VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Opinião do blog

A fuga para a frente de Hugo Chávez


19/02/2011 - 21h51

O bairro 23 de Enero, em Caracas

por Luiz Carlos Azenha

Existe uma consistente crítica de esquerda a Hugo Chávez na Venezuela. Em alguns círculos bolivarianos, a crítica se dirige ao voluntarismo e ao militarismo do presidente. O jornalista e advogado José Vicente Rangel, que já foi vice-presidente e ministro de Chávez, mencionou as duas questões em uma entrevista com o presidente. Foi de passagem, mas deu para notar um certo mal estar no entrevistado.

Na recente viagem que fiz ao país, além de reler A Venezuela que se inventa, de Gilberto Maringoni, li também Venezuela: La Revolución como espectáculo, de Rafael Uzcátegui, e La Herencia de la Tribu, de Ana Teresa Torres.

O primeiro trata das contradições entre o discurso nacionalista e anticapitalista de Hugo Chávez e o fato de que o presidente, ao criar empresas de economia mista para explorar o petróleo, em parcerias da PDVSA com estrangeiros, na verdade criou um marco regulatório estável para as petroleiras de fora; da proximidade do governo com a Chevron; da subordinação do sindicalismo oficialista; da baixa tolerância à dissidência.

O segundo livro explora o mito em torno do herói da independência da Venezuela, Simón Bolivar, na tentativa de demonstrar como a associação com Bolívar foi explorada politicamente ao longo da história do país.

Os dois livros enquadram Chávez muito mais como mantenedor de práticas políticas antigas da Venezuela do que como verdadeiramente revolucionário.

Durante a viagem estive no bairro 23 de Enero, que fica bem atrás do palácio Miraflores, em Caracas. Na Venezuela se diz que quem controla politicamente o 23 de Enero, um antigo bairro operário, controla o país.

O curioso é que, na mesma entrevista a José Vicente Rangel, Chávez deu piruetas para agradar o bairro, naquele estilo retórico pomposo que é tradição de nuestra America. O presidente disse que tinha nascido espirituralmente lá.

A oposição venezuelana conseguiu avanços na recente eleição parlamentar. Diz que teve 52% dos votos, contra 48% do governismo. Uma demonstração, na avaliação dos oposicionistas, de que é possível derrotar Hugo Chávez nas presidenciais de dezembro de 2012.

[Clique aqui para ler o outro artigo que escrevi sobre a mesma viagem]

A criminalidade, a falta de alguns produtos da cesta básica e a inflação alta podem ajudar a oposição, para não falar de uma certa improvisação que marca as ações de governo. Doze anos de poder desgastam. O problema é que, sob a aparente capa de unidade, a própria oposição parece incapaz de arrancar tração política de sua atuação no Congresso. A recente prestação de contas de ministros, transmitida ao vivo por emissoras de alcance nacional, deixou isso claro.

A tônica do governo foi a de prestar contas sobre os dois mandatos de Chávez, comparando os avanços do país neste período com o de governos anteriores. Em resumo, pendurando o FHC no pescoço do Serra.

Chávez “fugiu para a frente” dos problemas do país. Numa recente edição do programa Alô Presidente, assinou decreto desapropriando terras para construir 150 mil casas até o final de 2011. Ou seja, lançou a versão venezuelana do Minha Casa, Minha Vida. Curiosamente, o decreto não incluiu expropriações, mas transferência de áreas públicas para o programa habitacional.

Além disso, o governo venezuelano fez o cadastro de cerca de 500 mil pequenos proprietários de terra para incorporá-los ao programa de soberania alimentar (proporcionalmente ao PIB, a produção agrícola na Venezuela cresceu muito pouco nos últimos 12 anos). O governo também pretende facilitar o acesso popular ao crédito, o que talvez explique o interesse de Chávez pelas ações da Caixa Econômica Federal brasileira.

Casa própria, incentivos à pequena burguesia do campo, acesso a crédito. Que revolução é essa, diria a ultraesquerda venezuelana?

[Clique aqui para saber como o governo Obama financia a oposição a Chávez na Venezuela]



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


107 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Escrevinhador

25 de fevereiro de 2011 às 20h30

[…] um texto anterior, a respeito de minha recente viagem à Venezuela (clique aqui para ler), relatei que existem críticas consistentes de esquerda ao governo […]

Responder

Hugo Chávez e aquela pílula alucinógena do Kadafi | Viomundo - O que você não vê na mídia

24 de fevereiro de 2011 às 21h22

[…] um texto anterior, a respeito de minha recente viagem à Venezuela (clique aqui para ler), relatei que existem críticas consistentes de esquerda ao governo […]

Responder

FeLiPe Vargas Zillig

21 de fevereiro de 2011 às 12h42

A Venezuela pós Chaves , esse é o maior desafio da atual Presidente venezuelano Aproveitar o apoio popular que tem para dar formato aum modelo democrático de longo prazo, sabendo que ao longo do tempo a tendência ideológica dos governos não devem permanecer as mesmas. Não deixar este momento político atipico pelo qual passa a Venezuela , revolucionário nos moldes sul americanos presentes, para construir as bases sólidas republicanas democraticas que garantirão institucionalmente os direitos do povo venezuelana e a defesa de suas riquezas aceitando que podem ocorrer mudanças ideológicas no Executivo é arealidade e desafio da Chavez , moleza pra quem encarou ser presidente de um país praticamente governado pelos EUA até sua eleição , manda ver companheiro.

Responder

Burburinho: Serra acusa Dilma de estelionato eleitoral | Viomundo - O que você não vê na mídia

21 de fevereiro de 2011 às 12h24

[…] [Clique aqui para saber como, na Venezuela, Hugo Chávez pendurou FHC no pescoço do Serra]   […]

Responder

Hans Bintje

21 de fevereiro de 2011 às 11h28

Chegou a "fase chata", Azenha.

Francamente, é o momento que eu prefiro. Vou citar um exemplo que se repete em vários setores da economia da Venezuela:

Se o pessoal conseguir organizar algo parecido com o PRONAF ( http://portal.mda.gov.br/portal/saf/programas/pro… ), o abastecimento de alimentos se regulariza em Caracas e outras cidades do país.

A ideia é organizar um mercado consumidor de máquinas, equipamentos e insumos para atender a demanda dos agricultores e outros pequenos empresários.

Os EUA estão em posição privilegiada para atender essa necessidade. Brigar com Chavez e entregar o mercado para China é uma enorme bobagem.

Basta lembrar o caso da empresa John Deere, fabricante de tratores dos EUA ( http://www.deere.com.br/pt_BR/ag/products/mais_al… ):

"APENAS 6 PASSOS E UM GRANDE SALTO EM PRODUTIVIDADE

1 – Procure a entidade de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) do seu município e, com sua DAP (Declaração de Aptidão ao PRONAF) válida, solicite a elaboração do projeto. Os técnicos avaliarão os dados cadastrais e a viabilidade do seu projeto.

2 – Avalie sua capacidade de crédito junto ao agente financeiro de seu município, que opera com o PRONAF. Será feito um estudo, e o agente de crédito dará autorização para prosseguimento do projeto.

