VIOMUNDO

Diário da Resistência


Fajardo: “Roubo” de sede dos Metroviários, depois de 32 anos, revela ódio de Doria ao sindicalismo equivalente ao de Bolsonaro
Reprodução
Entrevistas YouTube

Fajardo: “Roubo” de sede dos Metroviários, depois de 32 anos, revela ódio de Doria ao sindicalismo equivalente ao de Bolsonaro


29/06/2021 - 12h18

Despejo depois de 32 anos

Da Redação

Com sangue, suor e lágrimas, os funcionários do Metrô de São Paulo juntaram dinheiro para construir uma sede de três andares, com quadra esportiva e tudo — à altura da importância da categoria, que transporta com segurança e limpeza milhões de paulistanos por dia.

Eles o fizeram num terreno público cedido pelo governo paulista, a partir de 1987.

Porém, sem qualquer justificativa, o governo de São Paulo, a mando do lobista João Doria, não renovou a concessão do terreno e vendeu-o em leilão por R$ 14 milhões, sem que os metroviários tenham direito nem a indenização pelo prédio.

Para o coordenador do Sindicato dos Metroviários, Wagner Fajardo, trata-se de mera vingança pessoal do governador por causa da atuação política dos metroviários, que vai além das reivindicações salariais.

Os metroviários já tentaram quase tudo na Justiça, até agora sem resultados.

Agora, pretendem anular o leilão alegando que o preço pago pelo comprador foi muito baixo, causando prejuízo ao patrimônio público — na avaliação dos Metroviários, o prédio vale R$ 21 milhões.

De acordo com Fajardo, desde que Doria assumiu os metroviários, para constrangimento do governador, ganharam as disputas sindicais que travaram com o governo paulista na Justiça.

Mais que isso, eles se incorporaram a lutas gerais da classe trabalhadora, inclusive com greves parciais, desde que a presidenta Dilma Rousseff foi golpeada — com apoio de Doria, diga-se.

Embora nos últimos tempos o tucano tenha dito que se arrependeu de ter feito campanha coligado com o presidente Jair Bolsonaro, Fajardo diz que ambos têm ódio idêntico ao sindicalismo e aos movimentos sociais.

Ele lembra, por exemplo, que Doria queria privatizar o Instituto Butantan, do qual agora diz de maneira hipócrita que é um grande defensor, já que a instituição centenária não só produziu a Coronavac como está testando sua própria vacina contra a covid-19, que pode ser o primeiro imunizante completamente fabricado no Brasil.

No topo, a fala de Fajardo sobre o “assalto” à sede dos Metroviários.





2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

29 de junho de 2021 às 16h31

Será que o Tucano Dória vai também
leiloar os Imóveis do Estado Paulista
que foram apropriados ilegalmente
pelas Construtoras e Indústrias de SP?

Responder

Zé Maria

29 de junho de 2021 às 16h17

Está mais do que visto que esse Tucano FDP
está tentando cercear o Direito de Reunião
e de Associação dos Trabalhadores do Metrô.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding