VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Sergio Cabral, o policial infiltrado e o “DOI-Codi particular”


23/07/2013 - 12h39

Vídeo sugerido pelo Igor Felippe: seria um flagrante de policial infiltrado na manifestação do Rio de Janeiro para justificar repressão

Cabral e seu DOI-CODI particular: o CEIV

por BERNARDO SANTORO*, no ILBlog, sugerido pelo Sidnei Oliveira Jr., no Facebook

Uma das funções mais chatas do advogado é se manter atualizado sobre as novas leis. Cada nova lei é uma possibilidade potencial de enriquecimento do advogado. Dentro desse espírito empreendedor, estava lendo o Diário Oficial do Estado do Rio de hoje e logo de cara me deparo com uma monstruosidade: o Decreto 44.302/2013, que cria a CEIV, Comissão Especial de Investigação de Atos de Vandalismo em Manifestações Públicas.

Em outras oportunidades já argumentei que direito de greve e de protesto não é bagunça, e que o direito de manifestação não pode impedir o direito de ir e vir de outras pessoas, além disso, é evidente que o vandalismo deve ser ferozmente coibido e qualquer crime deve ser sempre punido, realizado ou não em manifestações. Mas esse CEIV passa de todos os limites razoáveis impostos pela democracia: cria um DOI-CODI fluminense em plena democracia.

Para quem não sabe, o DOI-CODI (Destacamento de Operações de Informações – Centro de Operações de Defesa Interna) era um órgão de investigação do exército destinado a suprimir quaisquer manifestações e tentativas de questionar a ditadura militar, sendo responsável pelo sumiço e morte de várias pessoas. Parece ser clara a inspiração do Governador no DOI-CODI para a criação da CEIV. O art. 1o tem mais conteúdo administrativo e não vem ao caso, mas os arts.  2o e 3o são verdadeiras monstruosidades antidemocráticas, e merecem comentários próprios. Vejamos:

Art. 2º. Caberá à CEIV tomar todas as providências necessárias à realização da investigação da prática de atos de vandalismo, podendo requisitar informações, realizar diligências e praticar quaisquer atos necessários à instrução de procedimentos criminais com a finalidade de punição de atos ilícitos praticados no âmbito de manifestações públicas.

O que seriam “todas as providências necessárias à realização da investigação”? Tortura? Sequestro? Essa redação é típica de ato de exceção. A realização de investigação criminal é privativa de delegado, expansível no máximo para o Ministério Público (com controvérsias, diga-se), e, em casos excepcionais, para CPIs, sempre com autorização constitucional. A Constituição veda que o poder executivo, fora da polícia judiciária, investigue crimes. Investigação de crimes por órgãos do poder executivo fora da polícia judiciária é típico de regimes fascistas, onde se usa desse expediente para fins políticos de perseguição de minorias e oposicionistas. Qualquer crime praticado em manifestações públicas deve ser investigado e punido como se tivesse sido praticado fora da manifestação. O fato de ter sido cometido em manifestação política não qualifica e nem desqualifica o crime.

Art. 3º. As solicitações e determinações da CEIV encaminhadas a todos os órgãos públicos e privados no âmbito do Estado do Rio de Janeiro terão prioridade absoluta em relação a quaisquer outras atividades da sua competência ou atribuição.
Parágrafo Único – As empresas Operadoras de Telefonia e Provedores de Internet terão prazo máximo de 24 horas para atendimento dos pedidos de informações da CEIV.

Esse artigo é o fim da democracia. De acordo com esse decreto, fica revogado o direito de sigilo do cidadão fluminense. Entidades privadas como bancos e operadoras de telefonia estariam obrigadas a entregar toda e qualquer informação nossa ao CEIV. Essa medida é tão ilegal que até mesmo a polícia, para investigar crimes, precisa de autorização judicial para poder quebrar o sigilo fiscal, bancário, telefônico e de dados dos cidadãos. E ainda assim os juízes só podem conceder autorização se a autoridade policial demonstrar que essa quebra é fundamental para as investigações. Sigilos só podem ser quebrados em última instância, mas não para o Governador Cabral e sua CEIV.

E o que é mais revoltante: crimes investigados por essa CEIV têm prioridade sobre qualquer outra investigação. Vamos por isso em perspectiva: se amanhã uma criança for estuprada e assassinada no Leblon, esse crime deixará de ser prioridade para os órgãos de investigação frente à quebra de uma vidraça de uma loja no próprio Leblon ocorrida durante uma manifestação. Essa é uma completa inversão de valores. Todos os crimes devem ser investigados e seus agentes presos e condenados, sem priorizar qualquer um deles, mas se tiver que se priorizar alguma investigação, por qualquer motivo, obviamente que os crimes contra a vida devem ter prioridade.

Por tudo isso, é flagrantemente inconstitucional esse decreto expedido pelo Duce carioca, e este articulista pugna que todos os crimes sejam investigados e os criminosos encontrados e penalizados, sem distinção de preferência política e com respeito aos direitos individuais básicos, sem uso do aparelho estatal para fins de perseguição política.

*DIRETOR DO INSTITUTO LIBERAL

Link para o decreto, oferecido pelo leitor Bruno, em comentário.





47 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Carla Hirt: Baleada, agredida e acusada de formar quadrilha, militante diz que foi difamada pela mídia - Viomundo - O que você não vê na mídia

26 de julho de 2013 às 23h30

[…] Sergio Cabral, o policial infiltrado e o “DOI-Codi particular” […]

Responder

Cabral revê decreto que atropela direitos de manifestantes - Viomundo - O que você não vê na mídia

25 de julho de 2013 às 01h11

[…] O infiltrado que estourou bomba na manifestação do Rio […]

Responder

angelo

24 de julho de 2013 às 23h23

Fórum – A PM é treinada para proteger ou matar?

P2 – Hoje, para porra nenhuma. Nem treinamento temos, nem bota para trabalhar eu tenho.

Fórum – O Tribunal de Justiça Militar intimida alguém? Como é a atuação do TJM?
P2 – Só tem coronel lá dentro.

Responder

Arthur Schieck

24 de julho de 2013 às 23h15

PT nacional empurrou Garotinho goela abaixo. Depois Cabral.
Será que aprendeu?
Salve Alessandro Molon!
Rio de Janeiro não é palanque!
Precisamos de um governador sério, progressista de fato.
Que a executiva nacional petista entenda isso de vez.

Responder

Fabio

24 de julho de 2013 às 16h58

“Cabral é um grande democrata, progressista e de esquerda! Vocês, que querem derruba-lo, são golpistas que estão à espreita, apenas aguardando o momento de derrubar a Presidenta Dilma Rousseff!”.

Por incrível que pareça, esta estupidez vem sendo alardeada por figuras que vivem fazendo burburinho no twitter. Estou convicto de que certas “personalidades” da internet, que parecem incansáveis guerreiros do socialismo são, na verdade, Cavalos de Tróia presentados ao PT. Defendem Cabral com tanto entusiasmo e ira contra seus críticos, que me faz pensar se não se trata de mais uma viúva do quercismo. Tenho a impressão de que essa certa figura twittante é remanescente do falecido MR-8 Peemedebista, que depois de idolatrar Orestes Quércia, elegeu Cabral como o seu “Grande Timoneiro”.

Responder

Rodrigo

24 de julho de 2013 às 16h27

Outro vídeo denuncia a presença dos P2
Assista

http://youtu.be/Bn1zpTvaWJ0

Responder

CDM

24 de julho de 2013 às 16h21

Pessoal, o RSS do Viomundo está com erro: https://www.viomundo.com.br/feed

Responder

    Conceição Lemes

    24 de julho de 2013 às 17h19

    CDM, vamos verificar o que está acontecendo. Obrigada. abs

henrique de oliveira

24 de julho de 2013 às 15h45

Toda “manifestação” pautada pelo esquema mafio midiatico da nessa porcaria.
Ninguem sabe porque esta ali , é como gado, voce (midia) os guia e define funções.

Responder

Abel

24 de julho de 2013 às 14h10

Tudo muito bom,tudo muito bem. Mas enquanto em Vitória (ES) a polícia prende os baderneiros e os coloca na cadeia, no Rio o que se vê é agressões gratuitas aos policiais de serviço, que tentam – sem muito sucesso impedir o vandalismo. E quando algum dos tais manifestantes “pacíficos” (no entender da Globo) é preso, logo aparecem meia dúzia de advogados para soltar. Nunca é demais lembrar: quando vivíamos sob ditadura também haviam manifestações, mas as pessoas tinham coragem para mostrar a cara. Hoje em dia, o que mais se vê são “anônimos” filhinhos de papai.

Responder

Rogério

24 de julho de 2013 às 13h32 Responder

    Anderson

    24 de julho de 2013 às 17h05

    Materia interessante do cafezinho, mas comentar por lá é complicado, quase nada se publica de comentarios dos leitores, então vou deixar aqui comentário_que deixaria no cafezinho_ sobre tema que considero bastante grave, e vou repeti-lo até que a agroecologia receba apoio massivo do Estado:

    (ao contrario do viomundo, por aqui meus comentários não aparecem, em geral poucos comentários dos leitores passam por aqui, nao permitindo um debate, uma pena)

    Dentre tantos problemas a serem enfrentados, a questão do agronegócio é das mais graves, tema pouco abordado pelos blogs progressistas.
    Esta mídia privada, capitaneada pela Globo, esta associada ao agronegócio(Monsanto, Syngenta, Dow, Basf, Coke entre outros monstrengos que fazem o q quer, através de lobby no congresso infestado de ruralistas_estes liderados pela fascista katia abreu), que atualmente ocupa mais de 70% de nossos campos com commodities_monoculturas de soja transgenica, milho transgenico entre outras, cultivadas com bilhoes de litros de agrotoxicos, contaminando terra, ar, agua, comunidades, todos nós!
    Um quadro de retrocesso, que nos transporta aos tempos coloniais! Mais de 3 mil escolas foram fechadas no campo ano passado, comunidades indígenas e campesinas esmagadas. Num governo de uma presidenta q paralisou a reforma agraria e abraçou o agronegocio(intensificando o que foi mantido pelo Lula).
    Estamos perdendo a soberania de nossos campos, a riqueza de nossas sementes criolas, a riqueza d nossa fauna e flora.
    Enquanto estes crimes se intensificam, a mídia privada “celebra” que nossos campos foram tomados por transgenicos! Aos conhecedores das leis indago: nao haveria como exigir nesta TV aberta, através da lei, espaço para se divulgar as informações criminosamente omitidas ou falsificadas?
    para saber mais,
    assistam aos docs

    “O Veneno esta na Mesa”

    http://www.youtube.com/watch?v=8RVAgD44AGg&list=PL93DF5C0A44893ACF

    “Food. Inc”

    http://www.youtube.com/watch?v=T2ttG8XjcQ4

    “O Mundo Segundo a Monsanto”

    http://www.youtube.com/watch?v=gkQN5gopWSU&list=PL93DF5C0A44893ACF

    Entrevista aterradora com cientista da UFMT

    https://www.viomundo.com.br/entrevistas/wanderlei-pignati-dinheiro-para-a-vigilancia-de-boi-e-soja-tem-para-a-saude-do-homem-nao.html

Infiltrados

24 de julho de 2013 às 13h09

Cabral designou capangas para manter contas em redes sociais a fim de elogiar ações da PM e criticar ou desvirtuar provas cabais das infiltrações e manobras para justificar a repressão.

O vândalo do coquetel já foi identificado, faz parte da corporação.
Eles usam pulseiras pretas dentre outras “marcas” para se identificarem entre os manifestantes.

Responder

Bonifa

24 de julho de 2013 às 12h37

Estão agora cuidando dos governadores? Que bom. Que nos dizem do Aécio Neves e seu Anastasia, ou do Alckimim? ou daquele senhor do Pará? Vai haver contra eles também manifestações?

Responder

Antonio Carlos - Brasilia

24 de julho de 2013 às 09h46

E nosso exército que “monitora” o MST. Conheço militares que dizem isto com a maior naturalidade do mundo. E claro que nossas polícias fazem o mesmo, ou tentam né pois a incompetência é grande, numa hora desses movimentos para “defender” os governadores.