3 – Procure seu concessionário John Deere para encaminhar o pedido do(s) equipamento(s). Solicite a emissão do pedido do concessionário e retorne à entidade de ATER para encaminhar o pedido, que será parte do projeto que vai para o agente financeiro.

4 – O agente financeiro informa a aprovação da compra a John Deere e solicita a informação dos dados referentes ao(s) seu(s) equipamento(s). Com estes dados, ele preenche o instrumento de crédito e formaliza a operação de crédito.

5 – A John Deere processa o faturamento e transporta o(s) seu(s) equipamento(s) para o concessionário.

6 – Após a liberação do recurso do financiamento, o concessionário promove a entrega de seu(s) equipamento(s) John Deere."

Responder

    JotaCe

    21 de fevereiro de 2011 às 16h03

    Caro Hans Bintje,

    Entregue a assessoria de agricultores em larga escala a uma multinacional produtora de máquinas e equipamentos agrícolas e espere por um desastre de dimensões econômico-sociais semelhante ao ‘dust-bowl’ americano…Abraços,

    JotaCe

Andre

21 de fevereiro de 2011 às 10h26

Diplomatas da Líbia deixam cargos após mortes em protestos
Organização diz que conflitos já têm 233 mortos

Só falam do Egito?

E sobre a Líbia, o blog nao se manifestará?

Por que? Será pelo fato do ditador Kadafi (em maus lençóis) é anti-americano, amigo do Lula, Chavez e do Irã?

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    21 de fevereiro de 2011 às 10h41

    Andre, este blog é defensor da democracia em todo o mundo e recomenda a Al Jazeera, que tem a melhor cobertura da Líbia. Aliás, note que nem os Estados Unidos nem a União Europeia estão entusiasmados com o que se passa na Líbia: todos querem o petróleo do Kadafi! abs

    Andre

    21 de fevereiro de 2011 às 10h45

    Kadafi é uma raposa. Suas intenções sao as mesmas de 30-40 anos atrás.

    Sobre o Blog, apenas sinto falta de um texto como o seu sobre o Egito.

    Olha isso:

    "Sedes do governo e do Ministério da Justiça em Trípoli estão em chamas
    Segundo Al-Jazira, delegacias e prédios públicos em diversas cidades também foram incendiados"

    É mais "materia-prima" do que vimos no Cairo.

    No Irã também as coisas estão ficando quentes, pena que lá nao iremos saber o numero de mortos até o momento.

    Luiz Carlos Azenha

    21 de fevereiro de 2011 às 10h54

    Não tive tempo, mas vou escrever mais a respeito. abs

    Alexei

    21 de fevereiro de 2011 às 12h49

    Azenha.
    Se tiver um tempo fale também do que vem ocorrendo na Tailândia.
    tijoladasdoalexei.blogspot.com

    Renato

    11 de abril de 2011 às 12h40

    Qual é a democracia que este blog defende? A Cubana? Azenha, para vocÊ e os seus amigos. Vivem em Cuba. Mas cuidado com dores no peito. Pois lá enfarte é muito confudido com gastrite.

    Deixca eu perguntar, vocês respeitam a vontade das ilha malvinas em serem britanicas? Lá por plebiscito, decidiram e serem cidadões britanicos e não argentinos.

    miguel grazziotin

    21 de fevereiro de 2011 às 11h05

    Como o pessoal tem uma "cultura rasa"
    Kadafi é pr-e-posto dos interesses europeus.
    Mantem um sem numero de "possiveis migrantes para a Europa" em campos de confinamento, patrocinados pela Europa. Esta remete milhoes de euros ao ditador para que MANTENHA esta populaçao longe da cobiçada Europa Ocidental.
    Alem disso, o Petroleo Libio é o que importa.

    Alexei

    21 de fevereiro de 2011 às 12h54

    Informe-se André.
    O aliado estratégico da Libia hoje é a itália de Berlusconi. A inglaterra, na época de Blair e Gordon Brown, também havia se tornado aliado importantíssimo da Libia. Não sei agora, com o novo primeiro ministro. De qualquer modo ja faz tempo que o Kadafi tem posição pró-americana na liga árabe.

A fuga para a frente de Hugo Chávez « Blog do EASON

21 de fevereiro de 2011 às 10h05

[…] Blog Vi O Mundo […]

Responder

marcos santos

20 de fevereiro de 2011 às 23h20

O video do Pambloma retrata bem …
Viva o povo da venezuela deu porrada nesses zé manés, em 2002 !

Responder

JotaCe

20 de fevereiro de 2011 às 22h52

Caro Pedro Ayres,

O teu texto representa, sem dúvida, uma justa e necessária intervenção que dá uma excelente visão da realidade venezuelana, usualmente tão deformada. A defesa da verdade nem sempre é fácil, mesmo aos que nela parecem acreditar. A propósito: fui ao blogue do Maurélio, referido no cabeçalho de tua matéria, e que justifica, à luz de sérios argumentos históricos e científicos, toda a política de desenvolvimento sócio-econômico empreendida pelo Governo Chávez. Abraços,

JotaCe

Responder

Luiz Fernando

20 de fevereiro de 2011 às 22h29

As críticas são importantes mas qualquer retorno dos neoliberais seja na Venezuela, na Bolívia ou no Brasil(?), será de uma vingança contra o povo pobre sem peias(o aparato repressivo vai funcionar de cabo a rabo) que na essência o neoliberalismo é autoritário e violento. Eles vão bater com gosto.

Responder

Andre

20 de fevereiro de 2011 às 21h32

NInguém aqui vai falar da Libia, onde o amigão do Lula está em maus lençóis e ja matou mais de 200 pessoas que protestam por mudanças?

Responder

    Andre

    21 de fevereiro de 2011 às 10h24

    Diplomatas da Líbia deixam cargos após mortes em protestos
    Conflitos já têm 233 mortos

    Só falam do Egito?

    E a Líbia e seu lider anti-americano parceiro do Lula, Chavez e do Irã? Vai cair também?

Glecio_Tavares

20 de fevereiro de 2011 às 17h52

Hoje não tem post sobre futebol?

hahahahahahhahahahaha

TODOPODEROSO TIMÃO …. TODOPODEROSO TIMÃO!!!!

Responder

    betinho2

    20 de fevereiro de 2011 às 19h46

    Cuidado que o Azenha vai te banir do blog…kkkkkkkk

    Luiz Carlos Azenha

    21 de fevereiro de 2011 às 10h19

    Banir? A vingança será com nosso título na Libertadores! abs

    Glecio_Tavares

    21 de fevereiro de 2011 às 18h57

    OPA! Faz parte das aspirações da elite dar mais importancia a coisas internacionais que a coisas nacionais, sou muito mais um paulista e um brasileiro. ahahahhahahahahahha.

    Seu yanque!!!!!!

Gustavo Pamplona

20 de fevereiro de 2011 às 16h55

Vejam o que este idiota faz… mas é divertido. ;-)

[youtube SMy3A39H9DA http://www.youtube.com/watch?v=SMy3A39H9DA youtube]

Responder

    Glecio_Tavares

    20 de fevereiro de 2011 às 18h10

    Que video mais sem-vergonha. Ja denunciei como abuso de animais. Ja Ja o youtube o remove.

    Deixa de coisa ruim Pampa!

    Gustavo Pamplona

    20 de fevereiro de 2011 às 18h46

    Glécio… tenha senso de humor… cara!!! O que é a vida sem umas boas gargalhadas! (hahahahah)

    Sobre a sua denúncia.. Somente vai ocorrer se o pessoal do Youtube souber português e entender o motivo do vídeo (falo de política)… porque para eles isto seria apenas um vídeo de como matar uma galinha.

    Vlado

    20 de fevereiro de 2011 às 19h08

    Pamplona, na boa, procura ajuda, cara. Você é doente e precisa de ajuda urgente. Faça isso antes que cometa um desatino contra algum inocente na rua!! Vai por mim…

    Glecio_Tavares

    20 de fevereiro de 2011 às 19h34

    Mandei como abuso animal, existe uma categoria.

    Ô guga, eu tenho muito bom humor, mas ver um trouxa qualquer chamar uma galinha que ele vai degolar como Dilma Rousseff e chamar a si mesmo de FHC é aceitar que mudem a história de nosso País. O FHC é que parece uma galinha com aquela boca mole dele. E com certeza quem degolou a oposição na ultima eleição foi nossa PRESIDENTA!!!

    Fiz um video homenageando o FHC e o Aquassab:
    Denuncia de gasto de 102 milhões de reais para predio ao lado do IFHC no anhangabau.
    O predio chama Casa de Ballet de São Paulo. Tudo que nosso precisa que seja feito com nosso dinheiro. http://www.youtube.com/GlecioTavares#p/u/2/SGNOu6

    Daniel

    20 de fevereiro de 2011 às 19h58

    o "pessoal do Youtube" deve entender português sim. Lembre-se que a Google, detentora do YT tem escritório no Brasil.

    Alexei

    20 de fevereiro de 2011 às 20h09

    E se o nome do video fosse, "como matar o Gustavo Pamplona". Será que ele acharia tão engraçado?

    Esse Pamplona me causa vergonha alheia.

    Alexei

    21 de fevereiro de 2011 às 00h47

    @VergonhaAlheiaDoPamplona

    Andre

    21 de fevereiro de 2011 às 10h39

    Abuso de animal?

    Outro falando nisso?

    Gostaria que voces ensinassem um método mais "humano" para se abaterem galinhas-caipiras.

    Esse aí deve ter crescido num condomínio, nunca foi na roça.

    rs

    Glecio_Tavares

    21 de fevereiro de 2011 às 19h00

    Se dizendo o FHC? Com certeza é abuso animal!!! Ainda por cima o idiota nem sabe matar , fica esfregando a faca na galinha e babando como um sadico.

    luiz pinheiro

    20 de fevereiro de 2011 às 18h44

    gustavo pamplona, voce é um fascista assassino. Que Deus te dê em dobro.

    Ulisses

    21 de fevereiro de 2011 às 00h51

    Divertido, né imbecil!
    Que tipo de gente é essa nesse blog, Azenha?
    Vai deixar esse monte de estrume?
    Tem que titar e dennuciar eesse criminoso por apologia ao crime, preconceito , discrimianção e abuso de animal…Tinha que ser um classe mérdia revoltado!

    Andre

    21 de fevereiro de 2011 às 10h30

    Abuso de animal?

    Como voce acham que as "galinhas caipiras" (galo caipira, no caso) sao mortas? Em clinicas especializadas e com anestesia?

    Em que mundo voc e vive amigao?

    @dbenndorf

    21 de fevereiro de 2011 às 22h12

    "A compaixão para com os animais é das mais nobres virtudes da natureza humana." (Charles Darwin)

    "Entre a crueldade para com o animal e a crueldade para com o homem, há uma só diferença: a vítima." (Lamortine)

    Não teve graça nenhuma ver um animal sofrer enquanto morre devagar. Não tem outro jeito de matar um frango? Não mate!

    Antonio

    24 de fevereiro de 2011 às 23h10

    Azenha, retire isso no blog! Os seus leitores nao merecem um desequilibrado comentando – nao deixe o nível abaixar assim. Um abraco

ZePovinho

20 de fevereiro de 2011 às 16h50

Entrevista com o Chanceler Patriota no Bom Dia Ministro.Incrível como o programa tem uma penetração em centenas de rádios pelo interior do Brasil:
http://blog.planalto.gov.br/categoria/bom-dia-min

Responder

    JotaCe

    20 de fevereiro de 2011 às 21h04

    Caro Zepovinho,

    Por isso mesmo, a entrevista teria sido uma excelente oportunidade para o Sr. Patriota informar que providências, de fato, foram tomadas no caso dos milhares de brasileiros que, sistematicamente, têm a entrada vedada na Espanha. Mesmo portando todos os documentos exigidos, eles sofrem os constrangimentos de serem aprisionados e depois deportados pela brutal polícia do aeroporto de Madrid, que conta esta com a defesa burlesca do eficiente embaixador espanhol no Brasil em suas entrevistas aos jornais do PIG. O tema dos direitos humanos foi abordado em suas generalidades pela entrevistadora da Rádio Guaíba, mas as explicações do Sr. Patriota sobre o caso específico dos viajantes brasileiros em Madrid foram extremamente superficiais.

    JotaCe

    ZePovinho

    21 de fevereiro de 2011 às 00h46

    Eu achei que ele ainda está se acomodando na cadeira,JotaCe.Concordo.Vamos ver mais adiante.Ele vai com Dilma pra China e em março temos a visita do Obama.Vamos ver.

Paulo Silva

20 de fevereiro de 2011 às 16h09

Bolívar já era o maior ídolo nacional da Venezuela e de vários países da Região, antes de Chávez.. Estátuas e retratos de Bolívar já se encontravam por toda parte. Difícil encontrar uma cidadezinha, por menor que seja naquele país, que não tivesse uma praça Bolívar.
No governo de Chávez, há um contínuo resgate da história venezuelana : não é apenas a figura de Bolívar que é exaltada. Simón Rodrigues e Francisco de Miranda são também figuras centrais, bem como Manuela Sáenz, líderes índigenas, heróis negros da resistência à escravidão.
Hoje mesmo, acabo de ver pela Venezolana de Televisión, estão comemorando o aniversário da Revolução Federal, que se deu há 102 anos.
A história da Venezuela é hoje amplamente divulgada por filmes, peças teatrais, músicas etc
Já aqui no Brasil… vamos de halloween todo ano!

Responder

Aline

20 de fevereiro de 2011 às 15h32

Há uns quatro meses, Uribe ainda no poder, as forças imperiais armavam um ataque militar à Venezuela, a partir de invencionices.O ambiente era muito tenso e o saudoso Néstor Kirchner, à época à frente da UNASUL, foi até a região, conversando com os dois presidentes, Uribe e Chávez, separadamente, é claro.
Qual é o quadro hoje? O novo Presidente da Colômbia, Manuel Santos, um político de direita, assim que assumiu reatou amplas relações com a Venezuela, condenou as bases militares estadunidenses em seu país. Vitória da política externa venezuelana!
Na Venezuela, mata-se um leão por semana. Ou seja, a direita não dá um minuto de trégua.No momento, são estudantes opositores que fazem greve de fome para que o governo liberte presos por homicídio e corrupção,pertencentes aos partidos de direita. Tudo em frente à sede da OEA. Interessante acompanhar.
Li o livro do Gilberto Maringoni, A Revolução que se Inventa, logo que foi lançado. Para quem não puder lê-lo vale a pena ver a entrevista dele em: http://www.piratininga.org.br/entrevistas/marigon
Mas o que é bom mesmo é acompanhar o que se passa na Venezuela e no mundo assistindo as três televisoras públicas venezuelanas: Telesurtv, Venezolana de Televisión e VIVE. Vale também assistir, de vez em quando,as inúmeras televisoras privadas de lá. Iguaizinhas as daqui! PIG é PIG em toda parte.
No momento, no telejornal da Telesurtv, mostram os fatos na Líbia e faz-se a análise dos mesmos, diretamente daquele país. Nos últimos quatro dias, cerca de 200 mortos. Mostram distintas visões do que ocorre, discorrem sobre a história do país, seus vínculos na região, etc Já realizaram uma análise do que se passa em Wisconsin nos EUA. Nove outros Estados ameaçam entrar em protesto similar. Pelos vídeos e relatos, dá para sacar que a batata da direita está assando por lá.
A cada hora cheia, a gente pode assistir os excelentes telejornais da Telesurtv. Basta clicar,señal en vivo, em: http://www.telesurtv.net/
Quando teremos televisoras públicas similares?

Responder

A fuga para frente de Hugo Chávez « Blog Do Maurelio

20 de fevereiro de 2011 às 15h11

[…] Por Luiz Carlos Azenha (do blog do Azenha, aqui) […]

Responder

Pedro Ayres

20 de fevereiro de 2011 às 14h12

Dentre as condições essenciais para que a análise política seja consistente, mais do que o ilusório "contraditório", estão a realidade e a história.
No que tange aos livros citados, La Revolución como Espectáculo, de Rafael Uzcatégui, representa o pensamento de um filiado ao PPT, partido que faz parte da imensa coligação de direita que se opõe a Hugo Chávez. Em termos ideológicos ele se filia ao grupo anarco-punk (http://masapunk.org/2010/11/19/lanzamiento-libro-rafael-uzcategui/). Quem lê esse livro vai situar a corrente política e ideológica do autor, o que vai permitir que o leitor faça seus juízos e análises. É o mesmo que ler um livro sobre o lulismo escrito por FHC.
No caso da Ana Teresa Torres, o livro que ela escreveu e que é citado, ainda que tenha um conteúdo ideológico direitista, na realidade é um exercício "analítico"de quem vê muita televisão e tem fixação no "discurso" e no indivíduo como fonte e base da História: http://www.arteliteral.com/al/index.php/poesia/30http://prodavinci.com/2010/12/09/la-republica-alu
Ora, se era para apresentar tais críticas ao Hugo Chávez, melhor seria entrevistar o "heróico" golpista de esquerda, Teodoro Petkoff, que conseguiu a proeza de ser preso 5 vezes, quando fazia parte da guerrilha de Douglas Bravo e fugir todas as vezes, sem um arranhão. Uma habilidade que o tornou ministro do Presidente Rafael Caldera, direita puro-sangue, e depois o credenciou a ser um dos baluartes na montagem do neoliberalismo na Venezuela. Ultraesquerda é isso aí!
A Venezuela tem quatro claros momentos históricos: o da colonia e de sua luta libertadora, o do domínio imperialista inglês, a do domínio estadunidense e agora com os Bolivarianos, quando pela primeira vez o país e o seu povo conseguem a necessária autonomia e soberania para o próprio desenvolvimento. Algo que se realiza com a exploração petrolífera na faixa do Orinoco, em que empresas de muitos países (China, Russia, Irã, Brasil, Bielo-Russia, França, etc..) participam da empreitada em termos de partilha da produção, mantendo a PDVSA como proprietária das jazidas. Até a subida de Chávez ao poder, a Venezuela exportava petróleo quase que exclusivamente para os Estados Unidos a ínfimos valores (7 dólares/barril), sendo que hoje esse quadro está alterado em favor do que é justo para o país e para a maioria de seu povo.
Para melhores escalrecimentos: http://www.cepr.net/documents/publications/venezu
É claro que as transnacionais e o império que as representa,não estão nada felizes com o bolivarianismo e apostam todas as suas fichas em que o mundo vá acreditar que o Chávez é mais um ditador militarista que tiraniza seu povo e ameaça os países vizinhos.

Responder

    Glecio_Tavares

    20 de fevereiro de 2011 às 18h14

    Aqui no Brasil se pegarem alguns livros para ler, o pessoal tb vai tirar conclusões totalmente diferentes da realidade. Como o regime de partilha que os tucanos odeiam.

    Paulo Silva

    20 de fevereiro de 2011 às 22h40

    Teodoro Petkoff andou por aqui dando uma ajuda ao Instituto Millenium. É o cabo Anselmo de lá!
    O carinha era da ultraesquerda! Pessoalzinho perigoso!

    JotaCe

    20 de fevereiro de 2011 às 23h09

    Caro Pedro Ayres,

    Excelente comentário que realmente se fazia necessário. A propósito, fui ao blogue do Maurélio mencionado no lide da matéria. Igualmente esclarecedor!

    JotaCe

Oskar Sobrinho

20 de fevereiro de 2011 às 13h50

Um governo que resgate os ideais de um Caudilho não merece confiança. Simón Bolivar era um autêntico representante dos latifundiários criolos.

Responder

    Paulo Silva

    20 de fevereiro de 2011 às 17h43

    Quem era representante dos latifundiários era o Santander. Tanto que por causa disso, houve o fracionamento da GranColômbia, o que deu origem a criação da Venezuela, Colômbia, Equador e Colombia.
    Santander agia por pressão dos EUA e da oligarquia neo-granadina. Esses são os fatos historicamente comprovados.

Remindo Sauim

20 de fevereiro de 2011 às 13h21

Antes de Chávez, a Venezuela era o quintal de Miami (sonho secreto dos tucanos), uma minoria tinha tudo e mandava em tudo. O Chávez colocou o país nas mãos do povo.

Responder

Fe.kçe

20 de fevereiro de 2011 às 12h43

Uma revolução que com grandes dificuldades e muitas falhas, também, tenta construir uma nova Venezuela.

Azenha, a revolução abrupta é uma teoria derrubada por Lenin.

Dois passos para trás para poder dar um passo para frente.

Responder

O_Brasileiro

20 de fevereiro de 2011 às 11h40

Impressionante como as pessoas toleram os ditadores quando suas ideologias as agradam…
Isso vale para os dois lados!

Responder

    betinho2

    20 de fevereiro de 2011 às 12h05

    Estude o sistema eleitoral dos EE.UU, que a direita vai tentar implantar aqui na reforma. Posteriormente estude o sistema eleitoral de Cuba. Feito isso, compare os 3 sistemas, EE.UU, Cuba e Venezuela. Se fizeres isso com isenção verás onde está a verdadeira ditadura disfarçada de democracia.

    Aline

    20 de fevereiro de 2011 às 12h13

    Vc diria que o Bush foi um ditador?
    Quel o seu conceito de ditadura? Aquele made in USA?

    Filipe Rodrigues

    20 de fevereiro de 2011 às 12h49

    Que ditador hein? Uma "ditadura" onde a oposição está cada vez mais fortalecida no parlamento e governa estados e prefeituras importantes, onde o voto não é obrigatório, más o nível de participação popular nem os EUA sonham em ter.

    Jorge Leite Pinto

    20 de fevereiro de 2011 às 13h08

    Impressionante é constatar que ainda tem gente como voce que chama um presidente ELEITO diretamente pelo povo, de ditador…
    Talvez voce ache a "eleição" de WC. Bush (que foi um golpe escancarado do judiciario) mais honesta…

    Remindo Sauim

    20 de fevereiro de 2011 às 13h15

    Chávez não tem uma prisão como Guantánamo para torturar seus prisioneiros, Obama tem.
    Chávez não mando bombardear crianças, velhos, mulheres e civis como George Bush.
    Chávez não roubou uma eleição como George Bush.
    Chávez não mandou matar líderes chilenos, os americanos fizeram.
    Democracia, por democracia, sou mais as do Chávez, do Lula e da Cristina.

    El Cid

    20 de fevereiro de 2011 às 15h14

    bem lembrado , Remindo !!

    Marat

    21 de fevereiro de 2011 às 07h54

    E o Chávez não ordenou o lançamento de duas bombas atômicas, como o terrorista Harry Truman…

    Marat

    20 de fevereiro de 2011 às 14h18

    Ainda mais que temos no mundo uns 50 ditadores de direita e uns sete de esquerda ou que não sustentam o status-quo do "fim da história". Em tempo: Quem causaou mais estragos e mortes ao mundo, as ditaduras de esquerda ou a pseudo-democracia estadunidense?

    Aline

    20 de fevereiro de 2011 às 15h50

    Um vídeo que explica direitinho o que é uma ditadura para os EUA e seus aliados e o que não é, nem que a vaca tussa! http://www.youtube.com/watch?v=w67WBI0bJnY&fe

Regina Braga

20 de fevereiro de 2011 às 11h32

Chávez,pode realizar o maior sonho da esquerda…Naõ é um pulo para o socialismo,mas para o comunismo.Embora muito usada, o comunismo, é o ideal do socialismo.Nunca nenhum país chegou lá.Aproveitar o melhor do socialismo e do capitalismo é a utopia, que, pode ser conquistada,agora.Chávez criou as condições para o salto.O momento é oportuno.

Responder

Marco Túlio

20 de fevereiro de 2011 às 11h21

Parece em certos aspectos com o Brasil recente.
A esquerda romântica (que todo meu respeito merece) não pode nunca estar contente, senão perde sua razão de ser. Vive numa espécie de universo paralelo, onde todos os homens são bons, voluntariosos e solidários.
Seria bom se fosse assim, mas não é e nunca será, porque não é da nossa natureza ser assim.
Portanto, agradeçam o legado de Chávez, que se mais não fez, ao menos quebrou a espinha da oligarquia arrogante de seu país.
O futuro da Venezuela não será socialista, creio eu, mas será bem mais focado na justiça social, graças a este destemperado ditador cujos dois maiores defeitos são o narcisismo e a mania de sonhar acordado que a Venezuela é de seu povo, e não de meia dúzia de milionários.
Tivesse apertado mais o torniquete, e Chávez estaria comendo capim pela raiz há tempo.
Foi até onde pode.

Responder

ZePovinho

20 de fevereiro de 2011 às 11h06

Quem lembra daquele papinho de "prisioneiro do Estado"???É um mote dos neoliberais.FHC até posou com um livro desse:"Prisioneiro do Estado",não sei de que autor.
Agora vejam essa forma de prisão:
http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2011

Isolados por pedágio estocam gás e comem pão velho

O governador Geraldo Alckmin continua sendo serviçal de um punhado de empresas privadas que monopolizam as principais rodovias do Estado de São Paulo.A multiplicação do número de praças de pedágios e o aumento abusivo nas tarifas individuais completam o assalto “legalizado” que finalmente o hoje,a Folha, o jornal do PSDB, enxergou e resolveu publicar uma matéria para seus assinantes. Leia a seguir a matéria na íntegra

Heraldo Ezier Bizi, 68, montou um estoque de seis botijões de gás dentro de casa -um para cada morador, já incluídos os dois netos.José Pedro Moreno Morcillo, 58, armazena comida.

Adenair Scardua, 65, comprou quatro galinhas para garantir os ovos do jantar.E há mais de um ano quase toda a vizinhança não come mais pão fresquinho, não recebe a visita da Guarda Municipal nem a pizza do delivery.Não se trata de prenúncio de guerra nem catástrofe.

É só a vida de moradores que ficaram isolados pela implantação de uma praça de pedágio na SP-332, em Paulínia (a 117 km da capital paulista), com tarifa de R$ 7,65.

A cobrança, a cargo da concessionária Rota das Bandeiras, começou há 14 meses -na segunda etapa de concessões do governo paulista.Ela é feita num acesso lateral da estrada. O alvo eram caminhões de uma refinaria da Petrobras. Mas os moradores das casas espalhadas nas proximidades da fazenda Cascata ficaram sem alternativa de acesso a lugares indispensáveis como padaria, farmácia e banco.

O estoque de mantimentos é uma estratégia para atenuar a passagem no pedágio.

"Imagina pagar R$ 7,65 de manhã para comprar três pãezinhos, que não custam nem R$ 1. Aqui não existe comércio", diz a servidora Rosineide de Oliveira Moreno, 51.O marido dela reclama que não consegue nem receber a visita regular dos netos, mesmo morando a dez minutos deles. "Nem usamos a rodovia. É só para atravessar um pontilhão", conta José Pedro.

O transporte público não serve de opção -por ser uma área afastada, os ônibus só passam três vezes no dia.

A concessionária diz que os pontos de pedágio foram definidos pelo governo e que ela segue o contrato.
O governo Geraldo Alckmin (PSDB), por sua vez, não reconhece os problemas

SEM SERVIÇO PÚBLICO

Queixas de isolamento devido à implantação de pedágio se repetem em outros lugares do Estado -inclusive em concessões do governo federal, como a Fernão Dias.Em Paulínia, há um agravante: esses habitantes, que a prefeitura estima em mais de mil, tiveram até serviços públicos reduzidos.

A Guarda Municipal não vigia mais a área separada pelo pedágio -alega não ter isenção para seus carros e não ter como custear a tarifa para fazer a ronda."Não há possibilidade de prestar serviço público lá por conta da cobrança. Só em caso de emergência", afirma Ronaldo Pontes Furtado, secretário de Segurança Pública."O lixo era coletado três vezes por semana. Agora, é uma. O pessoal da saúde não vai porque tem pedágio", complementa ele.

Empresas que vendem gás, galões de água e material de construção interromperam as entregas na região -exceto se a tarifa de R$ 7,65 for paga pelo próprio cliente.Quem trabalha no centro de Paulínia passou a ter a despesa extra diariamente -num mês, beira R$ 200.

Morador do local há 14 anos, Espedito de Paula Dias, 80, diz que nunca mais recebeu os clientes que compravam as abóboras de seu sítio.A rota à cidade vizinha, Cosmópolis, não adianta. A 3 km, tem outro pedágio, de R$ 5,45 -na ida e na volta.

Responder

assalariado.

20 de fevereiro de 2011 às 10h53

A diferença entre um socialista (de fato),e um social democrata é que este nada mais é do que um "socialista" arrependido que em nome da tal governabilidade vive arriando as calças para a burguesia capitalista e de quebra vive rotulando os socialistas de ultra esquerda,porém,estas pessoas são como disse Nelson Rodrigues "…vivem no mundo com complexo de vira latas…",ou seja, não acreditam na capacidade de, junto com as massas implantar o socialismo no Brasil,por isso,escolheram como aliados estratégicos, o que há de mais reacionário entre as elites do capital,(se é que tem algum que não seja reacionário por lá). A vantagem do Chaves é que ele já tem as forças armadas a serviço do povo assalariado/explorado, e, não a serviço de proteger o capital como é o caso, aqui no Brasil… teremos que ter coragem… sem rótulos por favor…

Saudações Socialistas.

Responder

Bonifa

20 de fevereiro de 2011 às 10h52

A Venezuela era uma área de exploração internacional entregue à elite mais corrupta, parasitária e segragacionista do mundo. Diante disso, qualquer implantação de política social, por mínima que seja, é uma enorme revolução.

Responder

Julio C. Montenegro

20 de fevereiro de 2011 às 10h49

Só posso comentar teoricamente. Cada um que foi "lá" tem uma história diferente. Já os bem pensantes american friends, repetem os mesmos mantras made in USA. Pela história, não acredito em revolução vinda de cima. No Brasil os american friends (globo, veja, estadão, folha et caterva) só engoliram Lula depois de empurrar Collor e Fhc pela goela abaixo dos eleitores com as manipulações costumeiras. Como as que levaram Getúlio ao suicidio, ao golpe antipovo de 64, aos 25 anos de ditadura… Mas as manipulações aqui foram sendo expostas quando viraram fracassos. Não esquecer que na Venezuela também tem povo. É dele que espero uma continuidade democrática (afinal Chavez, mais de uma vez, foi eleito e confirmado) que não leve de volta a Venezuela ao consenso de Washington. E viva o a(E)gito!

Responder

Caracol

20 de fevereiro de 2011 às 09h53

Eu prefiro um Chávez a uma fechadura.

Responder

WalfredoCarlos

20 de fevereiro de 2011 às 09h47

Que revolução?

Responder

    Aline

    20 de fevereiro de 2011 às 12h19

    Depende do conceito que cada um tem do que seja revolução. A palavra anda um tanto esvaziada de sua concepção original.
    Aqui no Brasil, em 1964 os militares inauguraram a Revolução Redentora. Quase vinte anos de pauleira.
    Penso que devemos avaliar os movimentos políticos pelos frutos que produzem em benefício da maioria.

    betinho2

    20 de fevereiro de 2011 às 12h41

    É exatamente isso Aline.
    Vamos conceituar melhor o que é revolução e ditadura.
    Conceituação vinda da "Aguia de rapina" nunca me convenceu.

    Remindo Sauim

    20 de fevereiro de 2011 às 13h17

    Aqui não foi revolução. Foi golpe de estado, com torturadores tomando o poder.

Roberto Locatelli

20 de fevereiro de 2011 às 09h01

Chávez, como Lula, Cristina, Evo, etc, são presidentes "progressistas", ou seja, eles procuram, com maior ou menor ímpeto, promover avanços sociais em seus países.

Eles são importantes pois representam uma ruptura com aquela América Latina subserviente que tínhamos no século passado.

Só que agora, as coisas começam a se radicalizar. Logo não haverá mais espaço para presidentes mais ou menos de esquerda. A questão que se coloca (e o próprio Chávez diz isso frequentemente) é o salto para o socialismo. Será preciso lideranças que não vacilem nem um milímetro, ou podem por tudo a perder.

Responder

    assalariado.

    20 de fevereiro de 2011 às 10h56

    Locatelli,este seu ultimo paragrafo,matou os reacionários petistas de plantão…

    Fabio SP

    20 de fevereiro de 2011 às 12h08

    Meu caro, o Chavez diz que salta para qualquer lado, desde que fique no poder.

Artur

20 de fevereiro de 2011 às 01h18

Chaves pelo menos não traiu os trabalhadores do seu país, ao contrário do nosso ex-presidente que traiu aposentados e trabalhadores da iniciativa privada. Lula gosta é de banqueiro e funcionário público. Me voto ?
Nunca mais – declaração de um ex-petista.
FHC é o pai do Fator Previdenciário e Lulla o padrinho. Eu nunca mais vou esquecer estes dois.

Responder

    Alfredo

    20 de fevereiro de 2011 às 18h37

    Vai votar na Marina ou vai anular o voto?

Ramiro

20 de fevereiro de 2011 às 00h05

O Presidente Chávez , nos últimos dias, apenas intensificou os programas de construção de vivendas populares, que são uma marca do governo bolivariano. A PDVSA concebeu e fabrica uma casa cujas paredes são feitas de um derivado do petróleo, que tem grande durabilidade, protege do calor e do frio, é de fácil limpeza, prescinde de pintura e pode ser armada em poucos dias. Isso tem mais de três anos. Quando estive lá, por essa época visitei a fábrica dessas casas e fiquei muito bem impressionado com elas.
É mais adequado dizer que o programa Minha Casa , Minha Vida se baseou nos programas habitacionais venezuelanos, que foram bem anteriores a esse programa nosso. O que em nada o desmerece.
Não é mais possível ignorar os grandes avanços sociais e econômicos obtidos pelo povo venezuelano sob o Governo Chávez, debalde toda a intensa e imensa campanha contrária a ele patrocinada pelos EUA e a direita mundial. Nem deixar de reconhecer o clima de liberdade e ampla democracia que vigora na Venezuela nos últimos 12 anos.
Se levamos em conta o tipo de governos que a Venezuela teve nos últimos cem anos, podemos sem medo de errar afirmar que para os venezuelanos, Hugo Chávez já entrou para a história do país como um herói revolucionário, amado e respeitado pela maioria do povo.
Ultraesquerda nunca levou adiante revolução alguma. Mas já impediu muitos avanços políticos, sociais e econômicos e fez muito o jogo da direita.
Que fale a maioria do povo venezuelano e que sejam felizes na construção do seu socialismo do século XXI !

Responder

Antonio Alves

20 de fevereiro de 2011 às 00h53

O fato que não se pode ignorar é o de que a oposição à CHAVEZ na Venezuela de HOJE esteve no poder ONTEM e "governou" o país por mais de quarenta anos de costa para o povo. Governou sustentada por uma elite petroleira e também se articulava com as famílias DONAS dos jornais e canais de televisão.
A INSATISFAÇÃO dessa grande massa de EXCLUÍDOS foi a responsável pela eleição do CHÁVEZ.
Os DONOS da mídia não respeitam a vontade popular ficam propondo abertamente pela televisão a derrubada do governo.
Aqui no Brasil FHC não fez nenhuma consulta popular criar o segundo mandato, FHC simplesmente mudou a CONSTITUIÇÃO para poder criar um segundo mandato pra ele mesmo, A s famílias DONAS da mídia não acusaram FHC de DITADOR e nem o acusaram de querer se perpetuar no poder. Por atender seus interesses, os DONOS da imprensa fizeram tudo isso parecer NATURAL.
A oposição tanto de lá como de cá não têm PROPOSTA, são SUBSERVIENTES aos Estados Unidos e não querem constituir uma nação livre e soberana.

Responder

Maria Lucia

20 de fevereiro de 2011 às 00h39

A ultraesquerda venezuelana diz o que dizem todas as ultraesquerdas, sempre.
O PIG mundial repete seus mantras sobre Hugo Chávez.
E segue a experiência venezuelana de construção inventiva do socialismo do século XXI.
Mas, de repente, todos têm um manual onde está escrito exatamente como deveria ser o caminho para a construção desse socialismo venezuelano. Principalmente os estrangeiros.
Aí vem o poeta Antonio Machado e diz: "Caminhante, não existe um caminho,se faz caminho ao andar!"
Fico com o poeta e com o difícil e combatido caminho venezuelano.

Responder

    Glecio_Tavares

    20 de fevereiro de 2011 às 17h57

    Aqui temos o PSOL uma esquerda que acaba ajudando a direita com suas conjecturas loucas, como salario de 2000,00 e reforma agraria total.

Moacir Moreira

20 de fevereiro de 2011 às 00h34

Opiniões de nazi-trotskistas como as expostas no presente artigo são irrelevantes.

O importante é que a revolução na Venezuela avance no ritmo viável, ainda que lento porém decidido, sem afobação,e sem jamais entrar no jogo da direita e do ultra-esquerdismo que nada mais são do que duas faces da mesma moeda capitalista.

Responder

    assalariado.

    20 de fevereiro de 2011 às 10h27

    Moacir,o que é nazi-trotskistas?

    Saudações Socialistas.

    Moacir Moreira

    21 de fevereiro de 2011 às 08h36

    Olá, assalariado,

    Podemos considerar nazi-trotskistas, entre outros, o pessoal do PSTU e PCO por exemplo, para não citar o PSOL, curiosamente todos oriundos do PT que por sua vez foi idealizado na época da "ditabranda", pela equipe do Golbery a fim de estabelecer no Brasil uma esquerda confiável e submissa ao grande capital.

    Todos filhotes da ditadura, como diria Brizola.

    A ideologia ultra-esquerdista que caracteriza esses arruaceiros contamina também boa parte do PCB,

    Em suma, é esse tipo de comportamento corrupto e anti popular que impede a necessária união dos explorados visando combater seus opressores.

    Abraços

    assalariado.

    21 de fevereiro de 2011 às 19h42

    Moacir,na minha opinião o problema é que os partidos de linha Trotskista geralmente não tem penetração alguma nas massas(partidos de iluminados?),são partidos de outras táticas de lutas e,em geral nem chegam aqui na periferia.

    Não acho eles arruaceiros,acho sim, muito voluntaristas sem raizes populares(não confundir com populismo), e que nunca comparecem para panfletar em portas de fabricas/escritórios,porém,isto não quer dizer que estes "ultra esquerdistas" sejam corruptos e anti povo.O que impede a necessária união entre as esquerdas,é que estes partidos ditos de esquerda nunca passam de partidos pequenos burgueses que só tem penetração nas classe média.O unico partido de esquerda que consegui esta proeza foi o Partido que ERA dos trabalhadores,hoje,totalmente elitizado,desfigurado, longe das bases… Abraços Fraternos.

assalariado.

19 de fevereiro de 2011 às 23h57

Não podemos repetir erros dos ditos socialismos e experiências do século 20.É isto,tem pessoas que pararam no tempo,quando entra em discussão as teorias socialistas de Karl Marx,colocadas em pratica no século passado e que,por conta de erros teoricos/práticos e apego ao poder,levaram estas experiências ralo abaixo,do que é um mundo/sociedade socialista.Realmente o socialismo do século 21 terá obrigatóriamente que aprofundar em sua democracia,enquanto proposta original de Marx.O socialismo tem por natureza acabar com a sociedade de luta de classes,terá que aprofundar sua democracia interna,senão corre o risco de virar uma sociedade social democrata e,por tabela,manter a exploração do capital x trabalho indefinidamente.O papel dos sociais democratas é fazer do capitalismo um sistema mais humano,porém sabemos,isto é impossivel,devido a sua lógica funcional de propriedade privada do meios de produção.Por isso,enquanto houver expropriação do trabalho e do suor alheio nunca conseguiremos dar um passo a frente,em direção ao socialismo e estes são os passos necessários a ser dado pelo governo Chaves.

Saudações Socialistas.

Responder

    Thiago M Silva

    20 de fevereiro de 2011 às 13h01

    assalariado, só nos países nórdicos é que existe sociedade, Estado de bem-estar social. Se for possível construir uma sociedade dessas na Venezuela, os assalariados de lá estarão no céu.

    assalariado.

    20 de fevereiro de 2011 às 16h41

    Tiago,em grande parte concordo com seu comentário.A pergunta que faço é a seguinte:como estes paises ditos sociedade do bem estar social atingiram este estágio? Por exemplo,porque a montadora sueca Volvo -(país nórdico,certo?)- não paga os mesmos salários para os operários brasileiros,que pagam aos mesmos suecos? Então como conseguir um padrão de vida digno num país tido como colonia -(é o nosso caso,a Volvo tem esta pratica colonialista,não é diferente de outros paises imperialistas)- e todos eles sem excessão,são do Estado do bem estar social,as custas do que mesmo? Cuidado,não compre gato por lebre… leia Karl Marx sobre, -(O CAPITAL)- abraços fraternos…

    Thiago M Silva

    21 de fevereiro de 2011 às 11h18

    Mas antes desse neocolonialismo, a participação social naqueles países foi muito importante pra construir um Estado naqueles moldes. Mas pra falar de imperialismo, como era o tratamento da Rússia com os outros países da URSS? Difícil desconstruir essa relação. Mas é importante participação política em massa em cada país pra debelar isso.

    assalariado.

    21 de fevereiro de 2011 às 19h24

    Thiago,gostei,voce tem argumentos e, isso é muito importante num debate politico, independente de estarmos de acordo ou não.É isso que as vezes falta por aqui,para melhorarmos o aprendizado nosso de cada dia. Aprendi a te respeitar… Abraços Fraternos.

marcos santos

19 de fevereiro de 2011 às 23h10

Com orgulhoso olhar latino americano vejo a foto da "Bloquera Comunista La Piedrita"
Parabens ao povo venezuelano.

Aqui, nos blocos dos conjuntos habitacionais populares poderíamos colocar que cartaz ?
"Bloco da Milicia", "Bloco do Trafico CV, ADA, PCC" ?

Responder

Marat

19 de fevereiro de 2011 às 23h08

Prefiro um Hugo Chavez, uma Cristina, um Mojica ao terrorista Bush!!!

Responder

    Remindo Sauim

    20 de fevereiro de 2011 às 13h19

    Dez mil vezes mais!

ZePovinho

19 de fevereiro de 2011 às 22h31

Chávez está ensinando aos burgueses burros da Venezuela como se faz para não perder os dedos.Vargas dizia isso sobre a burguesia jeca,do Brasil, dos anos 1930(ou dos anos 2010,já que nossa burguesia continua a mesma:escravista e acostumada a não trabalhar com empresas cupinchas do Estado).
Comparando muito largamente,talvez Chávez seja o Vargas venezuelano- śó que eleito várias vezes.

Responder

    ebrantino

    20 de fevereiro de 2011 às 01h48

    Zé Povinho, você sabe das coisas, mas quero esclarecer – a) o Vargas teria sido eleito esmagadorarmente em 1946, se o golpe militar o tivesse deixado candidatar-se. Como foi desterrado para São Borja, candidatou e elegeu o Poste Mal Dutra, apenas para derrotar o Brigadeiro Eduardo Gomes, um esquerdista ao vinte anos que endireitara, "escolhendo a liberdade", e era o lider do partido da embaixada americana aquí. Depois de fazer a proeza de eleger o poste, candidatou-se em1950 e venceu.b) Venceria de novo, se não fosse levado ao suicidio. Vargas, em grandeza,so tem alguem que se lhe compare – O Lula.Ebrantino.

    ZePovinho

    20 de fevereiro de 2011 às 09h47

    Foi por isso que eu falei "largamente" sobre a relação Chávez-Vargas.É difícil comparar épocas e processos diferentes,mas a gente pode tirar percepções sobre eles.
    Muita gente chama Vargas de ditador se esquecendo de que ele foi eleito e criou,em apenas 1 governo de três anos(afinal ele se matou) a PETROBRÁS,a ELETROBRÁS e outras empresas que moldaram o Brasil moderno como Presidente eleito democraticamente.Muita gente se esquece de que até 1930,quando Vargas chegou ao poder,imperava no Brasil a ditadura do café-com-leite:presidentes paulistas e mineiros,oligarcas,eleitos em eleições fraudadas como as do Egito atual.Muita gente omite que os ditadores,em realidade,estavam naqueles que Vargas tirou do poder em 1930 e que tentaram dar um golpe de Estado chamado revolução de 1932.Esse povo tentou,depois,dar outro golpe em Juscelino(Lott evitou colocando os tanques nas ruas) e fez a campanha que levou Vargas a dar um titro no peito.Teve até aquele tiro no pé de Lacerda,com fortíssimas evidências de que Lacerda deu um tito no próprio pé para fazer aquele carnaval contra o maior presidente que o Brasil teve.
    Eu acho que Lula pode ser comparado com Vargas.É outra época,mas os processos são largamente parecidos.Não sei,Ebrantino.Ser você olhar com cuidado,Lula é uma espécie de filho de Vargas.Nasceu dos sindicatos que a legislação varguista permitiu criar.Sei lá.Como espírita que sou,talvez Lula seja quase como uma reencarnação do Gaúcho de São Borja.É até baixinho e barrigudinho como ele.
    Aliás,admiro muito os gaúchos.Sempre nos deram grandes figuras.Quem sabe,um dia,eles cavalguem até Brasília,amarrem seus cavalos na Praça do Três Poderes e refundem a República.

    betinho2

    20 de fevereiro de 2011 às 10h30

    Belo histórico, sem retoques.
    Sobre o corvo Lacerda, ele errou o tiro, era para pegar só a ponta do sapato e pegou o dedão.
    Seu revólver, um 32 (sempre andava armado) sumiu. O médico que lhe fez o curativo disse que se fosse uma bala de 44 (calibre que o atirador teria usado) teria lhe estraçalhado o pé.

    Araquem

    20 de fevereiro de 2011 às 14h32

    Olga Benário certamente discordaria de você. Não foi esse Getúlio que nomeou Felinto Miller como chefe de polícia?

    ZePovinho

    20 de fevereiro de 2011 às 16h48

    Que bom,né?Julgar processos de há 60 anos atrás com a métrica do século 21"!!Também foi o mesmo Getúlio que arrancou dos EUA a CSN(que permitiu a industrialização do Brasil) e permitiu a instalação de bases dos EUA no nordeste- bases essas que permitiram que os EUA ajudassem os ingleses de Montgomery que estavam sendo massacrados pelo Afrika Korps de Rommel.
    Depois que conseguiram as bases no nordeste do Brasil,os EUA ajudaram a expulsar os alemães do norte da África e,depois,invadiram a Itália pela Sicília.Tudo com o apoio imprescindível do Brasil de Getúlio Vargas.
    Portanto,não é por aí que se debate.

    Araquem

    20 de fevereiro de 2011 às 18h18

    Getúlio promoveu uma brutal repressão contra os movimentos sociais na sua época. Lula dialogou e fortaleceu os movimentos sociais. Getúlio censurou a imprensa com o famigerado PIDE, Lula foi massacrado pelo PIG. Getúlio veio da oligarquia agrária, Lula saiu das lutas populares.
    E não foi Getúlio quem "permitiu" sindicatos, foi a luta dos trabalhadores que os construiu.
    Nada mais diferente que Lula e Getúlio. Simples assim.

    assalariado.

    20 de fevereiro de 2011 às 20h21

    Araquem,voce esta bem informado sobre as lutas dos trabalhadores à epoca de Getulio.
    Aproveito para dizer que Getulio Vargas entregou de bandeja a companheira comunista Olga Benário Prestes à maldita GESTAPO -(policia politica de Adolf Hitler)- que,em seguida,foi assassinada pelos nazistas alemães,na epoca, gravida de sua filha Anita leocadia.Ou seja,Getulio perseguia os companheiros de lutas com visão ideológica de esquerda(de fato),portanto este sujeito acendeu uma vela para o deus e dez para o diabo,isto significa dizer que,sua ideologia jamais foi de esquerda,como se dizia a seu tempo,… " pai dos pobres,mãe dos ricos…"

    Para quem quiser aprender mais sobre a história politica da luta de classes no Brasil, aqui tem mais: http://pt.wikipedia.org/wiki/Olga_prestes

    Saudações Socialistas.

    ZePovinho

    21 de fevereiro de 2011 às 00h43

    Eu não sei porque ainda me espanto com a pureza da esquerda que só vê virtudes em si mesma.

betinho2

19 de fevereiro de 2011 às 22h31

É uma reforma total que está sendo promovida na Venezuela.
Procuro ver esses entraves como uma reforma numa residência, em que os moradores
continuam residindo nela. Até que ela finde, um dia tem um banheiro não disponível, no outro
é a roupa que não pode ser lavada, em outro a cozinha indisponível, depois um quarto e assim por diante.
Esperemos, e creio nisso, que a reforma da Venezuela, quando completada fique condizente com a confiança que seus "moradores" deram ao "arquiteto" Chavez.

Responder

Francisco Hugo

19 de fevereiro de 2011 às 22h30

Lodoso, pedregoso, acarpetado o chão… caminhar é preciso.
Bem-aventurado o caminhante que sabe onde quer chegar e onde pisa.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!