VIOMUNDO

Diário da Resistência


Brasil na contramão: Privatização do setor de gás natural ameaça transição para fontes menos poluentes de energia
Ilustração: Observatório Social da Petrobrás
Denúncias

Brasil na contramão: Privatização do setor de gás natural ameaça transição para fontes menos poluentes de energia


30/04/2021 - 17h46

Privatização do setor ameaça transição energética do Brasil

Observatório Social da Petrobrás

Amanhã, dia 1º de maio, a tarifa do gás natural subirá 39%.

Hora de falarmos da importância desse combustível e do desmonte do setor nacional.

O Brasil tem potencial para se tornar um dos principais produtores de gás natural do planeta, mas caminha na contramão desse futuro promissor, aponta estudo do Observatório Social da Petrobrás (OSP).

A gestão da maior empresa brasileira está se desfazendo da produção, industrialização e comercialização nacional do gás natural, que existe em grande quantidade no país.

O desmonte desse setor estratégico para a transição energética anda a passos largos e já permitiu que várias multinacionais ocupem espaço no mercado brasileiro.

Segundo a pesquisa, o gás natural é a fonte de energia que mais cresce no planeta, cerca de 7% ao ano.

Por ser uma fonte primária de grande disponibilidade, com custo competitivo e menor emissão de CO2, ele é considerado um dos principais componentes da transição energética, que é a mudança das matrizes energéticas usadas atualmente para fontes de energia mais limpas e menos poluentes.

“O gás natural tem tudo para ser o eixo das transformações energéticas em curso no século 21. Não é à toa, que grandes empresas e países já travam uma luta pesada pelo domínio da sua produção e do seu mercado”, afirmam Nazareno Godeiro e Gustavo Machado, pesquisadores do Instituto Latino-Americano de Estudos Socioeconômicos (Ilaese).

De acordo com o estudo, a participação do gás natural na matriz energética brasileira é de 14%, abaixo da média mundial de 23%, mas as projeções de crescimento são animadoras.

A estimativa é de um aumento médio anual da produção em torno de 5%, até 2030.

Hoje, o Brasil produz mais de 135 milhões de m³/dia de gás natural e quase todo o combustível que abastece o país é fornecido pela Petrobrás.

Levantamento da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural de Biocombustíveis) mostra que, em janeiro deste ano, 95% da produção nacional ficou concentrada nas mãos de dez concessionárias e a Petrobrás foi responsável por 77% do volume total.

A maior parte do gás é proveniente dos campos do pré-sal. Essas reservas possibilitariam aumentar a produção interna do gás natural e duplicar a utilização desse combustível no mercado brasileiro.

O gás natural, ainda que se origine na indústria petrolífera (sua extração se dá associada com o petróleo) é menos poluidor e é utilizado para geração de energia em usinas termelétricas, quando os ventos e a luz solar não forem suficientes.

Ademais, é utilizado como combustível para veículos e pode substituir a gasolina e o diesel nos transportes como GNV (Gás Natural Veicular) ou na produção de fertilizantes para agricultura, onde é a principal matéria prima.

Também muito útil no aquecimento ou refrigeração residencial, no comércio e na indústria. Pode ser industrializado na forma de plásticos e lubrificantes e participará, indiretamente, no boom de carros elétricos que vem por aí.

Saída da Petrobrás

Apesar do cenário favorável, a gestão da Petrobrás, a mando do governo Bolsonaro e dos interesses do mercado financeiro, acelera o processo de privatização com tratativas para a saída da empresa do mercado brasileiro de gás.

Em 2019, poucos meses após o novo presidente assumir o cargo, foi assinado um acordo com o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), no qual a companhia se comprometeu a vender toda sua participação na infraestrutura de distribuição e transporte de gás no país até dezembro de 2021.

Nesses últimos anos, a Petrobrás já se desfez de vários ativos do setor de gás natural.

Vendeu os gasodutos das subsidiárias TAG e NTS e campos de produção do pré-sal e de Sergipe-Alagoas, com grandes reservas do combustível.

Iniciou a negociação do Polo Urucu, maior reserva terrestre de gás do país.

Alienou fábricas de fertilizantes, cuja matéria prima principal é o gás, e termelétricas, que geram energia elétrica a partir do gás natural.

Também negociou a BR Distribuidora, que poderia alavancar a distribuição de GNV (Gás Natural Veicular) e fornecer energia elétrica para carregamento das baterias dos carros elétricos.

O golpe final do governo foi dado este ano. Com o argumento de acabar com o monopólio da Petrobrás no setor e reduzir o preço do produto, Bolsonaro sancionou em abril a nova lei do gás.

A lei autoriza a negociação das unidades de tratamento e campos de produção de gás natural, da subsidiária Gaspetro e de todas as 19 companhias estaduais de distribuição de gás do país, com participação da Petrobrás.

Não existe monopólio

Os pesquisadores do Ilaese lembram que desde 1997 não existe monopólio da Petrobrás sobre o mercado de gás natural.

“Prova disso é que hoje 30 empresas produzem gás natural no país. Na área de transporte, os gasodutos já foram vendidos e na comercialização, o maior mercado de gás natural do Brasil, concentrado nos estados de São Paulo, Rio e Minas Gerais, está nas mãos de empresas privadas”.

Com relação ao preço do gás, eles explicam que os combustíveis seguem a política de Preço de Paridade de Importação (PPI), que é baseada na variação do dólar.

“O marco regulatório não vai baratear o custo do gás, só vai aprofundar ainda mais o desmonte do setor. A venda da participação da Petrobrás nas empresas estaduais será o maior processo de privatização da história do mercado brasileiro de distribuição de gás”, avaliam.

 





6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Nelson

01 de maio de 2021 às 22h35

O eminente economista canadense, John Kenneth Galbraith, dizia: “tire-se o Estado da economia e o capitalismo não sobrevive um dia sequer”. Não consta que Galbraith tenha sido de esquerda, socialista, muito menos comunista.

Mas, os adoradores de um liberalismo econômico que, na prática, nunca existiu, seguem, cada vez mais fanatizados em sua crença. Eles vivem a pregar que a “livre” concorrência vai possibilitar a redução dos preços para o consumidor, um mundo maravilho para todos.

Porém, nos últimos 23 anos, após FHC criminosamente acabar com o monopólio da Petrobras, o que vemos é descrito pelos pesquisadores do Ilaese: “hoje 30 empresas produzem gás natural no país”.

A acreditarmos na arenga de que a tal “livre” concorrência só traz benefícios à população, os brasileiros deveriam estar a soltarem foguetes agora, com tantos produtores/fornecedores de gás.

Porém, como diz o próprio Observatório, em “relação ao preço do gás, eles [Ilaese] explicam que os combustíveis seguem a política de Preço de Paridade de Importação (PPI), que é baseada na variação do dólar”.

Os liberais não queriam a esquerda no poder e, numa postura bem “liberal’ e “democrática” apoiaram firmemente o golpe de Estado de 2016, desferido para apeá-la do poder.

Como eles nos explicam, então, que, sob o governo desejado por eles o liberalismo econômico não tenha se estabelecido em toda a sua plenitude?

Ah, eles vão tergiversar, enrolar bastante e não vão nos explicar. Simplesmente, porque, na prática, como afirmei, não existe liberalismo econômico.

Na realidade, o grande empresariado capitalista detesta o liberalismo e gosta mesmo é viver amparado pela “muleta” chamada Estado. Fica muito mais fácil competir assim, com subsídios públicos.

Na realidade por detrás da monumental propaganda ideológica que induz a grande maioria a acreditar em uma capacidade empreendedora insuperável e invencível do empresariado privado, o que vemos é um eterno mamar na “vaca de divinas tetas” assegurada pelo Estado.

Responder

Zé Maria

30 de abril de 2021 às 20h12

No Canetaço, Desembargador do TJ-RJ
cassa Decreto Legislativo da ALERJ que
impedia o Crime de Privatização da CEDAE.

Os Herdeiros Bilionários do Roberto Marinho
vibraram tanto, que o G1/Globo trocou o nome do Andre Ceciliano (PT), Presidente da Assembleia do Rio de Janeiro, por ‘Marcos Feliciano’ [SIC] confundindo o Deputado Estadual Petista – autor do Projeto de Decreto Legislativo (PDL)
de Suspensão do Leilão da CEDAE – com o Pastor Bolsonarista
que é Deputado Federal por São Paulo.

https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2021/04/30/justica-suspende-decreto-da-alerj-que-proibia-leilao-da-cedae.ghtml

Responder

Zé Maria

30 de abril de 2021 às 19h32

O (des)governo Genocida/Guedes/Mourão
está vendendo, a granel, a Subsidiária
Petrobras Biocombustível S.A. (PBIO).

Por Lei(*), o Biodiesel deve ser adicionado
ao Óleo Diesel derivado do Petróleo.

*(Lei 11.097/2005, conversão da MP 214/2004):
(http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/lei/l11097.htm)*
*(Lei 13.033/2014, conversão da MP 647/2014):
(http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13033.htm)*
*(Lei 13.263/2016):
(http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2016/Lei/L13263.htm)*

https://www.euqueroinvestir.com/petrobras-petr4-petr3-subsidiaria-pbio-venda-bsbios/
https://www.euqueroinvestir.com/petrobras-petr4-inicia-processo-de-venda-da-petrobras-biocombustivel/

O Guedes mudou o ditado popular:
Não é mais “Negócio da China”.
É “Negócio do braZil” mesmo.
“braZilero is tãn bonzinho”

Responder

Zé Maria

30 de abril de 2021 às 18h49

O Báidi vai mandar pra cá as Empresas Norte-Americanas de Energia para faturar em cima dos trouxas.

Responder

Zé Maria

30 de abril de 2021 às 18h47

1º de maio da CUT e demais Centrais Sindicais

Ato Nacional vai acontecer a partir das 14h,

Ficha do evento:

✓ Live do 1º de Maio Unitário das Centrais Sindicais
Pela Vida. Emprego, Democracia e Vacina para Todos
✓ Sábado (01/05), a partir das 14h
Transmissão – TVT, redes sociais e Youtube
das Centrais e seus entes filiados.

Pela Vida, Democracia, Emprego, Vacina Para Todos e Auxílio de R$ 600
CUT, Força, UGT, CTB, CSB, NCST, CGTB, Intersindical e Pública
farão live do 1º de Maio Unitário das Centrais Sindicais, que será transmitida,
a partir das 14h, pela TVT – TV do Trabalhadores,
além dos canais no Youtube e redes sociais
das centrais e do movimento sindical.

Será um dia de reflexão e de fortalecimento da luta da classe trabalhadora, mas também de muita música.

Neste ano, o tema como tema 1° de Maio
pela Vida – Democracia, Emprego, Vacina para Todos e Auxílio Emergencial de 600 reais até o fim da pandemia.

Os artistas e personalidades que participarão da live estão juntas com o movimento sindical na defesa desse tema.

Neste ano, os presidentes das centrais estarão
em um estúdio, de onde farão seus discursos.

O programa será ancorado pela cantora, compositora e apresentadora Ellen Oléria.
Também no estúdio, a atriz, cantora e multi-instrumentista paraibana Lucy Alves fará
a apresentação que encerrará o 1º de Maio Unitário das Centrais Sindicais.

Todos os protocolos sanitários serão seguidos.

O ato tem previsão de três horas de duração
com falas dos dirigentes sindicais das nove centrais.

Os ex-presidentes da República Luiz Inácio
Lula da Silva, Dilma Rousseff e Fernando
Henrique, parlamentares e lideranças partidárias e de movimentos sociais,
além de entidades sindicais internacionais
e representantes de diferentes religiões, também participarão do 1º de Maio organizado pelas centrais sindicais.

As falas das lideranças sindicais, políticas e sociais serão intercaladas por apresentações
e depoimentos de artistas sobre o tema deste ano – Vida, Democracia, Emprego, Vacina para Todos.

Seguem os artistas que se apresentarão no 1º
de Maio Unitário das Centrais Sindicais,
cantando ou com depoimentos:
Elza Soares, Chico César, Tereza Cristina,
Delacruz, Johnny Hooker, Marcelo Jeneci,
Odair José, Aíla, Renegado, Bia Ferreira,
Doralyce; Osmar Prado, Gregório Duvivier,
Spartakus, Lirinha, Tereza Seibilitz, Elen Oleria,
Paulo Betti, Lucy Alves, além de mensagem
do acadêmico Silvio Almeida e da atleta
Joana Maranhão.
.
Confira como será o 1º de Maio das
CUTs estaduais nas ruas e nas redes

Como em todos os anos, neste sábado,
1º de Maio, Dia Internacional do Trabalhador
e da Trabalhadora, a CUT estará nas redes e nas ruas
de todos os estados para defender a vida,
o emprego, a democracia, o “Fora, Bolsonaro”, e para praticar a solidariedade com distribuição de cestas básicas e arrecadação online para ajudar quem tem fome.

Além das ações das CUTs estaduais na Semana do Trabalhador, nesta sábado, dirigentes e militantes farão carretas e atos de solidariedade, a partir das 8 horas da manhã, no Rio Grande do Sul (RS), Rio Grande do Norte (RN), Santa Catarina (SC), Minas Gerais (MG), Paraíba (PB), Pernambuco (PE), Mato Grosso do Sul (MS), Paraná (PR) e Goiás (GO).

O grande ato nacional será o 1º de maio virtual da CUT e das Centrais Sindicais, que vai acontecer a partir das 14 horas, mas representantes da CUT Ceará e Distrito Federal também vão fazer atos online para reforçar a luta em defesa da vida. Sindicalistas da Bahia e em Mato Grosso fizeram carreta e atos virtuais durante a semana.

Todos e todas na mesma direção: denunciar o descaso do governo de Jair Bolsonaro (ex-PSL) com a vida, com o emprego e com quem tem fome; e contribuir com doações para diminuir o impacto da pandemia e do desgoverno na vida dos trabalhadores, em especial os mais pobres.

Para o presidente da CUT PE, Paulo Rocha, este dia tem uma centralidade importante para a conjuntura política e atual. “Estamos vivenciando várias pandemias dentro da pandemia da Covid-19. Mas, vamos continuar lutando e reafirmando que queremos garantir nossos direitos, defendendo a vida. E não tem como garantir a vida tendo fome. Então, vamos fazer esse ato de solidariedade”.

O Presidente da CUT-MS, Vilson Gimenes Gregório, ressaltou a importância da união e da participação de todos os membros dos Sindicatos, Federações e Movimentos sociais nas ações. “Nós precisamos avançar e mostrar a nossa força contra esse governo atual”.

A CUT-RS e centrais sindicais vão realizar
um ato estadual e solidário de 1º de Maio
pela vida, das 10h às 12h,
em frente à Prefeitura de Porto Alegre.
O objetivo é reforçar a luta por vacina já
para todos e todas, por emprego
e auxílio emergencial de R$ 600,
contra as privatizações, por democracia,
por solidariedade e por “Fora Bolsonaro”.

“Vamos fazer um ato simbólico, com a presença de representantes das entidades, todos e todas usando máscaras e respeitando o distanciamento entre os participantes, para fortalecer a resistência e a luta da classe trabalhadora no Rio Grande do Sul e mostrar a importância da unidade e da mobilização para enfrentar a pandemia e a política genocida de Bolsonaro, seguida aqui pelo governador Eduardo Leite e o prefeito Sebastião Melo”, destaca o presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci, se referindo aos governantes do PSDB
e MDB .

Confira como serão os atos nas ruas e nas redes:

CEARÁ
A CUT Ceará, a Frente Brasil Popular, a CTB
e o Coletivo Travessia, pelo segundo ano consecutivo, farão o ato do Dia Internacional do Trabalhador no formato virtual.
Neste momento em que o Brasil ultrapassa 400 mil mortes por Covid-19, o tema é 1° de Maio solidário pela Vida – Emprego, Renda, Cidadania, Democracia, Justiça e Vacina para Todos e Todas.

A atividade será transmitida, a partir das 10h, pelas redes da CUT Ceará, além dos canais no You Tube e redes sociais do movimento sindical e dos movimentos sociais. O diferencial deste ano será a presença de apresentadores e artistas em estúdio.

DISTRITO FEDERAL
A CUT-DF realizará grande ato virtual político-cultural. Em função do agravamento da pandemia no DF, a atividade acontecerá exclusivamente de forma virtual.
A transmissão será feita pela TV Comunitária de Brasília e pela página do Facebook da CUT-DF, do meio-dia às 14h.

A defesa da vida, da democracia, do emprego e pela vacinação imediata contra a Covid-19 de todas e todos são bandeiras principais desse dia.
Mas, as reivindicações vão além desses temas e reúnem pautas históricas da classe trabalhadora, como a mobilização por direitos, saúde, educação, dignidade, contra as privatizações, fortalecimento do Estado e outros.

GOIÁS
O Fórum Goiano em Defesa dos Direitos, da Democracia e Soberania, do qual a CUT participa, vai distribuir cerca de 200 cestas básicas para famílias que estão em insegurança alimentar, a partir das 8 horas, na sede do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação das Instituições Federais de Ensino Superior do Estado de Goiás (SINT-IFESgo), situado à Rua 227, nº 1213, Setor Leste Universitário.

Na Fidel Castro acontecerá um momento político, simbólico, com a presença de representantes das entidades sindicais, como parte das ações alusivas ao 1º de Maio.

MATO GROSSO DO SUL
Para homenagear o trabalhador e denunciar os abusos contra a classe, a mobilização se intensifica, os Sindicatos, Federações filiados a CUT-MS, movimentos sociais e trabalhadores e trabalhadoras pretendem fazer uma carreata e reunir aproximadamente 200 veículos. No mesmo dia, será feita a arrecadação de alimentos não perecíveis que serão distribuídos a famílias carentes.

Os carros vão percorrer as ruas do centro da cidade, o itinerário será divulgado durante a semana. A concentração será às 8 horas na sede da Fetems e a saída as 9 horas.

MINAS GERAIS
As ruas de Belo Horizonte vão ser ocupadas neste sábado, 1º de Maio, para protestar em defesa da vida, dos empregos, da democracia e pelo #ForaBolsonaro!

A carreata, que terá concentração na Avenida Abrahão Caram, em frente ao Estádio Mineirão (Pampulha, Belo Horizonte), a partir das 9h, também terá arrecadação de alimentos para as doações da Campanha CUT Minas Solidária.

PARAÍBA
As Centrais Sindicais, a Frente Brasil Popular, Povo Sem Medo, Partidos Políticos, Movimento Fora Bolsonaro Paraíba e os Movimentos Sociais, chamam todos e todas a se juntarem à carreata do Trabalhador e da Trabalhadora que será realizada nesse 1⁰ de Maio.
A concentração será a partir das 8 horas no Campo da Marquise na Rua Avelino dos Santos, no Valentina.

A carreta seguirá rumo à Mangabeira em direção ao ponto final da linha 302, culminando em uma ação de solidariedade.
A entidade pede para que todos e todas usem máscara, levem álcool gel, respeite o distanciamento social e evitem aglomeração.

PARANÁ
A CUT Paraná, ao lado das demais centrais sindicais, realizará neste 1º de Maio uma carreata solidária.
O ato, que seguirá todas as regras de distanciamento social, terá como pauta a vacinação contra a Covid-19 para todos e todas, a defesa do auxílio emergencial de R$ 600 e a luta por empregos.

Serão dois pontos de concentração a partir das 9h30.
O primeiro será no terminal do Pinheirinho e o segundo, no terminal do bairro Santa Cândida.
Ambos sairão em direção à Praça Nossa Senhora de Salete, no centro cívico, onde acontecerá o encerramento da mobilização.
No local também haverá um posto de coleta de alimentos e produtos de higiene para posterior distribuição para comunidades carentes.

PERNAMBUCO
A CUT- PE se une às demais Centrais,
como a CTB, Intersindical, Força Sindical, UGT,
CSP Conlutas e Nova Central, para distribuir alimentos, no “1º de Maio Solidário: quem tem fome tem pressa”, para as pessoas que mais têm sofrido com a pandemia.

RIO GRANDE DO NORTE
A CUT-RN e a Frente Brasil Popular se unem aos trabalhadores e trabalhadoras do Rio Grande do Norte na defesa da vida, dos empregos, cobrando auxílio emergencial de R$ 600 e celeridade na vacina.

Seguindo protocolos de segurança e em carreata, os dirigentes sindicais irão exigir o combate à fome com auxilio emergencial de, no mínimo, R$ 600, que a solidariedade seja a palavra de ordem da pandemia e que os empregos sejam garantidos.

A concentração da Carreata em Defesa da Vida começa às 8 horas no Instituto Federal em Natal (IFRN Central), na Avenida Senador Salgado Filho.

RIO GRANDE DO SUL
A CUT-RS e centrais sindicais realizam um
ato estadual unificado e solidário de 1º de Maio
pela vida, neste sábado, das 10h às 12h,
em frente à Prefeitura de Porto Alegre, com trabalhadores e trabalhadoras do serviço público e da iniciativa privada.

O ato tem como eixos a defesa da democracia,
do emprego, da vacina para todos e todas,
contra as privatizações e pelo fim do governo
Bolsonaro.

Será um evento presencial, porém simbólico,
com a participação de representantes de
entidades sindicais, movimentos sociais e coletivos populares.

Haverá uma abertura ecumênica, pronunciamentos e música, com transmissão
pelas redes sociais.

Durante o ato e até as 16h, será realizado no local
mais uma edição do “Drive-Thru da Solidariedade”,
coletando doações de alimentos e material
de higiene para ajudar quem mais precisa
na periferia da Capital Gaúcha.

Qualquer cidadão e cidadã poderá passar
e entregar o seu auxílio para combater a fome
e a miséria.

Ao meio-dia será distribuída uma marmita
para cada morador e moradora de rua
do centro da cidade, como gesto solidário
das Centrais Sindicais.

Haverá também coleta de alimentos nos
bairros Lomba do Pinheiro, Cruzeiro e
Humaitá/Farrapos.

SANTA CATARINA
Em Santa Catarina, a CUT-SC, as demais centrais sindicais e os movimentos que fazem parte da Frente “Fora, Bolsonaro” se uniram para organizar atos simbólicos, carreatas e ações de solidariedade em torno de pautas urgentes para a classe trabalhadora, como a defesa da vida, vacina para todos, auxílio emergencial digno, emprego decente, defesa dos serviços públicos e ‘Fora, Bolsonaro’.
Seguindo todos os protocolos de segurança, diversos municípios do estado estão organizando ações para marcar o 1º de maio.

Veja a programação nas cidades catarinenses:

– Blumenau: Ato virtual, às 9h, com a participação de representantes dos movimentos sindical e social sobre as pautas do 1º de maio e apresentação cultural.

– Caçador: Colocação de faixas em alusão as mortes por Covid-19 e arrecadação de alimentos para doação (local de coleta a confirmar)

– Chapecó: Vai ter colocação de faixas em defesa da vida, por vacina e emprego em diversos pontos da cidade e arrecadação de alimentos (local de coleta a confirmar)

– Coronel Freitas: Também vai ter colocação de faixas com as pautas do 1º de maio em pontos do município.

– Criciúma: A Carreata por vacina sim e Fora Bolsonaro terá concentração às 9h ao lado do Parque das Nações (Rua da Arquibancada).

– Florianópolis: As centrais sindicais, Frente Florianópolis Fora Bolsonaro e o Fórum de Servidores se uniram para organizar ações para o 1º de maio na capital: Atividade simbólica na Ponte Hercílio Luz- a partir das 8h acontecerá fixação de faixas na ponte
Ato simbólico no TICEN, a partir das 8h acontecerá intervenções com exposição de faixas e fixação de cruzes e outro no largo da Catedral, a partir das 10h.

– Joinville: Ato simbólico na Praça da Bandeira, às 10h, chamado pelo SINSEJ

– Lages: O Ato simbólico em defesa da vida, por Fora Bolsonaro e vacina para todos, será na Praça João Costa (Calçadão), às 15h

– São Bento do Sul: Bandeiraço na escadaria da Igreja Matriz, às 10h

SÃO PAULO
Às 17h, a CUT São Paulo junto com as
centrais sindicais paulistas: CSP Conlutas,
CTB, CUT, Intersindical-Central da Classe Trabalhadora e Intersindical-Instrumento de Luta
e os Movimentos Sociais e Populares
que integram as Frentes Brasil Popular e
Povo Sem Medo, realizam um grande
Ato Virtual Unificado com transmissão
nas páginas de Facebook das Centrais, Sindicatos e Frentes.
A atividade integra as ações unificadas
em todo o estado para celebrar o 1º de Maio
de Resistência, Luta e Solidariedade.

Além deste ato unificado, as centrais sindicais
e as frentes também organizam carreatas e
faixaços na capital paulista e em outras
cidades e regiões do estado de São Paulo na
manhã de 1 º de Maio (sábado) para chamar a
atenção da sociedade para a política genocida
do governo federal diante da pandemia da
Covid-19 que já causou a morte de mais de
400 mil pessoas em todo o país.

https://www.cut.org.br/noticias/confira-como-sera-o-1-de-maio-em-defesa-da-vida-e-do-emprego-das-cuts-estaduais-17ff
.
Abaixo-Assinado
https://pbs.twimg.com/media/E0PVp0GWEAEMaCA?format=jpg

Reforçando a Mobilização contra a Reforma Administrativa de Guedes/Bolsonaro,
a Frente Parlamentar Mista do Serviço Público
divulgou petição pública pela Suspensão da PEC 32/2020 – Reforma Administrativa – na pandemia, endereçada ao Presidente da Câmara Arthur Lira.
Para assinar a petição online, acesse:
(https://t.co/6RpG3Cz9f9)
https://twitter.com/servirbrasil/status/1388188710383063047

https://linktr.ee/FrenteServicoPublico
http://frenteparlamentardoservicopublico.org
.
.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding