternativa “apolítica” da elite brasileira.

Diante de recentes revelações do Grupo Globo e do diário conservador paulistano Folha de S. Paulo sobre áudios de Queiroz, o presidente da República reagiu em entrevista:

“Tem empresa que vai renovar seu contrato brevemente, eu não vou perseguir ninguém. (Mas) para quem estiver devendo, vai ter dificuldade. Então os órgãos de imprensa jogam pesado para ver se me tiram de combate para facilitar sua vida”.

Bolsonaro se refere à renovação da concessão da TV Globo.

Durante os três mandatos do ex-presidente Lula e da presidenta Dilma, o Partido dos Trabalhadores teceu críticas à postura da emissora da família mais poderosa do Brasil.

Porém, sempre buscou acordos de bastidores com a família Marinho.

Bolsonaro, embora faça desafios públicos, pode estar apenas blefando.

A Globo foi essencial na campanha que resultou no golpe de 2016.

Apoiou a operação Lava Jato.

Porém, documentos apreendidos numa busca e apreensão da Polícia Federal que poderiam levar à investigação de uma herdeira do Grupo Globo, em conexão com a empresa panamenha Mossack & Fonseca, de lavagem de dinheiro, nunca resultaram em inquérito específico da Polícia Federal que tenha sido noticiado no Jornal Nacional.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

29 de outubro de 2019 às 01h57

Petroleiras Estrangeiras foram contra novas regras para Pré-Sal.

Serra (PSDB) prometeu à norte-americana Chevron alterar regras caso vencesse a eleição, conforme documentos publicados pelo WikiLeaks.

A Folha e outras seis publicações teve acesso antecipado à divulgação no site do WikiLeaks.

“Deixa esses caras [do PT] fazerem o que eles quiserem. As rodadas de licitações não vão acontecer, e aí nós vamos mostrar a todos que o modelo antigo funcionava… E nós mudaremos de volta”,
disse José Serra a Patricia Pradal, Diretora de Desenvolvimento de Negócios e Relações com o Governo da petroleira norte-americana Chevron, segundo relato do telegrama diplomático.

Questionado sobre o que as petroleiras fariam nesse meio tempo, Serra respondeu, sempre segundo o relato:
“Vocês vão e voltam”.

A executiva da Chevron relatou a conversa ao representante de economia do consulado dos EUA no Rio de Janeiro.

https://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/po1312201002.htm

Responder

Zé Maria

28 de outubro de 2019 às 15h06

É “uma uva” ser Mega-Capitalista no braZil:
Não Corre Risco no Negócio;
Não Paga Impostos;
Recebe Herança e
Acumula Grande Fortuna
que também Não São Taxadas;
e vai pra Lista da Forbes, dizendo
que foi por Mérito Pessoal.

Os 20 Bilionários Mais Ricos do braZil
Forbes (em Dólares)

Joseph Safra (banco Safra) US$ 25,2 bilhões
Jorge Paulo Lemann (3G Capital) US$ 22,8 bilhões
Marcel Hermann Telles (3G Capital) US$ 9,9 bilhões
Eduardo Saverin (Facebook) US$ 9,7 bilhões
Carlos Alberto Sicupira (3G Capital) US$ 8,9 bilhões
José João Abdalla Fº *(banco/investimentos)* US$ 3,4 bilhões
Abilio Diniz (comércio) US$ 3,1 bilhões
Fernando R Moreira Salles (Itaú-Unibanco/CBMM**) US$ 3,1 bilhões
João Moreira Salles (Itaú-Unibanco/CBMM) US$ 3,1 bilhões
Pedro Moreira Salles (Itaú-Unibanco/CBMM) US$ 3,1 bilhões
Walther Moreira Salles Jr (Itaú-Unibanco/CBMM) US$ 3,1 bilhões
André Esteves (banco BTG Pactual) US$ 3 bilhões
Alfredo Egydio de Arruda Villela Fº (banco Itaú) US$ 2,6 bilhões
Jayme Garfinkel (Porto Seguro) US$ 2,5 bilhões

João Roberto Marinho (Globo) US$ 2,5 bilhões
José Roberto Marinho (Globo) US$ 2,5 bilhões
Roberto Irineu Marinho (Globo) US$ 2,5 bilhões

Ana Lucia de Mattos Barretto Villela (banco Itaú) US$ 2,4 bilhões
Walter Faria (Cervejaria Petrópolis) US$ 2,3 bilhões
Cândido Pinheiro Koren de Lima (Plano Saúde) US$ 2,3 bilhões

https://exame.abril.com.br/negocios/brasil-ganha-novos-bilionarios-veja-quem-sao-os-20-mais-ricos/

(*) Segundo a Wikipédia, José João [Juca] Abdalla Fº é
dono do Banco Clássico, através do qual atualmente
é acionista de Grandes Empresas – por meio do Fundo
Banclass ou do Fundo de Investimentos e Ações
Dinâmica Energia – sendo assim dono de 4% das ações
da Petrobrás, 10% da Cemig e Tractebel (Engie Energia),
além de 6,32% da Eletrobrás e 9,94% da Kepler Weber –
isso se não as vendeu hoje no Cassino da BM&F BOVESPA
e embolsou a Grana ou comprou outras pra faturar mais.

(**) CBMM = Companhia Brasileira de Metalurgia e
Mineração: responde por mais de 80% da produção
mundial de nióbio, minério extraído da mina
em Araxá, Minas Gerais.
https://exame.abril.com.br/negocios/niobio-faz-dos-moreira-salles-a-familia-mais-rica-do-brasil/
https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2014/05/14/marinho-e-a-familia-mais-rica-do-brasil-segundo-forbes-veja-lista.htm
https://www.conversaafiada.com.br/pig/neto-do-roberto-marinho-foi-quem-arruinou-a-globo-na-russia
https://contrafcut.com.br/noticias/valor-economico-mostra-quem-sao-os-discretos-herdeiros-do-itau-a9db/

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.