VIOMUNDO

Diário da Resistência


Pedro dos Anjos, às mulheres de luta: Adesão do MBL ao #EleNão é manobra, rechacem; Kataguiri é filhote do Bolsonaro
Agência Brasil
Denúncias Falatório

Pedro dos Anjos, às mulheres de luta: Adesão do MBL ao #EleNão é manobra, rechacem; Kataguiri é filhote do Bolsonaro


23/09/2018 - 21h12

Vitor Teixeira

ALERTA ÀS MULHERES DE LUTA

por Pedro dos Anjos, especial para o Viomundo

Mulheres de luta, se me permitem, gostaria de fazer um alerta.

Este traste mirim chamado Kim Kataguiri, do MBL, disse que aderiu ao#EleNão contra Bolsonaro.

Além de cara de pau, este legítimo filhote do ”Coiso” é também oportunista.

O MBL, como bem sabem, é uma patrulha ideológica financiada pelos Irmãos Koch.

A manobra de “aderir”, agora, à campanha #EleNão segue o padrão de infiltração de manifestações originalmente progressistas, tal como ocorreu em 2013 na luta do Passe Livre.

Na época,  incapazes de liderar qualquer mobilização genuinamente popular, esses
sórdidos patrulheiros infiltraram-se nesse movimento estudantil para distorcê-lo, ampliar a agitação, estimular os ódios e os preconceitos contra as forças progressistas.

Tudo na perspectiva de acumular forças para a derrubada da Dilma e posterior caça ao Lula.

Tal como em 2013, a manobra atual do MBL segue o mesmo padrão.

Por isso, atenção: a “adesão” dos mebelistas na campanha #EleNão é cortina de fumaça.

A presença deles no #EleNão deve ser rechaçada em todas as instâncias, virtuais e reais.

PS de Pedro dos Anjos: Após assistir à edição oficial do vídeo MBL no qual Kim Kataguiri atribui ao Lula a escatologia nazi de Bolsonaro, só podemos concluir que a milícia ideológica mebelista se supera a cada hora. Ela é o fake do fake do fake do fake…

Leia também:

Brasileiras organizam ações contra candidato neofascista em todo o mundo

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



14 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Lulu

29 de setembro de 2018 às 13h29

Ele não aderiu ao EleNao foi só um vídeo sarcástico. Que precisa ser assistido a ter o final para se compreender a ironia. Minha gente assistam as coisas até o final. Não

Responder

Marise

28 de setembro de 2018 às 02h57

Nós mulheres repudiamos sua postura, na política brasileira, um cara sujo, vendido por muito pouco. A nossa luta vem de ver pessoas como você #vocetambemnao

Responder

carlos

27 de setembro de 2018 às 18h36

Eu vejo que é um péssimo sinal, lembram da onda verde amarela, do impitchiment? Ela foi financiada por quem pelos banqueiros,e a FIESP comandada pelo skaf, e até com dinheiro de propina do PSDB via Aécio, agora novamente o dinheiro do fundo partidário pago com o nosso imposto, pode servir para financiar, essa bagunça que a elite atribui sobretudo ao PT, e aí é quando entra os militares.

Responder

LUIZ HORTENCIO FERREIRA

26 de setembro de 2018 às 15h34

Esse menino, triste, por ser ainda menino e tão vigarista! O movimento que ele criou é movido à deturpação, incomodação de quem está quieto, infriltrar-se em movimentos sérios para desestabilizar e quem sabe criar a “desordem” que os militares estão querendo para justificar a intervenção.
Cuidado com esses tipos, pois, eles são a desordem!!!

Responder

Hudson

25 de setembro de 2018 às 21h05 Responder

Hudson

24 de setembro de 2018 às 18h47

O 5ªkat vai votar no Haddad?

Responder

Rosa Xavier

24 de setembro de 2018 às 18h15

Nós não queremos oportunistas traidores em nosso grupo, somos mulheres sérias lutando por uma causa justa, estamos lutando contra tudo que esse oportunista representa . #Elenão e esse daí :tambémnão #EleNão #EleNunca 💪👊

Responder

L'Amie

24 de setembro de 2018 às 17h04

Olá gente, sem mufa quente. Cerveja boa, só a gelada, se quente vai pra geladeira. O Kaim Katakata entrou na porta errada, com um bom safanão voltará pra seu lugar. Deixem o cara na prateleira com o aviso : Baixou o preço face ao grave defeito em seu micríssimo chip’ãZé. Agora continuemos com ” ele NÃO nos representar, tampouco os seus mediocres vassalos.

Responder

Élio

24 de setembro de 2018 às 15h01

O MBL e fascista. E contra o aborto, contra a união gay, contra os negros. São contra as cotas sociais e raciais.
Foi a favor de todas reformas do Temer.
E a favor da reforma da previdência proposta pelo Temer.
Enfim, essa raça de Satã, o MBL, quer ferrar o povo. Só interessa a eles se elegerem deputados ou vereadores.

Responder

Eduardo

24 de setembro de 2018 às 11h04

MBL não é morto!!!! Quer usar o “Ele Não” das mulheres respeitáveis para ressurgir das cinzas do inferno que é seu lugar,trair e abandonar Bolsonaro sua referência fascista e rastejar como réptil asqueroso por entre aqueles a quem pretende trair, golpear humilhantemente e submeter no futuro! Já sabemos quem são! É escória humana! Na dúvida pise, esfacele e empurre ao esgoto!

Responder

Julio Silveira

24 de setembro de 2018 às 08h57

Esse marginal só tem essa guarida toda por que as instituições que compõem a estrutura publica, principalmente as da justiça, estão podres por isso ele surfa com toda essa maestria na merda.

Responder

Na lata

24 de setembro de 2018 às 01h27

O PCO considera esse #EleNão como uma frente pró-Alckmin.

Responder

Morvan

24 de setembro de 2018 às 00h56

Bom dia. Escola Sem Partido (de esquerda; de direita, pode), dancinhas “patrióticas”, propaganda nazistoide em toda a mídia. Esses caras merecem um paredão de presente, com direito a invocar, antes de conversar com Dr. Silas Cousse, os Muses. Isto lhes deve dar algum alívio… Canalhas { 3 }.
Saudações “#HaddadPresidente, #LulaLivre, Brasil idem (deles, os entregões).
Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal, seja Livre, use GNU-Linux.

Responder

Edgar Rocha

23 de setembro de 2018 às 23h57

Ou, talvez já estejam preparando mais uma manifestação “contra-tudo-que-taí” e precisam de quem possa conclamar as multidões novamente. Desespero dá nisso. E o Mourão já deixou claro que uma derrota do Bolsonaro poderia fomentar uma intervenção para a manutenção da ordem. Mas, é preciso ter desordem, certo?
Teatro armado, agora é preciso público e contra-regras.
Não que eu ache que vai dar certo. O golpe já minguou. De qualquer forma, não fizeram tudo pra perder no final.
O bom disto tudo é que a candidatura de Bolsonaro expôs demais a direita no país. Ter apostado nele como o cavalo de corrida a derrotar o PT foi uma ação arriscada. Qualquer resultado que o leve ao poder deslegitimará seus apoiadores mundialmente. O verniz perdeu o brilho. A desculpa do processo democrático não cola nem se o Bolsonaro for eleito. Colou com o Temer (graças ao republicanismo). Com o coiso, um fascista, jamais.
Que sinuca de bico da direita, não? Estão tão apertados que chamam pra quinta coluna o Kataguiri. Já perderam esta. O que vem depois é de dar medo: o esperneio. Alguém vai ter que descer do salto, perder o pudor e enquadrar esta corja no primeiro ato de violência e vingança.
Vão ter coragem pra isto? Ou, continuam com a covardia moral disfarçada de pudor cristão de sempre? Não tem desculpa. A senha foi dada pelo próprio consulado alemão: fascista tem que calar a boca, tem que apanhar na rua, tem que ser perseguido. Se eles fazem, se o mundo precisa fazer, porque os bundões do Brasil vão ficar quietos? Só se forem vinho da mesma pipa. Só se não forem capazes de romper com os que se identificam pessoalmente.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.