Responder

Hildermes José Medeiros

24 de julho de 2013 às 09h46

Ora, faça-me o favor! Não precisa ser versado em leis para perceber que algo precisa ser feito. Não se pode ser faccioso a ponto de não reconhecer essa necessidade. Quer dizer que é normal e faz parte do jogo democrático participar de manifestação com bombas caseiras e coquetéis molotov e, além destes artefatos portar paus, porretes, cassetetes, pedras, barras de ferro, sendo adestrado militarmente para uso dessas armas sem dúvida letais, com preparo em lutas marciais para atacar os oponentes, no caso os membros das Polícias Militares? Independente do que seja Sérgio Cabral como político e pessoa, é o primeiro que está reagindo a altura a este descalabro, a essa maluquice de querer dizer que esses atos de extrema direita não devam ser combatidos com toda energia e rigor da Lei. Não dá para continuar nos impingir que esses manifestações não são planejadas, que os referidos como pacíficos não sejam mancomunados com chamados baderneiros e vândalos, que ficam esquentando o ambiente gritando palavras de ordem por horas, até o momento que um comando considera adequado iniciar os atos militares de atacar os policiais com tudo que têm às mãos, lançando bombas e coquetéis molotov, descendo pauladas e golpes em tudo que encontrar pela frente e sair depredando prédios e estabelecimentos públicos e privados. O planejamento inclui a contratação de advogados para soltura dos criminosos através de habeas corpus, convocação da mídia que passa por vezes quase o dia todo dando cobertura e amplificando o terror (isso mesmo, não passam de atos terroristas), com análises como a que acabo de ler, e também fazem a OAB e os Ministérios Públicos, todos muito preocupados em evitar os excessos da polícia e defender a democracia. Na realidade mais parece uma concertação para viabilizar candidatos de oposição para disputar a Presidência da República. Até agora não surgiu um nome que empolgasse. Muito fracos. Mas está dando resultados para a oposição, que é quem se beneficia tudo. Algo, forte, tem que ser colocado no caminho, porque esses democratas armados podem desistir dessa chatice de eleições e tentarem o de sempre: um golpe de estado. A estrutura legal e de apoio de um regime ditatorial, de força, ainda permanece mesmo depois de tantos anos. A ditadura aqui não foi derrotada, mas negociou e saiu ilesa. Se não der, procurarão motivos e tentarão o impedimento da Presidenta. O que conta para esses manifestantes e quem lhes dá respaldo é livrar-se de Dilma e afastar o PT. Não dá para enganar ninguém.

Responder

Pedro Aragão

23 de julho de 2013 às 22h48

Prezado Bernardo Santoro.

Data maxima venia, este decreto não pode ser interpretado conforme o articulista o fez em seu texto.
A linha de raciocínio do artigo segue um viés panfletário que merece algumas considerações.
Os órgãos que compõem essa comissão já tem a competência para investigar e realizar todos os atos necessários a solução dos casos de vandalismo. Estamos falando das Policias e do MP.
As diligencias que o texto fala são as típicas diligencias policiais, realizadas nas fases pré-inquerito e de inquerito.
Não há usurpação de competência, nem nenhuma inconstitucionalidade.

Responder

    Rogério Leonardo

    24 de julho de 2013 às 13h19

    Vossa Senhoria está tremendamente equivocado.

    Devo dizer que o art. 3º e seu parágrafo único são inquestionavelmente inconstitucionais, pois delimitam prazos processuais e prioridades que só poderiam ser instituídos por lei federal.

    Aliás, se chocam claramente com dispositivos de lei federal (estatuto do idoso, lei de interceptação telefônica) que lhe são hierarquicamente superiores.

    Não há dúvida de que o decreto é oportunista, inócuo, mal redigido e juridicamente teratológico.

Edno Lima

23 de julho de 2013 às 20h55

Ou o autor do texto não possuí o mínimo conhecimento jurídico ou é apenas burro. No 2º artigo não há qualquer ilegalidade. O delegado é o presidente do inquérito, e só. As provas colhidas por particulares não serão levadas a juízo sem antes passar pela avaliação do presidente do IPL ou pelo titular da ação penal, o MP e só. Suponhaos o caso de que alguém da sua famíla seja assassinado, e que a polícia não dê a mínima para o caso. Vc vai atrás e consegue provas de quem foi o assassino, apresenta as provas ao delegado ou ao MP. Pela teoria do autor do texto, nada disso tem valor.
Quanto ao 3º parágrafo, é óbvio que o decreto refere-se ás informações não protegidas pelo sigilo. È provável que o autor do texto não saiba, mas é comum que bancos, operadoras de telefonia e outras instituições exijam determinação judicial mesmo para demandas que não sejam protegidas por sigilo.

Responder

    walnie

    23 de julho de 2013 às 23h43

    afinal inteligente quais informações bancárias, de dados ou telefonica que nao são protegidas. Explique para esse idiota que lhe escreve, qual a finalidade da comissão.

    Edno Lima

    24 de julho de 2013 às 12h13

    Vou dar a você, inteligente, alguns exemplos práticos, os quais já vivenciei:
    Contas correntes bancárias de convênios do governo federal com estados e municípios não são protegidas por sigilo e os bancos constantemente, exceto por determinação jucial, se negam a fornecer as movimentações;
    O simples número da conta corrente bancária de titularidade de alguém não é protegida por sigilo e os bancos constantemente , exceto por determinação judicial, se negam a fornecer;
    O simples número da linha telefônica de alguém não é protegida por sigilo, porém as operadoras com frquência se negam a fornecer, exceto mediante ordem judicial;
    Mesmo quando autorizada á autoridade polícial pela próprio titular da linha a quebra do sigilo telefônico, as operadoras se negam, exceto por determinação judicial, a fornecer os extratos de ligação.

    Enfim, o fornecimento dados cadastrais constantes nos bancos de dados de instituições financeiras e operadoras de telefonia á autoridade policial não constituem, conforme doutrina pacificada ( mesmo que recorrentemente desatendidas pelas empresas), quebra de sigilo/ violação de privacidade.

FrancoAtirador

23 de julho de 2013 às 19h57

.
.
Plantão
22/07/2013 – 19:16

Policial à paisana em meio ao grupo de manifestantes usa máscara de Guy Fawkes [do Anonymous]

RIO – Em meio aos cerca de 300 manifestantes, havia pelo menos cinco policiais à paisana.

Eles acabam de deixar o grupo, ultrapassando o cordão de isolamento até a área protegida diante do Palácio Guanabara.

Um deles estava usando a máscara associada ao grupo de ativistas Anonymous, Guy Fawkes.

(http://oglobo.globo.com/rio/policial-paisana-em-meio-ao-grupo-de-manifestantes-usa-mascara-de-guy-fawkes-9132306#ixzz2ZucJy1iq)
.
.
22/07/2013 – 20:32

PM culpa Black Blocs por confusão em Laranjeiras

RIO — A Polícia Militar do Rio culpou o grupo Black Bloc, em sua conta oficial no Twitter, pelo início da confusão em frente ao Palácio Guanabara, em Laranjeiras, na noite desta segunda-feira.

Pouco antes das 20h, a corporação botou no ar a mensagem:
“Manifestação transcorreu com tranquilidade até a atuação dos Black Blocs. #VandalismoNão.”

O Twitter da PM continua publicando uma série de mensagens denunciando a ação de vândalos nos arredores do Palácio Guabanara.

As mais recentes foram:

“Vários órgãos sérios [SIC] de imprensa testemunharam o ataque de #vândalos aos #PMs”;

“Não confie em mascarados” [SIC].

(http://oglobo.globo.com/rio/policial-paisana-em-meio-ao-grupo-de-manifestantes-usa-mascara-de-guy-fawkes-9132306#ixzz2ZpbqKA8o)
.
.

Responder

FrancoAtirador

23 de julho de 2013 às 19h46

.
.
Manipulação da Rede Globo nas Ações da Polícia Militar

O japonês Chiba repórter da Agência France Press (AFP), 42 anos, recebeu um golpe de cassetete quando fotografava o confronto entre policiais de choque e manifestantes diante do Palácio Guanabara, onde o Papa Francisco foi recebido pela presidente Dilma Rousseff e o governador Sérgio Cabral antes dos incidentes. Chiba foi levado a uma clínica e recebeu três pontos na cabeça, além de realizar exames.

“Vi um manifestante cair no chão. Os policiais o agarraram e o levaram. Fotografava a cena quando fui bruscamente empurrado por outros policiais. Então levantei os braços com minha câmera para mostrar que era fotógrafo e que tinha intenções pacíficas, mas um policial de uniforme e escudo me acertou a cabeça com o cassetete”.

Matéria: (http://www.afp.com/pt/noticia/topstories/policia-fere-fotografo-da-afp-em-protesto-no-rio)

Mais aí vem a Globo, como sempre manipuladora e reacionária, e diz que o jornalista da AFP foi atingido por um coquetel molotov.

Vídeo da Globo:
(http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/protestos/2013/cobertura/nota/22-07-2013/130422.html)

Responder

Reinaldo Luiz

23 de julho de 2013 às 18h22

Tem outro vídeo mais próximo, que mostra os policiais infiltrados correndo para a área dos policiais, tirando a camisa do protesto. Cabral é um ditador da pesada, porque sempre foi mal acostumado com luxo. Agora que o povo está revoltado com o despreparo desse nazista, ele está revidando da forma mais sinistra possível.
http://www.youtube.com/watch?v=0vEnToPyex8

Responder

    Abel

    24 de julho de 2013 às 14h19

    O Cabral pode ser muita coisa, mas nazista certamente ele não é. E confundir os gatos pingados e “indignados” que tem tempo para perder em frente ao Palácio Guanabara com o povo do Rio de Janeiro é no mínimo mau-caratismo.

Fernando Garcia

23 de julho de 2013 às 17h46

Este post tem 3 tópicos, mas parece que grande parte dos comentários é sobre vídeo. Gostaria de dar minha opinião sobre os 3.
(a) Sergio Cabral é um político medíocre, que teve a sorte de assumir o Estado do Rio depois de uma série de políticos desastrosos. De ruim, não fez nada que os outros não fizerem pior. De bom, fez algumas coisas que não haviam sido feitas. Se conseguir entregar a linha amarela do metrô até o fim do mandato, no entanto, terá sobrevida política.
(b) Sobre o vídeo, acho irresponsável tê-lo publicado. O vídeo mostra um suposto P2 andando entre policiais e sugere que esta pessoa estava entre os manifestantes e atirou um molotov contra a PM. Há uma coisa que pode ser feita: existem hoje excelentes softwares de processamento de imagens (aliás o próprio Viomundo já fez post sobre isso) que poderiam construir com nitidez impressionantes o rosto e camisa dos dois personagens do vídeo. Dada a seriedade do que se está sugerindo no vídeo, procurar algum especialista para resolver tal problema é o mínimo que deve-se fazer antes de publicar o vídeo. Depois de confirmar a identidade dos personagens, deve-se procurar saber se ele está lotado na PM-RJ.
(c) Sobre o CEIV é bom procurar saber qual o “think tank” por trás da barbaridade. Alguém elaborou a doutrina. É importante ficar atento para as nomeações da comissão pois são estas as pessoas é que darão o a direção que o CEIV vai tomar.

Responder

Bernardino

23 de julho de 2013 às 17h07

Quer dizer que agora as autoridades nao pocem mais investigar e punir Vandalos e baderneiros!ora,ora vai pra Cuba meu filho e desafia os castros la pra ver o chicote no lombo ou na china.Democracia implica em direitos e deveres mais deveres qua direito

Querer comparar o DOI-Code daquela epoca que vivi com essa comissaozinha investigativa é desconhecer o que foi a DITADURAMILITAR!!Naquela epoca ninguem abria nem o bico ja apanhava e sumia.

Vai jogar confete em aviao e encher linguiça la na Colchichina com tais comentarios!!!

Responder

abolicionista

23 de julho de 2013 às 16h28

São inúmeras violações da constituição. É o retrato da polícia brasileira. Caiu a maquiagem, que aliás, só enganava quem olhasse de longe.

Responder

    matheus

    24 de julho de 2013 às 11h26

    Nem quem olhasse de longe.

    A polícia brasileira mata milhares de pessoas anualmemte, de acordo com os seus próprios dados oficiais e sem contar a participação de policiais em organizações criminosas, como “segundo emprego informal-ilegal”. Há inúmeros casos de tortura, prisões arbitrárias, etc.

    Essa maquinaria policial-militar toda, que pode ocupar favelas facilmente e criminalizar qualquer protesto, com total apoio da mídia e no mínimo conivência de políticos, promotores e juizes, é incapaz de resolver 10% dos homicídios cometidos no Brasil.

    A polícia da ditadura sobrevive sob a democracia. Há de implantar uma reforma policial urgente, começando pela PEC 102, e rediscutir o papel de “polícia política” ainda executado pelos serviços secretos militares.

Mardones

23 de julho de 2013 às 14h55

Cabralzinho, meu filho, a coisa já esteve melhor para você. Aliás, naquele jantar em Paris, vc estava muito bem acompanhado. k k k k

Responder

Neotupi

23 de julho de 2013 às 14h35

Sobre o vídeo, parece mais teoria da conspiração. Camisa preta, calça jeans e pele branca é praticamente uniforme de black blocs. P2 se vestirem assim para obter informações dá para acreditar. Já serem eles a jogar coquetéis molotov bem no meio de policiais que sofreram queimaduras já é delírio. Nenhuma lei no Brasil autoriza infiltrados a cometer crimes, como lesão corporal grave ou tentativa de homicídio.
Além disso, se a garotada estivessem com razão, estariam sendo dedo-duros contra revolucionários anarquistas, futuro desertores da PM.
Se de fato fossem policiais engrossando fileiras de Black Blocs atirando coquetéis molotov em cima de policiais para valer (como ocorreu, com policiais sofrendo queimaduras), os supostos P2 seriam revolucionários anarquistas infiltrados na PM, e não o contrário.

Responder

    Joselito

    23 de julho de 2013 às 17h34

    Nenhuma Lei autoriza policiais fardados a atirar em pessoas, mesmo que bandidos, a não ser em legítima defesa.
    Nenhuma Lei autoriza a autoridade a receber qualquer benefício para o seu trabalho (ou para o seu “não trabalho”), leia-se propina.
    Nenhuma Lei autoriza tortura, etc.

    Contudo, nenhum de nós é bobo de achar que isso não existe.

    Neotupi

    23 de julho de 2013 às 18h34

    Ok. Polícia abusar de autoridade a gente está cansado de saber que existe. Há uma lógica. Polícia usar força desnecessária contra manifestantes há lógica. P2 se infiltrarem em manifestação para obter informação ou até mesmo incitar tumultos até há lógica. O que não dá para acreditar é em P2 a serviço do comando atirar coquetel molotov para valer em policiais e depois voltarem ao quartel numa boa. Como vocês acham que os outros policiais receberiam este P2? Isso não existe.

    killimanjaro

    23 de julho de 2013 às 17h34

    isso era uma bomba de festim. e essa merda de black bbloc não existe, aqui no brasil os anarquistas são comunistas e anti-facistas anti-captalistas.

    O cara ta infiltrado sim, e estava na mesma função que o outro homem de camisa preta do vídeo dessa reportagem:

    http://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/protesto-no-palacio-guanabara-pm-e-flagrado-dando-choque-em-manifestante-caido-23072013

    reparem que o homem agride os fotografos e não deixa o manifestante ser socorrido.

    E esse neotupi é mais um dos P2, para escrever isso aqui, acha que alguem é trouxa de acreditar.

    espero que não venha me investigar tbm. Verme!

    neotupi nunca vi um nome com tanto mau gosto.
    Eu sou maluco BRASILEIRO
    MALOQUEIRO TUPINAMBÁ
    bota cara o pm viado
    tenta pra ver!

    Neotupi

    23 de julho de 2013 às 19h05

    killimanjaro
    1) Se da próxima vez eu usar o nome Sioux, um índio dos states, será que você também vai “descobrir” que eu sou “um P2 infiltrado” no blog? :)
    2) É óbvio que tem P2 infiltrado e aqueles que correram para trás da linha do choque só podem ser P2 ou X9. Só é delírio pensar que aquele que atira coquetel molotov em cima da tropa de choque seja P2.
    3) Coquetel molotov de festim? Depois dessa, acho que o P2 é você que entrou aqui para enganar a galera. Hahahaha…
    4) Black bloc por um lado é tática, qualquer um pode usar a tática. Por outro existem comunidades Black bloc no facebook que se declaram anarquistas. E anarquistas são anti-capitalistas, mas são diferentes de comunistas. Todos tem o direito de se manifestarem suas ideias e protestar, agora eu prefiro discutir ideias do que sair na porrada com policiais, até porque na inteligência acho que a gente tem chances de ganhar, na porrada é pouco provável, e acaba legitimando a repressão perante a maioria silenciosa.
    5) Na boa, acostume-se ao debate sem se sentir dono da bola ao confrontar-se com opiniões que não são as que você queria ouvir. Você não conseguirá viver num mundo perfeito onde todos pensem exatamente igual você gostaria. E se conseguisse será que não seria muito chato?

    rodrigo

    23 de julho de 2013 às 20h56

    Cara, você é fantástico… Te invejo. Você tem todo o conhecimento de dois mil anos de história da civilização ocidental para conseguir dialogar com um ser brutalizado e ignorante dos conceitos de humanidade e que infelizmente só consegue seguir ordens. Me conta teu segredo??? Ou você conhece algum instrutor israelense?

    killimanjaro

    24 de julho de 2013 às 18h22

    Ae neotupi,

    só porque o vídeo chama p2 taca molotov, você vai acreditar? eu nunca vi um molotov sair faisca igual a um sinalizador, e nem ninguem sacudir um molotov, pois se o fizer vai se queimar com certeza. Acho que você não sabe o que é um molotov, porque você é um policial, ou mais um jovem conservador na frente do computador.

    Anarquismo e comunismo andam juntos sim, veja a influencia de anarquistas Ucranianos na revolução russa. o Bakunismo e outros movimentos…

    essa tatica blac bosta serviu bem para a onu dar o golpe e atingir os mussulmanos no Oriente Médio.

    Eu mesmo taco pedra e molotov(de verdade) na polícia e não sou informante nem nada.

    não quero que todos pensem igual a mim porque eu não sou facista. Mas quero que o opressor caia e pegue fogo, que o sangue frio do homem de pele branca jorre e corra como um rio.

    matheus

    24 de julho de 2013 às 11h28

    O que acontece no RJ é simples, o mesmo que em SP, MG, ES e outros Estados:

    A bandidagem fardada à serviço da bandidagem engravatada.

    O resto é blablablá e mimimi de reacionários e pelegos, que na hora H sempre demonstram ser farinhas do mesmo saco.

Neotupi

23 de julho de 2013 às 14h15

Quem pariu Matheus, que embale-o.
1) Não foram às ruas defender o fim da PEC 37 às cegas? E dando carta branca para o MP. Essa comissão é integrada pelo MP-RJ que, em tese, garantiria a defesa da sociedade e o cumprimento da Constituição. Agora, que vão protestar em frente ao MP-RJ por, em vez de estar investigando os custos do Maracanã ou acusações que fazem contra Cabral, estão investigando manifestantes que quebraram vidraças, inclusive da emissora de TV onde trabalha o filho do presidente do STF.
2) Vão também bater às portas do STF, do ministro Joaquim Barbosa (por sinal um ilustre morador do Leblon), com uma ação de inconstitucionalidade.
3) Se os “vândalos” são P2 infiltrados, como dizem, por que ser contra investigá-los? Afinal isso deixaria o resto dos manifestantes protestarem sem infiltrações.

Responder

    matheus

    24 de julho de 2013 às 11h30

    Investigar com um novo DOI-CODI, violando todas as garantias constitucionais?

    E o abuso policial, não vai ser identificado?

    Aliás, qual é o significado jurídico da categoria “vandalismo”? O termo tem sentido subjetivo, que amplia ainda mais a arbitrariedade despótica dessa polícia política do Sérgio Cabral.

    angelo

    24 de julho de 2013 às 23h17

    ” E o abuso policial, não vai ser identificado? ”

    Qual dos 500.000 ‘casos isolados’?

Cida

23 de julho de 2013 às 13h48

Achei que nao deu pra ver nada, alem de que, a cor dos black bloc é preta, entao dizer que o com camisa preta é infiltrado, já é muito pra mim

Responder

    Mário

    23 de julho de 2013 às 16h42

    Pena que não vai sair na gLOBO pra vc acreditar ;)

    Fernando Garcia

    23 de julho de 2013 às 17h22

    O fato de você fazer uma “tirada” legal não qualifica/prova seu ponto de vista. Na verdade, só mostra que debate não é seu forte.

    demetrius

    24 de julho de 2013 às 11h58

    Cara cida, se vc for se infiltrar em algum grupo, vai usar uniforme diferente do deles para parecer que é do grupo?

    É muita burrice pra mim.
    abs


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding