VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Morre mais um funcionário da USP de covid, mas reitoria impõe retorno presencial
Wikipedia
Holofote

Morre mais um funcionário da USP de covid, mas reitoria impõe retorno presencial


11/08/2021 - 09h13

Reitoria da USP impõe retorno às aulas presenciais em setembro; professores e funcionários criticam 

Por Lúcia Rodrigues

A Universidade de São Paulo programou a retomada das aulas presenciais para o dia 27 de setembro. 

A decisão foi tomada nesta terça-feira, 10, após reunião do reitor, Vahan Agopyan, com os diretores das faculdades e dos institutos da Universidade.

Os dirigentes decidiram que alunos e professores devem retornar aos campi se já tomaram as duas doses da AstraZeneca, Coronavac ou Pfizer ou a dose única da Janssen.

A determinação para a volta dos trabalhadores técnico-administrativos vacinados foi antecipada para o próximo dia 23. 

A medida pegou professores e funcionários de surpresa. Eles criticam a decisão da cúpula da USP. 

Michele Schultz Ramos, presidente da Associação dos Docentes da USP (Adusp), teme que o retorno às aulas presenciais aumente os casos de Covid e contribua para a proliferação da variante Delta. 

O diretor do Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp), Magno de Carvalho, lembra que já foi feita uma greve sanitária ano passado contra a decisão unilateral do reitor, que havia determinado o retorno compulsório ao trabalho.

“Nossa paralisação foi vitoriosa. O Vahan teve de voltar atrás (na decisão)”, comemora o sindicalista. 

A mobilização dos professores contra o retorno às aulas também anima Michele. “Temos um plano sanitário que deveria ter sido observado pela reitoria”, alfineta.

“Estamos pedindo para participar da tomada de decisões desde o ano passado, mas a reitoria não nos ouve”, critica a docente.

Magno antecipa que a assembleia da categoria já referendou que os trabalhadores não devem retornar ao trabalho presencial antes que a maioria da população esteja completamente imunizada. 

Essa também é a opinião da professora Michele. “Não adianta poucos estarem vacinados. A maioria tem de estar imunizada. Além disso é preciso seguir protocolos conjuntos para evitar a transmissão da doença.” 

O sindicalista relata que o funcionário do campus de Ribeirão Preto André Luiz Orlandin, que também é diretor da entidade, foi contaminado pela Covid e está intubado há mais de um mês. 

“Ele estava no trabalho remoto, mas tinha de ir algumas vezes à USP. Se contaminou e está internado em estado grave. A Covid afetou seus rins. Está fazendo hemodialise”, lamenta.

Casos sobre contaminação são recorrentes entre funcionários que continuaram trabalhando presencialmente por atuarem em áreas essenciais.

“A reitoria se nega a nos dizer quantos funcionários morreram de Covid. Nós sabemos que foram mais de 40 trabalhadores. Mas não temos ideia de quantos terceirizados também morreram.”

O dirigente ressalta que mesmo quando não morrem, os trabalhadores podem transmitir a doença para familiares. E cita o caso de um funcionário do bandejão, restaurante destinado a estudantes. “Foi internado, se recuperou, mas contaminou a mãe, que morreu.”

“É inaceitável retornar ao trabalho presencial neste momento. É só ver o que está acontecendo no Brasil e no mundo. O Rio de Janeiro, por exemplo, abriu as escolas e teve de fechar por causa do aumento das contaminações”, frisa Magno.

Ele também critica a diferenciação feita pela reitoria no calendário de retorno à Universidade para funcionários, professores e estudantes. 

“Eu, por exemplo, trabalho diretamente com os alunos. Por que teria de voltar um mês antes, se os estudantes não estarão lá?”, questiona. 

PS do Viomundo: Magno de Carvalho, do Sintusp, informa que acabou de ser avisado que o funcionário André Luiz Orlandin faleceu na manhã desta quarta-feira.





Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding